Textos na Categoria 'Feriados'

Milagre De Ano Novo À Porta

631.5Comentário: Eu quero um milagre! Eu realmente quero um milagre. Sempre, em tempos melhores, antes do Ano Novo, todos antecipavam algum tipo de milagre do Ano Novo. Não só como crianças, mas também como adultos, aguardamos esse milagre. E hoje esperamos também um milagre de que tudo mude, de que haja uma situação nova, melhor e mais favorável. Olhe para este mundo! Está esperando um milagre!

Minha Resposta: Se ele ainda está esperando por um milagre, então ainda está na infância. Que milagre pode haver? Apenas aquele que criamos.

Pergunta: Significa que você acredita em milagres?

Resposta: Eu acredito em milagres que fazemos nós mesmos, se realmente os fizermos. Minha vida inteira me convenceu disso. E não adianta esperar um milagre. Caso contrário, nada de bom acontece.

Tudo vai mudar para melhor se você fizer isso. Se não o fizer, tudo mudará para pior.

Pergunta: Então, seu ponto de vista sobre a vida é tão materialista?

Resposta: Totalmente.

Comentário: O ano novo chegou e todos estão esperando que tudo volte a ser como antes. As pessoas estão esperando pelo milagre de que tudo mudará. Veja, ele ainda vive em uma pessoa.

Você diz que não acredita em milagres. Você acredita em um milagre do tipo “faça você mesmo”.

Minha Resposta: Sim. Quando sei claramente o que estou esperando e o que precisa ser feito para isso, tento fazer tudo o que posso. E se isso for pelo menos parcialmente bem-sucedido, então já é um milagre.

Pergunta: Então me diga, que milagre uma pessoa pode fazer com suas próprias mãos para que sua vida realmente mude para melhor e tome um caminho vitorioso?

Resposta: Para isso, ela deve mudar a si mesma, porque tudo o mais não está em seu poder. E ela pode mudar a si mesma se agir de acordo com sua natureza. Isso a fez assim, e ela pode se refazer.

Pergunta: Será um milagre se ela perceber que sua natureza é egoísta, que sua natureza é má? Já será o começo de um milagre?

Resposta: Caso contrário, não haverá mudanças para melhor. Infelizmente, eu devo anunciá-lo a todos.

Pergunta: Se uma pessoa não começa a se cuidar, a se corrigir, nenhum milagre deve ser esperado?

Resposta: Não. Não se pode confiar em milagres. Eles não existem.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 28/12/20

Chanucá – Servir Ao Criador

961.1Pergunta: É possível traçar nos eventos do século II a.C., quando as pessoas foram divididas em macabeus e judeus helenizados, a atual divisão no Estado de Israel?

Resposta: Acho que não. Não vejo que haja pessoas em Israel que queiram ser corrigidas. Ninguém acredita que estamos em uma descida espiritual.

No tempo dos Macabeus, havia uma batalha pela ideologia: como as pessoas deveriam progredir, como servir ao Criador, ou seja, alcançar o princípio de “Ame o seu próximo como a si mesmo”.

Alguém hoje tem um método para alcançar essa regra espiritual? Você vê isso no programa de qualquer partido ou parte da sociedade? Naquela época, havia.

Rabi Akiva e 24.000 de seus discípulos, e muitos outros, acreditavam que o princípio de “Ame seu próximo” deve ser cumprido. Mas eles não podiam resistir ao seu egoísmo porque o resto das pessoas estava indo na direção oposta.

De KabTV, “Estados Espirituais”, 16/12/19

Chanucá É Uma Celebração Da Vitória Da Luz Sobre A Escuridão

600.01Comentário: O feriado de Chanucá é chamado de celebração da vitória da luz sobre a escuridão, da pureza sobre o conformismo, da espiritualidade sobre a corporeidade. E eu acho, claramente este não é apenas um feriado judaico. O mundo inteiro está agora no limiar da vitória ou derrota da luz sobre a escuridão.

Minha Resposta: Na verdade, não há feriados judaicos. Essa é a interação entre a qualidade de doação, amor e a qualidade de recepção, ódio, que sempre lutam entre si.

Pergunta: Houve um dia na história em que as forças da luz derrotaram a escuridão?

Resposta: Sim. As forças de conexão.

Pergunta: As forças de conexão, de amor, de repente derrotaram a escuridão neste nosso mundo escuro e egoísta. Existiu tal fragmento na história?

Você poderia revelar isso? Como podemos expandir esse fragmento agora e trazê-lo para o presente? Todos se interessam pelo tempo presente e poucos se interessam por história. Como podemos trazer luz, o feriado de Chanucá, a essa melancolia, a esse desânimo da humanidade?

Resposta:  Em geral, esta é uma oposição ecumênica constante entre Roma e Jerusalém. Roma é poder, é força, a conquista da Europa, a conquista de todas as tribos selvagens que viviam na Europa de então. Não é nenhum segredo que quase até o século X as pessoas viviam em árvores, no subsolo e assim por diante. Havia barbárie na Europa e eles devoravam um ao outro.

E Jerusalém queria trazer ao mundo uma lei completamente diferente: a lei não do poder, não da supremacia da autoridade, mas do espírito. Esse era o lema, a meta de Jerusalém. Claro, as pessoas não estavam prontas para isso.

Pergunta: Essa é a época em que o Templo foi construído no auge do amor ao próximo?

Resposta: Sim, por mil anos, do século X a.E. ao ano zero de nossa era, houve uma luta por qual iria superar. No final, a Judeia caiu. E no final, quando já estava esmagada, durante a queda, houve um grande levante. Ele foi liderado pelos Macabeus. Eram os Macabeus que carregavam essa luz. Esta última onda na luta por ideais marcou a Chanucá.

Pergunta: Este foi um fragmento da história. Como podemos transferi-lo para o nosso tempo? O que é a Chanucá para o mundo hoje?

Resposta: Chanucá é uma imagem de luz, doação, amor, conexão de tudo e todos, não importa em que nível. O principal é a boa atitude de todos para com todos, acima de todos os preconceitos, religiões, filosofias, acima de tudo.

Nesta época sombria, há uma oportunidade de dizer ao mundo como ele deveria ser. Isso ocorre porque a vantagem da luz é exatamente sobre a escuridão. E também porque o mundo de hoje, nestes 2.000 anos, já está completamente imbuído dessa ideologia de Romanos e Gregos.

Pergunta: Ou seja, com materialismo completo?

Resposta: Sim. Como o mundo percebeu para onde está indo, onde se encontra e também o seu fim, hoje já é possível contar, explicar e tentar fazer o mundo olhar de uma forma diferente, com outros olhos. Não vamos conquistar o mundo; só queremos explicar que ele está caindo e que isso é muito ameaçador.

Pergunta: Então, esse feriado é muito relevante e necessário?

Resposta: Claro.

Pergunta: Como uma pessoa pode agora acender este pequeno fogo em si mesma?

Resposta: É muito simples. Não temos mais nada a não ser nos virar do avesso, começar a negociar entre todos os nossos ódios, adversidades, desejos de destruir, humilhar e subjugar uns aos outros, e assim por diante. Devíamos parar de jogar esses jogos.

Hoje podemos dizer: “Vamos nos lembrar, vamos ver do que aqueles verdadeiros antigos macabeus, os judeus, estavam falando”. Eles falaram apenas sobre a restauração do reino da compreensão, ajuda mútua e amor entre todos os povos do mundo. Não em uma base egoísta porque é impossível – estaríamos construindo algo malsucedido novamente – mas com base na qual a sabedoria da Cabalá é fundada.

Existe uma força na natureza que pode se revelar e subjugar nosso egoísmo. Isso vai acontecer. Eu não apenas acredito, eu vejo isso se aproximando a cada dia.

É sobre as ruínas do velho mundo, e agora vemos como seu último bastião, construído sobre o capital, está se desmoronando, desmoronando e desmoronando, que um mundo diferente será construído: um mundo de respeito mútuo, amor, oposto ao do passado.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 07/12/20

Chanucá – Os Feriados Mais Infantis

200.01Pergunta: É interessante que Chanucá e Purim são dois grandes feriados não descritos na Torá. Por que são considerados os feriados mais infantis? Em Purim, as crianças se vestem com fantasias de carnaval, em Chanucá cantam canções e comem donuts doces.

Resposta: O fato é que ainda não alcançamos esses estados em nosso mundo e, portanto, tudo está personificado em crianças. Uma criança que olha para o futuro como se nos mostrasse que devemos alcançar aqueles estados que ainda não ocorreram.

Historicamente, esses estados ocorreram, mas não dentro de uma pessoa. Internamente, ainda não nos preparamos para o feriado de Chanucá e depois para o feriado de Purim.

Pergunta: Então, é como um jogo. As crianças estão sempre associadas a jogos. Então aqui temos que jogar este estado?

Resposta: Sim. A correção de pequenos vasos é chamada de Chanucá (Hanu-Ko, parada). Esse é um estado intermediário, metade da correção. E a segunda metade da correção é Purim. Ainda devemos passar por ambos os estados – tanto o povo de Israel quanto toda a humanidade.

Pergunta: Por que é comum comer donuts em Chanucá?

Resposta: O óleo simboliza o desejo de receber, e a massa simboliza o poder da vida. O óleo deve saturar a massa porque a força da vida vem da farinha. Desde então, é costume fritar a massa em óleo.

De KabTV, “Estados Espirituais”, 16/12/19

Como Acender A Luz Do Criador?

524.01Como podemos acender a luz, ou seja, revelar o Criador? Para fazer isso, precisamos de três componentes contraditórios: uma jarra de óleo, um pavio e um fogo. No entanto, como podemos colocá-los juntos se o próprio óleo não queima, o pavio em si também não queima, e nem o óleo nem um pavio seco podem suportar o fogo?

O fogo queima apenas se o pavio for contrário ao óleo e, portanto, o absorve. Não queremos receber trabalho espiritual, mas somos forçados a abordá-lo e, então, absorvemos qualidades espirituais dele contra nossa vontade e nos tornamos imbuídos da importância da doação, da anulação própria e do amor aos amigos, como um pavio absorve óleo.

Isso é o que acontece, queiramos ou não – outra Convenção, outra lição, leitura de artigos, reunião de amigos – repetidas vezes absorvemos o óleo no pavio, apesar de considerarmos esse trabalho sem valor. Não quero esse trabalho e só sonho com recompensas, com descobertas, para que possa aprender tudo, controlar tudo e sentir tudo, como o meu egoísmo imagina.

No entanto, não tenho escolha e realizo ações que me permitem absorver óleo como um pavio. Ainda estou me impregnando com o material que a sabedoria da Cabalá fornece e, no final, receberei material suficiente dentro de mim, me conectarei com meus amigos e nossa luz se acenderá.

Então, vou ver os verdadeiros resultados de todo este processo, vou revelar o Criador dentro dos seres criados que está nos trazendo um novo estado, a fé acima da razão, que é chamado de Chanucá, uma parada no meio do caminho.

Toda a nossa vida é feita de contradições, porque de outra forma não distinguiríamos a diferença entre a escuridão e a luz. Seríamos como animais que não sentem o seu “eu”, não sentem a si próprios. Para entender quem é o homem, é necessário subir a um nível superior ao do homem e estudá-lo a partir daí.

O pavio é tudo o que negligencio no trabalho espiritual, tudo o que resisto. Eu tenho resistência ao óleo, mas estou tentando conectar o óleo e o pavio, e alcanço a luz. Então começo a entender o que está acontecendo comigo.

Se o óleo e o pavio queimarem, não haverá mais nada para queimar e a escuridão virá. É o mesmo com uma pessoa quando ela exauriu todos os seus esforços e toda a sua queima, ela perde a luz e retorna à esxuridão novamente. Se ela quiser manter a luz, deve fazer um esforço extra, que é chamado de pavio, e adicionar sua queima, que é chamada de óleo, porque a luz não tem mais nada para acender e se elevar.

Após tal superação, a pessoa é recompensada com a recepção da luz do Criador que ilumina sua alma e é chamada de luz de Chanucá, ou seja, a luz da providência superior aberta absolutamente boa.

Na medida em que uma pessoa pode sacrificar seu egoísmo em prol da conexão em um grupo que deseja avançar rumo ao propósito da criação, ela faz um pavio que absorve o óleo de si mesma e do grupo. Inicialmente, ninguém quer isso e considera isso desprezível, mas como estamos todos conectados, fazemos um pavio de nós mesmos, torcemos todos os fios em um feixe grosso.

Um fio não pode absorver o óleo, mas quando dez fios são torcidos, há um espaço vazio entre eles que suga o óleo. O óleo sobe pelo pavio e podemos acendê-lo bem na ponta do pavio.

Não queremos esse trabalho, mas concordamos em nos conectar e deixar o óleo subir em nós, pelos nossos fios retorcidos. O óleo sobe, não pelos próprios fios, mas pelas lacunas entre eles, pelas conexões dos amigos entre si. Se os amigos tentam se conectar apesar de suas diferenças e estão juntos, o óleo começa a subir entre eles e o Criador acende a vela, isto é, começa a se revelar.

Da 2ª parte da Lição Diária de Cabalá 15/12/20, “Chanucá”

Chanucá – O Milagre De Chanucá E O Mundo Material

627.1Pergunta: Dizem que um milagre aconteceu em Chanucá: o óleo, sendo suficiente para um dia, queimou por oito dias. Você acha que isso poderia ter acontecido?

Resposta: Depende de nós. Se nos esforçamos para garantir que nossas propriedades sejam iguais às propriedades do Criador, participamos em acender a luz no mundo a fim de iluminá-lo com as qualidades de amor, bondade e conexão, então tal esforço é suficiente de nossa parte. Isso vem do nosso lado, Malchut, e o resto é dado de cima.

Pergunta: Você acha que o milagre de Chanucá realmente poderia ter acontecido em um nível corporal?

Resposta: Por que não? Nosso mundo existe de acordo com as leis gerais. Se as cumprirmos, podemos fazer tudo. Há mais e mais milagres em nosso mundo a cada dia, mas simplesmente não os notamos porque estamos incluídos neles. E se pudéssemos vê-los de fora, seriam milagres para nós.

Pergunta: Então, essa não é uma descrição alegórica?

Resposta: Claro. Absolutamente tudo o que está escrito na Torá deve e acontecerá em nosso mundo. Não vejo milagres nisso.

Se um nativo de Papua vier até mim, por exemplo, e eu apertar o botão e a luz se acender, ele cairá de joelhos diante desse fenômeno. É um milagre ou não? É um milagre para ele, mas não para mim.

Se estivéssemos agora no primeiro nível espiritual, tudo o que aconteceu ali seria um milagre para nós.

Comentário: Mas se você diz que são leis, qualquer pessoa pode repeti-las. Eu acho que ninguém pode repetir isso hoje.

Minha Resposta: Porque não estamos nesse nível!

De KabTV, “Estados Espirituais”, 16/12/19

Chanucá – Por Que A Menorá Inclui Oito Velas?

632.1Pergunta: O que é uma Menorá? Por que ela inclui oito velas?

Resposta: Da qualidade mais alta (Keter) à qualidade mais baixa (Malchut), da qualidade do Criador à qualidade da criação, existem oito estágios, oito Sefirot, excluindo a mais alta e a mais baixa.

Portanto, a Menorá é acesa por oito dias, no oitavo dia o recém-nascido é circuncidado (Brit Milah), etc.

Pergunta: Como os Cabalistas sabiam que a Menorá deveria ter essa forma?

Resposta: Os Cabalistas agem de acordo com sua visão interior. Eles sentem isso pela correlação de seus atributos internos. A conexão desses atributos aparece para eles nessa forma. Além disso, é assim que nosso mundo se apresenta, de acordo com nossos desejos. Na verdade, ele não existe; é simplesmente que nossos desejos materializados se manifestam diante de nós.

Pergunta: De acordo com a Cabalá, o óleo é o desejo egoísta, o pavio simboliza a tela, e quando há uma tela, uma qualidade antiegoísta, uma força cobrindo o desejo egoísta, o fogo aparece. O que é o fogo?

Resposta: O fogo representa a luz da vida, o conhecimento.

De KabTV, “Estados Espirituais”, 16/12/19

Chanucá – Templo Espiritual

631.2Pergunta: O que é um Templo Espiritual do ponto de vista da Cabalá?

Resposta: Templo Espiritual é a nossa alma – de cada um de nós e de todos nós juntos – a integração de todos os nossos desejos que lutam por equivalência de forma com o Criador.

Devemos unir nossos desejos de tal forma que em nossa conexão, em doar uns aos outros, possamos alcançar um estado de equilíbrio entre nós. Então, de acordo com nossos esforços, encontraremos a força superior, a qualidade de doação e amor chamada Criador.

De KabTV, “Estados Espirituais”, 16/12/20

Chanucá – Os Gregos E Os Romanos Dentro De Nós

631.1Pergunta: Qual é a diferença entre os gregos e romanos dentro de nós?

Resposta: Os gregos são pensamentos egoístas voltados para o conhecimento e a filosofia. E os romanos são ações egoístas voltadas para trabalhar com desejos grosseiros.

Pergunta: Digamos que eu queira me tornar famoso para me glorificar. Isso é chamado de gregos em mim? São esses os desejos que precisam ser corrigidos?

Resposta: Não. Estamos falando da correção no nível espiritual. Tanto os gregos quanto os romanos são estados que chegam a uma pessoa quando ela realmente deseja se expor à qualidade de doação. Então ela começa a lutar contra seus desejos egoístas e classificá-los internamente em gregos e romanos.

Em outras palavras, há desejos em nosso mundo quando você quer usar alguém para seu próprio bem, e há desejos relacionados ao Criador. Se o Criador se revela ao homem e deseja usar a conexão com a força superior para seu próprio bem, esses desejos são chamados de egoístas: gregos, romanos e egípcios. Eles precisam ser corrigidos.

De KabTV, “Estados Espirituais”, 14/01/20

Por Que Chanucá É Chamada De Milagre

294.4O feriado de Chanucá é um momento especial. Veja, nosso mundo é uma projeção do mundo espiritual e contém vários símbolos de renovações e correções espirituais devido ao nosso trabalho.

Portanto, durante o ano passamos por bons momentos e estados especiais neste mundo como símbolos de nosso progresso na construção da alma, restaurando o vaso espiritual, a alma comum de Adam HaRishon, que foi destruída.

Neste caminho, do estado mais quebrado para o totalmente corrigido, passamos pontos importantes: o início da correção chamada de Ano Novo (Rosh Hashaná), depois o reconhecimento da quebra: o Dia da Expiação (Yom Kippur) e a correção pela luz circundante: Sucot. A próxima parada neste caminho é Chanucá, que simboliza a ascensão ao estado de Bina, o estágio de doação.

Nós celebramos esses feriados neste mundo, mas é claro, todas as suas manifestações acontecem no nível espiritual. Se alcançarmos a fé acima da razão ao máximo, isso é chamado de Chanucá, e se subirmos ainda mais alto para receber a fim de doar, é Purim.

Cada pessoa e o mundo inteiro devem passar por esses estados em sua correção, corrigindo a quebra da única alma de Adam porque somos pedaços dessa alma.

Chanucá é chamado de milagre porque não podemos nos conectar uns com os outros sem a ajuda de cima, sem a força do Criador. Essa conexão acontece acima da natureza corporal, como um milagre.

A natureza corporal é o egoísmo, o desejo de receber, que é atraído apenas para a separação, o distanciamento, sua própria autoridade. A natureza espiritual, ao contrário, aspira à conexão e à autoanulação. É por isso que Chanucá é chamada de milagre, a conquista da força de Bina.

Costumávamos pensar que milagre é o que ganhamos de graça: eu não trabalhei e de repente ganhei um milhão na loteria: isso é um milagre! E se eu ganhasse aquele milhão, não pensaria que foi um milagre.

Mas investimos muito esforço no trabalho espiritual, tentamos alcançar a conexão, realizamos muitas ações e somos recompensados ​​com o milagre da revelação espiritual. É chamado de milagre porque até que aconteça não sabemos onde chegaremos. Só quando acontece é que vemos: “Portanto, esse é o mundo espiritual; não achei que fosse assim! Não foi isso que eu imaginei!” É por isso que isso é chamado de milagre, mas dá muito trabalho.

Da 3ª parte da Lição Diária de Cabalá 16/12/20, “Chanucá”