Textos com a Tag 'Sofrimento'

Não Há Necessidade De Esperar Por Mais Sofrimento

293Nas Notícias (The Washington Post): “O chefe da Organização Mundial da Saúde alertou na segunda-feira que o mundo está à beira de um ‘fracasso moral catastrófico’ se as nações mais ricas não garantirem a distribuição equitativa de vacinas para combater a pandemia do coronavírus .

“O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, que advertiu repetidamente os países mais ricos contra a exclusão dos mais pobres por meio de acordos bilaterais com fornecedores de vacinas, elevou sua retórica em seu discurso de abertura em uma sessão do conselho executivo.”

Minha Resposta: Mas mostra a verdade.

Pergunta: Por que foi impossível fazer um gesto de boa vontade? Deem aos países pobres, digamos, metade das vacinas. Percam os lucros, mas deem a eles. Por que isso não pôde ser feito?

Resposta: O egoísmo não permite isso. Como posso fazer isso?

Isso vem em retrospecto – porque outros começam a me acusar, agora tenho que justificar por que fiz algo desta ou daquela maneira.

Pergunta: Mesmo a OMS não poderia ter previsto isso? Ou eles não entenderam como é a humanidade?

Resposta: Eles não querem entender. Eles dançam ao som do dinheiro.

E quando escrevem depois, também escrevem no relato da OMS: por que a OMS não gritou sobre isso, por que não se opôs?

Não há nada a esperar dos países ricos, de seus governos, de seus ministérios da saúde! Eles pensam apenas em si mesmos! E com razão! Quem vai pensar neles? Eles pensam em si mesmos. Eles têm recursos, oportunidades, conexões, tudo. E os países pobres não.

É a OMS que deve pensar – eles são a Organização Mundial da Saúde!

Eu acredito que deve ser igual para todos.

Mas isso é natural, este é o nosso mundo. Por que agora estamos começando a nos ressentir? Isso só está acontecendo agora e nunca aconteceu antes? Eles sabem e entendem tudo muito bem. Eles têm os números, têm tudo. E eles não estabelecem nenhuma condição.

Digamos que 25% dos medicamentos que você compra fossem para países pobres. Um imposto adicional.

Mas quem vai considerar isso? Ninguém vai aceitar – quem é essa OMS?

Pergunta: Você continua dizendo que a humanidade e o homem, de uma forma ou de outra, mais cedo ou mais tarde devem chegar à compreensão do mal: que eles são egoístas completos. Esse é um passo em direção à compreensão do mal?

Resposta: Não, não é porque ninguém se preocupa com isso. Ninguém está arrependido. Ninguém!

Pergunta: Então, com o que você está contando quando fala em unificação, sobre conexão, sobre amor, tudo a que devemos chegar? Com o que você está contando se formos todos assim?

Resposta: Não vejo que uma pessoa tenha desistido de alguma coisa por outra. Pelo contrário, quanto mais nos desenvolvemos, mais duros e insensíveis nos tornamos: “Não vou desistir!”

Pergunta: Quando acontecerá a virada? Quando algo em mim aparece, faz um clic?

Resposta: Não é uma virada. Será assim que estarei pronto para compartilhar algo com outros como algum tipo de imposto adicional. Gosto do que falei, cerca de 25%, por exemplo.

Acredito que deveria haver um governo internacional que tratasse dessas coisas. Haverá muitos problemas mundiais agora – climáticos e todos os outros tipos. Ou seja, todos os problemas que tivemos antes que ocorreram entre estados, zonas e assim por diante, serão todos globais.

Veremos claramente. Se houver um incêndio na Austrália, uma consequência clara serão as inundações na China e na Sibéria, e assim por diante.

Pergunta: Para onde isso nos leva?

Resposta: Faz com que nos sintamos dependentes uns dos outros. É assim que nos sentiremos. Somente através do sofrimento. Não há nada que a humanidade possa fazer.

Pergunta: Quando chegaremos ao estado do mundo sendo como uma família? Seremos levados a isso pelo sofrimento? Chegaremos a tal estado afinal?

Resposta: Acho que sim, porque não há outra maneira. Devemos completar a correção do mundo. Agora estamos entrando em um estado em que começamos a perceber gradualmente, mas muito, muito gradualmente e de longe, que somos um sistema comum.

Mas até agora, ninguém quer levar isso em consideração. Aqui, precisamos de algumas manifestações muito especiais da natureza para que todos percebamos que estamos conectados, que estamos em um barco e não em continentes, países, governos e nações. É aqui que precisamos levar isso a sério.

Pergunta: Então, a natureza oferecerá algum tipo de exercício de acompanhamento para a humanidade? E depois outro até percebermos? Você acha que é assim que vai ser?

Resposta: Sim. Ela vai nos ensinar gradualmente. Como resultado, vamos entender, vamos sentir! O principal é que sentimos e não apenas dizemos que somos uma família – lindos slogans. E sentiremos que somos realmente um todo comum e que não podemos pensar em uma parte da humanidade sem outra. Porque veremos toda a humanidade como um organismo. Você não pode cortar sua mão aqui e rir e fazer carnavais ali.

Esse deve ser o sentimento que todos nós teremos.

E pode ser instantâneo. Quando você sente um golpe, imediatamente entende: “Chega! Eu concordo!”

Tudo vai ficar bem.

Pergunta: Quando?

Resposta: Espero que seja rápido.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 21/01/21

Do Sofrimento À Felicidade

510.01Observação: “A lógica vai chegar do ponto A ao ponto B. A imaginação e o trabalho árduo o levarão a qualquer outro lugar”, é a citação atribuída a Einstein.

Minha Resposta: Verdade.

Pergunta: Hoje, a lógica nos levou do ponto A ao ponto B. E o que vemos? Como você pode usar sua imaginação para superar esse impasse?

Resposta: Se vamos de um ponto a outro com a ajuda da lógica, chegamos ao mesmo ponto, só que cavamos até nos enterrarmos ainda mais com a ajuda da nossa lógica.

Pergunta: E imaginação? Como saímos desse estado?

Resposta: Imagine o estado oposto ao que estamos.

Comentário: Agora estamos em algum tipo de confusão, em sofrimento.

Minha Resposta: Imagine um estado de clareza e alegria. E tente criá-lo. Não com base em seu estado anterior, mas apenas do nada.

Pergunta: Apenas crie felicidade do nada? É possível?

Resposta: Se não é possível, por que existimos? E se for possível, só dessa forma. Você não pode criar felicidade a partir da miséria. Para sair da miséria, você só precisa entender que precisa alcançar a felicidade.

Pergunta: Então você está dizendo que apenas o esforço para alcançar a felicidade é exigido de nós? Precisamos construir esse estado feliz e tentar alcançá-lo?

Resposta: Sim.

Pergunta: Os utópicos uma vez aspiraram a isso. Qual é a diferença entre o que você propõe e aqueles utópicos e A Cidade do Sol?

Resposta: Os utópicos não confiaram na natureza real em que vivemos, no egoísmo em que existimos. Eles acreditaram que podem simplesmente aceitar, pegar e simplesmente querer fazer.

Pergunta: Basta colocar uma pessoa em A Cidade do Sol?

Resposta: E você mesmo deve construir esta cidade do Sol! Ela não surge de nossas fantasias.

Pergunta: Quando você diz que precisa imaginar a felicidade, por quais etapas você precisa passar?

Resposta: Quero dizer que devemos compreender, apoiando-nos em todos os sofrimentos que existem e confiando neles, que podemos fazer algo oposto a eles apenas se mudarmos nosso relacionamento uns com os outros. Portanto, precisamos começar a examinar nossa educação – pessoal, social, grupal, familiar – em todos os níveis.

Pergunta: E isso é o que você chama de construir uma sociedade feliz?

Resposta: Claro. Depende apenas da atitude das pessoas umas em relação às outras. Nada mais.

Pergunta: Resumindo: você diz que se eu estou sofrendo agora, com dor, em um beco sem saída, para sair disso preciso imaginar, visualizar …?

Resposta: O estado oposto. A razão do sofrimento está em meu “eu”, no fato de que somos opostos um ao outro, odiamos, não gostamos, nos repelimos e queremos lucrar uns com os outros. Se quisermos felicidade, devemos nos libertar do interesse próprio e, em vez disso, aumentar o interesse público.

Devo desejar felicidade para todos e então existirei também em toda essa felicidade.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 22/04/21

Uma Vida Sem Dor E Sofrimento

294.4Comentário: A dor que sentimos fisicamente atinge a consciência através do cérebro. E a intensidade da dor depende da minha atitude em relação a ela.

No departamento de queimados de um hospital em Illinois, a realidade virtual é usada: ao trocar os curativos dos pacientes, os pacientes usam óculos virtuais. E em vez de pensar em queimaduras, brincam com bolas de neve e a dor diminui.

Agora mesmo, a humanidade está sofrendo. Torna-se física. No que uma pessoa deve pensar para reduzir essa dor ou de alguma forma cancelá-la? Quais “óculos virtuais” devo usar?

Minha Resposta: Acho que a melhor coisa é pensar em como a natureza está nos levando a um futuro mais brilhante. O mais belo do nosso tempo é que aqui não existem personalidades na história, mas a própria natureza nos leva e nos amassa assim, como massa.

Pergunta: Então, para lidar com essa dor, o que devo entender?

Resposta: Perceba o que a natureza faz. Ela nos conduz por seu plano. Pela primeira vez na história da humanidade, a natureza simplesmente nos pega pela orelha, como um menino, e nos conduz ao lugar certo.

Pergunta: Ou seja, se no momento dessa dor que estou sentindo agora, começo a construir essa realidade de que é a natureza que nos leva a um futuro muito brilhante, a um bom relacionamento, a um mundo de luz, um mundo de calor, minha dor vai começar a diminuir?

Resposta: Ela vai parar! Porque a dor depende do fato de você não enxergar a meta à frente. E se houver uma meta, ela deve absorver a dor.

Quando fazemos coisas, elas podem ser agradáveis ​​ou desagradáveis. Se examinarmos nosso corpo, veremos que não há diferença entre prazer e sofrimento. No sentimento dentro da pessoa, nenhuma diferença. É apenas na sua ideia daquilo a que ela conduz, o que é.

Pergunta: E aí começa o sofrimento, que tudo me leva ao fim, vou desaparecer e é isso?

Resposta: Absolutamente. E se você imagina que isso o leva a um ganho enorme, ao prazer, você está pronto não apenas para suportá-lo, você está pronto para prolongá-lo e até mesmo desfrutá-lo.

Por que estou dizendo isso? Tudo depende de como constituímos a sociedade. Temos um problema relativamente pequeno aqui. Se a sociedade for configurada de tal forma que a própria natureza nos conduza a um bom futuro, a um arranjo, a uma vida sem problemas, se mostrarmos esses filmes, essas imagens do futuro, as pessoas poderão experimentar tudo isso com relativa facilidade.

Pergunta: Então a dor vai parar e as pessoas vão começar a se mover em direção a esse futuro?

Resposta: Sim, e não as enganamos. As pessoas lutaram até a morte pelo futuro, por causa dos valores imaginários que inventaram. E aqui está a própria natureza.

É um movimento em direção à equivalência da natureza. À relação universal integral, à conexão. Isso significa que uma pessoa existirá no ambiente mais confortável. É um bilhão de vezes melhor do que no útero, porque você sabe disso.

Toda a natureza, toda a humanidade, tudo o que existe no cosmos e em todos os mundos, tudo isso te envolve com um bom embrulho.

Pergunta: E esse cenário deve ser construído?

Resposta: Estamos nos aproximando dele, de fato, mas podemos acelerar esse movimento.

Pergunta: É para isso que a dor é dada a uma pessoa?

Resposta: Caso contrário, ela não teria percebido. Uma pessoa só pode obter uma coisa da outra. Portanto, agora sentimos confusão, dor e assim por diante, a fim de nos elevarmos acima disso e nos sentirmos verdadeiramente conectados, com amor e perfeição.

Pergunta: É isso que se chama elevar-se acima da dor?

Resposta: Sim.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 29/10/20

Aquele Dentro De Mim

293Comentário: Existe dor no mundo. Como você sempre diz, essa pandemia não é o fim de tudo. A ONU já aceitou que perdemos esta luta com mais de um milhão de mortos e mais de 30 milhões de infectados, e que precisamos nos unir. Mas como? Como podemos nos unir? De repente, Karabakh! Nação sobre nação! Esse ódio é derramado que não existia antes. O que está acontecendo na Bielorrússia?! O que está acontecendo na América?!

Minha Resposta: O mundo, é claro, desceu …

Pergunta: E quanto a Israel? O governo não pode tomar decisões básicas. Parece que não fomos colocados em apartamentos, em quartos, o vírus não nos assustou.

Resposta: As pretensões mútuas são as mais fortes.

Pergunta: Isso é impressionante! Que tipo de natureza é essa?! Como podemos trabalhar com ela?

Resposta: Este é o próximo estado do egoísmo. O fato de eu prestar cada vez menos atenção às consequências que são supostamente ameaçadoras. Eu estou ameaçado, outros estão ameaçados, não importa, não sinto. O que eu posso fazer?

Pergunta: Uma pessoa não tem responsabilidade. Deve haver uma mudança de mente ou de coração?

Resposta: “O que a mente não faz, o tempo faz”, diz a Bíblia.

Nós estamos tentando acelerar esse processo de revelação do mal. Para quê? Para a humanidade dizer ao seu ego: “É isso! Você não me governa mais! Estou me separando de você! Este é você e este sou eu”.

O que posso fazer para perceber que ele está me guiando o tempo todo? Levanto de manhã e sinto que ele está me guiando: “Levanta, vai lá, faz aquilo, senta assim, daquele jeito …” Ele manda em mim o tempo todo.

Pergunta: Devo admitir que sou seu escravo?

Resposta: Eu não admito. Começo a entender isso e começo a me rebelar contra isso porque vejo que, em princípio, ele não prepara nada de bom para mim.

Precisamos nos elevar acima disso para que nossa natureza terrena não nos guie. Não podemos continuar vivendo assim.

Pergunta: Podemos falar sobre o egoísmo e o homem, sobre o fato de que o egoísmo nos transforma, nos empurra, nos faz girar e, em princípio, nos empurra para o abismo. Uma pessoa comum pode raciocinar assim ou não?

Resposta: Se você explicar tudo isso a ela o tempo todo, ela acabará sendo capaz de ver, por um lado, a explicação e, por outro, os golpes do destino.

As explicações devem estar sempre diante de seus olhos. E ela não queria vê-las, nem lê-las, nem nada. Mas chega a hora, ela leva golpes, e de repente vê. Ou começa a pesquisar freneticamente: “O que devo fazer ?! Como faço para me livrar do problema?!” Então ela começa a ver, a ouvir.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 01/10/20

Como Podemos Transformar O Sofrimento Em Prazer?

565.01Pergunta: Por que, com a revelação constante do mal em mim, sinto grande sofrimento? É porque não estou satisfeito com meu progresso e com minha falha em me aproximar do Criador?

Resposta: É porque a discrepância entre o que é desejado e o que é na realidade invoca sofrimento. Nesse caso, você quer avançar, mas se sente inferior em relação ao estado em que gostaria de estar.

Por outro lado, são sofrimentos positivos. Eles ensinam você a seguir em frente corretamente. Portanto, é proibido mergulhar neles, sentar e chorar, mas você deve implementá-los corretamente.

Pergunta: Então, a revelação do mal envolve sofrimento, não importa o quê?

Resposta: Não. Depende de como você o percebe. Se você não sentir a diferença entre o que você deseja e o que agora tem como sofrimento, você não avançará. Mas este não é o caminho do sofrimento.

O caminho do sofrimento é quando você está inconscientemente neles e não sabe como se mover e o que fazer. Toda a humanidade está neste estado.

Somente as pessoas que estudam a sabedoria da Cabalá estão cientes dos sofrimentos que recebem e podem usá-los para se direcionar ao propósito da criação. Elas se elevam acima dos sofrimentos e até os sentem como doçura, como guia para a meta desejável.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 18/11/18

É Possível Avançar Sem Sofrer?

562.02Pergunta: O que é o caminho do sofrimento?

Resposta: Não devemos avançar em direção à meta da criação pelo sofrimento, mas quando você se desvia do caminho espiritual, você afunda em sofrimentos. Eles colocam você de volta no caminho certo e você dá um passo à frente.

Então você vai mais fundo no seu egoísmo, se diverte, e mais uma vez sente sofrimentos, que o colocam de volta no caminho, e então você dá um passo certo para frente mais uma vez.

Pergunta: Então, é impossível avançar sem sofrer?

Resposta: A questão é que cometemos erros constantemente ao longo do caminho porque, sem cometer erros, não seremos capazes de entender como operar corretamente. Portanto, temos a oportunidade de caminhar em direção à meta para que não sejam os sofrimentos, mas a compreensão de nossos erros que nos ajudem a avançar. Isso significa que trabalhar em nossos erros e seguir em frente será o mesmo.

Neste caso, iremos sem cair e subir, dando um passo à frente, caindo novamente e subindo, dando um passo à frente, mas em duas linhas: esquerda e direita. Experimentando certos sofrimentos, problemas e erros na linha esquerda, trabalhamos simultaneamente com eles na linha direita. Assim não vamos alternadamente para a esquerda e para a direita, mas nos movemos com os dois pés em direção à mesma meta.

Basicamente, entendemos que não podemos avançar sem errar, porque é assim que somos construídos. Mas se avançarmos egoisticamente, já presumimos como descobriremos nossos erros, como revelaremos o mal, e pretendemos nos mover pela linha direita.

De KabtV, “Fundamentos de Cabalá”, 18/11/18

Por Meio Do Sofrimento E Do Prazer

laitman_628.3Pergunta: A natureza afeta nossos desejos por meio do sofrimento e do prazer?

Resposta: Sim. A natureza nos maneja por meio do sofrimento e do prazer. Nós não reagimos a mais nada. Verdade e mentira são agentes muito fracos de mudança em uma pessoa. Recompensa e punição, dor e prazer, são estimulantes muito fortes.

Pergunta: Nós nos tornamos mais vulneráveis ​​quanto mais nossos desejos crescem?

Resposta: Claro. Quando uma pessoa é mais vulnerável, mais sensível, mais fácil é influenciá-la.

Pergunta: Se olharmos para o sofrimento de nossos ancestrais que viveram cem anos atrás, seus problemas eram muito mais graves que os nossos. Por exemplo, epidemias que mataram centenas de milhões. Hoje, um pequeno problema, mesmo sentado em casa, é percebido como uma catástrofe.

Por que a natureza nos desenvolve e nos torna ainda mais vulneráveis?

Resposta: Para nos tornarmos mais sensíveis, entendermos mais claramente e sentirmos até as instruções mais sutis da natureza.

Pergunta: Como você se sente sobre o fato de o mundo ter inventado métodos que neutralizam desejos e, em seguida, uma pessoa realmente sofre menos. Por exemplo, todas as práticas orientais são baseadas nisso. Elas realmente ajudam: quanto menos você quer, menos sofre.

Resposta: Mas, com isso, você se rebaixa para o nível animado, vegetativo ou até inanimado.

De KabTV, “A Era Pós-Coronavírus”, 23/04/20

Acalmar Ou Ajudar?

laitman_600.02Pergunta: Estou certo de que a tendência de acalmar os outros e buscar uma opinião positiva é prejudicial e danosa?

Resposta: Não acalme os outros, ajude os outros a se levantarem.

E como eles vivem e recebem algum tipo de sofrimento? Para usá-lo corretamente. É o mesmo que uma pessoa doente na sua frente e, em vez de tratar a pessoa, você administra um sedativo. Enquanto isso, a doença está progredindo.

Você deve explicar à pessoa que tipo de doença é e como ela pode curá-la e tornar-se saudável.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 12/04/20

Sofrimento Ou Alegria?

laitman_527.09Pergunta: O Livro do Zohar diz que não existe uma única folha de grama que não tenha alguém designado acima que a golpeia e diz para crescer. O que isso significa?

Resposta: Primeiro, o crescimento ocorre apenas sob pressão de cima.

Pergunta: Isso é feito através do sofrimento?

Resposta: Isso não é feito necessariamente através do sofrimento. Mas, em princípio, sim, porque a pressão é sofrimento. Isso está sofrendo pelo crescimento.

Portanto, o que é sentido como sofrimento, por um lado, também pode ser sentido como alegria e prazer. Por outro lado, depende do que uma pessoa se identifica. Se eu só penso na calma do corpo, então me comparo e me medo apenas em relação a essa calma. E se me elevo acima da calma do corpo e acredito que algo precisa ser alcançado, fico feliz por estar avançando, produzindo algo.

Pergunta: Isto é, a natureza nos desenvolve e não nos permite descansar?

Resposta: Esse é o ponto. Se eu permaneço no meu estado, não quero entender a natureza e fazer qualquer esforço para me desenvolver, então sofro. Então, para mim, a força do desenvolvimento é sentida como algo negativo. Eu não quero me desenvolver; só quero paz.

Se, pelo contrário, eu quero me desenvolver, o que quer que aconteça comigo sob a influência da força superior é uma alegria para mim.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 10/06/19

Por Que Há Tanto Sofrimento No Mundo?

laitman_571.06Pergunta: Por que a humanidade sofre tanto? Por que esse sofrimento é necessário se não afeta diretamente o ponto no coração? Qual é a conexão entre o sofrimento e o despertar do ponto no coração?

Resposta: Para entender isso, precisamos aprender sobre a estrutura geral da alma. A alma é uma e todos nós estamos dentro dela como partículas quebradas desde o tempo da destruição da alma geral, que resultou do que chamamos de pecado de Adam HaRishon. Existem cinco níveis de Aviut (espessura) do ego na alma e, além disso, ele é dividido em atributos diferentes em todos os tipos de combinações.

Portanto, é muito difícil dizer por que todo indivíduo tem esse ou aquele destino predestinado. Depende da reencarnação das almas. Afinal, nos conectamos um ao outro sem parar, fundimos, terminamos e nos separamos. É impossível imaginar até que ponto esse sistema opera em mutualidade e leva em consideração nosso estado inicial quando estávamos conectados, e depois quando estávamos divididos em partes diferentes, e agora quando começamos a nos reunir gradualmente.

O objetivo final é alcançar o mesmo nível de unidade que havia no início, mas agora já inclui todos os nossos esforços para nos conectar, pelos quais nos tornamos totalmente idênticos à força superior, à luz e ao Criador.

E o fato de cada um ter um destino tão complicado, não podemos entender; não está claro por que algumas pessoas sofrem mais e outras menos. Para isso, precisamos estudar e conhecer todo o sistema. Então você verá como tudo é perfeito, sem concessões ou exceções para ninguém.

Por outro lado, você não vê todas as reencarnações das vidas. Você não entende o que essas pessoas tinham e o que essas pessoas terão. No final, ninguém pode dizer que é melhor alguém ter algo e outro ter algo mais. Ninguém pode fazer isso, nem mesmo os maiores Cabalistas, sem mencionar aqueles que estão mais distantes da sabedoria da Cabalá que ainda nem nasceram, onde eles existem e como é desconhecido.

Eu posso garantir que ninguém pode censurar o governo superior por qualquer injustiça. Se você atingir o sistema da alma, verá como ele é integral e como cada momento nos guia para a obtenção de um estado absolutamente perfeito.

De KabtV, “Fundamentos de Cabalá”, 09/02/20