Textos na Categoria 'Notícias'

Ódio Dos Filhos Para Com Seus Pais

laitman_583.03Pergunta: Um dos problemas dos tempos modernos é que os filhos odeiam seus pais. Existem muitos casos desse tipo. Os filhos deixam seus pais, os negligenciam. Esses pobres pais morrem sozinhos, apesar de terem muitos filhos. Isso está acontecendo em todo o mundo. Por que isso acontece?

Resposta: Estamos subindo do nível do egoísmo bestial para o nível do egoísmo espiritual ou humano. Mas ser humano já significa um nível espiritual que não existe em nosso mundo.

Portanto, estamos perdendo a conexão bestial que tínhamos entre nós quando os pais moravam juntos com seus filhos, traziam uma noiva, traziam um noivo ou iam ao noivo, etc. E tudo era uma casa.

Pergunta: Eles poderiam morar na mesma casa?

Resposta: Sim. Inclusive na mesma sala. Tudo era tão simples. Agora tudo isso está mudando porque o egoísmo está mudando em nosso mundo.

Pergunta: Em outras palavras, o egoísmo nos permitiu fazer isso?

Resposta: Sim. Isso é um egoísmo bestial. E agora, começa a crescer. Começa a nos empurrar para o próximo nível de desenvolvimento. Portanto, não entendemos mais o tipo de existência bestial. Nossos filhos certamente não entendem isso.

Eles estão em tal estado que não entendem por que precisam se apegar aos pais. Ou, acho que os pais devem passar a vida inteira comigo. Por que eles me deram à luz? Enquanto viverem, devem pensar em mim. Ou, se eles não estão preocupados comigo, que assim seja. Eu apenas os deixo.

Pergunta: Como um filho pode se sentir assim em relação aos pais?

Resposta: Mas ele não sente.

Pergunta: Ele não sente dor, nada?

Resposta: Ele não sente. Como ele superou seu egoísmo bestial e não sente nenhuma conexão com seus pais, não sente que deve ajudá-los, apoiá-los, pensar neles e assim por diante. Não imagine algo que não existe. Você não pode trazer isso de volta.

Ultimamente, tudo isso está acabando e não existe mais. Isto é, se você ajuda seus filhos, eles precisam de você. Você pode estar perto deles. Se você parar de ajudá-los, eles não precisam de você. É assim que acontece.

Comentário: A única coisa que me incomoda é que você está generalizando. Também existem relacionamentos normais.

Minha Resposta: Estou falando da tendência da natureza. É por isso que estou generalizando.

Pergunta: Então, o que vem depois?

Resposta: Em nossa geração, os pais ainda são capazes de dar alguma coisa, direcionar, deixar seus bens para os filhos e assim por diante. Na próxima geração, no entanto, haverá uma quebra.

Haverá tal relacionamento entre pais e filhos que, se eles tiverem os mesmos objetivos espirituais, estarão de alguma forma conectados através deles. Caso contrário, as pessoas esquecerão completamente seus pais. E, francamente, os pais também não pensam nos filhos.

Pergunta: No que os pais pensam?

Resposta: Como passar um tempo em silêncio com os amigos mais velhos.

Pergunta: Com cães e gatos?

Resposta: Sim. Todos os tipos de clubes de jogos serão abertos; digamos, clubes para jogar dominó ou qualquer outra coisa.

Pergunta: O que há de bom nisso?

Resposta: Nada. Uma pessoa deve simplesmente entender como deve estar conectada com os outros hoje. Este é um sistema completamente diferente, não um sistema de conexões corporais bestiais.

Pergunta: Este não é um sistema pai-filho?

Resposta: Este é um sistema em que pais e filhos, cada um individualmente, revelam o objetivo comum. Então esse objetivo os conecta.

Pergunta: Qual é esse objetivo?

Resposta: Esse objetivo é atingir o sentido da vida. Para pais, filhos e netos. É sempre um. Se eles o revelam e se apegam a ele, sentem a necessidade de estar conectados um ao outro e de ajudar um ao outro nisso.

Pergunta: De que propósito comum da vida você está falando? Se os pais têm um objetivo com os filhos?

Resposta: Os pais poderão, então, empurrar seus filhos para a meta correta. Então a conexão entre eles será corporal e espiritual – para a revelação do Criador entre eles.

Pergunta: O que é a revelação do Criador?

Resposta: A revelação do Criador é a revelação da conexão e amor mútuos.

Pergunta: Somente entre eles?

Resposta: Para começar.

Pergunta: Você quer dizer nesta célula: filhos e pais?

Resposta: Sim.

Pergunta: Eles não querem revelar isso agora?

Resposta: Eles não querem. Alguém contou a eles sobre isso? Alguém os direcionou para isso?

Pergunta: O relacionamento natural deles não sugere que alguém lhes tenha dito?

Resposta: Claro que não.

Comentário: Você está sendo duro hoje.

Minha Resposta: Eu não estou sendo duro. É isso que está se desenrolando no mundo. Eu sou duro? Você fez o mundo assim.

Comentário: Mas esta verdade que você está dizendo agora, posso imaginar quantos comentários haverá.

Minha Resposta: Sou a favor de não esconder essa verdade. Pelo contrário, sugiro revelá-la para que as pessoas possam ver em que estado se encontram e a que isso leva.

Pergunta: Que conclusão uma pessoa deve tirar após suas duras palavras: que haverá um rompimento entre pais e netos e filhos, e que isso é natural?

Resposta: Se eles não encontrarem um objetivo comum, não haverá nada que os conecte. Nada mesmo.

Pergunta: Você está pedindo que eles busquem esse objetivo comum?

Resposta: Sim.

De KabTV, “Notícias com Michael Laitman”, 06/01/20

“Coronavírus E O Valor Da Vida” (Thrive Global)

A Thrive Global publicou meu novo artigo: Coronavírus e o Valor da Vida

Gostamos de pensar em nós mesmos como pessoas conscientes e morais. Mas o COVID-19, ou Doença do Coronavírus, está expondo nossa verdadeira natureza: egoísta até o âmago.

2019 foi um ano recorde para a dengue na América Latina. Cerca de 3 milhões de pessoas foram infectadas e 1.500 delas morreram. A cada ano, a doença está reivindicando mais e mais vidas, mas quase ninguém fora da América Latina sabe disso. Por quê? Por ser a América Latina, e aos olhos do Ocidente, as vidas latino-americanas valem menos do que as vidas da Europa Ocidental ou da América do Norte. Se nós, no mundo ocidental, valorizássemos a vida na América Latina como valorizamos a nossa, a mídia lhe daria a devido cobertura.

Da mesma forma, o coronavírus despertou muito pouco interesse enquanto permaneceu na China continental. Estaríamos realmente alarmados se o vírus matasse, digamos, 100.000 pessoas ou até um milhão de pessoas na China, mas não migrasse para outros países? O que seria necessário para nos movermos desconfortavelmente em nossos assentos? A resposta não é um número, mas a identidade do afetado.

Gostamos de pensar em nós mesmos como pessoas conscientes e morais. Mas o COVID-19, ou Doença do Coronavírus, está expondo nossa verdadeira natureza: egoísta até o âmago. É por isso que o mundo começou a entrar em pânico com o coronavírus somente quando ele se espalhou para o resto do mundo; essa é a triste realidade de nossas vidas.

Duas Lições do Vírus

Até agora, o coronavírus nos ensinou duas lições muito importantes:

Todos somos iguais aos olhos da natureza. Se você é rico ou pobre, um tirano ou um servo, o pequeno bichinho não poderia se importar menos; ele vai atingi-lo da mesma forma.

Todos somos mutuamente dependentes. Estamos passando o germe de uma pessoa para a outra e o comportamento irresponsável de uma pessoa, mesmo que inadvertidamente, pode custar a vida de outras pessoas e muitas outras dores e agonia.

O que o vírus não vai nos ensinar é como transformar essa interdependência negativa em positiva. Isso, nós teremos que aprender por conta própria, através de nossos esforços para construir um novo paradigma de vida. Se concentrarmos nossos esforços em melhorar a vida de todos, em vez de apenas as nossas, e muitas vezes à custa de outros, transformaremos nosso ambiente, o social e o ecológico.

A pandemia é uma oportunidade para desenvolvermos uma nova perspectiva sobre nós mesmos, para conceber o sucesso não como um triunfo sobre os outros, mas como o empoderamento da sociedade como um todo. É verdade que esse pensamento contraria nossa natureza, mas a própria natureza está contrariando nossa natureza hoje em dia, então é melhor começarmos a pensar fora da caixa. Se não mudarmos nosso modo de pensar, a realidade nos forçará a pensar, e muito mais dolorosamente.

A Doença do Coronavírus é um prelúdio para uma série de provações que sucederá com a humanidade até que estejamos dispostos a nos tornarmos mutuamente responsáveis ​​nos níveis social e ecológico. Não é preciso muito para ver que o vírus é um teste para nossa consideração mútua. Veja como a China reagiu no início do surto, fingindo que o vírus não era grande coisa, e veja como conseguiu retardar sua propagação – colocando todos em quarentena até que a propagação diminua. E funcionou. Veja como a Itália inicialmente descartou o perigo e veja os resultados catastróficos.

Agora precisamos levar a responsabilidade mútua obrigatória para o próximo nível e começar a colher seus frutos. Podemos fazer muito mais do que curar a sociedade do vírus. Podemos curá-lo da crescente alienação, solidão e depressão que atormentaram nossas sociedades muito antes do vírus. Tudo o que precisamos é nossa vontade de aceitar que somos responsáveis ​​uns pelos outros.

Aprecie a Diferença

Se aceitarmos a responsabilidade mútua, aprenderemos a valorizar as diferenças uns dos outros. Nossas características únicas não nos separarão mais; elas nos conectarão e darão a cada um de nós maneiras únicas de contribuir com a sociedade, que ninguém mais será capaz de dar.

Questões de igualdade de raça ou gênero serão extintas, pois cada pessoa não terá preço. Como você pode avaliar uma pessoa que possui qualidades únicas que ninguém mais possui e que está pronta e disposta a usar essas qualidades para beneficiar toda a sociedade? Importa se essa pessoa veio da América Latina, China ou Alemanha? Importa se essa pessoa é bem-educada ou não, rica ou pobre, negra, branca ou amarela? Nada disso importa. Tudo o que importa é que essa pessoa tem um presente inestimável para dar a todos nós. Essa é a realidade das pessoas que vivem em responsabilidade mútua.

– Publicado em 11 de março de 2020

“Quanto Mais Cedo Aprendermos A Lição Sobre O Coronavírus, Mais Cedo Iremos Nos Curar” (Newsmax)

Meu artigo no Newsmax: Quanto Mais Cedo Aprendermos a Lição Sobre o Coronavírus, Mais Cedo Iremos nos Curar

Ainda não estamos entendendo o que está por vir.

O COVID-19, ou coronavírus, está atrapalhando nossas vidas e ainda temos que entender as consequências. As máscaras, a quarentena, mas principalmente o medo, estão nos dizendo que uma nova fase em nossa existência está surgindo.

Portanto, quanto mais cedo entendermos as coisas, melhor será para todos.

Imagine isto:

Você está sentado em casa, não pode ir ao trabalho porque seu empregador faliu, não pode comprar comida porque todas as lojas foram esvaziadas e não há suprimento para encher as prateleiras, e os embarques de suprimentos praticamente pararam. Mas você tem filhos para alimentar. O que você vai fazer? Você nem pode mandá-los para a escola, onde eles podem comer, pois todas as escolas foram fechadas pelo vírus!

O que você vai fazer, cultivar legumes na banheira?

Se parece loucura, é porque é. Mas em questão de meses, esse cenário pode ser a realidade de dezenas de milhões de americanos, europeus e pessoas em todos os países do mundo.

A realidade simples é que não podemos existir sem provisão externa, e o coronavírus está dizimando essa provisão. Se não encontrarmos uma maneira de reiniciar as cadeias de suprimento que ainda estão congeladas pelo medo, estaremos enfrentando uma fome de magnitude que destruirá nossa sociedade e reivindicará a vida de milhões de pessoas que nem estão doentes com o vírus.

A Chave para uma Reinicialização Bem-Sucedida

Por que tudo isso está acontecendo?

Porque estamos ignorando uma lei natural simples: a interconexão. Interconectividade significa que tudo na natureza está conectado e, portanto, depende de tudo o mais.

Por outro lado, nós vivemos sob a suposição de que não precisamos reconhecer nada além de nossas próprias necessidades. Aqui está o problema: enquanto os níveis inanimado, vegetativo e animado da natureza funcionam em harmonia e equilíbrio, o nível humano busca apenas explorar: usamos a natureza e abusamos uns dos outros simplesmente porque podemos.

Agora, no que parece ser a primeira vez, mas certamente não a última, a natureza está dizendo: “Basta!” A realidade exige que sejamos responsáveis, maduros, mas principalmente, atenciosos uns com os outros e com o meio ambiente.

Agora somos chamados a levantar os olhos, reconhecer o mundo ao nosso redor e começar a pensar mais em termos de “nós” e menos em termos de “eu”. É assim que toda a natureza opera, e exige que o façamos também.

Tornando-se Mais Como a Natureza e Menos Como Pessoas

Para começar a equilibrar nossa abordagem da realidade, devemos começar a trabalhar mais como a natureza e menos como pessoas, ou pelo menos como as pessoas que costumávamos ser até o surto de COVID-19. Para fazer isso, devemos começar a incluir outros interesses em nossos pensamentos. O que os animais e as plantas fazem instintivamente, somos obrigados a fazer conscientemente.

Embora isso seja muito mais difícil para nós do que para os animais e plantas, possui uma recompensa única: uma percepção aprimorada de toda a natureza. Quanto mais partes da realidade incluímos em nossa consciência, mais ampla se torna a nossa percepção da realidade. É um processo sem fim de crescimento, com recompensas infinitas, limitadas apenas pela nossa vontade de exercê-lo.

Assim como a natureza está interconectada, assim podemos nos tornar, se colocarmos nossas mentes e corações nisso. Nesse sentido, o coronavírus é uma oportunidade sem precedentes de crescimento, e seria um erro horrível para nós a perdermos.

Ao desconectar nossas cadeias de suprimentos, o vírus nos lembrou que estamos inseparavelmente conectados. Ao pensar sobre essa interconectividade e o que ela exige de nós, podemos derrotar não apenas o COVID-19, mas também os “vírus” que adoecem nossa sociedade, poluem nossas mentes e nos fazem destruir uns aos outros e ao mundo ao nosso redor.

Nesse sentido, o coronavírus é uma vacina, não um patógeno, e quanto mais cedo aprendermos o que ele ensina, mais cedo todos seremos curados.

Impedindo O Divórcio

laitman_627.1Comentário: Abrigos para homens divorciados estão sendo abertos em toda a Itália. De acordo com a lei, um homem deve pagar uma pensão alimentícia para sustentar seus filhos e ex-esposa conforme o padrão de vida a que ela se acostumou quando se casou, para que ela não precise mais. Em média, chega a 1.000 – 1.500 Euros.

Minha Resposta: Chegamos a um estado em que nossa constituição, nossos direitos e outras leis fazem com que os homens não sejam mais homens; eles são como crianças, elementos degradados. Eles não podem cuidar nem se sustentar. As esposas gananciosas os reduzem a nada, e eles são jogados de lado.

Pergunta: Por que existe uma atitude de desrespeito pelos homens por parte das mulheres modernas?

Resposta: O ego humano está crescendo. No século XX, ele cresceu a tal ponto que se tornou impossível se dar bem em qualquer relacionamento. Um homem e uma mulher não podem mais viver juntos. É assim em qualquer país, em qualquer cultura e em qualquer religião. É incrivelmente complicado.

Pergunta: Quais são os papéis de homens e mulheres no mundo moderno?

Resposta: As mulheres não são menos e nem piores, e não dependem dos homens. Pelo contrário, tais leis e opiniões prevalecem na sociedade que um homem se sente rebaixado, falho e sob maior pressão da sociedade do que uma mulher. Este é o estágio evolutivo do desenvolvimento social.

Pergunta: Qual será o resultado disso?

Resposta: Isso levará à abolição completa da instituição do casamento. Ou talvez haja acordos muito claros, pré-arranjados por um advogado e certificados em tribunal para que não haja problemas.

Pergunta: Você pode descrever uma imagem ideal de relações harmoniosas entre homens e mulheres no futuro? Como elas devem ser?

Resposta: Não deve haver exigências um para com o outro. Temos que ser educados para não sermos condicionados à demanda de outros.

Pergunta: O que acontecerá com os abrigos para homens divorciados? Haverá mais deles em todo o mundo, ou menos?

Resposta: A coisa toda levará à reavaliação de nossos valores. Quando não veremos mais o casamento como meio de alcançar alguns ganhos materiais para as mulheres e para os homens escravizadores. Quando veremos isso como um estado natural do desenvolvimento humano que deve ser resolvido, de forma saudável e proposital, em vez de um tentar avançar à custa de outro.

Precisamos envolver a sociedade, homens e mulheres, necessariamente os três, para que o envolvimento na criação dos filhos e seu apoio financeiro caia em medidas proporcionais para ambos os pais.

Pergunta: Uma pessoa tem qualidades masculinas e femininas. O que se deve fazer para equilibrá-los? E quais são essas qualidades?

Resposta: Do ponto de vista da Cabalá, esses são os desejos de dar e receber, que realmente precisam estar em equilíbrio dentro de uma pessoa. Temos que chegar a um estado em que esses desejos serão direcionados para o bem comum, para a melhoria de toda a sociedade.

As leis têm que ser tais que desejaremos obedecê-las. Ou seja, receberíamos uma educação que nos explicaria que as leis da sociedade são as leis da natureza e as leis da natureza são as leis do Criador, e se observarmos todas essas leis, estaremos em um estado ideal.

De KabTV, “Notícias com Dr. Michael Laitman”, 17/11/19

A Moda Do Futuro

laitman_294.2Observação: Sabemos que a era do consumo em massa já passou.

Meu Comentário: Sim, a humanidade já percebeu que infinitas compras não a satisfaz.

Observação: Está chegando a hora do aluguel de roupas. Agora, designers e casas de moda estão desenvolvendo uma tendência para alugar itens de designers. Em vez de pagar algumas centenas de libras por possuir uma coisa, você pode pagar de 50 a 60 libras e alugá-la. Assim, você pode considerar seu guarda-roupa como uma fonte de renda.

Meu Comentário: Então ninguém vai comprar nada. Ninguém precisa de nada. De quantos trapos você precisa? As pessoas vão comprar algo para si “em movimento” e pronto. E não farão muito caso disso. Tudo vai desaparecer.

A humanidade está mudando por dentro. Antigamente, um rei usava algo, e era considerado um rei. Julgávamos uma pessoa por suas roupas.

Hoje, esse não é mais o caso. Esse tempo passou.

Pergunta: Você diz que a humanidade agora está se esforçando para mudar a desde dentro. O que é a beleza interior?

Resposta: É o nosso desejo. Ele se transforma gradualmente por várias condições externas.

Força – veja como todos os tipos de programas ativos de educação física e outras coisas estão se desenvolvendo hoje. Isso ainda não é algo que estamos fazendo; tudo está sendo feito para nós, de alguma forma, para vender alguma coisa.

Então está em todo lugar. Mas isso não vai ajudar. Outros 10, outros 20 anos. Mesmo assim, a humanidade está se movendo para novos estados, para novos desejos mais internos. E eles não vão prestar atenção na aparência. Eles prestarão atenção na beleza; ela desaparecerá por último. Mas no final, isso não determina nada.

Pergunta: E o que é esse desejo interior de que você está falando?

Resposta: É embelezar-se – um desejo interior de embelezar-se externamente. Afinal, a beleza interior é invisível. Então, vou me embelezar externamente, e todos pensarão: “Veja como ele é esperto! Veja os óculos especiais que ele usa! Queremos passar o externo como interno, então zombamos de nós mesmos e dos outros dessa maneira.

Precisamos chegar ao ponto em que valorizamos a beleza interior de uma pessoa: bondade, participação, simpatia e separação de si para com os outros. Não sentimos nem valorizamos isso, mas é o que precisamos. Seria uma questão completamente diferente se tivéssemos a moda para isso.

Pergunta: E como podemos tornar notável e popular a beleza interior de que você fala?

Resposta: Educação. Não há outro caminho. É para que eu olhe para uma garota na sala de aula e a avalie de acordo com sua atitude correta em relação a todos. Um homem deve escolher sua esposa da mesma forma e não de acordo com o comprimento das pernas.

Observação: Você diz que a beleza será a última a desaparecer.

Meu Comentário: Isto é, ela não terá nossa atenção. Quando pararmos de dar atenção, será a última a desaparecer. Eu aprecio uma pessoa por um motivo diferente. Não vou ver essa feiura; vou ver a beleza interior.

Obviamente, isso não é fácil e ainda não está neste mundo, que constantemente nos sintoniza com avaliações externas. Mas tenho certeza de que, no ritmo que estamos seguindo, com todas essas operações para refazer rostos, figuras e tudo mais, tudo isso é questão de um futuro muito próximo.

A moda do futuro será direcionada apenas para uma bela manifestação do mundo interior. E não há necessidade de criar empresas que troquem trapos entre si.

Pergunta: E como será essa bela sociedade?

Resposta: Uma sociedade bonita pensa apenas no conteúdo interno de uma pessoa e vive por ela. Todo mundo entende e sente o calor de um em relação ao outro. É para isso que as pessoas serão valorizadas. Isso vai acontecer em breve.

De KabTV, “Notícias com Dr. Michael Laitman” 10/12/19

Por Que A Liderança De Sanders Na Corrida Dos Democratas Deveria Interessar Os Judeus Americanos (Times Of Israel)

O The Times of Israel publicou meu novo artigo: “Por Que A Liderança De Sanders Na Corrida Dos Democratas Deveria Preocupar Os Judeus Americanos

Eu conheci um psiquiatra chefe em Nova York durante uma conferência conjunta anos atrás, que disse que ele era descendente de judeus. Quando começamos uma conversa sobre tradições judaicas, a única conexão que ele lembrou era o nome de seu avô, Chaim, um nome hebraico. Esse tipo de episódio é comum em pessoas que se distanciaram de suas raízes judaicas. Alguns decidem reviver a conexão com suas raízes apenas para obter ganhos pessoais e fazer com que suas visões antissemitas pareçam mais kosher. Bernie Sanders é um exemplo disso.

Por que isso deveria preocupar os judeus americanos?

Nas últimas semanas, particularmente depois de vencer as primárias de Nevada e de New Hampshire, Sanders parece ser o líder democrata em quatro das cinco pesquisas criadas para determinar quem é o candidato preferido para desafiar Donald Trump na próxima eleição. Desde que sua ambição presidencial foi revigorada recentemente, Sanders mudou convenientemente sua estratégia política da indiferença sobre sua origem judaica – como destacado por várias publicações americanas, incluindo o New York Times – para abraçar e destacar sua herança, retratando-se como potencialmente o primeiro presidente judeu da história dos EUA.

Sua nova imagem de judeu liberal que simpatiza com as minorias, e de político velho, mas qualificado, está ajudando-o a ganhar popularidade entre a base de esquerda do Partido Democrata, muitos dos quais ainda acham que o socialismo é a solução para as desigualdades americanas. A carta judaica também é útil para avançar sua agenda anti-Israel com mais liberdade, de maneira semelhante a George Soros, que é acusado de estar por trás de várias organizações contra Israel.

Entre suas outras posições anti-Israel, Sanders afirmou que condicionaria a ajuda militar a Israel após mudanças israelenses na política em relação aos palestinos. Mas o futuro do relacionamento dos EUA com a nação judaica não é motivo de preocupação principal se Sanders for escolhido como candidato à presidência democrata, já que, no final, o futuro de Israel deve depender de ninguém além do povo de Israel.

O problema que prevejo, caso Sanders seja eleito, será para os judeus americanos. Indubitavelmente, os judeus serão pressionados – como sempre acontece quando ocorrem crises econômicas – pelo certo fracasso de sua abordagem populista baseada em princípios socialistas.

Como a história demonstrou, quando os regimes socialistas populistas não cumprem as expectativas das pessoas, surge o nacional-socialismo e o nazismo. Isso certamente poderia acontecer novamente e as atrocidades que pensávamos terem desaparecido para sempre poderiam ressurgir – um pesadelo para os judeus americanos.

No início, o socialismo parece ter as soluções que os americanos buscam. O governo alivia a carga sobre os ombros do povo, cuidando de suas necessidades básicas. No entanto, o socialismo é insuficiente porque deixa de levar em conta a qualidade egoísta da natureza humana: a necessidade fundamental de se realizar diante de qualquer outra pessoa.

As pessoas carecem inatamente de motivação para realmente se beneficiarem. Conforme explicado pelo Cabalista Yehuda Ashlag (Baal HaSulam) em seu artigo “A Paz”, escrito na década de 1930, mas tão relevante hoje quanto no passado: “Onde o trabalhador ou o agricultor encontrariam motivação suficiente para trabalhar?, pois seu pão diário não aumentará ou diminuirá por seus esforços, e não há metas ou recompensas diante dele”.

O governo Trump pode não ser a panaceia final para todos os problemas americanos, mas sua abordagem econômica pragmática de impulsionar os setores financeiro e industrial está na direção certa para o mundo de hoje. Isso ocorre porque, enquanto ainda somos seres egoístas, cada um com o objetivo de se beneficiar às custas dos outros, e atualmente não fazemos esforços para corrigir o ego humano, de modo que um desejo sincero de beneficiar os outros se torne um valor de liderança na sociedade, então uma abordagem econômica pragmática para crescer financeira e industrialmente fornece uma base mensurável clara pela qual um país pode se sustentar, tanto internamente quanto em conexão com outros países.

Em contraste, a visão socialista, que depende de ideias de igualdade e bondade defendidas pela sociedade e pelo governo, pode ser agradável em concordar com a teoria, mas, na prática, o benefício pessoal em detrimento de outros permanecerá como prioridade máxima, finalmente quebrando essa configuração. O governo nunca poderia impor às pessoas uma verdadeira motivação para contribuir para a sociedade com um desejo sincero de ver todos preenchidos e seguros. Um desejo pró-social e altruísta de beneficiar outras pessoas na sociedade pode ser alcançado inteiramente por meio do engajamento regular na educação que enriquece as conexões. A base para essa forma de educação pode ser encontrada na sabedoria da Cabalá, um método que fornece um entendimento profundo de como a natureza opera, incluindo a natureza humana egoísta, e como se elevar acima do ego humano para alcançar um desejo genuíno de beneficiar os outros.

Os judeus, que há muito tempo receberam esse método aos pés do Monte Sinai, podem desencadear esse processo de aprendizado na sociedade, atualizando primeiro seus conhecimentos sobre os princípios de conexão, e depois implementando conexões positivas entre si, elevando-se acima das diferenças internas. Ao fazer isso, os judeus se tornariam um exemplo positivo de como construir relações de apoio mútuo, consideração e altruísmo como plataforma de lançamento para um mundo melhor. Tal elevação acima do ego de uma massa crítica de pessoas na humanidade manterá o poder de unificar a sociedade acima de suas inúmeras diferenças, apagando assim todas as ameaças totalitárias. Além disso, essa mudança de previsão é independente de qualquer político ou regime. Depende do nosso desejo de mudança positiva e do nosso compromisso de nos aplicar a programas educacionais com o objetivo de se unir acima de nossas diferenças.

Morte E Eu

Laitman_013.07Pergunta: Nossa mente se recusa a aceitar a inevitabilidade da morte. Quando alguém recebe informações que o associam à morte, algo lhe diz que esses dados não são confiáveis. Às vezes, podemos prever a morte de outras pessoas, mas quase sempre estaremos errados ao prever a nossa.

Os especialistas nos dizem que ignoramos inconscientemente os fatos e nos percebemos como alguém que terá uma existência longa, se não a eternidade. Por que nos sentimos assim?

Resposta: Porque nenhum ser vivo pode ou deve entender que é mortal. Tudo neste mundo deve nos impulsionar para a frente. Devemos criar, executar as coisas e deixar algo depois de nós.

Pergunta: Reconhecer a própria mortalidade, ter medo da morte, tem algum efeito sobre nós?

Resposta: O medo da morte é o medo da inexistência. Como posso imaginar um mundo onde não existo mais? Esta é uma terrível rejeição ao egoísmo.

O que é um mundo? Sou eu que existo, conheço o mundo, o entendo e sinto. Eu estou nele, no centro dele. Mas aqui, de repente eu desapareço.

O que resta no mundo? Só posso percebê-lo através dos meus sentidos. Se não existe um “eu”, esse é o fim de tudo. Nosso ego não pode conceber a noção de que o mundo pode existir sem ele.

A única solução é explicar às pessoas que o mundo é eterno, sem fim e perfeito. É completamente diferente da maneira como o percebemos. Para vê-lo de maneira diferente, temos que subir ao nível da qualidade de amor e doação.

Pergunta: Isso significa que vamos nos libertar e nos elevar acima do nosso egoísmo?

Resposta: Sim. Vamos vê-lo na qualidade oposta ao egoísmo.

O fato de termos sido criados com uma qualidade específica não deve nos limitar. Temos que ver o mundo de maneira diferente, multilateral. Poderemos então ver o mundo e a nós mesmos em algum tipo de conexão.

Pergunta: Você está dizendo que, se eu me elevar acima do meu egoísmo, alcançarei a qualidade de amor e doação e verei o mundo como eterno? Assim, eu me torno eterno também?

Resposta: Sim.

Pergunta: Então, a morte não existe?

Resposta: A morte não existe na qualidade de doação.

Pergunta: As pessoas passarão a se perceber como eternas?

Resposta: Sim, a ciência da Cabalá explica isso para nós. Só podemos fazer isso se tivermos o desejo por isso.

De KabTV, “Notícias com Dr. Michael Laitman”, 24/10/19

Protestos Versus Cooperação: O Que Fará Os Governos Ouvirem As Necessidades Das Pessoas?

Dr. Michael Laitman

Da Minha Página No Facebook Michael Laitman 16/11/19

Protestos em massa estão sacudindo o planeta. Os protestos podem realmente afetar as mudanças no mundo? O que falta às pessoas para conseguir a cooperação certa com os governos dos países e fazê-los realmente trabalhar para as necessidades de uma sociedade em particular e do mundo como um todo?

A resposta é a conexão. Os protestos dão às pessoas um certo tipo de unidade, mas é uma unidade que é induzida. Elas têm um objetivo anunciado, vários lemas e emoções ofuscantes. O principal ponto de protesto é “contra”, não “a favor”. Portanto, aqueles que protestam se conectam em torno de seu ódio pessoal em relação a alguma coisa ou por causa da ameaça externa. Assim que ele desaparece, ou “um cão recebe um pedaço de comida” para se acalmar, a unidade artificial desaparece como se nunca tivesse existido antes.

Podemos sair desse círculo fechado?

Sim. Assim como o ódio nutre o ódio, o amor nutre o amor. Portanto, se as pessoas se conectarem “a favor de algo” – um objetivo comum destinado a construir uma nova sociedade próspera – e mostrarem ao governo sua unidade “como um homem com um coração”, suas necessidades e solicitações serão imediatamente atendidas e preenchidas.

Como encontramos esse ponto de “para” a unidade? A sabedoria da Cabalá nos ensina sobre isso.

Por Que As Crianças Usam Drogas?

laitman_961.1Pergunta: Meninas de onze anos em Berlim tomam ecstasy. Foi registrado um aumento no número de adolescentes e crianças que abusam de drogas. Isso é motivo de preocupação para políticos e cientistas.

Quando as pessoas usam essas drogas, elas se tornam sociáveis, sentem que estão apaixonadas e são mais abertas aos outros. No entanto, quando o efeito termina, elas se sentem irritadas, deprimidas, com perda de força e concentração. Essa “ressaca” depois de tomar os remédios pode durar vários dias.

Ao mesmo tempo, um ambiente relacionado às drogas está crescendo em Berlim. Você pode ir a um lugar onde os medicamentos podem ser testados quanto à pureza e limpados para evitar a morte.

São crianças de onze anos! São alunos da quarta série. De onde vem esse desejo por drogas nas crianças?

Resposta: Um jovem quer se sentir bem e interessante. O mundo se torna bom ao seu redor; algo que ele realmente não tem. O mundo se torna alegre; algo que não está neste mundo. O mundo está se tornando amigável, o que realmente nunca é. Ele constrói seu mundo com esta pílula.

É muito difícil para eles. Se, há algum tempo, as pessoas estavam nas filas, e isso as satisfaziam, elas trabalhavam muito, e isso as colocava no lugar delas. No entanto, a geração mais jovem é diferente disso, não quer isso. Quer se sentir bem dessa maneira específica. Gerações passam, e o espírito alemão está mudando.

15% da Alemanha, França e Reino Unido são imigrantes. Isso significa que a atmosfera social está mudando a um ritmo vertiginoso. A geração jovem de crianças alemãs precisa se adaptar de alguma forma a isso. Elas são ensinadas, instruídas e até mesmos veem que precisam, de alguma forma, perceber o mundo que os adultos fizeram para si. Esta não é mais a mesma Europa.

Pergunta: Você disse que as crianças estão procurando uma saída de si mesmas para deixar o mundo fechado em que estão. Como posso fazer isso? O que a sabedoria da Cabalá diz sobre isso?

Resposta: A Cabalá diz que precisamos criar para elas uma infância feliz. Os adultos precisam se esforçar muito para fazer isso acontecer. Nós temos que saber como fazer isso, e eles não.

Pergunta: Como podemos fazer isso?

Resposta: Ao estarmos conectados através de bons relacionamentos, e então, com base nisso, criar uma atmosfera para as crianças onde elas se sintam bem, para que aos onze anos de idade elas desejem brincar entre si e não mergulhar no mundo da ilusão.

As pessoas têm que construir uma sociedade, mas não fazem isso. Elas obedecem ao multiculturalismo e ao liberalismo. O resultado é que simplesmente perdem a si mesmas e a próxima geração.

As interações entre as pessoas são algo que elas não têm e, portanto, fogem para as pílulas.

Estamos presentes agora no renascimento de uma geração. Havia uma geração de computadores, depois uma geração de telefones, e agora isso já está indo para o próximo nível.

Pergunta: Os cientistas dizem que vivemos em um tempo extremamente rápido. A cada segundo, as pessoas enviam sessenta milhões de mensagens nas redes sociais. Se anteriormente, percebíamos vários quadros por minuto quando assistíamos a um filme, agora percebemos várias dezenas, ou seja, nos tornamos totalmente impacientes.

Aparentemente, as crianças também querem o resultado, talvez estejam inconscientemente se esforçando por isso aqui e agora. Como podemos superar essa impaciência? Em geral, a impaciência de alguma forma ajuda em nosso tempo acelerado?

Resposta: Não acredito em tudo isso porque, no final, uma pessoa precisa experimentar a satisfação de seus desejos e sentimentos. Ela acha que sso preencherá com um número de quadros por segundo. Isso não vai acontecer. Ela pensa que se preencherá viajando pelo mundo, esquecendo-se de si e deslumbrando os olhos – isso também terminará.

Tudo isso gradualmente termina. Além disso, a crise não nos permitirá dar a volta ao mundo dessa maneira e fazer o que queremos. Uma enorme crise está se aproximando, e eu espero que ela coloque todos nós em nosso lugar.

Pergunta: Como posso substituir uma pílula de ecstasy por uma “pílula” espiritual – uma “pílula” de perder a paciência?

Resposta: Substituir por uma “pílula” espiritual, é claro, seria bom, mas para isso você e eu teremos que trabalhar muito. Teremos que espalhar esse conhecimento sobre a possibilidade de sairmos de nós mesmos em esferas muito mais elevadas do que o êxtase, telefones, computadores e assim por diante.

O ser humano é praticamente ilimitado em sua compreensão, em seu desenvolvimento, em um senso de eternidade e na perfeição da natureza. Temos que mostrar a ele que isso é possível. Temos que desenvolver nele a oportunidade de sentir o mundo superior literalmente na infância. Espero que vivamos para ver isso.

De KabTV, “Notícias com Dr. Michael Laitman”, 14/07/19

Todo Mundo Se Tornará Judeu

laitman_600.02Pergunta: Como alguém se torna judeu?

Resposta: Existem duas maneiras de se tornar judeu: por nascimento ou por se tornar judeu.

Qualquer um pode se tornar judeu, não importa se é francês, italiano ou qualquer outra nacionalidade, porque o judaísmo não é via linhagem.

Tornar-se judeu significa adotar uma certa maneira de pensar, uma atitude em relação à vida e seu propósito, quando você compreende o que realmente significa ser judeu. O que significa ser judeu? Significa trazer o método de correção e conexão ao mundo e tornar-se um membro contribuinte para a unificação mundial.

Pergunta: Então, a palavra “judeu” – “hebraico – Ivri” significa “atravessou”?

Resposta: Uma mudança da atitude egoísta em relação ao mundo e aos outros para uma atitude altruísta.

Pergunta: É assim que alguém se torna judeu?

Resposta: Sim.

Pergunta: Então, com efeito, você está nos dizendo discretamente que o mundo inteiro pode se tornar judeu?

Resposta: Não discretamente, mas sim.

Essa é uma transição séria do egoísmo para o altruísmo, que só acontece como um interruptor que se liga dentro de cada pessoa quando ela pede à força superior essa mudança.

Pergunta: Você também diz que aqueles que nascem judeus não são realmente judeus?

Resposta: Não. Esses não são os judeus de quem a Torá fala. Um judeu é um espírito. A pessoa só deve ser guiada pelo chamado em seu coração.

Pergunta: O objetivo final da vida é se tornar judeu?

Resposta: Tornar-se judeu significa unir todas as pessoas, ser a força que as eleva em direção à qualidade de doação, amor mútuo e unidade. Significa alcançar tal comunicação entre todas as pessoas no mundo para que elas sejam uma só.

Ser judeu não tem nada a ver com a mãe ser ou não judia.

Pergunta: Pessoas de diferentes nacionalidades agora ouvirão repentinamente que, de uma maneira ou de outra, o objetivo de toda pessoa é tornar-se judeu?

Resposta: Sim.

Pergunta: Você diz calmamente que é assim?

Resposta: Claro. Em outras palavras, o objetivo de cada pessoa é fazer a transição da percepção egoísta do mundo para a altruísta. Isto é considerado como atravessar (“laavor“) a barreira egoísta.

Então, deixe-os atravessá-la.

De KabTV, “Notícias com Dr. Michael Laitman” 30/07/19