Textos com a Tag 'natureza'

Cabalá – Mergulhar Na Natureza

219.01Pergunta: As visões da Cabalá são próximas ao Budismo e em muitos aspectos à ioga, ao catolicismo e à alquimia europeia, aparentemente, de acordo com os métodos de alcançar um futuro mais brilhante. Mas, até onde eu entendo, o futuro mais brilhante só pode ser alcançado por meio da unidade na Cabalá. Por quê? Se outras escolas oferecem isso, por que não contam?

Resposta: Os Cabalistas não rejeitam ninguém. Mas, aparentemente, existem várias maneiras de unir a humanidade. Hoje entendemos que sem unidade iremos simplesmente perecer, destruiremos uns aos outros. Por tudo o que acontece conosco, vemos que esse é o único caminho para a salvação. Nem o desenvolvimento da tecnologia nem qualquer outra coisa nos ajudará. Precisamos desenvolver uma pessoa para a comunicação, para uma maior boa conexão com os outros.

A Cabalá explica como fazer isso. Ela conta com uma boa força oculta na natureza que pode nos unir. O homem não tem esse poder. Não importa quantas meditações façamos ou como empreguemos vários métodos com todos os tipos de exercícios, isso não nos ajudará, porque o egoísmo nos permeia literalmente de cima a baixo.

A metodologia Cabalística é construída sobre a união da humanidade com a ajuda de uma boa força que existe na natureza, mas está oculta de nós. Portanto, a Cabalá é chamada de ciência secreta porque revela esse poder e, então, usando-o, podemos nos unir. Isso é o que torna a Cabalá diferente de outros ensinamentos.

Mas isso não é meditação, não é um exercício físico. Isso é realmente mergulhar na natureza. Mas é diferente. Você só precisa entender o que é.

Em princípio, a Cabalá não nega nada, na verdade, nem todos os outros métodos. Nem eles se negam, mas cada um tem uma abordagem diferente.

Na humanidade existem diferentes grupos de pessoas com diferentes inclinações e preparações psicológicas da natureza. Portanto, é necessária uma abordagem diferente. A propósito, na Cabalá é dito que existem muitas maneiras de alcançar a unidade.

Mas o fato de que a unificação entre todos é o objetivo e o modo de existência verdadeiramente correto, isso não pode ser negado hoje. A pessoa deve verificar por si mesma se o método da Cabalá lhe convém. E se não, ela pode escolher outra coisa.

Mas, ao mesmo tempo, você precisa se esforçar para unir as pessoas. Acredito que essa seja uma tarefa e responsabilidade de todos.

De KabTV, “Pergunte ao Cabalista”, 20/03/19

Unificação É Uma Tendência Da Natureza

632.3Pergunta: Internamente, estamos constantemente nos afastando um do outro. Vemos que o pensamento egocêntrico cresce o tempo todo e se manifesta em diferentes situações.

Chegamos ao ponto final do distanciamento social ou continuaremos a nos distanciar uns dos outros antes de começar a nos unir? Qual é a tendência da natureza?

Resposta: A tendência da natureza é direcionada para a unificação absoluta de todas as pessoas; portanto, ela nos obriga a nos aproximarmos o tempo todo. Por mais que queiramos nos distanciar uns dos outros com o nosso egoísmo, a natureza, ao contrário, vai nos unir e nos forçar a nos aproximarmos até entendermos que esse movimento deve ser sentido.

Pergunta: Existem duas tendências aqui. Por um lado, a natureza, que fomenta o egoísmo em nós, nos afasta uns dos outros. Por outro lado, a mesma natureza nos empurra para a unificação. A natureza tem duas forças, por assim dizer?

Resposta: Naturalmente. Essas são as forças egoístas que estão na base de nosso mundo e a força altruísta é a força de atração, amor mútuo e doação, que está na base do mundo espiritual. Ambas as forças, especialmente em nosso tempo, estão cada vez mais se manifestando em nós.

É bom se entendermos para onde tudo isso vai levando e começarmos a caminhar junto com a natureza. Nesse caso, não sentiríamos contradições, problemas ou golpes do destino.

Se não quisermos isso e agirmos apenas de acordo com nossa força egoísta, teremos muitos problemas, incluindo todos os tipos de guerras, problemas com vírus, como agora, e assim por diante.

De KabTV, “Habilidades de Comunicação”, 30/10/20

Deixe O Gentil Vencer, Não O Forte

552.02Pergunta: Multiculturalismo é um conceito que reconhece que todas as culturas são iguais e têm o mesmo direito de existir. Você concorda com esta afirmação?

Resposta: Depende de quais culturas e para onde elas nos levam. Não acredito em palavras bonitas. “Multi” não existe na natureza. Existe apenas uma força superior na natureza. Se quisermos ser assim, chegamos a um bom denominador. Se não, chegamos ao mau denominador.

Comentário: Mas há tanta variedade na natureza!

Minha Resposta: Essa variedade só existe na natureza humana, na qual os fortes sempre vencem. Se quisermos nos elevar acima de nossa natureza para não nos devorarmos uns aos outros, precisamos que o gentil (amável) vença, não o forte. Só então seremos capazes de sobreviver.

De KabTV, “Habilidades de Comunicação”, 16/10/20

“Qual É A Diferença Entre As Leis Da Natureza, A Ética E A Moralidade?” (Quora)

Dr. Michael LaitmanMichael Laitman, no Quora: Qual É A Diferença Entre As Leis Da Natureza, A Ética E A Moralidade?

As leis da natureza são leis imutáveis ​​de amor e doação, que harmonicamente conectam todas as partes da natureza e levam em consideração o benefício do todo.

Em contraste, a moral e a ética são códigos de conduta humana em um determinado momento. Por exemplo, se métodos mais rudes de comunicação eram considerados normas no passado, até mesmo ao ponto da crueldade, então, quanto mais nos desenvolvíamos, mais moderados e amigáveis ​​esses comportamentos se tornavam.

As leis da natureza são opostas à natureza humana, que é o desejo de desfrutar às custas dos outros e que está em constante crescimento. Quanto mais o ego humano cresce, mais nossa moral e ética mudam, a fim de nos permitirmos conviver mais convenientemente em diferentes estágios de nosso desenvolvimento. Porém, por mais que evoluamos em nossa moral e ética, sempre nos encontramos carente de alguma coisa, e cada vez mais problemas e crises abundam em nossas relações.

O desenvolvimento humano nos leva gradativamente à necessidade de alcançar o equilíbrio com as leis da natureza. Hoje, estamos mais maduros do que nunca para a descoberta das leis da natureza.

No entanto, como podemos dar esse salto de sermos governados pelo ego humano – tentando se adaptar e observar a moral e a ética para nos darmos da melhor forma possível – para nos tornarmos governados conscientemente pelas leis da natureza, onde nos conectamos harmoniosamente um com o outro e descobrimos as forças positivas que habitam na natureza dentro de nossas conexões harmoniosas?

Nós damos esse salto aprendendo e exercitando as leis da natureza em uma configuração social, ou seja, como nos conectarmos positivamente na sociedade para que haja um envelope de amor e cuidado em nossas relações. Ou seja, ao nos conectarmos como um todo na sociedade humana, combinamos a perfeição e a totalidade das leis da natureza e, então, passamos a experimentar um tipo totalmente novo de harmonia, felicidade, confiança e paz preenchendo nossas vidas.

Eu discuto esse tópico com mais profundidade no programa “Habilidades de Comunicação. Princípios morais e normas sociais”: Assista ao vídeo aqui » (em inglês) [54:02]

Foto de Toa Heftiba no Unsplash.

Reação Da Natureza Às Relações Humanas

294.2Pergunta: Uma norma torna-se verdadeiramente moral apenas quando o requisito contido nela é realizado pela pessoa como um comando interno para si mesma. Em que condições isso acontece?

Resposta: Para que uma pessoa alcance tal nível, ela deve ser elevada, ver que funciona dessa maneira, e então, pelo que realmente existe ao seu redor, ela verá que não pode agir de outra forma. Nós devemos alcançar este estado.

Agora, estamos caminhando para a compreensão de que nossas interações, sejam boas ou más, têm um tremendo impacto sobre toda a natureza. Não é nem mesmo necessário que nossas expressões sejam expressas em algum tipo de ação mecânica, uma vez que os pensamentos humanos também afetam em grande medida nossos estados.

Comentário: Na verdade, hoje, quando estamos em quarentena, vemos como a sociedade está fragmentada. Existem as camadas mais egoístas da sociedade e as menos, as primeiras observam as regras de quarentena e as últimas não.

Por um lado, entendemos que sem garantia mútua não seremos capazes de lidar com a pandemia. Por outro lado, ninguém quer ceder. Não existe cultura geral ou educação geral.

Minha Resposta: Porque não vemos uma interação óbvia ou uma reação explícita da natureza aos nossos relacionamentos ruins.

Comentário: Nós vemos! Pessoas estão morrendo! Isso já está claramente visível.

Minha Resposta: Mas eu não vejo isso em exemplos pessoais. Não vejo que se repreender alguém então, no dia seguinte, eu mesmo morro. Portanto, devemos chegar a um tal desenvolvimento que uma pessoa sinta que sua atitude má em relação a outra mata a si mesma e a seu oponente.

De KabTV, “Habilidades de Comunicação”, 09/10/20

Convenções Morais E Leis Da Natureza

125Pergunta: As normas sociais podem ser divididas em vários tipos. Existem padrões éticos, como ceder a vaga para idosos no transporte público. Existem normas legais, como a proibição de fumar em locais públicos. Existem normas religiosas quanto ao cumprimento de alguns tipos de mandamentos. Existem normas políticas relativas ao estabelecimento de certas leis. Existem também padrões estéticos, etc.

Você costuma dizer que o amor pelo amigo é uma lei da natureza. Qual é a diferença entre convenções morais e leis da natureza?

Resposta: Convenções morais são as leis do comportamento humano em um determinado momento. Se, no passado, métodos rudes de comunicação eram considerados adequados, até o ponto de tratar uns aos outros com crueldade, mais tarde essas normas mudaram e tornaram-se mais brandas, e depois ainda mais amigáveis ​​e assim por diante.

À medida que o egoísmo crescia, o homem desenvolvia um código de normas morais para coexistir mais corretamente. Assim, chegamos ao nosso estado atual. Em princípio, este é o mesmo egoísmo que nos governa e dita todas as normas de nossa interconexão.

Pergunta: Então, se as normas continuam mudando ao longo da história, elas não podem ser atribuídas às leis da natureza? Afinal, se é uma lei da natureza, não deve mudar.

Resposta: Com o tempo, nosso egoísmo muda e nós mudamos junto com ele e estabelecemos novas leis de acordo.

Pergunta: Quem determina se o amor ao amigo é uma lei ou não?

Resposta: Não definimos nada. Só podemos descobrir essa lei da natureza e revelar que ela existe. Na medida em que reconhecemos o quão universal ela é, começamos a aplicá-la em nossas vidas.

O amor aos amigos, entretanto, é uma lei. Está acima de nós. Portanto, o nível de nosso desenvolvimento dita o quanto queremos implementá-la.

De KabTV, “Habilidades de Comunicação”, 09/10/20

A Influência Das Intenções Negativas Na Natureza

761.1Observação: De acordo com Baal HaSulam, a especificidade da lei de doar para a sociedade é tal que, ao contrário da lei de receber, o feedback negativo não só não vem imediatamente e não nos afeta diretamente, mas indiretamente.

Meu Comentário: No mundo material, eu vejo que quanto mais eu ganho, melhor é para mim. Mas não está absolutamente claro se seria melhor para mim se eu desse mais. Pelo contrário, parece-me que será pior. É por isso que, em nosso mundo, a lei funciona apenas de uma maneira: para receber.

Observação: Se eu pensar na sociedade, doar às pessoas e me preocupar com elas, eu não vejo nenhum benefício nisso para mim e, obviamente, nenhum incentivo da sociedade. Portanto, como escreve o Baal HaSulam, como resultado da violação dessas duas leis, a humanidade está sujeita à destruição, tanto de dentro quanto de fora: fome, cataclismos, crise, vírus, etc.

Meu Comentário: O fato é que nós, humanos, estamos acima de todos os outros níveis da natureza e nossas intenções negativas influenciam fenômenos biológicos, físicos e outros.

Dessa forma, nós afetamos a natureza e ela se torna agressiva em todas as suas partes, elementos, leis e manifestações. Isso é o que vemos em nossa vida, em nosso mundo.

Mas nós não entendemos nossa conexão com a natureza e, portanto, a induzimos a essas interações ásperas e incorretas. Rompemos os bons laços da natureza e, em vez disso, a forçamos a agir incorretamente, não em correspondência integral entre suas partes, em comunicação errada.

De KabTV, “Habilidades de Comunicação”, 21/08/20

A Natureza Abomina A Anarquia

36Pergunta: Uma pessoa nascida em nosso mundo, de acordo com sua natureza, sempre usa outros. Claro, educação e genes desempenham um papel aqui, mas ela irá, na primeira oportunidade, sem hesitar, preferir o ganho pessoal ao bem público. Isso significa que ela não tem escolha?

Resposta: Claro, todas as nossas ações são estritamente predeterminadas. A única opção é seguir em frente o tempo todo e aumentar gradativamente o nível de liberdade: até que ponto posso preferir o coletivo ao individual.

Pergunta: Qual é a diferença entre liberdade e anarquia?

Resposta: Não existe anarquia na natureza. O fato é que as pessoas agem no nível do nosso mundo sem conhecer as verdadeiras leis da natureza. Também não há anarquia no comportamento humano: tudo é predeterminado, tudo é conhecido.

A única coisa que podemos fazer é atrair a luz circundante sobre nós. No entanto, isso também acontece sob a influência da força superior, e não há anarquia aqui.

A anarquia é um sistema específico. Mas a natureza não tolera isso. A natureza é uma lei muito séria, estrita e absoluta.

De KabTV, “Habilidades de Comunicação”, 11/09/20

Misericórdia, Justiça e Paz

294.4A natureza inanimada, as plantas e os animais vivem de acordo com seus instintos naturais. Se houver boas condições externas, eles se multiplicam e, se as condições piorarem, eles murcham.

O homem, porém, ajusta o ambiente às suas necessidades, muda-o para torná-lo mais confortável. Se as condições estão ruins, o homem as aperfeiçoa: leva água a lugares onde não há água, acende fogo para se aquecer e até inventa a geladeira. Ele cria boas condições para si mesmo.

Se o homem não criasse um ambiente favorável para viver, não haveria oito bilhões de pessoas na Terra hoje. Nos últimos cem anos, a população mundial quadruplicou.

Não existe um crescimento populacional tão rápido na natureza. Mas as pessoas se esforçam para mudar a natureza – a natureza inanimada, vegetal e animal que as cerca – a fim de construir um ambiente confortável de acordo com seus interesses egoístas.

Não existem outras espécies semelhantes na natureza. Os animais tornam suas vidas confortáveis ​​até certo ponto, eles cavam buracos para si próprios e até armazenam comida para o inverno. Mas, ao contrário das pessoas, eles não constroem usinas, postos de gasolina, etc., mas usam apenas as forças que receberam da natureza, sem a intenção de melhorá-las e refiná-las para usá-las na construção de um mundo mais perfeito. Só o homem é capaz de tal coisa.

Se a humanidade avançasse corretamente usando todos os recursos que a natureza nos dá, poderíamos nos livrar de todos os problemas. Por meio da conexão correta entre as pessoas, é possível corrigir nossa natureza e chegar a uma vida linda.

A humanidade está tentando instintivamente usar quatro qualidades para construir uma sociedade: misericórdia, justiça, verdade e paz, mas vemos que o estado atual da sociedade é o resultado do uso incorreto desses quatro princípios.

Se aprendermos a usar esses princípios – misericórdia, justiça, verdade e paz – corretamente, seremos capazes de receber todos os benefícios. Estas são as quatro fundações que distinguem o homem da besta e com a ajuda delas construímos a sociedade humana.

No mundo inanimado, vegetativo e animal, não existe o conceito de “sociedade”. Embora existam comunidades como formigueiros ou rebanhos, tudo funciona com base no instinto, controlado pela natureza.

Mas se uma pessoa deseja uma vida boa, isso é impossível sem uma sociedade devidamente organizada. Portanto, devemos implementar os quatro princípios: misericórdia, justiça, verdade e paz.

A verdade é o princípio mais certo, mas o problema é que não a conhecemos. A verdade é o nome do Criador (Emet): as letras “Aleph-Mem-Tav”. “ Aleph” é a primeira letra do alfabeto, no meio “ Mem” é a qualidade de Bina, e a desinência “ Tav” é a última letra do alfabeto. É assim que recebemos a verdade, o nome do Criador. Com essa palavra, essas letras, a força superior criou toda a criação.

Mas não podemos governar a sociedade humana pela qualidade da verdade. Portanto, em vez da verdade, usamos misericórdia, justiça e paz para de alguma forma nos aproximarmos da verdade.

A verdade é doação completa, a natureza do Criador. No entanto, uma vez que não somos capazes de agir de acordo com a qualidade de doação, chamada verdade, tentamos de alguma forma nos aproximar dela para não nos devorar. Esses princípios auxiliares são chamados de misericórdia, justiça e paz.

Esses não são princípios perfeitos, mas na falta de escolha, temos que segui-los para manter um relacionamento mais ou menos normal entre nós.

Da 3ª parte da Lição Diária de Cabalá 10/11/20, Escritos do Baal HaSulam, “Paz no Mundo”

Quem Vai Sobreviver?

566.02Toda a natureza é construída na aspiração de tipos de conexão mais complexos. Nossa tarefa é aprender com ela a nos conectarmos para construir nossas vidas de forma análoga ao que vemos na natureza.

Pergunta: Como esta lei da cooperação se manifesta na sociedade? Também vemos que outras leis bem estritas estão operando na natureza. Não podemos tomá-las do jeito que são e aplicá-las à sociedade.

Resposta: Mesmo essas leis rígidas agem em nome da conexão compacta de todas as qualidades da natureza em um único todo. E se em algum lugar vemos destruição mútua, confronto, então devemos entender que isso ainda está funcionando na mesma direção a fim de trazer a natureza para um único sistema.

Observação: Se, por exemplo, aceitarmos a lei simples da sobrevivência do mais forte, não queremos viver em uma sociedade segundo a lei da selva.

Meu Comentário: Depende de como interpretamos o conceito de “o mais forte”. Vemos que a pessoa fisicamente mais forte não sobrevive. A pessoa prática sobrevive porque sabe como usar o ambiente de forma racional e direcioná-lo para a realização de um objetivo superior da natureza.

E quando uma força grosseira que mantém tudo sob si mesma está em ação, nada funciona. Tudo está atuando em um sistema muito inteligente e multifacetado. Você não pode dizer que agora algum tipo de onda vai chegar e arrumar tudo ou destruir tudo. Aconteça o que acontecer, ainda cria algumas oportunidades para novas conexões. A natureza aspira desde as espécies mais simples às mais complexas.

Pergunta: Podemos pegar a lei da homeostase, que podemos sentir claramente em nosso corpo, e transferi-la para a sociedade? Como essa lei se manifesta na sociedade, ou é impossível vê-la?

Resposta: Tudo isso é relativo. Embora nossa sociedade esteja longe de ser perfeita, ela precisa de todos os tipos de pessoas: fortes e fracas, inteligentes e estúpidas. Em geral, a humanidade deve ser muito diversa para ser capaz de se conectar corretamente a partir dessa diversidade e criar uma forma integral e completa.

A natureza luta pela diversidade, não para tornar uma pessoa forte e dar-lhe poder sobre o mundo inteiro. Vemos que não é o mais forte que sobrevive, mas também não é o mais sábio. Todas as combinações possíveis de forças direita e esquerda são necessárias. Aquele que consegue acumular dentro de si várias qualidades de maneira ideal e usá-las racionalmente sobrevive.

De KabTV, “Habilidades de Comunicação”, 21/08/20