Textos com a Tag 'Desejo'

Reavaliando Os Desejos

laitman_624.04Comentário: Depois que comecei a estudar Cabalá, muita coisa mudou na minha vida. Eu reavaliei meus valores e desejos.

Minha Resposta: De fato, uma pessoa que começa a estudar Cabalá está pronta para diminuir suas expectativas desta vida para um nível mínimo normal. Comida, abrigo e família são tudo o que ela precisa no nível corporal.

Você não deve estar correndo atrás de objetivos corporais. Você deve ansiar pela consecução do estado perfeito e eterno, que você vê à sua frente possível.

Tudo o resto é temporário e desaparecerá de qualquer forma. A esse respeito, a sabedoria da Cabalá ajuda a pessoa a se posicionar corretamente em relação aos valores que ela pode obter em nosso mundo.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 26/01/20

Nova Vida # 1187 – O Desejo De Uma Vida Perfeita

Nova Vida # 1187 – O Desejo De Uma Vida Perfeita
Dr. Michael Laitman em conversa com Oren Levi e Yael Leshed-Harel

De acordo com a sabedoria da Cabalá, perfeição significa completar o seu lugar em toda a humanidade, ajudando todos os outros a se tornarem perfeitos. Cada um de nós se torna parceiro da força superior cujo nome é perfeição. Ao se apegar ao ambiente, a pessoa aprende o que vale a pena desejar e começa a se sentir íntegra. Em uma vida perfeita, ninguém se aproxima egoisticamente de si mesmo, mas transmite tudo aos outros. Quando a humanidade se corrigir dessa maneira, toda a natureza parecerá perfeita.

De KabTV, “Nova Vida # 1187 – O Desejo De Uma Vida Perfeita”, 10/12/19

Deixe A Segurança Do Conhecido, O Egoísmo, E Descubra A Perfeição, A Doação

laitman_962.8O desejo pessoal de cada um é muito pequeno, ele é capaz de desfrutar apenas dos prazeres deste mundo. Se uma pessoa adquire os desejos do Criador, isto é, a intenção em prol da doação, ela ganha um desejo ilimitado, um vaso espiritual, e dessa forma desfruta de não receber, mas doar. Ela não está mais isolada, sob o domínio de sensações temporárias, aleatórias e pessoais, mas em um sentido de realização eterna, perfeita e infinita.

Essa é a diferença entre desejos egoístas e desejos altruístas. De fato, o objetivo da criação é deleitar as criaturas. Devemos desfrutar, mas de tal maneira que o Criador possa nos dar realização ilimitada; isto é, não nos limitaríamos. Portanto, precisamos de um desejo que esteja fora da criação, sem limites. E isso só pode ser com doação.

Assusta-nos que supostamente nos afastemos do nosso “eu” e nos perdemos, caindo em escravidão para a força superior. Mas isso não é de todo verdade. Pelo contrário, trocamos um desejo minúsculo, temporário, aleatório e limitado por um perfeito, eterno e ilimitado. Essa é toda a diferença. Mas para isso é necessário superar a barreira psicológica: o meu desejo. Eu me agarro a ele como um bebê a um velho ursinho de pelúcia. Ele não pode abandoná-lo, embora o mundo inteiro lhe seja oferecido em troca: vá, desfrute e abra novos horizontes. Não, ele só quer esse urso, agarrando-o a si mesmo, porque é “meu”.

Por isso, discordamos de nos afastarmos do egoísmo mesquinho, embora isso nos dê apenas problemas. De fato, esses problemas são uma ajuda para nós, um chamado do Criador para sair do egoísmo. Mas, por mais que tentemos tirar o brinquedo das mãos da criança, ela não o deixa ir.

A sabedoria da Cabalá está tentando nos explicar que vale a pena deixar o egoísmo e começar a trabalhar em grupo. No entanto, temos grandes dificuldades em aceitar essas explicações. Somos bem fechados, limitados e incapazes de pensar logo acima dessa fronteira egoísta, acima do nosso velho urso. Nós nos apegamos a ele e nos parece que toda a nossa vida está encerrada nele.

Somente o grupo e a luz que reforma podem ajudar e mudar alguma coisa aqui. Portanto, o Criador, em preparação, rompe a alma comum e diz: “Que se possa ajudar o próximo”. Não posso me ajudar, não sou capaz de combater meu egoísmo, mas posso ajudar meus amigos. E assim é para cada um de nós.

Todos na dezena pensam nos outros e, graças a isso, temos a oportunidade de deixar esse urso ir, abrir nossas mãos e, em troca, entrar em outro mundo, outra realidade. O Criador fez uma ótima preparação para nos dar essa oportunidade afortunada. Precisamos apenas ouvir os conselhos dos Cabalistas. Estamos em um ponto crítico hoje e podemos realizar essa transição se pensarmos seriamente sobre ela e não perdermos a chance que nos é dada. 1

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 28/01/20, “Doar Contentamento ao Criador”
1 Minuto 04:00

O Propósito Do Grupo Cabalístico, Parte 3

749.02O Maior Desejo – Israel

Pergunta: A evolução separa constantemente algumas partes da natureza. Acontece que um grupo de pessoas chamado “Israel”, que tem um certo caminho de desenvolvimento, é selecionado pela evolução. Então, todos os tipos de pequenos grupos chamados “dezenas” compõem esse grupo.

Por que é impossível trabalhar com toda a humanidade? Por que é necessário ser encerrado em um pequeno grupo de pessoas?

Resposta: O fato é que a alma, ou seja, o desejo geral criado pelo Criador, é dividida em muitos níveis e subníveis diferentes. Por exemplo, se tomarmos o seu nível mais alto e mais sensível, ele será, por sua vez, o mais egoísta e, ao mesmo tempo, o mais próximo de seu efeito à luz. Isto é, ele é direcionado para a luz e a luz é direcionada para ele. A luz é a influência do Criador em um desejo.

Portanto, em primeiro lugar, é esse desejo mais elevado que começa a se desenvolver, que, por causa de sua aspiração ao Criador, é chamado “Israel”, que significa “direto ao Criador”. Estando mais próximo a Ele, ele deve primeiro entrar em contato com o Criador e, por meio dele, a influência do Criador passa para os outros desejos.

Observação: Sabemos que isso não tem relação com as nacionalidades visto que o grupo de Israel foi formado pelos representantes menos egoístas de várias tribos da antiga Babilônia.

Meu Comentário: eu não diria que eles eram menos egoístas. Pelo contrário, eles se sentiam mais desapegados e mais suscetíveis a todos os tipos de estados ruins. Como resultado disso, sentiram que eram obrigados a atingir o sentido da vida ou, alegoricamente, que deveriam atingir de onde vêm, quem os governa e como podem mudar suas vidas.

Portanto, eles se reuniram em torno de Abraão, que os chamou para a realização espiritual. Ele explicou a eles que isso só é possível se eles começarem a trabalhar juntos na unidade entre si.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 06/03/19

Enriqueça-Se Através Dos Desejos Dos Outros

laitman_963.8Pergunta: Como devo aumentar meu desejo de espiritualidade? Você está dizendo que é possível anexar a mim os desejos de espiritualidade dos outros. Existe algum tipo de mecanismo sobre como fazer isso?

Resposta: Somente na forma de autoanulação. Você não poderá adquirir nada sem se anular. É assim que, de repente, você começará a sentir que essa ação permite absorver completamente novas qualidades dentro de si.

Pergunta: Como distinguir qual é o desejo?

Resposta: Digamos que você veja um amigo cujo comportamento você não gosta. Anule-se e comece a associar-se ao comportamento dele, às ações dele. Aja como se estivesse de acordo com ele. Tente trabalhar consigo mesmo dessa maneira! Então você começará a receber sensações completamente novas e previamente desconhecidas para você. Isso é chamado de conexão com os amigos.

Olhe para os outros – você não gosta de uma coisa sobre este, outra coisa sobre aquele. Tente se anular, concordar com o amigo, estar junto com ele em sua ação e você verá como isso o enriquece, como está se conectando com ele. É assim que o Kli (vaso) comum no qual o Criador aparece é gradualmente revelado.

Da Lição 0, Convenção Mundial de Cabalá na Moldávia, 05/09/19

Todos Os Desejos Permanecem

laitman_219.02É impossível erradicar o desejo de receber porque ele é a própria criação. Você pode confundir-se, embebedar-se, correr atrás de um desejo em vez de outro, extinguindo o primeiro desejo dessa maneira, mas é impossível arrancar um desejo. Posso ignorá-lo por medo ou por outros desejos mais fortes, mas é impossível combatê-lo diretamente.

Até a luz que reforma não muda o desejo em si; apenas aumenta ou diminui sua importância. No entanto, todos os desejos permanecem com uma pessoa como foram dados a ela no nascimento. Se uma pessoa não atribui importância ao desejo, pode apagá-lo da tela em que vê o mundo. Não há outro caminho, porque toda a criação é um desejo. 1

Antes da Convenção, eu espero que as dezenas europeias estabeleçam conexões entre si e com todos os outros grupos mundiais. Deve haver um local de reunião virtual comum onde todos possam se encontrar, obter informações e recarregar.

Precisamos ser incluídos um no outro não apenas em um nível informativo, mas também no sentimento. Quero sentir os amigos como os órgãos do meu corpo que foram separados e devo trazê-los para mais perto de mim. Por mais que eu os aproxime e aumente minha sensibilidade a eles, vivo-os e começo a senti-los vivos, conectados comigo e vivendo dentro de mim; nessa medida, construo um vaso da alma até que o Criador seja revelado nele.2

Da 3ª parte da Lição Diária de Cabalá, 16/09/19, “Correção da Quebra – Preparação para o Congresso”
1 Minuto 3:10
2 Minuto 19:35

Evolução Dos Desejos, Parte 13

laitman_600.01Ao Nível Da Interação Absoluta

Pergunta: Uma pessoa consiste em intenção, desejos, sentimentos, emoções, razão e pensamentos. Existem dois tipos de intenções: para si ou para os outros? Existe apenas um desejo – de desfrutar?

Resposta: Sim. Nada mais. Esta é uma qualidade da natureza. Isto é, receber satisfação ou evitar o sofrimento é basicamente o mesmo.

Sentimentos e emoções se manifestam no desejo, na magnitude de seu preenchimento. A mente nos permite perceber com precisão o que queremos.

Observação: Antes eu pensava que a mente é separada, por assim dizer, ou vice-versa, que os desejos servem à mente.

Resposta: A mente nos níveis inanimado, vegetativo e animado pode servir a desejos instintivos. Quando uma pessoa se desenvolve, a mente começa a servir seus desejos humanos.

De fato, precisamos de razão para contornar os desejos inanimados, vegetativos, animais e até humanos, e começar a subir ao nível da interação absoluta, superior à nossa natureza. Essa é a chamada “fé acima da razão”, quando buscamos conexão uns com os outros, apesar de todos os outros desejos e intenções.

Pergunta: Nosso objetivo é corrigir a percepção egoísta natural do mundo, os desejos egoístas – em relação ao próximo?

Resposta: Nem mesmo ao próximo, mas à união: “Ame seu próximo como a si mesmo”. Isto é, devo amar a mim e a meu próximo também. Isso significa unificação absoluta para criar um sistema comum. Portanto, quero ser parte integrante.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá” 19/07/19

A Evolução Dos Desejos, Parte 10

laitman_423.03O Que Determina As Intenções?

Pergunta: A sociedade controla nossos desejos. Determina com o que eles serão preenchidos. Somente a força superior pode alterar as intenções?

Resposta: As intenções também são determinadas pela sociedade. Mas se uma pessoa deseja mudar suas intenções contrárias à sociedade em que se encontra, ou seja, não quer permanecer nela, mas quer se elevar acima dela, então ela praticamente não tem oportunidade.

Portanto, a pessoa deve ir além dos limites dessa sociedade, remover-se fisicamente de sua influência ou atrair a influência de outro poder superior sobre si mesma. Então, ela pode mudar a si mesma. Caso contrário, a pessoa falhará.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 03/12/18

Evolução Dos Desejos, Parte 9

Laitman_115O Que Dá Origem A Um Pensamento?

Pergunta: Com o que os pensamentos se relacionam – desejo ou intenção?

Resposta: Um pensamento surge quando há uma contradição entre o que é desejado e o que você tem. A diferença entre o desejado e o real dá origem a um pensamento. Caso contrário, ele não teria surgido.

Se sinto o que quero, não tenho pensamento. Eu tenho algum tipo de satisfação no desejo e pronto. Se sinto que meu desejo é completamente diferente daquele que está em mim agora, então a diferença entre o desejado e a realidade dá origem ao pensamento.

Esse pensamento, por sua vez, dá origem a uma certa ação: como alcançar esse vetor de forças que me conduziria desse estado para um mais desejável.

Pergunta: Suponha que eu esteja com fome e imediatamente receba algum preenchimento, então eu nem sequer tenho um pensamento. Se estou com fome e não há tal preenchimento em torno de mim, sem comida, começo a pensar em como posso encontrá-lo?

Resposta: Sim, como dizem: “o amor e a fome governam o mundo”. A ausência do desejado gera pensamento, desenvolvimento. Portanto, é dito, “eles dão dois imbatíveis por um derrotado”. Quando uma pessoa recebe punição ou sofrimento, ela se desenvolve.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 03/12/18

Evolução Dos Desejos, Parte 1

laitman_738Quatro Níveis De Desejos

Pergunta: Toda a história da humanidade é um processo de desenvolvimento dos desejos humanos. Baal HaSulam escreve em seus artigos que tanto na natureza quanto dentro de uma pessoa existem quatro níveis de desejos: inanimado, vegetativo, animado e humano. Portanto, vemos esses quatro níveis fora de nós.

Quais são esses desejos e quantos deles estão lá, em qualidade e em quantidade?

Resposta: Em princípio, o desejo de se preencher é comum a todos os níveis da natureza. O que deve ser preenchido depende da deficiência que o desejo sente e do que lhe dará a sensação de satisfação e prazer.

Se esse desejo está no nível inanimado, ele quer se realizar como é. Ao mesmo tempo, não é capaz de adicionar ou subtrair nada do seu desejo, mas apenas age da mesma maneira que existe. Esse desejo é chamado inanimado. Não pode se desenvolver, mas quer preencher o que sente falta, isto é, aproximar-se de algo, distanciar-se de alguma coisa. Funciona desta forma.

Então o desejo se desenvolve do nível inanimado para o vegetativo.

No nível vegetativo, já existem mudanças no desejo em si. Ele cresce, muda sua forma, cria todos os tipos de desejos e ferramentas auxiliares para sua própria realização. Portanto, ele se desenvolve longitudinalmente, em largura, cresce, se move em direção ao sol, ar e água. Adquire a capacidade de controlar seu desejo inicial para se realizar. Esse desejo é chamado vegetativo.

No entanto, ele não pode sair do seu lugar; como uma planta, ele cresce no mesmo lugar em que foi plantado. Pode se espalhar a partir daí, mas sua raiz inicial permanece onde foi plantada pela força superior, algo ou alguém externo. Continua a desenvolver-se a partir deste estado.

Entretanto, esse tipo de desejo pode se reproduzir, influenciar o ambiente e ser influenciado pelo ambiente. É como plantas que interagem com os quatro estados da natureza: inverno, primavera, verão e outono. O desejo inanimado, no entanto, não tem essa capacidade.

O desejo vegetativo difere do inanimado pelo fato de se espalhar, mas até agora permanece no mesmo lugar em que existe.

O próximo desejo é o animado. Já pode mover-se de um lugar para outro, o que significa que tem liberdade de movimento. Naturalmente, sua reprodução é muito mais complicada e não consiste nos mesmos estados dos estados de uma planta, mas requer conexão com os outros.

No desejo animado há indivíduos masculinos e femininos que se movem, constroem uma família entre si, buscam ativamente o sustento, e assim por diante. Já existe uma briga por um lugar, por uma espécie e por uma fêmea aqui. Isto é, esse desejo tem todo um conjunto de ferramentas para se perceber de uma maneira ótima.

O próximo nível de desejo é o humano que contém todos os desejos anteriores. Além disso, ele tem livre-arbítrio em sua implementação, e pode se mover, combinar, se afastar, aproximar e mudar sua meta para o que e como ele pode se desenvolver.

O humano não está limitado em seus desejos e satisfação, tudo depende apenas dele. Portanto, seus desejos: inanimados, vegetativos, animados e humanos, dão a ele total liberdade. Ele é o líder, ele é o rei da natureza.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 03/12/18