Textos na Categoria 'Notícias'

Não Desista Mesmo Quando O Amor Estiver Morto

294.2Pergunta: Existe um ditado sábio sobre a diferença entre gostar e amar. Quando você gosta de uma flor, você a escolhe. Se você ama uma flor, você a rega diariamente.

O que significa amar, regar uma flor?

Resposta: É muito simples. É entender o que aquele que você ama precisa e prover isso a ele, preenchê-lo, “regá-lo”.

Pergunta: Então, primeiro preciso descobrir o que essa pessoa precisa e dar a ela? Isso se chama amor?

Resposta: Isso realmente se chama amor.

Pergunta: Então, quando vejo uma flor murchando, por exemplo, é mais fácil para mim regá-la, vê-la começar a levantar a cabeça e de repente ganhar vida. E quando o amor murcha completamente e a flor morre, perdemos a esperança ou ainda a regamos?

Resposta: O que mais resta?

Comentário: Deixe. Procure outra flor. Ou ainda devo regar?

Minha Resposta: Acho que você ainda deveria regá-la.

Comentário: Ou seja, essa esperança deveria existir.

Minha Resposta: Você pode reanimá-la com seus sentimentos e dando-lhe água.

Comentário: Estamos falando de amor, que se acredita não existir. No entanto, você sente que não existe amor aí. Você diz que podemos revivê-lo.

Minha Resposta: Sim, absolutamente nada desaparece.

Pergunta: Algo ainda está vivo lá? Afinal, está muito além da razão. Como podemos acreditar nisso?

Resposta: Está além da razão, mas também podemos ver isso na natureza.

Pergunta: Como quando algo brota repentinamente de uma terra completamente árida?

Resposta: Sim. Podemos superar até mesmo o estado de morte.

Pergunta: Podemos superar um estado morto e murcho?

Resposta: Em qualquer estado, no nível vegetativo, nos níveis animal e humano.

Pergunta: Como posso me convencer disso? Esta é a coisa mais importante.

Resposta: Tudo depende unicamente da expansão dos seus sentimentos interiores. Se você quiser, até a múmia do Faraó ganhará vida. Digamos que ele foi enterrado há dois ou três mil anos, e sua atitude em relação a ele se reorienta para que ele comece a ganhar vida.

Pergunta: Quando você diz “ganhar vida”, o que você quer dizer?

Resposta: Viver no nosso nível.

Pergunta: Ou seja, todas as forças vitais voltarão para ele? Isso não é ficção?

Resposta: Não será ficção.

Comentário: Mas no nosso estado atual, a forma como entendemos as coisas agora, isto é pura fantasia.

Resposta: Claro. Esta é a decomposição em elementos naturais.

Pergunta: Podemos reuni-los novamente com nossos esforços?

Resposta: Podemos reuni-los novamente; nós podemos fazer isso.

Pergunta: Onde posso conseguir paciência para trabalhar dessa maneira?

Resposta: Ninguém tem paciência. Mas há uma compreensão do processo de que você está falando. Digamos que o amor morreu em você agora. E daí?

Pergunta: Onde conseguir paciência, como você diz, para até ressuscitar os mortos?

Resposta: Digamos que você percebeu que é capaz de revivê-lo com seus esforços durante, digamos, cinquenta anos.

Pergunta: Preciso investir cinquenta anos nisso?

Resposta: Não, você não está pensando em investir cinquenta anos nisso. Você está pensando no que está revivendo. Os anos tornam-se sem importância; você já está vivendo o resultado.

Pergunta: Isso é lindo! É esta a maneira de viver?

Resposta: Sim.

Pergunta: Então todos os meus esforços importam menos, tudo que invisto nisso desvanece diante desse objetivo, desse renascimento. Então vou revivê-lo?

Resposta: Sim, claro. Seu espírito penetrará neste estado morto e brotará.

Pergunta: Quando posso desistir, levantar as mãos porque não consigo revivê-lo? Existe uma coisa dessas?

Resposta: Isso é fraqueza.

Pergunta: É realmente uma fraqueza? E isso vem para a pessoa o tempo todo? Como faço para trabalhar com isso?

Resposta: Certa vez, tive uma vizinha no apartamento ao lado cujo filho estava doente, com inflamação cerebral. Lembro-me de como, por volta das duas ou três da manhã, quando eu estava indo para a aula, ela bateu na minha porta e me trouxe esta criança, um embrulho, entregou-a e disse desesperadamente: “Leve-o”. Foi isso. Esse é o tipo de estado que não podemos alcançar. Lute!

Pergunta: Então, não há rendição, nem com o que vejo nem com o que ouço? Isso é tudo?

Resposta: Continue!

Pergunta: É isso que chamamos de orar de verdade?

Resposta: Sim.

Comentário: Não é fácil!

Resposta: Mas na minha história já era tarde demais. A criança já estava… o corpo ainda reagia de alguma forma, mas tudo dentro já estava quase morto.

Pergunta: Ainda assim você diz que não podemos desistir? Isso nunca deveria acontecer?

Resposta: Nunca.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 27/11/23

O Que Fazer Se O Coração Estiver Silencioso?

600.02Natália escreve:

Caro Michael Laitman, diga-me o que fazer quando o coração se fecha, quando a sensibilidade vai embora e vejo que não consigo mais responder à dor e ao sofrimento dos outros, mesmo dos mais próximos? Deixo de ser sensível ao sofrimento deles. Estou com medo disso! Não quero ficar indiferente. O que devo fazer neste caso?

Resposta: O que fazer? Neste caso, você só precisa doar às pessoas. Então você encontrará significado nisso, verá significado nisso.

Pergunta: Quando você diz “doar”, o que você quer dizer?

Resposta: Ajudar, reagir de alguma forma às outras pessoas, ver o que elas precisam. Se você fizer isso, você justificará sua existência e se aproximará da revelação do Criador não apenas no portão das lágrimas, mas no portão mais próximo.

Pergunta: Então você está dizendo: “Não se aprofunde, não procurar o que eu sou?”

Resposta: Não, pense menos em você.

Pergunta: Somente de si mesmo para fora?

Resposta: Sim.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 25/12/23

A Vida É Um Momento

552.02Comentário: Há uma história de Alan Mayer chamada “Má Sorte”.

Acordei com uma dor lancinante por todo o corpo. Abri os olhos e vi uma enfermeira parada ao lado da minha cama.
“Senhor. Fujima”, disse ela. “Você teve sorte de ter sobrevivido ao bombardeio de Hiroshima há dois dias. Mas você está seguro agora aqui neste hospital”.
Fracamente, perguntei: “Onde estou?”
“Nagasaki”, ela disse.

Minha Resposta: Nagasaki foi bombardeada alguns dias depois.

Pergunta: Sim. Hoje existe um sentimento no mundo de que você não pode estar seguro em lugar nenhum. Será que eu estava, por exemplo, em Hiroshima, mas acordei em Nagasaki?

Resposta: Sim. Vivenciaremos todos os dias com calma, com a percepção de que cada momento pode ser o último.

Pergunta: O mundo está sendo levado a tal estado agora?

Resposta: O que há de errado nisso?

Pergunta: O que há de bom nisso?

Resposta: É muito bom! Porque nos leva a avaliar adequadamente a nós mesmos e às nossas vidas.

Pergunta: Então você está dizendo que se eu viver com isso, viverei cada minuto como o último?

Resposta: Sim. Vai ser bom.

Comentário: A humanidade nunca viveu assim.

Minha Resposta: Claro que não.

Pergunta: E isso está sendo levado a este ponto agora?

Resposta: Sim.

Pergunta: O que significa viver este minuto, este momento como deveria ser, como o último?

Resposta: Entregue-se ao fluxo da vida, ao Criador. Em geral, doe tudo de si.

Pergunta: Então, vou me sentir seguro?

Resposta: Que segurança? É exatamente o oposto do que você deseja.

Pergunta: Então estou vivendo este momento para os outros, a cada momento? É assim que se chama a vida?

Resposta: Sim.

Pergunta: E eu não penso no próximo minuto, no próximo momento, no amanhã, em alguma coisa?

Resposta: A vida é um momento entre o passado e o futuro.

Pergunta: Sim, exatamente. Nós cantamos.

Isso é bom, você acha?

Resposta: Isso é muito bom! Então a pessoa se sente acima desta existência.

Pergunta: É possível aprender isso?

Resposta: É possível. Depende de quão profundamente uma pessoa consegue entrar em si mesma, até que ponto ela consegue romper com a corporeidade. Ela pode.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 16/11/23

Não Podemos Ficar Sozinhos

963.4A águia estava sentada numa árvore, descansando, sem fazer nada. O coelhinho viu a águia e perguntou: “Posso sentar como você e não fazer nada?” “Claro, por que não?” ele respondeu. O coelho sentou-se debaixo de uma árvore e começou a descansar. De repente, uma raposa apareceu, agarrou-o e comeu-o. Moral: Para sentar e não fazer nada é preciso sentar muito, muito alto (Fábula, fonte desconhecida).

Minha Resposta: Sim, mas não creio que esta seja a solução para o problema. E a águia tem problemas; tem inimigos e também deve defender-se e imaginar outras condições.

Question: Então ainda precisa ficar de olho?

Resposta: Definitivamente. Nenhum ser vivo pode existir assim, sem se importar com nada.

Pergunta: Quando posso me permitir ficar em paz?

Resposta: Somente se, Deus me livre, você estiver morto.

Pergunta: Isso é paz?

Resposta: Sim.

Comentário: Mas você sempre diz que o Criador está em repouso. E devemos avançar em direção à paz de uma forma ou de outra.

Minha Resposta: Para nós, este estado é a morte, porque devemos nos matar, matar o nosso egoísmo.

Pergunta: É este estado o que você quer dizer?

Resposta: Sim.

Pergunta: Então tenho que matar meu egoísmo? E todo o meu caminho é matá-lo?

Resposta: Sim.

Pergunta: Mas somos todos “coelhos”? Não podemos ficar tranquilos. Há perigo em todo o lado: à direita, à esquerda, em todo o lado?

Resposta: Sim.

Pergunta: Então, você diz que o perigo existe precisamente porque estamos, por assim dizer, apegados a esse egoísmo. Como podemos não ser um coelho?

Resposta: Para fazer isso, precisamos saber exatamente o que nos espera, o que devemos sacrificar e como ser livres. Ou seja, devemos estudar a natureza do nosso mundo, a natureza do mundo superior e os caminhos de transição de um estado para outro.

Pergunta: Isto, em princípio, é educação?

Resposta: Sim. Não é simples. Devo me refazer, tornar-me uma pessoa do mundo superior.

Pergunta: Como começa esta paz?

Resposta: Com amar ao próximo como a si mesmo. Esta já é a altura de uma águia.

Pergunta: Isto é, podemos nos permitir algum repouso inicial e mínimo se chegarmos a esta regra: amar o próximo como a nós mesmos?

Resposta: Se aceitarmos isso, pelo menos teoricamente.

Pergunta: Você acha que nem mesmo aceitamos isso teoricamente?

Resposta: Não, claro que não!

Comentário: Falamos sobre isso o tempo todo.

Minha Resposta: Estamos conversando.

Pergunta: Então o que significa aceitá-la, pelo menos teoricamente?

Resposta: Aceite-a, isto é, comece a procurar maneiras de dominar esta lei, esta condição, procure como sair do seu egoísmo e como se elevar acima da sua natureza.

Pergunta: Amar e não odiar? Paz em vez de guerra, bons relacionamentos em vez do mal. Embora você sempre diga que a natureza humana é diferente.

Resposta: Você não pode fazer nada. Especialmente em nossa época, já estamos nos aproximando disso. Ainda temos que nos preparar de alguma forma para passar ao próximo nível.

Pergunta: Na sua opinião, a humanidade já está nesta fase e permaneceu na anterior, ou ainda não?

Resposta: Não! Ainda não estamos em nenhuma fase!

Pergunta: Não percebemos isso, mas talvez estejamos lá?

Resposta: Não, pelo contrário, começamos a perceber em que fase nos encontramos e que está longe do ideal.

Pergunta: Então, já que a nossa natureza é diferente, precisamos dar um passo em direção ao abismo?

Resposta: Este não é um passo para o abismo. Estas são ações precipitadas; elas não são bem recebidas por ninguém. Pelo contrário, devemos compreender claramente o que temos pela frente e dar um passo em frente absolutamente racional.

Comentário: Então eu sei que diante de mim está “amar o seu próximo como a si mesmo”, e esse é o único caminho que estou seguindo.

Minha resposta: Sim.

Comentário: Haverá muita interferência de todos os lados, naturalmente.

Minha Resposta: Podemos superar todos eles se formos nós.

Pergunta: Se não sou eu, mas nós?

Resposta: Sim.

Pergunta: A humanidade poderia tomar esta decisão em algum momento por causa de um grande sofrimento ou de quê?

Resposta: Não tenho ideia.

Pergunta: Então um pequeno grupo pode?

Resposta: Um pequeno grupo pode. E não consigo imaginar que a humanidade possa.

Pergunta: É contagioso se um pequeno grupo chegar a este ponto?

Resposta: Esta é a missão do povo judeu: tornar-se um grupo assim e mostrar a toda a humanidade que isto é possível.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 30/11/23

Podemos Comandar O Clima Nós Mesmos

720Pergunta: “Um viajante perguntou a um pastor: ‘Como estará o tempo hoje?’ O pastor respondeu: ‘Será como eu gosto.’ ‘Como você sabe que vai gostar?’ ‘Aprendi a amar o que será. Portanto, o tempo estará como eu gosto’, respondeu o pastor.”

Como podemos aprender a gostar o que será?

Resposta: Você simplesmente aceita com o coração aberto o que a natureza, o Criador , está preparando para você. E não importa o quê.

Pergunta: Então, seja o que for?

Resposta: Seja o que for. E o que pode acontecer?

Comentário: Muitas coisas podem acontecer das quais não vou gostar.

Minha Resposta: Não vou gostar, não falo nada sobre isso. Tudo o que eu não gosto, eu aceito.

Pergunta: Então você está falando sobre aceitação? Aconteça o que acontecer, eu aceito?

Resposta: Sim.

Comentário: Se ao menos pudéssemos entrar em sintonia com isso, se pudéssemos aprender a viver assim.

Minha resposta: Calmamente.

Comentário: Isso está além dos sonhos!

Minha Resposta: Mas é preciso morrer todos os dias e pronto.

Pergunta: O que isso significa?

Resposta: O que está acontecendo agora, o que irá desaparecer e o que será, tudo igualmente vem de cima aos meus olhos. E é por isso que aceito antecipadamente com submissão.

Pergunta: Sem resistência?

Resposta: Por que resistir? Que tipo de resistência pode haver?!

Pergunta: Então, o que é chamado de vida?

Resposta: A vida é a propriedade da existência de matéria proteica. É interessante como uma pessoa pode pensar nisso!

Comentário: Não há sequer uma conversa sobre a alma ou sobre o coração. A matéria proteica existe e isso é tudo. E você diz: “Aprenda a seguir o fluxo completamente. Renda-se e pronto. Aceite tudo o que vier para você.” Assim como ele diz: “Haverá um clima que eu gosto”.

Minha Resposta: Claro. Concordo antecipadamente com o que será.

Comentário: Guerras, sofrimentos, tudo que está preparado para mim, e assim por diante, aceito tudo.

Minha Resposta: Sim.

Pergunta: É um trabalho muito difícil. Parece muito atraente se render e se anular dessa maneira. Mas é um trabalho muito difícil! Muito!

Que experiência devo ter para chegar a isso?

Resposta: De qualquer forma, tanto desta forma quanto daquela, e o que precisa acontecer acontecerá. O que vem de cima estará com você.

Pergunta: Isso vem com a idade, com a sabedoria; como exatamente?

Resposta: Tanto desta forma como daquela.

Pergunta: Mas ainda preciso ganhar experiência para chegar a isso?

Resposta: Sim. Bem, mais cinco anos, mais dez anos e depois? Mesmo assim, teremos que passar por essa transformação conosco, com nosso corpo e assim por diante.

Pergunta: Então podemos muito bem concordar com isso agora?

Resposta: Claro. E o que vem a seguir? Cresceremos para uma nova forma, uma nova vida. Sem esperança, sem planos grandiosos. Tentaremos estar ainda mais de acordo com o Criador.

Pergunta: De tudo o que você diz, acontece que é exatamente para isso que estamos sendo levados e somente para isso?

Resposta: Sim.

Pergunta: A vida é isso, chegar a tal estado?

Resposta: Para completar o acordo com a força superior, entregue-se completamente a ela.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 27/11/23

Salvando Entes Queridos

962.3Pergunta: Os cientistas estabeleceram e confirmaram o seguinte através de muitas experiências: “Quando você está perto de alguém de quem gosta, sua respiração e batimentos cardíacos podem ser sincronizados. É assim que se estabelece a conexão entre um bebê e seus familiares e entre aqueles que cantam no coral. Quando alguém de quem você gosta não está se sentindo bem, basta segurar sua mão e isso aliviará seu sofrimento.”

Voce acredita nisso?

Resposta: Não há nada em que acreditar; é assim.

Pergunta: É assim que funciona?

Resposta: Sim, é assim que funciona.

Pergunta: Qual é a base de tais milagres?

Resposta: Por que são milagres?

Comentário: O remédio não funcionaria, mas eu pego um homem pela mão e de repente ele começa a sincronizar.

Minha Resposta: Suas energias internas começam a fluir para ele através do contato tátil e a regulá-lo.

Pergunta: Como isso funciona? Ele sintoniza comigo? O mesmo batimento cardíaco?

Resposta: Sim.

Comentário: Há um ponto muito importante aqui, mencionado duas vezes: é um “ente querido”.

Minha Resposta: Um ente querido pode estar em ânimo, em temperamento ou em conexão interior.

Pergunta: Mas se ele não for próximo de mim, posso trabalhar assim com uma pessoa?

Resposta: Não, é improvável.

Pergunta: Então, a proximidade realmente importa?

Resposta: Certo.

Pergunta: Então, se quisermos ajudar uma pessoa que está doente, preciso primeiro me preparar para vê-la como alguém próximo a mim? É possível sintonizar-se para se sentir próximo do outro para ajudá-lo?

Resposta: Sim.

Pergunta: Como funciona esse sistema? Como faço para me sintonizar?

Resposta: Você tem que sentir o mundo interior dela, onde ela está desequilibrada, e tentar influenciá-la a voltar a um estado de equilíbrio.

Pergunta: Então você está colocando a responsabilidade principal sobre mim agora?

Resposta: Você é o saudável. Pois bem, cabe a você fazer isso. Ela só pode fazer uma coisa: obedecer. Isso não é fácil. Mas o resto é ditado por você.

Comentário: Ou seja, se uma pessoa pede ajuda, meu trabalho é me sentir próximo dela.

Minha Resposta: Para apoiá-la!

Pergunta: Este é o meu trabalho? Ela não tem que fazer nada além de pedir.

Resposta: Eu diria que sim.

Pergunta: Estes são tempos difíceis para a humanidade, difíceis. É difícil para as massas. Para ajudá-las e tirá-las de alguma forma deste estado, o que devemos fazer?

Resposta: Isso é um problema. O que podemos fazer? Tirá-las deste estado dificilmente é o melhor.

Se elas foram colocados nesse estado, é por uma razão. Precisamos pensar em como levá-las ao melhor estado, e sair da descida em que se encontram pode não ser o melhor curso de ação.

Pergunta: Então não se trata de dar um abraço caloroso ou fazer alguém se sentir bem; antes, pode até ser uma afronta?

Resposta: Pode ser. Não podemos entender isso ainda.

Comentário: Tanto você quanto a ciência da Cabalá continuam dizendo que o mundo está sofrendo. A ciência da Cabalá veio para ajudar as pessoas de alguma forma.

Minha Resposta: Precisamente.

Pergunta: Para nos ajudar a sair do sofrimento ou a superá-lo?

Resposta: A sair do sofrimento. A Cabalá nos oferece a possibilidade de nos elevarmos, alcançando uns aos outros e apoiando uns aos outros. Não precisamos de mais nada. Somente através da ajuda mútua podemos elevar-nos uns aos outros e crescer juntos.

Pergunta: Esta é toda a ciência? O que há de difícil nisso?

Resposta: Amar o próximo como a si mesmo.

Pergunta: É isso?

Resposta: É isso. É aqui que fechamos a cortina e apagamos as luzes.

Comentário: Uma pessoa ainda pensa que pode de alguma forma chegar a isso.

Minha Resposta: Acho que não. Quanto mais vivo, mais tenho certeza de que uma pessoa não pode chegar a isso sozinha.

Pergunta: O que alguém deve fazer para “amar o próximo como a si mesmo?”

Resposta: Uma pessoa deve pelo menos perceber que se não fosse pela reaproximação com os outros, para não falar voluntariamente, com os olhos fechados e movendo-se em direção uns aos outros como no escuro – se não agirmos desta forma, estaremos todos condenados.

Pergunta: Deveríamos suprimir toda resistência a tal atitude em relação aos outros? Todo o seu ego, tudo pelo que ele vive?

Resposta: Absolutamente! Essa é a única maneira.

Comentário: E a ciência da Cabalá parece dizer que é quando chegar o momento, quando você se elevar acima do sofrimento.

Minha resposta: Sim.

Pergunta: Mas chegaremos algum dia a isso?

Resposta: Depende do tipo de sofrimento que passamos. Podemos fazer isso mais cedo ou mais tarde.

Pergunta: O sofrimento é o principal aqui?

Resposta: O sofrimento nos forçará.

Comentário: Isso não é muito otimista.

Minha Resposta: Nunca fui particularmente otimista.

Comentário: Você tem estado ainda menos otimista em relação à humanidade ultimamente.

Minha Resposta: Não sou nada otimista em relação à humanidade.

Comentário: Mas você sempre diz: “Através do sofrimento”.

Minha Resposta: Somente!

Comentário: Então só entendemos a dor.

Minha Resposta: Pelo compromisso com a felicidade

Pergunta: Não podemos agir antes disso, antes da bala, antes do bastão?

Resposta: Não.

Pergunta: Então o que esta ciência oferece?

Resposta: Ela explica as leis naturais da natureza e o papel do homem nela. Portanto, não podemos culpar a natureza. Culpe você mesmo.

Pergunta: Se eu aprender, isso me permitirá agir antes do bastão ou da bala?

Resposta: Na medida que você quiser, ela vai deixar.

Pergunta: Então depende de mim agora? Eu recebi uma ferramenta e isso depende de mim. Ainda é possível agir antes de sofrer?

Resposta: Mesmo agora!

Comentário: Você acabou de mudar seu ângulo. Você disse que o sofrimento basicamente empurra a pessoa.

Minha Resposta: Bem, se o sofrimento de hoje já é suficiente para você, você pode fugir dele em direção à correção e alcançar o melhor estado.

Pergunta: Então a medida é importante, para poder dizer: “Já chega, já chega”, certo?

Resposta: Certo.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 27/11/23

O Incidente Que Chocou Todo Israel

963.5Comentário: Recentemente ocorreu um incidente em Israel que chocou todo o país. Como você sabe, temos uma atitude sagrada em relação aos reféns. Queremos libertá-los com todas as nossas forças; toda a nação está por trás disso. Quando três reféns conseguiram escapar do cativeiro, alcançaram nossas posições e ficaram quase livres, foram confundidos com terroristas e mortos. Um enorme choque foi sentido em todo Israel.

A imprensa começou a cavar, discutir e procurar quem culpar. E a mãe de um dos meninos assassinados enviou uma mensagem de áudio aos soldados.

“Eu sou a mãe do Yotam. Eu amar vocês, quero abraçá-los mesmo de longe. A morte do meu filho não é culpa de vocês. Por favor, cuidem-se! Vocês estão fazendo a coisa certa no mundo. Não se culpem pela morte do meu filho. Vocês devem se proteger para proteger todos nós. Venham visitar-nos na primeira oportunidade, quando quiserem. Queremos olhá-los nos olhos, abraçá-los e dizer-lhes na suas caras, por mais difícil que seja, que naquele momento vocês tomaram a decisão certa, vocês fizeram a coisa certa. Ninguém em nossa família os condena ou guarda rancor de vocês.”

Minha Resposta: Sim, é difícil!

Pergunta: Não consigo imaginar onde uma mãe pode conseguir tanta força. A coisa mais preciosa foi tirada e ela está superando isso. Diga-me, de onde vem essa força?

Resposta: De cima! Não há outro caminho… É revelado de cima.

Comentário: E isso acontece justamente quando está em andamento a busca pelos culpados, quando tudo está sendo discutido. De repente, essa voz soa. O que está acontecendo aqui? A mãe é a única que une o povo. Você pode imaginar? De repente todos sentem o que são e o que ela é!

Minha Resposta: Sim, é um grande avanço.

Pergunta: Quando você fala sobre o papel do povo judeu, que devemos mostrar um exemplo de boas conexões, elevando-nos acima do ódio, podemos dizer que esta mãe é um exemplo?

Resposta: Sim, o que ela fez foi ótimo.

Pergunta: Podemos chamar isto de um apelo à unidade do povo?

Resposta: Claro.

Pergunta: Isso pode nos influenciar?

Resposta: Não sei. Já passamos por tanta coisa! E você vê que depois de tudo isso, há manifestações de novo, há uma busca de quem culpar novamente.

O que nos mata há milhares de anos continua a matar. É a nossa incapacidade de se unir acima de todas as nossas acusações e problemas. Eu não sei como conseguir isso.

Pergunta: Ainda assim, podemos dizer que isto é um apelo a isso?

Resposta: É o chamado. Tem que simplesmente estar na boca de todos o tempo todo. Mesmo que as pessoas não sintam isso, basta dizer. Então elas se ouvirão.

Pergunta: O que deveria ser dito? Que devemos nos elevar acima de tudo, acima de todas as diferenças…?

Resposta: Superem todas as diferenças e unam-se, abracem-se, conectem-se, apenas permaneçam juntos.

Comentário: Não importa o que aconteça entre nós.

Minha Resposta: Sim! Acima de tudo!

Comentário: Essa mulher, essa mãe, Iris, poderia ter se fechado e culpado todo mundo.

Minha Resposta: Veja, neste estado há pessoas que se elevam acima de si mesmas. Não há palavras para descrever sua condição e suas ações. Está um pouco além da força humana.

Pergunta: O que você diria a ela se a conhecesse?

Resposta: Não sei. Eu me curvaria diante dela e isso é tudo.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 25/12/23

Manhattan Está Se Tornando Um Campo De Refugiados

400Comentário: Diz-se que Nova York está passando por uma crise de imigração. Pessoas da Venezuela e de África vivem agora nas ruas. Montam barracas em Manhattan e dormem nas calçadas; isso é o que eles dizem.

O presidente da Câmara de Nova Iorque propõe seriamente a colocação de migrantes em navios de cruzeiro. Há uma exigência da população para fechar as fronteiras e enviar os migrantes de volta aos seus países.

Parece que é para isso que o mundo está se preparando. Afinal, vejam, milhões estão sendo reassentados agora.

Minha Resposta: Depende de onde eles se reassentam. Eles não querem se reassentar na Sibéria. Eles querem se mudar para Manhattan.

Pergunta: Bem. Uma pessoa busca uma vida melhor, naturalmente. Ela ouviu e viu coisas e quer estar lá. Mas a tendência em si vai continuar assim?

Resposta: A tendência é para um lugar melhor. Ela vai.

Pergunta: Ainda mais no futuro. Afinal, os próprios americanos são imigrantes.

Resposta: Foi quando a América estava vazia.

Pergunta: Então, eles se sentem como proprietários agora. Eles querem viver confortavelmente.

Resposta: Sim, eles não concordam em hospedar todos. Eles são os proprietários; como posso forçá-los?

Pergunta: É correto um país fechar-se aos ilegais?

Resposta: Sim. E geralmente ditar o que é ou não legal. Este é o direito de todos os países.

Pergunta: Por favor, diga-me, com o tempo, este estado – “meu lugar, minha pátria, meu hino, minha bandeira” – para onde irá? Se lá eu não me sentir bem, a chamarei de minha pátria ou procurarei outra pátria?

Resposta: Depende do julgamento de cada um, em quais sentimentos e valores eu me baseio.

Pergunta: Se alguém se sente bem ou mal?

Resposta: Certo.

Pergunta: Como será o futuro? Uma vez você disse uma coisa muito interessante. Você disse que o homem não tem nada próprio neste mundo. O homem chegará a isso?

Resposta: Não sei. Hoje, olhando para a humanidade, já não sou tão otimista.

Pergunta: Esta é uma esperança otimista para você quando uma pessoa chega à conclusão de que não há nada dela?

Resposta: Sim. Isso seria bom. Mas hoje todos pensam que o mundo inteiro lhes pertence. E eles estão destruindo o mundo com isso.

Pergunta: Se pensarmos que este mundo é para mim e é todo meu, eu o rasgo, certo?

Resposta: Sim.

Pergunta: Então, você está dizendo que o sentimento de “esta é minha casa, este é meu país” não é muito correto do ponto de vista da altura espiritual?

Resposta: Claro que não.

Pergunta: O que deveria ser, aonde uma pessoa deveria chegar?

Resposta: Deveria ser a reeducação de toda a humanidade, para nos fazer sentir que todo o nosso planeta é a nossa casa, a nossa casa comum, para todos. Então, faríamos aqui uma boa casa comum.

Pergunta: Então, não é o meu lugar específico, mas o planeta inteiro?

Resposta: O planeta inteiro.

Pergunta: Porque sou um convidado neste planeta, devo vir para cá ou não – sou um convidado?

Resposta: Você pode não ser um convidado. Mas você precisa ter certeza de que este lugar é adequado para todos. E todos deveriam fazer o mesmo.

Comentário: Você não disse “para mim”, você disse “para todos”.

Minha Resposta: Para todos, é claro.

Pergunta: Então, meu pensamento deveria ser “de mim mesmo para os outros?” Embora até agora tenha sido “de mim para mim?”

Resposta: Esse é o problema!

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 23/11/23

Pedir Ao Criador É Necessário

563Pergunta: De uma carta: “Você tem dito ultimamente que não se deve pedir nada ao Criador, mas apenas concordar com tudo o que acontece porque tudo vem Dele. Você diz: ‘Isto é a vida, este é o mundo, e eu existo neste mundo para estar em paz’. Acontece que não preciso pedir nada: nem saúde, nem paz. Então qual é o sentido de todas as orações?”

Resposta: É claro que pedir ao Criador é necessário, mas primeiro é preciso decidir. Deve estar relacionado ao meu pedido a Ele depois de ter tentado de tudo, feito tudo e não ter alcançado tudo o que deveria ter alcançado por causa Dele, então me volto a Ele com um pedido e peço ajuda.

Pergunta: Então, minha primeira ação é tentar mesmo assim?

Resposta: Tente dar ao Criador. Se não pode mais fazer isso, então peça a Ele.

Comentário: Mas esta “doação ao Criador” é toda a dificuldade aqui. Afinal, as pessoas estão realmente pedindo. Elas estão pedindo não o que dar a Ele, mas o que pedem.

Minha Resposta: E o que elas dão? Elas fazem uma oração, mas não dão nada. Elas não dão; elas pedem!

Pergunta: A coisa mais importante é pedir ao Criador?

Resposta: Sim, o Criador existe com o propósito de pedir-Lhe.

Pergunta: Muito importante, muito bom. E onde está a sua consciência interior de que você também pode dar algo?

Resposta: Não existe tal consciência. Nenhuma. Dar ao Criador geralmente é contra qualquer lógica. Ele criou tudo, Ele faz tudo.

Comentário: Então deixe-O dar! Esta é a lógica.

Minha Resposta: Bem dito! “Vamos! Onde você está?”

Pergunta: Devo pedir para quem está perto de mim, para quem está longe ou para mim mesmo?

Resposta: Não importa a quem pedir, mas peça.

Comentário: Mas peça, sim. Eu tenho um relacionamento assim com o Criador.

Minha Resposta: Eu peço, Ele dá, nada mal.

Pergunta: Você concorda que esta é uma condição?

Resposta: Concordo que uma pessoa é construída dessa forma.

Pergunta: Você mesmo diz que assim é a natureza. E o que há de errado aqui? Se isso está enraizado em nós, o que há de errado?

Resposta: E o que vem de mim?

Pergunta: O que vem de mim? Algum bom comportamento, o cumprimento de algumas leis? E está escrito na Torá, na Bíblia.

Resposta: Muito bem. Então faça.

Comentário: Eu faço isso, mas faço pensando que deveria ser bom para mim.

Minha Resposta: E isso não é mais bom. É aí que reside o problema: você faz o que tem que fazer contra a sua vontade. Parte disso é o quanto você pode reduzir essa lista involuntariamente.

Pergunta: Então, eu gostaria de reduzi-la?

Resposta: Você gostaria de destruí-la. E o que você deseja é que não tenha obrigações perante o Criador, mas que o Criador sinta você e esteja pronto para realizar seus desejos a cada momento.

Comentário: Sim. Há um pensamento. A questão é esta: “Você diz que tem que concordar, começou com isso, concordando com tudo que acontece”.

Minha Resposta: Correto, continue.

Pergunta: Concordar com tudo o que acontece e que este mundo existe para estar em paz. Estas são suas principais teses. Você não está desistindo disso?

Resposta: Não. Mas o que significa equilibrar para que haja paz?

Pergunta: Em outras palavras, o que significa me equilibrar?

Resposta: Sim. Tudo é medido em relação a mim.

Pergunta: Isto é, esta frase “em paz” – há algum grande segredo nela?

Resposta: Sim.

Pergunta: E o que é a paz então?

Resposta: A paz é uma harmonia completa, compreensão mútua entre o homem e o Criador.

Pergunta: Então eu tenho que chegar a isso? Não é apenas paz como eu a entendo neste mundo.

Resposta: Não. Um entendimento completo um do outro.

Pergunta: E o que isso significa?

Resposta: Que você está completamente em paz.

Pergunta: O que devo entender?

Resposta: O que o Criador quer de você e o que você quer do Criador e que ao mesmo tempo vocês sejam semelhantes um ao outro e estejam prontos para fazer qualquer coisa um pelo outro.

Pergunta: Como posso saber o que Ele quer de mim para chegar à paz?

Resposta: O Criador quer apenas uma coisa de você: que você O entenda e entenda o que Ele precisa.

Pergunta: O quê? Por favor, diga.

Resposta: Mas você tem que entender isso, tem que revelar.

Pergunta: Significa que minha vida se resume a buscar o que Ele precisa?

Resposta: Sim, esta é a direção da vida.

Pergunta: Como devo me direcionar? “Quero entender o que Você quere” ou “Quero paz” – estas são duas direções; qual está correta?

Resposta: Não. “Eu quero paz”, este é você – um egoísta. Mas “quero a direção certa para meus pensamentos, minhas ações”, isso já é uma questão.

Pergunta: Ou seja, quero agradar-Lhe de alguma forma, quero dialogar com Você?

Resposta: Quero fazer algo de bom para Você.

Pergunta: E toda a minha vida é descobrir o que posso fazer para agradá-Lo? E isso se chama chegar à paz de que você está falando?

Resposta: Sim.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 23/11/23

Karlsson Não É O Resultado Final Da Vida

961.2Comentário: Astrid Lindgren, que escreveu a popular série de livros infantis Karlsson-on-the-Roof, de repente disse esta frase de uma forma muito adulta: “Tudo é vaidade das vaidades e correr atrás do vento. Todos somos iguais. Todos nós já fomos crianças legais. As crianças cresceram e vão morrer. O que importa se o seu livro foi traduzido para 50 idiomas?”

De onde vem essa sabedoria e por que ela vem com a idade: “Tudo o que escrevi, essas 50 línguas para as quais Karlsson foi traduzido, tudo isso, o que é? Esta é a minha vida, e nem penso que seja algum tipo de resultado final da minha vida. Eu não estou me segurando nisso”.

Será que uma pessoa só chega a isso com a velhice, como fez o Rei Salomão?

Minha Rsposta: Sim. Isso é o que resta de uma pessoa. O resto já permanece nas pessoas.

Pergunta: Saio com “Fiz tudo que pude e vai ficar para as pessoas”? Esta é a fórmula correta?

Resposta: Sim, é a fórmula correta. Porque as próximas gerações estão passando pelo que você deixou.

Pergunta: Imaginemos que isto não aconteceu com uma pessoa mais velha, mas com uma pessoa muito jovem. Algum adolescente já teve a ideia de que “tudo é vaidade das vaidades”. É bom ou é, de fato, ruim?

Resposta: Geralmente chega a pessoas que precisam ouvir. De alguma forma, elas processam isso em si mesmas.

Pergunta: Isso significa que se se trata de um jovem, então é apenas externamente que vemos que ele é um jovem, e talvez sua alma já esteja madura?

Resposta: Sim, provavelmente ele já tem algum preparo para isso. Caso contrário, não teria ouvido isso.

Pergunta: Se isso acontecer com ele nessa idade, ele veio a este mundo para alguma coisa?

Resposta: Sim.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 16/11/23