Aprendam A Ouvir Uns Aos Outros

Dr. Michael LaitmanPergunta: Como nós vamos preparar as pessoas para ouvir e cuidar corretamente dos workshops de Educação Integral?

Resposta: Em primeiro lugar, nós precisamos trabalhar em todas as condições de conexão entre elas. Todos devem entender que cada um tem sua própria opinião e ela pode ser correta. Abram-se e sintam as opiniões dos outros, não se retirem para si mesmos e deixe-os passar a sua frente; eu tenho que me dobrar e submeter aos outros.

Deve haver uma técnica particular, uma abordagem psicológica, aqui. Alguém fala e ao mesmo tempo eu tento remover o meu ego. Jogamos com isso. Em primeiro lugar, eu escuto o que alguém diz e depois eu devo passar por cima de tudo o que ele disse. Uma pessoa pode falar realmente uma bobagem, mais ou menos em algum tópico, e eu pratico como ouvi-la.

Afinal de contas, nós não ouvimos um ao outro. Como posso me anular especificamente a fim de ouvi-lo, sem corrigi-lo e sem inserir suas palavras em mim com as minhas correções e adições, e em vez disso ser vestidos em você? Para isso eu tenho que me submeter, aceitá-lo como um padrão particular, e, assim, me orientar.

Numa forma como esta, nós aprendemos a ouvir e a nos anular em relação ao outro. Esta é a primeira coisa.

Em seguida, nós passamos para a próxima fase, onde praticamos falar de uma ideia e não apenas jogar palavras fora.

Agora eu devo transmitir algum tipo de pensamento que se diz ser muito concreto, claro e lógico. Ao mesmo tempo, eu o expresso em relação a outros, ao ser incorporado dentro deles, como os pais se comportam em relação aos seus filhos, ou seja, a partir de um nível mais elevado em algum grau.

No primeiro encontro eu olhei para você de baixo para cima, como um exemplo a seguir, e agora o contrário, eu digo algumas frases sérias, tento me expressar logicamente, tento “entrar” em você. É assim que você vai me entender, vai aceitar minhas palavras, para que elas se assentem gradualmente em você.

Cada um deve preparar algum tipo de discurso que seja bastante lógico, claro, que fale do trabalho ou qualquer outra coisa, não faz diferença. A principal coisa é que eles escutem um discurso. Afinal, nós sempre pensamos que alguém está falando bobagem. Mas não importa que tipo de bobagem ele esteja dizendo, digamos, sobre o peixe que ele comeu ontem num restaurante; o principal é que eu absorvo suas palavras e as sigo. Agora eu transmito minhas tolices de uma maneira lógica e clara para que os outros absorvam tudo isso.

É assim que ensinamos os participantes do workshop como se submeter imediatamente e ouvir uns aos outros, e como se elevar imediatamente e doar a ele. Tudo isso é para um objetivo mais importante, uma audição perfeita e uma plena compreensão, e não para se lembrar de quaisquer insultos e criar intrigas mesquinhas. Você vê, por fim nós criamos a nossa imagem coletiva.

Por exemplo, coloque um prato no centro do círculo e dirija todos de tal forma que sintamos como se acrescentássemos um ao outro. Suponha que um amigo esteja na logística, um segundo amigo na tecnologia, um terceiro amigo na montagem, e assim por diante. A principal coisa é que, juntos, nós sentimos como se estivéssemos no mesmo prato.

Depois disso, nós aprendemos a dizer um ao outro apenas palavras amáveis ​​e de forma mais sincera. Nós brincamos de ser pessoas corretas, boas e simpáticas, que aprendem a ser livres. “Veja, você já está sorrindo. Agora cante para nós uma música de sua infância”.

Faça-as se tornarem crianças, livres, relaxadas, desprendidas de toda a negatividade que as engloba; diga algo da infância para todos, ou sobre o primeiro amor. Nós queremos tirá-las do “terno e gravata”, e fazê-las se acostumar ao fato de que podem simplesmente ser os seres humanos umas com as outras.

Só depois de ensinar-lhes todas as condições para a comunicação entre elas é que vamos passar para os workshops, onde elas podem começar a esclarecer por que devemos ser integrais. Quando geramos a integralidade comum, por que essa soma é um nível superior a nós, como se fosse um elevador nos elevando ao próximo nível de entendimento e sentimentos? Por que nós absorvemos tudo através de nossos sentimentos, apesar de não reconhecermos isso e não entendermos isso? Por que o ser humano é um ser emocional e não um ser lógico? Nossa lógica só é vestida na emoção e este é o nosso erro.

Assim, aos poucos nós começamos a falar sobre como temos que subir a um novo nível de sensações e sermos mutuamente incorporados um no outro.

De KabTV “Através do Tempo” 23/09/13

Comente