Textos com a Tag 'Vida'

Um Filme Chamado “Vida”

928Pergunta: Qual é esse nível mais profundo de percepção do universo onde todos os objetos estão infinitamente interconectados?

Resposta: Nós existimos dentro de nós mesmos e assistimos a algum tipo de filme chamado “vida” dentro de nós.

Para entender isso, precisamos nos elevar acima de nossa natureza porque ela representa o egoísmo absoluto. É assim que somos construídos: opostos à natureza eterna e perfeita do mundo superior.

Portanto, sentimos apenas a nós mesmos, estamos fechados dentro de nós mesmos. Nossos olhos estão voltados para dentro, nossos ouvidos estão voltados para dentro e tudo está voltado para dentro. E o fato de eu estar falando agora, vivendo neste mundo, tendo esposa, filhos, netos, tudo isso, incluindo nossa história, geografia, o universo, é percebido por mim neste sonho.

O que significa “em um sonho”? Que este filme está passando dentro de mim. É esse filme que eu percebo e participo.

E não vejo nada fora de mim. Eu não posso “puxar” meu olho e ver o que está acontecendo lá fora porque eu sinto isso em mim. Como se houvesse uma tela na parte de trás do nosso cérebro e nela eu visse o que supostamente existe fora de mim. Mas na verdade está tudo dentro de mim.

De KabTV, “Close-Up. Holograma”, 28/07/11

Quando Não Há Objetivo Na Vida

198Pergunta: Uma pessoa é um vaso que é trazido à vida por uma fonte de algum tipo de energia. Por que os jovens precisam de um impulso com bebidas energéticas hoje? Eles parecem sentir uma completa falta de vitalidade. Por que as pessoas não têm o espírito da vida em uma idade jovem?

Resposta: É devido ao fato de que eles não têm nada a que aspirar. Não se trata da energia da vida. Obtemos energia do propósito.

Quando vejo um grande, enorme e valioso objetivo diante de mim, recebo energia, começo a disparar como um touro cujos olhos estão se enchendo de sangue. Estou correndo para esse objetivo, mas apenas se estiver diante de mim, como um pano vermelho diante de um touro. No entanto, se não estiver lá, a pessoa simplesmente desaparece.

Nossa geração tem um egoísmo muito grande, para o qual tudo está disponível neste mundo. As pessoas podem voar, dirigir e se comunicar pela Internet com qualquer canto do globo. Elas olham para tudo isso e sentem que não ficarão satisfeitas. Não há razão para fazer nenhum movimento, é melhor ir e usar drogas, desconectar-se da desesperança e do vazio. Portanto, drogas e antidepressivos são a única coisa que resta para uma pessoa.

A Cabalá, no entanto, diz que além do nível que parece sem sentido, vazio e sem valor para você e que você vê nossa pequena Terra redonda e tudo nela como limitado, e que qualquer dia tudo isso pode acabar, existe um mundo completamente diferente, uma nova dimensão superior. É aqui que temos que chegar. Podemos fazer isso agora, hoje.

Além disso, o desenvolvimento da Internet nos ajuda a sentir que estamos em comunicação uns com os outros, e essa comunicação pode nos levar ao próximo nível. Aqui chegamos a possibilidades incríveis.

De KabTV, “Close-Up. O Criador Existe?”, 09/05/11

Em Que A Vida É Desperdiçada?!

49.01Pergunta: As pessoas, sem exceção, estão ocupadas com dietas e todos os tipos de valores alimentares. Agora, existem muitos fóruns que gostam de alimentos orgânicos e os promovem. Por que chegamos a este estado?

Resposta: Serve-nos bem! Devemos aprender com nossos erros para retornar às condições normais de vida. Enquanto isso, vemos o que está acontecendo. Este é o método de Beito, com a vara até a felicidade, já que não queremos avançar corretamente.

Não queremos nos engajar na agricultura normal. Cinquenta por cento dos alimentos produzidos são jogados fora e cinquenta por cento da população mundial está desnutrida. Somos algum tipo de criaturas irracionais.

Se você olhar para a nossa Terra de fora, a humanidade chegou à insanidade absoluta ao longo de seus muitos milhares de anos de desenvolvimento e, é claro, parece simplesmente horrível. As pessoas estão engajadas em explorar a si mesmas, tornando-se escravas de si mesmas.

Embora estejam insatisfeitas com tudo, elas continuam a se agarrar ferozmente à sua existência mesquinha, apenas para irritar-se mutuamente, para se exibir na frente uma da outra, para não serem piores que os outros, para satisfazer suas aspirações básicas de fama, nobreza e falsa superioridade.

Com o que a vida é desperdiçada?! A vida em si também não vale nada! E que fim!

Como resultado, há um acúmulo de sofrimento, que deve se manifestar posteriormente. Eles acumulam, acumulam e depois partem. Este é um processo de acumulação de acordo com a regra do sistema da natureza, que “engole e depois regurgita”.

Nosso egoísmo engole tudo em si mesmo: nossos esforços, nosso desamparo, nossos problemas insolúveis e não resolvidos, e entrega tudo, como se os arrotasse. Então vemos que chegamos a um beco sem saída, chegamos ao fundo e somos obrigados a fazer alguma coisa. É assim que nos desenvolvemos.

De KabTV, “Eu Recebi uma Chamada. Alimentos Orgânicos”, 21/10/09

Precisamos Jogar A Vida

962.4Comentário: Cientistas do Brasil, Espanha e Reino Unido observaram um grupo de bugios nas florestas do México e Costa Rica. Estes são macacos que levam um estilo de vida de baixa atividade, e o principal para eles é não se mover. São herbívoros, alimentam-se de folhas. No entanto, eles jogam ativamente.

Os cientistas pensaram: “Por que eles desperdiçariam energia e jogariam (brincariam)?” Eles realizaram experimentos e descobriram que os macacos fazem isso para reduzir a tensão e evitar disputas e conflitos. Eles os evitam com a ajuda de um jogo.

Minha Resposta: Isso é o que precisamos aprender.

Pergunta: Ou seja, eles estão em tal nível: agora vamos entrar em conflito, depois vamos nos odiar – não, é melhor jogarmos. Você acha que este é o caso?

Resposta: É assim. É muito legal e interessante! Muitos animais têm esse jogo.

Veja o quanto eles nadam, fazem alguma coisa, jogam todos os tipos de jogos – bastante sérios, perigosos e arriscados – mesmo na velhice. E tudo isso para substituir seus conflitos por ela.

Pergunta: O que é isso, se extrapolarmos isso para a humanidade? O que a humanidade deve decidir neste caso? Que jogo devemos jogar?

Resposta: O que você quiser. Desde que seja um jogo que substitua todos os conflitos reais.

Pergunta: E ainda, em que tipo de jogo você guiaria a humanidade?

Resposta: Eu faria para que a humanidade jogasse que trabalha, ganha, constrói e compete. Em geral, toda a nossa vida é apenas para que finalmente a vejamos como um jogo.

Comentário: Ou seja, eu vou trabalhar, me comunico com todo mundo.

Minha Resposta: Eu compito em tudo, verifico o que meu vizinho tem, o que eu tenho e assim por diante. Mas é um jogo.

Pergunta: O que isso nos dá?

Resposta: Para que depois eu possa resetar a conta, zerar, e como se fosse recomeçar.

Pergunta: Isso nos impediria de discussões sérias?

Resposta: Sim. Jogaríamos nossa vida. “O que é a nossa vida? Um jogo”. Assim, devemos fazer disso um jogo.

Comentário: Foi-nos dito: “Você está jogando a vida! Você deveria viver de verdade.” Agora acontece que tudo está ao contrário, temos que jogar a vida. Então eu apenas jogo todas essas brigas e discussões.

Minha Resposta: Claro. Nós as perceberíamos de maneira diferente, sentiríamos tudo de maneira diferente, construiríamos esse jogo de maneira diferente.

Pergunta: O que queremos alcançar neste jogo? Isso é algo que devemos ter em mente?

Resposta: Sim. Não o resultado do jogo em si, mas a que chegamos como resultado: ao fato de que há uma compreensão do significado da interação entre nós.

Pergunta: Qual é?

Resposta: A revelação das forças da natureza que nos torcem assim e nos levam a este jogo.

Pergunta: E se eu revelar que realmente estou dentro da lei da natureza?

Resposta: Você verá como a natureza brinca com você e realmente dirá que nossa vida é um jogo.

Pergunta: Se eu vir que estou realmente dentro do sistema – como dizem, a matriz – e tudo o que está acontecendo comigo é o que essa matriz quer, o que ela me dará?

Resposta: Ela lhe dará a oportunidade de entender o que é esse mecanismo do qual você participa e o que você pode fazer para descobrir e entendê-lo. Afinal, ele existe por algum motivo. É para alguma mente superior ou para você?

Pergunta: E o mais importante é que meus pensamentos sejam direcionados para isso?

Resposta: Sim.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 21/03/22

É Necessário Experimentar O Risco De Perder A Vida?

963.6É somente arriscando a vida que se obtém a liberdade; . . . o indivíduo que não arriscou sua vida pode, sem dúvida, ser reconhecido como pessoa; mas ele não alcançou a verdade desse reconhecimento como uma autoconsciência independente (Georg Wilhelm Friedrich Hegel).

Pergunta: Hegel está certo de que se uma pessoa não arriscou sua vida na guerra, por exemplo, ela não tem uma autoconsciência normal; ela não é avançada pela evolução? É necessário sentir o risco de perder a vida para chegar ao autoconhecimento?

Resposta: O risco de perda de vida deve ser sentido. Mas em nome de quê? O que queremos dizer com vida, entendendo a perda da vida? Tudo isso precisa ser bem compreendido. Caso contrário, estas são belas palavras vazias.

O medo animal de perder a vida, em princípio, não dá nada. Todos os animais têm. E aqui, significa algo que nos eleva mais alto.

Pergunta: O que significa para um Cabalista “perder a vida”?

Resposta: Perder a vida significa perder a conexão com a propriedade de doação e amor, com o Criador.

De KabTV, “Expresso de Cabalá”, 04/03/22

Ir Além Da Morte

131A questão sobre o sentido da vida é o próximo grau no desenvolvimento humano. Devemos ir além da morte, para que ela não seja um obstáculo para nós, e começar a perceber o mundo mais alto, maior, mais amplo e além de nossos órgãos sensoriais materiais.

Pergunta: Somente um Cabalista possui este conhecimento?

Resposta: Não. A Cabalá é simplesmente uma técnica para expandir nossos sentidos além do que o corpo sente. Então começamos a falar sobre o que alcançamos, sobre o limite que removemos de nós mesmos.

Neste momento, esse limite é limitado pela existência do meu corpo. Se eu começar a mover ainda mais esse limite, eu incluo em minha gama de sentimentos uma existência adicional, um mundo adicional. Eu o exploro, vivo nele, comunico, trato-o da mesma forma que trato o nosso mundo.

Então a questão do sentido da vida desaparece de mim. Eu começo a entender que está em sua perpétua continuação além dos limites da existência atual neste pequeno volume.

De KabTV, “Close-Up. Frankl Está Certo?”, 08/08/10

A Vida Não É Um Conjunto Aleatório De Eventos

760.2Pergunta: O que está acontecendo no mundo pode ser chamado de teatro do absurdo. Mas a humanidade não compreende a ideia do produtor principal. O que é ele de acordo com a Cabalá?

Resposta: O produtor principal é, de fato, a natureza que nos controla.

Ao estudar a natureza, especialmente a cibernética, a biocibernética, os sistemas globais e a geosfera da Terra, vemos que tudo está interligado e está em algum tipo de plano de desenvolvimento.

Além disso, esse plano diretor é dividido em subpartes, que, por sua vez, são coordenadas entre si. Nada acontece em vão, tudo é predeterminado.

Mesmo que não conheçamos esse plano, ele ainda existe. Exatamente como antes não podíamos prever o tempo com antecedência de uma semana ou um mês, mas hoje podemos. É a mesma coisa com o nosso estudo, praticamente não fazemos correções em nada, apenas revelamos que esse programa existe no mundo.

A vida não é um conjunto aleatório de eventos. Vemos isso em todas as nossas pesquisas. Portanto, surge a pergunta: “Se sim, então eu, como a coroa da natureza, certamente tenho algum propósito. A natureza não me criou em vão. Se há grande sabedoria, desenvolvimento causal e assim por diante em cada pequena partícula, em cada átomo e molécula, qual é o meu desenvolvimento causal? Que resultado é esse que eu tenho que chegar”?

Tais questões, por um lado, nos levam a um beco sem saída. Por outro lado, precisamos entendê-las; caso contrário, não há sentido em viver. Esta é a nossa geração onde as pessoas começam a sentir que é necessário revelar este plano porque sem perseguir algo e sem qualquer perspectiva a vida simplesmente esvazia e priva uma pessoa do desejo de viver.

De KabTV, “Close-Up, Teatro do Absurdo”, 18/07/10

Uma Abordagem Diferente Para A Vida

258Durante o tempo do Império Romano, os judeus viviam de acordo com princípios completamente diferentes dos romanos. Eles não tinham escravidão. Embora existisse um escravo judeu, estava escrito sobre isso: quando você consegue um escravo, é pior do que se você compra um mestre.

Afinal, se o senhor tem um travesseiro, deve dá-lo ao escravo. Um escravo é praticamente um hóspede da casa, o que é muito difícil de sustentar porque você precisa constantemente fornecer tudo a ele. Se ele for solto, ele deve sair com sua esposa e filhos. Ou seja, nunca houve escravização entre o povo judeu.

Vemos isso hoje. Há até piadas sobre o exército israelense, quando um soldado pode facilmente se voltar para um general: “Olá! Como vai você?” ou algo assim, porque a igualdade está no sangue do povo.

Além disso, a atitude em relação à mulher, sua posição e papel, tudo o que existe hoje é completamente diferente do que era antes. Para todos os povos, exceto para os judeus, foi a repressão absoluta. Uma mulher não era considerada uma pessoa.

E os judeus tinham leis muito rígidas a esse respeito. Quando você se casa com uma garota, você lhe dá um documento de casamento, no qual você se compromete a sustentá-la.

Quanto às crianças judias, não havia um único menino que não começasse a aprender o alfabeto e a aritmética a partir dos três anos de idade. Todos, sem exceção, eram extremamente alfabetizados. Estamos falando de pessoas que viveram três a quatro mil anos atrás!

Não havia nada disso em Roma. No máximo, quem queria ter sucesso ia para o esporte. Embora isso também não estivesse disponível para todos. E aqueles meninos que não eram bem construídos ou tinham defeitos físicos eram mortos sem nenhum remorso.

Portanto, em todos os artigos de importância vital, temos uma abordagem completamente diferente das duas nações para a vida em geral, a interpretação da existência e os valores da vida.

De KabTV, “Close up. Fórmula do Criador”, 18/07/10

O Que Passa De Vida Para Vida?

760.1Pergunta: Existem ciclos de almas?

Resposta: Sim, eles existem; você só precisa entender o que eles são.

Cientistas alegaram que eles descobriram onde está a alma humana e quanto ela pesa. Existem alguns entusiastas que estão sempre procurando algo assim. Eu também gostaria que as pessoas finalmente encontrassem sua alma, mas não dessa maneira, não pela pesagem ou algum tipo de exame médico.

O que é reencarnação? Para que serve? Quem está reencarnando? O que é transmitido de vida em vida através da morte? O que morre, o que permanece, o que apenas flui acima de nossas existências? Se definirmos isso, não ficaremos confusos.

A reencarnação na Cabalá é entendida como a reencarnação das almas, enquanto a humanidade a percebe como algo que passa de nossa vida para a próxima vida, ou seja, uma pessoa morre de vez em quando e depois nasce de novo e de novo.

É correto que ela nasceu de novo. Mas é a mesma pessoa? O que resta de sua vida passada? O que passa da fase da morte, que não observamos em nosso mundo, para uma nova existência, que novamente observamos em nossa vida? Isso precisa ser determinado.

Existe uma coleção especial de informações, o que é chamado de Reshimo, da palavra “Roshem” (registro), que realmente passa de vida em vida. Portanto, em cada geração nos desenvolvemos e nos tornamos mais egoístas, inteligentes e hábeis. Este é o nosso desenvolvimento, ao contrário dos animais.

Os animais se desenvolvem muito mais lentamente e as pessoas se desenvolvem constantemente, literalmente ao longo de suas vidas. Um animal atinge o pico de seu desenvolvimento em poucas semanas após o nascimento, no máximo em vários meses. Depois disso, ele vive se desenvolvendo apenas fisicamente, de forma animal.

Uma pessoa também se desenvolve de maneira animal, isto é, cresce em massa e, ao mesmo tempo, cresce em intelecto, em mente, em acumular informações, em dominar a comunicação com este mundo. Portanto, em comparação com os animais, temos uma enorme quantidade de informações adicionais que passam de geração em geração.

Vemos como a próxima geração nasce com algumas habilidades que não temos porque pega seus dados de informação da geração anterior, da reencarnação anterior e os transfere para a próxima.

Uma vez que uma pessoa rompe com o passado e reencarna no próximo nível de vida, mesmo no mesmo nível egoísta terreno sem nenhum apêndice espiritual, ela já se comporta de maneira diferente, trata o mundo de maneira diferente e percebe esse mundo de uma maneira completamente diferente.

Veja como nossos filhos, e mais ainda os netos, percebem os computadores, os celulares, todas essas novidades. É totalmente natural para eles! Eles já nascem com essa informação. Mas esta não é a alma.

É aqui que não diferimos muito de uma pessoa comum que não se envolvida propositalmente na Cabalá, o desenvolvimento da alma. Ela simplesmente não tem. Ela tem os chamados genes informativos que a acompanham ao longo de sua vida, se desenvolvem e passam de vida em vida.

Sua força vital novamente excita o corpo, ela nasce em uma nova casca, e nela continua a desenvolver seus dados informativos (mente e sentimentos que definimos como egoísmo) até que em uma das reencarnações materiais seu egoísmo se desenvolve a ponto em que ela começa a perguntar: “Para que estou vivendo?”

Ou seja, ela já está perguntando não apenas no âmbito deste mundo: “Por que existo? Como posso viver melhor?”, mas mais alto: “Para que estou vivendo?” Ela parece querer se levantar e olhar toda a metamorfose que está acontecendo com ela de cima a baixo, como se fosse de fora.

Então surge a necessidade do desenvolvimento da alma. Tal pessoa vem para a ciência da Cabalá; ela não tem outro lugar para desenvolver sua alma. Ela começa a desenvolvê-la a partir desse gene informativo inicial que pergunta sobre o sentido da vida, não mais o sentido da existência dentro desta vida, mas acima dela para realmente compreender seu sentido.

Uma pessoa não para mais em nenhum método meditativo calmante, mas quer revelar direta e sensatamente o mundo superior em si mesma.

De KabTV, “Close-Up. Reencarnação”, 03/05/10

Entenda O Que É Viver

538Pergunta: Quando uma pergunta sobre o sentido da vida é revelada em uma pessoa, é importante como ela a utiliza? É importante entender que este é qualitativamente um novo desejo que me dá a oportunidade de subir para outro nível?

Resposta: Sim, mas apenas se você tiver uma solução para a pergunta: “O que vem depois desta vida?” Além disso, deve ser realidade e não o que eles prometem, por exemplo, “Se você matar cinquenta pessoas, você irá imediatamente para o céu com cem houris (virgens)”.

Sem acreditar na palavra de ninguém, você pode realmente descobrir por si mesmo o próximo curso de nossa existência além do nosso corpo, você pode sair dele agora e começar a compreender a verdadeira realidade. Você ainda vive nesta vida, e imediatamente seu próximo nível passa por cima aqui; você continua e vê que é interminável e perfeito. Então vale a pena viver e caso contrário não vale.

Hoje não queremos ter filhos. Para quê? Por quê? Quando vejo como é a vida e como as pessoas sofrem, invisto em uma criança e a educo, para quê? Para que a partir dos 15 anos comece a se sentir infeliz? Ele mesmo, inconscientemente, pergunta: “Por que você me deu à luz?”

Portanto, se eu não responder à minha pergunta sobre o sentido da minha vida e de meus filhos, nossa existência terrena deve terminar ali antes que o sol se apague.

Veja o que está acontecendo com a Europa. Há dados demográficos negativos por toda parte. É difícil para nós viver? Nada difícil! As pessoas viviam em condições muito piores e davam à luz quinze filhos. Agora não há sentido mesmo em uma criança porque uma pessoa é tão vazia por dentro que sente esse vazio em sua continuação.

E aqui, na nossa geração, a Cabalá é revelada e nos dá a oportunidade de revelar uma perspectiva que mudará toda a nossa vida.

De KabTV, “Close-Up. Resumindo”, 07/04/10