Com Justiça Julgarás O Teu Próximo

Dr. Michael LaitmanPergunta: Em que nível deve estar um juiz para sentenciar uma pessoa?

Resposta: Esta é uma questão muito complexa. Afinal, tudo o que uma pessoa leva a cabo é feito quando o Criador faz vista grossa. O Criador lhe permite cometer uma transgressão em particular contra a sociedade e até mesmo contra o próprio Criador.

A questão que surge é como a pessoa pode reconhecer que o que aconteceu é a revelação do mal em prol da correção futura. Esta pergunta não é muito simples. Por que o Criador dispõe para todo mundo que essa revelação vai acontecer especificamente de uma maneira ruim como essa e não de uma maneira boa?

Segue-se que as situações eram incorretas desde o início e o trabalho nelas é incompleto, tanto pela pessoa como pela sociedade. A fim de descobrir a situação errada que existe entre si, elas devem primeiro passar por algum tipo de transgressão e depois pela correção.

Suponha que alguém cometeu um assassinato e foi pego. Este é um problema da sociedade como um todo, uma vez que existem condições particulares nela para a realização de um ato como este. Como é que a partir das circunstâncias atuais, nós atingimos sua completa correção amanhã?

Todos nós estamos conectados num único sistema. Este sistema divide-se como se faz em mecânica: existe algum tipo de problema num motor e uma das partes está quebrada (análogo ao homicídio). Segue-se que não é uma parte que se deve culpar, mas sim sua coordenação com as outras partes.

Por isso, é necessário ter um novo olhar sobre o motor inteiro e descobrir por que esta parte quebrou. Talvez isso não tenha acontecido por causa do motor! Ou seja, o Criador arranjou tudo isso para nós.

A correção só vem ao se cobrir a parte quebrada. Como ela foi revelada desta forma na sociedade e ajudou-a a determinar o seu defeito integral geral, todos os membros da sociedade devem realizar as correções necessárias ao trabalhar com ela, tomando o seu defeito para si mesmos e se conectando com ela como se fosse uma parte corrigida.

Segue-se que a sociedade deve dar a garantia a um ladrão ou assassino e corrigir-se para que, sob a pressão da sociedade, em conjunto com ela, eles subam para outro nível. Este é o lugar onde o reconhecimento geral do mal acontece: a descoberta do erro global, o defeito geral. Por que eles não viram isso? Por que não descobriram isso a tempo?

Há um trabalho coletivo aqui. Nada é privado ou individual! Você não pega o assassino e transporta-o para o tribunal onde o juiz imediatamente o sentencia de acordo com as leis punitivas: não há pena de morte ou dez anos de prisão. Do que ele é exatamente culpado?

Só um sistema integral está preparado para dar a resposta certa para um erro como este. Além disso, quando encontramos a solução certa, a conclusão certa, descobrimos adesão com o Criador dentro deste quadro.

O sistema egoísta do nosso mundo é baseado no transgressor ser culpado e por isso deve ser descartado. Cabe a ele expressar remorso, sentar-se e sofrer. E qual é o fim da questão? Ele toma para si o defeito geral da sociedade e absorve todo o colapso da sociedade em si mesmo, e assim segue-se que ele aparentemente é culpado.

Junto com isso, a sociedade acumula partes não corrigidas como estas dentro de si e atrai todo o mal da sociedade sobre si mesma, de geração em geração. A sociedade obriga os transgressores a sofrer em seu lugar, quando é purificada disso egoisticamente: “Vá e sofra em vez de nós”.

Pergunta: Nas nossas condições físicas, nós podemos realizar um sistema jurídico diferente?

Resposta: Nós podemos moral e espiritualmente estabelecer um sistema equilibrado? Nós podemos dizer como ele deve parecer no estado aperfeiçoado e como o desequilíbrio, a perda de proporção e tensão interna, é criado nele? Para isso, cabe a nós ver este sistema.

Pergunta: Será que isso significa que apenas uma pessoa que se encontra num nível espiritual pode ser um juiz?

Resposta: Um juiz é a Luz de AB SAG, Ohr Hochma e Bina. Juntas, elas trabalham no desejo e o revelam em dois lados: Din (julgamento) e Rachamim (misericórdia). Somente a integração adequada de todos eles pode revelar o Kav Smol (linha esquerda), que possibilita que uma pessoa seja juiz.

Mesmo os antigos gregos representavam a deusa da justiça segurando uma balança em sua mão, tentando equilibrar-se entre o bem e o mal. Este é o impulso humano natural. No entanto, não é possível encontrar o Kav Emtzai (linha do meio) no mundo, uma vez que é mais elevado do que as características humanas.

O juiz deve ser imparcial. De modo a garantir isso, eles lhe dão um bom salário, pois assim ele supostamente não exigiria dinheiro adicional. Mas, a verdade é que um juiz deve ser uma pessoa que é necessariamente ainda mais autossuficiente e simplesmente não exige qualquer outra coisa. Em vez disso, você o perturba com dinheiro. Esta é uma abordagem totalmente diferente.

Nós não estamos preocupados com seu estado interior e suponha que depende de nós encher seus bolsos de dinheiro para que ele não seja tentado a aceitar um suborno. Pelo contrário! É assim que destruímos juízes.

Além disso, os juízes não podem ser completamente independentes, porque vivem dentro da sociedade e dependem dela. Mas, na verdade, o juiz deve estar completamente separado da sociedade. Isto é o que nós estamos cultivando dentro de nós: a qualidade de julgamento, o juiz.

O juiz é a pessoa mais elevada numa sociedade! É uma pessoa que está pronta para estar conectada com o Criador; e deste alto nível, quando entende o que o Criador está fazendo com a sociedade, ele pode trazer correção para a sociedade porque o julgamento é apenas um sistema de correção.

De KabTV “Segredos do Livro Eterno” 02/04/14

Comente