Textos com a Tag 'Grupo'

O Objetivo De Um Grupo Cabalístico, Parte 12

laitman_961.2Em Uma Variedade De Métodos, Escolha Um

Pergunta: De acordo com o princípio Cabalístico, em um grupo é recomendável falar sobre termos espirituais das fontes primárias. Por exemplo, se lemos o Talmud Eser Sefirot ou O Livro do Zohar, podemos usar os termos desses textos para nos comunicarmos?

Resposta: Sim, não é proibido.

Comentário: Há também outro princípio. É importante ignorar outras práticas e técnicas espirituais enquanto se estuda a Cabalá.

Minha Resposta: Naturalmente. Para atingir uma determinada técnica, você deve se aprofundar nela. Você não deve fazer uma salada de todos os tipos de métodos e abordagens. E há muitos deles.

Existem ensinamentos orientais e ocidentais, científicos e psicológicos, e existem os ensinamentos de Baal HaSulam e Rav Kook. Os métodos do Gaon de Vilna e Baal Shem Tov são conhecidos há muito tempo, e assim por diante. Isto é, há uma grande variedade de caminhos para o Criador. Portanto, para ter sucesso, você precisa lidar apenas com um ramo.

Como eu encontrei meu professor e fui aluno e assistente do Rabash nos últimos 12 anos de sua vida, sigo esse princípio e tento ne aderir a ele.

Rabash era o filho mais velho de Baal HaSulam, por isso estudamos os materiais de Baal HaSulam e tentamos implementá-los o máximo possível. Baal HaSulam escreveu que pertencemos à geração em que a Cabalá deve se abrir ao mundo e apelar não apenas ao povo de Israel, mas também às nações do mundo. É assim que agimos.

Pergunta: Para quem seu professor escreveu artigos sobre os princípios de trabalhar em grupo?

Resposta: Ele os escreveu para seus alunos e para aqueles que viriam atrás deles na próxima geração.

Baal HaSulam e Rabash fizeram o que o Ari e o Baal Shem Tov fizeram no tempo deles. O Ari desenvolveu a sabedoria da Cabalá, e Baal Shem Tov desenvolveu a Cabalá prática.

Baal HaSulam fez o mesmo, prestando atenção principalmente à sabedoria da Cabalá e descrevendo-a de acordo com o Ari. Rabash continuou a desenvolver a Cabalá prática. Não consigo imaginar o que mais pode ser feito depois deles, ou seja, onde há espaço na Cabalá para entrar e adicionar algo.

Numerosos livros escritos apenas diluem a sabedoria da Cabalá. Eu não acho que seja necessário. O que resta para nós é, talvez, adaptar seus trabalhos para iniciantes, traduzi-los para outros idiomas e aproximar das nações o método de correção do mundo.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 06/06/19

O Propósito De Um Grupo Cabalístico, Parte 11

laitman_528.02Para Não Prejudicar Você Ou Seu Amigo

Pergunta: Na Cabalá, está escrito que não se pode discutir os estados espirituais dos amigos no grupo, apenas suas ações externas. Por quê?

Resposta: Nós nunca “nos encaixamos” um no outro e não tentamos discutir as intenções ou alturas de revelação do mundo superior de cada um dos amigos. Não lidamos com isso e nem sequer temos o direito de entrar nisso.

Pergunta: Isto é, não posso dizer ao meu amigo: “Você está em alguma descida hoje?”

Resposta: Não, você só pode, de alguma forma, apoiar seu amigo.

Pergunta: Se eu vir algumas ações externas de um amigo, posso discuti-las ou criticá-las?

Resposta: Podemos discutir as ações externas de nossos amigos com o objetivo de agir de maneira correta sobre eles e o grupo. Mas devemos fazer isso com muito cuidado, com base no amor dos amigos.

Observação: Um dos princípios Cabalísticos é proibir a frivolidade no grupo em relação à importância da meta.

Resposta: Isso é muito importante. Não deve haver existência arbitrária no grupo que permita frivolidade. Devemos existir apenas para nos engajarmos na conquista do Criador, conforme prescrito pela ciência da Cabalá. Nenhuma outra meta ou ação deve ser aceitável dentro do grupo.

Nosso objetivo é revelar o Criador, ou mais precisamente Sua qualidade de doação, que é tão contrária a toda a sociedade que, se de alguma forma cultivamos sua importância e de repente alguém traz dúvidas ao grupo, pode ser muito prejudicial.

Portanto, é proibido falar sobre estados individuais que uma pessoa revela no caminho espiritual para não interferir com outras pessoas. Não falo sobre esses estados com um amigo, mas lembro-o sobre nosso objetivo elevado em frases gerais.

Pergunta: Mas como isso poderia prejudicá-lo?

Resposta: Com isso, introduzimos erros um no outro.

Pergunta: Se eu falo sobre alguns estados espirituais exaltados?

Resposta: Você pode falar sobre eles. É melhor pegar exemplos de um livro. Mas você nunca deve falar sobre seus estados. Um amigo ainda não foi corrigido; ele ficaria com ciúmes, e isso irá prejudicá-lo.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 06/03/19

O Propósito De Um Grupo Cabalístico, Parte 10

laitman_527Como Os Princípios Cabalísticos São Diferentes Da Psicologia?

Pergunta: Como os princípios do trabalho em um grupo Cabalístico são diferentes da psicologia? Afinal, eles são muito parecidos.

Suponha que eu o considere inteligente e, para obter algo de você, naturalmente, preciso exaltá-lo. E se me considerar mais esperto que você, não receberei nada. Isso não é psicologia?

Resposta: Isso não é psicologia, porque em nosso movimento para um grupo, para a unidade e a conexão, nós nos esforçamos para atrair a força superior, chamada “o Criador”, de acordo com a metodologia prescrita pelos Cabalistas. Dessa maneira, nos elevamos acima da psicologia.

Não lidamos com as propriedades psicológicas de uma pessoa, mas queremos que a força superior e a luz superior comecem a agir sobre essas propriedades e sobre a própria pessoa.

Pergunta: Por exemplo, existe um princípio de exaltar um amigo. E eu tento me rebaixar. Isso não é psicologia?

Resposta: Todas essas são ações psicológicas, mas, ao tentar me rebaixar, conecto meus amigos e, desse modo, formamos um sistema que está em equivalência de forma com a luz superior. Tudo depende da nossa intenção: pelo que nos esforçamos, por que fazemos.

Pergunta: Acontece que na psicologia, rebaixar-se e exaltar alguém é realizado para, por exemplo, sentir-se melhor, e aqui, para revelar o Criador. Isto é, a diferença está apenas no objetivo, embora os meios externos sejam semelhantes?

Resposta: Naturalmente. O objetivo determina tudo.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 06/06/19

O Propósito Do Grupo Cabalístico, Parte 9

laitman_544O Princípio De Um Grupo Cabalístico É Uma Atitude Especial Em Relação Aos Amigos.

Comentário: Um dos princípios de trabalhar em grupo é avaliar a individualidade de cada amigo.

Resposta: É necessário dar a todos a oportunidade de mostrar suas habilidades, ajudá-los nisso, para que, ao identificar todas as habilidades dos amigos, cheguemos ao máximo desenvolvimento de um desejo, intenção e esforço comum.

Comentário: O princípio é o seguinte: Exalte constantemente seus amigos e sinta a baixeza do seu egoísmo.

Resposta: Isto é, como egoísta, eu devo sempre me rebaixar em relação ao grupo, para me relacionar com meu amigo com um desejo crescente de ajudá-lo e apoiá-lo em tudo. Existem duas forças dentro de mim, positiva e negativa. Maximize a positiva e minimize a negativa.

Comentário: Outro princípio: tentar ver os amigos em um estado mais corrigido do que o que o meu egoísmo está me mostrando.

Resposta: Eu devo tentar ver meus amigos mais corrigidos do que eu. Então terei o desejo de me aproximar deles, de me rebaixar diante deles. Minha admiração por eles me dará forças para avançar.

Pergunta: O próximo princípio: anule-se diante dos amigos. O que exatamente precisa ser feito aqui?

Resposta: Isso surge naturalmente em uma pessoa. Quando a pessoa trabalha em grupo, quer queira ou não, ela começa a se sentir cada vez mais baixa que o resto. Ela vê força e bondade nos amigos, mas não em si mesma.

Além disso, não estamos dizendo que isso acontece por si só, mas que uma pessoa pode se anular diante dos amigos por seu próprio esforço. Isto é, rebaixar-se artificialmente diante dos amigos e ver-se pior do que eles, inferior, menos avançado. Isso dará à pessoa a oportunidade de elevá-los, elevar o Criador através deles e, assim, avançar.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 06/06/20

O Propósito Do Grupo Cabalístico, Parte 8

laitman_939.01O Princípio Do Grupo Cabalístico: Igualdade.

Pergunta: Existem certos princípios que devemos observar para alcançar a unidade em um grupo. Um desses princípios é a igualdade. O que é igualdade entre amigos? Como somos iguais?

Resposta: Somos iguais em todos se ajudando o máximo possível. Assim como na família: os mais novos são realmente os mais importantes da família.

Em um grupo, sempre nos esforçamos para nos complementarmos mutuamente e não nos sentirmos como indivíduos separados, mas como uma comunidade, como uma dezena.

Pergunta: Então, todo mundo faz o máximo de esforço, mas esses esforços são diferentes, e é aí que somos iguais?

Resposta: Claro, e assim não somos diferentes, mas iguais.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 06/06/19

O Propósito Do Grupo Cabalístico, Parte 7

laitman_939.02O Grupo: Nova Comunidade

Pergunta: Nos artigos do Rabash, está escrito que o objetivo do grupo é investigar e praticamente verificar sua atitude em relação ao próximo.

Se eu quiser obter a propriedade do Criador, onde posso verificá-la? Apenas no grupo? E como eu sei que a propriedade do Criador é a propriedade de doação?

Resposta: Nós estudamos isso a partir dos materiais dos Cabalistas: fazer todo o possível para se conectar, nos organizarmos de algum modo em um todo, em realização mútua, para que, em comunicação um com o outro, comecemos a sentir que cada um de nós se dissolve o grupo e desaparece nele.

Em vez disso, no centro do nosso círculo, no centro da dezena, surge uma nova entidade: um desejo comum, uma aspiração comum, um objetivo comum, uma conexão comum entre nós. Então, através desse estado, começamos a sentir a revelação do Criador.

Pergunta: O objetivo do grupo é desenvolver orgulho em uma pessoa que pertence a ele?

Resposta: Certamente. Orgulho em relação a um grupo especial, a um propósito especial, a uma ideia especial no mundo.

Pergunta: O orgulho não é egoísta?

Resposta: Depende do que uma pessoa tem orgulho. Se ela se orgulha de estar agindo pelo bem da humanidade, por que não? Não há nada negativo em qualquer impulso, movimento ou estado; sempre depende do objetivo.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 06/06/19

O Propósito Do Grupo Cabalístico, Parte 6

laitman_528.02Como O Grupo É Montado?

Pergunta: Cada indivíduo tem um certo desejo pelo Criador ou pelo que a natureza excita nele. Para cultivar esse desejo, você precisa se conectar com pessoas semelhantes a você. Como isso acontece?

Resposta: Não está claro para nós como o grupo se une. De repente, as pessoas sentem que essa ideia está próxima delas e, assim, chegam ao grupo.

Não pode haver muitas dessas pessoas. Elas são peneiradas e há cada vez menos delas, até que um número tão grande de pessoas em quantidade e qualidade se reúna, que possam incorporar um ideal espiritual, unidade entre si.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 06/06/19

O Propósito Do Grupo Cabalístico, Parte 5

laitman_530Objetivo De Um Grupo – Unir-Se Em Um Desejo

Pergunta: Por um lado, um grupo na Cabalá não significa as pessoas em si, mas a totalidade de seus desejos.

Por outro lado, esse grupo de pessoas unidas por uma única ideia é necessário para aumentar o desejo, porque todas chegam a ele com seu pequeno desejo de espiritualidade. Portanto, o objetivo do grupo é aumentar o desejo. Como isso acontece?

Resposta: Não. O objetivo do grupo é conectar-se um com o outro na medida em que ele representa um único desejo.

O grupo é formado não por pessoas, mas de cima. Ele é alimentado pelo mundo superior, o Criador. Portanto, a ação dos membros do grupo é unir-se e tornar-se o mais semelhante possível à luz superior.

Esse é um relacionamento muito complicado, porque existe contra o enorme egoísmo deles. Mas quanto maior a rejeição mútua e maior a aspiração um pelo outro, eles alcançam certa combinação entre escuridão egoísta e luz altruísta neste e em um estado em que podem sentir a força superior.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 06/06/19

O Propósito De Um Grupo Cabalístico, Parte 4

A Estrutura De Uma Dezena

laitman_947Comentário: Depois de Abraão, Moisés continuou desenvolvendo o método espiritual. Ele dividiu o povo judeu em dezenas, pequenos grupos nos quais todos podiam expressar de alguma forma a propriedade de doação e amor.

Até os livros foram escritos pelos Cabalistas não individualmente, mas em dezenas, em grupos. Curiosamente, dez significa não dez corpos físicos, mas um conjunto de desejos. Portanto, duas pessoas também podem ser consideradas uma dezena.

Resposta: Dez é um desejo comum completo. Dessa maneira, O Livro do Zohar foi escrito. Já que estamos na última geração, na correção final, devemos tentar formar o mesmo grupo daqueles que escreveram O Livro do Zohar.

Pergunta: Você e seu professor também eram dez, um grupo?

Resposta: Sim, mas era um estado completamente diferente, diferente de hoje.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 06/06/19

O Propósito Do Grupo Cabalístico, Parte 3

749.02O Maior Desejo – Israel

Pergunta: A evolução separa constantemente algumas partes da natureza. Acontece que um grupo de pessoas chamado “Israel”, que tem um certo caminho de desenvolvimento, é selecionado pela evolução. Então, todos os tipos de pequenos grupos chamados “dezenas” compõem esse grupo.

Por que é impossível trabalhar com toda a humanidade? Por que é necessário ser encerrado em um pequeno grupo de pessoas?

Resposta: O fato é que a alma, ou seja, o desejo geral criado pelo Criador, é dividida em muitos níveis e subníveis diferentes. Por exemplo, se tomarmos o seu nível mais alto e mais sensível, ele será, por sua vez, o mais egoísta e, ao mesmo tempo, o mais próximo de seu efeito à luz. Isto é, ele é direcionado para a luz e a luz é direcionada para ele. A luz é a influência do Criador em um desejo.

Portanto, em primeiro lugar, é esse desejo mais elevado que começa a se desenvolver, que, por causa de sua aspiração ao Criador, é chamado “Israel”, que significa “direto ao Criador”. Estando mais próximo a Ele, ele deve primeiro entrar em contato com o Criador e, por meio dele, a influência do Criador passa para os outros desejos.

Observação: Sabemos que isso não tem relação com as nacionalidades visto que o grupo de Israel foi formado pelos representantes menos egoístas de várias tribos da antiga Babilônia.

Meu Comentário: eu não diria que eles eram menos egoístas. Pelo contrário, eles se sentiam mais desapegados e mais suscetíveis a todos os tipos de estados ruins. Como resultado disso, sentiram que eram obrigados a atingir o sentido da vida ou, alegoricamente, que deveriam atingir de onde vêm, quem os governa e como podem mudar suas vidas.

Portanto, eles se reuniram em torno de Abraão, que os chamou para a realização espiritual. Ele explicou a eles que isso só é possível se eles começarem a trabalhar juntos na unidade entre si.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 06/03/19