Textos na Categoria 'Feriados'

Um Desejo De Ser A Cabeça E Não A Cauda

laitman_254.03Em Rosh Hashaná, nós pedimos ao Criador para nos tornar a “cabeça” e não a “cauda” no ano novo. Isso significa que queremos trabalhar de acordo com a intenção e o pensamento, não de acordo com a força do desejo. Queremos nos elevar acima do desejo rumo ao pensamento, que é chamado fé acima da razão, e nos preocupar com a intenção com a qual usamos nosso desejo.

Não queremos que o desejo determine nossas ações como acontece hoje. Agora, estamos sob o controle do desejo, que está nos conduzindo, determinando nossas ações e intenções. Todas as nossas intenções são destinadas apenas a cumprir nossos desejos.

No entanto, queremos corrigir a relação entre a intenção e o desejo para que a intenção governasse o desejo. A intenção em prol da doação, que é chamada de “fé”, governará o desejo que realizará essa intenção.

Esta é uma grande mudança no trabalho espiritual. No início do caminho, prestamos atenção apenas ao nosso desejo e queremos realizá-lo. Depois começamos a examinar nossas intenções, que por enquanto também são egoístas. Entretanto, vemos que a intenção pode ser diferente. A luz que reforma nos influencia e muda nossa atitude em relação ao nosso desejo de desfrutar e ao desejo do Criador.

Como resultado de trabalhar no grupo, no estudo e na influência da Luz que reforma, começamos a perceber o Criador como mais importante. Ainda não revelamos o Criador, mas já sentimos que é importante para nós pensarmos Nele, para dar-Lhe alegria, para nos aproximarmos Dele e nos aderirmos a Ele. Isso já pertence à intenção; pedimos ao Criador uma oportunidade de agir dessa maneira.

Segue-se que não há bem ou mal no mundo. Só me aparece assim para que eu tenha a oportunidade de conhecer a força superior, discernir, unir-me a ela, alcançá-la e compreender o Criador.

Isto é, no começo, somos governados pelo desejo e, no final, pela intenção. Não importa se o desejo é de receber ou de doar; sempre que possível, eu uso todo desejo apenas para realizar minha intenção de doar.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá, 22/08/18, Lição no Tópico: “Rosh HaShana

As Três Semanas

Dr. Michael LaitmanDa minha página no Facebook Michael Laitman 22/07/18

Dias de infortúnio e calamidade ou tempo para reconstruir?

A Raiz Espiritual De Tisha B’Av

Dr. Michael LaitmanDa Minha Página No Facebook Michael Laitman 22/07/18

Nosso mundo é governado por duas forças, uma força positiva e uma força negativa. Nós, humanos, estamos entre essas duas forças. A raiz espiritual da força negativa é referida como o 9º de Av (Tisha B’Av).

Tisha B’Av: Entre Os Estreitos

Dr. Michael LaitmanDa Minha Página No Facebook Michael Laitman 22/07/18

O dia 9 de Av é o dia em que o Primeiro e o Segundo Templo foram arruinados. “O Templo” representa um estado espiritual de Israel sendo unido e protegido “como um homem em um só coração”. A ruína do Templo deveu-se à ruína da unidade espiritual dentro de Israel, que continua até hoje.

Jerusalém: A Capital Da Humanidade Unida

Laitman_421.01Jerusalém é o lugar do Templo e, ao mesmo tempo, o local da destruição. Precisamos chegar a um estado em que Jerusalém, que significa “temor/respeito completo” (Ira’a Shlema), habitará em nossos corações, em nosso desejo, e com a aquisição da intenção de doar, nós construiremos lá um vaso espiritual perfeito chamado “o Templo”.

Tanto o primeiro vaso espiritual – recepção em prol da doação – quanto o segundo – doação em prol da doação – pertenciam apenas à cabeça da alma comum. O terceiro vaso incluirá ambas, doação em prol da doação e recepção em prol da doação a todas as nações, como está escrito: “Minha casa será chamada casa de oração para todos os povos” (Profetas, Isaías 56:07). Isto é, para todo o desejo de desfrutar criado no nível humano. Todos receberão igualmente a revelação da força superior em unidade comum. As diferenças entre as pessoas desaparecerão e este mundo desaparecerá no final da correção, como escreve Baal HaSulam. Somente um desejo comum em que todos se unem em perfeita unidade permanecerá, totalmente preenchido com a Luz superior.

Todos estarão em plena realização da força superior, como um só coração, sem diferenças. Pelo contrário, a separação prévia irá trabalhar para fortalecer a unidade, como está escrito: “O amor cobrirá todas as transgressões”.

A Jerusalém restaurada deve ser assim. Mas, por enquanto, como vemos, ela está em estado de destruição total. Não há cidade no mundo que seja mais dividida, dilacerada por toda oposição e contradição possíveis. Tudo deve ser revelado como material para correção.

O Dia de Jerusalém nos lembra de uma correção necessária. Acontece que não é uma celebração em homenagem à cidade em si. É uma celebração em honra da oportunidade que nos foi dada pela libertação.

Nós celebramos o dia em que Jerusalém nos é dada como local de trabalho e local onde ocorrerá a correção no futuro. Então, o povo de Israel e todas as outras nações, assim como a terra de Israel e o mundo inteiro, serão revelados em adesão com um único Criador.

Através disso, Israel cumprirá sua missão de ser uma Luz para as nações. A missão do povo de Israel como cabeça do Partzuf espiritual em relação ao corpo é corrigir toda a humanidade. No entanto, a correção deve se espalhar para todas as nações, e a revelação do Criador em todo o Seu poder acontece precisamente no corpo da alma comum, isto é, nas nações do mundo.

Está escrito que no final da correção a terra de Israel se espalhará para o mundo inteiro. Isto é, o desejo de desfrutar que se relaciona com a realização do Criador se espalhará para todo o universo e todos se unirão e se tornarão uma nação do Criador, como está escrito: “Todos Me conhecerão, do menor deles ao maior deles”.

Jerusalém não se refere apenas à unificação de Israel, mas também à unificação de toda a humanidade. Este ponto particular, esta cidade, existia mesmo antes de nossos antepassados ​​virem à terra de Israel; eles não a criaram do zero.

O fato de que as nações do mundo, por exemplo, os EUA e outros, mudem suas embaixadas para Jerusalém é uma espécie de símbolo. No entanto, isso não realiza a correção em si – a correção deve ser do povo de Israel. Chegou a hora de todos aqueles que estão no grau de Israel (Yashar-Kel), isto é, se esforçando para revelar o Criador, se unirem entre si e com o Criador, e se tornarem a cabeça do Partzuf espiritual. Nossa união, e nada mais, é o mais importante.

Da 3ª parte da Lição Diária de Cabalá, 13/05/18, Escritos do Baal HaSulam, “Um Mandamento”

Shavuot

laitman_254.01O feriado de Shavuot não é apenas uma data no calendário – é um estado espiritual. É por isso que tudo depende de alcançarmos ou não esse estado de entrega da Torá. Para fazer isso, devemos nos unir, nos conectar uns com os outros, tornar-nos como um homem com um coração e ficar ao pé da montanha; em outras palavras, devemos entender que nos foram dadas condições muito importantes, nas quais devemos trabalhar com crescente diligência e unidade.

Somente aumentando constantemente nossa conexão é que subiremos a montanha ainda mais alto. Elevar significa aumentar continuamente nossa conexão acima de todos os problemas, dificuldades e perturbações que o Criador coloca diante de nós em nosso caminho, a fim de nos ajudar a se conectar mais e mais, e criar um vaso no qual a Luz de NaRaNHaY será gradualmente revelada. .1

A conexão deve ser espiritual. No entanto, nesse momento, um enorme egoísmo é revelado, uma verdadeira armadura e, ao mesmo tempo, uma intenção de doar. Na medida em que nos unimos entre nós e com o Criador, convertemos o poder do egoísmo de cada pessoa em uma armadura espessa. Por si só, é uma coisa terrível sem uma gota de bondade, mas através de meios unificadores, trazemos a ela a força da vitalidade, a força da Luz, e ela se transforma em armadura contra os poderes malignos.

É assim que convertemos a força do mal na força do bem. Essas duas forças estão uma em oposição à outra. Toda a espessura da armadura egoísta é a nossa inclinação inicial ao mal, acima da qual construímos uma intenção de doar, doar em prol de doar. Nos unimos na doação mútua e, graças a isso, os egos individuais de cada um se unem e se transformam em um poder de resistência, em uma defesa.

Os inimigos nos fornecem esta armadura, forçando-nos a nos voltarmos ao Criador à força de união, e é por isso que eles trabalham em nosso favor. Se soubermos utilizar isto corretamente, então, graças a isso, conseguiremos a restrição, uma tela defensiva e a Luz Refletida, construindo nosso próprio Kli.

O vaso espiritual é construído especificamente com base no enorme egoísmo sendo revelado em cada um de nós. Nós nos unimos acima desses desejos egoístas, distantes e desconectados que se odeiam. Não queremos usá-los dessa maneira, mas nos unimos por meio de uma tela, conectando todos esses desejos à única fonte superior, ao Criador.

Abaixo está o poço com cobras se contorcendo – nossa Malchut. No entanto, não usamos esse egoísmo da maneira habitual, mas apenas para doar ao Criador, e é por isso que nos unimos. Assim, acima de nós aparece uma tela, e todo o veneno das cobras é transformado em remédio. Tudo depende apenas de como ele é usado. 2

Da 2ª parte da Lição Diária de Cabalá, 14/5/18, Lição sobre o Tópico: “Shavuot”

1 minuto 1:07:35

2 minuto 1:28:00

Feliz Shavuot Desde Israel

Dr. Michael Laitman

Da Minha Página no Facebook Michael Laitman 17/05/18

A recepção da Torá é a recepção da Luz que conecta nossos corações como um só.

Graus De Independência

Dr. Michael LaitmanAlcançar a independência é, em essência, todo o trabalho de uma pessoa neste mundo. Todo o processo – desde o momento do nosso nascimento neste mundo e antes de entrar no mundo espiritual, e o subsequente desenvolvimento da alma até o fim de sua correção – é um avanço em direção à independência.

A independência é realizada ao se alcançar equivalência com a força superior, o Criador, nada mais do que isso. Até que a pessoa alcance o grau e poder do Criador, e a equivalência com Ele em todas as qualidades, ela não completará seu desenvolvimento e não obterá independência.

Baal HaSulam, “Introdução ao Livro Panim Meirot uMasbirot”, “Está escrito no Zohar: “Com esta composição, os Filhos de Israel serão redimidos do exílio”. Também, em muitos outros lugares, somente através da expansão da Sabedoria da Cabalá nas massas, obteremos a redenção completa. Eles também disseram: “A Luz nela o reforma”. Eles foram intencionalmente meticulosos sobre isso, para nos mostrar que somente a Luz contida nela é a cura que reforma uma pessoa.

Portanto, está claro que só assim é possível alcançar a independência que tanto queremos e se tornar livre, mesmo no sentido material. Só assim poderemos nos libertar da ameaça externa que não nos deixa nem por um momento, cada vez nos obrigando a lutar por nossa sobrevivência.

Afinal, a oportunidade de retornar à sua terra foi dada ao povo de Israel como uma oportunidade por um período limitado de tempo, justamente para alcançar a independência que depende da revelação da sabedoria da Cabalá entre as massas.

Nós existimos dentro do sistema da natureza, em uma rede especial que age de acordo com suas leis. É possível estudar formas particulares da manifestação dessas leis nos graus inanimado, vegetativo e animado, assim como a física (o nível inanimado), a botânica (o vegetativo), a biologia, a zoologia e a genética (o animado, isto é, tudo relacionado a organismos vivos).

Há também uma parte relacionada ao mundo interno de uma pessoa. Psicologia e psiquiatria envolvem-se nisso, mas suas habilidades são muito limitadas e, na verdade, essa área permanece praticamente desconhecida.

A única ciência que realmente lida com o mundo interno da pessoa é a sabedoria da Cabalá. Ela estuda a pessoa como um sistema interno agindo de acordo com certas leis prescritas, e permite que você entenda essas leis e as use para mudar a natureza humana e levar a pessoa à boa forma de existência.

Nós podemos melhorar nosso ambiente e torná-lo confortável, conhecendo as leis da física, química e outras ciências. Podemos também melhorar as qualidades internas de uma pessoa, conhecendo as leis que a sabedoria da Cabalá nos explica.

Essas leis permanecem inalteradas e absolutas de geração para geração. Elas estão prontas para o nosso uso, ao contrário das leis da psicologia que mudam constantemente, com declarações de que algo considerado prejudicial ontem é considerado útil hoje.

A natureza interna da pessoa está sujeita às leis absolutas e imutáveis. Essas leis vêm do Criador, a força mais elevada da natureza que compreendemos nas profundezas da criação, cuja natureza é oposta ao Criador.

Portanto, Baal HaSulam escreve que somente através da revelação da sabedoria da Cabalá pode o mundo inteiro mudar do exílio para a redenção. O povo de Israel deve fazer isso primeiro e dar o exemplo a todas as outras nações. Isso é chamado de “ser uma Luz para as nações”.

Desta forma, nós saímos de todas as limitações deste mundo. Somos obrigados a existir neste mundo para apoiar nosso corpo, tentando a todo momento prover as condições mais confortáveis. Passamos toda a nossa vida cuidando do corpo, que acaba morrendo, transformando todos os nossos esforços em cinzas.

No entanto, podemos começar a trabalhar em nós mesmos a fim de alcançar graus verdadeiros e eternos de existência que estão acima do cuidado de nosso corpo animalista. Quando fazemos isso, nossa principal preocupação é alcançar a força superior e a equivalência de qualidades com ela.

Na medida em que nos tornamos semelhantes ao Criador, recebemos uma oportunidade de sermos tão eternos quanto Ele é. Então começamos a subir os graus, alcançando uma força cada vez maior de eternidade e perfeição.

É de suma importância elevar-se acima de nosso corpo que nos é dado apenas para nos acompanhar por algum tempo, até que o abandonemos. Se eu me dedico ao cuidado dele, ou seja, se me coloco dentro dele, então estou envolvido em um negócio perdedor desde o começo.

Acontece que eu invisto todas as minhas forças e toda a minha vida no desenvolvimento e preenchimento de algo que inevitavelmente irá morrer. Isso significa que todos os meus esforços são completamente inúteis. Portanto, somos simplesmente obrigados a perceber oportunidades que a sabedoria da Cabalá nos dá.

Israel Tem 70 Anos!

Setenta anos – para um país esta é uma idade jovem. No entanto, é hora de dar uma olhada nos resultados. Estou muito feliz por termos algo de que nos orgulhar em nosso 70º aniversário. Israel de hoje é um país avançado. Ciência, alta tecnologia, medicina, tecnologia militar, agricultura…, em muitas áreas somos reconhecidos como líderes mundiais.

No entanto, acima de tudo, estou feliz com outra das conquistas de Israel: o fato de que hoje a sabedoria da Cabalá está sendo revelada cada vez mais. Podemos falar abertamente sobre isso, espalhar seu conhecimento e as pessoas nos ouvem. Elas já entendem que a Cabalá não é nem misticismo nem feitiçaria, mas uma ciência que constrói fortes pontes de amor entre todas as pessoas, independentemente de sua raça e local de residência.

Podemos ver como pessoas de numerosos países vêm a nossas Convenções em Israel. Na última Convenção, havia representantes de 75 países. Eles vêm ao chamado da alma, e vemos quão calorosamente eles falam sobre o nosso país, com tanta gratidão e amor!

E isso vai contra o pano de fundo de atitudes extremamente negativas em relação a nós de muitos países do mundo. Isso não os impede. Eles sentem que “ama ao próximo como a si mesmo”, que é a base da nossa nação, é a única direção verdadeira na vida.

Feliz feriado, queridos amigos!

Feriados Da Perspectiva Da Cabalá

laitman_572.02Pergunta: O que um feriado significa do ponto de vista da Cabalá?

Resposta: De acordo com a sabedoria da Cabalá, existem vários níveis da Luz que descem sobre nós. Sua intensidade determina um estado especial chamado feriado.

“Feriado” em hebraico é chamado de “Ha” da palavra “Mehuga” (seta), que gira constantemente, repetindo seus círculos. Em outras palavras, um feriado é algo que se repete de ano a ano. No entanto, ele se repete de tal maneira que, naquele momento, certa Luz desce e leva todos a um estado especial.

Assim, no mundo espiritual, você pode existir no estado de “Ano Novo” enquanto eu estou no estado de “Pessach”. Além disso, um não interfere no outro. Para você, é um estado; para mim, é diferente. Todo mundo tem seu próprio tempo e seus próprios níveis.

Da Lição de Cabalá em Russo, 31/12/17