Textos na Categoria 'Economia'

Atual Produção De Alimentos Ameaça A Futura Escassez De Alimentos

Dr. Michael LaitmanNas Notícias (The Independent): “O mundo entrou numa era de pico de produção de comida, com uma série de artigos de consumo, desde milho e arroz a trigo e frango desacelerando o crescimento – com consequências potencialmente desastrosas para a alimentação do planeta.

“Nova pesquisa descobre que a oferta de 21 artigos de consumo, como ovos, carne, legumes e soja, já está começando a se reduzir a dinâmica, enquanto a população mundial continua a aumentar.

“O pico de produção refere-se ao ponto no qual o crescimento de uma cultura, ou de um animal, ou de outra fonte de alimento, começa a desacelerar, em vez do ponto em que, na verdade, a produção diminui. No entanto, ele é considerado como um sinal chave de que a dinâmica está sendo perdida e é normalmente apenas uma questão de tempo antes da produção deixar de progredir e, em alguns casos, começar a cair – embora não esteja claro quanto tempo o processo possa demorar.

“‘Apenas nove ou 10 espécies de plantas alimentam o mundo. Mas nós descobrimos que há um pico em todos esses recursos. Mesmo recursos renováveis ​​não vão durar para sempre”, disse Ralf Seppelt, do Centro Helmholtz.

“O pico simultâneo de culturas e gado vem de encontro a um pano de fundo de uma população em crescimento, que deve chegar a nove bilhões em 2050, exigindo que o mundo produza o dobro de comida que agora, de acordo com um estudo separado pela Academia de Ciências da Califórnia.

“‘Essa trajetória [da necessidade de dobrar a produção de alimentos] não é uma certeza, mas mais um aviso. Isso significa que temos que mudar a forma de comer e usar o alimento”, disse Jonathan Foley, diretor da Academia de Ciências da Califórnia”.

Meu Comentário: Quando há excesso de produção de alimentos no mundo e o único problema é a distribuição correta, a natureza vai nos levar para frente para a correção do nosso egoísmo por todos os meios possíveis: fome, clima, militar, social, terrorista, família, e todos os outros problemas. Surgirão tais problemas, cuja existência sequer suspeitamos.

Um Colapso Total Se Aproxima

Dr. Michael LaitmanOpinião (Gerald Celente, prognosticador de tendências americano, editor do Trends Journal, consultor de negócios): “Hoje, os principais prognosticadores de tendências do mundo falaram com o King World News sobre o porquê o chocante movimento suíço é apenas o início de uma crise mundial muito maior que levará ao pânico previsto que acontecerá em Wall Street e em todo o mundo em 2015.

“A humanidade está finalmente começando a entender que não há qualquer recuperação – tudo tem sido um encobrimento. A flexibilização quantitativa do dinheiro inundou o mundo e criou um mercado completamente falso. As dezenas de trilhões de dólares que foram injetados nos mercados globais não fizeram nada para melhorar a economia geral. Nós vemos um colapso global. Não há recuperação: tem sido um encobrimento”.

Meu Comentário: Este autor previu a crise de 2008. Nós não somos capazes de lidar com a crise porque pensamos que ela é puramente uma manifestação terrena, e que suas causas estão em nossos erros eco-político-sociais.

Mas a verdadeira causa da crise está nos nossos erros de cálculo do programa da natureza. Nossas relações com o outro e com o ambiente devem ser desenvolvidas para o estado de Adão (homem), a equivalência com a força superior da natureza e a propriedade de amor e doação. É a interação completa de toda a humanidade, na medida em que todas as partes da natureza nos níveis inanimado, vegetal e animal estão conectados uns com os outros.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) Não Pode Salvar Todos Os Países

laitman_222Opinião (N. Rubini, Economista): Nós temos que resolver os problemas associados com a dívida confiando em nós mesmos, em vez de enviar os problemas a um nível mais elevado. Entre outras razões, a crise das economias avançadas é desencadeada por uma dívida excessiva no setor privado – famílias, bancos e o setor empresarial. A crise financeira resultou numa dívida desproporcional ao nível dos governos regionais, municipais e nacionais.

O endividamento não é exclusivamente um problema europeu; ele também existe na economia chinesa e constitui 80% do seu PIB. A transferência da dívida para um nível superior não é uma solução legítima, uma vez que não há tal coisa como um “Ministério de Economia Cósmico” ou algum tipo de “Banco Central” que pode intervir e salvar a todos. Nós devemos parar de fingir que estamos resolvendo o problema quando, na verdade, estamos apenas adiando-o para uma data futura. As dificuldades que estamos enfrentando agora só vão aumentar no futuro e vamos finalmente bater numa parede que vai levar todas as economias a um fim.

Meu Comentário: O fato é que nenhum dos tomadores de decisão podem resolver a situação, porque a solução está numa nova percepção integral da sociedade e da economia. A crise vai obrigá-los a reavaliar sua atitude para com o mundo em vez de olhar através da panaceia de teorias obsoletas.

O Precariado – A Base Da Futura Sociedade

Dr. Michael LaitmanNas Notícias (Tolkovatel): “Na sociedade ocidental há um grupo social isolado, o precariado – um grupo desfavorecido não vinculado a qualquer estado ou sociedade. Dezenas de milhões de jovens caracterizam-se por apatia e ignorância.

“Eles viajam ao longo de países em busca de novas experiências e biscates. Nos países desenvolvidos, eles compõem metade da população.

“Não há nenhum meio (centro) na sociedade moderna: existem apenas as camadas superiores e inferiores. Na sociedade ocidental, distinguem-se cinco grupos de acordo com sua ocupação.

1. Elite – um grupo minúsculo dos ricos, influenciando os governos.

2. Assalariados – camada média superior, tem um emprego estável, funcionários de instituições governamentais.

3. Profissionais – empregados em uma base de contrato devido a suas habilidades.

4. O núcleo – a “velha” classe trabalhadora.

5. Precariado – socialmente não estabelecida, não ter nenhuma segurança no trabalho.

“Na Rússia, o precariado é de 40 milhões de indivíduos que são capazes de trabalhar e que estão empregados no mercado de trabalho informal.

“O país retirou-se da resolução dos problemas sociais; a população está se tornando mais selvagem; há uma falta de conhecimento e o desejo de se encaixar no mundo pós-industrial; o infantilismo dificulta o encaixe na sociedade; os jovens estão relutantes em tornar-se envolvidos na investigação científica; profissões científicas não são populares e há uma falta de interesse na ciência (nos EUA, profissões na ciência são uma das mais populares).

“O mundo inteiro se depara com um aumento no número de “pessoas indesejáveis”– o precariado. Este problema em particular, surgirá com a substituição de pessoas por máquinas na indústria e no mundo dos escritórios. Isto levará à destruição da economia do consumidor, que é a base do mundo de hoje, já que a maioria das pessoas não será capaz de continuar a consumir nos volumes atuais.

“A resposta para isso é mudar a formação – ou o início da Nova Idade Média ou o socialismo com um alto grau de igualitarismo”.

Meu Comentário: A repetição do passado é impossível e nunca aconteceu. Essas “pessoas indesejadas”, que são até 90% da população, vão passar pela educação integral e irão formar a base de uma nova sociedade.

A Europa Enfrenta Uma “Década Perdida”

laitman_231_01Opinião (George Soros, Financista, Le Monde): “Para os bancos, o grande problema… vai ser a próxima crise de crédito. A zona do euro e a moeda única europeia estão em risco; seu colapso seria um desastre para a UE e o mundo.

“A Europa chegará à criação de eurobonds, uma maior integração econômica e coordenação fiscal. Nós precisamos dar um novo impulso à ideia de uma Europa unida! Nós estamos testemunhando o nascimento de uma atitude hostil em relação à Europa. Soluções puramente nacionais levarão à dissolução da ideia europeia”.

Meu Comentário: Os financistas sugerem, mas a natureza tem seu próprio plano e tudo se move rumo à integração ao longo de seu caminho, não através dos capitalistas se unindo, mas da unidade necessária de pessoas num único organismo. A crise vai obrigar toda a humanidade a se unir, e não por uma questão de ganho material, mas por causa de uma vida equilibrada dentro de limites razoáveis ​​de consumo na comunidade mundial.

A Era Do Antiliberalismo

Dr. Michael LaitmanOpinião (Eugene Chernich, comentarista): “Havia uma aliança transatlântica entre os Rothschilds (um patrimônio de mais de 3,2 trilhões de dólares) e os Rockefellers (um trilhão a menos). Mas a família número um era a dos Baruchs. Talvez o seu estado financeiro fosse menor do que o dos Rothschilds e Rockefellers, mas a situação no topo da escada financeira global é maior e mais séria.

“Em 1613, eles criaram o Standard Chartered Bank – o banco dos bancos! O verdadeiro poder é o poder secreto. Os Rothschilds continuam a orientar a economia. O próximo passo é a remoção do ‘dinheiro jovem’, e esta perda vai adiar o colapso da economia mundial por 5-10 anos.

“Assim, as antigas famílias juntaram forças para remover os novatos financeiros. Em geral, o curso antiliberal está ganhando força na economia global. Um era completamente nova – a era do antiliberalismo – está sendo revelada diante de nossos olhos”.

Meu Comentário: O que quer que eles decidam em silêncio entre as famílias no topo, a natureza está levando a criação à equivalência com a força superior, a realização da propriedade de doação e amor. Isso vai acontecer, quer à força ou voluntariamente, e qualquer um pode escolher, desde os Rothschilds, Rockefellers e Baruchs, até o muito pobre!

Um Novo Império Global

Dr. Michael LaitmanOpinião (Yuval Noah Harari, autor de Sapiens: Uma Breve História da Humanidade e conferencista do Departamento de História, na Universidade Hebraica de Jerusalém): “A partir do século II d.C., a maioria dos povos viveu em impérios. No século XX, o ideal político dominante era o ideal do Estado-nação: soberano, e o povo era a fonte de todo o poder. O dever supremo do Estado era para defender os interesses da coletividade nacional.

“Assim, surgiu a ideia de que deve haver tantos Estados independentes quanto nações no mundo.

“No século XXI, o nacionalismo está perdendo terreno rapidamente. Impérios separados permanecem no passado. No futuro, as pessoas vão viver num único império mundial. Um governo unificado para toda a Terra nos espera no futuro próximo.

“Mais e mais pessoas estão chegando à conclusão de que a única fonte legítima do poder político é a humanidade, em vez de nações separadas, e que o principal objetivo da política deve ser os interesses de toda a raça humana e a defesa dos direitos humanos. Neste caso, a existência de 200 Estados-nação é um obstáculo.

“O mundo ainda está politicamente fragmentado, mas a verdadeira autonomia dos Estados-nação está diminuindo rapidamente. Nenhum país é capaz de conduzir uma política econômica independente, declarar guerra por um capricho, e até mesmo levar a cabo as suas próprias políticas internas.

“Os países são cada vez mais influenciados pelos mercados globais, corporações internacionais e ONGs, e a opinião pública internacional e o sistema judicial comum são cada vez mais influentes.

“Os Estados são obrigados a contar com os padrões internacionais de conduta financeira, política ambiental e justiça. Poderosos fluxos de capital, trabalho e informação estão se espalhando por todo o mundo, transformando-o, e as fronteiras e posições dos Estados-nação individuais têm menos importância.

“O império mundial está sendo criado diante de nossos olhos, e não será governado por um Estado separado ou grupo étnico – este novo mundo seria gerido pela elite multinacional e cultura comum e os interesses comuns juntará tudo isso”.

Meu Comentário: É gratificante ver como o conhecimento mais elevado começa a se assentar gradualmente nas mentes das pessoas de nosso mundo. A perspectiva correta do desenvolvimento está sendo revelada a eles, de acordo com o objetivo da natureza de trazer todas as suas partes a um todo sinérgico. Nosso destino depende de como nós podemos participar de forma sensata e ativa deste processo.

Previsão Econômica Mundial

Dr. Michael LaitmanOpinião (M. Khazin): “Durante 2014, o crescimento do PIB norte-americano foi divulgado; no entanto, ele foi exagerado.

“Para que um crescimento econômico seja estável e de longa duração, é necessário que a demanda do produto final (demanda das famílias) comece a aumentar. No entanto, essas despesas continuam a declinar.

“Todas as esperanças para parar a crise são em vão, e em 2015, a bolha do mercado de ações dos EUA entrará em colapso. A crise vai começar exatamente como em setembro de 2008, com uma queda acentuada dafonte de dados de estoque, e a estabilidade do sistema bancário vai se tornar questionável, cujos ativos vão desvalorizar fortemente, enquanto os passivos (obrigações) permanecerão.

“Outras opções:

  1. O EI vai derrubar o regime saudita e começará uma ‘campanha sunita’ conjunta contra Israel. Um duro golpe para as famílias, o setor real, e o papel do dólar vai subir acentuadamente. Os EUA vão entrar num estado de caos social e político.
  2. Os EUA e todo o sistema bancário mundial vão à falência, e não haverá nenhuma ajuda de qualquer lugar.
  3. A elite financeira vai começar uma emissão em massa de dólar, a fim de salvar o sistema financeiro. A principal consequência para a economia será a ruína das empresas.

“A destruição da OMC vai ser um duro golpe para a União Europeia, China, Japão e Coréia, que vendem muitos produtos de alta tecnologia nos EUA. Hoje, elitistas pró-americanos estão no poder nesses países. A destruição da principal fonte de renda associada com os EUA e o dólar vai causar uma devastadora desmontagem inter-elite.

“Contra-elitistas, apressando-se em seus escritórios, se concentrarão na independência nacional que se estenderá ao nacionalismo e anti-americanismo. Estes processos irão definir o rumo dos acontecimentos mais do que a crise econômica atual.

“A elite financeira não pode aceitar a responsabilidade pela crise, por isso vai criar uma ‘força maior’, utilizando o Islã nos países desenvolvidos e Oriente Médio.

“Há três abordagens para a ordem mundial: satisfatória, pouco satisfatória (que necessita de reforma), e insatisfatória (deve ser completamente destruída). O Islã político hoje não aceita compromissos e está pronto para lutar até o fim pela destruição da atual ordem mundial, na ausência de um programa positivo.

“Ao mesmo tempo, a crise econômica global aumenta os anseios do povo por justiça, especialmente aqueles que têm sofrido com a crise. E verifica-se que a única força hoje que oferece algo para o mundo é um Islã político. Portanto, em 2015, estamos à espera de um aumento dramático na influência do Islã político em todo o mundo, principalmente no Oriente Médio e na União Europeia”.

Meu Comentário: A imagem é incompleta porque o autor não leva em conta a finalidade do desenvolvimento humano, o aumento do nível de afinidade com o Criador no desejo de dar e amar. A natureza nos leva a um sofrimento ainda maior até que percebemos que não há escapatória e que devemos mudar a nossa natureza egoísta para uma altruísta, a fim de sobreviver.

Essa percepção depende da disseminação e masterização da Cabalá, o método de correção da nossa natureza, entre o povo de Israel, e depois em todo o mundo. Caso contrário, vamos voltar a nos encontrar novamente num período de sofrimento, e mais uma vez, ao longo das décadas, chegaremos a mesma escolha.

A Geração De Desempregados Da Europa

laitman_926_02Nas Notícias (de Today’s Zaman): “O desemprego dos jovens é uma preocupação particularmente séria, mesmo em países com outras estatísticas positivas sobre o emprego; em países com as piores condições no mercado de trabalho, isso representa uma fonte potencial de instabilidade social e política. A participação no mercado de trabalho não está ligada apenas aos níveis de renda, mas também à autoestima, inclusão social e status social…

“Na Espanha e Chipre, mais de 90 por cento das pessoas em cargos temporários não podem encontrar emprego permanente. …Além disso, embora a Suécia tenha uma das maiores taxas de emprego da UE, não foi capaz de resolver o seu problema de longa data do desemprego juvenil, que atualmente é de 23 por cento. Na Espanha e na Grécia, o desemprego dos jovens é superior a 50 por cento, e essa situação não é muito melhor em países como Chipre, Portugal, Itália e Croácia.

“Na UE como um todo, o desemprego dos jovens atingiu um desanimador 21,9 por cento em novembro. De acordo com um estudo, isso custa a UE 150 bilhões de euros (183 bilhões de dólares) por ano em salários perdidos e despesas, além do dano sofrido por muitos jovens que não conseguem encontrar trabalho”.

Meu Comentário: Não haverá trabalho, mas a contratação de desempregados depende dos governos. Emprego e trabalho não são a mesma coisa. As pessoas precisam estar ocupadas ou vão enlouquecer. Os judeus inventaram lições para si durante todo o tempo livre: estudo, educação.

Todos os desempregados devem ser enviados à “Escola da Vida” em turno intergal, para transformá-los numa massa educada que se torne responsável pela educação da geração mais jovem, alunos, que se tornarão os tutores de uma nova sociedade.

Justiça E Liberdade

Dr. Michael LaitmanOpinião (Petko Ganchev, professor e presidente do Centro de Geopolítica da Eurasia – Sofia): “… A verdadeira liberdade é inconcebível sem justiça e a verdadeira justiça é impossível sem liberdade. Se a liberdade é uma necessidade reconhecida, a justiça deve ser considerada não como igualdade em recompensar pessoas diferentes, mas como a igualdade de oportunidades.

“Assim, a verdadeira liberdade deve ser considerada como uma condição para a justiça, e a verdadeira justiça, como uma forma de exercício da liberdade.

“O capitalismo com sua liberdade do forte fornece uma oportunidade para o forte ganhar à custa do fraco e é uma sociedade injusto e não livre.

“O socialismo com sua justiça e liberdade para todos – um era livre, e todos os outros eram iguais em sua falta de liberdade – era uma sociedade totalitária. Ele não incentivava a livre iniciativa e por causa da incapacidade de realizar reformas radicais ele entrou em colapso.

“Se durante a Grande Depressão (1929-1933), a crise afetou apenas os países capitalistas desenvolvidos, agora a crise é global, porque todos os países do mundo estão conectados.

“A globalização contemporânea é um processo objetivo e natural, mas que ocorre de forma favorável ao mundo ocidental, principalmente para os Estados Unidos. Das 500 maiores empresas multinacionais no mundo, mais da metade são dos EUA. Todas as instituições mais importantes do mundo – FMI, Banco Mundial, OMC, OTAN – são ferramentas dos EUA, e a UE é o protetorado norte-americano.

“Na década de 1990, os EUA tentaram estabelecer um mundo unipolar, destríram todas as instituições e estruturas do Estado de bem-estar social e a economia social de mercado da UE, bem como todos os sistemas de proteção e justiça social dos antigos países socialistas. Como resultado, a crise económica e financeira mundial entrou em erupção em 2008, e não tem fim à vista.

“Como resultado, o mundo alcançou grandes ameaças e desafios, e é necessário salvar a civilização pela transição de um mundo unipolar para um multipolar: as Nações Unidas precisam assumir a gestão do mundo, com representação de todos os países através de um parlamento mundial.

“É um caminho longo e difícil, mas necessário. A salvação da humanidade está em suas próprias mãos, por isso temos que agir”.

Meu Comentário: Os desejos estão corretos, mas só é possível realizá-los sob a condição de uma mudança na natureza do homem de egoísta para altruísta. Novas propriedades de doação e amor vão nos dizer como agir. Caso contrário, vamos retornar ao terror do passado.