Colocando Minha Vida Nas Mãos Do Guia

Dr. Michael LaitmanBaal HaSulam é nosso guia e isso significa que eu tenho que aceitar tudo o que está em seus livros como a verdade absoluta. Se eu posso entender o que se diz na minha cabeça, então eu aceito é claro, mas mesmo que eu não entenda, devo aceitá-lo mesmo sem entendimento. Caso contrário não alcançarei o objetivo desejado.

Um guia significa que ele está alguns passos na minha frente dizendo: “Siga-me, à direita, à esquerda, siga em frente!” E eu o sigo. Eu não vejo a estrada, mas ele vê e está andando na minha frente. Quando eu levanto meu pé para dar o próximo passo, não sei onde colocá-lo, e então pergunto-lhe: “Coloco assim?” E ele responde: “Desse jeito! Agora um pouco mais para a esquerda; assim não, um pouco mais para a esquerda”. E eu sigo as suas instruções. Isso é seguir o guia.

Também é o mesmo em nosso mundo. Se eu vou escalar montanhas ou vou para algum outro lugar perigoso onde não sei o caminho, eu coloco minha vida nas mãos do guia. Não é um guia de turismo em Londres; chama-se uma fonte, um guia.

O guia do grupo Bnei Baruch é o Baal HaSulam. Se você quer estudar com a gente, deve saber que estudamos de acordo com nossa fonte. Se não, deve procurar outro lugar para estudar. Isto é o que Rabash me disse quando lhe perguntei como poderia ter certeza que estava no lugar certo. Eu tinha trinta anos de idade, estava cheio de energia, tinha tudo: dinheiro, família, saúde, tudo o que se precisa na vida. Também fiz-lhe a mesma pergunta: “Estou lhe seguindo e tenho que dedicar 20 anos antes de chegar a algo. Se eu descobrir que esse caminho é errado, vou descobrir isso quando tiver 50 anos e já seria tarde demais para corrigir alguma coisa nos anos que me restam. Como posso ter certeza agora que estou no lugar certo?” E ele respondeu: “Vá e procure o lugar certo”.

Eu fiquei decepcionado com a resposta. Eu pensei que se ele fosse um guia espiritual, ele deveria me aconselhar a fazer a escolha certa. Mas este foi o seu conselho: “você deve procurar por si mesmo, não posso lhe dizer”. Se você escolhe um determinado lugar, você deve aceitar o professor e segui-lo cegamente. Ele se torna a sua cabeça.

Portanto, se alguém duvida de mim, deve me verificar no que se refere ao Baal HaSulam. Eu ficarei muito feliz, pois vejo minha missão como apresentando-o ao público. É assim que a pessoa deve verificar se este caminho é melhor para ela ou não; é um desperdício de tempo estudar se ela não se aceita este método.

Mas se a pessoa já decidiu estudar em um dos nossos grupos, ela não pode aceitar apenas parte do que estudamos e rejeitar outras partes. Acontece que com isso ela toam uma decisão baseada no seu ego, pensando que é mais importante do que o caminho que vamos seguir e estudar. Eu respeito sua opinião, mas é impossível avançar se não aceitar esse método acima da razão. Às vezes quando você o rejeita, mas ainda aceita a mente do superior, você pode avançar, mas se não concorda com o professor sobre ações corpóreas, já que julga com sua mente corpórea, no nível corporal, então não pode ser. É claro que você deve executá-las e precisa realizá-las na fé acima da razão.

Onde a fé está envolvida, a influência do grupo é necessária. É muito simples: você ou concorda e aceita as coisas ou não pertence e não avança ao longo do nosso caminho, nem mesmo um passo. Uma pessoa tem que calcular as coisas, e se ela não concorda com o professor quando se trata de questões corporais, então ela certamente discorda quando se trata de questões espirituais. Ela só está se iludindo que na espiritualidade está tudo bem, mas seu trabalho não levará a nada. Esta é a razão porque apenas poucas pessoas alcançam a meta.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 13/12/13, Escritos do Baal HaSulam

Comente