Textos na Categoria 'Anti-semitismo'

Erros Concernentes Ao Congresso Judaico Europeu

No Jornal (russaian-bazaar): “O presidente do Congresso Judaico Europeu preocupação (EJC) Moshe Kantor expressou preocupação sobre o aumento significativo de anti-semitismo, no continente, no primeiro colóquio anual sobre a questão do respeito aos direitos fundamentais, na UE, onde falou em nome dos judeus europeus.

“” O problema dos refugiados tornou-se um sério teste para a Europa. Mas a Europa não passa um dia sem um teste ainda mais grave – disse Kantor. – No início deste ano, o primeiro-ministro francês, Manuel Valls, disse, após a violência anti-semita sangrenta no supermercado “Hiper Kasher”, em Paris, que “se 100.000 judeus deixarem a França, a França não será mais a France. Isto significaria o colapso da República Francesa.

“” Eu iria ainda mais longe e diria que, se centenas de milhares de judeus deixarem a União Européia, como é cada vez mais provável, isso significaria o colapso da União Européia. Ao longo dos últimos anos, dezenas de milhares de judeus deixaram a Europa em busca de um refúgio seguro, mas hoje um terço dos cerca de 2,5 milhões de judeus na Europa pensa sobre a emigração. …””

‘”Meu comentário: Dr. Kantor não deve preocupar-se com o futuro da Europa. Mas, se o Congresso Judaico Europeu percebesse as verdadeiras razões para o crescente e global anti-semitismo, isto poderia mudar a identidade judaica e, assim, mudar o mundo inteiro.

[167686]

Material Relacionado:

Anti-Semitismo Tem Provocado Emigração Da UE

A Situação na Europa É Uma Reminiscência Dos Dias De Hitler

O Plano Secreto Do Povo Judeu

Como Podemos Mudar A Situação Em Israel: Guerra de Guerrilha

Comentário: Ao longo da história do povo judeu, tem havido contínuas guerras, ataques terroristas, etc.. Esses eventos não se complementam e acumulam, mas estão constantemente em movimento em diferentes direções. A operação Margem de Proteção não terminou há muito tempo e, de repente, somos confrontados com ataques terroristas individuais, o que é um problema muito mais grave. Você não sabe para onde correr, porque eles vêm inesperadamente.

Resposta: Estamos enfrentando o que é muitas vezes chamado a guerra de guerrilha, que é muito pior do que a guerra normal, porque você é mais fraco contra ela. Você não pode lutar contra ela com um exército regular e os policiais também são impotentes. Embora eles tentem estar em toda parte, é impossível prever onde um indivíduo terrorista vai aparecer com uma faca, um martelo, um machado, ou pedras no bolso.

O principal objetivo dos terroristas é espalhar o medo e, portanto, afirmar o poder sobre nós. Esta é uma ideologia claramente verificada que inclui uma preparação cuidadosa de jovens, que podem ser facilmente atraídos para uma armadilha ideológica e rapidamente enviados para realizar a sua missão. Ainda mais, estes não são indivíduos anarquistas individuais, mas os jovens que realizam o plano do ISIS. [Leia mais →]

A Redivisão Chegando Ao Oriente Médio

No Jornal (www.pravda.ru): “O Estado islâmico [ISIS] é uma ameaça para a Arábia Saudita. O ISIS já estabeleceu um estado dentro de certos limites. Ele diz que após a ascensão de Jerusalém haverá a queda do falcão. O falcão é Medina (cidade muçulmana).

“O ‘estado islâmico’ é aspirante a apressar a vinda do dia de julgamento. Um dos objetivos que o estado islâmico declarou é a conquista de Meca e Medina e a destruição dos ídolos, o que significa a pedra negra.

Os líderes da Arábia Saudita reconhecem a ameaça iminente. Um confronto direto com o ISIS levaria a muitos resultados negativos para os Estados sunitas no Oriente Médio. O relato de muitos canais da mídia ocidental sobre as ações da Rússia é um exemplo clássico de duplo padrão e uma guerra de propaganda.

Há um contra-ataque, não contra Assad pessoalmente, mas contra Assad como o representante iraniano xiita no Oriente Médio , porque o Irã e o Hezbollah estão construindo um cinto xiita através da Síria. Esta é uma ameaça à hegemonia da sunita Arábia Saudita na região.”

Meu comentário: Em todo o mundo está em andamento algo comum em Jerusalém. …

[168156]

Um Atraso Perigoso Na Prevenção do Mal

A Semente da Nossa Culpa

Pergunta: Está claro que nenhum país europeu é capaz de lidar com a atual crise de refugiados. Você acha que uma solução conjunta para o problema possa ser encontrada?

Resposta: Não há solução! Os europeus vão buscar uma saída, mas não vão encontrá-la. A natureza do problema e as peculiaridades da mentalidade europeia reverterá a situação contra nós e eles vão culpar Israel por seus problemas.

Nós já lidamos com esse tipo de reivindicação. Eles até nos responsabilizaram pelo tsunami no Japão, sem mencionar a tragédia das Torres Gêmeas ou a criação do Estado Islâmico. Alguns acreditam que os judeus gostariam que coisas más acontecessem no mundo e que desastres e catástrofes naturais são obra dos judeus.

Mas há uma semente de justiça em suas acusações. Claro, nós não causamos o mal, mas também não podemos impedi-lo. Há uma diferença fundamental entre as suas acusações tradicionais e as reivindicações atuais. A diferença é que nós somos realmente capazes de prevenir dificuldades de imediato explicando a sabedoria da Cabalá a todo mundo, mas nós já estamos ficando para trás nesse trabalho.

Em essência, a Cabalá é a ciência da unidade. Com sua ajuda, a humanidade se unirá. Quando se unir, ela se livrará de todos os problemas. Assim, suas reivindicações realmente contêm a semente da nossa culpa. Acontece que suas alegações sobre a nossa culpa contêm uma semente de verdade.

[Leia mais →]

Como Um Feixe de Juncos – Vivendo Em Um Mundo Integrado, Parte 2

Como um Feixe de Juncos, Por que Unidade e Garantia Mútua São Hoje “Chamados da Hora”, Michael Laitman, Ph.D.

Capítulo 10: Vivendo em um Mundo Integrado

Um Mundo integrado Requer Educação Integral

A Maneira “Ponto no Coração”

Para alguns de nós, a maneira de encontrar a unidade é relativamente simples. Já mencionamos o “ponto no coração”, que têm sede de entender o que é a vida, o que faz o mundo girar, o anseio que permitiu Adão, Abraão, Isaque, Jacó, Moisés, e toda a nação que surgiu a partir dos párias da Babilônia para desenvolver um método de correção, que transforma a inclinação para o mal em bem. Aqueles que têm aquele ponto podem começar a estudar os textos que cabalistas deixaram para nós como um meio para alcançar o Criador, a qualidade de doação. Ao longo do caminho eles aprenderão a unirem-se em um nível profundo e estarão prontos para passar esta unidade para os outros.

Na nossa geração, os textos mais instrumentais para alcançar esses propósitos são O Livro do Zohar de Baal HaSulam, com a Sulam (Escada) comentário, os escritos do ARI, de preferência, com comentários de Baal HaSulam, publicados em seu Talmud Esser HaSephirot (O Estudo das Dez Sephirot),bem como outros escritos do Baal HaSulam, publicados nos escritos de Baal HaSulam. Para fazer estes, e outros textos mais acessíveis, nós estabelecemos uma biblioteca on-line de textos cabalísticos autênticos, gratuita, traduzidos em dezenas de idiomas.

No hebraico original, eles podem ser encontrados em www.kab.co.il, e traduções de muito dos textos – incluindo até mesmo uma versão de O Livro do Zohar, intitulado, Zohar Para Todos, que consolida o texto do Rabi Shimon Bar Yochai (Rashbi), com o comentário de Baal HaSulam – existe em Inglês, no www.kabbalah.info , sem nenhum custo ou condições prévias que seja.

Também disponível nos endereços web acima mencionados estão os escritos de meu professor, Rav Baruch Shalom Ashlag (o Rabash), filho primogênito de Baal HaSulam, e sucessor. Embora poucos de seus escritos foram traduzidos para o Inglês, todos os seus ensaios, que ensinam aos alunos como promover a unidade em grupos de estudantes, foram publicados em Inglês, no livro, os escritos Sociais do Rabash. Para aqueles que preferem cópias impressas dos textos, todas as publicações acima existem em impressão, e podem ser adquiridos em www.kabbalahbooks.info ou em amazon.com e outras lojas on-line.

Além disso, os alunos veteranos criaram um Centro de Educação, que ensina os conceitos básicos da Cabala, e como implementá-los para que se torne parte de sua vida diária, complementando o seu crescimento pessoal para a obtenção de seus objetivos na vida. Para estudantes mais avançados, eu ministro uma aula de três horas diárias, transmitida ao vivo pela www.kab.tv, com traduções simultâneas em todos os principais idiomas, inglês, espanhol, francês, russo, alemão, e outros. Nestas aulas, eu me esforço para fazer com que os alunos avancem, tão rapidamente e tão facilmente quanto possível, ao aderir aos modos de ensino que recebi de meu venerado professor, o Rabash.

No último par de anos, também foram debatidas mostra em canais de TV dos EUA como JLTV e Shalom TV, principalmente nos fins de semana. Naturalmente, esses shows não são “completos” estudos de Cabala, mas são, certamente, uma grande referência para qualquer pessoa que deseje “molhar seus pés” e ver com o que todos estes estudos estão relacionados.

 

Como Um Feixe De Juncos- Juntos Para Sempre, Parte 2

Como um Feixe de Juncos, Por que Unidade e Garantia Mútua são Urgentes Hoje,Michael Laitman, Ph.D.

Capítulo 8: Juntos Para Sempre
Unidade, Unidade e Unidade Novamente

Unidade – O Coração e a Alma de Israel

Embora Beit Shamai e Beit Hillel tenham sido controvertidos, trataram um ao outro com carinho e amizade, para manter o que foi dito (Zacarias 8), “A verdade do amor e paz”.

Talmude Babilônico, Yevamot, capítulo 1, p 14b.

Em Israel está o segredo para a unidade do mundo. É por isso que eles são chamados de “homens”.

Rav Avraham Yitzhak HaCohen Kook (o Raiah), Orot HaKodesh [Luzes da Santidade], Vol. 2, p 415

Estabeleceu-se no Monte Sinai que os filhos de Israel tornaram-se uma nação. É por isso que está escrito: “Eu”, no singular, porque pela extensão da unidade entre eles, Sua Divindade está presente sobre os filhos de Israel.

Yehuda Leib Arie Altar (ADMOR de Gur), Sefat Emet [Língua de Verdade], Vayikra [Levítico], Parashat Bahar [Porção, No Monte], TARLAV (1893).

 

Sabe-se que da perspectiva da mente, cada pessoa é um indivíduo… mas da perspectiva do coração, há unidade em Israel.

Rabino Shmuel Bornstein, Shem MiShmuel [Um Nome Derivado de Samuel], Shemot [Exodus], TAR’AH (1915)

 

Quando Israel entrou na terra, eles eram totalmente uma nação. A prova disso é que, enquanto Israel não atravessou o Jordão e não chegou a terra, eles não foram punidos… até que eles cruzaram e tornaram-se responsáveis um pelo outro.

Assim, Israel não se tornou responsável um pelo outro, porque este é chamado Arev [fiador / responsável] quando está Meorav [mista / misturava] com o outro, e Israel não se tornou conectado, em ser inteiramente uma nação, até que eles chegassem a terra e estivessem juntos na terra, e tivessem um lugar, a terra de Israel. E através da terra de Israel, eles são completamente uma nação.

Judah Loewe ben Bezalel (o Maharal de Praga), Caminhos Eternos, “Caminho da Justiça”, Capítulo 6.

Porque as 600.000 almas de Israel são todas conectadas umas às outras, como uma corda tecida, unidas como uma só, sem separação, caso você abale o início da firme corda, vai abalar ela toda. Portanto, caso um homem peque, a ira será em cima de toda a congregação. A razão é que todos de Israel são responsáveis ​​uns pelos outros.

Aquele que macula, mancha todas as almas de Israel, até que ele volte para consertar o que tinha corrompido em sua alma. … Isso significa que, uma vez que as partes relacionam-se entre si, não serão separadas.

Rabino Eliyahu Di Vidash, Princípio da Sabedoria, “Portão do Medo”, Capítulo 14.

A alma ascende e torna-se completa, principalmente quando todas as almas se misturam e se tornam uma, para, em seguida, elas ascendem em direção à santidade, pois a santidade é “unidade” … Portanto, em primeiro lugar, deve-se tomar sobre si o mandamento: “Ame o seu próximo como a si mesmo”, como o nosso Rav escreveu que é impossível proferir palavras de oração, a menos que pela paz, quando se conecta com todas as almas de Israel.

Rabino Nathan Sternhertz, Likutey Halachot [Regras Variadas],”Regras da Sinagoga,” Regra n° 1.

 

Embora os corpos de toda a Israel estejam divididos, suas almas são uma única unidade na raiz. … É por isso que se ordena Israel a unir-se pelos corações, como está escrito: “E Israel acampou lá”, no singular [em hebraico], o que significa que eles estavam correspondendo abaixo, o que significa que eles tinham a unidade.

Rabino David Solomon Eibenschutz , Salgueiros de Ribeiras, Nassoh [Tome]

 

À Israel não foi dada a Torá [Lei de Doação] antes que eles tivessem adquirido unidade completa, como se escreveu sobre o verso (Êxodo 19: 2) “E Israel acampou em frente ao monte”. Moisés também não receberia nada, como nossos sábios disseram, (Brachot [bênçãos], 32a) que o Criador disse a Moisés à respeito do bezerro, “Desce da sua grandeza, porque eu lhe dei grandeza apenas por Israel”.

Rabbi Moshe Alsheich, a Lei de Moisés, a respeito de Deuteronômio,33: 4-5.

Quando Israel tiver unidade, não haverá fim a sua realização.

Rabino Elimelech Weisblum de Lizhensk, Noam Elimelech [A Afabilidade de Elimelech], Pinechás.

“Jerusalém que  está construída como uma cidade que se uniu” (Salmos 122: 3). – a cidade que faz com que todos sejam amigos em Israel.

Jerusalem Talmud, Hagigah, capítulo 3, Regra 6

Vocês, os amigos que estão aqui, como estavam em carinho e amor, anteriormente, de agora em diante não partirão um do outro, até que o Senhor alegre-se com vocês e declare paz sobre vocês. E pelo seu mérito, haverá paz no mundo, como está escrito: “Por causa dos meus irmãos e amigos eu vou falar, “Que a paz esteja em vocês”.

Rav Yehuda Ashlag (Baal HaSulam), O Livro do Zohar com o comentário de Sulam, Aharei Mot [Depois da Morte], item 66

 

Como Um Feixe De Juncos – Dispensáveis, Parte 4

Como um Feixe de Juncos, Por que Unidade e Garantia Mútua são Urgentes Hoje, Michael Laitman, Ph.D.

Capítulo 6: Dispensáveis

Antissemitismo Contemporâneo

Em Desuso

Para demonstrar como dispensável o mundo pode pensar que somos, considere os seguintes fatos: em 1938, Adolf Hitler estava disposto a enviar judeus alemães e austríacos para fora a quem pudesse tê-los. Ninguém respondeu. Hitler declarou que ele poderia “apenas desejar e esperar que o outro mundo, que tem tanta simpatia profunda por esses criminosos [os judeus], ​​será, pelo menos, generoso o suficiente para converter essa simpatia em ajuda prática. Nós [a Alemanha nazista], de nossa parte, estamos prontos para colocar todos esses criminosos à disposição desses países, por tudo que me importa, mesmo em navios de luxo”. [I]

E, no entanto, as nações se recusaram, por unanimidade, em ficar com os judeus . Em julho de 1938, representantes da maioria dos países do mundo livre se reuniram em Évian-les-Bains, uma cidade turística na costa sul da intocada “Lago de Genebra”, na França. Seu objetivo era discutir e encontrar soluções para o “problema judeu”, ou seja, os judeus que queriam fugir da Alemanha e da Áustria, antes que fosse tarde demais. Os judeus alemães e austríacos estavam muito esperançoso sobre a conferência. Eles acreditavam que os países participantes genuinamente procurariam ajudá-los e oferecer-lhes um porto seguro. Eles foram amargamente desiludidos.

Enquanto os delegados da conferência expressaram empatia com o sofrimento dos judeus sob o regime nazista, eles não firmaram qualquer compromisso e não ofereceram soluções. Em vez disso, retrataram a conferência como um mero princípio, que nunca foi continuado. Diplomaticamente, os delegados afirmaram que, “A emigração involuntária de pessoas, em grande número, tornou-se tão grande, que tornam os problemas raciais e religiosos mais agudos, aumentam a agitação internacional e podem prejudicar seriamente os processos de pacificação nas relações internacionais”. [ii]

No entanto, desde a conferência, convocada pelo presidente dos EUA, Franklin D. Roosevelt, montada sob a condição de que “nenhum país seria forçado a alterar as suas quotas de imigração, mas, ao invés, poderia ser convidado a fazer mudanças voluntárias “. [iii] Para surpresa de ninguém, as resoluções da conferência ofereceram aos judeus desesperados, da Alemanha e da Áustria, muito pouca esperança.

De acordo com a Yad Vashem, do Centro Mundial de Pesquisa do Holocausto, Documentação, Educação e Comemoração, memorial oficial de Israel às vítimas judias do Holocausto, “Como a conferência procedeu , delegado após delegado desculpando seu país de aceitar refugiados adicionais. O delegado dos Estados Unidos, Myron C. Taylor, afirmou que a contribuição do seu país era fazer a cota de imigração alemã e austríaca, que até o momento tinha se mantido não preenchida, totalmente disponível. O delegado britânico declarou que os seus territórios ultramarinos eram em grande parte inadequados para assentamento europeu, com exceção de partes da África Oriental, o que pôde oferecer possibilidades de números limitados. A própria Grã-Bretanha, sendo totalmente preenchida e sofrendo desemprego, também não estava disponível para a imigração; e ele excluiu a Palestina da discussão Evian, inteiramente. O delegado francês declarou que a França tinha alcançado “o ponto extremo de saturação no que respeita à admissão de refugiados”. Os outros países europeus ecoaram esse sentimento, com pequenas variações. A Austrália não poderia incentivar a imigração de refugiados, porque, “como não temos nenhum problema racial real, nós não estamos desejosos de importar um”. Os delegados de Nova Zelândia, Canadá, e as nações latino-americanas citaram a depressão como a razão pela qual eles não podiam aceitar refugiados. Apenas a pequena República Dominicana ofereceu para contribuir grandes áreas, mas não especificadas, para a colonização agrícola”. [iv]

Poucos meses após a conferência, as portas tinham fechado-se e o destino dos judeus da Europa foi selado.

[I] Ronnie S. Landau, O Holocausto Nazista: Sua História e Significado (US, Ivan R. Dee, 1994), 137.

[ii] “Decisões Tomadas Na Conferência de Evian Sobre Os Refugiados Judeus” (14 de julho de 1938), Biblioteca Judaica, url: HTTP://www.jewishvirtuallibrary.org/jsource/Holocaust/evian.html

[iii] Yad Vashem, Shoah Resource Center, “Conferência de Evian,” url: http://www1.yadvashem.org/odot_pdf/Microsoft%20Word%20-% 206305.pdf

[iv] Yad Vashem, “Recursos Relacionados, Conferências de Evian”, url: http://www1.yadvashem.org/yv/en/exhibitions/this_month/resources/evian_conference.asp

Como Um Feixe De Juncos – Párias, Parte 1

Como um Feixe de Juncos, Por que Unidade e Garantia Mútua são Urgentes Hoje, Michael Laitman, Ph.D.

Capítulo 5: Párias

As Raízes do Antissemitismo

Ao longo da história, nunca uma nação foi mais perseguida do que os judeus. Ao longo da história, nunca uma nação sobreviveu a cada perseguição e emergiu mais forte o tempo todo.

A indestrutibilidade aparente dos judeus levantou muitas questões, ainda mais entre os não-judeus do que entre os judeus, como os judeus eram muito preocupados com a sobrevivência. Escritor alemão de renome, Johann Wolfgang von Goethe, expressou sua perplexidade sobre tenacidade dos judeus em seu livro, Wilhelm Meister Lehrjahre [Aprendizagem de Wilhelm Meister]: “Todo judeu, não importa quão insignificante, está envolvido em alguma perseguição decisiva e imediata de um objetivo … É o povo mais antigo na terra”.”[i]

Semelhante a Goethe, professor de Cambridge, TR Glover, sublinha o enigma da existência judaica no O Mundo Antigo. Nenhum povo antigo teve uma história mais estranha do que os judeus. … A história de nenhum povo antigo deve ser tão valiosa, se pudéssemos recuperá-la e compreendê-la. … Mais estranho ainda, a antiga religião dos judeus sobrevive quando todas as religiões de cada raça antiga do mundo pré-cristão desapareceu … A grande questão não é ‘O que aconteceu?’ mas “Por que isso aconteceu?”’ Por que o judaísmo vive?”[ii]

Da mesma forma, Ernest van den Haag, professor de Jurisprudência e Políticas Públicas na Universidade Fordham, escreveu: ” Em um mundo onde os judeus são apenas uma pequena porcentagem da população, qual é o segredo da desproporcional importância que os judeus tiveram na história da cultura ocidental?”[iii] [Leia mais →]

O Plano Secreto Do Povo Judeu

Pergunta: Em geral, como você vê a situação em que o povo judeu encontra-se hoje?

Resposta: Nós temos que entender o desenvolvimento atual da humanidade, entender por que somos tão odiados aos olhos do mundo, por que somos, na melhor das hipóteses, empurrados para um canto, e na pior das hipóteses, a humanidade quer nos aniquilar.

Tudo isso foi determinado pelo papel histórico do povo de Israel, e especialmente em nosso tempo, devemos ser um exemplo da unificação correta para a humanidade, tornando possível passarmos para o próximo estágio de nosso desenvolvimento.

Hoje, o beco sem saída do desenvolvimento humano foi revelado, o beco sem saída em relações familiares e em diferentes áreas. Isso existe na escala das nações individuais e também o mundo inteiro. Chegou a hora de subir para o próximo nível, mas nós ainda não entendemos isto. Neste meio tempo não há uma solução em nosso mundo, então todos estão sofrendo por não tê-la encontrado.

Perspectivas filosóficas estão entrando em colapso, os planos estão descontrolados, e tudo está chegando ao fim. No passado, a humanidade aspirava a alguma coisa, mas hoje em dia os pais não têm mais esperança de um futuro melhor para seus filhos. [Leia mais →]

As Raízes Do Antissemitismo, Parte 2

O grupo de Abraão que existia na Babilônia tornou-se uma nação, mesmo que, na verdade, não seja uma nação. Todas as outras nações foram estabelecidas como resultado de um processo histórico, porque viveram na mesma terra e se casaram entre si. Mas o grupo de Abraão só existiu na fundação de um princípio ideológico.

Além disso, muitas pessoas de outras nações se juntaram a eles mais tarde e se tornaram Cabalistas e sábios da nação de Israel. Juntaram-se ao povo judeu e estudaram o sistema que permite que a pessoa entenda e entre em harmonia dentro de si mesma, com a natureza, e desenvolva uma equivalência de forma com a natureza.

No entanto, quanto mais ela contrasta com toda a humanidade, mais o ódio para com a nação de Israel cresce. Isso não é da exclusividade de uma determinada nação, tal como foi o caso com os romanos ou gregos, mas deriva da natureza do desejo de receber, que não suporta o desejo de doar. Isto é porque a doação é oposta à recepção; estas são duas forças opostas. [Leia mais →]