Textos com a Tag 'Desejo'

Evolução Dos Desejos, Parte 13

laitman_600.01Ao Nível Da Interação Absoluta

Pergunta: Uma pessoa consiste em intenção, desejos, sentimentos, emoções, razão e pensamentos. Existem dois tipos de intenções: para si ou para os outros? Existe apenas um desejo – de desfrutar?

Resposta: Sim. Nada mais. Esta é uma qualidade da natureza. Isto é, receber satisfação ou evitar o sofrimento é basicamente o mesmo.

Sentimentos e emoções se manifestam no desejo, na magnitude de seu preenchimento. A mente nos permite perceber com precisão o que queremos.

Observação: Antes eu pensava que a mente é separada, por assim dizer, ou vice-versa, que os desejos servem à mente.

Resposta: A mente nos níveis inanimado, vegetativo e animado pode servir a desejos instintivos. Quando uma pessoa se desenvolve, a mente começa a servir seus desejos humanos.

De fato, precisamos de razão para contornar os desejos inanimados, vegetativos, animais e até humanos, e começar a subir ao nível da interação absoluta, superior à nossa natureza. Essa é a chamada “fé acima da razão”, quando buscamos conexão uns com os outros, apesar de todos os outros desejos e intenções.

Pergunta: Nosso objetivo é corrigir a percepção egoísta natural do mundo, os desejos egoístas – em relação ao próximo?

Resposta: Nem mesmo ao próximo, mas à união: “Ame seu próximo como a si mesmo”. Isto é, devo amar a mim e a meu próximo também. Isso significa unificação absoluta para criar um sistema comum. Portanto, quero ser parte integrante.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá” 19/07/19

A Evolução Dos Desejos, Parte 10

laitman_423.03O Que Determina As Intenções?

Pergunta: A sociedade controla nossos desejos. Determina com o que eles serão preenchidos. Somente a força superior pode alterar as intenções?

Resposta: As intenções também são determinadas pela sociedade. Mas se uma pessoa deseja mudar suas intenções contrárias à sociedade em que se encontra, ou seja, não quer permanecer nela, mas quer se elevar acima dela, então ela praticamente não tem oportunidade.

Portanto, a pessoa deve ir além dos limites dessa sociedade, remover-se fisicamente de sua influência ou atrair a influência de outro poder superior sobre si mesma. Então, ela pode mudar a si mesma. Caso contrário, a pessoa falhará.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 03/12/18

Evolução Dos Desejos, Parte 9

Laitman_115O Que Dá Origem A Um Pensamento?

Pergunta: Com o que os pensamentos se relacionam – desejo ou intenção?

Resposta: Um pensamento surge quando há uma contradição entre o que é desejado e o que você tem. A diferença entre o desejado e o real dá origem a um pensamento. Caso contrário, ele não teria surgido.

Se sinto o que quero, não tenho pensamento. Eu tenho algum tipo de satisfação no desejo e pronto. Se sinto que meu desejo é completamente diferente daquele que está em mim agora, então a diferença entre o desejado e a realidade dá origem ao pensamento.

Esse pensamento, por sua vez, dá origem a uma certa ação: como alcançar esse vetor de forças que me conduziria desse estado para um mais desejável.

Pergunta: Suponha que eu esteja com fome e imediatamente receba algum preenchimento, então eu nem sequer tenho um pensamento. Se estou com fome e não há tal preenchimento em torno de mim, sem comida, começo a pensar em como posso encontrá-lo?

Resposta: Sim, como dizem: “o amor e a fome governam o mundo”. A ausência do desejado gera pensamento, desenvolvimento. Portanto, é dito, “eles dão dois imbatíveis por um derrotado”. Quando uma pessoa recebe punição ou sofrimento, ela se desenvolve.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 03/12/18

Evolução Dos Desejos, Parte 1

laitman_738Quatro Níveis De Desejos

Pergunta: Toda a história da humanidade é um processo de desenvolvimento dos desejos humanos. Baal HaSulam escreve em seus artigos que tanto na natureza quanto dentro de uma pessoa existem quatro níveis de desejos: inanimado, vegetativo, animado e humano. Portanto, vemos esses quatro níveis fora de nós.

Quais são esses desejos e quantos deles estão lá, em qualidade e em quantidade?

Resposta: Em princípio, o desejo de se preencher é comum a todos os níveis da natureza. O que deve ser preenchido depende da deficiência que o desejo sente e do que lhe dará a sensação de satisfação e prazer.

Se esse desejo está no nível inanimado, ele quer se realizar como é. Ao mesmo tempo, não é capaz de adicionar ou subtrair nada do seu desejo, mas apenas age da mesma maneira que existe. Esse desejo é chamado inanimado. Não pode se desenvolver, mas quer preencher o que sente falta, isto é, aproximar-se de algo, distanciar-se de alguma coisa. Funciona desta forma.

Então o desejo se desenvolve do nível inanimado para o vegetativo.

No nível vegetativo, já existem mudanças no desejo em si. Ele cresce, muda sua forma, cria todos os tipos de desejos e ferramentas auxiliares para sua própria realização. Portanto, ele se desenvolve longitudinalmente, em largura, cresce, se move em direção ao sol, ar e água. Adquire a capacidade de controlar seu desejo inicial para se realizar. Esse desejo é chamado vegetativo.

No entanto, ele não pode sair do seu lugar; como uma planta, ele cresce no mesmo lugar em que foi plantado. Pode se espalhar a partir daí, mas sua raiz inicial permanece onde foi plantada pela força superior, algo ou alguém externo. Continua a desenvolver-se a partir deste estado.

Entretanto, esse tipo de desejo pode se reproduzir, influenciar o ambiente e ser influenciado pelo ambiente. É como plantas que interagem com os quatro estados da natureza: inverno, primavera, verão e outono. O desejo inanimado, no entanto, não tem essa capacidade.

O desejo vegetativo difere do inanimado pelo fato de se espalhar, mas até agora permanece no mesmo lugar em que existe.

O próximo desejo é o animado. Já pode mover-se de um lugar para outro, o que significa que tem liberdade de movimento. Naturalmente, sua reprodução é muito mais complicada e não consiste nos mesmos estados dos estados de uma planta, mas requer conexão com os outros.

No desejo animado há indivíduos masculinos e femininos que se movem, constroem uma família entre si, buscam ativamente o sustento, e assim por diante. Já existe uma briga por um lugar, por uma espécie e por uma fêmea aqui. Isto é, esse desejo tem todo um conjunto de ferramentas para se perceber de uma maneira ótima.

O próximo nível de desejo é o humano que contém todos os desejos anteriores. Além disso, ele tem livre-arbítrio em sua implementação, e pode se mover, combinar, se afastar, aproximar e mudar sua meta para o que e como ele pode se desenvolver.

O humano não está limitado em seus desejos e satisfação, tudo depende apenas dele. Portanto, seus desejos: inanimados, vegetativos, animados e humanos, dão a ele total liberdade. Ele é o líder, ele é o rei da natureza.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 03/12/18

Entre Eu E O Desejo Egoísta

laitman_963.1O período anterior a Tisha B’Av (o dia 9 de Av) é considerado ruim. Embora Israel deva estar acima do tempo e do calendário, ainda assim sentimos o peso e a influência deste período difícil em nós. Há problemas crescentes no mundo, anomalias climáticas, todos os tipos de conflitos. Nessas ocasiões, é muito importante trabalhar na unificação da sociedade, que é o único remédio e oportunidade para acelerar nosso desenvolvimento na direção certa e pelos meios corretos.

Estamos realizando uma noite de unidade nestes tempos, a fim de usar o crescente egoísmo e seu despertar como uma força necessária para o avanço.1

A sociedade começa quando todos entendem que o objetivo da nossa vida é desenvolver-se para doar ao Criador. Ao fazer isso, nos tornamos iguais a Ele em qualidades, começamos a compreendê-Lo e senti-Lo, a nos conectar com Ele e a aderir a Ele. A adesão completa ao Criador é o propósito do nosso desenvolvimento e do desenvolvimento da realidade. Toda a realidade se torna um ponto de adesão entre nós e o Criador. Isso determina o princípio fundamental da nossa sociedade.2

Nós não estamos cancelando a vida corpórea. No entanto, o principal para uma pessoa é alcançar sua alma eterna chamada “a parte divina de cima”. A alma é a adesão de uma pessoa ao Criador. Para alcançar essa adesão, precisamos trabalhar juntos e nos apoiar no grupo. Portanto, em primeiro lugar, precisamos organizar a sociedade correta que é direcionada, tanto quanto possível, para alcançar esse objetivo de adesão ao Criador.3

Doar ao Criador significa cumprir a Sua vontade através da adesão com Ele, através da equivalência de forma. Como Ele é misericordioso, devo tornar-me misericordioso, isto é, alcançar o amor ao próximo. No entanto, a fim de fazer isso, eu primeiro descubro o ódio, a separação e a rejeição dos outros para construir a qualidade oposta acima dessas qualidades: conexão e amor. Este é o trabalho da sociedade.

A sociedade deve me ajudar e me guiar nesse trabalho. Eu entendo que sou preguiçoso e que a cada momento tento evitar trabalhar em conexão, consciente ou inconscientemente. Portanto, quero que a sociedade me abrace como uma mãe segura seu bebê, carregando-me em suas mãos leais. Estou pronto para me dedicar à sociedade, porque já me controlei e percebi que sozinho não tenho força nem inteligência, nem chance. Deixe a sociedade fazer um ser humano de mim.4

Neste momento difícil antes do dia 9 de Av, precisamos prestar mais atenção em como o egoísmo nos governa, confunde e nos reduz ao grau animalesco por todos os meios possíveis: problemas com o clima, na sociedade, no trabalho e na família. Este momento, com todas as suas dificuldades, requer mais conexão de nós, porque é a hora de receber a Torá. Poderíamos ter recebido a Torá, mas não fomos capazes de recebe-la e, portanto, recebemos a destruição – o dia 9 de Av. Isso já aconteceu várias vezes.

Se a inclinação ao mal não é revelada, não temos nada para corrigir e nada a partir do que possamos construir nossa conexão com o Criador. A pessoa chega ao Criador a partir de duas linhas: a inclinação do mal e a inclinação ao bem contra ela. Eu venho ao Criador com minha natureza má e peço a Ele que me dê uma boa natureza para neutralizar e controlar meu egoísmo.

Hoje, estamos nos reunindo para a noite de unidade a fim de revelar juntos nossa inclinação ao mal e nossa capacidade de nos conectar e revelar a inclinação ao bem. Elas são reveladas uma contra a outra. 1.500 egoístas que entendem que o objetivo desejado pode ser alcançado apenas nos vasos de doação reunindo-se. Se cada um puder se elevar um pouco acima de si mesmo, então, através desse esforço comum, seremos capazes de fazer uma oração, pedir à Luz que nos separe um pouco do nosso desejo egoísta.

Estamos colados ao egoísmo, mas queremos nos elevar um pouco mais. A Luz, como a água, entra entre eu e o desejo egoísta, e eu começo a navegar acima dele como se estivesse em um barco, no meu grupo. De lá, já poderei começar a subir.5

Da 2ª parte da Lição Diária de Cabalá 14/07/19, Preparando-se para o Dia de Unidade
1 Minuto 01:30
2 Minuto 04:08
3 Minuto 06:10
4 Minuto 09:12
5 Minuto 12:10

O Desejo Determina O Pensamento

laitman_543.01Pergunta: Qual é a relação entre pensamento e desejo?

Resposta: O desejo determina os pensamentos. Se fosse o contrário, seria bom. Mas, na verdade, os desejos determinam tudo. Isto é o que o Criador disse: “Eu criei o desejo”, um mal nisso. Os pensamentos aparecem para alcançar o que é desejado.

Isto é, primeiro eu quero, e depois pensamentos me vêm sobre como resolver esse problema. Assim, o desejo é primário e o pensamento é secundário.

Da Lição de Cabalá em Russo 03/02/19

O Desejo Muda, Os Pensamentos Mudam

Laitman_718.04Pergunta: Quando um desejo me domina, posso pensar nele sem parar. Como um desejo pode repentinamente afetar um nível superior de pensamentos?

Resposta: O desejo muda, os pensamentos mudam. Estou começando a pensar em como servir ao meu novo desejo.

Pergunta: Até que o desejo mude, o pensamento não muda?

Resposta: Claro. Quanto tempo passamos com a cabeça vazia, sem pensar em nada, com nada além de ondas vagando nela. Assim que surge o desejo de algo, já estou começando a pensar em como e quando devo implementá-lo.

Da Lição de Cabalá em Russo 03/02/19

Energia Do Ar Fino

laitman_294.1O desejo egoísta funciona perfeitamente neste mundo quando vê claramente uma recompensa diante dele, pode pesar os benefícios de suas ações e decidir onde e quanto deve se esforçar. O egoísmo pode lutar por uma recompensa.

No entanto, quando se trata do desejo de doar, não temos força para produzi-lo. Não vemos recompensa e não temos motivação para agir. Acontece que a necessidade de realizar uma ação em prol da doação anula o desejo de receber em nós, e não podemos nos mover com ela. Sentimos como se não tivéssemos braços, pernas, cabeça e energia. Se não há motivação, eu não posso me mexer, vou ficar na cama.

Eu preciso de algum tipo de incentivo para me levantar. Surgem então problemas que me afligem. Então percebo que os problemas são, de fato, bons para mim, porque me despertam para agir.

Se não trabalhamos com o nosso desejo de receber, não podemos fazer nada. Tudo iria parar. Imagine o desejo de receber, o egoísmo – a base do mundo, cada átomo e partícula – repentinamente desligados em todo o mundo. O mundo permaneceria completamente imóvel porque o movimento ocorre para preencher uma deficiência. Se o ego não quiser nada, permanecerá inativo.

O mundo iria parar. Haveria um completo silêncio, e isso significa que tudo desapareceria. Se os elétrons parassem de girar em um átomo, ele desapareceria porque não tem nada além dessas rotações, uma deficiência. Apenas os movimentos de deficiência são importantes e, se a deficiência desaparecesse, o movimento cessaria e a matéria desapareceria. A matéria é uma deficiência.

Como é possível realizar ações de doação? Como você pode construir um segundo andar, um altruísta, sem sufocar a condição material? Deixe a matéria continuar a funcionar, isso não interfere em nós; pelo contrário, ajuda. Depois de cada ascensão, sempre cairemos no nível corpóreo, de modo que, desse nível, subiremos ainda mais. Como encontramos um novo combustível não baseado no desejo de receber, mas no desejo de doar?

Como podemos querer doar? Essa é a questão principal. Sua resposta é a chave para o sucesso porque a humanidade se desenvolveu o suficiente para alcançar o fim da correção. A única questão é como encontrar a força de doação em todos os estados. Essa força já existe, mas precisamos extraí-la. Ela não virá por si só, caso contrário, teria sido revelado no mundo há muito tempo.

A necessidade disso já é inerente a uma pessoa, porque todo mundo pergunta: “Que tipo de vida é essa? O que estamos vivendo? Qual é a razão?” No entanto, isso não vai mais longe, porque mesmo a força de doação que queremos receber egoisticamente, mas não vem desta maneira.

A questão é que tipo de mecanismo deveríamos construir para receber a força de doação através dele, que preencheria toda a realidade? Os astrofísicos dizem que há energia que preenche todo o universo. Pensamos que o espaço é um vácuo, mas, na verdade, é cheio de energia.

Eles estão agora tentando extrair essa informação nos escritos do famoso pesquisador Tesla, que os manteve em segredo em seu tempo. Eles acham que ele encontrou uma maneira de obter energia diretamente do ar. De fato, não é um espaço vazio, é cheio de energia. A questão é como abrir essa fonte de energia? Instruções sobre como fazer isso estão à nossa frente – é um livro Cabalístico.

Os sábios Cabalistas dizem que essa energia pode ser recebida através da dezena. Através da dezena, nos conectamos ao espaço preenchido com a força de doação, chamada de “o Criador”. A dezena funciona como um modem ou um adaptador que nos conecta a essa força oculta.

Essa força sempre permanecerá em ocultação. É revelada apenas dentro da dezena como se estivesse em um detector dessa força superior. Na medida da minha inclusão na dezena, minha conexão com ela e meus esforços para despertá-la para a conexão com a força superior, eu recebo essa energia de doação. É como se eu inserisse meu plugue na tomada e começasse a receber energia. Essa é a única maneira de funcionar.

Então descobriremos que estamos dentro do campo da força superior, que “é boa e faz o bem”. É a única força, nada mais do que ela existe. Todas as forças opostas estão concentradas apenas dentro de mim, a fim de me ajudar a me conectar com essa força superior e começar a receber energia dela.1

Da 2ª parte da Lição Diária de Cabalá, 01/04/19, “Construindo a Futura Sociedade”
1 minuto 01:30

A Estrutura Do Desejo Espiritual

laitman_283.01Pergunta: Qual é a estrutura do desejo espiritual? Como ela difere da estrutura do meu desejo atual?

Resposta: O desejo espiritual é as dez Sefirot: nove Sefirot terminando com Malchut.

A luz superior, que se espalha pelas quatro fases da luz direta, forma nove Sefirot: Keter, Hochma, Bina e Zeir Anpin, que por sua vez consistem em seis Sefirot. Passando por eles, a luz constrói o quinto estágio – Malchut.

As primeiras nove propriedades são as propriedades de doação e Malchut é a propriedade de recepção.

Quando Malchut se torna como as nove Sefirot, ocorre uma conjugação com ela e as propriedades de doação. Portanto, ela pode receber a luz superior, mas somente se tiver uma tela (redução) para receber a luz superior.

Assim, a conexão deles surge na conjugação de Malchut com as nove Sefirot.

Da Lição de Cabalá em Russo, 25/11/18

Uma Grande Chama

laitman_214.01De acordo com o desejo da força superior, todas as pessoas devem se unir em um corpo espiritual. Foi assim que fomos inicialmente criados e depois quebrados, para que pudéssemos restaurar nossa conexão por meio de nossas próprias buscas, esforços e ajuda mútua. Por causa disso, nós entenderemos nosso lugar no sistema comum, a conexão exata das peças desse quebra-cabeça, as peças de Lego espalhadas e todas as vantagens dessa conexão.

Se não houvesse quebra nem necessidade de restaurar a conexão, seríamos capazes de sentir apenas a existência primitiva, a menor Luz nos níveis inanimado, vegetativo e animado. Nós, no entanto, seríamos incapazes de alcançar o nível do homem, Adão, semelhante ao Criador, a força superior, eterna e perfeita.

Devemos, portanto, passar por um processo muito complexo de desenvolvimento. No início, apenas poucos escolhidos foram capazes de compreender a ideia de unidade e correção nas vinte gerações que se seguiram a Adão, o primeiro homem que revelou a força superior há quase seis mil anos atrás, a Abraão. Abraão já começou a formar grupos, dezenas que superaram seu egoísmo. Hoje, nós continuamos a trabalhar em nossa conexão com a mesma metodologia.

Em essência, Abraão começou a construir a sociedade humana, uma nação especial na qual todos estão conectados. Eles queriam revelar o Criador, a força superior dentro de sua unidade, que os satisfaria e os levaria à compreensão mútua completa com o Criador.

Também aspiramos a revelar a força superior para entender o que está acontecendo: o que o Criador deseja de nós e o que queremos Dele. A correção final da quebra é que todas as pessoas do mundo, toda a humanidade, estarão unidas em um único grupo.

Se até mesmo alguns grupos se unirem dessa maneira, todos os outros se juntarão a eles. O Criador completará este trabalho; a principal coisa para nós é começar essa conexão, como o catalisador de uma reação química. Nós vivemos em um sistema integral, então se um grupo pode alcançar a conexão integral, esta força afetará a todos e todos se unirão e revelarão o Criador, e alcançarão o fim da correção.

Nós participamos de workshops, examinando questões nas dezenas. O mais importante não é ser esperto, mas ter como objetivo a conexão. O trabalho nas dezenas consiste em absorver os desejos, perguntas e sentimentos de cada amigo sentado à minha frente. Não importa quão bem entendamos a resposta para a pergunta, o principal é expandir nossa percepção espiritual, nosso Kli, absorvendo todos os pensamentos de nossos amigos.

Eu não os critico, quero absorver todos os seus pensamentos e desejos, absorvê-los em mim mesmo. É assim que eu expandi meu Kli e me tornei adequado para preenchê-lo com a Luz superior. É assim que expandimos o Kli de todos, construímos um desejo comum mais complexo e, no final, alcançamos semelhança com a Luz superior e nos tornamos um todo. Tendo alcançado a conexão mínima, podemos revelar a Luz mais fraca, Nefesh, mas já começamos a sentir o Criador, a eternidade e a perfeição, a Luz superior.

Como um homem míope que, ao remover os óculos, vê contornos embaçados de pessoas, também chegamos a revelar o mundo superior, pelo menos em seus contornos gerais.1

Da Convenção Mundial de Cabalá “Dia Um” 19/2/19 , Lição 1, “Uma Grande Chama”
1 minuto 5:30