O Mais Importante É Não Perder O Fim Da Linha

Laitman_524_01Pergunta: Nós podemos nos agarrar ao grupo e o Criador até certo nível de dor, mas o que devemos fazer quando a dor se torna tão forte que você simplesmente se sente como um pequeno animal castigado?

Resposta: A questão é se este pequeno animal tem o fim da linha que conduz ao seu dono, ou seja, se entende de onde vem a dor, se esse animal é parte do seu rebanho, em um grupo, se os amigos o lembram do dono, ou se é apenas uma pessoa comum que sofre.

Se nós estamos falando de sofrimentos comuns, então toda a humanidade tem sofrido por eras até que os nossos sofrimentos tenham sido gradualmente focados no Criador. Na transição dos níveis inanimado, vegetal e animal da natureza, junto com um caminho de sofrimentos terríveis, nós evoluímos até que emergimos do fundo do oceano e subimos à superfície da terra e passamos pela era dos dinossauros.

O desejo de receber passou por tudo isso até que se desenvolveu até o estado da base de sua conexão com sua fonte. Hoje nós estamos no auge da nossa evolução em relação a todos os níveis anteriores, mas mesmo em nosso pico nós entramos em contato com a força superior apenas por breves momentos e esse contato é constantemente interrompido.

A questão é como eu posso controlar esse contato, a fim de não perder contato com a força superior. Eu quero estar em contato permanente com a fonte, independentemente de me sentir bem ou mal.

Esta é a razão pela qual eu preciso de um grupo, de um ambiente, algum tanque externo que eu possa preencher como um armazém que posso usar mais tarde. Nele eu vou encontrar o Criador, e os amigos vão me ajudar e me guiar à meta, ao Criador.

Sem eles, eu não sei a quem recorrer quando sinto dor. Se eu entro no grupo com a minha dor, os amigos me orientam corretamente ao Criador e eu começo a ficar mais forte rapidamente. Junto com eles, eu estou pronto para executar ações corporais e me concentrar corretamente para que a dor e os problemas desapareçam.

Os meus problemas desaparecem porque eu mesmo opero um pouco da Luz de Hassadim e não porque me compadeci de cima e minha situação foi alterada de acordo com o plano superior da evolução natural. Eu agi sozinho, a fim de avançar, e participei da doação.

Nós devemos aprender com cada estado como é útil se preparar para ele. Nós nunca somos colocados em estados onde estamos fadadas ao fracasso. Um novo, mais forte e mais profundo Reshimo (reminiscência) negativo é revelado cada vez de acordo com a ordem dos níveis e da relação entre a Luz e os vasos sob a influência da Luz com o qual eu tenho que trabalhar.

Eu só posso me culpar por não ter preparado todos os meios corretamente de modo que no momento em que surge um problema eu possa corrigi-lo imediatamente. Em condições ideais, isso é exatamente o que deveria acontecer.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 02/05/14, Escritos do Rabash

Comente