Textos com a Tag 'Disseminação'

Um Caminho Difícil Para Disseminar A Sabedoria Da Cabalá

214Comentário: Baal HaSulam foi além da estrutura do Cabalista geralmente reconhecido ao se envolver em amplas atividades públicas. Ele se reuniu com figuras públicas e escreveu artigos que nenhum Cabalista havia escrito antes.

Minha Resposta: Baal HaSulam tentou anunciar, disseminar e espalhar a sabedoria da Cabalá de todas as maneiras possíveis. Ele se encontrou com muitos outros Cabalistas, cientistas, estadistas e pessoas comuns. Ele viajou para a Polônia durante as manifestações do Dia de Maio para de alguma forma usar o entusiasmo dos trabalhadores poloneses e dizer-lhes o que eles poderiam trazer ao nosso mundo e como mudar suas vidas com a ajuda da sabedoria da Cabalá. De modo geral, ele fez tudo ao seu alcance para disseminar a sabedoria da Cabalá.

O Rabash era muito mais modesto e em um nível muito inferior. Ele viveu em uma época em que já havia uma grande força de resistência e, para ser franco, ele realmente não enlouqueceu. Eu cresci ao lado dele e vi como suas ações eram limitadas.

Quando ele faleceu, continuei seu legado e estabeleci para mim mesmo o objetivo de disseminar a ideia da sabedoria da Cabalá tanto quanto possível em todas as línguas e em todo o mundo, na Internet e sempre que possível, sem prestar atenção a qualquer oposição que possa encontrar. Mesmo se o mundo inteiro me amaldiçoar, eu ainda farei isso. Portanto, apesar da resistência do mundo, ainda estou aqui.

Comentário: Mas por outro lado, o Rabash ainda foi um grande revolucionário como seu pai. Ele aceitou quarenta alunos totalmente não religiosos.

Minha Resposta: Sim, mas ele fez isso de forma suave, não tão duramente. Foi um grande passo adiante.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 10/03/19

O Início Da Disseminação Da Cabalá

219.01Pergunta: O que o motiva a escrever um livro? Você disse que publicou seu primeiro livro em 1983. Por que o escreveu?

Resposta: Porque conheci muitas pessoas que me perguntavam: “O que é Cabalá?” Naqueles anos, a maior parte da sociedade não sabia absolutamente nada sobre a Cabalá.

Portanto, decidi que as pessoas deveriam ser apresentadas a ela e receber as principais disposições, os conceitos básicos. Chamei este livro de Princípios Básicos da Cabalá em uma Recontagem Acessível. Na minha opinião, tudo correu bem. Pelo menos, ele se espalhou muito rapidamente. Imediatamente, a embaixada americana comprou 300 exemplares de cada um dos três primeiros livros que escrevi.

Mais perto dos anos 90, tornou-se possível publicá-los na Rússia nas quantidades de 50.000 exemplares.

Pergunta: Há alguma conexão com o fato de que imediatamente depois de escrever esses livros, mais alunos começaram a vir até você?

Resposta: Não. Eu não tinha muitos alunos naquela época. Quando a perestroika começou na União Soviética, as pessoas começaram a vir a Israel e descobrir a Cabalá. Embora houvesse livros publicados sobre a Cabalá, o processo era lento.

Gradualmente, um grupo de língua russa foi organizado em paralelo com o de língua hebraica. Uma vez por semana, eu ensinava em minha casa, onde 30 a 40 pessoas se reuniam.

Além disso, eu dirigia um programa de rádio em russo, o que também atraiu novatos naquela época. Depois dei palestras no Canadá, na América, embora raramente fosse lá. Naquela época, não havia essa necessidade porque a Cabalá estava apenas começando a se espalhar. Tudo começou perto de 2000.

Pergunta: Os livros que você escreveu agora estão traduzidos para vários idiomas?

Resposta: Sim, porque tenho alunos em todos os países do mundo. São eles o Japão, a Oceania, a Rússia, a China, a Índia, os países da Europa, sem falar na América do Sul e do Norte, que tenho viajado para cima e para baixo, dando palestras, realizando seminários e congressos. Não sei onde não tenho alunos. Mesmo na África, há alunos regulares.

De KabTV, “Perguntas Sobre Livros Cabalísticos”, 22/10/19

A Disseminação É A Chave Para Destravar O Ponto No Coração

laitman_527.06Pergunta: Como posso determinar se o ponto no coração existe em alguém no meu ambiente? Quais são os sinais?

Resposta: De acordo com o estado dele, de acordo com sua busca na vida.

Pessoalmente, eu sempre levava um livro comigo para trabalhar, o abria e lia. Eles me perguntavam: “O que você está lendo?” Eu mostrava a eles. As pessoas começavam a ler e, se demonstrassem interesse, eu deixava o livro com elas. Depois me devolviam. Foi assim que comecei a difundir a Cabalá. Isso foi no início dos anos 80.

Hoje você tem enormes meios de disseminar e contar a todos sobre essa ciência. Então tente. Este é um trabalho muito nobre, porque uma grande luz os penetrará através de você, e você sentirá de forma clara o resultado de suas ações.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 02/02/20

Ferramenta De Conexão: Disseminação

laitman_294.1Pergunta: Um dos meios de conexão é o trabalho conjunto sobre disseminação. Pelo menos no período recente, todos os Cabalistas escreveram que a sabedoria da Cabalá precisava ser espalhada para a humanidade. Esse trabalho conjunto também cria o grupo?

Resposta: Sim. Este trabalho foi realizado por várias centenas de anos. Contudo, do século XX em diante, e mais ainda em nossos dias, é claro para todos que a Cabalá deve dar à humanidade um programa para o seu correto desenvolvimento. Caso contrário, a humanidade voltará à guerra nuclear, à enorme derrota, destruição e autodestruição.

Portanto, tendo o cuidado de passar essas informações para outras pessoas, para o mundo, lançamos jornais, publicamos livros, fazemos filmes e videoclipes. Este trabalho conjunto nos aproxima.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 11/03/19

Nova Vida # 61 – Disseminação Da Sabedoria Da Cabalá

Nova Vida # 61 – Disseminação Da Sabedoria Da Cabalá
Dr. Michael Laitman em conversa com Oren Levi e Nitzah Mazoz

Resumo

Hoje, neste momento crítico de ameaça existencial à humanidade, a sabedoria da Cabalá e sua disseminação ajudarão. O equilíbrio pode ser alcançado se trabalharmos para mudar a maneira como nos relacionamos uns com os outros na economia, educação, saúde e segurança. Devemos apelar para os desejos das pessoas em relação ao dinheiro, comida e vida familiar. Podemos eliminar as ameaças que enfrentamos com a condição de que aprendamos a “amar seu amigo como a si mesmo”, estar em paz um com o outro e complementar o poder superior.

De KabTV “Nova Vida # 61 – Disseminação da Sabedoria da Cabalá”, 21/08/12

Disseminação Da Ciência Da Cabalá

laitman_608.03Nós saímos do Mundo do Infinito (estado 1) e através dos 5 mundos, através do trabalho na dezena (estado 2), voltamos ao Mundo do Infinito, mas já corrigidos (estado 3). O mundo inteiro é apenas uma dezena; não há nada além do Mundo do Infinito, e toda a informação sobre os estados pelos quais estaremos passando vem de lá.

Na realidade, a dezena inclui toda a humanidade, todas as almas, os Cabalistas de todas as gerações, tudo o que foi, é ou será. Tudo é uma dezena, mas só podemos perceber o seu alcance limitado em nosso estado 2. Nesse estado, temos que cumprir nosso trabalho ao máximo e pedir a todos para que sejam corrigidos.

Nós recebemos uma missão especial: sermos responsáveis ​​pelo estado 2, na cabeça da humanidade, levando-a à correção. Até mesmo as almas dos grandes Cabalistas e pessoas justas estão, de certo modo, abaixo de nós, porque no seu trabalho elas dependem da nossa oração, do nosso esforço. Entende-se que elas nos despertam e nos ajudam, mas o fazem secretamente.

Hoje, temos que reunir essa realidade diferenciada e fragmentada com seus 5 mundos, Partzufim e Sefirot, e todas as partes fragmentadas, e remontá-la em um único círculo. Um “círculo” é a cabeça e o corpo é sempre um “quadrado”. A cabeça não tem limitações, apenas o corpo. E temos que trazer o corpo para próximo da forma da cabeça, ao seu ensino. Então nos transformamos de um Partzuf em um círculo.

Uma vez que a pessoa entenda este sistema e seu papel nele, ela começa a se importar com toda a humanidade, a tentar o seu melhor para sair de seus pensamentos sobre si mesma e espalhar a ciência da Cabalá para o mundo. Ela entende que seu sucesso depende do mundo inteiro, que está em crise profunda.1

O mundo é minha marca, ampliada 620 vezes. Todas as minhas deficiências internas que deixo de ver em mim mesmo, vejo no mundo através de uma lupa, como se tivesse visão de raio-x.

Ao estudar o mundo, queremos revelar o que está dentro de nós. Visando ao cosmos ou às profundezas do oceano, nós realmente tentamos alcançar nossa essência interior, mesmo sem perceber.2

Da 2ª parte da Lição Diária de Cabalá, 12/09/18, Lição sobre o tema “Disseminação da Cabalá”
1 minuto 8:45
2 minuto 24:45

Disseminar A Cabalá: O Combustível Para A Correção

laitman_276.06Desde o tempo do Ari em diante, a sabedoria da Cabalá teve a permissão de ser disseminada entre todas as nações do mundo. Afinal, o mundo entrou na era do Mashiach (Messias) e, portanto, qualquer disseminação do conhecimento da Cabalá é para o benefício de corrigir o mundo.

Antes disso, havia uma proibição da propagação da Cabalá, pois ela acelerava o desenvolvimento do mundo, o que era prejudicial para o povo de Israel. Acontece que as forças egoístas aceleram seu desenvolvimento, superando o desenvolvimento das forças de doação, isto é, Israel. 1

O profeta Yeshayahu (Isaías) disse que as nações do mundo levarão os filhos de Israel sobre seus ombros até o Templo, isto é, no final da correção, para completar a adesão entre o Criador e as criações. Ascender à montanha do Criador é um trabalho árduo, que está além das habilidades do povo de Israel – desejos leves, desejos de doação. Portanto, a disseminação da sabedoria da Cabalá entre as nações do mundo é tão necessária – é o motor que levará a correção inteira ao Mashiach. 2
Da parte da Lição Diária de Cabalá 16/4/18, Escritos do Baal HaSulam, “Shofar do Messias
1 minuto 0:00
2 minutos 7:40

NZZ: “Entre Átomos”

A revista austríaca NZZ publicou minha entrevista intitulada “Entre Átomos“, com Michael Fleischhacker, jornalista, moderador e editor-chefe da NZZ, ex-editor-chefe da Die Presse. Abaixo está a tradução de parte do artigo em português.

nzz_laitman-page-001

ENTRE ÁTOMOS

É um dos ensinamentos de sabedoria mais antigos da humanidade e ainda muito popular: a sabedoria da Cabalá. Um dos mais destacados representantes da Cabalá explica nesta entrevista por que precisamos construir um instrumento para revelar o Criador.

Michael Fleischhacker: Para esta revista, nós convidamos vários artistas austríacos para produzir uma imagem para nós. Uma que reflita o título da revista: Meu Criador. Zenita Komad foi uma das artistas. Através de seu trabalho, eu pude ver que seu entendimento é que o Criador é, na verdade, comunicação; o Criador não aparece através de um redemoinho de átomos desconexos, mas apenas quando a comunicação é estabelecida entre átomos é que o Criador nos ilumina, ou o Criador se torna visível, se você quiser. Você compartilha este ponto de vista?

Michael Laitman: Isso é totalmente correto. Eu concordo com Zenita. O Criador não é uma personalidade, mas uma força: a força global que une todas as outras forças na natureza. Essa força conecta e inclui toda a criação. Ela dirige, guia, organiza e dispõe tudo. No geral, é energia. A fim de descobrir essa energia, precisamos criar um detector dentro de nós mesmos, tanto quanto em nosso mundo, onde você precisa de um instrumento para medir a força magnética ou radioativa.

Por exemplo, nós sentimos a pressão da gravidade sobre nós. No entanto, não sentimos a força magnética; portanto, precisamos de um instrumento para isso. Tal instrumento é o que precisamos para entender e revelar esta força superior.

Isso soa muito técnico? A pessoa começa a criar um determinado instrumento como um sensor, tipo de Star Wars, para detectar o mundo externo. Isso é correto, como eu estou descrevendo-o?

Sim. Exceto que isso deve ser construído dentro da pessoa.

Há indicações em algum lugar sobre como realizar isso? Há indicações na internet que a pessoa possa apenas baixar e usar?

Certamente. Isto é o que a sabedoria da Cabalá nos oferece. Por quase 6000 anos, tem se estudado como criar conexões entre nós e dentro de nós, a fim de receber a força capaz de revelar a Divindade.

As religiões falam de um caminho diferente. Elas, supostamente, já construíram tal instrumento, alegando que ele existe e que todo o trabalho é simplesmente seguir esse caminho, porque este Criador do qual elas estão falando já está presente, você só tem que segui-Lo …

Há muitas religiões e houve muito mais religiões e crenças na história. Nós não somos parte disso. A sabedoria da Cabalá não se filia a nenhuma religião de forma alguma. É simplesmente a “sabedoria” da Cabalá. É uma ciência que lida com a forma de revelar a força superior da natureza chamada “Criador”.

Não há nenhuma “fé”, ato ritualístico ou qualquer coisa em particular que precisamos fazer. Claro, a pessoa tem que estar disposta a mudar para se tornar capaz de ver o Divino.

Trata-se apenas de uma pessoa que se adere ao objetivo de “conhecer a Divindade”, revelando a Divindade, conhecendo essa força, revelando-a. Quando ela é revelada, é dentro dessa pessoa, através de mudanças internas que a própria pessoa evoca. [Leia mais →] (em inglês).

Meus Artigos Na Mídia, 26/08 – 01/09/16

Em Inglês

The Jerusalem Post

Is Israel really detrimental to the world?
Why are there anti-Israel Jews?

Em Alemão

The Huffington Post

Liebe Made in Israel

Em Francês

The Times of Israel

Pourquoi y a-t-il des juifs antisémites?

Nos Estados Unidos 50 Milhões Recebem Apoio

laitman_926_01Comentário: De acordo com as estatísticas apresentadas pelo Gallup, o número de americanos que recebem apoio do governo subiu para 50 milhões de pessoas em 2016.

Isto significa que a expressão, “O sonho americano”, se tornou o sonho de ser apoiado pela nação.

Nos EUA, há famílias inteiras onde todos os seus membros nunca trabalharam. E esta tendência está crescendo o tempo todo.

Resposta: Certamente, essa é não mais uma busca de realizações especiais no mundo dos negócios e outras áreas da vida.

O fato é que em nosso tempo nós estamos avançando em direção ao socialismo; a nação vai se tornar uma nação socialista. Se pudermos distribuir alimentos, roupas e abrigo a todos, as pessoas não vão ter que trabalhar, porque, se desejado, tudo isso pode ser impresso sem qualquer exigência de uma pessoa.

A questão é por que isso deve ser feito? Por que existem diferentes tipos de animais? Poderia ser dito que eles são um ramo geral da natureza que são necessários para equilibrar todo o resto, para manter um equilíbrio especial, a homeostase.

E de que forma as pessoas são diferentes deles? É necessário compreender que somos compostos de duas partes, uma parte “animal” e uma parte humana. A parte animal em nós exige apenas uma coisa, viver em paz e sossego, aquecida pelo sol como um gato, e nada mais.

Enquanto que a parte humana requer a descoberta do sentido da vida, mesmo que estejamos tentando não se envolver com isso nestes dias, sendo ajudados um pouco aqui por drogas, antidepressivos, e todo o resto. No entanto, esta questão será uma exigência muito séria que requer uma resposta.

Pergunta: Será que vamos ver isso em nossa vida?

Resposta: Tudo depende da divulgação e disseminação da sabedoria da Cabalá no mundo.

Mesmo que isso desperte pessimismo, é necessário compreender que as situações no mundo estão mudando muito rapidamente. Em princípio, a humanidade está constantemente entrando em uma hibernação turbulenta que nos atrai a ela. Depois, um período de erupção interna virá.

Pergunta: Será que essa vai ser uma erupção interna ou uma guerra terrível?

Resposta: Para que o sofrimento agite a humanidade, ele deve ser fisicamente muito intenso. Mas se a erupção acontecer num nível interno de consciência e de compreensão, o sofrimento será muito menor. Ele não vai deixar marcas físicas e a pessoa será capaz de passar por eles muito rapidamente para uma realização correta da sua existência terrena.

Portanto, eu espero muito que possamos possibilitar que a humanidade descubra de forma realista e correta o propósito da vida que existe na natureza.

De KabTV Notícias com Michael Laitman” 21/03/16