Textos na Categoria 'Feriados'

É Possível Fazer Sem Pragas Egípcias?

962.2Pergunta: O mundo hoje se assemelha às pessoas que estão no exílio egípcio. E o que está acontecendo hoje é semelhante às pragas egípcias. Como a Torá é a fonte de todas as religiões e todas as práticas espirituais, por favor, comente uma citação muito universal da Torá que se refere ao mundo como uma nação.

Está escrito: A Torá, Êxodo, 3:17 “E eu disse: ‘Eu os farei subir da aflição do Egito, para a terra dos cananeus, dos heteus, dos amorreus, dos ferezeus, dos heveus e dos os jebuseus, para uma terra que mana leite e mel.’”

A palavra “os” (vocês) implica o mundo. O que isso significa?

Resposta: Que o Criador nos tira do controle do nosso egoísmo comum, que, em princípio, Ele criou e sustenta para nos mostrar a saída real para uma existência bondosa, mútua e correta. Esse é o nosso bom futuro imediato.

Pergunta: Significa que estamos sob o controle do egoísmo. Essa é a escravidão egípcia?

Resposta: Sim, toda a humanidade está nela.

Pergunta: É apenas o Criador que pode nos tirar desse estado?

Resposta: A mesma força que criou a força negativa se inverte e se transforma em uma força positiva. Ou seja, a força que nos levou até lá também nos levará para fora.

Pergunta: Além disso, está escrito sobre o processo: A Torá, Êxodo, 3:19: “No entanto, eu sei que o rei do Egito não permitirá que vocês partam, exceto por uma mão poderosa”.

O que isso significa para o nosso mundo hoje?

Resposta: Se não pressionarmos o egoísmo que o Criador criou e sustenta em nós, se não aplicarmos uma força ainda maior que ele que forçará o egoísmo a começar a mudar, a recuar, isso nunca acontecerá. O Criador o mantém. Significa que o Criador deve derrotar e superar a Si mesmo. É assim que saímos do controle do egoísmo.

O fato de que estamos sofrendo agora, que o mundo está sofrendo, é o estado natural do mundo pelo qual ele deve passar para avaliar claramente o que é bom e o que é ruim.

Pergunta: É isso que o Criador está fazendo conosco?

Resposta: Sim. Devemos ler a história “O filho pequeno veio ao pai” em nossa infância e realizar este estudo dentro de nós mesmos.

No momento, ele sente que é uma criança pequena e que precisa descobrir como viver. Por isso, pergunta ao pai: “O que é bom e o que é mau? Eu não sei onde estou. Dou cada passo e me parece que é bom, mas acaba sendo mau”. E ele recebe uma explicação.

Pergunta: E seu pai lhe explica que o rei do Egito não o deixará sair. Mas eu vou fazê-lo fazer isso com uma mão poderosa.

A quem se dirige a mão poderosa: ao rei do Egito ou a mim?

Resposta: A mão poderosa está apontada para o rei do Egito que está dentro de você, para o egoísmo que está dentro de você para que você queira que a boa força da natureza vença a força maligna da natureza. Tudo isso está apenas dentro de nós.

Comentário: Então há esta frase da Torá, Êxodo, 3:20: “E estenderei minha mão e ferirei os egípcios com todos os meus milagres que realizarei no meio deles, e depois ele os deixará ir”.

Minha Resposta: Todo o mal que existe no egoísmo deve ser revelado e uma pessoa deve vê-lo, senti-lo, no presente e no futuro possível. Então ela verá como o Criador muda tudo para o oposto, e por isso a pessoa louva o Criador.

Estamos falando das dez pragas que arrancam uma pessoa de seu egoísmo. Estas são as dez qualidades que chamamos de Sefirot, das quais nos separamos.

Pergunta: Podemos avançar sem pragas?

Resposta: Se você mesmo quiser fugir sem elas, você pode.

Pergunta: Poderei querer?

Resposta: Para fazer isso, você precisa se engajar na autoeducação; isto é, convença-se de que mesmo o pequeno mal que agora é revelado em você é revelado em você em relação aos outros, e você deve fazer tudo para odiar essas qualidades em você. Então você gradualmente se distanciará delas, até a separação completa.

Pergunta: Quem são Moisés e seu irmão Arão para o mundo? O que é isto?

Resposta: Estas são duas forças que nos levam para fora do estado do egoísmo para a qualidade de conexão e amor entre nós e entre nós e o Criador.

Pergunta: Como elas aparecem em uma pessoa? Em que ponto?

Resposta: Uma pessoa começa a extraí-las de si mesma. Elas existem dentro dela. Em geral, tudo existe dentro de uma pessoa. Uma pessoa é um mundo pequeno. O único problema é que precisamos nos sintonizar para encontrar essas forças em nós mesmos, extraí-las, começar a trabalhar com elas e tratar tudo ao nosso redor dessa maneira por meio dessas duas qualidades.

Então o mundo muda. Se eu olhar para o mundo através delas, torna-se diferente.

Pergunta: Moisés e Arão vêm ao Faraó. O Criador lhes disse: “Vão”, e eles foram. Eles dizem: “Deixe meu povo ir”. E o Faraó disse: “Quem é o Senhor para que eu ouça sua voz para deixar Israel partir?” O que é isto?

Resposta: Povo é uma pessoa com todas as suas qualidades. A pessoa deve sair do controle do egoísmo sob outro controle. Isso se chama “deixe meu povo ir”.

E o Faraó responde: “E quem é este Deus?” porque o Faraó como se não soubesse disso com certeza. A tarefa do Faraó é enganar uma pessoa para que ela não entenda onde está. Para que mais tarde ela possa determinar claramente o que é o Faraó, o Criador, o Egito e fora do Egito.

Faraó é o nosso egoísmo que diz: “Não quero conhecer nenhum Criador. Eu não O conheço”. Porque “conhecer” significa compreender e obedecer.

Pergunta: O egoísmo sempre resistirá à natureza, ao Criador?

Resposta: Absolutamente! Nunca podemos sair de nossa natureza enquanto permanecemos nela. Um contradiz o outro.

Pergunta: A reação do Faraó ao pedido de Moisés e Arão para deixar o povo ir foi simples. O Faraó disse, Êxodo, 5:9: “Deixe o trabalho pesado sobre os homens” – sobre aqueles que eles querem liderar por egoísmo, sobre esses desejos – “e que trabalhem nisso, e não deem atenção a mentiras”.

Tudo isso é discurso vazio para o Faraó. É como se Ele estivesse se vingando; ele diz: “Você quer levar o povo para fora? Vamos sobrecarregá-los com trabalho agora”.

Podemos comparar isso com o fato de que em nosso mundo estamos sobrecarregados de trabalho?

Resposta: O que importa se eles querem ou não querem? Eles apenas prolongam seu sofrimento com isso. O que mais pode ser feito? Acumular ainda mais trabalho sobre eles é o que o Faraó faz. Tranque-os em algumas preocupações mesquinhas. Tranque-os em tais estados sociais, familiares e outros que eles serão como pequenos insetos.

Pergunta: Então essas preocupações e problemas que existem no mundo agora, a quantidade louca de notícias, é este o trabalho vazio que está empilhado sobre nós? Todas as nossas ações no nível desta terra não levarão a nada?

Resposta: Acho que as pessoas já entendem isso. Além disso, há guerras, sofrimentos, medos e ansiedades.

Pergunta: É para nos afastar de todo esse trabalho inútil?

Resposta: Sim. É tal estado que uma pessoa é como um coelho sentado sob uma bardana e tremendo. Este é um estado tão lamentável para um ser tão grande e potencial como o humano.

Pergunta: Você acha que uma pessoa já está começando a entender isso?

Resposta: Ela já ouve algumas coisas. Ela não sabe como sair desse estado, mas entende que “sim, sou eu, somos nós”. E o que vem a seguir? Ela não pode ver o que vem a seguir.

Se ela tivesse pelo menos um pouquinho, um pouquinho de alguma pequena visão à frente, se fosse capaz de ver através de uma fresta que ainda há uma oportunidade, ela certamente teria força. Não em si mesma, mas na unidade entre elas. É isso que precisa ser revelado aqui! Afinal, as pessoas estão certas: “De onde viemos, o que somos e para onde vamos? Nada. Cada um é por si”.

Pergunta: No entanto, você está dizendo que todo o segredo está na conexão. Você pode revelar isso para nós?

Resposta: É impossível sair deste estado em que estamos agora. Continuaremos a azedar nele até que nos cimente nas pirâmides do Faraó.

Isso é o que o Faraó quer de nós. Para que voluntariamente concordemos em entrar junto com ele nesta enorme tumba e deitar lá bem, do jeito que eles jazem lá. Assim continua nosso caminho eterno no egoísmo. Sem mudar — como aquelas múmias.

Mas se seguirmos o caminho da conexão e da unificação, seremos capazes de quebrar esse forte manto egoísta que nos cobre, nos cerca, fecha todos os nossos sentidos, e seremos capazes de sair correndo de lá e escapar.

Pergunta: É isso que a humanidade está enfrentando agora? Estamos, como que, sob esse “manto”?

Resposta: Sim, e definitivamente sairemos disso. Nós definitivamente sairemos.

Comentário: Então está escrito: A Torá, Êxodo, 5:22-5:23: “Então Moisés voltou ao Senhor e disse: ‘Ó Senhor! Por que Você prejudicou este povo? Por que Você me enviou? Desde que vim ao Faraó para falar em Seu nome, ele prejudicou este povo, e Você não salvou o Seu povo’”.

Minha Resposta: Uma pessoa não entende o que mais ela precisa fazer para sair do estado egoísta. Mas para o Faraó, esse desejo de uma pessoa de sair do egoísmo não é suficiente. Ela precisa de um grande desejo extra, adicional. Para que uma pessoa se volte para Ele. E não com reprovação, mas com um apelo para que o Criador vá adiante deles e os conduza para fora do Egito com as mãos. Isso é o que ainda está faltando.

Portanto, o Criador envia Moisés de volta. Ele diz: “Vá e peça”. E dez vezes para frente e para trás dessa maneira até que Moisés já sente que é isso, todas as forças, todas as intenções e todas as possibilidades secaram e só então eles conseguem escapar do Egito.

Pergunta: É quando chega a última décima praga que o Faraó diz: “Vocês podem sair”?

Resposta: Sim.

Pergunta: A última praga é a morte dos primogênitos. O que ela é do ponto de vista Cabalístico?

Resposta: É a condição que o homem tinha quando existia no mundo antes mesmo de todas essas revelações. Que eu existo em um mundo egoísta, estou nele, estou sob o controle da força superior. É assim que eu me desenvolvo e vivo.

A morte do primogênito significa que eu arranco todos os meus fundamentos egoístas primários e originais e rompo com tudo o que me ligava ao passado.

Pergunta: Por que é tão assustador para o Faraó?

Resposta: Porque a conexão com ele, com o Faraó, está realmente rompida. Ou seja, uma pessoa se recusa a estar sob seu controle e a se conectar com ele. Uma pessoa está pronta para se elevar acima de si mesma, não importa o quê! Aconteça o que acontecer, apenas para não ficar sob o controle do Faraó!

Só então o Faraó deixa a pessoa ir. É para isso que ele existe, para levar uma pessoa a tal estado.

No momento em que esse pensamento, esse desejo, “Aconteça o que acontecer, não importa o que aconteça, apenas não com o Faraó, não sob ele”, aparece em uma pessoa, então tudo acontece. Isso é chamado de “morte do primogênito”, ou seja, de toda a base da existência egoísta de uma pessoa.

Pergunta: A humanidade precisa alcançar tal clamor, tal grito, tal estado? Só então é possível escapar do controle do egoísmo?

Resposta: Claro.

Pergunta: É possível que todas as pessoas cheguem a tal estado?

Resposta: Para cada pessoa, de acordo com sua medida. Isso vai acontecer.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 18/04/22

Shavuot: Qualquer Coisa Menos Isso

507.05Comentário: O feriado de Shavuot é a celebração da entrega da Torá no Monte Sinai. Também é chamado de Festival da Colheita. Acontece que todas as leis, toda moralidade, todas as práticas espirituais e todas as religiões começam a partir deste ponto: o Monte Sinai.

Minha Resposta: Há uma oferta de cima, uma revelação ao mundo de cima da metodologia de sua existência e sua correção gradual a um nível onde ela entra na eternidade e perfeição.

Pergunta: O que foi dito ao mundo desde cima?

Resposta: Foi dito ao mundo que nosso mundo existe em um grau baixo, corpóreo, e nós existimos nele como os egoístas, os mais nocivos, os mais insignificantes e inúteis em comparação com todas as outras criaturas da natureza.

No entanto, temos a oportunidade de subir ao nível mais alto de toda a natureza, ou seja, à sua raiz superior, que está no infinito em relação a nós em altura.

E nós podemos fazer isso. Caso contrário, nossa vida aqui neste planeta será continuamente interrompida por vida e morte, vida e morte para cada um de nós. Entre a vida e a morte haverá também guerras, sofrimento, fome e muitos, muitos outros problemas. Assim, toda a nossa existência será um sofrimento contínuo.

Pergunta: O que foi dito? Como nos movemos em direção a este bom estado de que você falou?

Resposta: É muito simples. A principal lei da Torá é “Ame o seu próximo como a si mesmo”. É isso! Então, vá e faça.

Pergunta: Foi dito neste exato momento? Por que não ouvimos?

Resposta: Não ouvimos nada. Ouvimos o que foi dito e imediatamente perguntamos: “Você tem outra Torá?” A resposta foi: “Não, não há outra. Esta é a melhor coisa para vocês, mesmo que vocês não entendam. Portanto, peguem e façam”.

Comentário: Acontece que estamos evitando essa lei simples há milênios.

Minha Resposta: Sim. Qualquer coisa menos isso!

Pergunta: É isso que simboliza o feriado de Shavuot: viva de acordo com esta lei e tudo ficará bem?

Resposta: Sim. Mas Shavuot já é um feriado para pessoas avançadas. São pessoas que estavam dentro de seu egoísmo, sentiram sua nocividade, malignidade e inevitabilidade. Elas perceberam que a única maneira de se livrar dele era simplesmente fugir dele: apenas fugir! Quando elas estavam fugindo, elas estavam prontas para qualquer coisa, até a morte só para não ficar dentro do egoísmo!

É por isso que elas pularam no mar e o atravessaram em terra firme. Elas chegaram a um estado em que estavam prontas para receber as leis do mundo superior em vez de nossas leis naturais egoístas. Basicamente, “Faremos e ouviremos”.

Foi quando elas receberam a Torá. O que significa receber a Torá? Significa que tomo para mim as leis do mundo superior. Eu quero viver não em nosso mundo corpóreo como existimos hoje e ainda pior, isso é o que a Torá nos promete, mas subir mais alto para as qualidades, para as leis do mundo superior. Essas leis são simples: amor ao próximo, amor a todos, aceitar todos como parte de seu corpo, sua alma, seu “eu”.

Pergunta: Elas são tão relevantes agora como nunca antes?

Minha Resposta: Sim, cada vez mais. Como somos egoístas, percebemos tudo de acordo com o que sentimos em nossas qualidades egoístas. Portanto, o que podemos fazer? Sentimos que estamos vivendo de maneira errada, mas fechamos os olhos para a maneira de viver corretamente e não podemos aceitar essa lei superior do amor ao próximo.

Por que você não faz isso? Você vai pagar alguma coisa por isso? Não. Você vai sofrer com isso? Não. Você não encontra imediatamente algum tipo de rejeições opostas, relacionamentos antagônicos: nada disso! Basta ir em frente e fazer isso. “Não posso!”

Agora, se, pelo contrário, houve um jogo tal que há um inimigo contra você, e você está contra ele. Aqui, porém, nem mesmo esse inimigo é visível; está dentro de você, seu egoísmo, e você não pode fazer nada. Portanto, ele nos compra dessa maneira.

Pergunta: Esta serpente dentro de mim? Como posso conquistá-la de qualquer maneira? A hora finalmente chegou!

Resposta: É toda uma metodologia. Diz aqui como fazer.

Basicamente, não sou eu quem está fazendo isso, mas a força superior. Ela faz tudo, mas de acordo com o meu pedido.

Só posso fazer um pedido se for apoiado por outras pessoas ao meu redor. Vou pensar na correção delas e não na minha correção, e é assim que vamos nos ajudar juntos. Basta conectar-se com mais alguns amigos no fato de que desejam alcançar essa conexão mútua.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 30/05/22

A Principal Coisa Que Uma Pessoa Deve Fazer

507.05A história da saída do Egito inclui toda a história da humanidade, que ainda está inacabada e, até hoje, praticamente ainda não começou.

Na Torá, esta é apenas uma história curta. No entanto, a própria Torá é uma instrução. É preciso entender como está escrita. Ou seja, sair da escravidão de suas sensações egocêntricas é a coisa mais fundamental de toda a Torá que uma pessoa deve fazer.

De KabTV, “Estados Espirituais”, 19/04/22

Matzá É Um Símbolo De Pessach

631.4Pergunta: O símbolo do êxodo do Egito é a matzá. Por que é necessário usar matzá durante Pessach?

Resposta: Matzá é pão sem fermento, ou seja, pão que é preparado de maneira especial com a quantidade mínima de água necessária para fazer uma entrada. Em seguida, é assado de maneira simples em brasas ou em uma frigideira quente, não importa o quê.

A matzá é assada em memória da saída do Egito e simboliza nossa rápida transição do desejo de receber para o desejo de doar. Acontece inesperadamente, com um salto, no lugar e na hora mais supostamente inadequados para uma pessoa.

Ocorre um processo de acumulação e a pessoa sai do controle do egoísmo. Isso é chamado de êxodo do Egito.

Pergunta: Então, a pessoa não está esperando essa saída?

Resposta: Ela espera isso o tempo todo, mas não sabe que está tão perto. Quando isso realmente acontece com ela, ela não entende como isso aconteceu de repente. No entanto, um dia isso vai acontecer com todos.

De KabTV, “Estados Espirituais”, 19/04/22

Perguntas Sobre Crescimento Espiritual

565.01Pergunta: O que é “Pessach”?

Resposta: Pessach”, vem da palavra “passar por cima”. Isso significa sair do mundo no qual o egoísmo opera para o mundo no qual o altruísmo opera.

Pergunta: Na véspera de Pessach, quatro perguntas são feitas. Quais são essas perguntas?

Resposta: Essas quatro perguntas se relacionam com os quatro graus de egoísmo que existem em cada pessoa. Eles simbolizam nosso desejo de sair da força do egoísmo geral, que é dividido em quatro graus.

Portanto, o mais novo da família, o menor, aquele que está começando a crescer, faz perguntas sobre seu crescimento espiritual. Esta é a alegoria.

De KabTV, “Estados Espirituais”, 19/04/22

Pessach Para O Mundo Inteiro

294.3Comentário: Pessach é uma grande celebração da saída da escravidão egípcia. É comemorada por quase todo o país e todos os judeus do mundo.

Isso, claro, também é um feriado em família; todos se reúnem para uma refeição festiva e todos estão ansiosos por isso. Para aqueles que estão engajados na Cabalá, Pessach significa que uma pessoa entende que está na escravidão, em seu egoísmo, e foge disso.

Minha Resposta: Fugir também não é exatamente correr, porque no Egito – havia de tudo!

Tudo o que você pode imaginar que o comunismo é neste mundo – era lá. Basicamente, eles tinham tudo organizado, os melhores terrenos e tudo o que você quer. E adiante, um deserto morto, um mar morto, tudo morto, tudo cheio de incertezas. Nada bom! Então, onde está o cativeiro egípcio e para onde vamos? Essa é a questão.

Todo o trabalho no Egito é para retratar que todo o deserto é o paraíso. E tudo no Egito – tudo de bom, você tem absolutamente tudo o que quer – é realmente um inferno. O Egito é uma realização egoísta e, mais ainda, tudo o que você deseja.

É sobre cada um de nós. Este é o nosso Egito. Tudo é bom nele, há tudo. Todos os prazeres deste mundo em todos os seus detalhes, em todas as suas variações, por favor, aceitem.

Ninguém quer sair de lá. Todos, em geral, estão gostando. O único que se sente mal é aquele que não é como eles e que quer tirar as pessoas de lá.

E quem quer tirá-los? Moisés. Então, o que ele fez de bom? Porque séculos depois disso, só nos sentimos mal. Não há nada melhor do que o Egito!

Comentário: Mas dizem que éramos escravos no Egito.

Minha Resposta: Escravos, o que significa que estávamos em nosso egoísmo, mas conseguíamos completamente tudo o que queríamos.

Pergunta: Então, por que uma pessoa de repente quer sair desse conto de fadas?

Resposta: É assim que ela é construída: homem.

Pergunta: Por que ela, de repente, ouve Moisés? Em vez de ouvir, por exemplo, o Faraó, que diz: “Fique, eu lhe darei tudo, tudo ficará bem”. E Moisés diz: “Iremos para o desconhecido, para o deserto. Siga-me”. Por que eles o seguiram?

Resposta: Aparentemente, Moisés disse ao Criador que algo deveria ser feito com eles para que eles quisessem ir embora. Moisés concordou com o Faraó e com o Criador que haveria pragas egípcias que varreriam os judeus e das quais eles gostariam de escapar. Mas se elas não estivessem lá, essas pragas, eles não teriam fugido para lugar nenhum. E se eles não quisessem fugir, não haveria pragas.

Pergunta: Então, afinal, o ovo foi o primeiro? No começo eles queriam escapar de alguma forma?

Resposta: Acho que foi Moisés quem concordou com o Criador: “Vamos providenciar para que eles queiram me seguir depois de tudo”.

Pergunta: Ainda assim, você disse que era ruim para os judeus lá por causa dessas dez pragas. Também não foi fácil para os egípcios. Está escrito que os egípcios sofreram mais.

Como entender que os egípcios sofreram dez pragas egípcias?

Resposta: É o egoísmo de uma pessoa que quer ser libertada. Ou seja, subordinar-se sem saber a quem e como. Mas o principal é sair desse comunismo que tem tudo. Absolutamente tudo está em excesso.

Pergunta: E os egípcios, é esse comunismo que existe dentro de nós – exatamente esse egoísmo? Eles querem nos manter e perguntam: “Por que você está fugindo daqui? Você se sente tão bem aqui”. Algo assim?

Resposta: Sim.

Pergunta: O que é este feriado de Pessach para o mundo? Os judeus o celebram corporalmente, Israel o celebra. Mas o que é este feriado para o mundo?

Resposta: Significa libertação do cativeiro egípcio, é libertação do egoísmo, é libertação do homem de si mesmo. Quero ser controlado não por uma qualidade egoísta que quer adquirir tudo, ser preenchido com tudo e só pensar nisso – mas ser controlado por uma qualidade altruísta, quando quero me conectar com os outros, preencher os outros e não a mim mesmo. Esse é o desejo que surge. Esse é Moisés em nós.

E nos tornamos judeus quando ouvimos Moisés, quando Moisés está em nós. E se não, somos esses mesmos egípcios.

Pergunta: Então podemos dizer que existem apenas duas nações no mundo. No mundo espiritual, existem duas nações?

Resposta: Sim. Ou você é egípcio ou você é israelita. E não há nada no meio.

O israelita é direcionado ao Criador, Yashar-El, direto ao Criador. E o egípcio é direcionado para si mesmo.

Pergunta: Quando você diz que esta celebração é para o mundo, o mundo deve decidir quem é hoje?

Resposta: Sim.

Comentário: E hoje, é um momento tão crítico que isso realmente deveria ser resolvido.

Minha Resposta: Nós nem percebemos isso ainda. E o mundo não percebe para onde está sendo conduzido. Ele não percebe isso em tudo!

Pergunta: Mas podemos dizer que as pragas egípcias estão ocorrendo em todo o mundo agora?

Resposta: Sim! Absolutamente. Há tal onda em todo o mundo.

Pergunta: Mas talvez o mundo ainda entenda que é necessário fugir?

Resposta: Tudo depende de nós como mostramos ao mundo este caminho, o caminho do desenvolvimento, o caminho da conexão, o que vem pela frente, o que lutar. Nós podemos fazer isso?

Comentário: Devemos apresentá-lo de modo que seja agradável, doce, alegre para uma pessoa?

Resposta: Doce, agradável e necessário! Não deve atraí-lo porque é doce. No Egito também, ninguém vê que é doce lá.

Mas há doçura na liberdade do egoísmo; isto é, o sentimento de escravidão no Egito se opõe à liberdade do egoísmo fora do Egito. E uma pessoa deve crescer internamente tanto que essa diferença entre os dois estados simplesmente a puxe para frente.

Pergunta: Então, hoje mais do que nunca o mundo deveria ouvir que é necessário sair do egoísmo, sair do Egito?

Resposta: Sim. Estamos presos!

Pergunta: Acontece que nos atrasamos um pouco no Egito. E essas coisas estão acontecendo agora que nos empurram para fora. Não sentimos que precisamos sair disso?

Resposta: Mas devemos estabelecer um rumo, devemos entender, nos esforçar, puxar todos com a gente.

Pergunta: Quando você diz “nós”, a quem você se refere?

Resposta: Quero dizer, em primeiro lugar, aquelas pessoas que podem entender e perceber isso, pessoas que estão avançando, Yashar-El, Israel. E todos os outros as seguirão.

Pergunta: Não são necessariamente os judeus que são diretos ao Criador?

Resposta: A massa principal, a massa inicial são os judeus, aqueles que já experimentaram, no passado, em suas raízes, um estado de fuga do egoísmo. E o resto se juntará a Israel. Não há absolutamente nenhuma dúvida sobre isso. A questão toda é levantar os judeus.

Pergunta: Qual é a sua oração hoje?

Resposta: Minha oração hoje é cumprir o papel de Moisés. Para retirar esta parte da cabeça de toda a humanidade chamada Israel, aspirando ao Criador, que em potencial pode aspirar ao Criador. Para tirá-lo de tal estado de sonambulismo e começar a excitá-los para que eles mesmos, pelo menos de alguma forma, se esforcem, se preocupem e se levantem para a saída.

Pergunta: Para que ao menos surja um pensamento de que é necessário sair do egoísmo? Mas antes de tudo, você sempre diz que o egoísmo é ruim. Ou não?

Resposta: O egoísmo é ruim dependendo de como você o mede, pesa, olha, sente, cheira e prova. Mas, na verdade, o egoísmo é tudo o que lhe dá gosto, vida.

E altruísmo, liberdade, o que é isso? Você sai para o campo e não sabe o que, para quê, por quê.

Moisés, em princípio, não é uma pessoa, mas um grupo inteiro de pessoas que entendem que o futuro está nisso: em sair do egoísmo. Como saímos disso? Precisamos estudar isso e começar a aplicá-lo entre nós. E cada vez que damos cada passo, é feito novamente fora da escuridão quando não parecemos sentir nenhuma atração pelo egoísmo, começamos a tentar sair dele e descobrimos que ele nos prende por todos os sentimentos, por tudo! E você não pode escapar disso em nenhum lugar.

Então fiquem juntos e gritem.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 07/04/22

O Milagre De Sair Da Escravidão Egípcia

236.02Pergunta: Qual é o milagre de sair da escravidão egípcia?

Resposta: O milagre é que, em princípio, é impossível sair da escravidão. Nascemos e existimos em uma intenção para nosso próprio benefício, e somente graças à ajuda de cima, a ajuda do Criador, essa intenção pode se transformar em uma intenção de doar aos outros. É assim que saímos do Egito.

O milagre é as novas qualidades de doação e amor que aparecem em nós em vez das qualidades de recepção e ódio.

Uma pessoa deve por si mesma, conscientemente, pedir essas qualidades, e a força superior da natureza começará a cultivá-las nela.

De KabTV, “Estados Espirituais”, 19/04/22

Compreendendo A Importância Da Doação

608.01Pergunta: Está escrito no Livro do Zohar: a qualidade do Faraó está dentro da razão, e não há como sair de seu controle pela razão, mas apenas pela força da fé acima da razão. O que é essa força da fé?

Resposta: É doação acima da recepção. Se uma pessoa quer se mover para um estado espiritual, ela deve entender que toda a espiritualidade é construída sobre a qualidade de doação, quando a doação é mais importante para ela do que a recepção para si mesma.

Tudo o que ela entende dentro da razão e pode explicar a si mesma está em suas qualidades egoístas. No entanto, ela quer se elevar acima delas e adquirir a qualidade de doação.

De KabTV, “Estados Espirituais”, 14/04/22

Blitz De Dicas De Cabalá, Dia Da Independência

632.3Pergunta: Você, pessoalmente, comemora o Dia da Independência de Israel?

Resposta: Eu posso senti-lo. Não sei o que esse feriado significa. Mas estou feliz que tal evento tenha acontecido.

Pergunta: Você tem orgulho nacional?

Resposta: Para quê? É preciso fazer algo para se orgulhar.

Pergunta: Que sentimentos você tem quando olha para a sociedade israelense?

Resposta: Que este é um modelo para boas ações, mas nada mais.

Pergunta: Como seu professor se sentia sobre o Dia da Independência?

Resposta: Ele celebrava dentro de si mesmo.

Pergunta: Há um grande número de cerimônias e eventos neste dia. O que você sugere aos organizadores?

Resposta: Descobrir o que é o Dia da Independência, o que é independência e como alcançá-la e implementá-la.

Pergunta: Como podemos tornar este dia mais significativo? Como cada pessoa pode passá-lo pessoalmente, com significado?

Resposta: Entendendo por que tal estado nos é dado. Ainda não alcançamos a independência para celebrá-la. Pelo contrário, dependemos de tudo e de todos. Como podemos nos tornar independentes? Para fazer isso, devemos nos erguer acima de nós mesmos e nos aproximar do Criador.

Pergunta: Você acha que as pessoas estão prontas para a mudança?

Resposta: Talvez as pessoas não estejam prontas, mas chegou a hora disso.

Pergunta: Que tipo de futuro você vê nas relações com os árabes?

Resposta: Acho que tudo vai acabar bem. Seremos capazes de chegar a um entendimento mútuo sem guerras sangrentas.

Pergunta: Quando Israel se tornará independente?

Resposta: Será independente na corporeidade quando se tornar espiritualmente independente.

Pergunta: Que ação prática você recomendaria a todos para se aproximarem dessa independência?

Resposta: Superar seu egoísmo e tentar se aproximar dos outros.

De KabTV, “Estados Espirituais”, 26/04/22

Condição Para A Independência Do Estado De Israel

417Pergunta: Baal HaSulam escreve que a condição para a independência do Estado de Israel será cumprida se a nação se tornar a base para o desenvolvimento espiritual de toda a humanidade. Como você imagina isso?

Resposta: Se nos esforçarmos para ser o centro espiritual do mundo e mostrar ao mundo inteiro a qualidade de doação, amor e conexão, teremos a força para nos manter, apoiar os outros e alcançá-lo para que sejamos compreendidos, amados e respeitados.

De KabTV, “Estados Espirituais”, 26/04/22