Textos com a Tag 'Baal HaSulam'

Baal Hasulam: O Canal Para Nossa Conexão Com O Criador

laitman_272Hoje é um dia especial: o aniversário da morte de Baal HaSulam, nosso professor, deste mundo. Esta é a alma que nos conecta com o Criador, o homem que abriu os portões da sabedoria da Cabalá para a última geração em que vivemos. Sem os ensinamentos dele, não poderíamos ser recompensados ​​com o que já recebemos e ainda podemos receber no futuro. O conhecimento, toda a abordagem e metodologia, as etapas de realização – tudo isso foi preparado para nós por Baal HaSulam. Certamente, tudo nos chega do Criador, mas através desta grande alma.

Uma das razões pelas quais a ciência da Cabalá (recepção) tem esse nome é que é transmitida de geração em geração. Cada aluno deve ter um professor. Somente indivíduos excepcionais podem, com ajuda especial do alto, alcançar diretamente a realização do Criador por si mesmos. Portanto, devemos sempre estar conectados com os sábios que alcançaram a espiritualidade, os grandes Cabalistas, e assim avançar geração após geração.

Aqui, tudo depende de quanto uma pessoa é capaz de seguir o professor. Todo mundo tem suas próprias dificuldades nisso e isso é natural, porque é assim que as etapas de cima para baixo são organizadas. É difícil para os inferiores superar seu egoísmo e contatar os superiores. Em nosso mundo, no nível animal, não existe esse problema porque a natureza obriga uma criança a ser dependente dos adultos. Porém, no nível humano em que é necessário estudar a ciência da Cabalá, isso não é mais fácil de fazer. Lá, precisamos nos curvar e maximizar a grandeza do professor para aprender com ele.

Obviamente, isso não é para homenagear o professor, mas apenas para o benefício do aluno. Se um aluno se sente menos que seu professor, ele será capaz de se abaixar mais e receber do professor. Nas ciências deste mundo, esse requisito não é tão categórico, porque o aluno deve criticar o professor e testá-lo. Mas na ciência da Cabalá, uma pessoa não pode alcançar nada se não se curvar diante do Criador. Portanto, na medida em que se curva ao que recebe do professor que a ensina a partir das fontes primárias que vieram dos professores de todas as gerações, ela obtém realizações. Somente desta forma um pequeno pode receber de um grande.

Portanto, precisamos entender o que um excepcional e grande homem, Baal HaSulam, era. Somos obrigados a aceitar todas as suas obras, todo o seu legado, sem críticas, e então podemos esperar que começaremos a nos conectar com sua alma e receber através dele a força superior do Criador.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 10/10/19, Dia em Memória de Baal HaSulam

Por Que Precisamos Entender A Grandeza E A Singularidade De Baal HaSulam?

Baal HaSulamHoje é um dia especial, o Yahrzeit, o dia em que se comemora a morte do Cabalista Yehuda Ashlag, Baal HaSulam.

Quem é Baal HaSulam? Ele é a alma que nos conecta ao Criador. Ele foi uma pessoa que abriu todos os portões da sabedoria da Cabalá para a última geração em que estamos agora.

Sem os ensinamentos de Baal HaSulam, não poderíamos receber o que já recebemos. Além disso, sem os ensinamentos de Baal HaSulam, não poderíamos progredir para o que está à nossa frente, tanto em termos de conhecimento e método da Cabalá, como também em seus estágios de realização.

Não importa o que aconteça à medida que avançamos, alcançaremos uma necessidade do Criador. No entanto, essa necessidade terá que passar por essa grande alma.

Uma pessoa tem a opção de ir a um lugar onde há justos. Ela pode aceitar a autoridade deles, e assim receberá todos os poderes que lhe faltam pela natureza de suas próprias qualidades. Ela receberá dos justos. Esse é o benefício de “plantá-los em cada geração”, para que cada geração tenha alguém a quem recorrer, aderir e de quem receber a força necessária para alcançar o grau de um justo“.

– Baal HaSulam. Artigo 99 do Shamati. “Ele Não Disse Ímpios ou Justos”

Uma das razões pelas quais a sabedoria da Cabalá é chamada “a sabedoria da Cabalá (recepção)”, é porque ela passa por cada geração, e toda geração precisa de um professor, um Cabalista, um com realização espiritual, no mundo. Essa é uma necessidade na sabedoria da Cabalá. Somente indivíduos extremamente raros e únicos podem alcançar a conquista do Criador, recebendo tratamento especial de cima. Como tal, precisamos estar sempre conectados aos grandes sábios que estão em realização espiritual, para que, em cada geração, possamos fazer progresso espiritual.

Visto que a sabedoria da Cabalá discute fenômenos que uma pessoa só pode alcançar através do professor, ela aprende fontes, através do professor, que passam por todas as gerações. A chave para a conquista do que passa pelo professor é a subjugação, pela qual os pequenos podem receber dos grandes. Por conseguinte, existem graus de subjugação do aluno ao professor.

Portanto, precisamos entender quão grande e único Baal HaSulam foi, e quanto precisamos nos subjugar ao que ele nos deixou, seus escritos, com a esperança de que, na extensão de tal subjugação, possamos conectar-nos ao seu espírito, através do qual podemos receber a força superior do Criador.

Lição sobre o Tópico “Dia Em Memória de Baal HaSulam”, 10 de outubro de 2019.

Gratidão A Baal HaSulam

226O Yahrzeit [aniversário da morte de Baal HaSulam] do Baal HaSulam é um dia especial de recordação e gratidão a uma alma muito especial e elevada que desceu a este mundo como mensageira do Criador para abrir um caminho para nós, uma entrada para o mundo superior, para que possamos alcançá-lo aqui, durante a nossa vida.

Baal HaSulam fez muito para unir nosso Kli (vaso) corpóreo e o Kli espiritual, o que nos permite conectar com ele, e através dele alcançar conexão com o Criador. Ele abriu um caminho muito longo e especial, exatamente como o Baal Shem Tov e o Ari faziam em seus tempos. Nós somos incapazes de apreciar plenamente o que essa alma fez.

Em última análise, devemos ser gratos ao Criador por nos enviar tal alma, uma tremenda ajuda. Quando aprendemos com os livros do Baal HaSulam e abordamos o objetivo com sua ajuda, devemos apreciar, agradecer, honrar e amar essa pessoa extraordinária, essa ferramenta especial que cria uma conexão entre nós, aqueles que estão abaixo e aqueles que estão acima.

Devemos estar tão orgulhosos desta honra e assumir ainda mais compromissos para sermos dignos de nos conectarmos com tal alma. Nós somos incapazes de perceber sua contribuição para conosco e seu poder, mas ainda assim, devemos amá-lo, como as crianças amam seus pais. Então devemos nos aproximar e nos apegar a esta alma, que abriu a passagem para o Criador em nosso tempo. Nós não teríamos chance sem ele.

Houve muitos Cabalistas antes, mas em nosso tempo, não há outro método que permita, na prática, a revelação do Criador e tornar-se Seus parceiros, apoiadores em Sua obra com a criação. Graças ao Baal HaSulam, podemos com nossas pequenas almas facilitar sua ascensão e, junto com ele, as nossas. Ficamos honrados em receber um convite, um passe para o mundo superior e a escolha está em nossas mãos.

Apenas duzentos anos atrás era impossível conceber que pessoas completamente seculares como nós, sem qualquer preparação ou conexão com a Torá, pudessem ter qualquer chance de se aproximar da espiritualidade. Então veio a alma de Baal HaSulam e abriu uma passagem para nós, e agora podemos passar por este túnel apenas por causa de nosso desejo puro.

O mais importante é o desejo. Não importa que uma pessoa tenha afundado no sentido corpóreo, isso não tem relevância na espiritualidade. Se você olhar sobre o Machsom para o mundo espiritual, verá a pessoa como se fosse um raio X: sem carne ou gordura, apenas os ossos, que é a essência. E de acordo com essa essência, de acordo com o nosso desejo, somos aceitos na espiritualidade.

Estou tão feliz que existam tantas pessoas conosco ao redor do mundo que anseiam de acordo com sua essência interior em direção à verdade, e de acordo com seu desejo estão prontas, através do método de Baal HaSulam, para atravessar esse caminho e alcançar a perfeição.

A chave para isso é muito simples: nossa união. Nós avançamos na medida em que nos unimos; a cada movimento em direção à unidade, damos outro passo em nosso avanço. Este túnel coloca pressão constante sobre nós, nos aperta e nos força a nos conectar ainda mais firmemente ao ponto de passar pelo buraco de uma agulha. O segredo do nosso sucesso reside exclusivamente na nossa unidade.

Da Lição Diária de Cabalá, “Yahrzeit Baal Sulam”, 19/09/18

Baal HaSulam

Dr. Michael LaitmanDa Minha Página No Facebook Michael Laitman 20/09/18

“Eu acho uma grande necessidade de quebrar a parede de ferro que tem nos separado da sabedoria da Cabalá”, escreveu o Cabalista Yehuda Ashlag, também conhecido como Baal HaSulam (“Mestre da Escada”) por seu comentário sobre o Livro do Zohar.

Hoje, no 64º aniversário de sua morte, prestamos nossos respeitos a um dos maiores Cabalistas da história da humanidade. Uma alma única que desceu ao nosso mundo para nos trazer a sabedoria da Cabalá e nos aproximar de uma vida cheia de alegria, paz e união.

De fato, ele foi o primeiro a interpretar todo O Zohar e os escritos do Ari, o primeiro a adaptar a sabedoria antiga a cada pessoa, o primeiro a publicar um jornal cabalístico (A Nação) e divulgá-lo publicamente. Sua profunda preocupação pelo destino da humanidade pulsava em seu coração, uma preocupação que ditava todo o curso de sua vida.

Leia mais sobre o Baal HaSulam em nosso novo arquivo >>

Luz Da Vida

laitman_212Pergunta: O trabalho na tradução de um texto ou outro trabalho de disseminação me ajuda a passar pelas descidas espirituais?

Resposta: Trabalhar com textos é a base de nossas atividades. O livro não vai a lugar algum. Ele tem uma raiz espiritual superior. Mesmo que ele esteja em um computador, ainda é um livro, um texto. Vinte e duas letras hebraicas formam um Kli espiritual (vaso).

Ao ler e, simultaneamente, preparar o texto para outros, você se torna um canal de comunicação entre o Criador e eles. Então a Luz superior passa por você. Caso contrário, você se bloqueia e não recebe nada de cima.

Tudo está organizado para que haja o superior (o Criador), você e uma terceira pessoa. Você deve conduzir a Luz do Criador através de você para o inferior.

Baal HaSulam escreve no “Prefácio ao Livro A Árvore da Vida“: Cada um de nós está conectado a toda a cadeia de almas e gerações. A partir disso, vemos que, na verdade, a pessoa vive para satisfazer as necessidades de todas as almas, quando cada um dos elos conduz a Luz a toda a cadeia”.

Quando uma pessoa conduz a Luz através de si mesma aos outros, ela não está restrita em nada. Esta é uma característica maravilhosa porque ela se torna o receptáculo para toda a Luz infinita. Ela não para a Luz, mas a conduz através de si e, portanto, toda a Luz se torna sua.

Ao mesmo tempo, ela desfruta do fato de que se adere ao Criador, O conecta com todos os outros e preenche os outros com a equivalência com o Criador. O que pode ser mais poderoso do que esse estado? Nada.

Da Lição de Cabalá em Russo 29/10/17

Melodias De Baal Hasulam

627.2Pergunta: Por que Baal HaSulam começou a escrever música?

Resposta: O grupo de Baal HaSulam consistia em menos de dez pessoas, e todos vieram de lugares diferentes. Cada um tinha suas próprias melodias que eles faziam na hora das refeições ou durante as orações, especialmente no dia da expiação (Yom Kippur).

Portanto, Baal HaSulam compôs suas próprias melodias e ensinava aos estudantes a não cantarem orações estranhas às palavras do livro de orações. Foi assim que surgiram as melodias dos textos do Ari e “Bnei Eichal“, “Kel Mistater“, etc.

Pergunta: Essas melodias e sua letra de alguma forma podem afetar a pessoa que as escuta?

Resposta: Elas possuem certas forças espirituais. Uma melodia tem um grande poder, mas só pode ser alcançada na medida em que a pessoa esteja habitando nela.

Da Lição de Cabalá em Russo 16/10/16

Religiões Em Torno Da Sabedoria Da Cabalá

Pergunta: Na Wikipedia está escrito que “Cabalá (hebraico: קַבָּלָה, literalmente ‘paralelo / correspondente’, ou ‘tradição recebida’) é um método esotérico , disciplina e escola de pensamento que se originou no Judaísmo.”O que você pode dizer sobre isso?

Resposta: A sabedoria da Cabalá é uma ciência que é aprendida por pessoas que sentem o mundo superior e alcançam-no com a ajuda de ações internas particulares dentro deles e não por meio de ações místicas. Elas aprendem e investigam leis da estrutura superior, todas as forças superiores que existem em torno de nós, agora, que nós não sentimos, mas os cabalistas revelaram-nas.

Estas forças são chamadas de superiores porque elas são encontradas no reino da doação, estas são as forças de característica de doação, não de característica de recepção, e, portanto, nós as explicamos definimos assim.

Não há nada de religioso, místico ou esotérico sobre a sabedoria da Cabalá. É ciência pura. Isso é também o que foi escrito pelos antigos filósofos que aprenderam esta sabedoria de cabalistas na antiga Israel. Além disso, os cientistas da Idade Média até nossos dias realmente escreveram isso sobre ela.

Ela não tem nenhuma relevância para o judaísmo. O Judaísmo foi fundado muito mais tarde; surgiu a partir da sabedoria da Cabalá e se tornou a base para ações habituais em nosso mundo.

As pessoas que queriam e decidiram buscar relacionamentos com o Criador em nosso mundo, basicamente, tomaram descrições externas da sabedoria da Cabalá e criaram com elas sua religião. É assim que os ensinamentos espirituais, que foram transmitidos através do ego, tornaram-se a base para o judaísmo e outras religiões.

Comentário: Na Wikipedia está escrito que a sabedoria da Cabalá apareceu nos séculos 12° e 13°.

Resposta: Isso também é incorreto. A sabedoria da Cabalá apareceu quase 5.777 anos atrás. Indicamos esta data como o ano novo judaico.

O aparecimento de Adão e a revelação das leis da natureza, que ele descobriu, simbolizam o nascimento da sabedoria da Cabalá. Nós começamos nossa contagem a partir de então.

A propagação e disseminação da sabedoria da Cabalá começou no 12° século e continuou no 14° século na sua forma escrita para todos.

Portanto, o único ponto correto na Wikipedia é que a principal descoberta da sabedoria da Cabalá começou no. 14° século Tudo o resto foi inventado. A sabedoria da Cabalá não é filosofia, misticismo, religião, ou o judaísmo. Há uma confusão completa sobre isto, que inclui os judeus religiosos, que consideram a sabedoria da Cabalá como parte de sua religião.

[206052]

Da Lição de Cabalá em russo 22/1/17

Material Relacionado:
Cabalá E Religião

Separar O Joio Do Trigo
A Verdadeira Religião E A Religião Do Exílio

A Única Maneira De Evitar A Guerra

Comentário: nos Escritos da Última Geração, Baal HaSulam escreve que existem três bases para disseminar a Cabalá, uma das quais é: “não há existência para o mundo sem ela, tanto mais nos dias do átomo e da bomba de hidrogênio”.

Resposta: Nós tentamos conquistar as forças mais poderosas da natureza, no entanto, elas existem fora do nosso alcance.

Nós tentamos fazer isso para mudar nosso destino, mas isso não efetiva nenhuma mudança, pois a mudança existe na própria fusão com a força superior, não no poder das bombas atômicas ou de hidrogênio. Portanto, espero que todos esses “brinquedos” não sejam utilizados. [Leia mais →]

O Mundo Numa Encruzilhada, Parte 7

Baal HaSulam começou a disseminar a sabedoria da Cabalá em 1920, imediatamente após a sua chegada à terra de Israel. Ele esperava que isso iria salvar a Europa do nazismo e da Segunda Guerra Mundial.

Naquela época, vários outros cabalistas advertiram que era necessário e urgente começar a disseminar a sabedoria da Cabalá, caso contrário, a humanidade enfrentaria uma catástrofe.

Mesmo antes, há 500 anos, o grande cabalista Ari anunciou que o mundo havia entrado na era do Mashiach”(fase final de correção). Portanto, é claro que o nosso dever é difundir o método de correção em todos os lugares.

Afinal de contas, isso significa que o fruto amadureceu completamente para correção e qualquer atraso em cortá-lo e usá-lo corretamente deixa-o a apodrecer, o que leva a miasmas terríveis e mutações na sociedade. [Leia mais →]

O ”The Times de Israel”: “O Significado Da História De Jonas Lida No Yom Kippur”

O “The Times de Israel” publicou o meu novo artigo “O Significado da História de Jonas Lida no Yom Kippur:”


A história do profeta Jonas que habitualmente é lida no Yom Kippur capta a essência desse feriado, que precisamos nos colocar de lado e agir embenefício dos outros.

A história de Jonas, o Profeta – em resumo

A história do profeta Jonas começa com uma missão que ele recebe de Deus: para avisar o povo de Nínive que eles precisam arrepender-se de seus maus caminhos, e mudar suas relações de ódio infundado ao amor ao próximo.

No entanto, Jonas está descontente com esta missão. Ele escapa embarcando em um navio e navegando para o exterior. Sua fuga desencadeia uma tempestade. Quando os marinheiros do navio percebem que Jonas é a causa da tempestade, eles jogam-no ao mar. No mar, Jonas é engolido por um grande peixe. Ele passa três dias e três noites no ventre do peixe. Depois disso, ele é ejetado à terra, e vai para Nineve.

Como a história de Jonas relaciona-se com o povo judeu

Assim como Jonas, nós – os judeus-temos um papel inevitável. É o mesmo papel hoje como era no tempo da antiga Babilônia, quando Abraãonos uniu como uma nação com base em “amar o seu amigo como a si mesmo”: estabelecendo nossa unidade de tal forma que serviria como um exemplo para a humanidade, isto é, para ser uma “luz para as nações”.

“Israel é o primeiro e acima de tudo a receber toda a abundância, e a partir dele é que é dispensado a todos os mundos. Por esta razão, eles são chamados de Israel, que significa ‘Li-Rosh’ ( ‘Eu sou o chefe’), ou seja, que eles estão no discernimento de Rosh (cabeça), para receber a bênção em primeiro lugar, e depois deles o resto do mundo”. – Be’er Mayim Chaim, Parashat Teruma,Capítulo 25.

Historicamente, temos experimentado como essa interação entre nós e o resto do mundo funciona: quando estávamos unidos, tanto nós como o mundo prosperamos. No entanto, quando as nossas relações deterioram-se em ódio infundado, experimentamos golpes como muitas formas de antissemitismo, e as experiências do mundo declinam como muitas formas de crise.

Enquanto o relógio anda, e nós continuamente escapamos à realização do nosso papel, gradualmente chegamos a um estado em que re-estabelecer a nossa conexão positiva parece impossível. Além disso, somos repelidos pela própria menção de que o nosso papel é o de ser “uma luz para as nações.”

Judeus viram-se uns contra os outros. Auto ódio judeu ou antissemitismo judeu torna-se grave quanto divisões entre facções de seculares, religiosos, ultra-ortodoxo, judeus pró-Israel e anti-Israel tornam-se marcadamente distintas. Nós mesmos deixamos que a nuvem cinza de ódio infundado desça sobre nós, e defina o cenário para uma grande tempestade.

Os marinheiros da história mudam a cada vez. Eles tomaram a forma dos nazistas durante o Holocausto, dos russos e europeus orientais durante os pogroms, dos espanhóis Católicos durante a Inquisição espanhola, para citar alguns.

A relevância da história de Jonas para os judeus e para a humanidade hoje [Leia mais →]