Textos na Categoria 'Filosofia'

Como Descobrir O Futuro

Dr. Michael LaitmanPergunta: O que significa revelar a força superior, descobrir a sua intenção, revelar para onde ela está me levando, e descobrir o que ela quer?

Resposta: O Ramchal (Moshe Chaim Luzzatto, grande Cabalista que viveu no século XVIII, na Itália), escreveu que a sabedoria da Cabalá se destina apenas a aprender o governo e o propósito do desejo superior: por que o Criador fez todas essas criações, o que Ele quer delas, e qual será o fim de todas as encarnações do mundo.

Você deve saber tudo em termos do que acontece em seu corpo, em seus pensamentos, desejos, na mente e no coração, tudo o que está acontecendo no mundo e para onde leva. Eu estou falando de uma realização elevada, quando você está no mesmo nível que a força superior, como está escrito em Oséias 3:5: “Depois tornarão os filhos de Israel, e buscarão ao Senhor seu Deus…”.

Você revela todo o programa de criação, todas as forças que o ativam, e começa a receber o direito de entrar neste programa e controlá-lo, em vez do Criador. É como com uma criança que cresce, e o pai entrega a empresa para que a criança continue executando-a no lugar dele.

Isto é o que significa tornar-se um ser humano, homem, porque “homem” (em hebraico “Adam, da palavra “Edomeh, semelhante) significa semelhante ao Criador, semelhante ao superior. Isso é o que precisamos alcançar.

Pergunta: Será que essa revelação afeta a vida cotidiana de uma pessoa?

Resposta: Claro! Primeiro você se torna o mestre de tudo que está acontecendo. Você sabe para que está vivendo e como organizar sua vida, a fim de extrair dela o maior benefício.

Baal HaSulam escreve no artigo “O Ensino da Cabalá e sua Essência” que a sabedoria da Cabalá é a revelação da força superior governante em todas as suas propriedades e manifestações que se desenrolam nos mundos e sujeitas à revelação pelo homem no futuro, até o fim de todas as gerações.

Em outras palavras, você vê todas as perspectivas com antecedência, até o final da existência do nosso mundo em 6000 anos, a contar da primeira revelação do Criador a Adam HaRishon 5775 anos atrás. Você revelará o futuro.

Do Programa da Rádio Israelense 103FM, 08/08/15

Dissipando Equívocos Sobre A Cabalá

Há grandes equívocos sobre a sabedoria da Cabalá. As pessoas perguntam: “Por que é necessário estudar a sabedoria da Cabalá? É interessante para nós saber quantos anjos existem no céu e como eles são chamados? É importante que denominemos os mundos, os Partzufim ou as Sefirot? Por que devemos sentar e aprender coisas impraticáveis ​​como essas que são irrelevantes para a vida real?”.

Nós abrimos o livro e lemos: Eis que antes das emanações serem emanadas e as criaturas criadas, a luz superior simples preenchia toda a existência. Onde tudo isso se encontra? Isto está tão longe de nós, fora deste mundo e do universo, fora deste espaço, no qual todos nós existimos juntos com o nosso planeta, o sol, e todas as estrelas. Tudo isso é abstrato e distante do nosso mundo.

Nenhum benefício prático é visto nem qualquer meio concreto que possibilite melhorar nossas vidas e executar qualquer ação. Sugere-se que nós simplesmente estudemos. Portanto, qual é o significado disso? [Leia mais →]

Os Filhos Do Universo, Parte 2

Dr. Michael LaitmanNós não podemos dizer que uma pessoa conhece a si mesma, sem mencionar a humanidade em geral. Como resultado, nós não podemos conhecer este mundo, que é a totalidade de todos os níveis: inanimado, vegetal, animal e humano.

Nós não podemos, principalmente porque não nos conhecemos. Nós temos que admitir o fato de que até mesmo a psicologia não é uma ciência no sentido verdadeiro. A essência de uma pessoa sempre permanece um enigma para nós. Nós vemos o resultado e as consequências dos diferentes processos em nós mesmos por nossas reações a algo e as estudamos de uma forma muito limitada, na medida em que somos dependentes e tendenciosos em nossas avaliações.

Além disso, nós somos impotentes quando queremos ascender a um nível mais elevado – aquele que nos criou – e até mais alto até o plano da criação. A julgar pelos diferentes acontecimentos e por nossa própria experiência pessoal enquanto avançamos, nós vemos que todas as forças da natureza estão num sistema que é completo e integral. Estas forças operam de acordo com certos processos e são operadas de acordo com um determinado plano geral sobre o qual não sabemos nada, mas que estamos incluídos.

Porém, a naturezas inanimada, vegetal e animal cumpre o plano instintivamente, pelo comando das ordens da natureza, enquanto nós, junto com a sensação de que estamos envolvidos nisso, temos a sensação de termos nossas próprias ações.

Se nós pudéssemos abordar o estudo da natureza com base nesses dois sentimentos, talvez pudéssemos alcançar algo. Mas a ciência em geral não está envolvida na investigação do nível humano, porque não temos meios reais para medi-lo.

Consequentemente, nós só observamos o que está acontecendo, e essa é a essência de nossos estudos. Nós observamos, coletamos dados e estabelecemos um sistema de conhecimento científico. Além disso, nós podemos usar as nossas modestas opções para influenciar os vários fenômenos e estados da natureza inanimada, vegetal e animal, assim como o homem, e observar a reação que nos permite entender alguma coisa.

Mesmo se ignorarmos o fato de que todas as nossas observações e estudos são baseados em nossa percepção subjetiva, os resultados ainda são um resumo que, em essência, nos dá pouco. Afinal, eles são produto de nossos cinco sentidos limitados.

Ao estudar a flora e a fauna, nós podemos ver o alcance da nossa percepção, mas estes resultados são incertos, nós os comparamos com nós mesmos e não com o padrão atual. Nossa visão tridimensional, a batida do nosso pulso, o movimento do sol e da lua que mede um dia, eras geológicas e a idade do universo, todas as medidas são muito subjetivas.

Assim, o nosso desejo de conhecer o universo não é realmente muito sério. Uma pessoa é como uma criança que atribui capacidades realistas para si mesma. No final, nós usamos apenas as forças da natureza que podemos alcançar. Nós as coletamos e apresentamos em desenhos simples e as usamos de acordo com as nossas capacidades.

Nós não diferimos muito do homem pré-histórico que usava uma vara para construir ou destruir. Nossas varas são um pouco diferentes: aceleradores de partículas, observatórios, etc., mas o princípio é o mesmo. Nós somos como bebês que querem tocar em tudo e colocar em suas bocas, mas estamos apenas em outro nível.

Nós sequer estamos conscientes de como somos limitados. Aqui e ali, nós descobrimos que a natureza é muito mais ampla e profunda, mas não sabemos para onde e como se expande. Nós não conseguimos penetrar nas dimensões superiores ou sair da nossa estrutura tridimensional: as coordenadas de tempo, espaço e movimento.

De KabTV “Uma Nova Vida” 02/03/14

A Ciência Da Dimensão Superior

O Livro do Zohar, o artigo “Entre todos os sábios das nações do mundo, Não Há Nenhum Como Você”, artigo 161: Entre todos os sábios das nações do mundo e entre todos os seus reinos, não há ninguém que chegará até você. Nós existimos dentro de uma realidade particular. Existem duas abordagens para perceber a realidade. A primeira abordagem é uma pesquisa científica.

De acordo com esta abordagem, através de nossos sentidos e os instrumentos que construímos para expandir nossos sentidos em profundidade e amplitude, percebemos a realidade que podemos sentir com os nossos cinco sentidos corpóreos, terrenos, que também existem em animais.

O estudo da realidade como ela é, revelado aos nossos sentidos, é chamado de ciência. A base da ciência é a filosofia, a abordagem para a compreensão da percepção humana da realidade. Isso não significa que a filosofia de hoje, que se tornou uma palavra ruim, uma vez que não tem qualquer fundamento real, mas a filosofia original, o que ela uma vez foi. A partir daí, graus em todas as disciplinas são chamados de Doutor em Filosofia (PhD), pois é a base para todas as ciências. [Leia mais →]

Uma Mudança Profunda Da Nossa Perspectiva

Dr. Michael LaitmanNós temos que mostrar ao mundo inteiro que não há nenhuma outra ciência, exceto a sabedoria da Cabalá, e nenhuma percepção da realidade que forneça respostas à realidade atual, onde cada aspecto da nossa vida está em um estado de crise. É a sabedoria da Cabalá que fornece o caminho certo através do qual você adquire as ferramentas adequadas necessárias para o nosso desenvolvimento.

Todas as velhas ferramentas e os meios que tínhamos são inúteis hoje e só levam à confusão. É simplesmente impossível avançar usando-os. A física, por exemplo, é uma ciência exata e verdadeira que nos ajuda a nos beneficiar das leis da natureza. Mas não podemos mais usá-la para avançar.

Nesta fase, nós precisamos de novos meios, e a sabedoria da Cabalá os fornece e nos permite ser equipado com eles. Isso significa que, a fim de dar mais um passo à frente no caminho da nossa evolução, nós precisamos mudar o nosso paradigma, a nossa abordagem básica, para nos adaptar às novas condições.

Antes, as pessoas acreditavam que abriam o caminho por si mesmas, embora, na verdade, seja a Luz quem preenche tudo. Agora, porém, temos que nos adaptar às novas condições e estados, mesmo que eles surjam contra a nossa vontade. Hoje temos que consertar a conexão entre os vasos, e por isso falamos sobre a educação integral.

Por outro lado, a percepção filosófica anterior está desatualizada. Temos que mostrar às pessoas que qualquer abordagem que não se baseie na realização real não pode ser usada, e que isso realmente nos leva ao sofrimento e prolonga os problemas. Qualquer perspectiva que adie a realização do Criador nos traz muitos problemas.

Isso se refere a todas as religiões também, já que elas prometem uma recompensa depois da morte: “Morra e você receberá, mas trabalhe agora”.

Nós, por outro lado, dizemos o contrário: “Você deve ver o seu mundo em sua vida”. A sabedoria da Cabalá refere-se à revelação do Criador a uma pessoa aqui neste mundo.

Não há nada de espiritual após a morte. Nós morrermos assim como os animais que abatemos, porque estamos no nível animal da evolução. Eu não subo e não satisfaço as minhas Reshimot (genes espirituais), e não desenvolvo o nível humano da minha Reshimo; eu permaneço uma Reshimo. Eu tenho que satisfazer a minha Reshimo por meio da Luz que Reforma, e para levar a minha Reshimo a um estado de vaso espiritual onde eu revelo o Criador.

Assim, nós podemos refutar todas as percepções filosóficas e crenças que a humanidade criou para si mesma. Nosso trabalho não é abstrato; nós trabalhamos pela revelação. É com isso que a pessoa se depara hoje. Nós temos que revelar o Criador, aqui e agora.

Portanto, todo mundo vai odiar a sabedoria da Cabalá, uma vez que ela está em contraste com qualquer lógica animal que uma pessoa tenha e as ideias tradicionais de recompensa pelo esforço pessoal depois da morte…

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 28/11/13, Escritos do Rabash

Deus Existe…

Nas notícias (Do “The Telegraph”): Professor Antony Flew, o filósofo racionalista que morreu em 8 de abril, aos 87 anos, passou a maior parte de sua vida negando a existência de Deus, até que, em 2004, ele mudou radicalmente sua mente.

“Depois de meses buscando pela alma, Flew concluiu que a pesquisa em DNA tinha “mostrado, pela complexidade quase inacreditável dos arranjos que são necessários para produzir a vida, que a inteligência deve ter sido envolvida”.

Além disso, embora ele aceitasse a evolução darwiniana, ele sentiu que não poderia explicar as origens da vida. “Eu fui convencido de que está simplesmente fora de questão que a primeira matéria viva evoluiu de matéria morta e então se desenvolveu em uma criatura extraordinariamente complexa”, disse ele.

Francis Crick, professor, foi agraciado com o Prêmio Nobel da descoberta do DNA:

“Um homem honesto, armado com todo o conhecimento disponível para nós agora, só poderia afirmar que, em certo sentido, a origem da vida parece no momento ser quase um milagre, tantas são as condições que teriam que ter sido satisfeitas para fazer isto acontecer.”

Michael Behe, professor de bioquímica na Lehigh University, autor de “Darwing’s Black Box”: “O argumento do livro é que o que a ciência descobriu na célula nos últimos 50 anos está mal explicado por uma teoria gradual como a de Darwin. E se você olhar para isto, a evidência sugere que, de fato, muitos sistemas na célula dão sinais de ‘projeto inteligente proposital’.”

Francis Collins, um americano, médico-geneticista, ex-diretor do Projeto do Genoma Humano: “Com a incerteza da mecânica quântica e da imprevisibilidade caótica de sistemas complexos, Collins escreve: “o mundo é agora entendido como tendo uma certa liberdade no seu desenvolvimento futuro.””

“Assim, é perfeitamente possível que Deus possa influenciar a criação de maneiras sutis que são irreconhecíveis para a observação científica. Desta forma, a ciência moderna abre as portas para a ação divina, sem a necessidade de milagres que quebram as leis”, diz Collins.

“Dada a impossibilidade de previsão absoluta ou explicação, as leis da natureza não impedem a ação de Deus no mundo. Nossa percepção do mundo abre mais uma vez a possibilidade de interação divina.”

Meu comentário: A ciência nos leva à realização do princípio na natureza: a causa, o plano de desenvolvimento, e o objetivo. No entanto, os cientistas não têm uma visão completa do universo, incluindo o nosso mundo como parte dele; para isto existe a ciência das ações do CriadorCabalá. Mas o Deus das religiões não existe, é a natureza: as leis, propriedades e interações que podem ser reveladas e alcançadas na medida de semelhança com essas propriedades.

Material Relacionado:
Como O Elemento Da Vida É Criado?
O Indefinido Mistério da Vida
Você Ordenou O Universo?

Evitando Sofisma

Dr. Michael LaitmanNossa verdadeira existência se desenvolve no desejo e apenas nele. Não há nada além disso. Mas, além do desejo e da imagem que ele cria em nossos sentimentos, me foi dada outra imagem imaginária temporária, um acréscimo imaginário na forma de um corpo físico que está num mundo corpóreo. Esta realidade não existe realmente, mas agora me ajuda a estar numa existência ilusória. Quando um verdadeiro desejo de usar o meu desejo inicial for revelado em mim, eu irei abordá-lo.

De uma forma ou de outra, tudo ocorre no desejo, com o corpo físico que é simplesmente um “animal” que não tem livre arbítrio e não precisa fazer nenhum trabalho. Esse corpo é uma oportunidade de abordar o verdadeiro trabalho no desejo e nada mais do que isso. A imagem que é representada pelos meus sentidos corporais é o mundo imaginário.

É por isso que as abordagens filosóficas e outros métodos de sofismas estão tão distantes da verdade. É porque eles levam em conta o corpo, suas ações e seu potencial imaginário, supostamente elevando-o acima do nível animal.

Agora eu só tenho desejos corporais que criam a ilusão da existência de um corpo vivo. Como resultado, eu tenho que cuidar do corpo deste desejo, para guardá-lo e provê-lo com diferentes coisas. Este desejo corporal vive e morre.

Além disso eu tenho um ponto no coração (•). Eu o desenvolvo me conectando com todos os outros pontos, a fim de alcançar o amor, e assim, em contraste a ele, eu sinto aversão e ódio. Então, de zero a 100%, de acordo com o meu esforço, eu começo a desenvolver o verdadeiro ego dentro de mim, o desejo de receber espiritual. Isso acontece quando eu entro no grupo, no ambiente certo.

Até então, eu só tenho um “animal” e um ponto no coração que pode ter aparecido. Há pessoas que permanecem no sistema do corpo com o ponto por um longo período de tempo. Mesmo que elas estudem com os amigos, mas não envolvam o amor, o grupo, e não mantenham a primeira condição (1), elas não alcançam a segunda etapa, o sentimento de ódio (2). O ponto apenas as estimula um pouco. Mais tarde, quando elas começam o verdadeiro trabalho com o grupo, elas deixam o sistema anterior e passam para um novo sistema, que se torna a única coisa importante para elas. Tudo o que acontece com os desejos do corpo é totalmente irrelevante. Ele deve estar satisfeito com as necessidades básicas e não pedir mais.

Avoiding Sophistry

Nós construímos um grupo entre nós, uma rede, e a preenchemos com a nossa doação mútua. No todo, este esforço é o nosso desejo de doar um para o outro. Nós elevamos um pedido (MAN) pela correção, e em resposta a Luz Circundante vem, corrige e nos conecta, e então fornece o preenchimento, que é chamado de minha alma.

Avoiding Sophistry

Na verdade, o principal é a transição de um sistema para outro. Esta é a diferença entre a filosofia e as religiões de um lado, e a sabedoria da Cabalá do outro.

Da 4ª parte da Lição Diária de Cabalá 01/06/13, “Corpo e Alma”

Obrigado Psicólogos, Adeus Filósofos

Baal HaSulam, “A Sabedoria da Cabala e a Filosofia”: Não só é errado discutir com eles sobre suas suposições fabricadas, mas também o tempo de apoiar tais pontos de vista já passou e sua autoridade foi revogada. Devemos também agradecer aos especialistas da psicologia materialista, para isso, que construiu seu pedestal sobre a ruína do primeiro, ganhando a favor do público. Agora todo mundo admite a nulidade da filosofia, pois não é construída sobre fundações concretas. …Por isso, somos gratos a psicologia materialista por entregar um golpe mortal.

Este é um assunto muito delicado. Na época, a filosofia tentou dominar o povo judeu para tomar o lugar do sabedoria da Cabala. A psicologia parecia manter o lugar da sabedoria da Cabala, enquanto a filosofia chegou ao fim. Mas, durante o século 20 a psicologia passou-se completamente.

Para saltar para a mesa que você tem que saltar mais alto do que a própria. Assim não podemos investigar o homem sem se elevar sobre ele. A medida que psicólogos estudaram as tendências animais “naturais” do homem, eles conseguiram. Eles até conseguiram identificar e organizar a pirâmide de desejos que Abraham Maslow descreveu.

Ainda assim essas são simples pequenas revelações. No momento, no entanto, quando os psicólogos estão tentando penetrar um pouco mais além, eles encontram uma grande confusão. O problema aqui é que, em contraste com as ciências exatas que estudam leis fixas que não mudam, a psicologia lida com “leis que mudam”. É porque uma pessoa muda constantemente, especialmente em nossos tempos. Assim, os resultados dos estudos rapidamente se tornam ultrapassados: Depois de vários anos, tanto o pesquisador quanto seu paciente mudam e já não são quem eles eram inicialmente.

Então a psicologia não tem uma fundação concreta. Não é uma ciência exata, mas uma combinação de estudos diferentes, estreitos, limitados e indivuais. Então, eventualmente, hoje quando a filosofia se tornou uma “palavra suja”, a psicologia, também, está esgotada. Estamos agora na linha de chegada.

Da Lição Diária de Cabala 20/12/12 “A Sabedoria da Cabala e a Filosofia”

Material Relacionado:
Psicologia Como Espelho Que Reflete O Desenvolvimento Do Ego
A Sabedoria Da Cabalá E A Filosofia: Quem Tem A Última Palavra?

Sobre Fatos E Mitos

Dr. Michael LaitmanBaal Hasulam, “A Paz”, Primeiro Método: A Natureza

Este método é antigo. Uma vez que eles não encontraram um caminho e uma saída para aproximar esses dois opostos conspícuos, eles chegaram a supor que o Criador, que criou tudo isso, que zela fortemente por Sua realidade para que nada nela seja anulado, é estúpido e sem sentido.

Assim, embora Ele zele pela existência da realidade com sabedoria maravilhosa, Ele mesmo é estúpido, e faz tudo isso sem nenhum sentido. Se houvesse qualquer razão e sentimento Nele, Ele certamente não deixaria tais anomalias na provisão da realidade sem piedade e compaixão pelo atormentado. Por esta razão, eles O chamaram de “Natureza”, o que significa um supervisor sem sentido e sem coração. Por essa razão, eles acreditam que não há ninguém com quem se zangar, orar ou justificar.

Este é um conceito, uma abordagem antiga, embora a vejamos como uma nova realização do materialismo. A maneira mais simples é ver o mundo como ele é, e essa foi realmente a abordagem inicial da humanidade. Religiões, crenças e abordagens filosóficas surgiram muito mais tarde, quando o homem se desenvolveu internamente, tornou-se mais complexo, e começou a inventar diferentes mitos. No início, as pessoas simplesmente viam a natureza e viviam nela como animais que também não acreditam em nada. É assim que devemos realmente nos relacionar com a natureza, como se diz, “o juiz só tem o que seus olhos podem ver”.

As abordagens seguintes resultaram do desacordo com o que acontece na natureza; as pessoas as inventaram como diferentes desculpas, e por isso são todas falsas. Na verdade, nós vemos fatos que são independentes da nossa atitude para com eles. Mas o homem inventa diferentes desculpas para adoçar a vida ou para desfrutar falsas esperanças.

Uma atitude saudável para com a vida está na abordagem científica. Nós vemos o efeito de imutáveis leis exatas em todos os lugares, a atividade dos sistemas e a periodicidade dos elementos naturais. Se eu vejo que essa é a maneira como as coisas são, então é assim, e não me ofereça diferentes mentiras. Eu vejo a verdade, e qualquer acréscimo a ela é individual e não podemos confiar. É nesses acréscimos que as crenças são criadas, enquanto a natureza se revela em fatos como ela realmente é.

About Facts And Myths

A sabedoria da Cabalá continua esta abordagem, falando sobre os princípios da percepção da realidade. Nós vemos este mundo diante de nós, e, exceto por isso, ela diz que há toda uma área chamada de “mundo superior”, que não é imaginária, mas que pode ser estudada cientificamente. Assim, a sabedoria da Cabalá continua a ciência convencional e realiza pesquisas para além dos limites da ciência convencional.

Com a ajuda da sabedoria da Cabalá, eu continuo a investigação científica e desenvolvo novos vasos de percepção, expando a sua gama, e mantenho o princípio “o juiz só tem o que seus olhos podem ver”. Não há nada além disso. Tudo o resto, incluindo as religiões, é, na verdade, filosofia.

Da 4ª parte da Lição Diária de Cabalá 14/12/12, “A Paz”

Quando A Ciência Se Transforma Em Barganha

Dr. Michael LaitmanNós não podemos falar sobre alguma coisa de forma séria e científica, com base em fatos que não descobrimos. Nós tentamos estudar a complexa realidade deste mundo em partes, e mesmo se não conseguimos separar uma coisa da outra, ainda podemos descrever as coisas e ter algo em que confiar.

Por outro lado, não sabemos o que significa a Luz e o vaso, uma ação e um potencial, qual o significado de tempo, espaço e movimento no sentido espiritual e como superá-los. Aqui nós nem mesmo identificamos os elementos básicos e, de fato, não conseguimos discutir esses detalhes.

Baal HaSulam diz que “a filosofia envolveu-se num Talit que não é dela”, o que significa que se trata de algo que não pertence a ela. Como é possível discutir conceitos abstratos, a Luz e o vaso, e uma dimensão que está acima deste mundo, se você não está lá. Se você imaginá-la, vá para Hollywood, talvez eles façam um filme de suas fantasias. De qualquer forma, não é ciência e nem mesmo opiniões que presumem ser científicas, mas fantasia em sua forma pura.

Portanto, depois de exagerar nas descrições abstratas, os filósofos as abandonaram e hoje eles não lidam mais com estudos “terrenos”. Eles são incapazes de continuar a apresentar seus próprios conceitos teóricos.

Esse é outro aspecto da crise que nos mostra as limitações do homem em lidar com este mundo. Se a evolução o fez subir para um nível mais alto e ele não faz nada, ele descobre os limites de seu caminho e da crise.

A filosofia é basicamente uma ciência sobre a vida, algo que é sublime e que exige que a pessoa suba acima de sua natureza. Ela tem que ser objetiva, tem que estar adaptada à natureza, tem que subir acima do nível humano neste mundo. Antigamente os filósofos agiram nesta direção. Platão e Aristóteles, por exemplo, advertiram sobre passar a sabedoria para aqueles que não eram dignos. Eles entenderam a grandeza da sabedoria e compreenderam a natureza humana, e trabalhavam acima dela, a fim de estar acima dela de alguma forma.

Hoje não há nenhum traço disso, pelo contrário, os cientistas querem “desfrutar dois mundos”, o que significa que estão atrás de um duplo benefício: tanto científico quanto financeiro. Este é o fim da sabedoria. Ela foi vendida.

Da 4ª parte da Lição Diária de Cabalá 06/12/12, “A Sabedoria da Cabalá e a Filosofia”