Textos com a Tag 'CABALÁ'

Em Que Se Baseia A Cabalá

013.01Comentário: Existem muitos métodos para atingir a meta. A psicologia é tanto observação quanto auto-observação, estudos de laboratório, pesquisas, conversas e assim por diante.

No entanto, em princípio, tudo isso pode ser tendencioso porque estamos dentro de nossa natureza egoísta e não vamos além dela.

Minha Resposta: Não consigo conectar uma pessoa a algum tipo de dispositivo. Afinal, apenas um dispositivo, isto é, algo que existe fora de nós, pode dar uma avaliação objetiva da condição de uma pessoa e de sua reação. E não temos isso.

Além disso, não apenas os sujeitos, mas também aqueles que leem os resultados dos dispositivos estão dentro de suas qualidades egoístas.

Pergunta: Como a Cabalá examina a realidade para que possa ser considerada objetiva?

Resposta: A Cabalá nos dá uma oportunidade muito interessante que nos permite explorar nossas qualidades relativas às qualidades opostas, egoísmo versus verdadeiro altruísmo, quando vamos além do ego e alcançamos a qualidade de doação, amor e conexão. Então, dentro de nós mesmos, construímos um certo sistema de dois estados opostos e podemos existir neles e entre eles no estado intermediário.

A psicologia, entretanto, mede tudo muito claramente, mas apenas dentro da estrutura da natureza egoísta, sem ir além dela. Portanto, é impossível dizer exatamente onde estamos.

De KabTV, “Estados Espirituais”, 15/10/21

A Realização Original Da Cabalá

933Pergunta: No artigo “É Tempo de Agir”, Baal HaSulam escreve que muitos livros do povo judeu foram escritos por pessoas que eram reconhecidas como Cabalistas e tinham compreensão dos mundos superiores. Entre outros povos, tudo girava em torno do cotidiano: cultura, pintura, literatura. Por quê?

Resposta: Porque por 1.500 anos o povo judeu existiu em um nível espiritual. Depois de deixar a Babilônia, os judeus desceram ao Egito, passaram pelo deserto do Sinai, e dali para a terra de Israel, então houve o exílio na Babilônia, onde Nabucodonosor reinou, o retorno à terra de Israel, a construção do Segundo Templo, e outros 800 anos de existência até o exílio de 2.000 anos.

Por 1.500 anos, da Babilônia até o último exílio, vivemos no sentido do mundo espiritual.

Pergunta: O método Cabalístico, que agora é oferecido a toda a humanidade, já foi implementado uma vez em sua vida?

Resposta: Sim, mas naquela época o egoísmo ainda era pequeno. Portanto, uma grande massa de pessoas não poderia entender que é precisamente a ascensão acima do nosso mundo que é um método necessário de existência, que o nosso mundo é necessário para que você entre no reino espiritual a partir dele. O homem não percebeu isso.

Ele acreditava que deveria viver neste mundo de forma prática, desenvolvendo a si mesmo, a sociedade, a família, as ciências, os ofícios, etc. Ou seja, o egoísmo ainda não sobreviveu a si mesmo, e não se expôs, como em nosso tempo.

De KabTV, “Close-Up”

Técnica Universal

226Pergunta: Por que você só aceita a Cabalá como o conhecimento do universo? O universo é um, o Criador é um. Por que você é tão categórico?

Resposta: Quanto mais você estuda a Cabalá, mais vê que ela inclui todos os outros métodos. A natureza não os rejeita, mas simplesmente explica como a humanidade os ultrapassa em diferentes níveis de seu desenvolvimento.

Todos eles acontecem até que a pessoa chegue a um estado em que possa absorver uma imagem universal do universo, do mundo, da humanidade, seu desenvolvimento acima de seu egoísmo, e ela chega à Cabalá.

Portanto, a Cabalá estava oculta até o nosso tempo e só agora está se desenvolvendo gradualmente de modo que, como resultado da busca, a humanidade passa por muitos estágios diferentes de desenvolvimento sob a influência de outros métodos privados que são estudados dentro do egoísmo, e não por se elevar acima dele, chega à conclusão de que dentro do próprio egoísmo não há nada a procurar – apenas saindo dele, elevando-se acima dele.

Depois de passar por todos esses estágios e estudá-los, eu pessoalmente vejo as raízes de todos os métodos e teorias possíveis e, portanto, ensino apenas Cabalá. Eu insisto que é a natureza que é o sistema universal para mudar uma pessoa neste mundo e elevá-la ao mais alto nível.

Existem duas forças na natureza: recepção e doação. A Cabalá visa garantir que uma pessoa, trabalhando com o egoísmo, possa se elevar acima do poder de recepção e dominar o próximo nível da natureza – o poder de doação.

De KabTV, “Videoconferência”

A Hora Da Revelação Da Cabalá

254.02Em todas as nossas fontes primárias, está escrito que toda a humanidade deve se unir em uma única imagem coletiva chamada Adão. Então subiremos e alcançaremos o nível da força superior, o Criador. Devemos existir neste estado.

Nosso estado terreno leva apenas um curto período de nossa existência histórica. Não mais do que isso.

Se uma pessoa deseja compreender o sentido da vida, é impossível detê-la. Ela vê que sua existência, não importa o quão sublime e gratificante possa ser, termina. É temporária, limitada, o que significa que inicialmente não custa nada. Ela sente que o escopo de seu horizonte é mais alto e mais amplo do que essa vida e, portanto, não pode mais olhar para esse pequeno círculo.

As pessoas que acreditam compreender algo e, portanto, limitam seus pedidos, mostram elas mesmas sua inconsistência. A propósito, eu não diria que a oposição da Cabalá prevalece agora. Claro, em algum lugar ainda existem homens inteligentes que dizem isso, mas em geral, já superamos isso.

Os antigos oponentes da Cabalá perceberam que era impossível falar sobre isso publicamente, e agora eles próprios ensinam Cabalá e vendem livros. Hoje, em qualquer loja religiosa, você pode comprar livros sobre Cabalá, e há quarenta anos eu não conseguia encontrá-los.

Comentário: Por um lado, os judeus devem apresentar o método de correção ao mundo e, por outro lado, hoje as nações do mundo estão mais interessadas na Cabalá.

Minha Resposta: Se uma pessoa tem uma aspiração pelo Criador, não importa quem ela seja. Mas, é claro, haverá mais não judeus neste negócio. Em termos de massa, deve ser assim, porque tudo acompanha a pirâmide.

De KabTV, “Close-Up”

Atitude Ambígua Em Relação À Cabalá

545Pergunta: Por que os judeus, mesmo que estejam procurando o sentido da vida, procuram por isso não na Cabalá, mas em outro lugar?

Resposta: Antigamente, no passado distante, os judeus administravam a si mesmos com a ajuda do método Cabalístico e se elevavam acima deste mundo. Eles sentiram a criação eterna e perfeita, e viveram nela com seus sentidos e mente.

Então eles caíram no estado oposto, oposto ao original. É por isso que rejeitam a Cabalá e não querem retornar a este estado. As propriedades que prevalecem neles hoje são opostas às propriedades superiores em que estavam na época do Templo porque caíram de mais para menos.

E as outras nações que saíram da Babilônia e não se levantaram espiritualmente não tinham mais nem menos. Mas agora o desenvolvimento histórico os trouxe ao ponto em que querem saber qual é o sentido da vida e são completamente leais à Cabalá. Se suas religiões não são direcionadas contra o Judaísmo (afinal, muitos consideram a Cabalá como parte do Judaísmo), eles estão interessados ​​e percebem isso como algo verdadeiro e pelo menos não repulsivo.

Embora existam muitos obstáculos aqui. Alguns pensam que a Cabalá é misticismo, uma ciência terrível que pode fazer com que forças das trevas afetem uma pessoa. Seja como for, todos esses medos vão desaparecendo aos poucos e a humanidade começa a sentir internamente que provavelmente existe alguma possibilidade de salvação, de encontrar a verdade neste método.

De KabTV, “Close-Up. Expulsão”

Verificação Empírica

219.01Pergunta: Por que a Cabalá é considerada parte da filosofia em nosso mundo? É até estudado em universidades como parte da filosofia.

Resposta: Em nosso mundo, acredita-se que todas as ciências espirituais pertencem à filosofia.

É preciso dizer que toda ciência em geral surgiu da filosofia. Como sou PhD, minha graduação é PhD [doutorado em filosofia]. Mas se eu fosse um doutor em ciências físicas, ainda teria um doutorado escrito depois do meu nome, uma vez que todas as ciências pertenciam à filosofia. Filosofia é traduzida como “amor ao conhecimento”. Mas hoje é algo completamente oposto ao conhecimento.

Pergunta: Mas por que tantas pessoas não consideram a Cabalá uma ciência? Dizem que o que a Cabalá afirma não pode ser verificado empiricamente.

Resposta: E eles estão certos. Afinal, primeiro você precisa desenvolver um órgão sensorial adicional em você mesmo, sentir o que a Cabalá está falando e, então, certificar-se de que o que ela diz existe na natureza e está sujeito a verificação e pesquisa. Isso confirma que a Cabalá é uma ciência.

Exploramos a natureza por meio de nossos cinco sentidos. A Cabalá diz que ainda há a oportunidade de explorar a natureza por meio do sexto sentido, que funciona não para receber, mas para doar. Ela explica como desenvolvê-lo.

Existe um rudimento desse órgão dos sentidos no homem chamado alma. A Cabalá o desenvolve e quando a pessoa começa a sentir o mundo superior, a Cabalá explica o que ela sente.

De KabTV, “Close-Up, Buscadores”

A Partida Da Filosofia Da Cabalá

219.02Comentário: O estudioso alemão Johann Reuchlin escreveu Sobre a Arte da Cabalá: (De Arte Cabalistica) em 1517. Nela, ele dedica uma seção à relação do sistema pitagórico com a Cabalá.

Minha Resposta: A filosofia original para todos foi a Cabalá, a ciência das forças que governam o mundo e no mundo.

Do século X a.C. em diante, os antigos gregos adotaram essa sabedoria dos antigos judeus. Isso passou para eles até que se separaram dos Cabalistas e começaram a interpretá-la à sua própria maneira, acreditando que a Terra é habitada por deuses e que todos os tipos de forças são infundidos em pedras, animais, etc.

Isso já era um totemismo claro e, certamente, nada restou da Cabalá, assim como nada restou dela em todas as religiões que tiveram sua origem na Cabalá e a rebaixaram ao nível de nosso mundo e todos os tipos de ações cotidianas que existem nas religiões hoje como seus costumes e leis.

De KabTV, “Estados Espirituais”, 21/01/21

Família E O Estudo Da Cabalá

959Pergunta: É necessário que uma pessoa que está no caminho espiritual se case?

Resposta: É desejável para um homem. Não é necessário para uma mulher.

Pergunta: Como alguém entende que está com a pessoa certa na família? Isso se refere ao marido e à esposa.

Resposta: Essa é a pessoa que não interfere no seu trabalho espiritual, apoia você nisso, talvez até simpatize e participe.

Pergunta: Como um casal que começa a estudar a ciência Cabalística pode liberar o potencial de uma criança?

Resposta: Às vezes, falando sobre esses tópicos na frente de uma criança, dando a ela livros de nossa biblioteca na Internet e, assim, determinando se ela está interessada na Cabalá. Acho que algo vai interessá-la.

Pergunta: Então, uma criança, como um adulto, tem algum tipo de liberdade de escolha nisso?

Resposta: Claro. Afinal, ninguém a força.

Pergunta: Podemos aprender algo com uma criança em nosso desenvolvimento espiritual?

Resposta: Normalmente as crianças dão aos pais muitos exemplos. Então, os adultos têm essa oportunidade.

De KabTV, “Expresso de Cabalá”, 19/07/21

Um Estudante De Cabalá Deve Ter Uma Família?

627.2Pergunta: É necessário que um estudante de Cabalá tenha uma família se eu ainda amo minha primeira esposa e ela é casada? Eu entendo que esse é o meu egoísmo, mas categoricamente não quero uma nova família.

Resposta: O que isso tem a ver com a Cabalá? Digamos que hoje você goste de peixe, amanhã de carne e depois de algo mais. Não há conexão entre suas preferências e a Cabalá.

A Cabalá é o sentido da vida e você diz que os gostos mudam em sua vida. Sem problemas! Se eles não prejudicam outras pessoas, vá em frente.

Fique em paz e continue aprendendo, preencha-se com o máximo de conhecimento possível. E então descobriremos se você precisa começar uma família. Falaremos em um ano.

De KabTV, “Videoconferência”

Por Que Estudar Cabalá?

051Pergunta: Por que você começou a estudar Cabalá?

Resposta: Queria saber o sentido da vida, onde ela pode ser encontrada, como verificar para que vale a pena viver. Essas perguntas realmente me incomodavam e sempre me animaram. Eu queria saber para que eu existo. Assim, no final, encontrei a Cabalá.

Conheci Cabalistas em Israel e em todo o mundo, viajei muito, fiz perguntas e pesquisei. Com o tempo, defendi minha dissertação sobre o tema Cabalá. Desde então, sou conhecido como Cabalista.

Tenho um grande número de alunos. Todos os dias dou aulas que são traduzidas simultaneamente para várias línguas do mundo.

De KabTV, “Expresso de Cabalá”, 29/07/21