A Singularidade Do Plano Da Evolução

Dr. Michael LaitmanPergunta: O nosso planeta passou por muitas fases e crises durante sua evolução. Sua história é uma sequência de diferentes períodos: a criação da crosta sólida, a atividade vulcânica, eras glaciais e a extinção de diferentes espécies, etc.

Quando olhamos para este processo, há uma sensação de que o nosso planeta se preparou por bilhões de anos para a criação da vida humana, assim como uma mulher se prepara para dar à luz quando um embrião se desenvolve dentro dela.

O que podemos aprender com o processo evolutivo da Terra? É verdade que a sua longa evolução era para nós, para a humanidade?

Resposta: É verdade que a Terra já passou por períodos longos geológicos e um processo de resfriamento que durou bilhões de anos. O acúmulo de calor e pressão dentro dela irromperam repetidamente até que uma crosta se formou que os aprisionou nas profundezas do planeta. Esta crosta muito fina e o fogo queimando por baixo, tornou-se a base para a criação da vida, o que significa que nós vivemos num barril de matéria explosiva. Ao mesmo tempo, a atmosfera foi criada por cima, sem a qual as criaturas vivas não seriam capazes de existir.

É nessas condições extremas e especiais que a vida se formou e desenvolveu neste planeta. Por fim as imensas forças opostas criaram harmonia, equilíbrio e adaptação de acordo com muitos parâmetros, que há bilhões de anos permitiram o desenvolvimento das primeiras formas de vida no nível inanimado.

O atual processo é muito interessante e é sobre um novo software especial que opera na matéria e ativa suas partes para se reunir, dividir, aproximar, em seguida, e afastar-se ainda, e formar novas criaturas que são cada vez mais desenvolvidas.

Nós estamos diante de um problema: qual abordagem nós devemos apoiar – a abordagem científica ou a abordagem religiosa – e se este programa opera de Cima ou se é impresso na matéria que procura as melhores soluções em cada estado e em cada momento da sua existência.

A verdade é que não há diferença real entre as duas abordagens e trata-se apenas de uma luta política entre elas. Hoje nós vemos que não faz diferença que definições nós usamos e se nós falamos da natureza ou Deus. É claro que tudo existe de acordo com um programa típico das forças da natureza que operam na matéria.

Tudo acontece por uma razão; nada acontece de repente e se desenvolve por si só. Por outro lado, a natureza não procura os objetos evolutivos certos e a direção certa da cooperação entre os bilhões de exemplares. Tais pressupostos não resistem ao teste do tempo.

Por isso, deve-se reconhecer que existe um plano da natureza ditando o processo de nossa evolução desde os níveis inanimado, vegetal, animal e humano, o que quer que o siga, porque nós não chegamos ao fim da nossa evolução e cada um de nós tem que se transformar em algo. Hoje parece que estamos enfrentando problemas e falta de esperança, mas ainda temos que continuar evoluindo.

Nós vemos a evolução da matéria nos níveis inanimado, vegetal e animal, sob a forma de desejos, pensamentos, intenções e forças mentais na matéria, nas criações que fazem parte da nossa evolução e que levam a matéria para formas cada vez mais sofisticadas: de simples microrganismos a criaturas maiores e mais sofisticadas.

As células se dividem de acordo com a sua função e formam diferentes órgãos no processo de multiplicação. Isto leva vários anos de evolução, é claro, mas como resultado desta evolução, o nível vegetal começou a se desenvolver. Depois, um programa especial começou a operar e gerou as formas de vida no nível animal.

Por conseguinte, há transições entre os níveis inanimado e vegetal, o vegetal e o animal, e entre o animal e os níveis humanos.

Todos estes processos levaram milhões de anos. A evolução tem sido sempre no sentido da conexão entre mais e mais partes e sua divisão de acordo com suas funções, seus atributos e seus diferentes papéis. Assim, as células que construíram os diferentes órgãos do corpo, o cérebro, coração, fígado, ossos, tendões, pele, etc., são diferentes partes dentro do conjunto.

Eles compõem sistemas mais complexos que estão conectados de diferentes maneiras; é tudo para sustentar a vida dentro de um corpo. Além disso, o homem também é consciente e tem sentimentos e uma mente que lhe permitem experimentar sentimentos profundos e descobrir o mundo.

A questão é por que tudo isso é necessário? Qual é o propósito desta maravilhosa criatura na qual todos os processos que fazem parte dela ainda são um mistério? Por que a natureza criou tais criaturas complexas?

Por enquanto, não há resposta para isso, porque não vemos o objetivo da criação e sua finalidade. No entanto, todos os quatro níveis (inanimado, vegetal, animal e falante) estão bem diante de nossos olhos, sob a forma do universo, da Terra e da vida na Terra.

Além disso, o homem pertence fisiologicamente ao mundo animal, mas a diferença é que ele se desenvolve de uma geração para outra e muda seu ambiente de acordo.

No futuro, nós provavelmente vamos nos familiarizar com o programa que está impresso na natureza, na medida em que ele é cumprido no homem e leva-o à próxima fase. Nesse meio tempo, nós não vemos a razão para todo esse processo evolutivo que fez tornou a criação do universo útil.

De qualquer forma, tanto quanto nós compreendemos os resultados de nossos estudos, não podemos atribuir este processo à natureza cega. Pelo contrário, nós gradualmente entendemos que tudo está sob o controle minucioso do programa geral da natureza.

De KabTV “Uma Nova Vida” 02/03/14

Comente