Textos com a Tag 'Liberdade'

O Caminho Para A Liberdade

742.03Pergunta: Que razão o Criador tem para olhar para uma realidade que já foi determinada?

Resposta: A razão é muito simples, primeiro, traga a pessoa à possibilidade de uma verdadeira liberdade de escolha. E para fazer isso, a pessoa deve transcender a si mesma, transcender sua natureza.

Em segundo lugar, ela deve substituir sua natureza pela natureza do Criador, porque apenas o Criador é livre. Então, ao ascender ao nível do Criador e adquirir a característica de doação, ela será constantemente capaz de se medir em relação ao Criador. Alcançar o nível do Criador totalmente livre é o resultado de todo o nosso trabalho.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 12/05/19

Liberdade É A Obtenção Do Nível Do Criador

963.6Pergunta: A liberdade tem sido a coisa mais importante em minha vida. Sacrifiquei muito pela minha liberdade, mas no ano passado percebi que estou escravizado à liberdade. Onde está a fronteira entre a liberdade e ser escravo da liberdade?

Resposta: Você não está definindo o conceito de liberdade corretamente. A liberdade é a escolha do objetivo certo da vida que é independente de nós e que foi predeterminado pela natureza. É a obtenção do nível do Criador.

Quando uma pessoa usa todos os meios à sua disposição para atingir esse objetivo, ela pode se considerar uma pessoa livre.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 12/05/19

Forçado A Viver

238.01Baal HaSulam, “A Liberdade”: … nós existimos no mundo como seres com um “eu”, onde cada um de nós se considera uma entidade única, agindo por conta própria, independente de forças externas, estranhas e desconhecidas, e no que esse ser – o eu – se revela a nós.

Se ele existir, somos obrigados a revelá-lo acima de todos os outros atributos e desenvolver apenas esse, porque todo o resto será necessariamente realizado contra a nossa vontade.

Onde está meu “eu”? Depois de defini-lo, serei capaz de segurá-lo e entender quando ele poderá ser liberto.

E o que isso pode me dar? Se eu revelar que não sou totalmente livre e que sou de alguma forma controlado por algum governo global ou alienígenas que pairam sobre mim em uma nave espacial e me controlam, isso mudará alguma coisa em mim?

Vou me comportar de maneira diferente? Não. Só posso descobrir que ajo de acordo com o desejo perverso de alguém. E daí? Não importa, porque continuarei a agir da mesma forma.

Ou seja, todo o nosso trabalho se resume em determinar quem está realmente nos influenciando, quem nos controla.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 12/05/19

Escolha De Acordo Com O Que?

546.03Baal HaSulam, “A Liberdade”: Além disso, até mesmo determinar o tipo de prazer e benefício estão inteiramente fora de sua própria livre escolha, mas segue a vontade dos outros, como eles querem, e não ele. Por exemplo: sento-me, visto-me, falo e como. Faço tudo isso não porque quero me sentar assim, ou falar assim, ou me vestir assim, ou comer assim, mas porque os outros querem que eu me sente, me vista, fale e coma assim. Tudo segue o desejo e a fantasia da sociedade, e não minha própria vontade.

A sociedade determina totalmente o nosso livre arbítrio. Se você for para a China, por exemplo, e viver lá por 20 a 30 anos, começará a compartilhar gradualmente seus gostos e a ver as coisas e a pensar como elas.

Além do mais, faço tudo isso de acordo com a maioria.  Claro que a maioria tem um impacto sobre nós e não indivíduos únicos.

É mais confortável para mim me comportar de maneira simples e livre, mas sou escravizado em cada movimento que faço e preso por correntes de ferro aos gostos e maneiras dos outros que compõem a sociedade. Então, onde está meu livre arbítrio?

Não há liberdade nas estruturas de que falamos.

Como sou operado, no entanto, sem saber e sem escolha, não há espaço para recompensa e castigo.

O que pode ter recompensa ou castigo se somos constantemente forçados a nos comportar da maneira que nos comportamos? Se o Criador me criou do jeito que sou, não posso fazer nada a respeito. Não importa o quanto eu tente, mesmo se eu tentar mudar a mim mesma dezenas de vezes e virar de cabeça para baixo, tudo ainda é feito por Ele e Sua natureza.

Então, inicialmente (mesmo antes de eu nascer) e quando eu tiver concluído tudo, tudo são ações Dele dentro de mim, e não tenho nenhum livre arbítrio.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 12/05/19

“A Liberdade Depende De Onde Você Mora?” (Quora)

Dr. Michael LaitmanMichael Laitman, no Quora: A Liberdade Depende De Onde Você Mora?

A liberdade não depende de onde você mora.

O ambiente em que você vive é dado a você pela natureza, ou seja, por forças fora do seu controle. Você não escolhe seu ambiente, assim como não escolhe a sociedade em que nasceu, a educação que recebeu e os valores com os quais cresceu.

Podemos realizar nossa liberdade de acordo com uma única condição: a liberdade de nossa natureza humana egoísta. Não podemos nos libertar de mais nada.

Liberdade de nossa natureza egoísta significa viver fora das leis e restrições que nosso egoísmo nos dita a cada momento, ou seja, os impulsos da natureza humana desde dentro. É possível realizar essa liberdade se priorizarmos o benefício da sociedade humana acima do benefício próprio. Em outras palavras, a liberdade vem de nos elevarmos acima de nossa natureza egoísta que funciona automática e constantemente na direção do benefício próprio, a fim de beneficiar os outros.

Quando vivemos no desejo de beneficiar os outros, subimos do nível de vida egoísta para o altruísta e ganhamos acesso ao fluxo da natureza em sua perfeição e eternidade. Assim, também nos sentimos perfeitos, eternos e livres.

Perceber essa mudança de consciência não depende de onde vivemos, nossa nacionalidade ou sexo. Depende de como cada um de nós se organiza para superar nossa natureza egoísta inata.

Baseado em Q&A com o Cabalista Dr. Michael Laitman em 9 de setembro de 2006. Escrito/editado por alunos do Cabalista Dr. Michael Laitman.

O Estado De Liberdade

715Pergunta: Na história da humanidade, existem milhões de ditados e inúmeras características qualitativas do que é a liberdade, assim como um milhão de aspirações de pessoas para encontrá-la e um milhão de ilusões de que a alcançaram. Voltaire escreveu: “É difícil libertar os tolos das correntes que reverenciam”.

Você poderia descrever algumas características do estado de liberdade?

Resposta: Liberdade do egoísmo é liberdade no sentido mais geral da palavra. Isso é liberdade de mim mesmo, quando nada em mim dita o que devo ser.

Quando isso é percebido nas sensações de uma pessoa, ela começa a se sentir livre, isto é, desconectada de quaisquer limitações em que existia anteriormente. Em seus pensamentos, ela começa a entender o que significa não agir de forma egoísta, acima do egoísmo.

Pergunta: Podemos dizer que a morte é uma limitação para uma pessoa?

Resposta: Eu não diria que algo acontece na morte. Temos muito medo da morte e pensamos que essa é a pedra angular do nosso desenvolvimento, depois da qual tudo será diferente ou outra coisa. Não creio que devamos ficar particularmente impressionados com isso. O fato de passar pela morte não dá nada.

Pergunta: Não há interdependência entre liberdade e morte?

Resposta: Não. Há outra morte em mente, a morte do egoísmo, não a morte do corpo animal.

Pergunta: É possível que o egoísmo morra, não exista?

Resposta: O egoísmo não morre. A pessoa deve elevar-se acima dele, dominá-lo e só então, neutralizando o egoísmo, será capaz de chegar a uma compreensão do que é a morte.

Pergunta: O que isso dá a uma pessoa e a todas as pessoas?

Resposta: A liberdade do egoísmo.

Pergunta: Todos terão um sentimento comum?

Resposta: Sim. Acima do egoísmo.

Pergunta: Então haverá algum novo trabalho, um novo movimento, um novo desenvolvimento?

Resposta: Elevando-se acima do egoísmo.

De KabTV, “Expresso de Cabalá”, 13/06/21

Pessach – A Celebração Mundial Da Liberdade

229Pergunta: Celebração da Pessach. Ela conta como o povo judeu saiu da escravidão egípcia. Na verdade, para os Cabalistas, parece diferente. Temos nosso egoísmo – nossa natureza, e aqui falamos sobre como sair desse egoísmo.

Agora tenho a sensação de que este não é um feriado judaico, mas um feriado mundial, especialmente considerando os eventos que aconteceram no mundo.

O que Pessach significa para o mundo? Como você se sente com isso?

Resposta: O mundo se sente mal. Mas não sabe a razão disso. Também não conhece a cura para o fato de se sentir mal. Como uma criança, me sinto mal e isso é tudo. Não há reconhecimento do mal, ou seja, a causa do sofrimento.

A razão do sofrimento está no grande e repentino aumento do egoísmo, que às vezes congela um pouco e depois cresce repentinamente com um solavanco.

Pergunta: Então você pode dizer que o mundo agora parece estar dentro da escravidão egípcia, sob a escravidão do egoísmo?

Resposta: Depende apenas de como as pessoas se sentem. Elas apenas se sentem mal.

Pergunta: Então, a celebração de Pessach já atingiu a humanidade?

Resposta: Não acho certo chamar isso de celebração. O mundo não sente que seu egoísmo é a causa de todo o seu sofrimento.

Isso é necessário! Se começarmos a olhar de perto para a nossa natureza egoísta, para a forma como tratamos uns aos outros, podemos concluir que todo o nosso mundo é mau porque somos tão egoístas, porque desejamos o mal uns para os outros, estamos em oposição, em contradição, em conflito, um com o outro: interno, externo e assim por diante. Estamos na escravidão dessa força egoísta que nos guia, nos torce e nos empurra.

Perceber o mal de nossa natureza é a coisa mais importante. Porque depois disso, já podemos chegar a um entendimento de como nos livrar dele.

Pergunta: Se presumirmos que uma pessoa começa a sentir isso, quais são seus pensamentos? Como ela se livra disso? Exceto pelo grito interior: “Quero me livrar dele! Não quero ser egoísta!” O que mais ela precisa?

Resposta: Nada! Exija apenas que a natureza nos mude. Nada mais. Não precisamos fazer nenhum esforço extra, porque realmente não há nada que possamos fazer. Se estivermos dentro do egoísmo, qualquer uma de nossas tentativas e ações ainda será egoísta e, por isso, apenas nos enganaremos.

O que podemos fazer é nos reunir, discutir nossa condição, chegar à conclusão de que ela é simplesmente terrível, e não há como nos livrarmos dela a menos que possamos convencer nossa natureza a nos deixar em paz, que não queremos ser dominados pelo egoísmo. Tire de nós esse desejo estranho, essa força superior, de modo que ela não comande cada um de nós e não nos faça colidir um com o outro!

Pergunta: Então, a pessoa sentirá que está sob o governo do Faraó?

Resposta: Sim. Na escravidão da força maligna da natureza. Então ela começará a entender essa história corretamente. Ele começará a tratá-la corretamente, que na verdade, esta natureza maligna é criada especificamente, por uma força positiva, o Criador. Então nos voltamos a Ele pessoalmente, para que Ele remova essa natureza maligna de nós.

Se convencermos o Criador a remover de nós essa força egoísta do mal que nos empurra uns contra os outros e não nos dá paz, isso se tornará uma celebração verdadeiramente global em que todos estão interconectados, em que todos começam a se tratar corretamente, com amor, com consciência, com a compreensão de que somos um único sistema.

Pergunta: O que é chamado de “saída do povo da escravidão”? O povo – é o mundo inteiro?

Resposta: Absolutamente o mundo inteiro.

Pergunta:  Quem é o líder que os lidera? A Torá diz Moshe, Moisés – o que é?

Resposta: Isso vem da palavra “Moshech” – puxar, tirar. É uma força que tira as pessoas de seu egoísmo. Esse poder vem de cima. O poder da consciência do mal em que vivemos e o poder do bem em que podemos estar.

Pergunta: Você acha que a humanidade deveria alcançar esta força?

Resposta: Todos deveriam sentir que estão gritando, que querem isso. Nada mais é necessário. Não há necessidade de seguir pessoas, líderes, distribuidores, messias e assim por diante. Não precisa de nada.

Pergunta: O que é liberdade então? Afinal, esta é uma celebração da liberdade.

Resposta: Liberdade do egoísmo, liberdade do fato de que você está sempre sob a influência do mal, e é o seu mal interior que o empurra a ser mal aos outros. Tudo isso é uma celebração da libertação. Este é o festival da primavera.

Apenas o egoísmo é a causa do nosso sofrimento. Não há mais nada. Existem apenas duas forças no mundo: positiva e negativa.

Pergunta: Por que simplesmente não atingimos esse ponto?

Resposta: Não queremos, levantamos as mãos e os pés, apenas para evitar chegar perto dele, porque somos todos egoístas. Só no egoísmo sinto a mim mesmo e ao mundo inteiro. Não consigo imaginar como sentir o mundo fora desta qualidade.

Pergunta: Em princípio, a sabedoria da Cabalá fala apenas sobre isso: como sentir quem você é, sua natureza e como sair dela?

Resposta: Sim.

Pergunta: Como fazer com que as pessoas comecem a fazer isso?

Resposta: Se não quisermos, seremos forçados a isso. Mas vai ficar tudo bem.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 22/03/21

Rumo À Liberdade Absoluta

933Pergunta: Como a independência é expressa quando os israelenses deixam o Egito? Do que eles se tornam independentes?

Resposta: Até agora, eles estão apenas fugindo do Faraó, de seu egoísmo. Isso ainda não é ganhar independência, mas romper com a escravidão e nada mais. Há um longo caminho de escravo a mestre.

Comentário: Digamos que um país ganhe independência, assim como os poloneses se tornaram independentes da Rússia …

Minha Resposta: Qual é a independência deles? Eles são todos dependentes uns dos outros. E o mais importante, eles estão em má dependência, porque é egoísta.

E se eles começarem a se unir nas propriedades de amor e doação, então sua dependência será boa, eles se fundirão. Então, não será considerado, como é hoje, que eles estão ligados por algum tipo de vínculo. Afinal, se sei que você me ama, sou independente de você: uso sua propriedade de amor como uma propriedade de minha própria independência, e você é meu. Então somos livres, embora exista a mesma conexão entre nós.

Usamos nosso egoísmo como um elo que nos liga a todos em uma única rede e se manifesta em um estado assustadoramente obrigatório. Vemos que não podemos fugir um do outro, por um lado. Por outro lado, quando nos elevamos acima do ego e construímos a propriedade de amor e doação sobre ele, ganhamos o terceiro nível – independência.

A propriedade interna de ódio/egoísmo e a propriedade de amor/doação, criam uma terceira linha em nós: a liberdade absoluta.

Pergunta: Como resultado, ganhamos independência do Criador?

Resposta: Em primeiro lugar, do Criador. Porque o Criador é o único que criou esta situação. Portanto, é dito: “Eu criei o mal e dei a Torá para corrigi-lo”. Ele é o primeiro e único. E eu sou apenas secundário.

De KabTV, “O Poder do Livro do Zohar” # 6

Alcançando A Liberdade Sobre Nossa Natureza

631.3Pergunta: Você diz que vivemos em um sistema de conexão absoluta uns com os outros. Então todos determinam o destino uns dos outros?

Resposta: Não é um sistema que criamos. É um sistema da natureza que nos mantém unidos.

Pergunta: E no sistema em que vivemos, temos a liberdade de determinar o destino uns dos outros por causa de nossa interconexão?

Resposta: Não escolhemos nossa natureza, existimos nela. Não há nada que possamos fazer a respeito. Temos que aceitar isso como um dado.

Hoje estamos nos aproximando de um estado que nos mostra que não somos totalmente livres porque crescemos a partir dessas estruturas, dessas leis, desses contratos sociais que existíamos antes, quando nos parecia que éramos livres.

Hoje exigimos um tipo diferente de liberdade: a liberdade espiritual. Portanto, a humanidade está agora iniciando um novo estágio de seu desenvolvimento – acima do ego. Começamos a sentir que o egoísmo é nosso mestre de escravos.

Liberdade do ponto de vista da Cabalá é para nós percebermos que não temos liberdade e que queremos adquirir algumas novas qualidades, isto é, alcançar a liberdade no sentido absoluto da palavra: liberdade sobre nossa natureza.

De KabTV, “Estados Espirituais”, 29/04/19

Qualquer Liberdade É Relativa

119Pergunta: É bom quando há liberdade de expressão na nação. Vivemos em um país onde posso escrever o que quiser. Antes eu morava em outro país, numa época em que se podia ser preso por essas coisas. Então, a liberdade de expressão é uma coisa boa ou ruim?

Resposta: Toda liberdade é relativa. Ela deve corresponder claramente ao desenvolvimento da sociedade. A educação, a restrição, tudo o que existe, deve chegar a um sistema em que a pessoa se sinta, por um lado, confortável, por outro, livre e, por outro, segura. Todas essas condições são contraditórias.

Em geral, a rede que precisa ser criada na sociedade deve ser muito flexível. Mas isso continua sendo um problema até hoje.

Vemos que todas as sociedades lutam pelo pluralismo, pela suposta liberdade de opinião, pelo domínio de sua opinião, e assim por diante. Ou seja, a liberdade, em geral, implica uma luta constante.

De KabTV, “Estados Espirituais”, 29/04/19