Textos com a Tag 'Educação'

Educando As Pessoas Para Serem Pessoas

294.2Hoje, muitas pessoas não têm trabalho, não têm nada para fazer. Elas devem se ocupar com uma nova ideologia, uma nova forma de consciência.

É preciso educar as pessoas para serem pessoas, ou seja, unir-se em uma única humanidade boa, atraindo assim uma força interna do bem, que é a base do mundo e existe em todo o universo e o mantém sobre si. Devemos revelar isso, revelar o Criador, dentro de nossa conexão.

Quando nossa conexão realmente se tornar ideologicamente correta, igual e homogênea com o objetivo de não prejudicar ninguém, mas apenas para o bem de todos, a força superior, o Criador, será revelada nela.

Precisamos ensinar isso às pessoas, dizer que a revelação dessa força é nosso próximo estágio de desenvolvimento, e já chegamos a esse ponto porque a humanidade está caminhando para isso há centenas de milhares de anos. Mas quem está fazendo isso?

Eu não culpo ninguém. Ainda é difícil para nós também. Estamos presos entre este e aquele estado. Portanto, precisamos nos realizar o mais rápido possível.

De KabTV, “Eu Recebi uma Chamada. Desemprego Mundial”, 15/09/11

Educação É A Coisa Mais Importante!

283.01Pergunta: O que a Cabalá diz sobre educação? Ao encher os jovens de conhecimentos sobre química, física e outras ciências, não levamos em conta nenhum fator humano, não lhes damos nenhum valor fundamental da vida.

Resposta: A Cabalá diz que a educação é a coisa mais importante! Não química ou física, porque só podem se desenvolver se a pessoa estiver corretamente disposta a aplicá-las. E sem educação adequada, ela usa essas ciências em seu detrimento.

Portanto, devemos primeiro educar adequadamente uma pessoa e depois dar-lhe química e física; caso contrário, ela se sentirá mal com elas, causará danos.

Por que precisamos da química e da física de hoje? O que fazemos com a ajuda da ciência e da tecnologia? Estamos bombeando os últimos sucos da natureza e pronto.

A Cabalá fala apenas sobre a educação de uma pessoa. Tudo depende disso! Além disso, ela diz: Se educarmos adequadamente uma pessoa, não será necessária nenhuma física e nenhuma química. Uma pessoa de repente se encontrará em um mundo confortável, a natureza a tratará bem e ela não sentirá nada de ruim por isso.
De KabTV, “Close-Up. Europa Hoje”, 26/01/11

Educação É O Problema Da Humanidade

220Pergunta: No mundo moderno precisamos educar antes de tudo a sociedade circundante e não o indivíduo?

Resposta: Precisamos mudar urgentemente os meios de comunicação de massa. Este é um trabalho muito difícil porque leva à maior revolução em todos os níveis. Absolutamente em todos os níveis.

Os meios de comunicação de massa passam certas políticas de cada país para uma pessoa. Entendemos que mudá-la pode impactar grandes mudanças na sociedade.

Comentário: Naturalmente. Se a sociedade e suas leis são egoístas, quando todo mundo pensa apenas em como arrebatar algo para si, então a mídia também é construída sobre o mesmo princípio.

Minha Resposta: Não substitua um pelo outro e não os troque. É porque a mídia é carregada e direcionada às pessoas dessa maneira que as pessoas são assim, e não o contrário.

De fato, uma pessoa é inicialmente egoísta, mas são os meios de comunicação de massa que a ensinam a usar seu egoísmo. Ninguém mais. O ambiente, não os pais.

No entanto, se os pais também agem mal, é apenas porque foram ensinados dessa maneira, eles viram esses exemplos. Uma pessoa é criada apenas por exemplos, como dizem: “Você se deita com cachorros, acorda com pulgas”. Portanto, temos que levar em conta que, se quisermos mudar alguma coisa, precisamos mudar o ambiente. Basicamente, o que mais precisamos além de melhorar uma pessoa? Nada mais.

Para fazer isso, você precisa mudar o ambiente ao redor de uma pessoa. Dê-lhe os exemplos certos, não pela força, mas para que ela esteja cercado por eles. Então ela vai ter que mudar.

Se encorajarmos maus exemplos, acabaremos com uma sociedade terrível. Eu assisto a programas de TV e eles me assustam. Esta é a sociedade do futuro!

A maioria dos programas não fala sobre nada além de assassinatos e investigações. Tudo gira em torno disso. Não há mais nada. Eles praticamente acostumam as pessoas ao fato de que vivem nesse ambiente e devem se adequar a ele.

Certa vez fiz um relatório sobre isso em Arosa, Suíça, no famoso World Spirit Forum. Fui aplaudido, e isso foi o fim. O que mais eles podem fazer? Este é um problema enorme. As pessoas não têm problemas além da educação. Tudo depende da educação.

Se pegássemos a geração de hoje e pudéssemos educá-la bem, então em 10 ou 15 anos teríamos uma sociedade normal, uma civilização completamente diferente.

Por que não podemos perceber que podemos fazer isso, pelo bem de nossos filhos? Vamos criar uma boa sociedade para eles. Vamos tornar o mundo completamente diferente, e eles se tornarão diferentes.

De KabTV, “Close-Up. Fora da Lei”, 19/12/10

“A Estrada Para O Inferno Está Pavimentada Com Boas Intenções”

962.2Comentário: Existe uma iniciativa séria chamada The Giving Pledge que visa promover uma cultura de filantropia entre os mais ricos do mundo para enfrentar os maiores problemas do mundo. Tem mais de 230 participantes.

O cofundador, Bill Gates, disse: “Sempre acreditei que, se você está em posição de ajudar alguém, deve fazê-lo”. E que o grupo fundado em 2010 “continuará aprendendo uns com os outros e encontrando novas maneiras de maximizar o impacto positivo de nossa filantropia”. MacKenzie Scott, ex-esposa do fundador da Amazon, Bezos, doou metade de sua fortuna de US$ 37 bilhões para caridade como parte do The Giving Pledge. O que você acha dessa iniciativa?

Minha Resposta: Dinheiro não é um problema. É triste ver como eles gastam. A essência de corrigir o mundo está em mudar a pessoa. E eles não sabem como uma pessoa deve ser. Eles acreditam que faremos mais alguns sistemas de atendimento, saúde, educação e tudo será melhor.

Mas não será melhor. Ao contrário, ao fazer, invocarão forças negativas que provarão contra todos os sistemas de caridade que ainda estamos agindo incorretamente. E eles vão nos ensinar duramente.

Qualquer boa ação, se não for feita para mudar as qualidades de uma pessoa, só levará a um sofrimento ainda maior. Isto é o que significa na Bíblia que se fizermos boas ações sem corrigir a própria pessoa, ela permanecerá em seu inferno, dentro de nossas ações supostamente corretas e boas.

Pergunta: Você não está animado por termos essas iniciativas?

Resposta: Seria melhor se eles não fizessem isso! É preciso direcionar fundos apenas para educação, e uma educação especial e não para encher cabeças doentes com alguma coisa, mas justamente com o sistema de correção de uma pessoa, do qual depende o sistema de correção de todo o mundo.

Pergunta: Quer dizer, se não vai para a correção da própria pessoa, sua natureza, então é só para o mal?

Resposta: Sim.

Comentário: Você disse que é preciso entender para onde vai esse dinheiro, para qual fundo.

Minha Resposta: Neste caso, para entender para onde está indo. Mas por sua natureza, por sua compreensão do mundo, sua percepção do mundo, eles não podem direcionar o dinheiro corretamente. É por isso que se diz: “O caminho para o inferno está pavimentado de boas intenções”. Então, infelizmente, seria melhor se não o fizessem.

Pergunta: Como se sente um bilionário ou um milionário que assina o The Giving Pledge?

Resposta: É exatamente por isso que eles fazem isso! Eles sentem sua exclusividade, sua singularidade. Eles se sentem como os corretores do mundo, os justos do mundo. E o mundo inteiro, em princípio, deveria entender, saber disso e agradecê-los.

Naturalmente, metade desse valor será gasto em publicidade. E a outra metade será gasta em alguns objetivos: saúde, mãe-filho, outra coisa. No final, você verá que o mundo não será melhor, mas apenas pior.

Pergunta: São precisamente essas boas intenções?

Resposta: Sim. As intenções são boas, mas, no final, teremos ainda mais inferno.

Pergunta: Para que você daria dinheiro? Se eles coletassem essa quantia decente, para onde você enviaria esse dinheiro no estado atual do mundo?

Resposta: Temos algo a dizer às pessoas. É necessário abrir tais canais, centros que possam transmitir a cada pessoa na sua língua, ao seu nível, a ideia principal: “Ame o seu próximo!” Só nisto está a salvação de cada um. É por isso que não há mais nada que você possa fazer.

Então, é preciso abrir esses centros, explicar de todos os lados, do ponto de vista da ciência, da moral, da biologia, seja o que for. E fazer isso de forma a elevar gradualmente as pessoas a este nível. Que haja prêmios e bolsas de estudo para educar as pessoas, para educá-las dessa maneira, para distribuir todos os tipos de fundos de incentivo e assim por diante para que as pessoas estudem isso e falem sobre isso o tempo todo – qualquer coisa que seja possível, para elas estejam ocupadas nisso.

Especialmente agora estamos nos aproximando de um estado onde vários bilhões de pessoas estarão desempregadas! O que elas farão? Quem vai pagá-las? Que esses fundos paguem, aliás, paguem normalmente, decentemente. Nós precisamos disso.

Pergunta: Essa abordagem de “amar ao próximo”, mesmo um pequeno passo, um pensamento, é o início da mudança de uma pessoa?

Resposta: Sim. Mas isso é só se criarmos essas bolsas e oportunidades para as pessoas estudarem, escreverem e discutirem sobre isso, preencher todos os sites com isso, todas as conexões, e torná-lo muito popular na Internet, na televisão, em todos os lugares.

Pergunta: Essa é a única coisa pela qual você precisa dar dinheiro?

Resposta: Sim, apenas para isso.

Da KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 16/12/21

Dez Razões Pelas Quais As Crianças Não Querem Ir À Escola

599.02Pergunta: Um aluno de 11 anos listou dez razões pelas quais as crianças não querem ir à escola. Gostaria de ouvir sua opinião sobre cada uma dessas razões.

A primeira razão é o professor. Quando você chega à escola, imediatamente tentam incutir o medo do professor nos alunos. Deve-se ter medo do professor? Ou é necessário substituir esse medo por alguma outra palavra?

Resposta: Eu tive uma professora primária muito gentil e jovem, Iraida Konstantinovna.

Pergunta: Por alguma razão, lembramos de nossos primeiros professores. É como o primeiro amor?

Resposta: Sim. Portanto, não sei como posso odiar ou temer tal pessoa. Ela era apenas uma amiga, uma amiga sênior, uma conselheira. Ela cuidou de nós. Esta é a melhor atitude para com a criança.

Pergunta: Então, quando um aluno escreve que há dez razões pelas quais eu não quero ir à escola e a primeira razão é o professor porque aprendemos a ter medo dele, esta é realmente a primeira razão?

Resposta: É possível que esta seja a educação de hoje. Nós não tivemos isso. Nós a apreciávamos e a amávamos como uma grande amiga ou até mesmo uma mãe.

Comentário: Significa que um professor deve ser um amigo.

Minha Resposta: Sim. Apenas isso. Estamos falando de crianças pequenas.

Comentário: A segunda razão é o medo das notas. Eles incutem o medo das notas, e depois o medo da punição dos pais na frente do diretor da escola, e assim por diante.

Minha Resposta: A nota em si não significa nada. Mas o medo da punição, é claro, significa muito.

Pergunta: As notas são mesmo necessárias?

Resposta: Em princípio, as notas não são necessárias. Precisamos de uma escola que ensine a atitude correta em relação ao mundo, à vida, aos amigos, aos professores e aos pais. E não precisa das notas que lhe são dadas quando você aprende, mas sim das notas que você dá a si mesmo.

Pergunta: Você pode fazer tais exigências até mesmo para uma criança pequena?

Resposta: Devemos nos esforçar para isso. Explique isso para que eles mesmos atribuam essas notas nas disciplinas, nos livros didáticos, em seus supervisores e assim por diante.

Comentário: Uma criança pode dizer: “Hoje eu estava fora de forma para alguma coisa. Eu deveria ter lido, trabalhado um pouco”.

Minha Resposta: Isso é bom.

Pergunta: Medo dos erros, as escolas não ensinam que erros podem e devem ser cometidos. Este é um menino de 11 anos falando. Você acha que erros devem ser cometidos?

Resposta: Concordo com ele.

Pergunta: Então um erro é uma coisa importante? É preciso cometer erros?

Resposta: É inevitável.

Pergunta: E se eu estiver errado?

Resposta: Está tudo bem. Vou consertar isso, vou aprender ainda mais com isso do que com o fato de ter feito algo sem erro.

Pergunta: Então é ainda mais importante do que se você se mover inconfundivelmente?

Resposta: Cometemos erros e nos corrigimos o tempo todo; cometemos erros e nos corrigimos.

Comentário: Quarto: trollagem, zombaria dos colegas. Muitas vezes é culpa dos professores que fazem as crianças parecerem ridículas. Isso é um golpe no “eu” da criança…

Minha Resposta: É preciso ensinar à criança que se estamos em tal sociedade, como nos relacionarmos adequadamente com a sociedade, com o meio ambiente, explicar a ela que é possível, que é e será até corrigirmos nossa natureza, que esta é a natureza do homem que o obriga a estar acima dos outros a todo custo.

Pergunta: E o fato de eu estar sendo humilhado agora, isso é da natureza humana?

Resposta: Sim, esta é a sua natureza, nada pode ser feito. Eu tenho que entender sua natureza e, de alguma forma, perdoá-los, aceitá-los como eles são. E talvez corrigi-los desta forma.

Pergunta: Devo sentir que essa também é minha natureza, exatamente a mesma, e posso ser exatamente como eles?

Resposta: Naturalmente, sim.

Pergunta: Em outras palavras, você quer introduzir os termos “natureza humana” e “egoísmo humano” quase nas classes elementares para que uma pessoa sinta?

Resposta: E ainda mais cedo.

Comentário: A próxima razão: exames estúpidos. Como eles não têm uma variante de suas respostas, você precisa adivinhar uma das respostas propostas.

Por exemplo, há uma pergunta e há quatro respostas para ela, e ela diz: “Especifique a correta”. E o menino diz: “Eu quero que haja outra opção, minha resposta pessoal”.

Minha Resposta: Ele está certo.

Pergunta: Então esses exames que não dão a opção “Sua Resposta” estão errados?

Resposta: Sim.

Comentário: A sexta razão: a quantidade de lição de casa. “Acredito que a lição de casa não afeta o desempenho acadêmico e a educação das crianças”, diz o menino de onze anos.

Minha Resposta: Acredito que a lição de casa causa nojo e ódio à escola.

Portanto, não é necessário. Basta que uma pessoa vá lá, não importa o que lhe ensinem e não importa como lhe ensinem, talvez pior, melhor, mais ou menos atraente, mas ele voltaria de lá, e essa lição de casa não seria mais pendurada nele.

Em vez de lição de casa, haveria tempo absolutamente livre. Também deve ser de alguma forma mais ou menos programado, mas deve ser livremente sentido para escolher com o que ele gostaria de se ocupar.

Pergunta: Só ele mesmo? Ele deve encontrar exatamente o seu nicho?

Resposta: Sim, todo mundo é diferente em alguma coisa. Tínhamos muitos clubes naquela época. Havia uma enorme Casa dos Pioneiros. E havia um grande número de sociedades, e todas elas eram livres. Uma criança ia e se inscrevia onde queria. Mesmo alguns ao mesmo tempo! Venha aprender. E não pagou nada. Eu também fui ao clube de fotografia. Tanto o papel fotográfico quanto os reagentes de revelação de fotos eram gratuitos. Absolutamente tudo era grátis! É tão incrível!

Comentário: E a forma como os professores lhe trataram lá, com tanto carinho!

Minha Resposta: Sim. Pessoas com tais personagens trabalhavam lá.

Pergunta: Para onde tudo isso desapareceu? O que havia de errado com isso?

Resposta: O tempo não é o mesmo! Entramos nessa onda.

Comentário: A próxima razão é a proibição da exclusividade. As escolas não gostam quando alguém é diferente dos outros.

Minha Resposta: Por um lado, eles parecem estar encorajando isso. Mas, por outro lado, não gostam.

Pergunta: Uma criança deve ter esse direito à singularidade?

Resposta: Este não é apenas um direito à singularidade, mas também um incentivo à singularidade por parte de todos, inclusive dos amigos. Isso precisa ser trazido à tona. Caso contrário, isso será esmagado e apenas o cinza ficará.

Comentário: “A escola não ensina a ser feliz”, escreve o menino de onze anos.

Minha Resposta: Com certeza! Na escola hoje, eles simplesmente demonstram como o embotamento, a obediência e a supressão da felicidade são um estado normal.

Pergunta: Então, em princípio, o slogan da escola deveria ser “Devemos ensinar as crianças a serem felizes”?

Resposta: Sim. Devemos criar pessoas felizes.

Comentário: “A escola não ensina a trabalhar com a informação”, diz.

Minha Resposta: Esta é uma sabedoria completa, enorme, que deve ser incutida em crianças pequenas.

Pergunta: O que essa habilidade dá a uma criança?

Resposta: Ensina a abrir o cérebro e o coração, a mente e os sentimentos, às informações que chegam, para ser capaz de processá-las, classificá-las e estar pronto para receber a próxima porção de informações.

Comentário: A décima razão: “A escola não prepara para a vida adulta”, acredita esse menino.

Minha Resposta: Acho que nada pode prepará-lo para a vida adulta. Nós apenas corremos para lá, como se estivéssemos em um redemoinho. É isso. E lá já estamos nadando, cada um à sua maneira.

Pergunta: E qual é a preparação para a vida adulta?

Resposta: Aqui é necessário criar imagens especiais, totalmente claras e realistas da vida.

Pergunta: Na escola? Diretamente para as crianças? Para que aprendam a sair delas, trabalhar com elas, e assim por diante?

Resposta: Sim, para discutir e assim por diante. Por outro lado, dê-lhes alguns selos, mas realistas. Por exemplo, “O que você faria se você…” e dê a história.

Comentário: A conclusão deste menino é muito interessante. Ele diz: “Acredito que a matéria principal na escola poderia ser uma matéria em que seríamos ensinados a nos entender. Afinal, a capacidade de se comunicar é a coisa mais importante”.

Minha Resposta: Faça dele o Ministro da Educação Escolar. Pronto. E coloque todos esses ministros de volta à escola.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 10/02/22

Compreendendo A Tendência Dos Assuntos Atuais

549.02Comentário: Hoje, a educação de meninos e meninas se reduz apenas à educação sexual. Eles não têm nenhuma outra interação mais interna.

Minha Resposta: Os adultos também reduzem tudo a isso e acreditam que basta ensinar as crianças sobre sexo seguro e nada mais.

Pergunta: Isso é uma falha interna dos adultos?

Resposta: Acho que não. Eu vejo tudo o que está acontecendo no mundo como mais um estágio para o avanço.

Não devemos ser negativos sobre as coisas que estão acontecendo. Basta entender a tendência e, se possível, explicá-la a partir do entendimento de seu resultado final.

Então entenderemos por que hoje estamos vivendo tais eventos e não outros, e como podemos, no entanto, preparar as crianças para avançar mais corretamente para o objetivo que a natureza nos move.

Espero que todo o sofrimento que estamos passando como pais, e também filhos à sua maneira, nos permita abrir os olhos.

De KabTV, “Close-Up, Teatro do Absurdo”, 18/07/10

A Educação Adequada De Meninos

961Pergunta: Apesar do fato de que agora as escolas estão tentando separar meninos e meninas, isso permanece no nível de nossos corpos, do nosso egoísmo animal, e no final não vai funcionar?

Resposta: Isso terá algum tipo de efeito, mas não corrigirá uma pessoa e não a tornará correta na sociedade. Não levará às corretas relações mútuas entre homens ou entre homens e mulheres. Eles vão receber alguns exemplos. Pode haver menos distorções, mas não haverá correções.

De qualquer forma, a educação separada é melhor. Mas devemos ter cuidado com o que é apresentado dentro dessa estrutura que os alunos tomarão como exemplo.

Pergunta: É impossível construir algo corretamente dentro da estrutura de nossa vida habitual se não houver um determinante espiritual?

Resposta: Isso ainda é bom. Quando um menino recebe um exemplo de homens adultos, este é um mundo completamente diferente para ele do que se ele olhasse para as mulheres e captasse inconscientemente seus objetivos, sua visão da vida, do mundo e seus relacionamentos entre si. Isso o distorce involuntariamente, o afeta em todos os níveis – genético, cromossômico etc. Todo o seu comportamento se torna efeminado. Isto não está certo.

Veja o que está acontecendo com os homens hoje! Eles não querem deixar suas mães, ficam em casa até os quarenta anos. Ou eles se casam, têm filhos e rapidamente voltam para a mãe. Então eles encontram outra mãe na forma de esposa.

Assim, até o fim de suas vidas, eles próprios permanecem crianças. Isso tudo porque as mulheres estão envolvidas na educação de homens, rapazes e meninos. Portanto, gerações inteiras e até mesmo toda a civilização hoje é tal que a imagem feminina acaba sendo dominante, influenciando, organizando e determinando. E não há nada que possamos fazer sobre isso.

A menos que comecemos agora a construir a estrutura do nosso mundo com a ajuda da Cabalá, semelhante ao mundo superior que nos é revelado, veremos nossa geração ainda mais distorcida.

De KabTV, “Close-Up, Geração ‘Lady Gaga’”, 10/03/10

Qual É A Educação Correta?

546.02Pergunta: Qual é a educação correta dos meninos?

Resposta:  A educação correta é a realização de um homem em sua maneira corpórea e espiritual para se tornar um elemento totalmente perfeito e realizar plenamente o que é inerente a ele por natureza, ou seja, ascender e tornar-se semelhante ao Criador.

Tornar-se um elemento comum integral da natureza é o que nos é inerente. Alguém sabe disso? Não. É isso que precisamos estudar e revelar.

De KabTV, “Close-Up, Geração “Lady Gaga”, 20/04/10

A Visão Da Cabalá Sobre A Educação

963.6A Cabalá considera o homem e sua educação apenas em relação ao propósito da criação.

Nós existimos para atingir um determinado objetivo, e ele não está dentro de nossa vida, mas naquilo que revelamos em toda a natureza, que se chama Criador. Na Cabalá, o conceito de natureza é equivalente ao conceito de Criador.

Ao alcançar a conexão com toda a natureza, não apenas com o que agora vemos e observamos em nosso pequeno mundo, mas com sua totalidade, começamos a sentir que existimos eternamente e em perfeição. É este nível que uma pessoa deve alcançar durante essa vida. Esse é o único propósito de nossa existência.

E não é isso que nossa educação dá a uma pessoa. Nós a ensinamos como um animal ensina seus filhotes a sobreviver, a criar uma família corretamente e a produzir descendentes. Assim, de geração em geração, cuidamos de nossa vida no nível animado.

Não importa que nossas tecnologias se desenvolvam porque enquanto nosso organismo animado, nosso corpo, existir, queremos criar o ambiente aparentemente mais confortável para ele. Portanto, este nível é animado e uma pessoa não difere de um animal.

De fato, é a categoria de humano que podemos desenvolver em nós para sentir um estado eterno e perfeito, quando cada um de nós se eleva acima de nosso egoísmo mesquinho e alcança a sensação geral de toda a natureza. Ninguém nos ensina isso.

Se você quer elevar uma pessoa, deve mostrar a ela uma perspectiva diferente, para que vale a pena viver, para o que vale a pena direcionar seus esforços. E se toda essa vida está apenas dentro do corpo animado, não me importo com nada: posso pular do telhado, posso fazer o que quiser comigo. Ninguém se importa comigo e eu não me importo com ninguém porque todo mundo se sente um pouco individualista.

Todas as nossas relações na sociedade são construídas sobre isso: “Eu não toco em você, você não me toca”. E isso está completamente errado. No dia a dia, revelamos como a natureza é universal, como estamos interconectados em uma pequena vila, como funciona o efeito borboleta, a responsabilidade mútua e a influência mútua um sobre o outro.

Do lado da natureza, revelamos que tudo está interligado e em uma dependência tão próxima que não há como escapar dela.

Pergunta: Talvez ainda não estejamos cientes de que as leis de interdependência se aplicam diretamente às nossas vidas?

Resposta: Mesmo que estejamos cientes delas, ainda não podemos assumir o controle. Além disso, ainda não temos a oportunidade de abordar a sua realização.

A ciência da Cabalá está sendo revelada em nosso tempo, lida com isso e pode nos dar essa oportunidade. Mas estamos apenas no início do caminho e a humanidade ainda não entende o que é.

De KabTV, “Close-Up. Geração”, 24/08/09

Educação Separada Ou De Quem Seguir O Exemplo?

281.01Pergunta: É necessário criar meninos e meninas separadamente?

Resposta: A separação de meninos e meninas não vai conseguir nada. Não levará ao resultado correto a menos que seja realizado no sistema sugerido pela Cabalá.

A separação artificial é como dois campos, masculino e feminino, um contra o outro. Isso causará percepções errôneas ainda maiores da realidade e das necessidades e não as perceberá tanto nas meninas quanto nos meninos. Talvez o que temos hoje ainda seja melhor do que essa separação forçada.

Pergunta: Estudos recentes mostraram que a coeducação de meninos e meninas leva não apenas a mudanças em seu comportamento, em que um menino se torna meio efeminado e a mulher assume a posição de liderança, mas também a uma mudança no nível cromossômico.

Há um nivelamento completo geralmente dos cromossomos masculinos. Os cientistas explicam isso por alguns fatores externos, mas, no entanto, já entendem que esse fator existe. O treinamento ainda deve ser separado. Mas você diz que isso não vai ajudar. Por que isso não resolve o problema?

Resposta: E o que você dá a eles fazendo isso? Você está simplesmente afastando-os. Ou seja, você não permite que a parte masculina influencie mutuamente a parte feminina, e a parte feminina faça o mesmo com a parte masculina. Os meninos não recebem mais um exemplo na forma de uma professora, na forma de uma babá.

Como resultado, eles recebem exemplos masculinos. É claro que, no futuro, isso talvez os faça se perceberem mais corretamente. Mas quais são os exemplos? De que maneira ele deve ser como um homem e quem é esse homem? O homem é essa imagem coletiva. O que é isso?

E as meninas pegam o exemplo de uma mulher, elas rodam entre as namoradas, jogam suas brincadeiras juntas, e assim por diante, isso mesmo. Mas quem é essa mulher que elas estão seguindo? O que é esta imagem? O que ela ensina com seu exemplo?

Portanto, em primeiro lugar, é necessário encontrar esses professores que, em educação separada, dariam às crianças a educação correta.

De KabTV, “Close-Up. Geração Lady Gaga”, 10/03/10