Textos na Categoria 'Economia'

Qual É A Origem Da Agiotagem?

laitman_545Pergunta: Há aqueles que acreditam que a agiotagem é uma invenção dos Cabalistas na Babilônia. Isso é verdade?

Resposta: Eu não penso assim, pois não havia Cabalistas na Babilônia. Eles vieram do grupo que deixou a Babilônia e certamente não havia agiotas nesse grupo. A agiotagem era proibida até a destruição do Templo, o que levou à queda geral no egoísmo e à dispersão do povo judeu em todo o mundo e o seu exílio.

A agiotagem começou quando o povo judeu caiu do mundo espiritual. A agiotagem e os juros cobrados eram baseados em cálculos matemáticos complicados pelos quais o agiota roubava de pessoas decentes.

Hoje cada banqueiro pode explicar esse cálculo complicado das taxas de juros. Se eu emprestar dinheiro a alguém, ele tem que me pagar de volta com certa percentagem de juros, e se ele não me devolver o dinheiro a tempo, tem que pagar mais. Isto é, há a cobrança de juros sobre juros, porque ela leva em conta o dano que eu sofri por não ter recebido o dinheiro com o qual estava contando, e não pude circular novamente.

Da Lição de Cabalá em Russo 27/03/16

A Elite E As Massas

laitman_571_03Comentário: James Traub, membro do Conselho Americano de Relações Exteriores (CFR), graduado em Harvard e membro de uma das famílias mais ricas da América, escreveu um artigo intitulado “É Tempo das Elites se Levantarem Contra as Massas Ignorantes” (Financial Policy). Nele, ele afirma: “O Brexit desnudou o cisma político do nosso tempo. Não se trata da esquerda contra a direita; trata-se da sanidade versus a raiva descuidada”. Em apoio a esse ponto de vista, ele citou, “o voto no Brexit foi o repúdio total dos banqueiros, economistas e chefes de estado Ocidentais que alertou os eleitores contra os perigos de uma cisão com a União Europeia”. Ele afirma que, “o extremismo se tornou a tendência dominante” e que “a revolta cidadã de hoje – nos Estados Unidos, Grã-Bretanha e na Europa – pode derrubar a política na medida em que nada mais resta na minha vida”.

Resposta: Hoje, muitos são ignorantes, pobres e desempregados, mas quem é responsável por isso? É a elite, não é? Quem controla os botões corretos, os cabos e as conexões? É as massas? Quem as torce e manipula? Claro que é a elite, juntamente com a polícia, os militares, os meios de comunicação, jornalistas, televisão e rádio. Portanto, a próxima guerra é a guerra da elite contra o seu próprio povo.

Ultimamente, temos assistido a um fosso crescente entre a elite e as massas porque a classe média foi totalmente apagada e não restou mais nada dela. As massas estão se tornando cada vez mais empobrecidas, enquanto as elites estão ficando mais ricas com uma riqueza totalmente desnecessária. Mas o egoísmo lhes diz para pegar, tomar e esgotar as massas. O resultado é que 90% das pessoas caem e 10% sobem bruscamente. Como tudo vai acabar? É difícil dizer e até mesmo assustador pensar, porque o egoísmo as encoraja a destruir as massas, deixando 15-20% da população para prestar serviços à elite. E todo o resto, em linha com a teoria fascista, será destruído, porque hoje o mundo está realmente gravitando ao fascismo.

Pergunta: Será que elas têm os meios para exterminar pessoas?

Resposta: Elas têm tudo. Elas estão desenvolvendo uma abordagem unisex, diminuindo assim a taxa de natalidade. Elas estão diminuindo o desejo das pessoas por uma família através da publicidade e meios de comunicação. Veremos em breve o grande dano que os medicamentos modernos estão causando e o que acontece com os serviços de saúde, com as drogas, e com todos os aspectos da nossa vida.

A coisa mais importante para a elite é desconectar as massas da vida ativa, causando o seu desaparecimento gradual, a fim de livrar o mundo de todas as bocas “extras” que devem ser alimentadas. Há esforços muito graves feitos nesse sentido. Eu acredito que eles  irão adicionar fatores biológicos que foram especialmente desenvolvidos sob a forma de bactérias diferentes. Ainda veremos certa doença que não tem vacina. Tudo é feito de forma gradual, mas está começando a agir e vamos ver que, durante uma geração, a humanidade será reduzida em dois ou três bilhões de pessoas.

Pergunta: Qual é a sua opinião sobre o que está acontecendo?

Resposta: Há muitas opções diferentes, uma das quais é o caminho do sofrimento e o outro o caminho da unidade geral: tanto da elite quanto das massas.

O caminho da unidade só é possível se conseguirmos, através da ajuda da força superior, convencer a maioria das pessoas no mundo que temos que perceber o beco sem saída a que todos os outros métodos nos levam. O caminho do sofrimento pode assumir diferentes formas, como o Fascismo ou uma guerra mundial e, ao mesmo tempo, guerras civis e ódio geral. Além disso, a elite vai estimular os imigrantes na Europa através dos canais de mídia ou de outras formas, eles sabem como fazer isso e, assim, incitá-os contra as populações locais. Assim, um par de milhões de imigrantes apagará a Europa. Então não será um problema se livrar dos imigrantes. Nós estamos prestes a testemunhar eventos muito interessantes.

De KabTV “Notícias com Michael Laitman” 30/06/16

Dinheiro Espiritual É Equivalente A Verdade

laitman_569_01Pergunta: A fonte espiritual do dinheiro está conectada ao conceito de verdade?

Resposta: Sim. Dinheiro espiritual, o Masach (tela), é equivalente a verdade porque é a característica de doação e amor, a característica de conexão com os outros. Quanto mais riqueza espiritual uma pessoa tem, mais justa ela é porque está em uma maior conexão com o Criador, o que significa que está mais perto da verdade.

O dinheiro é um Masach e a compensação não é o Masach, mas a doação que percebemos com a sua ajuda pelo bem do Criador e pelo outro.

Da Lição de Cabalá em Russo 27/03/16

Onde É Mais Rentável Investir O Dinheiro?

laitman_283_01Pergunta: Atualmente, onde é mais rentável investir o dinheiro?

Resposta: Em educação e informação. Essa sempre foi a forma mais correta e segura.

A única coisa que nos falta nesse mundo é pessoas realmente educadas e inteligentes, não necessariamente profissionais, mas pessoas educadas que entendam qual é o propósito da vida, qual é o sentido da vida e como vivê-la; isso não é em vão.

Se a pessoa tem oportunidade de adquirir educação e informação desse tipo, e isso só pode ser adquirido pelo seu próprio esforço, vale a pena investir nisso.

Da Lição de Cabalá em Russo 27/03/16

Dinheiro: Passado, Presente, Futuro

laitman_202_0As pessoas sempre acreditaram que os judeus têm um segredo especial para “atrair dinheiro”. Os Cabalistas foram particularmente acusados disso. Os alquimistas tentaram criar uma “fórmula dourada” baseada na aprendizagem de antigos ensinamentos místicos judaicos.

Em alguns aspectos, essas pessoas estavam certas. Os Cabalistas realmente sabem o “segredo do dinheiro”. E o segredo é a sua doação.

Apenas crianças pequenas não entendem que tudo no mundo físico tem o seu próprio valor, o seu preço: a quantidade necessária de esforço investido para adquirir o que é desejado. O dinheiro é uma medida. Mas como é possível medir os esforços internos de uma pessoa, sua felicidade, tristeza, importância?

Nós precisamos medir constantemente a nossa conexão com o outro. As pessoas trocam ativamente os resultados do seu trabalho. O surgimento do dinheiro como equivalente universal de nossos esforços substituiu a troca de mercadorias.

O dinheiro também é o equivalente dos desejos humanos universais. Se eu quero alguma coisa, estou pronto para dar tudo por ela. Pode não ser um valor significativo (por exemplo, a memória de uma avó amada), mas eu pagaria materialmente por isso. Tudo depende de pedidos individuais.

A sabedoria da Cabalá sempre estudou e investigou a fonte, a nossa própria natureza. É necessário pagar (com dinheiro ou esforço) pelo prazer. A palavra “dinheiro” (Kesef, em hebraico) tem a mesma raiz que a palavra “desejo” (Kisuf), que significa uma cobertura (Kisui) do meu egoísmo. Eu cubro meus desejos para satisfazê-los, colocando um Masach (tela) sobre eles através de sua utilização correta. Em nossa sociedade, a recepção direta baseada no egoísmo é impossível.

Portanto, o conceito de dinheiro (Kesef) está ligado ao Masach que a pessoa coloca sobre seus desejos. Graças ao Masach e aos desejos, ela pode levar a cabo o que quer de acordo com o tamanho do Masach, ou seja, de acordo com o valor do dinheiro.

Quando uma pessoa quer adquirir alguma coisa, ela deve pagar uma quantia equivalente de dinheiro que o vendedor estipula. Essa é a versão das relações entre nós em uma sociedade egoísta. Como isso é disposto em altruísmo, quando o esquema de troca – dinheiro por mercadoria – não funciona, e nós compramos não o que nos convém, mas o que dá prazer a outra pessoa?

O mundo está gradualmente alcançando uma nova economia: o dinheiro não funciona mais. Já há países no mundo onde você pode tomar um empréstimo bancário com juros zero e até mesmo negativo. Isto é, você devolve menos do que tomou. Essa é uma evidência de que o dinheiro deixa de desempenhar o papel como o equivalente universal para a recepção e, gradualmente, está começando a desempenhar um papel como equivalente geral de doação.

Aqui um princípio puramente Cabalístico está agindo: receber a fim de doar. Toda a humanidade está gradualmente se movendo rumo a esse modelo. Essa transformação não é entendida por nosso intelecto egoísta.

Os banqueiros mundiais estão pensando seriamente em dar mais dinheiro à população para que a economia seja estimulada. A sociedade de consumo está chegando ao fim. Anteriormente, éramos encorajados a consumir, e agora, ao contrário, a dar.

A sociedade atingiu um estado em seu desenvolvimento em que é possível prover a todos com o que é necessário e o dinheiro já não desempenha um papel. Ele perdeu o seu valor.

Tomando a frente estão os relacionamentos entre as pessoas, e as pessoas estão começando a procurar satisfação e prazer na sociedade na conexão com outras pessoas, não em termos materiais, porque nos tornamos muito dependentes uns dos outros.

O mundo está avançando para a produção geral. E o produto mais importante dessa sociedade é as relações mútuas corretas. O dinheiro está perdendo o seu valor perante os nossos olhos.

Nós vemos viciados em drogas supridos com 10 gramas de drogas para que não anseiem por dinheiro, ou desempregados que não estão tentando ganhar dinheiro vivendo do bem-estar proporcionado pelo Estado para cobrir suas necessidades mínimas.

Dessa forma, do prazer corporal nós estamos nos movendo para a realização espiritual. A sociedade ainda não pode pesar e entender isso, então as pessoas ficam deprimidas. Na verdade, o que antes era o equivalente universal puramente egoísta – moedas de ouro, joias, escravos – está acima da matéria, o equivalente espiritual.

O quanto uma pessoa pode conectar as pessoas entre si é o que será apreciado. Ela será julgada por sua participação direta na disposição da sociedade, na “fábrica” pública.

Portanto, a próxima forma do dinheiro será o próprio Masach, ou seja, as relações corretas entre as pessoas. Por meio da conexão, trazendo a sua parte, e dando a seus companheiros, cada um de nós “paga” o próprio “dinheiro espiritual (Kesef)” e cobre (Mekaseh) o desejo comum por realização. Quanto eu posso oferecer, dar e doar ao outro, essa é a medida que também serei capaz de receber.

É exatamente assim que o comércio será no futuro, porque o elemento mais importante no processo é trocar a participação da pessoa na “produção” geral dos desejos comuns pela satisfação global coletiva.

Nós vivemos num mundo onde a Luz é ilimitada. Mas o tamanho do nosso Kli (vaso) depende do grau de conexão entre nós. Se a conexão for negativa, o vaso não tem satisfação, nós vivemos na materialidade e lutamos constantemente pela realização pessoal, como um animal.

Se a conexão for zero, nós estamos quase no nível de transição entre um ser humano e os animais. Quando a nossa conexão é positivA, nós atingimos um grau completo, chamado Homem (Adam, da palavra “Domeh” – semelhante ao Criador). Nós passamos para uma função completamente oposta do dinheiro, medida não pelo quanto eu posso conseguir, mas por quanto posso dar.

O problema é como nós nos movemos do estado material para o estado espiritual. Essa é a transição que precisamos fazer com o dinheiro, onde ele vai se transformar em um equivalente de doação em vez de recepção.

MoneyPastPresentFuture_1

Nesse mundo, as coisas que nos preenchem estão sempre em mãos de outra pessoa. Assim, a fim de me satisfazer, eu tenho que pagar pelos prazeres. Esse mundo é apenas um jogo. No estado eterno estão os prazeres absolutos, satisfações, que também estão nas mãos do Mestre, o Criador, a natureza.

Como podemos obter esses prazeres? A sabedoria da Cabalá ensina isso. Essa sabedoria é nomeada da palavra “Lekabel” – “receber”. No entanto, receber é muito interessante. A Cabalá nos ensina que, assim como nesse mundo onde pagamos por aquilo que queremos, no mundo espiritual nós temos que pagar por aquilo que temos. Nada é dado de graça!

Então, com o que vamos pagar? Nós pagamos com os nossos desejos. O Criador define o preço para “infinitos prazeres” que estão disponíveis apenas sob uma condição: ser capaz de receber eternamente Dele. Em outras palavras, o tamanho do nosso desejo não deve ter limites. Até chegarmos a esse nível, o nosso desejo de receber é preenchido ou não preenchido, há prazer ou a ausência de prazer.

A lei nos leva a obter perpétua satisfação da existência além dos parâmetros desse plano material. ”Eu quero dar-lhe todo o universo, meu caro hóspede, se você poder consumir tudo isso!” – como se o anfitrião, o Criador, nos dissesse. Mas como podemos tornar os nossos desejos infinitos?

Em algum momento, depois de satisfazer todos os nossos desejos materiais, nós começamos a lidar com uma evolução qualitativa do desejo, ascendendo às necessidades e prazeres espirituais. Nesse ponto, a lei da equivalência de propriedades intervém.

Inicialmente, nós somos criados com “pequenos desejos”, os desejos deste mundo. Eles são limitados porque o preenchimento é limitado. Mas quando nos conectamos com a natureza, utilizando a metodologia da Cabalá, adquirimos grandes desejos, uma vez que conseguimos abraçar o Infinito. Eu sou satisfeito em prol de satisfazê-Lo.

Eu recebo para preenchê-Lo. Pois não há outro além Dele. Onde está o dinheiro na foto? Ela reflete vários estados entre nós. É uma enorme tela colocada entre as pessoas. O que nós pagamos ao Criador pelos imensos prazeres que Ele nos dá? O nosso pagamento é a nossa intenção de satisfazê-Lo ao aceitar Seus persentes. Tudo o que podemos fazer é retribuir-Lhe com a nossa atitude positiva para com ele.

No futuro, o dinheiro irá funcionar em sentido inverso; ele será usado para a doação. Nós vamos compartilhar realizações uns com os outros. Vamos investir plenamente na sociedade, que será o “banco” de esforços mútuos para prover uns aos outros a garantia mútua. Esse tipo de banco é chamado de alma. Nela nós vamos sentir o Criador mutuamente satisfazendo o outro sem parar.

MoneyPastPresentAndFuture

Do Webinar 27/03/16

Os Trabalhadores São Preguiçosos? A Solução Está No Círculo

laitman_600_02Nas Notícias (Russian Baazar): “Hoje, ninguém está trabalhando como 10 e mesmo 50 anos atrás – disse Dirk Samelson, dono de uma pequena lanchonete na Califórnia. “Eu estou no negócio há quase 70 anos e nunca vi um tal número de trabalhadores lentos. Limpadores, garçons, cozinheiros – eles estão constantemente distraídos com smartphones ou conversa fiada. Eu não sei o que está acontecendo com esse país”.

“A revolução tecnológica e a popularidade de dispositivos eletrônicos levaram a uma queda acentuada na produtividade do trabalho dos norte-americanos. As pessoas começaram a se mover mais lentamente, e o senso de responsabilidade e disciplina tem diminuído significativamente. Essa é a conclusão de especialistas na CareerBuilder Resource como resultado de uma pesquisa em larga escala de empregadores. Hoje, um em cada cinco gerentes acredita que seus subordinados se envolvem em atividades profissionais menos de 5 horas dentro de um dia normal de 8 horas. …

“Os empregadores se queixam que seus subordinados pegam seus smartphones a cada 15 – 20 minutos. Proibir o uso de telefones durante o horário comercial, não é bom. As pessoas ficam ofendidas ou facilmente descartam a regra ou fazem reivindicações discriminação às autoridades. …

“55% dos americanos usam smartphones durante o dia de trabalho. Na maioria das vezes eles usam a Internet, estudam o tempo, leem notícias, jogam, fazem compras, enviam mensagens SMS e reescrevem em redes sociais. Parar a prática de usar um smartphone é impossível porque os trabalhadores tentam fazer isso secretamente.

“39% dos funcionários gastam tempo em conversas banais. …

“Quase 27% dos trabalhadores têm uma atitude responsável com as suas funções, mas são constantemente interrompidos por outros colegas. Pessoas ocupadas estão sendo atraídas para a conversa, forçadas a discutir filmes e música, e assim por diante. Ao mesmo tempo, os americanos muitas vezes têm vergonha de pronunciar a frase “eu sinto muito, mas preciso trabalhar”, e ouvem obedientemente seus pares que não trabalham.

“Mais de 27% dos americanos abusam severamente dos intervalos, referidos como pausa para fumar (uma fumada) e intervalo do lanche (lanche). Uma pessoa realiza 5 – 6 dessas quebras diárias e perde pelo menos meia hora (o tempo oficial para o almoço não conta)”.

Meu Comentário: As pessoas não têm culpa; o egoísmo está em desenvolvimento e elas não têm escolha. A única solução é educar os trabalhadores de acordo com o método do círculo que a nossa organização tem desenvolvido. Consulte “a sabedoria do círculo”. Esse é um método que pode ser recomendado a todos.

Movimento Proposital

laitman_558Pergunta: Eu guardei dinheiro em um banco por 20 anos, mas devido a circunstâncias imprevistas, perdi tudo. Será que isso tem um significado espiritual?

Resposta: Há um significado para tudo. Tudo o que acontece no mundo é feito de acordo com um cálculo superior, “não há outro além Dele” (Deuteronômio 4:35)

Mais do que isso, esse cálculo não é realizado por um Deus na forma de um velho sentado acima calculando em um papel quem merece o quê. Em vez disso, tudo é feito e atualizado dentro da rede geral pela qual estamos ligados.

Nós estamos todos em um ego universal e nossa conexão comum dentro dele determina o destino pessoal de cada um de nós. Assim, quanto mais nós empurramos o mundo na direção das relações mútuas corretas, asseguramos uma progressão correta, segura e confortável para a revelação do bem, a realização do verdadeiro objetivo da vida.

Da Lição de Cabalá em Russo 27/03/16

A Nova Vida De Dólares Velhos

Comentário: O Federal Reserve dos EUA incorporou um novo sistema para processar notas de dólares que foram retiradas de circulação.

No passado, notas de dólares desgastadas eram enviadas para um aterro, mas ultimamente um novo sistema de reciclagem foi desenvolvido graças ao qual as notas são convertidas em solo. O produto é vendido aos agricultores e eles cultivam árvores, frutas e vegetais neste solo.

Resposta: É uma ideia muito boa transformar dinheiro em um fertilizante. Desta forma, há pelo menos algum uso para as notas de dólar

Comentário: Caso contrário, elas são a personificação do mal?

Resposta: O dinheiro em si não é mau. Isso é o equivalente natural de todos os nossos esforços mentais, físicos e morais. Você precisa pagar por tudo, para pesar tudo ou para trocar produtos ou serviços. É como trocar vários litros de leite por alguma máquina, ou por um pedaço de carne, ou por uma palestra.

Esta é a razão de o dinheiro ter sido inventado como equivalente geral para os produtos. No passado as pessoas usavam sal, ovelhas ou areia dourada, em vez de dinheiro. Mas não era um equivalente claro e não poderia resistir ao teste do tempo.

A palavra hebraica para o dinheiro “Kesef” deriva da raiz “Kissufim” ou uma tela, Masach, e simboliza a cobertura dos nossos desejos egoístas por uma tela. Assim, estamos dispostos a pagar para a realização de nossas necessidades.

Mas quando o dinheiro se torna inútil, podemos usá-lo em outro nível. Portanto, o dinheiro desce do nível do equivalente geral ao nível do solo, de modo que alguma coisa vai, pelo menos, crescer a partir dele.

[188989]

De KabTV “Noticias com Michael Laitman” 23/6/16

Material Relacionado:

Deus E O Dólar.

Será que o Mundo Necessita Do Dinheiro?

Dez Quilos De Esforço.

Cada Circunstância É Para Um Propósito Espiritual

laitman_628_4Pergunta: Por que algumas das pessoas são destinadas a ser pobres e outras ricos em nosso mundo?

Resposta: Pobreza, riqueza, saúde, doença, tudo o que o Criador envia, não depende de nós; cabe a nós aceitar isso como um fato.

Se você estudar a sabedoria da Cabalá, vai entender que todas as suas características e circunstâncias na vida são muito bem projetadas para você levar a cabo a sua missão, e através da conexão mútua com amigos, você vai criar sua alma, um Masach (tela) onde vai sentir o Criador.

Portanto, quando pensamentos sobre quão miserável você é dominá-lo em todos os tipos de circunstâncias, você deve saber que em cada momento dado o Criador envia-lhe a melhor condição possível para o avanço espiritual.

Da Lição de Cabalá em Russo 27/03/16

Cabalistas Não São Ascetas

laitman_565_01Pergunta: Existiram Cabalistas ricos e pobres, ou o caminho espiritual está condicionado ao ascetismo?

Resposta: O caminho espiritual não exige ascetismo.

No Talmude, há uma história sobre dois Cabalistas famosos que estavam olhando para Jerusalém de certa distância. Um disse para o outro: “Eu tenho dinheiro suficiente para fornecer calor para esta cidade por três anos”.

Isso era um monte de dinheiro, especialmente 2.500 anos atrás. O segundo respondeu: “Eu tenho tanto dinheiro que poderia fornecer luz por três anos”. Isto sugere que havia pessoas ricas entre os Cabalistas.

Um Cabalista deve trabalhar e ganhar dinheiro. Ao mesmo tempo, existe a proibição contra simplesmente dar tudo, exceto por uma caridade necessária. Portanto, as pessoas acumulavam uma grande quantidade de dinheiro que era doado principalmente para educação e conhecimento.

Os judeus são as únicas pessoas que nunca foram analfabetas. A educação universal, a abertura de escolas, sempre foi promovida e era a principal preocupação da população.

Da Lição de Cabalá em Russo 27/03/16