Textos na Categoria 'Economia'

Não Conserte Um Motor Enferrujado

laitman_547_05Pergunta: A questão do salário mínimo atinge as manchetes cada vez mais. Este é um assunto de crescente interesse não só em Israel, mas também em outros países. Nós gostaríamos de examinar esta questão não de um ponto de vista econômico, mas de um ponto de vista social. Afinal, o salário mínimo pode dizer muito sobre nossa sociedade e suscita uma série de problemas relacionados com as relações sociais em nosso país.

Como um conselheiro em matéria de emprego, eu posso ver pessoalmente como a classe média é gradualmente reduzida para a categoria daqueles que vive com o salário mínimo. De um modo geral, nós falamos quase de um terço dos trabalhadores que recebem salário mínimo ou um pouco mais do que isso. Trata-se de um milhão de pessoas, incluindo pessoas que são altamente educadas, professores, jovens arquitetos, assistentes sociais, etc. Hoje, muitas pessoas têm dificuldade de pagar as contas por causa do baixo salário que recebem.

Há muitos debates no que se refere a esta questão que também inclui aspectos morais: existe aí um ponto em criar uma igualdade imposta, artificial? Ou melhor, nós devemos manter as leis do mercado livre em todos os aspectos?

Os economistas também acham difícil chegar a um acordo sobre esta questão. Alguns afirmam que um alto salário mínimo aumenta o desemprego e enfraquece a economia. Outros acreditam que estas afirmações não têm qualquer fundamento. Sete ganhadores do Prêmio Nobel, por exemplo, negam a conexão entre o desemprego e o salário mínimo, e creem que elevar o salário mínimo beneficia a sociedade. Qual a sua opinião sobre este assunto?

Resposta: Eu me envolvo com diferentes tipos de sistemas. Leis diferentes das aceitas na sociedade moderna os controlam. Estas são as leis da natureza e não leis artificiais deste mundo que são impostas pela rivalidade egoísta.

Portanto, eu acho difícil lidar com uma estrutura completamente podre da sociedade onde “cão come cão”, e todo mundo odeia o outro e vê os outros como seu inimigo. Em tais circunstâncias, é impossível dar qualquer conselho sobre questões específicas, já que todo o sistema é sem esperança. A única coisa que podemos fazer é nos livrar dele e criar algo novo.

Por outro lado, já vimos como o velho mundo está sendo arruinado sem nada novo a ser construído que seja melhor de qualquer forma. Afinal, a estrutura ainda permanece com a mesma base egoísta.

Hoje estamos sujeitos à economia de mercado que funciona de acordo com suas próprias regras. Isto significa que o empregador normalmente quer pagar menos para seu funcionário e realmente não lhe dar nada de salário por um turno de 24 horas, sem pausas ou feriados. O empregado, por outro lado, gostaria de não trabalhar de forma alguma, mas apenas receber um salário em sua conta bancária e não o salário mínimo para essa questão, mas um salário máximo.

Em tais circunstâncias, uma sociedade existe à custa do potencial competitivo de seus membros. Todos tentam obter tanto quanto podem através dos jogos de poder, negociações, acordos e muitos outros fatores.

Por exemplo, existem leis trabalhistas e autoridades policiais, sindicatos e comissões de trabalhadores, etc., que operam entre o empregador e seus empregados. Todas as partes envolvidas também querem se beneficiar com o que está acontecendo e ninguém quer que acabe.

Afinal, empresas, grupos e organizações que são as partes interessadas estão ainda pensando só em si, mesmo que tentem lutar pelos direitos dos trabalhadores, empregados e classes mais baixas, tentando ganhar para eles um salário mínimo, fundos de pensões e outros benefícios. Essas pessoas têm bons empregos e recebem a sua parte, e, em outras palavras, também operam egoisticamente.

Nesse caso, não há ninguém de quem possamos exigir uma correção. É impossível corrigir apenas uma parte do mecanismo. Se temos que mudar uma determinada parte neste motor enferrujado por outra parte feita de ouro, que é perfeita em cada parâmetro, na melhor das hipóteses será inútil e, na pior das hipóteses, a parte reparada na verdade vai romper todo o sistema ainda mais.

Eu me lembro quando uma garota com quem estudei decidiu limpar parte da janela no apartamento onde morava com uns amigos meus. Como resultado, descobrimos que agora tínhamos que limpar toda a enorme janela, que era praticamente do tamanho de toda a parede. Então a luz entrou na sala e descobrimos que toda a sala precisava de uma boa limpeza.

Em suma, se temos a intenção de corrigir alguma coisa, temos que considerar todo o sistema. É todo um sistema e cada parte nele está mutuamente conectada com as outras partes, e é impossível isolar o salário mínimo como um único fator de sucesso. Temos que abordar todo o sistema integralmente e agitá-lo bem. Em outras palavras, temos que desmontá-lo e colocá-lo junto novamente. Nenhuma correção individual ajudará o quadro geral.

De KabTV “Uma Nova Vida” 23/12/14

O Caminho Pacífico Para O Socialismo

Opinião: (Anatoly Wasserman, colunista): “Com a chegada do ano 2022, o socialismo será mais rentável do que o capitalismo. Isso significa que seria possível implementar a recomendação dada por Karl Marx em 1862 de redimir toda a economia da burguesia, dando a cada proprietário o que ele gosta mais.

“A gama de problemas que o capitalismo cria não é limitada por questões de produtividade. Suas desvantagens estão questionando a própria existência do mundo e da humanidade. Portanto, é possível que a transição para o socialismo seja justificada não economicamente, mas como uma forma de autopreservação”.

“Por isso, nos próximos anos, nós devemos falar sobre o grau de perigo que o capitalismo apresenta para a própria existência da humanidade, com uma abundância de evidências desse perigo ter sido acumulado. É preciso explicar às pessoas envolvidas no negócio que a sobrevivência é do seu próprio interesse, e que elas devem se tornar agentes do socialismo para o bem de si mesmas”.

Meu Comentário: A transição acontece de uma forma muito mais simples. Essa parte da humanidade com o ponto no coração aplica esforços em sua unidade, causando a influência da Luz Circundante (Ohr Makif), que produz mudanças nelas e em todas as pessoas. Essa Ohr Makif é responsável pelo nosso progresso, e através do método de Educação e Formação Integral, nós aceleramos o seu efeito sobre nós. Com isso, ocorre uma boa transição para o próximo nível de desenvolvimento humano.

Material Relacionado:

Manipulação Das Massas Pela Mídia

Dr. Michael laitmanOpinião (Noam Chomsky, linguista americano, filósofo, cientista cognitivo, lógico, comentarista político e militante anarco-sindicalista):

“Com base no trabalho do linguista americano Noam Chomsky, aqui está uma lista das “10 estratégias de manipulação” pelos meios de comunicação:

1. ESTRATÉGIA DE DISTRAÇÃO.

O elemento-chave do controle social é a estratégia da distração que consiste em desviar a atenção pública de questões e mudanças importantes decididas pelas elites políticas e econômicas, mediante a técnica do dilúvio ou inundando contínuas distrações e informações insignificantes. ‘Mantenha a atenção do público distraída, longe dos reais problemas sociais e cativada por temas sem importância. Mantenha o público ocupado, ocupado, ocupado, sem tempo para pensar, de volta à fazenda com os outros animais (citação do texto “armas silenciosas para guerras tranquilas”)’.

2 – CRIAR PROBLEMAS DEPOIS DE OFERECER SOLUÇÕES.

Este método também é chamado de ‘problema-reação-solução’. Isso cria um problema, uma ‘situação’ para causar alguma reação no público, de modo que seja a principal medida que eles vão querer aceitar. Por exemplo: vamos desenvolver ou intensificar a violência urbana, ou organizar atentados sangrentos, a fim de que o público esteja focado nos princípios de segurança, leis e políticas em detrimento da liberdade. Ou também criar uma crise econômica para aceitar o mal necessário da recessão, da perda de direitos sociais e o desmantelamento dos serviços públicos.

3 – ESTRATÉGIA DE GRADAÇÃO.

Para fazê-lo aceitar algo inaceitável, simplesmente aplique-o gradualmente, em conta-gotas, por anos consecutivos. É assim que condições socioeconômicas radicalmente novas (neoliberalismo) foram impostas durante os anos 1980 e 1990: o estado mínimo, privatizações, precariedade, flexibilidade, desemprego em massa, incapacidade de pagar salários decentes, e muitas mudanças que causam uma revolução não teriam que ser implementados todo de uma só vez.

4 – A ESTRATÉGIA DE PROTELAR.

Outra maneira de tornar aceitável uma decisão impopular é apresentá-la como “dolorosa e necessária” ao obter a aceitação imediata do público para uma aplicação futura. É mais fácil aceitar um sacrifício futuro do que um sacrifício imediato.

5 – ABORDAR O PÚBLICO COMO CRIANÇAS PEQUENAS.

A maioria da publicidade dirigida ao grande público utiliza discurso, argumentos, personagens e entonação particularmente infantis, muitas vezes próximo de seus pontos fracos, como se o espectador fosse uma criança muito nova ou com deficiência mental. Quanto mais você enganar o espectador, mais a publicidade tende a adotar um tom infantil.

6 – UTILIZAR O ASPECTO EMOCIONAL MUITO MAIS DO QUE A REFLEXÃO.

Fazer uso do aspecto emocional é uma técnica clássica para causar um curto circuito na análise racional, e, finalmente, no sentido crítico dos indivíduos. Além disso, o uso do registro emocional permite abrir a porta para o inconsciente para implantar enxertos ou ideias, desejos, medos e temores, compulsões ou induzir comportamentos…

7 – MANTER O PÚBLICO NA IGNORÂNCIA E NA MEDIOCRIDADE.

Torne o público incapaz de compreender as tecnologias e os métodos a fim de mantê-los controlados e em cativeiro. ‘A qualidade da educação dada às classes sociais mais baixas deve ser a mais pobre e medíocre possível, de modo que o fosso da ignorância que existe entre as classes mais baixas e as classes sociais mais altas seja e permaneça fora do alcance das classes mais baixas’.

8 – ESTIMULE O PÚBLICO A SER COMPLACENTE NA MEDIOCRIDADE.

Promovendo o público a pensar que a moda é o ato de ser estúpido, vulgar e inculto.

9 – FORTALECER A REVOLTA PELA AUTO-CULPA.

Fazer o indivíduo acreditar que só ele é o culpado pela sua própria desgraça, devido à insuficiência de sua inteligência, de suas capacidades ou de seus esforços. Assim, em vez de se rebelar contra o sistema econômico, os próprios indivíduos são impotentes e culpam a si mesmos, o que leva a um estado depressivo com seus efeitos sendo a inibição de sua ação.

Meu Comentário: Pode-se ver como é grande o papel da Internet na manipulação das pessoas. Mas isso só acelera a saída do poder do Faraó ou egoísmo, porque os nossos desejos e pensamentos não se desenvolvem pela mídia, mas pela lei do desenvolvimento, o qual leva necessariamente à finalidade da criação.

Uma Questão Urgente E Sua Solução

Dr. Michael LaitmanComentário: O método de corrigir as relações entre as pessoas, que é o remédio para todas as doenças, anula toda a medicina moderna.

Meu Comentário: Mas nós não precisamos dela. O atual sistema de saúde não se importa com a pessoa, mas apenas consigo mesmo. A mídia veicula informações que despertam medo, e ninguém se preocupa com as pessoas.

Qual é o verdadeiro problema? A humanidade alcançou por muito tempo um nível tal de seu desenvolvimento que pode prover totalmente todas as suas necessidades. Isto era verdade na década de 70 do século passado, mas tudo chegou a um impasse já que as questões “E agora?” e “Por que devemos continuar vivendo?” surgiram.

Mas o homem não pensava sobre isso e novos problemas tiveram que ser criados, a fim de que ficasse bem claro que vivemos para resolvê-los. Caso contrário, estas questões vão surgir e fazer tanto a elite como os nossos líderes se sentir mal.

Assim, tudo começou a girar em torno da criação de diferentes necessidades imaginárias, e os problemas de saúde não são imaginários. Consequentemente, a medicina tem gradualmente se reconstruído ao criar novos sintomas, de modo que, ao utilizar medicamentos que ajudam a curar certos sintomas, as pessoas vão ficar ocupadas gastando dinheiro com medicamentos e viajando de um lugar para outro, a fim de procurar o tratamento, etc.

Pergunta: Este cenário foi previsto com antecedência? Será que as pessoas conscientemente examinam essa opção com antecedência?

Resposta: Claro. Nós podemos ver a publicidade na TV de produtos que são 99% desnecessários. Sequer temos a necessidade de 1% do que resta, mas só achamos que precisamos deles. Afinal de contas, nós nos acostumamos com a publicidade, somos nutridos por ela, e as ideias que ela vende já se tornaram uma necessidade inerente. Portanto, nós procuramos o que mais podemos comprar. Não podemos mais viver sem essas coisas, como um viciado em drogas que não pode viver sem drogas. Nós estamos acostumados a ser obrigados a assistir comerciais e implementar o que eles anunciam.

Alguns anos atrás eu estava no hospital após um acidente de carro e vi como os pacientes se comportam. Um deles falou constantemente com os médicos como se fossem velhos amigos. Quando eu perguntei por que ele falou com eles dessa maneira ele respondeu com orgulho que tinha 12 operações. É como se quisesse dizer: “Olha, eu sou o seu paciente fiel, eu sou seu!” E, inconscientemente, eles o tratavam como se ele fosse um dos seus: “Ele é um dos nossos”!

Isso significa que ele atingiu o estado em que eles estavam ganhando seu sustento um do outro. É como polícias e ladrões que não conseguem viver um sem o outro. A polícia tem que resolver crimes ou conspirações e, portanto, colaboram com a máfia para que ela lhes dê algumas pistas ou sacrifiquem um de seus cúmplices. A polícia prende a vítima e a apresenta como a sua realização, mas, geralmente, é a máfia que lhes dá a pista.

É o mesmo aqui. Isso se tornou um costume, e é muito interessante observar o belo trabalho do ego desde fora.

A sociedade impõe seus valores em nós e nos alimenta com esses valores como se fosse um jantar de negócios. Eles nos ensinam a amar, a ter filhos, criá-los, construir, jogar jogos sociais, consumir certos medicamentos e a estar conectados de uma certa maneira. É tudo baseado na noção de como preencher o nosso dia com preocupações, trabalho, tarefas, e não nos permitir tempo para pensar no sentido da vida.

Mas a humanidade já se desenvolveu ao ponto onde essa questão se torna vital. A fim de certificar que não nos ocupemos com ela, as autoridades têm-nos negado todo o nosso tempo livre, até o último momento.

O ponto é que a questão sobre o sentido da vida é muito maior. Se uma pessoa não encontra esta resposta, ele se torna tão deprimida que não pode superar isso. Ela não sente prazer em nada: nem na comida, sexo, família, seus filhos, em nada. Por isso, a elite suprime esta pergunta.

Mas chegou a hora de revelar o sentido da vida às massas. Por um lado, é como se estivéssemos jogando no limite. Mas, por outro lado, dizemos coisas agradáveis, tais como: “Vamos viver em unidade, vamos começar a amar um ao outro, de modo que tudo vai ficar bem”.

A sabedoria da Cabalá não se destina a despertar paixões revolucionárias em alguém, nem na elite nem nas pessoas comuns. Ela não chama as pessoas para lutar, mas se oferece para fazer uma revolução suave de forma pacífica. Esta é a verdadeira primavera, quando após uma longa geada, após o vazio interior, o retorno gradual a vida começa.

Pergunta: Será que a elite concordará com isso?

Resposta: Os líderes também vão mudar junto com as massas, uma vez que todos nós mudamos junto. Eles vão começar a perceber que, em primeiro lugar, a situação ambiental não nos permitem permanecer no mesmo nível. Nós podemos ver o que está acontecendo conosco.

Perturbar o equilíbrio ecológico envolve um maior desequilíbrio de toda a terra. Ninguém sabe quantos bilhões de dólares foram investidos este ano e ainda estão sendo investidos, a fim de superar os desastres ambientais no mundo todo.

Junto com os problemas ecológicos e climáticos, também vamos encontrar problemas nutricionais, já que poluímos o solo, mesmo no nível dos pensamentos e sentimentos. Mas quando as autoridades começarem a mudar, elas vão ver que tudo tem um limite e é a natureza que nos limita.

Elas vão perceber que temos que adquirir uma percepção totalmente nova, e, em vez de dinheiro, que perdeu seu valor, uma nova moeda vai parecer que está relacionada com a comunicação entre as pessoas.

O dinheiro é um método de conexão que enfatiza o quão grande você é e quão pequeno eu sou em relação a você, e como nós podemos satisfazer as necessidades um do outro. Em hebraico, a palavra “dinheiro” (Kesef) deriva da palavra “cobrir” (Masach), o que significa que eu cubro a diferença entre nós.

Novos métodos de comunicação entre as pessoas vão surgir, em vez de relacionamentos que são baseados no dinheiro. Eles vão se tornar popular, porque a própria sociedade começará a mudar. Se fosse só o ambiente que mudasse, ainda permaneceríamos os mesmos bonecos e as autoridades continuariam a jogar sem parar conosco. Mas, como o mundo inteiro vai mudar, a percepção também vai mudar, e as autoridades vão agir de forma totalmente diferente.

Eu acredito que isso vai acontecer num futuro próximo e espero ver, pelo menos, o início dessa mudança. É para isso que eu estou vivendo.

Nós ajudamos na aceleração do tempo. Nossas ideias fluem de imediato para a sociedade, uma vez que são uma parte integral dela. Assim, nós também temos que acelerar o desenvolvimento da elite.

De KabTV “Segredos do Livro Eterno” 18/02/14

O Trabalho Será Dado Aos Robôs Programados

laitman_568_01Opinião (Bill Gates, magnata americano dos negócios, filantropo, investidor, programador de computador): “Falando em Washington no grupo de pensadores econômicos do American Enterprise Institute, Gates disse que dentro de 20 anos, uma grande quantidade de postos de trabalho vai desaparecer, substituída pelos softwares de automação…

“Gates acredita que os códigos tributários vão precisar mudar para incentivar as empresas a contratar funcionários, incluindo, talvez, eliminando completamente impostos sobre a renda e a folha de pagamento. Ele também não é um fã do aumento do salário mínimo, temendo que ele irá desencorajar os empregadores a contratar trabalhadores nas próprias categorias de trabalhos que estão mais ameaçadas pela automação”.

Meu Comentário: Gates acredita que desta forma as demissões serão impedidas, o desemprego vai se tornar oculto, ou seja, as pessoas vão estar ligadas aos seus empregos, o que impedirá a decomposição da sociedade – o que vemos hoje nos distritos de imigrantes, onde as pessoas vivem em bem-estar.

A Cabalá acredita que é necessário o envolvimento de todos no processo de Educação e Formação Intergal para corrigir a natureza humana. Afinal, isso é o que a lei do nosso desenvolvimento exige de nós.

Jovens Não Compram Mais Carros Ou Casas

Dr, Michael LaitmanNas Notícias (Lifter): “A geração abaixo dos 35 anos raramente compra casas e ainda mais raramente carros. Eles são chamados de “geração de inquilinos”, pessoas que têm medo de pedir dinheiro emprestado.

“Se no passado, pessoas bem sucedidas eram aquelas que possuíam uma casa e um carro, agora em alta estima estão aqueles que investem em experiências e impressões tais como viajar e começar empresas.

“As pessoas não querem prosperidade e estabilidade, mas um horário flexível e a independência financeira e geográfica. Coisas materiais não seguram mais o interesse das pessoas. Por que ter seu próprio carro nos EUA se tem o Uber ou o Lyft (aplicativos para compartilhamento carros)? Em essência, é um carro privado com motorista. E não custa mais para usar os serviços do Uber, do que possuir um carro.

“Por que você compraria uma casa num lugar lindo e iria pra lá de férias, se pode encontrar acomodações em qualquer lugar do mundo através da Airbnb (site comunitário para alugar ou reservar imóveis)? Os jovens americanos de hoje mudam de emprego, em média, uma vez a cada três anos, e você pode se mudar para mais perto do escritório se você estiver alugando, não possuindo. O próprio conceito de propriedade das coisas não é mais relevante”.

Meu Comentário: Os tempos mudam e o desejo com ele, ou melhor, pelo contrário, a mudança do desejo provoca uma mudança na atitude para com o mundo e a vida. A revisão da escala inteira de valores está à frente. A reavaliação pode ser sangrenta ou muito agradável, como um jogo. Depende de como nós percebemos as mudanças necessárias.

O Progresso É Sem Sentido E Impiedoso

Dr. Michael LaitmanNas Notícias (Expert): “Até a década de 1960, a sociedade ocidental tinha alcançado um alto nível de consumo, e as pessoas entendiam que o dinheiro não era a principal medida de felicidade.

“Assim, o conceito de qualidade de vida multidimensional nasceu, que, além da renda, é determinado pela segurança, o acesso ao conhecimento, o desenvolvimento da medicina, a expectativa de vida, as condições ambientais, etc.

“Mas como estes diferentes números poderiam ser reunidos? Os cientistas propuseram passar de indicadores objetivos para subjetivos, medidos por pesquisas de opinião pública. Mas eles dependem da medição do estado da pessoa em relação ao estado do seu vizinho, e verifica-se que aqueles que não vivem perto dos ricos são mais felizes.

“Do ponto de vista subjetivo, a qualidade de vida das pessoas no último milênio não tem crescido, mas caiu por causa da diferenciação da população de acordo com o nível de consumo no antigo Egito ou na França medieval, que foi menor do que é agora.

“Isto é, do ponto de vista subjetivo, não há progresso. Além disso, a disseminação de inovações causa desigualdade em termos de consumo, insatisfação e conflito.

“O progresso, ao invés de melhorar a qualidade de vida, a reduz devido à desigualdade crescente e à estagnação e, ao contrário, estabiliza a sociedade. O desenvolvimento é um processo sem sentido, semelhante a um cachorro correndo atrás do próprio rabo, que nada produz além de inveja e sofrimento”.

Meu Comentário: Não podemos parar o progresso. O seu papel é nos conduzir à reflexão sobre a falta de sentido da nossa existência, de modo que, tendo perguntas sobre o sentido da vida, nós avançamos para revelar o Criador.

O Que Vai Acontecer Com O Mundo?

Dr. Michael LaitmanOpinião (Michael Khazin, economista): “A ideia do sistema de Bretton Woods é uma expansão do território do dólar. Através da expansão do território do dólar é possível imprimir dólares, criando renda adicional que pode ser redistribuída. Se essas nações obedecem as regras gerais do Fundo Monetário Internacional, ela recebem uma quota de dólares adicionais.

Nos anos 70, o território para a expansão foi terminado, embora a expansão continuasse através do fornecimento de empréstimos a particulares e do refinanciamento de dívida privada. No ano de 1990, a União Soviética se desfez e expandiu o território para o dólar à custa das nações socialistas. No ano de 2000, a crise começou, embora a impressão de dólares continuasse através da redução do custo do crédito.

“No ano de 2008, a crise eclodiu novamente, e a impressão de dólares continuou à custa de mudanças na oferta de dinheiro (taxas reduzidas, especificamente o incentivo de empréstimos). Como resultado disso, a atribuição de crédito do mercado monetário era 17 vezes maior do que a atribuição de dinheiro pronto.

“Quando os recursos para a impressão de dinheiro terminaram, os problemas começaram; a demanda privada estava em declínio, mesmo que a economia dos Estados Unidos aparentemente mostrasse crescimento.

Hoje está claro que a bolha nos mercados de ações entrará em colapso; ou seja, o valor dos ativos vai cair e os passivos, ou seja, a dívida, permanecerá. Isto significa falência em massa. A fim de acabar com os passivos, os bancos planejam guerras no Oriente Médio, na qual, por um lado, há petróleo, e, por outro lado, há Israel com a sua bomba atômica.

“Outra possibilidade é um ataque terrorista em massa. Isso é algo que vai possibilitar aos bancos dizer àqueles que têm dinheiro que os riscos têm crescido a tal ponto que eles são forçados a atrasar os pagamentos, pois o sistema de seguro para riscos financeiros foi destruído.

“Há dois cenários: salvar o sistema financeiro global em detrimento da economia americana (esta é a percepção do Partido Democrata dos Estados Unidos), ou salvar a economia americana à custa do sistema financeiro global (esta é a percepção do Partido Republicano). Esta situação causou a derrota do Partido Democrata nas eleições de meio de mandato, e o reforço das forças isolacionistas no Partido Republicano (o mundo não se importa conosco, nós devemos salvar a nós mesmos!).

“Os políticos europeus dependem da CIA, do SNA, e assim por diante, onde cada uma dessas organizações possui provas contra eles. Portanto, esses políticos estão lutando por suas vidas. Os Estados Unidos vão destruí-los, se a Europa tomar medidas de seu interesse e não em interesse de Washington. Neste caso, a Europa se encontra diante de uma guerra civil, como na Ucrânia, e em estado de desintegração. A Rússia tem o seu destino: o estado de inanição.

“Hoje os políticos ativos no governo estão com menos de 65 anos, e não estão familiarizados com a escala desses problemas. E os idosos, como Kissinger, não são mais influentes. Assim, o mundo está à porta no limiar de uma reorganização cruel (territorial, nacional e uma reorganização das elites). Muito provavelmente alguns desses políticos serão derrotados nas eleições de 2016 nos Estados Unidos, e, em seguida, a situação vai mudar.

Meu Comentário: Nós precisamos produzir novas relações socioeconômicas com base nas condições da “Última Geração” através da educação integral, da unidade de todos numa única sociedade baseada na igualdade plena, trabalhar apenas o que é necessário para suprir as necessidades essenciais da sociedade. Os recursos liberados e o tempo serão encaminhados às universidades públicas envolvidas com a educação da nova geração na humanidade.

Por enquanto, não vemos atualmente a possibilidade de uma transformação gradual e fácil de uma economia de mercado para uma economia comunista, de modo que isso agora depende do sucesso da disseminação da educação integral.

Diferentes, Mas Iguais

laitman_423_01Pergunta: Todas as pessoas são diferentes por natureza. Uma é sábia e ágil, enquanto outra é preguiçosa e tola. De acordo com o grau de maturidade de uma pessoa, estas características são expressas mais e mais, e, como resultado, a pessoa tem realizações materiais mais elevadas, enquanto que outra não tem dinheiro para comer. A própria natureza criou diferenças como estas numa sociedade. Isso é dado.

Como a sociedade deve se relacionar com o fraco se ela afirma ser socialmente “progressista”? Afinal, os fracos não recebem qualquer pagamento na natureza. A sociedade precisa apoiá-los e assegurar-lhes as necessidades mínimas para a existência?

Resposta: Sim, e, em geral, cabe a nós começar a se relacionar com pessoas totalmente diferentes. Elas devem ser integradas num sistema único de educação que melhora as atitudes sociais de modo a começar a se preocupar com a sociedade em geral, sua florescente e saudável unidade social, a conexão inclusiva entre todos, e a responsabilidade mútua.

Cabe à liderança nacional tomar para si a organização de um sistema como este. A aprendizagem não será limitada pelo tempo. Afinal, o ego desperta mais e mais dentro da pessoa, e deve ser constantemente equilibrado pela educação adequada.

Portanto, se a pessoa estuda regularmente, ela melhora e se encontra numa sociedade que a pressiona e exige sua participação consciente e útil, direcionada a um objetivo na vida social. Portanto, cada pessoa deve ser receber um padrão de vida mínimo que seja suficiente para existir.

Pergunta: O que é esse mínimo? Como seria a minha vida se eu recebesse uma bolsa como essa?

Resposta: Eu recebo apoio suficiente para manter a minha família, para criar e educar meus filhos até eles amadurecerem. De um modo geral, eu vivo com a dignidade da merecida segurança social. Ela vem a mim, porque eu sou parte da sociedade e me preocupo com isso e seu desenvolvimento.

Pode ser que alguém com deficiência seja apenas capaz de se sentar num depósito e trazer ferramentas de lá ou de realizar outros trabalhos simples. A sociedade o coloca num lugar onde ele seja capaz de ser útil. Além disso, ele é educado e educa seus filhos também.

Por tudo isso, a pessoa recebe um “salário mínimo”, mas isso é o suficiente para manter a existência de sua família com respeito e cuidado com todas as suas necessidades.

Agora, suponha que ela tenha um vizinho de sucesso, bem estabelecido e profissional. Ele é muito útil para a sociedade, desenvolve novos dispositivos e tecnologias, ou é um líder no comércio de grande escala. Ele consegue tudo o que precisa para o seu trabalho. Será que ele ainda precisa de algo diferente para sua casa e família que seu vizinho humilde?

Pergunta: A humanidade nunca construiu um sistema social como este. Afinal de contas, de acordo com a nossa natureza, nós queremos sempre mais do que aquilo que temos.

Resposta: É exatamente isso que alcançamos com a educação, que vai ser maciça, permanente, sob pressão, colocando tudo no lugar.

Graças a isso, nós alcançamos a igualdade geral. Esta não seria uma igualdade forçada que já se esgotou no século passado. Pelo contrário, é tal igualdade, onde cada um tem tudo o que precisa para existir em dignidade e para proporcionar uma vida boa, florescente e organizada para seus filhos.

Além disso, em relação ao resto dos impulsos egoístas – inveja, luxúria, honra, e assim por diante – a pessoa vai realizá-los também, mas para o bem da sociedade. O ambiente em si, a atmosfera social encorajadora, vai obrigá-la a agir dessa forma. Ela simplesmente vai ter vergonha de se destacar com suas exigências excessivas, através das quais é como se ela estivesse roubando abertamente dos outros.

Eu repito, numa sociedade como esta, cada um vai se preocupar em viver com dignidade, garantindo o desenvolvimento pessoal e profissional de seus filhos, mas apreciando a si mesmo não de acordo com a sua riqueza, não de acordo com sua fama ou superioridade sobre os outros, mas de acordo com seu investimento na sociedade. Além disso, em geral, a sociedade preserva um padrão uniforme de vida.

De kabTV “Uma Nova Vida” 23/12/14

Com Respeito Ao Terror, Elevação De Preços E Unificação Da Sociedade, Parte 5

Dr. Michael LaitmanPergunta: Qual é o significado de um consenso social, graças ao qual é possível resolver todos os nossos problemas?

Resposta: O consenso social simboliza que nós nos tornamos um só corpo. É muito simples! Nós concordamos que o povo de Israel é um povo único, do qual depende o destino do mundo, todos os povos, e até mesmo o humor do Criador, se é possível dizer uma coisa dessas.

O consenso social é o mesmo nível em que é possível levar o povo de Israel que vive na terra de Israel para o conhecimento comum, consciência e emoção. Suponha que hoje estamos de acordo que o preço do iogurte é muito caro. Agora, junto com isso, temos que chegar a um consenso de que só através de nossa conexão e união podemos derrubar o preço de iogurte pela metade.

O iogurte é apenas um exemplo típico. Você pode usar qualquer outra coisa como exemplo. Existem exemplos suficientes de custos elevados em Israel. Mas quem é o culpado por isso? Nós mesmos somos os culpados por não nos conectarmos um com o outro.

Só a educação geral possibilitará determinar que tipo de conexão mútua existe entre nós e realmente perceber esta conexão ao trazer mudanças à sociedade. Por isso, nós convidamos a todos a participar dos nossos círculos de discussão.

Aos poucos, a pessoa começa a mudar. Isso é chamado de “a influência do ambiente sobre uma pessoa”. O ambiente vai mudar seu coração, porque não há nenhuma outra força. A pessoa não está pronta para mudar a si mesma e apenas a força do ambiente faz isso.

A televisão deve ajudar a unidade social, tal como fazemos no Canal 66 (em Israel). É necessário trabalhar nisso para criar uma atmosfera acolhedora nas escolas, de modo que não haverá problemas como os que existem agora. De acordo com a opinião de sociólogos, se 10% do total da população começa a organizar algo, eles obrigam todos a participar. De tal maneira, nós podemos trazer consenso a toda a sociedade.

Pergunta: Porém, de que maneira essa chamada para a igualdade difere daquelas tentativas que a humanidade já realizou por muitos anos?

Resposta: Eu sugiro uma ferramenta de trabalho, como uma chave de fenda ou uma chave, através da qual é possível resolver o nosso problema comum e o de todos pessoalmente, na sua raiz, ao se voltar a manter o equilíbrio da natureza.

Ao que parece, todas as abordagens anteriores não tiveram sucesso, pois a condição do mundo está se tornando cada vez pior. Considerando que no presente caso nós estamos começando a entender a lei da existência da sociedade humana, o processo que ela está passando, e os métodos que nos possibilitam aderir a este processo inevitável, de modo que vamos nos sentir cada vez mais em todos os pontos vinda de nosso desenvolvimento.

Isso não se refere à tentativa de convencer o governo a baixar os impostos. A solução se encontra na própria natureza, e exige o nosso equilíbrio. Se não estabelecermos o equilíbrio, todas as nossas várias tentativas de corrigir a situação vão nos custar muito caro e trazer ainda mais perdas e danos num nível mais profundo.

Se não curarmos esta doença em sua raiz agora, através da correção e consolidação da sociedade, então ela vai surgir ainda mais forte em outro lugar. Suponha que nós possamos reunir uma determinada multidão e sair para uma demonstração para tornar o preço do iogurte 50% mais barato e consigamos isso. O capitalista, por outro lado, vai aumentar o preço de outros produtos básicos em 5% e seguirá que não ganhamos nada.

Isto é porque nós não agimos de acordo com a lei da natureza, de acordo com a sua tendência, mas, pelo contrário, agimos de acordo com o nosso entendimento. E quando nós confiamos em nosso intelecto, segue-se que sempre queremos corrigir algo egoisticamente, com o resultado sendo pior. A mesma destruição anterior permanece na natureza e cresce ainda mais. Nós somos, então, forçados a sofrer ainda mais, de modo que, no final, possamos compreender a necessidade da correção da sociedade.

O problema do preço do iogurte não existe por si só, mas sim está nos empurrando para a conexão mútua. Considerando que você está dizendo que pode reduzir o seu preço de outra maneira. Mas, em geral, nós não estamos falando de iogurte, mas do consenso social!

O iogurte é apenas uma desculpa para que possamos nos unir. Nós existimos num sistema global que está interligado, uma pequena aldeia global que é abraçada por uma crise geral.

Havia um slogan muito popular: “O povo exige justiça social!” Hoje é possível alterá-lo para o seguinte: “O povo exige a consolidação social!”.

De uma Conversa, 13/04/14