Textos com a Tag 'Liberdade'

Um Ano De Liberdade

Laitman_509Torá, Deuteronômio, 24: 5: Quando um homem for recém-casado não sairá à guerra, nem se lhe imporá encargo algum; por um ano inteiro ficará livre na sua casa para alegrar a mulher, que tomou.

Geralmente, após o casamento, um homem não tinha que se incomodar em trabalhar demais porque no primeiro ano da vida familiar, todo mundo o ajudava. E um ano depois, tudo era como de costume: família, filhos e trabalho árduo.

No trabalho espiritual de uma pessoa, isso significa um ciclo durante o qual você realiza uma ação correta de correção com um desejo particular (esposa) e é considerado um ano. Durante o ano de trabalho com o desejo, você trata com sua intenção completamente tudo o que está associado a ele.

Ano (Shana), da palavra Leshanot (repetir, mudar), é quando você alcança o ponto de partida. Isso significa que cada ano é um novo grau.

De KabTV “Segredos do Livro Eterno” 26/10/16

No Ponto De Escolha

laitman_760_2Em qualquer ponto de nosso estado espiritual há dois caminhos. Portanto, a frase “Eis que hoje vos proponho uma bênção e uma maldição” (Deuteronômio, 11:26) é repetida muitas vezes na Torá.

Essa frase é relevante em qualquer momento porque as pessoas recebem livre-arbítrio. Um homem é uma criatura que entende, sente, sabe e é capaz de realizar a liberdade de escolha.

Se em cada momento de sua existência ele não vê que há dois caminhos a sua frente e não está certo qual deles é uma bênção e qual é uma maldição, então ele não é um homem, mas um animal que é impulsionado pelo desenvolvimento evolutivo na medida em que uma vara o cutuca por trás.

Mas ele se considera um homem porque está em ocultação, e nem sequer percebe que não decide nada por si mesmo. Ele é como uma marionete nas mãos de um artista.

Por isso, as palavras “Eis que eu vos proponho hoje uma bênção e uma maldição” são dirigidas somente a uma pessoa que, através do estudo e implementação da Cabalá, alcançou a compreensão dos caminhos que estão à sua frente: uma bênção e uma maldição, e pode escolher apenas um deles. Ela não tem outra alternativa se estiver no nível da implementação do livre-arbítrio. E se não perceber, não é um homem.

Portanto, está escrito sobre todas as pessoas no mundo que elas são como animais, com exceção daquelas que, com a ajuda da Cabalá, alcançam o nível do livre-arbítrio.

De KabTV “Segredos do Livro Eterno” 10/08/16

Como A Liberdade De Escolha É Expressa

Laitman_701Pergunta: Como a liberdade de escolha é expressa em uma pessoa? Ela é responsável por sua abordagem ao Criador?

Resposta: A verdade é que não temos liberdade de escolha nisso. Mas, nossa única escolha é despertar nosso desejo de seguir o caminho do desenvolvimento de toda a natureza.

Caso contrário, estamos sob o total controle do Criador. Quando uma pessoa executa o programa da criação antes dele ser realizado nela, ela está realizando sua liberdade de escolha.

Da Lição de Cabalá em Russo 09/06/16

A Liberdade De Escolha No Caminho Para A Ascensão Espiritual

laitman_750_03A parashá “Êkev” indica como entrar na terra de Israel e o que vai acontecer se forem observadas as leis da Torá que foram dadas ao povo pelo Criador.

Afinal de contas, o sistema é uniforme: ou você obedece às suas leis e, portanto, recebe através dele a Luz superior que corrige, abundância, realização e revelação, ou se você o despertar incorretamente em si mesmo, ele gera em você escuridão, todos os tipos de sentimentos negativos que o levam para o mesmo lugar através de um caminho alternativo de desenvolvimento. Mas, neste caso, você faz um círculo, e este círculo é muito desagradável.

Pergunta: Este é um longo tempo de preparação?

Resposta: Sim. Mas em todos os pontos do caminho espiritual, desde o egoísmo, chamado de “Egito”, até o sistema completo de doação e amor, chamado de “a terra de Israel”, há a oportunidade de se mover em linha reta ou de fazer um círculo e voltar basicamente ao ponto de partida, a fim de perceber que estava indo incorretamente, que foi impulsionado pelo egoísmo e não pelo desejo de ascensão espiritual, e, por fim, fazer essa subida.

Comentário: De qualquer forma, “não há outro além Dele”. Por um lado, você faz esse círculo; por outro lado, você não é o único que decide isso …

Resposta: Não, o livre arbítrio nos é dado de cima. Toda a criação estaria perdida de outra forma. Sem livre arbítrio nós teríamos nos tornado pequenos insetos que são totalmente controlados de cima e não haveria nenhum propósito nem significado na criação, nas criaturas, no homem, e no próprio Criador, porque o Criador é revelado apenas em relação às criaturas.

Todo o caminho que percorremos é projetado para reunir nossos esforços de livre arbítrio em uma única unidade, e quando nos aproximamos do resultado final, cada um com o seu próprio esforço, com o fato de que analisamos, escolhemos, ordenamos e testamos, nós criamos a partir de nós mesmos um sistema chamado “homem”.

Caso contrário, se absolutamente tudo é fixo no Criador e não há qualquer livre arbítrio, não há nenhuma razão na criação.

O fato de que vamos chegar ao estado final não nega a nossa constante liberdade de escolha.

De KabTV “Segredos do Livro Eterno” 27/04/16

Nova Vida # 738 – Tomada De Decisão

Nova vida # 738 – Tomada De Decisão
Dr. Michael Laitman em conversa com Oren Levi e Yael Leshed-Harel

Como podemos tomar as decisões corretas? O que nos motiva a chegar a uma determinada decisão e por que é mais fácil tomar decisões racionais quando temos uma meta importante na vida?

Resumo

As pessoas acham difícil tomar decisões porque geralmente não têm diretrizes claras na vida. Nossa mente nos ajuda a decidir onde não há espaço para as emoções, mas a pessoa deve equilibrar as duas.

A pessoa precisa tomar decisões importantes quando tenta descobrir o sentido da vida e, assim, tem que ouvir a sua voz interior. No auge de seu desenvolvimento, a pessoa tem que chegar a um ponto onde critica suas decisões de cima. Para fazer isso, a sabedoria da Cabalá ensina a pessoa qual é a sua natureza e qual é a natureza do mundo que a cerca, e para onde ela está indo.

De KabTV “Nova Vida # 738 – Tomada De Decisão”, 28/06/16

Liberdade Espiritual E Corporal

Laitman_712_03Pergunta: Será que a liberdade espiritual depende do mundo corporal?

Resposta: A liberdade espiritual não depende do mundo corporal. Forças superiores especiais são reveladas em um Cabalista e o ajudam a alcançar a liberdade espiritual e lhe fornecem o atributo de amor e doação que lhe permite sair de si mesmo e flutuar acima do seu egoísmo. Portanto, ele não sente as limitações do seu corpo e este mundo. Não existe nenhuma conexão entre matéria e espírito, e a pessoa pode subir os níveis espirituais e, ao mesmo tempo, permanecer do jeito que está no mundo corporal com a mesma personalidade, os mesmos gostos e hábitos.

Pergunta: Isso significa que não há nada espiritual na matéria?

Resposta: Absolutamente não. Os níveis inanimado, vegetal e animal pertencem ao nosso mundo corporal. Estes níveis de desenvolvimento operam de acordo com a lei egoísta da conservação da energia. De acordo com essa lei, cada partícula quer sustentar apenas a si mesma e à custa de outras, por qualquer meio. O que importa é maximizar constantemente a sua condição.

Pergunta: Será que a liberdade corporal depende do mundo espiritual?

Resposta: Em gerações anteriores, a liberdade corporal não dependia do mundo espiritual. Hoje, no entanto, é de fato assim porque nos nossos tempos, o mundo espiritual e o mundo material estão se aproximando. Portanto, nós encontramos problemas cada vez maiores no mundo corporal e, ao mesmo tempo, mais oportunidades de descobrir o mundo espiritual. Se percebermos e compreendermos o mundo espiritual, seremos capazes de afetar o nosso mundo corporal.

Da Lição de Cabalá em Russo 17/01/16

Liberdade Ilimitada Da Luz De Hassadim

laitman_568_01Pergunta: O que significa que “Bina saiu”? As Sefirot podem se movimentar de acordo com a sua vontade?

Resposta: Isso se refere à doação. Eu posso doar em todos os lugares sem qualquer restrição já que essa é a força de Bina, a Luz de Hassadim (Misericórdia). Com Hassadim, eu posso estar em qualquer lugar sem quaisquer limites e doar a qualquer um que seja apto à minha doação. E com a Luz de Hochma, há diferentes condições.

O feto desfruta a Luz de Hassadim; em outras palavras, desfruta ser semelhante ao superior. Ele não realiza nenhuma ação, mas é semelhante como resultado de sua devoção e autoanulação. Ele quer ser como a mãe, como o Criador. O feto não pode se expressar como o Criador em doação prática, mas manifesta passivamente a sua preparação para ser como Ele.

Da 2ª parte da Lição Diária de Cabalá 13/02/14, O Livro do Zohar

Liberdade Imaginária E Liberdade Verdadeira, Parte 8 – A Universidade Mundial

laitman_578Comentário: Se eu fosse um médico na futura geração e sinais de vazio, depressão, estar fechado e desespero aparecessem em meu paciente, eu não extinguiria esses sinais com a ajuda de comprimidos; ao contrário, eu explicaria a ele para onde ele estava indo e o conduziria na direção certa.

Resposta: Eu acho que, no futuro, ao invés de médicos, haverá guias que proverão às pessoas novos estados, por meio de treinamento, educação, preparação de workshops internos, psicológicos e espirituais que levarão a pessoa a uma sensação de espaço exterior. Então, ao invés de estar fechada dentro de si e só sentir o ambiente inteiro dentro de si mesma, como acontece hoje, é necessário levar a pessoa a um sentimento do que está fora dela. Este será o papel da nova universidade em todo o mundo, e agora que a passagem para uma nova necessidade está acontecendo dentro da humanidade, uma nova avaliação da vida, nós precisamos pensar na criação de uma nova rede de ensino.

Continua…

De KabTV “A Última Geração” 11/06/15

Liberdade Imaginária E Liberdade Verdadeira, Parte 6 – Verdadeira Liberdade

laitman_527_03Pergunta: “Sair de si mesmo” para o amor ao próximo é a liberdade verdadeira ou a liberdade imaginária?

Resposta: Esta é especificamente a liberdade. É porque quando eu subo acima de mim e saio para o amor ao próximo, eu não apenas mudo a mim mesmo para o próximo, e em vez do meu ego outra pessoa me escraviza.

Não. Ao sair de mim mesmo, eu vou ao próximo nível de existência e, assim, me separo de mim mesmo.

Eu paro de ver este mundo da mesma forma que vejo com meus cinco sentidos egoístas, e começo a olhá-lo com cinco sentidos altruístas: Keter, Hochma, Bina, Zeir AnpinMalchut. Eles são sentidos completamente diferentes.

Eu começo a ver o nosso mundo como eterno, infinito e pleno, e me vejo da mesma forma. E aquele meu pedaço egoísta que sempre me segurou e não me soltou já não pode me prender; eu estou separado dele e começo meu voo livre.

Agora eu não estou limitado de forma alguma, nem em realizar o amor, nem em realizar a minha conexão mútua, e nem em qualquer outra coisa. Eu entro num novo espaço que não está fechado dentro da “panela” deste mundo; meu “eu” é determinado lá pela minha conexão com todos os outros.

Tudo o que se encontra fora de mim é todo meu “eu”, porque eu me mudei para outro espaço dentro de apenas um ponto, o que, em princípio, é o que me desperta. Especificamente neste ponto, graças ao qual eu de alguma forma me senti dentro de uma panela, eu deixo o espaço fechado. Tudo o resto permanece dentro da panela.

Continua…

De KabTV “A Última Geração” 11/06/15

Liberdade Imaginária E Liberdade Verdadeira, Parte 5 – Liberdade Depois Da Solução Do Problema

laitman_424_02Pergunta: Quando criança, eu tinha a sensação de que o mundo inteiro era uma panela. O céu era a tampa e eu estava no fundo da panela como um pequeno inseto.

Todas as histórias sobre a Terra ser redonda e grande perdiam a cor em comparação com esse sentimento interno de estar isolado, preso, encerrado sem uma saída. O que é esse sentimento?

Resposta: Este é um sentimento muito real sobre o nosso mundo fechado. Além disso, ele é fechado de modo que, por um lado, nos vemos em algum tipo de espaço imenso, mas, por outro lado, este espaço está morto, não tem nada nele.

E mesmo que não estivéssemos nessa pequena bola, mas em outra galáxia, seria a mesma coisa, eu não seria capaz de escapar de mim mesmo. Só haveria outras condições da natureza inanimada, e o que mais?

Nós realmente estamos numa “panela com uma tampa”, e se não saímos dessa situação, todos nós podemos esperar um final amargo; não há nada a fazer aqui. Mas este sentimento ajuda as pessoas a considerar por que a natureza nos criou como seres inteligentes e nos desenvolveu de uma partícula inanimada até os organismos mais complexos; afinal de contas, não pode ser que isso foi sem propósito.

Ao que parece, por trás do organismo físico, interno e psicológico (que é ainda mais interna), existem outras capacidades e possibilidades, forças e características secretas que devem ser descobertas em nós.

Como o ser humano uma vez surgiu de um macaco, ele deve ter algo mais no seu desenvolvimento interno. Nós estamos indo em direção a isso e a sabedoria da Cabalá nos explica como desenvolvermos isso dentro de nós mesmos.

Hoje, a humanidade já atingiu o sentimento de um confronto final nas suas relações mútuas, e isso deve ser resolvido, porque o aprofundamento constante de confrontos entre nações e povos é muito primitivo, limitado, fechado e não nos permite sair da gigantesca “panela” do nosso mundo.

Assim, o mesmo impulso que hoje domina massas cada vez maiores nos levará a uma solução deste problema. Nós vemos, de acordo com a depressão que impregna o mundo, de acordo com a necessidade de drogas, de acordo com as guerras e desordem sem fim, que a humanidade está à procura de uma fuga, mas não sabe o que fazer.

As pessoas estão novamente se voltando às religiões e não encontram nada nelas, o que significa que uma oposição está aparecendo entre as próprias massas.

Esta é a procura de uma solução para o problema. É mais profundo do que a liberdade ou a falta de liberdade. Em outras palavras, se eu vejo algum tipo de propósito à minha frente que não fornece nenhuma liberdade, eu vou concordar com isso; e se eu não o vejo, isso já é o fim.

Mas o quanto essa meta está conectada à liberdade, não sabemos. Na verdade, ela está sempre conectada à liberdade, mas hoje não podemos compreender o que é isso.

De acordo com a Cabalá, se você quer ser livre, deve parar de se preocupar em ir mais fundo dentro de si e deve começar a trabalhar fora de si, para o bem dos outros.

E quando, em vez de se preocupar consigo mesmo, você começar a se preocupar com os outros, em vez de amar a si mesmo, você ama e sente-os, e eles se tornam sua única fonte de preocupação e amor, seus pensamentos e impulsos, então você estará livre. Livre do quê? Livre de si mesmo. É apenas neste caso que nós temos uma possibilidade de sair de nós mesmos.

Caso contrário, estamos sempre nos enganando, dizendo que não somos egoístas, somos livres e coisas assim. Uma vez que o ego nos envolve na “panela” geral, é natural que ele é o senhor dos escravos aqui.

Continua …

De KabTV “A Última Geração” 11/06/15