Textos na Categoria 'Casamento'

Nova Vida 1310 – As Razões Para Perder O Senso De Proximidade Na Família

Nova Vida 1310 – As Razões Para Perder O Senso De Proximidade Na Família
Dr. Michael Laitman em conversa com Oren Levi e Nitzah Mazoz

As conexões na família estão desaparecendo porque o ego cresce continuamente e não quer ser dependente de ninguém. Esse é um processo natural. As pessoas não se sentem mais obrigadas a seus irmãos ou pais.

Ainda podemos aprender como desenvolver uma conexão humana afetuosa na família se ensinarmos nossos filhos sobre o ego e como lidar com as rejeições e a inveja corretamente. Precisamos mostrar a todos o que eles vão ganhar em estar conectados aos outros, fazendo exercícios como, por exemplo, ajudar um irmão diferente a cada dia em cada assunto que surgir.

Podemos aprender a competição positiva comparando quem pode ascender acima de seu próprio egoísmo, a fim de se aproximar dos outros membros da família e despertar o amor neles. A família deve fornecer um senso de apoio, comunicação, compromisso e estar mais próximo em um novo nível quando nos elevamos juntos acima do ego.

De KabTV, “Nova Vida 1310 – As Razões Para Perder O Senso De Proximidade Na Família”, 27/06/21

“Quais São Os Principais Motivos Para O Aumento Das Taxas De Divórcio?” (Quora)

Dr. Michael LaitmanMichael Laitman, no Quora: Quais São As Principais Razões Para O Aumento Das Taxas De Divórcio?

A razão para o aumento das taxas de divórcio é devido à evolução humana natural. Nossos tempos são caracterizados pela saída do nível de desenvolvimento animal e a subida ao nível humano. Em outras palavras, a natureza está nos incentivando a nos conectarmos como uma única estrutura global interdependente da humanidade.

Uma vez que existe uma necessidade crescente de nos conectarmos como um único sistema global, descobrimos que nossas conexões pessoais estão se quebrando cada vez mais. A natureza quer que olhemos para além do quadro familiar para depois voltarmos a ele em um nível diferente, ou seja, onde sentimos a humanidade como uma única família.

Em nossas vidas individuais, experimentamos um sentimento de estar apaixonados, onde somos tomados por emoções poderosas, excitação, inspiração e uma perfeição aparente pela qual valia a pena lutar para estarmos juntos e sobre a qual poderíamos construir uma família. No entanto, com o tempo, perdemos esse sentimento. Por que, então, nos apaixonamos naturalmente se mais tarde esse sentimento se dissipa?

O que precisamos entender é que estamos em um sistema executado pela natureza. Neste sistema, a natureza quer que descubramos o verdadeiro amor eterno, ou seja, como o amor existe na própria natureza. No processo, ela quer que nos afastemos das concepções e sentimentos de estar apaixonado que experimentamos temporariamente em nossa realidade atual. Portanto, precisamos mudar nossa atração instintiva pelo outro sexo, que é alimentada pela paixão natural e pelos hormônios, para uma conexão mais orientada para um objetivo.

Formamos as conexões que conhecemos atualmente porque vivemos para nossos filhos ou nossa casa compartilhada. Além disso, estar junto é conveniente porque nos permite apoiar uns aos outros à medida que envelhecemos. Hoje, entretanto, precisamos encontrar um novo tipo mais profundo de conexão. Assim, vemos cada vez mais casos de divórcio porque estamos nessa era de transição, onde já começamos a sentir uma crescente falta nas estruturas tradicionais que antes nos mantinham unidos, de que existe um impulso adicional e mais sublime de que precisamos para sustentar e crescer uma família feliz em nossos tempos.

Se conseguirmos acessar esse impulso, que ainda não identificamos com precisão, podemos nos lançar em um caminho para descobrir um sentimento completamente novo que emerge em uma conexão mais orientada para um objetivo com o outro. Podemos, então, saltar de nossa aversão cada vez maior em relação às nossas estruturas atuais para buscar conexões em um outro nível: uma conexão familiar muito mais forte e calorosa entre toda a humanidade. Se entrarmos nessa sensação, descobriremos uma satisfação que nunca sentimos antes. É como se flutuássemos livremente, tornando-nos muito leves e sentindo um fluxo eterno da vida nos invadir.

Embora tenhamos a oportunidade e a capacidade de determinar essas novas conexões orientadas a objetivos por meio da educação que as enriquece, vemos como essas explicações passam despercebidas. A natureza, portanto, nos estimula por trás por meio de dor e sofrimento, e encontramos todos os tipos de conexões que antes considerávamos quebradas, sendo o divórcio um indicador-chave de nossas conexões rompidas em relação à família. O propósito desse sentimento crescente de distanciamento que sentimos, incluindo o aumento das taxas de divórcio, é para que fiquemos enjoados de nossa separação e desenvolvamos um novo desejo sincero de nos conectarmos em um nível totalmente diferente. No final, faremos movimentos para nos conectar dessa nova forma, pois descobriremos que, do contrário, seremos encurralados. Quando começarmos a nos conectar como a natureza exige que façamos, descobriremos a beleza dessa conexão.

Portanto, junto com o ódio cada vez mais irreconciliável e os desacordos que separam cada vez mais famílias, surge uma nova necessidade sincera de amor. Se todos nós compreendermos a sublime satisfação que o amor verdadeiro traz, desejaremos ter esses sentimentos em nossa família. Então, voltaremos para a família depois de aprendermos como amar a humanidade inteira, e desejaremos compartilhar uma versão mais profunda e mais pessoal e interna exclusivamente dessa conexão com um cônjuge.

Baseado no episódio 19 de Nova Vida em 2 de fevereiro de 2012 com o Cabalista Dr. Michael Laitman, Oren Levi e Tal Mandelbaum Moshe.
Escrito/editado por alunos do Cabalista Dr. Michael Laitman. Foto de Kelly Sikkema no Unsplash.

Por Instinto Interior Ou Cálculo Egoísta?

627.2Comentário: Muitas pessoas que se casam tentam fazer um acordo pré-nupcial de forma a ganhar às custas da outra parte.

Minha Resposta: Naturalmente. Nosso egoísmo já implica isso. Por que criamos uma família?

Uma mulher se casa porque vê que tem um parceiro confiável com quem pode ter filhos. E ele vai sustentar a família tanto quanto puder.

Ela o vê como um sério apoio para seus futuros filhos, como uma mulher olha para um homem que deve fornecer-lhe tudo o que é necessário para a reprodução e criação dos filhos. Essa é a atitude natural da mulher em relação ao casamento. Converse com biólogos e psicólogos sobre isso. Essa é a única maneira que escolhemos.

Mas o problema é que nos afastamos da natureza. Os animais escolhem de acordo com seu cheiro, com seu instinto interior. A fêmea vê que é com esse macho que ela será capaz de criar a melhor família e criar descendentes. É assim que a natureza a organizou.

Mas nos humanos todos os tipos de distorções se sobrepõem a isso. Por exemplo, um homem está interessado no comprimento das pernas de uma mulher, se ela se formou na universidade, o que o ambiente dirá ou qualquer outra coisa. Estamos muito confusos com as avaliações uns dos outros. Mas se estivéssemos agindo por natureza, isso seria, é claro, o ideal.

Pergunta: Por que, ao redigir contratos matrimoniais, os homens tentam evitar a questão de como sustentar sua esposa? Eles tentam tirar tudo da esposa, mesmo que os filhos fiquem com ela.

Resposta: Por que as mulheres buscam isso? Por que tal contrato foi elaborado? O mais importante em um contrato de família é dar à esposa a oportunidade de dar à luz e criar filhos. É para isso que existe uma família.

Comentário: Hoje os homens não querem se casar de jeito nenhum, eles estão satisfeitos com os casamentos civis. Aparentemente, esta é a resposta para o fato de que uma mulher que deseja constituir família aceita tais condições e assina o contrato de casamento.

Minha Resposta: Ou porque o Estado assume esta parte de sustentar uma mulher com filhos cujo marido a abandona. Portanto, ela inconscientemente considera essas opções e, percebendo que pode obter ajuda da sociedade, do Estado, concorda com tal acordo.

De KabTV, “Close-up”, 19/08/09

O Conhecimento Da Cabalá É Indispensável

962.2A ciência da Cabalá é revelada na medida em que a humanidade está desapontada com seu desenvolvimento.

Gradualmente, chegaremos a um estado em que a humanidade compreenderá que temos um meio pelo qual podemos ultrapassar os limites deste mundo, ver a segunda metade da criação e entender para onde estamos indo. Quando combinarmos essas duas metades da natureza em uma, tudo se tornará claro para nós. Então, encontraremos a felicidade, inclusive no casamento.

Eu não acho que sem o conhecimento da Cabalá, uma pessoa será capaz de construir uma família adequada, criar filhos. Isso está totalmente fora de questão.

A escola atual e a relação atual entre meninos e meninas não trazem nenhuma felicidade e realização. Portanto, não podemos prescindir do conhecimento Cabalístico de como criar os filhos, como organizar grupos infantis e educação na escola, e como construir uma família e relações sociais entre pessoas, grupos de pessoas e entre nações.

Tudo isso veremos apenas da parte do mundo que está oculta de nós – a metade espiritual. Vendo a segunda metade, poderemos construir corretamente a primeira.

Esperamos que as pessoas queiram ver, usem o método Cabalístico de revelar o mundo e façam suas vidas felizes. Pelo menos para o bem de nossos filhos.

De KabTV, “Close-up”, 11/08/09

Como Encontrar O Amor Verdadeiro

627.1Comentário: Anna escreve para você: “Não existe amor neste mundo? Se não houver, a que este mundo se apega? Tenho 22 anos, quero encontrar alguém para amar. Eu quero não apenas conexões, não apenas famílias e filhos, mas que tudo esteja impregnado de amor. É possível, não é? Como você chegou a isso?”

Minha Resposta: Não acho que isso seja possível.

Isso só acontece se ela começar a se empenhar em se elevar ao próximo estágio de desenvolvimento, onde sentirá o sentido da vida ao se elevar ao nível do sentido da vida, isto é, acima dessa vida, de onde essa vida vem. Eu desejo isso a ela.

Eu entendo que isso soe muito rude, mas neste nível não encontraremos qualquer justificativa para nossos sonhos, impulsos por nós mesmos. Nenhum. Precisamos reciclar os jovens, mas eles próprios se recuperam da vida. Eles são muito mais inteligentes hoje.

Pergunta: O que eles devem aprender, o que devem fazer?

Resposta: Que não existe amor no sentido com que eles sonham.

Esse é o reflexo do amor mais elevado, que puxa a pessoa para o sentido da vida. Existe sentimento, atração, conexão e satisfação completamente diferentes. É preciso chegar lá, é eterno, perfeito.

Comentário: Tantos romances, séries de TV e outras coisas injetam em uma pessoa essa infusão desse amor.

Minha Resposta: Isso só confunde as pessoas! Todos os motivos de uma pessoa devem estar na direção espiritual, e lá ela encontrará a resposta para tudo.

E do ponto de vista biológico, você tem que encontrar um par adequado para você, constituir família, cuidar deles e dar continuidade à sua família. Como acontecia em todas as famílias tradicionais até o século XX, ou, digamos, até o século XVIII.

Ou os pais procuravam marido e mulher semelhantes, ou encontravam um casal no ambiente imediato, da mesma aldeia, do mesmo bairro, dos mesmos círculos. E havia famílias fortes porque procuravam alguém semelhante a elas.

Pergunta: Que conselho você daria a essa garota, Anna?

Resposta: Desejo que ela procure um marido que seja adequado para ela não pelo amor, mas pelas aspirações, gostos, à semelhança de seus pais. Ela precisa conhecer a mãe dele e ver se é como ela. Quer dizer, essa Anna se parece com a mãe do rapaz? E se ela for parecida, isso já é garantia de uma família forte. Um homem deve ver sua esposa como parte de sua mãe.

Pergunta: Ela está nele?

Resposta: Não importa o que ela vê nele. O principal é que quando ele vir nela uma parte de sua mãe, ele já a tratará com cautela, com amor, com medo, como uma criança com a mãe.

Pergunta: Então isso pode ser chamado de amor?

Resposta: Claro. O que é o amor senão apegos e hábitos? Como dizia o meu professor: “O amor é um bicho que precisa ser alimentado muito com concessões. E quando cresce, pode ser chamado de amor”.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 22/02/21

Veja O Universo Em Sua Totalidade

294.3Pergunta: Qual é, de acordo com a Cabalá, o objetivo que pode selar um casamento entre um homem e uma mulher?

Resposta: A harmonia universal, que pode ser alcançada se você souber lidar com sua natureza e com o mundo que nos rodeia. Não estamos apenas em desacordo um com o outro, mas também com ela. Dada a perturbação do meio ambiente e tudo o que está acontecendo ao nosso redor, estamos caminhando para a destruição.

Precisamos aprender com a natureza a interconexão correta, a chamada homeostase, quando tudo está equilibrado; todas as partes da natureza estão harmoniosamente conectadas entre si, e nós somos sua parte integral.

E nós, ao contrário, nos separamos da natureza, nos colocamos acima dela dizendo que podemos fazer o que quisermos. Como resultado, destruímos a nós mesmos e nosso meio ambiente. Somos como um tumor cancerígeno devorando tudo ao nosso redor e a nós mesmos.

Pergunta: Todos esses fenômenos: indisposição para casar, barriga de aluguel, venda de células-tronco de um bebê por nascer, são o resultado do desenvolvimento de nosso egoísmo desenfreado?

Resposta: Sim. E não só isso. Precisamos nos reconstruir completamente. Mas isso só é possível quando toda a natureza é revelada ao homem. Hoje vemos apenas um pequeno fragmento de nosso mundo.

Não vemos de onde viemos e para onde vamos, não vemos a natureza geral, não sabemos de onde vêm os acontecimentos, o que acontecerá em um minuto. Não vejo as forças que me controlam. Eu vejo que a humanidade está evoluindo. Mas como?

Sem pensar; não está claro como. Portanto, eu preciso descobrir o que a natureza exige de mim. Quando eu perceber toda a perspectiva, quando começar a entender todas essas forças, todo o programa, pensarei razoavelmente.

Portanto, a Cabalá é chamada de “ciência secreta” porque revela a parte oculta do mundo para nós. Assim que começarmos a ver isso, faremos a coisa certa. O principal é ver.

De KabTV, “Close-up”, 11/08/09

O Destino Das Mulheres

962.7Pergunta: É importante para a mulher ter algo próprio. E um homem não tolera mais nenhuma estrutura. Por quê?

Resposta: Uma mulher também vai além de seus limites. Antes, o principal para ela era a casa, a família, os filhos e um marido. Ela nem precisava sair de casa.

Pergunta: É possível que o ambiente a forçou a fazer isso?

Resposta: Não, ninguém a forçou a fazer nada. Isso é realmente verdade. Se uma mulher tem filhos e tudo é normal na família, então esta é a existência certa para ela.

Hoje, ela não recebe nenhuma satisfação de seus filhos, marido ou família. Uma pessoa ainda precisa existir para algo, deve receber prazer. Portanto, a mulher, não se sentindo realizada, sai para o mundo exterior, eu diria, por desespero, por não obter satisfação na família.

Comentário: Estudos dizem que mulheres casadas têm uma psique muito instável. Elas são obrigadas a consultar constantemente um psicólogo.

Minha Resposta: Isso é terrível. Uma mulher é criada para uma família e filhos. Sempre foi assim, especialmente na comunidade judaica, onde cuidavam para que nenhuma jovem ficasse sem noivo, de modo que o casal sempre tivesse pelo menos algum salário digno. Isso é realmente ordenado a nós.

O dever da sociedade não é deixar a mulher sozinha, mas criar para ela o ambiente para o qual ela foi criada pela natureza. Portanto, uma função social muito importante era o casamento, a tutela e o cuidado com os jovens casais. A sociedade não deixava isso apenas nos ombros dos pais.

Matchmaking (Casamenteiro) não é apenas uma profissão interessante, mas uma solução para uma ampla gama de problemas sociais. Esta instituição assistencial existe desde a antiguidade, já tem milhares de anos. Baseia-se em motivos muito sérios – não deixar uma única pessoa sem que ela faça parte de sua família devidamente constituída, dentro da qual deveria existir.

De KabTV, “Closeup”, 11/08/09

“Como As Altas Taxas De Divórcio Dos EUA Podem Ser Reduzidas?” (Quora)

Dr. Michael LaitmanMichael Laitman, no Quora: Como As Altas Taxas De Divórcio Nos EUA Podem Ser Reduzidas?

Para reduzir a taxa de divórcio e garantir que os casais superem qualquer discussão, conflito e crise, precisamos revisar a maneira como somos educados e influenciados.

À medida que crescemos, precisamos aprender o que significa viver como membros de uma família feliz, como administrar nossa vida familiar de maneira ideal e como superar qualquer tipo de conflito que possa surgir.

O princípio-chave para administrar uma família com sucesso pode ser encontrado na história bíblica sobre a nossa criação: que um homem foi originalmente criado e depois dividido em dois. Como, então, dois seres separados podem se conectar como um? A resposta está na concessão mútua.

Cada parceiro deve saber que cada um pode realizar muito mais na vida se estiver positivamente conectado, e que uma vida solitária seria muito mais difícil.

Concessão envolve conceder nossos egos aos nossos cônjuges. Nossos egos são nossos desejos de se beneficiar pessoalmente às custas dos outros. Portanto, ao conceder nossos egos, passamos por correções desses egos e adquirimos uma forma positiva de amor, doação e conexão em seu lugar. Nossos egos se tornam impulsos que nos ajudam a nos conectar positivamente. Ou seja, quando reconhecemos nossos egos rejeitando a tendência de se conectar, precisamente nesses pontos podemos exercer nossas concessões e desenvolver qualidades mais elevadas de amor e doação em nossos impulsos egoístas.

Ao fazer isso, avançamos mais rápido e mais conscientemente para o propósito de nossa vida: nos tornarmos um ser humano no sentido mais amplo do termo, ou seja, onde “humano” (“Adão“) vem da frase “semelhante ao superior” (“Adameh le Elyon”) na Cabalá, ou em outras palavras, semelhança com o Criador – a qualidade de amor, doação e conexão que preenche toda a realidade fora de nós. Ao adquirir essa qualidade, entramos no estado de eternidade e perfeição.

Portanto, para que o casamento funcione, devemos aplicar um objetivo maior ao casamento: que ele sirva como uma espécie de laboratório para exercer nossas relações de amor, doação e conexão positiva acima de todos os argumentos, conflitos e crises que superfície.

Escrito/editado por alunos do Cabalista Dr. Michael Laitman.

Como Salvar Um Casamento

294.4Pergunta:  Recentemente, assisti ao seu vídeo em que você diz que não pode se divorciar, apenas como último recurso quando há filhos envolvidos.

Então, o que posso fazer quando não há mais sentimentos um pelo outro e as crianças percebem isso? Quando há apenas brigas e aborrecimento um com o outro? Como pode ser bom para os filhos crescerem em tal ambiente? Eu não amo ele, você entende? Não me retenha.

Minha Resposta: Estou retendo você. Eu gostaria de conter você e ele. Como vocês não são mais filhos como seus filhos, precisam entender que ainda é muito melhor para vocês, para seus filhos, para sua família e para a sociedade não se divorciar, mas simplesmente parar de prestar atenção a certos sentimentos.

Pergunta: Mas como eles podem alcançar a paz, mais ou menos?

Resposta: Eles devem concordar em não incomodar um ao outro. É isso aí! O que mais há para fazer? Deixe seu relacionamento envolver um pouco de política, algum acordo e raciocínio, elevando-se acima de si mesmos. Dizer: “Não gosto de coisas nele, ele não gosta de coisas em mim” é infantil!

Pergunta: Em geral, é possível concordar sobre áreas a serem evitadas?

Resposta: Com certeza! Se já têm filhos, são pessoas claramente maduras. Se você tem filhos, não tem direito ao divórcio. Para o bem de seus filhos. Os filhos não vão perdoá-lo. Eles levarão isso consigo por toda a vida.

Pergunta: Então, se ela pensa nos filhos neste momento, e não em si mesma, no seu aborrecimento?

Resposta: Então ela não ficará aborrecida.

Pergunta: O que isso envolve? Perdão por todos os seus erros ou o quê? Como fazer concessões aqui?

Resposta: Para reduzir a vulnerabilidade um do outro, sua sensibilidade um do outro, reclamações uns contra os outros. Imagine que o outro tem direito ao seu comportamento, à sua vida. Ao mesmo tempo, você tem uma vida comum. E essa vida comum, antes de tudo, diz respeito aos seus filhos, e não a você pessoalmente. Não seja tão egoísta! Viva pelo bem dos filhos. Isso não deve ser uma fonte de dor para seus filhos.

Pergunta: Essa é a verdadeira responsabilidade?

Resposta: Sim. Claro.

Comentário: As pessoas não pensam que os filhos são afetados por isso durante toda a vida.

Minha Resposta: Não. Isso terá um grande impacto nos filhos. E os filhos também se divorciarão porque seus pais fizeram o mesmo.

Pergunta: Segue a corrente?

Resposta: Sim.

Pergunta: E isso se estende à próxima geração?

Resposta: Sim. E se eles não viram o divórcio dos pais, então, apesar do fato de que existem diferenças muito grandes entre eles e as brigas em geral, os filhos ainda preservarão suas famílias.

Pergunta: Então você também olha para outras gerações?

Resposta: Certamente. Porque “o que os pais fazem serve de exemplo para os filhos”.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 23/11/20

O Papel Espiritual Das Mulheres, Parte 7

laitman_621Que O Criador Decida Tudo

Pergunta: Como as dificuldades das mulheres terrenas afetam o desenvolvimento e a aquisição da propriedade espiritual de doação? Por exemplo, a incapacidade de começar uma família, se casar, ter filhos etc. de alguma forma interfere nisso ou ajuda?

Resposta: Se algumas condições a impedem de iniciar uma família, e você acha que isso a leva à Cabalá e não se envolve em criar filhos e servir uma família, é claro que isso acontecerá.

Acredito que, com relação a isso, não precisamos construir nenhum plano, porque não conhecemos os planos do Criador. Devemos apenas ir em frente.

Há uma oportunidade de se casar, seguir em frente e se casar. Há uma oportunidade de se envolver na Cabalá, faça-o. Quando você é casada e tem uma família, dedique-se à família. Se, além disso, houver a oportunidade de também ouvir lições, continue estudando.

Mas não é preciso decidir: “É isso aí, não vou me casar, só vou lidar com a Cabalá”. Você não pode fazer assim. Permanecendo em nosso mundo animal, devemos confiar no Criador. Que Ele decida o que devemos ser.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 08/03/20