Textos com a Tag 'Vida'

De Sentir O Vazio Da Vida

276.06Uma pessoa como você, que nasceu com a pergunta do sentido da nossa existência e entende que se a sua vida é temporária e então não há necessidade de viver, pensa nisso.

Comentário: Uma pessoa como você que nasceu com a pergunta do sentido da nossa existência e entende que se a sua vida é temporária e então não há necessidade de viver, pensa nisso. Mas hoje muitas pessoas ainda não fazem essa pergunta.

Minha Resposta: Então o sofrimento as forçará gradualmente e a pergunta surgirá.

Eu também não a recebi de imediato. O que você quer dizer com nasci com essa pergunta? Pareceu-me a sensação de vazio dessa vida, e que, em geral, não há nada nela.

Eu nasci em uma família muito abastada e com excelentes condições, recebi uma educação e não tive problemas no sentido corporal toda a minha vida. Eu sei como me sustentar e como conduzir os negócios.

Não tive problemas com nada, exceto com uma coisa: Por que estou fazendo tudo isso? Essa é a pergunta que sempre me incomodou. Tudo o mais eu tinha em abundância e sobrando. Você pode dizer que nasci “com uma colher de ouro”. Isso é o que se chama “Mazal” (sorte). Mas a questão do sentido da vida me incomodava o tempo todo.

Há pessoas que chegam a essa pergunta por meio do sofrimento. Elas têm tantos problemas que começam a se perguntar: “Por quê? Pelo que?

O que está acontecendo comigo? O que eu fiz errado?” A partir disso, elas revelam gradualmente o sentido da vida.

No final, todos nós iremos revelá-lo.

De KabTV, “Close-Up”

“Por Que A Vida Moderna É Mais Complexa E Estressante Do Que A Vida Primitiva? Não Inventamos A Tecnologia Para Tornar A Vida Mais Simples?” (Quora)

Dr. Michael LaitmanMichael Laitman, no Quora: Por Que A Vida Moderna É Mais Complexa E Estressante Do Que A Vida Primitiva? Não Inventamos A Tecnologia Para Tornar A Vida Mais Simples?

O egoísmo, que se desenvolve em nós constante e incessantemente, forma um desejo crescente em nós de preenchê-lo. No entanto, ao desejar preenchê-lo, em essência descobrimos que somos incapazes de fazer isso. Todos sabem que sentimos um forte apetite antes de comer, mas nosso desejo diminui assim que começamos a comer e deixamos de sentir o prazer. Dessa forma, o prazer ou realização em si neutraliza a sensação de prazer ou realização. É porque o desejo de se realizar e o prazer que o preenche são dois opostos.

Portanto, nunca alcançaremos a perfeição se quisermos nos realizar diretamente. Queremos alcançar várias coisas, mas assim que alcançamos algo, o prazer desaparece. Por que ele desaparece? Porque, ao receber prazer, neutralizamos o próprio desejo de prazer. É por isso que nunca sentimos prazer contínuo em nossas vidas.

O prazer só pode ser sentido com a condição de separarmos o local de aceitação do prazer do próprio prazer. Por exemplo, uma mãe quer dar algo a seu filho e, quanto mais dá a seu filho, mais ela mesma se torna realizada. Se nos amássemos como uma mãe ama seu filho, sentiríamos prazer na medida em que doássemos aos outros. É possível doar sem limites e, ao fazer isso, nos realizarmos constantemente. Esse é o princípio da realização eterna e, graças a ele, a pessoa pode sentir a vida eterna. Isso significa que no altruísmo há um fundamento inerente para uma vida eterna e plena, permeada de amor, realização e felicidade, o que nunca pode acontecer no egoísmo.

Quando a humanidade entender isso e sentir o quanto perde em sua curta vida, cheia de sofrimento, enquanto é possível passar para a vida eterna cheia de prazer, ela começará a se transformar. Espero que nossa vida pare de ser tão estressante.

Baseado em Q&A com o Cabalista Dr. Michael Laitman em 9 de setembro de 2006. Escrito/editado por alunos do Cabalista Dr. Michael Laitman.

Uma Revolução Na Vida

233Além de mim, há apenas uma força unificada e única operando em toda a realidade. Ela preenche todo o mundo em que vivo, mas estou dentro de uma bolha hermética que me permite supostamente não depender dela.

E assim eu existo até começar a querer romper as paredes desta bolha em que estou preso como uma gota de sêmen que não tem a possibilidade de entrar no útero e começar a se desenvolver. Quero entrar na parte superior para começar a me desenvolver. Portanto, eu rasgo esta bolha, saio dela e começo a me tornar mais e mais incluído no Criador.

Se eu quiser deixar de ser escravo do meu desejo de receber e começar a viver no mundo espiritual, devo levar em consideração a grandeza do Criador mais do que a grandeza de mim mesmo. E se eu imaginar que a grandeza do Criador é maior do que minha própria grandeza, ou seja, Ele é superior a mim, eu posso realizar as ações que Ele exige de mim: ações de doação, conexão e amor. Isso significa que peço ao Criador que me eleve a Ele.

Estamos dentro do Criador, mas todos estão presos em sua bolha egoísta. Se sairmos dessa bolha, começaremos a sentir uma enorme força superior comum, isto é, o Criador, a luz superior. E se não sairmos dessa bolha, continuaremos a existir nela como cada pessoa vive, imersa em si mesma e não sentindo mais nada.

Ainda assim, a matéria vegetal e animal não pode sair de suas bolhas e está condenada a existir dentro delas. Elas só podem ser libertadas delas graças ao homem, na medida em que são exigidas pelo homem para sua ascensão espiritual.

Tudo o que precisamos fazer é sair da bolha egoísta que nos tranca dentro de nós.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 27/08/21, “Anulando-se Perante o Superior”

Mudar A Vida Para Melhor

571.08Baal HaSulam, “Paz no Mundo”: Devemos saber que a lei de desenvolvimento mencionada acima, que se estende por toda a realidade, certamente transformará todo mal em bem e útil, e atua por meio do poder do governo do céu acima, ou seja, sem pedir permissão às pessoas, moradores da terra. No entanto, o Criador colocou o conhecimento e a autoridade nas mãos do homem e permitiu-lhe aceitar a lei de desenvolvimento mencionada acima sob sua própria autoridade e governo, e deu-lhe a capacidade de acelerar o processo de desenvolvimento como ele deseja, livre e completamente independente das fronteiras do tempo.

Existe uma lei natural inevitável e ativa no tempo. Tudo é organizado de acordo com um calendário e há tempo para cada evento. Não podemos mudar nada e agimos de acordo com esse calendário com a mesma força de desenvolvimento que nos conduz incansavelmente por todas as fases do nosso desenvolvimento.

É um sistema rígido da natureza. É assim que a natureza funciona e não podemos escapar; estamos presos a ela, como minúsculos insetos que devem agir de acordo com ela. Porém, embora esse desenvolvimento seja necessário e aconteça com precisão e no prazo, existe uma maneira de apressar e melhorar, e isso depende de nós.

Em todo caso, nos desenvolvemos de acordo com o plano, como um trem que vai de um ponto a outro e deve chegar ao destino. Podemos apressar nossa chegada à última estação e nos sentir muito melhor durante nossa jornada do que se participarmos do processo inconscientemente, nos movermos e mudarmos sem saber. Claro, perceberíamos a fase final de forma diferente.

Nós a alcançaríamos e atingiríamos o mesmo resultado de qualquer maneira, mas passaríamos por todos os tipos de conflitos ao longo do caminho, cairíamos e subiríamos, discutiríamos e sofreríamos desastres em todos os aspectos de nossas vidas. Mas também pode ser o contrário, agindo com conforto e sentindo que somos conduzidos por todo esse caminho como em um vagão-restaurante.

No geral, a sabedoria da Cabalá nos fornece apenas uma solução. Se você quiser avançar de qualquer maneira, pode deixar tudo e nada ouvir, voltar à sua vida e seguir em frente junto com todos, em unidade com todo o globo, enquanto ele gira.

Mas se você quiser mudar sua vida para melhor, enquanto avança em direção à conquista da meta da criação na qual seu lugar já foi determinado, onde tudo já foi determinado, e avançar em direção a isso de forma consciente, sábia e rápida, você pode fazer isso com a ajuda da sabedoria da Cabalá.

Isso faz toda a diferença! Essa é a nossa escolha.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 14/07/19

Não Houve Erros Na Sua Vida

627.2Igor escreve: “Tenho 54 anos, sou casado, tenho dois filhos, e meu pai e minha mãe estão vivos. Meu pai tem oitenta e quatro anos, minha mãe, oitenta e dois. Sempre cuidei da saúde deles, mas tudo virou de cabeça para baixo. Os médicos dizem que não tenho mais do que seis meses de vida.

Eu te encontrei tarde demais. Eu assisto seus programas e não tenho medo. Há apenas uma pergunta – por que tão tarde? Passei tanto tempo com preocupações desnecessárias e com o trabalho que ninguém precisava. Tenho uma grande reclamação contra o Criador. Eu entendo que não se deve olhar para trás e se arrepender de nada, mas não posso evitar. Eu não vivi minha vida direito. Eu olho para meus filhos e tenho medo que eles repitam meus erros. Eu só queria agradecer!”

Minha Resposta: vou te dizer, Igor. Tudo estava correto. Não houve absolutamente nenhum erro em sua vida. Você deve aceitar tudo isso como uma atitude correta para com a vida, para com o Criador de sua parte. Você apenas tem que se acalmar.

Se você se relaciona com toda a natureza, a vida, o universo, tudo e a si mesmo como uma manifestação do Criador, não há nada que você tenha que fazer, nada com que se preocupar. Você deve apenas pensar em como concordar o máximo possível com o que está acontecendo com você. Então, por meio dessa atitude de total concordância, você começará a sentir o Criador.

Estou aconselhando isso a você e a todos. Deixe a situação de lado e não se preocupe. Pare com as reclamações confusas. Nada disso é necessário. Tudo acontece como deve acontecer.

Embora pareça que estamos correndo por aí, refazendo coisas e tentando fazer tudo a tempo, tudo isso é um absurdo! Não muda nada. Estamos sempre tentando fazer algo, como nos parece, enquanto o Criador faz o que Ele próprio faz. Então, acabamos ficando infelizes quando as coisas não saem do jeito que queremos.

Deixe tudo ir e você verá que não tem nada com que se preocupar, nem no presente ou no passado, e principalmente não se preocupe com o futuro. Está tudo nas mãos dessa mesma força superior.

Comentário: Pode ser isso. Devo dizer que fiquei emocionado, porque ele não está escrevendo sobre ter medo da morte ou de nada. Ele fica tocado pelo fato de que nos encontrou tarde demais, por assim dizer, que de alguma forma ele viveu sua vida.

Minha Resposta: Isso também está incorreto e também é a providência superior. Então, nada é tarde demais, tudo que é dado a você é dado corretamente. Use a força e o tempo de que dispõe na medida em que agora se inspira na nossa ideia, no nosso caminho, e tudo ficará bem.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 24/06/21

O Propósito Da Nossa Vida

912Pergunta: Como o propósito de uma pessoa está relacionado com o trabalho de sua vida?

Resposta: Em princípio, uma pessoa deve entender que não tem nada a fazer na vida, exceto existir normalmente, mas no sentido muito comum da palavra. Ou seja, todo o seu trabalho deve ser o de se munir de tudo o que é necessário, exatamente o que é necessário.

E todo o resto, toda a sua força, conhecimento e oportunidades, doe para criar rapidamente a conexão certa com outras pessoas e alcançar o nível do Criador, ou seja, a interconexão completa. Nessa conexão integral, nos encontramos existindo de uma forma completamente diferente, em um nível diferente, em uma matriz diferente. Este é o propósito da vida.

Como resultado de nosso desenvolvimento terreno, chegamos a um estado que nos empurra para o próximo nível de existência.

De KabTV, “Videoconferência”

Subidas E Descidas: Vida E Morte

528.01“Ame o próximo como a si mesmo” é um antigo slogan bíblico, um apelo com o qual em princípio todos concordam, mas ninguém sabe como implementá-lo.

Embora amemos dizer isso às vezes, entendemos que em nosso mundo essas são apenas belas palavras. Mas no mundo espiritual, essa é uma regra indispensável sob a qual você existe ou não.

Aqueles amigos que se uniram em um todo encontraram o contato certo para doação e amor entre si. Eles alcançaram o mais alto nível espiritual e sentem a fonte de todas as forças, a fonte da criação. Eles alcançaram um nível sobrenatural de existência e permanecem em um fluxo eterno de informação e energia, além do tempo e espaço, e de repente revelam a próxima camada de egoísmo que antes estava oculta deles.

Em vez de amor e doação, eles novamente começam a alimentar um ao outro com atitudes egoístas, críticas e rejeição. Nesse momento, eles caem do nível que alcançaram para o nível terrestre como se tivessem caído do céu, e voltam a olhar para todos de uma forma totalmente egoísta.

Como costuma acontecer durante a aula: você brilha com seus amigos como se já estivesse em doação e amor por eles, tudo é tão bom, e depois esse estado desaparece e a vida comum começa. Mas com os Cabalistas, é claro, isso é mais repentino porque a diferença está entre a realidade espiritual e a realidade terrena. E para pessoas comuns, ainda é um pouco rebuscado.

Pergunta: Então, o que pode ser feito?

Resposta: Levante-se novamente, trabalhe naquele egoísmo sob o qual você se encontrava, e trabalhe nele novamente e se levante. Depois de subir, você encontra um amor ainda maior, uma doação ainda maior, uma conexão ainda maior, um nível sobrenatural ainda mais alto e, então, cai novamente. E isso vai acontecer 125 vezes.

Pergunta: Você está falando sobre a reencarnação das almas?

Resposta: Você pode chamar isso de reencarnação das almas. Cada vez que você cai e se levanta, é chamado de “vida e morte”, “vida e morte”.

Pergunta: E dentro dessa vida corpórea em que agora existimos, estudamos e queremos nos unir e nos elevar, é a mesma história acontecendo?

Resposta: Se nesta vida uma pessoa não atingiu um único nível espiritual e nem mesmo aspirou a ele, como isso pode ser considerado? Afinal, ela não se elevou acima disso e não caiu. Ou seja, ela não se mexeu.

Na espiritualidade, o movimento é levado em consideração apenas para cima e para baixo, pelo menos em uma escala mínima. Se não fosse assim, quanto tempo você viveu em seu corpo, essa é sua vida: você bebeu tanto, comeu tanto, excretou tanto e morreu. Então, outro ciclo.

Pergunta: Suponha que queiramos fazer um avanço nesta vida, nos conectar e revelar o nível espiritual mais baixo. Então o egoísmo se revelará novamente?

Resposta: Você passará por vários desses ciclos nesta vida ou haverá outro nascimento físico entre eles, outro corpo esperando por você. Não importa, mas isso já será um processo.

Pergunta: Já passamos por isso?

Resposta: Sim. Só nesse processo em que praticamente não conseguimos fazer nada, só fizemos uma certa preparação. Portanto, hoje já estamos em movimento.

Pergunta: Éramos amigos?

Resposta: Estávamos de alguma forma conectados um com o outro e alguns de nós eram até amigos.

Pergunta: Quando foi?

Resposta: Várias centenas de anos atrás.

Pergunta: Onde foi isso?

Resposta: Isso poderia ter acontecido em diferentes lugares da Terra. Isso não importa. Somente subidas e descidas espirituais são importantes, e todas as convenções terrenas são apenas um teatro.

De KabTV, “O Poder do Livro do Zohar” # 21

Para Viver, É Preciso Morrer?

79.01Comentário: Existe uma tradição na Tailândia: para começar uma nova vida sem problemas e estresse, você deve ir ao templo e providenciar seu próprio funeral simbólico. As pessoas pegam flores, deitam-se no caixão, são cobertas com um lençol e as orações são lidas. Primeiro, você tem que se deitar com a cabeça voltada para o oeste, depois virar na outra direção. Custa uma bagatela – três dólares e meio – apenas para velas.

Durante a pandemia, era um ritual massivo porque as pessoas vinham. E depois disso, elas diziam: “Eu ganhei vida. Eu comecei a viver”. É isso! A depressão foi embora, todos os estados desapareceram.

Por favor, explique este paradoxo para mim: para viver, você deve morrer.

Minha Resposta: Isso está correto. Então, a pessoa vê a vida de maneira diferente. Se ela experimenta psicologicamente sua suposta morte e deixa esse curso de vida atual, ela olha para sua nova vida de forma diferente.

Pergunta: Ou seja, você realmente precisa mergulhar nessa situação dramática, realmente vivenciá-la assim? Então você começa a viver.

É por isso que é tão bom cemitérios? Ou seja, quando você caminha por um cemitério ou se senta em um banco, olha ao redor. Você pensa: como tudo neste mundo é lindo! Alguém estava sofrendo porque seu carro foi arranhado, alguém porque seu vizinho gritou com ele. De repente, tudo se resume a isso.

Resposta: O que você está dizendo foi escrito em um tratado que provavelmente tem 4.000 anos. Lá está escrito que quem quer se realizar de uma nova maneira deve ir ao cemitério e sentar-se numa pedra. Então, isso está correto.

Eu organizaria visitas guiadas coletivas lá. E colocaria nosso governo lá embaixo para pensar e resolver alguns problemas, e alguns outros grupos da população.

Pergunta: Para refletir sobre o quão perecível é a vida?

Resposta: Sim.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 29/03/21

O Que Você Vai Escolher: Vida Ou Morte?

75.01Somos todos fragmentos da quebra da alma comum. Não olhe para os corpos; olhe para os desejos que estão dentro. Dentro de cada um de nós está uma parte do desejo de Adam HaRishon, do único vaso completo. Para restaurar este vaso, precisamos conectar nossos desejos: o meu, o seu, o dele, de todos nós, de toda a humanidade.

Nós queremos isso? Claro que não. No entanto, é importante entender que sem isso, não sairemos dos problemas. A pandemia não vai acabar, a humanidade enfrentará problemas muito grandes que não vão nos deixar até que entendamos que precisamos corrigir a conexão entre nós.

Os problemas chegarão em tal direção que entenderemos que somente nossa boa conexão pode corrigir tudo. Mas não queremos essa conexão, e então a guerra de Gog e Magog estourará entre nosso egoísmo, que não quer nenhuma conexão, e o fato é que devemos nos conectar ou não teremos nada de bom, nenhum sucesso em nada, nem mesmo em simplesmente sobreviver.

Então as pessoas perceberão o abismo de egoísmo em que se encontram, porque eu preferiria morrer a me conectar com o outro. Odeio tanto esse homem que não consigo tirar dele o remédio que salva minha vida. Ele me dá remédio, mas é meu inimigo. Então, viro as costas para ele sem tomar a cura e morro.

Ainda assim, tenho uma escolha: para superar meu ódio e me aproximar dele com amor e o reconhecimento de que ele quer me ajudar, eu tomo seu remédio e fico bom. Quando estamos conectados, podemos ir junto com ele para uma terceira pessoa, depois para a quarta, e assim convencer todos a receberem esta poção da vida.

No entanto, isso será extremamente difícil de fazer. O orgulho que surge em cada pessoa a mata e ela não consegue lidar com isso. Somente depois de cair no chão, como o Rabino Hiya implorou no Livro do Zohar: “Pó, pó, como você é obstinado,” e anulando-se a um zero completo, você pode gradualmente sair do problema. Não há outro caminho. Precisamos de correções!

Tudo isso é oposto à nossa natureza e, portanto, é impossível fazer isso sozinho, mas apenas trabalhando na dezena. Então, cada um de nós está sob a influência dos amigos, e isso nos permite superar os cálculos pessoais e estabelecer uma atitude comum.

Será fácil fazer essa escolha se você voltar a ela constantemente e não se lembrar dela apenas uma vez por semana. Se fico pensando que devo fazer isso por mais nojento e odioso que seja, me acostumo com essa ideia, com essas conversas. O hábito se torna uma segunda natureza; tudo depende de como tentamos nos trazer de volta ao pensamento certo.

Mesmo que esse pensamento seja desagradável e indesejável para mim, não há escolha, eu tento de novo e de novo. Então, de repente, percebo que, ao retornar constantemente ao estado do qual não queria ouvir, começo a percebê-lo de maneira oposta. Como isso pode ser? Eu costumava odiá-lo terrivelmente, rejeitava-o completamente e agora não o faço mais.

O inimigo passa a fazer parte da minha vida. Eu o odiava, o afastei, não queria ver ou ouvir ele, ele apenas me enfurecia. De repente, ele se torna parte integrante da imagem. Ele ainda está contra mim, mas sem ele, a imagem ficará incompleta.

Então eu descubro que realmente preciso dessa parte. É assim que aprendemos a trabalhar com ódio e amor, com forças opostas, e vemos que há lugar para tudo.

Isso é o oposto das formas em nosso mundo, onde cada país tenta derrotar e destruir seu vizinho. Eles não entendem que nunca terão sucesso porque nosso desenvolvimento não está indo nessa direção, mas sim garantindo que todos tenham um lugar.

Da Lição Diária de Cabalá 02/05/21, “Perseguindo a Shechiná

Mudando A Base Da Existência

448.8Pergunta: Por que a vida e a morte são estados tão agudos? Antes do início da vida, a pessoa não sente nada, não se lembra de nada. Após a morte, ela não sente nada, não se lembra de nada. Para ela, a vida e a morte são provavelmente a melhor e a pior coisa que pode acontecer.

Resposta: A vida de uma pessoa ocorre em seu desejo egoísta. É por isso que é tão claramente definido do início ao fim, do nascimento à morte. A oportunidade que nos é dada é para superar o nascimento e a morte.

No entanto, não é dada para prolongar a vida (algo que gostaríamos de fazer), mas para mudar a atitude em relação a ela, em particular, para mudar a força na base desta existência – para torná-la altruísta em vez de egoísta. Então não estaremos sentindo a influência da força egoísta sobre nós, isto é, a própria vida, mas estaremos como que acima dela.

Pergunta: Mas essa clareza, essa definição, é boa, não é? Isso significa que no outro estado, o superior, tudo ficará claro o suficiente?

Resposta: Sim. Na qualidade de doação, ao contrário da qualidade de recepção que temos agora, tudo também está claramente definido e em muito maior intensidade em qualidade e quantidade.

De KabTV, “Expresso de Cabalá”, 12/04/21