Textos com a Tag 'Liberdade'

Liberdade De Escolha, Parte 5

laitman_947Escolha O Melhor Ambiente

Baal HaSulam “A Liberdade”: Portanto, quem se esforça para escolher continuamente um ambiente melhor é digno de elogios e recompensas. Mas aqui também não é por causa de seus bons pensamentos e ações, que chegam a ele sem sua escolha, mas por causa de seu esforço para adquirir um bom ambiente, que lhe traz esses bons pensamentos e ações.

Uma pessoa que escolhe o melhor ambiente a cada vez recebe uma recompensa: seu próximo, melhor e mais avançado estado.

Pergunta: O surgimento de bons ou maus pensamentos em mim também não é de mim?

Resposta: Não. Mas o que você faz com eles é de você.

Você pode “se programar” para o futuro. Eu enfatizo: “mais ou menos”. De fato, para desenvolver um maior livre arbítrio em você, suas configurações serão derrubadas toda vez, dando-lhe a oportunidade de se direcionar para a meta com maior precisão. Como um navio do mar que entra no leito de um rio cheio de galhos, é constantemente guiado; você precisa se mover da mesma maneira.

Pergunta: Então, ser uma pessoa boa ou ruim, fazer o bem ou o mal, não depende da pessoa?

Resposta: Não. Apenas escolhendo o seu ambiente, como resultado disso, você faz boas ou más ações.

Além disso, você deve sempre tentar fazer uma boa ação contra seu estado anterior e uma má em relação ao seu estado futuro; então, o próximo estado será melhor. E não se desespere se seu próximo estado lhe for mostrado: “Ah, entendeu?! E você não é o único”. Isso é para empurrá-lo para a frente.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 04/02/19

Escolha O Fator Externo

laitman_962.7Somente uma pessoa tem livre arbítrio porque pode usar um fator externo que lhe permita escolher a direção de seu desenvolvimento. Imagine que um grão de trigo tivesse a oportunidade de escolher como crescer em um talo de dez grãos e decidir quais grãos. O trigo não pode escolher, mas podemos, embora estejamos no mesmo estado. Mas temos a oportunidade de recorrer ao fator especial que nos desenvolverá, e isso é chamado de livre arbítrio.

Se não houver liberdade de escolha, apenas o trigo e mais nada poderá crescer a partir do seu grão de trigo. No entanto, temos a oportunidade de nos tornar um ser humano devido a um fator externo. Portanto, precisamos descobrir qual é esse fator externo, o que ele pode fazer e como podemos despertá-lo. Além disso, precisamos entender por que precisamos desse fator externo, porque ele vai contra todos os nossos desejos, contra a nossa natureza. Acontece que precisamos nos convencer, e isso exige um ambiente que nos ajude a superar todas as dificuldades e provar que esse é um esforço que vale a pena. É muito difícil adquirir liberdade.1

Fatores externos causam um enorme impacto em uma pessoa: passamos nossos pensamentos, desejos, aspirações, objetivos e valores para outras pessoas e recebemos o mesmo delas. Assim, a humanidade se desenvolve sob a influência da sociedade. Particularmente perceptível é a influência da mídia que destrói uma pessoa.

Um fator externo não pode afetar uma pessoa diretamente, mas indiretamente, de maneira indireta; ele tem um efeito muito sério.2

Da 3ª parte da Lição Diária de Cabalá 02/01/20, Escritos de Baal HaSulam “A Liberdade”
1 Minuto 34:40
2 Minuto 38:12

Liberdade De Escolha, Parte 4

laitman_527.03No Turbilhão Da Vida

Pergunta: Todas as ações e condições de uma pessoa neste mundo são predeterminadas, exceto a sua aspiração pelo desenvolvimento espiritual?

Resposta: Uma pessoa também tem certa predisposição para o desenvolvimento espiritual. Ela sente que é atraída para algum lugar.

Em nosso mundo, não nos apressamos apenas no turbilhão da vida. Por exemplo, se eu olhar para trás da altura dos meus setenta anos, verei como sempre fui direcionado a algum lugar. Embora às vezes fossem fluxos turbulentos que me levavam de país para país, de sociedade para sociedade, ainda era um movimento proposital.

Em um certo estágio da jornada, uma pessoa tem a oportunidade de pegar os remos e dirigir o barco em uma direção diferente. Você deve entender isso, perceber isso, determinar quais velas levantar e como controlar seu pequeno barco da vida.

Em princípio, 99,9% das pessoas não entendem isso. Mas há pessoas que, de alguma forma, tentam se direcionar para algum lugar, embora também não entendam onde e com que finalidade.

Portanto, agora, em nosso tempo muito turbulento, quando os turbilhões nos levam em uma direção desconhecida, a ciência da Cabalá está sendo revelada, o que explica que, em princípio, você tem a oportunidade de influenciar seu destino, tem livre arbítrio.

Apesar de você ser afetado pelos dados iniciais incorporados a você, isso não importa. Mesmo assim, você tem a oportunidade de ser influenciado pelo ambiente. Só é necessário escolher cada vez um ambiente ainda mais correto.

Em princípio, a pessoa não escolhe o ambiente, mas o encontra claramente de acordo com a meta e entra no ambiente apropriado. Portanto, antes de tudo, você deve escolher o objetivo da vida.

Se você quer ser músico, artista ou cientista, você escolhe o ambiente em que se desenvolverá para se aproximar da meta que o atrai, da meta que você precisa.

Pergunta: Então, ao longo de todas essas dezenas de milhares de anos de desenvolvimento humano, não tivemos liberdade de escolha. Mas, em certo estágio evolutivo, ela aparece em uma pessoa. Parece que acidentalmente encontramos algum tipo de ambiente. E isso também ainda não é libre arbítrio. Isso começa quando a pessoa já está dentro desse ambiente e trabalha com ele?

Resposta: Sim. O livre arbítrio de uma pessoa se manifesta na medida em que ela se submete ao ambiente, a fim de absorver todas as propriedades e forças necessárias para atingir seu objetivo.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 04/04/19

Liberdade Imaginária

laitman_592.02Pergunta: Eu entendo corretamente que em nosso mundo as mais livres são as crianças antes de começarmos a criá-las? Elas não se importam em como se vestir ou como comer. Entendo corretamente que precisamos usar o exemplo delas e estudar a mais alta das ciências, a Cabalá, e nos amarmos, dançar, cantar e nos alegrar como crianças?

Resposta: As crianças são totalmente dependentes de seus desejos e intenções. E a liberdade que elas sentem é imaginária. De fato, elas não sabem que não são livres e que obedecem cegamente a seus desejos e instintos.

Assim que você começa a limitá-las ou diz que elas precisam se restringir, elas imediatamente resistem fortemente e choram. As crianças não são um exemplo.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 17/11/19

Qual É A Nossa Liberdade De Escolha?

Laitman_041.01Pergunta: Se o objetivo do livre arbítrio é se aproximar do Criador, como posso aproximar alguém do Criador porque, ao fazer isso, não o privaria de sua escolha?

Resposta: Não. O livre arbítrio não está em se mover em direção ao Criador. Para isso, você é despertado de cima.

Você quer dizer que você mesmo escolhe esse caminho? Por quê? Alguém de alguma forma influenciou você. De onde? Como? Você mesmo não sabe e não se lembra. Isso não importa. O fato é que hoje você sente que deseja isso. Mas a escolha não é sua.

Sua escolha não é selecionar o vetor de direção para onde ir, mas mostrar um reforço ainda maior da meta em todas as etapas do seu caminho. Quando seus braços enfraquecem, suas pernas cedem, quando você cai e precisa se levantar para avançar novamente, é quando seu livre arbítrio se manifesta.

O Criador organiza uma descida para você; você deve entender por que Ele organizou isso para você e, assim, implementá-lo corretamente e seguir em frente.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 18/08/19

Para Que As Opiniões Não Pereçam No Mundo

laitman_947Baal HaSulam, “A Liberdade”: Portanto, o coletivo é obrigado a guardar meticulosamente todas as opiniões de poucos, para que não pereçam do mundo. Isso ocorre porque eles devem saber com certeza, com total confiança, que as opiniões mais verdadeiras e mais desenvolvidas nunca estão nas mãos do coletivo em autoridade, mas nas mãos dos mais fracos, isto é, nas mãos da minoria indistinguível.

Pergunta: Por que todos deveriam expressar sua opinião quando nos sentamos em círculos?

Resposta: Até que todos se percebam plenamente na conexão entre nós, não podemos alcançar semelhança com o Criador e construir um grupo onde o Criador será revelado.

O grupo é uma ferramenta. Nós devemos calibrá-lo. Quando giramos o botão de um rádio, sintonizando-o para uma determinada onda, devemos, da mesma maneira, girar todos os membros do grupo para que eles se conectem entre si e, em sua unidade, a força integral mútua e comum se manifestará. Este será o Criador. Portanto, a participação de todos é muito importante. Cada um individualmente é muito importante também.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 25/12/18

O Ponto De Liberdade

Laitman_630.2Pergunta: Qual é o ponto de liberdade em mim e como o Criador foi capaz de libertá-lo de Si mesmo e de tudo o que Ele predeterminou?

Resposta: Cada um de nós tem, além do seu ego, um ponto no coração chamado “uma parte do Criador de cima”. Portanto, somos atraídos a Ele, queremos alcançá-Lo.

As pessoas que têm essa necessidade podem sentir o ponto no coração, e é por isso que tentam se conectar entre si para revelar o Criador.

Da Lição de Cabalá em Russo 18/11/18

O Que É Liberdade?

742.03Pergunta: O que é liberdade? Depende de onde a pessoa está no mundo?

Resposta: A liberdade não depende de qual época ou lugar no mundo a pessoa vive. O ambiente em que uma pessoa vive lhe é dado de cima, de fora.

Ela não escolhe o ambiente, em que sociedade nascer, que tipo de educação receber, ou que valores adotar para viver de acordo.

A liberdade pode ser interpretada de acordo com uma e somente uma condição: a liberdade da minha natureza egoísta. Eu não posso estar livre de nenhuma outra coisa.

A liberdade da minha natureza egoísta significa que não vivo de acordo com as leis do meu egoísmo que a minha natureza me empurra desde dentro, mas apenas de acordo com a sociedade humana, apenas para o benefício da humanidade. Em outras palavras, liberdade significa que eu me elevo acima da minha natureza egoísta para o bem de toda a humanidade.

Eu adquiro minha vida livre acima da minha natureza egoísta. Subindo do nível egoísta da vida para o nível altruísta, eu vivo e também sinto o fluxo da natureza eterna. Eu também me sinto perfeito, eterno e livre.

Naturalmente, a implementação dessas leis não depende do nosso local de residência, nacionalidade ou gênero. Depende da pessoa e do confronto com sua natureza original.

Mesa Redonda de Opiniões Independentes, Berlim 09/09/06

Ocultação Que Dá Liberdade

laitman_528.01Pergunta: Você diz que eu posso receber força através do grupo. O grupo é um transmissor do Criador ou uma fonte de força espiritual?

Resposta: Ambos. O fato é que, com relação a mim, o grupo é a manifestação do Criador. Portanto, eu tento me aderir ao Criador na medida em que tento me fundir com o grupo. Ao doar ao grupo, eu doo ao Criador. Mas eu não vejo nem sei disso.

Se eu visse o Criador em vez do grupo, seria obrigado a doar incessantemente a Ele, como um escravo. Eu estaria automaticamente na forma de um anjo. No entanto, é assim que eu tenho livre arbítrio, por não ver o Criador. Ele está escondido atrás deste mundo.

Portanto, “Olam” (mundo) vem da palavra “Alama” (ocultação). Acontece que a ocultação é uma grande bênção que nos dá livre arbítrio. Somente na medida em que posso permanecer livre de alcançar o Criador, posso revelar essa grande força que controla tudo: passado, presente e futuro.

Pergunta: Digamos que eu conheço uma pessoa rica que é respeitada em todo o mundo. Visto que não quero usá-la para meu próprio benefício, eu sempre escondo minha relação com ela de todos e até mesmo de mim mesmo. É possível imaginar nosso relacionamento com o Criador desta forma?

Resposta: Eu não uso minha relação com o Criador a meu favor, embora Ele seja completamente revelado a mim. Está escrito: “Ele é fiel em toda a minha casa” (Números 12: 07). Ele confia em você e você deve criar uma tela dentro de si para fazer uma restrição (Tzimtzum) em seus desejos – não aceitar nada do Criador e trabalhar apenas para a doação.

Pergunta: Ele está constantemente tentando se revelar para mim e eu, por mim mesmo, constantemente O oculto?

Resposta: Ele é revelado apenas quando você aprende a ocultá-Lo.

Da Lição de Cabalá em Russo 03/12/17

Luta Pela Liberdade

laitman_424.02O estado mais perigoso não é nem a subida nem a descida, mas a indiferença. Não temos força para sair dela: nem para cima nem para baixo. É considerado a morte. Em uma descida, a pessoa experimenta vários problemas, influências negativas e pensamentos estranhos, mas está viva e não está morta. A morte é a indiferença.

O Criador diz: “Venha ao Faraó!” Isto é, Ele nos convida a descobrir o quão oposto somos em relação à força superior, ao mundo espiritual, doação e amor. Nós teremos então ferramentas para o trabalho: a Luz será revelada no fundo da escuridão.

Caso contrário, não podemos discernir nem senti-la. Portanto, o exílio egípcio era necessário porque revelava nossa oposição total ao Criador, pois o Faraó é o inverso do Criador. Quando uma pessoa descobre toda a extensão dessa oposição, está pronta para sair do Egito.

Nosso problema não é nem a luz nem a escuridão, mas o crepúsculo cinza, a indiferença. Nada pode ser feito lá. Se eu estou na prisão e me sinto preso, eu faço todos os esforços para fugir. No entanto, se eu não sinto que estou aprisionado, separado da vida real, estou pronto para permanecer nesta cela para sempre. Não há pior estado. Esta é uma prisão real e apenas o ambiente pode ajudar a pessoa.

Estados ruins ou bons levam ao avanço, mas o estado de indiferença é totalmente estático e toma 90% do nosso tempo. Ele emgole a nossa vida, deixando-nos sem qualquer esperança de alcançar o propósito da criação. Portanto, devemos lutar contra isso. Essa é a nossa área de livre arbítrio, o terço médio de Tiferet, onde nem as forças do alto nem as forças de baixo agem sobre nós – nós estamos no meio delas e não podemos fugir para lugar algum. Esta é a verdadeira prisão.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 18/01/18, Lição sobre o Tema: “Das Obstruções Às Subidas” (Preparação para a Convenção Mundial de 2018)