Textos na Categoria 'Economia'

Aprendendo Sobre A Vida

Laitman_407_01Comentário: Você disse que em breve os robôs substituirão as pessoas. O declínio no preço da energia leva ao fato de que cada objeto em breve valerá o preço da energia que leva para produzi-lo e será totalmente inútil, e, portanto, os robôs também se tornarão mais baratos.

Além disso, os robôs nos deixarão muito tempo livre e não teremos nada a fazer além de estudar como ser um ser humano e melhorar a tecnologia que nos deixará ainda mais tempo livre. Hoje a juventude americana está recebendo cada vez mais educação porque não consegue encontrar emprego e a educação lhes proporciona uma estrutura, um progresso, uma perspectiva pela qual eles vivem.

A tendência que você fala, que a humanidade começará a estudar como ser um ser humano, já começou.

Minha Resposta: Não estamos falando de estudar simplesmente para fazer robôs e computadores mais avançados. Nós queremos ensinar as pessoas para que elas entendam para que elas estão vivendo, por que o homem evolui, e para onde a evolução nos conduz, por que passamos por essas transformações e o que temos que alcançar no futuro.

Nós temos que perceber isso e olhar para todo o processo de cima, de uma perspectiva superior, não de dentro de nós mesmos, para estabelecer uma sociedade equilibrada agora e não por tentativa e erro, como fizemos no passado através do sofrimento, das revoluções e das guerras. Nós podemos usar tudo isso como um modelo e chegar à conclusão certa.

Comentário: A humanidade pode alcançar isso por conta própria. Os Cabalistas não precisam necessariamente guiá-la.

Minha Resposta: Não, se a humanidade for pelo caminho natural, será novamente um caminho de sofrimento terrível. Para que serve inventar máquinas mais sofisticadas que possam substituir as pessoas? O que acontecerá com bilhões de pessoas?

Comentário: Elas podem gastar seu tempo em um estudo contínuo da estrutura do mundo, geografia ou história, o que há de errado nisso? É melhor do que se sentar em casa ou se manifestar e enlouquecer nas ruas.

Minha Resposta: É inútil. Suponhamos que forcemos milhões de pessoas a estudar, o que lhes acontecerá no futuro? Uma pessoa não pode se envolver em algo que é inútil e que não sente que precisa. Afinal, ela não será capaz de usá-lo em lugar algum. Nós temos que ver um resultado benéfico, pelo menos algum retorno. Tais estudos não trarão nenhum ganho.

Pergunta: O que elas ganharão se virem ou estudarem o objetivo da vida e sobre ser um ser humano?

Resposta: Elas saberão que estão fazendo isso para ascender ao próximo nível de existência e começarão a sentir que existem em uma realidade diferente. Elas precisam aprender isso.

Pergunta: E se elas não tiverem nenhum desejo por isso?

Resposta: Nós podemos gradualmente desenvolvê-lo porque o broto desse desejo está em todos, mas em alguns está bem dentro, enquanto em outros está mais próximo da superfície. Nós podemos facilmente despertar essa centelha chamada “centelha do Criador” porque o sofrimento que decorre de não se saber o seu destino e o fato de que tudo vai acabar e que estamos enfrentando a morte existe em todos. Nós apenas os suprimimos. E aqui não precisamos suprimir nada; pelo contrário, devemos estimular a esperança e o progresso e escolher a vida em vez da morte. Nós oferecemos vida.

Cada indivíduo tem um elemento interno que lhe permite compreender o que é a vida verdadeira, eterna e perfeita ou a morte inevitável.

De KabTV “Notícias com Michael Laitman” 14/12/16

O Que Vai Ajudar O Mundo A Sair Do Impasse?

Laitman_115_06Pergunta do Facebook: Se a sabedoria da Cabalá é a única maneira de sair do impasse, e todos devem estudá-la, por que as pessoas ainda não estão tão ansiosas por ela? Existe uma maneira de sair do impasse no mundo com a ajuda da sabedoria da Cabalá?

Resposta: Sair do estado de impasse do mundo só é possível através da sabedoria da Cabalá, que explica como transcender o nosso egoísmo. Hoje o egoísmo está queimando lentamente; ele parou de funcionar. As pessoas se tornaram indiferentes a tudo. Dê-lhes algumas drogas e um pouco de comida e elas não precisam de mais nada. Elas não têm nada pelo que se esforçar.

O nível atual de desenvolvimento tem um fim preciso. Os indivíduos já descobriram isso há muitos anos e hoje isso está sendo descoberto pelas massas que não querem nada. Mesmo do ponto de vista do desenvolvimento industrial, não há escapatória para nós. A humanidade não precisa trabalhar porque as máquinas fabricam tudo. É possível alimentar, vestir e prover a todos com sapatos sem a participação de pessoas no processo de produção; elas podem obter tudo o que precisam para viver.

Ficará claro que o próximo nível de desenvolvimento não será por meio do uso do ego. Então, como vamos proceder? Para que existimos? O mundo está começando a perder sua força vital interna, porque se não houver combustível em forma de egoísmo, tudo se desintegrará: a família, a sociedade e a reciprocidade. E aqui a sabedoria da Cabalá vem para ajudar.

De webinar “O Ano Novo em Revisão” 26/12/16

Babilônia: O Segundo Round, Parte 1

Laitman_115_05Pergunta: A palavra “tribo” tem um tom primitivo e selvagem, mas, ao mesmo tempo, fala de uma conexão especial entre pessoas que foi perdida no mundo ocidental moderno.

Não é de se admirar que os livros de Sebastian Junger, jornalista, autor e cineasta americano, que viajou para os pontos mais perigosos do mundo, incluindo o Afeganistão e Sarajevo, tornaram-se tão populares.

Em seu retorno, ele relatou que o sentimento mais forte que trouxe de lá foi o senso de “tribo” e apoio mútuo. Acima de tudo, ele ficou impressionado com a paz e a confiança que sentia lá, apesar da guerra e dos tiros.

No entanto, quando ele voltou para casa em Nova York, começou a sofrer de medo e transtorno de estresse pós-traumático. Ele entendeu que enquanto estava na zona perigosa estava experimentando o sentimento especial de unidade que o protegia, e quando voltou para casa ficou deprimido devido à perda desse sentimento e o sentido de vazio interior.

O que nós, seres humanos, perdemos nos distanciando do “clã tribal”?

Resposta: A humanidade veio do ventre da natureza. Todos nós somos descendentes de um único casal que mais tarde se reproduziu uma e outra vez. Todos os casais que vieram do primeiro nunca se separaram. A conexão entre gerações, ou seja, entre pais, filhos e netos, foi preservada. Os pais amam seus filhos e até mais os seus netos e isso os une fortemente.

Nós não percebemos isso nos tempos modernos, mas as pessoas sentiam uma grande proximidade com seus parentes: tios, tias, primos, e assim por diante. Por natureza somos criados de tal maneira que teríamos continuado a viver juntos, se não fosse o nosso egoísmo que nos alienou e dividiu.

Quando o egoísmo crescente se mete entre nós, ele quebra nossas conexões naturais e as substitui por relações de negócios: “Vão e ganhem uns dos outros”. Então, em vez de estarmos conectados através dos corações, procuramos conectar nossos bolsos, a fim de ganhar mais.

Portanto, não estamos interessados ​​no calor dos nossos relacionamentos, mas apenas no tamanho do ganho ou da perda em nosso próprio benefício primitivo, direto e egoísta.

Portanto, não é de estranhar que hoje os filhos não sintam afeição por seus pais, mas se lembrem deles apenas na medida em que podem usá-los.

E os pais, por causa de seu grande egoísmo e da influência da sociedade, também não prestam muita atenção aos filhos; eles os enviam para serem educados na escola e em vários círculos. Quando o filho cresce, é solto na vida e, no melhor dos casos, os pais conversam com ele por telefone

Acontece que nós perdemos não apenas o sentido da tribo nativa, da grande família, mas também o sentido da família em geral, mesmo a mais pequena. Uma pessoa chega em casa do trabalho e não há ninguém lá. Ela se senta sozinha no trabalho em seu escritório e está sozinha em casa. Ela se comunica com o mundo através das telas do telefone, TV e computador e não precisa de ninguém ao seu redor.

Não entendemos o quanto nos rodeamos por quatro paredes frias como em uma “gaiola de ferro” que nos separa das conexões tribais nativas, da família, do contato humano, do calor e do engajamento.

Isso começou quando nosso egoísmo se tornou mais importante para nós do que os laços naturais entre nós. Isso começou milhares de anos atrás na antiga Babilônia e se espalhou pelo mundo. As pessoas começaram a perder o sentimento de unidade e conexão.

Na antiga Babilônia, viviam as pessoas que se compreendiam e se sentiam. No entanto, quando o egoísmo foi aceso, ele começou a dividir as pessoas em clãs familiares. Tantas nações diferentes apareceram. O egoísmo começou a demonstrar sua força de separação. Primeiro ele separou as pessoas em famílias, e em nossa época quebra os laços inclusive dentro da família, separando as pessoas umas das outras.

Nós estamos agora na segunda rodada da Torre de Babel. Na antiga Babilônia, as pessoas sentiam que estavam presas dentro de uma cidade, e hoje estamos trancados na Terra. O mesmo fenômeno retornou, mas agora a nível global.

De KabTV “Nova Vida” # 794 29/11/16

Ynet: “O Dia Em Que Os Robôs Assumirem O Mercado de Trabalho”

De minha coluna no Ynet: “O Dia Em Que Os Robôs Assumirem o Mercado de Trabalho”

Carros Autônomos que são movidos por si mesmos, impressoras tridimensionais e supermercados informatizados, sem caixas; o que farão taxistas, vendedores, e todas as outras pessoas que têm profissões que desaparecerão? Como vamos encher o nosso dia depois descobrirmos que nosso local de trabalho foi fechado? Rav Laitman apresenta o cenário esperado de mudanças na sociedade do futuro para as quais devemos nos preparar.

Em 2025, o mundo será totalmente diferente. Sofisticadas máquinas e computadores assumirão a força de trabalho. Carros robóticos que dirigem por si só irão substituir caminhoneiros, taxistas e motoristas de ônibus. Do mesmo modo, não precisaremos de bancos, e profissões como caixas e outros prestadores de serviços, irão provavelmente desaparecer do mundo. Ainda precisaremos de pessoal para operar os sistemas informatizados, mas exigirá poucas pessoas. A conclusão é simples: a maioria dos trabalhadores de hoje encontrar-se-ão sem meios de subsistência.

Se tais cenários soam como um trailer de filme de ficção científica, aqui estão alguns dados. O instituto de pesquisa Gartner prevê que até o final de 2020, cerca de 50 bilhões ferramentas, objetos e pessoas são esperadas para estarem conectadas à Internet. O mundo será conectado por formatos semelhantes a cidades inteligentes; vamos todos viver em casas inteligentes, e as máquinas que saberão como transmitir informações entre si e dar ordens para as outras sem qualquer contato humano serão parte de nossas vidas diárias. Esta revolução tecnológica é chamada de Internet das Coisas (Internet of things).

Junto com o local de trabalho, que é como uma segunda casa para nós, hoje, os salários, em sua forma familiar desaparecerão, o dinheiro, o que nos dá um incentivo para levantar de manhã, nos põe juntos, e obriga-nos a ganhar a vida através das conexões entre nós. Qual será a nossa futura fonte de renda? O que acontecerá com os nossos salários?

[Leia mais →]

Nova Vida # 336 – Resolução De Conflitos No Local De Trabalho, Parte 2

4

Nova Vida # 336 – Resolução De Conflitos No Trabalho, Parte 2
Dr. Michael Laitman em conversa com Oren Levi e Tal Mandelbaum ben Moshe

Resumo

Conflitos no local de trabalho prejudicam o sucesso do negócio e são irradiados para todos os nossos relacionamentos e para a nossa saúde. Quais são os estágios de criação de uma conexão e uma abordagem integral em uma organização?

Qual é o papel da gerência durante o processo de construção das conexões entre os membros da equipe? Os gerentes participam exatamente como todo mundo. O objetivo é criar um ambiente familiar na organização.

A natureza do homem é explorada: quão egoísta ela é, e como todo mundo quer pisar nos outros. Discute-se como o ego destrói a nós e a nossa saúde. Relacionamentos ruins no trabalho tornam uma pessoa nervosa e isso é levado para a vida em casa e arruína o humor da família.

Nós chegamos ao reconhecimento do mal geral e pessoal. A partir disso, o desejo de construir algo novo será construído.

Em um workshop de conexão, os gerentes participam como todos os outros, são iguais a todos e dão exemplos aos outros.

Não estamos tentando resolver problemas específicos entre as pessoas, mas estamos construindo conexões. Tudo será resolvido dentro disso.

Há preparação para os workshops de emergência a serem realizados se um argumento irrompe durante a semana. Todos se reúnem em um círculo para falar sobre como o ego reage em cada um de nós e é natural. E todos no círculo se conectam. Não nos relacionamos com o argumento em si, mas falamos em generalidades. De dentro da atmosfera que é criada, a tensão diminuirá. Se um bom ambiente for criado, os argumentos e explosões serão reduzidos.

De KabTV “Nova Vida # 336 – Resolução de Conflitos no Ambiente de Trabalho Parte 2″, 01/04/14

Nova Vida # 801 – Do Capitalismo Ao Socialismo

Nova Vida # 801 – Do Capitalismo Ao Socialismo
Dr. Michael Laitman em conversa com Oren Levi e Nitzah Mazoz

Resumo

Nós estamos nos aproximando do fim da era do neoliberalismo, o capitalismo vai desaparecer e as pessoas não serão mais ricas.

No futuro, as pessoas não receberão satisfação do dinheiro, mas de algo integral e eterno. A natureza está nos dirigindo a se desenvolver rumo a uma forma nova e ilimitada de existência. Alguém que esteja preocupado com o bem comum será considerado uma pessoa mais desenvolvida. A competição será no campo da doação à sociedade: quem doar mais à sociedade, será mais respeitado.

Desta forma, cada um terá a mesma oportunidade de doar e se desenvolver sem barreiras e sentimentos de privação. A sabedoria da Cabalá ensina como se mover para o próximo estado da sociedade em que a pessoa vai gostar de beneficiar os outros.

De KabTV “Nova Vida # 801 – Do Capitalismo Ao Socialismo”, 08/12/16

As Previsões de Marx Tornam-se Realidade, Parte 9

laitman_229Num futuro próximo, os desempregados em todo o mundo totalizarão 80% da população mundial. A fim de tranquilizá-los de alguma forma sem levar essa situação crítica ao ponto de uma nova guerra mundial, é necessário primeiro proporcionar-lhes uma renda adequada, o que deve ser feito de qualquer forma.

Em segundo lugar, nós temos que lhes proporcionar uma educação integral. Deixe-os se sentar e aprender a se unir. O mundo de hoje não precisa de mais nada. E assim ele vai subir até atingir um nível espiritual, e as sensações físicas em geral começarão a desaparecer.

Pergunta: Mas a mudança não deve vir de cima? Será que a elite quer ouvir isso?

Resposta: Aqueles que estão no topo estarão interessados nessas mudanças, porque o medo de que motins possam começar vai obrigá-los a ouvir.

Afinal, cada americano desempregado mantém duas ou três armas em casa. Eles podem começar a fazer motins amanhă. Portanto, a elite deve estar muito interessada em organizar um sistema de educação integral e proporcionar um rendimento adequado a toda a população do Cinturão da Ferrugem (Rust Belt) Americano.

O combustível egoísta queimou completamente. O mundo parou de obter prazer egoísta da vida e está procurando novas oportunidades. No final, isso nos levará à necessidade de uma educação integral.

Espalhar a educação integral é a realização mais precisa da sabedoria da Cabalá na última geração. Não há nenhum outro trabalho que seja dirigido com maior precisão à finalidade da criação e à força superior.

Todas as teorias abstratas não são nada em comparação com esse trabalho prático de organizar as pessoas em uma escala maciça para que elas se unam ao menos um pouco e comecem a revelar a força positiva entre si. Isso vai causar enormes mudanças positivas, não apenas na sociedade humana, mas no sistema superior que afeta o mundo inteiro.

De KabTV “Conversa Sobre a Situação Mundial Atual” 02/12/16

As Previsões De Marx Tornam-se Realidade, Parte 8

laitman_547_05A elite rica deve entender que está criando uma bomba-relógio de pelo menos metade da população, e a cada dia esse número cresce. A bomba são os desempregados que estão se tornando desesperados.

Eles não são estudantes que vão às ruas nas grandes cidades para criar um tumulto em apoio à Hillary Clinton. São cidadãos sérios e chefes de família.

A elite, na verdade, está sentada no detonador, porque os desempregados não têm nada a perder. Eles são silenciosos até um certo limite, mas em algum momento vão explodir. Até agora tudo aconteceu através da disputa eleitoral entre Trump e Clinton. Mas amanhã tudo pode mudar; afinal, cada família mantém duas a três armas em casa.

Uma pessoa que perdeu toda a esperança em uma vida normal para si e para seus filhos é muito perigosa. Portanto, eu aconselho investir nessas pessoas para torná-las bons cidadãos e ensiná-las a se conectar. Isso vai custar muito menos do que suprimir distúrbios e restaurar a ordem.

Nós devemos perceber que metade do país não concorda em continuar na velha forma, e deve ser apaziguada de alguma maneira. Isso é possível através da educação integral por alguns bilhões de dólares, o que não é nada comparado com os custos que seriam necessários no caso de um motim.

Hoje é necessário gastar dinheiro com agentes policiais e de segurança; nada disso será necessário. Nós teremos uma população boa, pacífica e silenciosa que não põe em perigo a nossa vida futura e permite que todos vivam calmamente no nosso país.

Essa educação será como uma pastilha calmante para eles. Caso contrário, não seremos capazes de fazer nada com eles. É impossível fornecer um trabalho a todos. Todos os dias aumentará o número de desempregados. E o que a elite fará? Hoje as pessoas votaram em Trump, mas amanhã podem começar a agir com mais firmeza. Na verdade, a Ku Klux Klan poderia ascender, começar a fazer uma confusão terrível e queimar a todos.

Portanto, eu ofereço a educação integral: uma boa maneira que não custará quase nada. Ela deve se tornar um programa nacional para melhorar a saúde da sociedade e suas seções mais baixas e mais fracas. Não as encorajo a levantar-se para uma revolução e construir o comunismo, liquidando a classe alta. Mas é necessário acalmar os desempregados que estão sem trabalho por causa da revolução tecnológica.

Isso acontece em todos os países, mesmo em países não muito desenvolvidos. Hoje ninguém precisa de uma força de trabalho. Então o que deve ser feito com o excesso de trabalho? Essas pessoas são um fardo pesado e uma ameaça real para o país. Elas devem ser mantidas a um certo nível de modo que permaneçam seres humanos. Caso contrário, toda a América será preenchida com cidades fantasma abandonadas.

Quem votou em Trump? Ex-trabalhadores, trabalhadores da indústria pesada do “Rust Belt” (Cinturão da Ferrugem) da América que ficaram sem empregos. Mas o que ele pode dar a eles? Nada, já que obviamente de todos os seus planos nada vai funcionar. Que fábricas ele pode trazer de volta para os EUA? Nenhuma! Isso significa que ele vai criar locais de trabalho falsos, a fim de manter as pessoas ocupadas; elas vão produzir alguma coisa e depois descartá-la.

Hoje já existem muitas empresas que operam sobre esse princípio. Os enormes armazéns são preenchidos com produtos inúteis. Nosso mundo assumiu uma forma totalmente desfigurada. Assim, será melhor acalmar as pessoas e dar-lhes educação integral para que elas se satisfaçam com suas vidas.

De KabTV “Uma Conversa sobre a Situação Atual no Mundo” 02/12/16

Dia Mundial Da AIDS

laitman_547_05Comentário: O dia 1º de Dezembro é o Dia Mundial da AIDS. O vírus HIV, que causa a AIDS, foi descoberto pela primeira vez em 1981 e desde então grandes esforços têm sido feitos para encontrar uma cura ou uma vacina para esta doença que ainda é incurável.

Resposta: Há muitos “truques sujos” preparados para a humanidade lidar com eles.

Quando as doenças se manifestam? Assim que há conflitos egoístas entre nós, quando usamos o egoísmo que acaba de ser revelado em suas formas mais odiosas, baseado no ressentimento que sentimos uns pelos outros, nos é mostrada imediatamente uma resposta semelhante.

Essa resposta desce do nível espiritual ao nível das nossas relações mútuas, ao nível corpóreo, e revela-se sob a forma da AIDS e de muitos outros problemas infecciosos que se espalham pela humanidade. De repente, doenças que pensávamos que estivessem erradicadas há muito tempo, emergem.

Pergunta: Você vê uma correlação entre os problemas que emergem e a evolução egoísta da humanidade?

Resposta: Sim, absolutamente. Não posso dizer exatamente como isso será revelado, mas é claro que se houver um novo egoísmo e não o corrigirmos a tempo, ele nos levará a esses resultados em nosso nível.

Pergunta: Nós podemos combater doenças com medicação?

Resposta: Podemos até certo ponto. Temos que fazer grandes esforços e investir grandes recursos para, de alguma forma, suavizar o golpe no mundo corpóreo, que no nível espiritual pode ser feito de uma só vez.

Uma gota do remédio no nível espiritual age quase imediatamente, enquanto que no nível corpóreo, envolve gastar bilhões de dólares. De qualquer forma, é uma violação do equilíbrio da natureza

De KabTV “Notícias com Michael Laitman” 30/11/16

Resumindo 2016: Economia

 Pergunta: O ano de 2016 não foi fácil para a economia mundial, mas o mundo de alguma forma sobreviveu. Tudo começou com o grande drama em torno da China e o temor de que ela iria afundar, perdendo todo o seu antigo auge, e que iria arrastar o mundo inteiro com ela para o abismo.

Depois, a situação dramática continuou na Europa com a votação do “Brexit”. Ninguém entendeu suas consequências, temendo o colapso dos grandes bancos e de todo o sistema bancário. Os eventos dramáticos se seguiram um após o outro.

Mas, por outro lado, apesar de toda a turbulência econômica e uma sensação de que o método atual se esgotou, em termos de economia, 2016 não foi ruim. A economia mundial está fora da crise e o desemprego diminuiu.

Nós tratamos os pequenos sintomas da doença sem tocar em sua base e conseguimos sobreviver mais um ano. Como você pode explicar que todos os anos parece que esse é o fim da abordagem econômica existente, mas o mundo continua vivendo assim ano após ano e nada muda?

Resposta: Isso só prova que os economistas não podem mudar nada. Eles só pensam que através de seus jogos nos mercados de ações e bancos, determinam a vida do mundo. O mundo continuará a sobreviver, porque o problema não está na economia, mas na relação entre as pessoas.

Portanto, eu não acho que devemos nos preocupar com a economia. Bem, mesmo se houvesse outro colapso como em 2008 ou uma desvalorização de 20 a 30% em todo o mundo, e daí? Os bancos vão roubar mais alguns bilhões dos pobres e cobrir sua falta.

Pergunta: Os economistas dizem que o modelo com base no lucro falha em todo o mundo. A expectativa de vida aumenta, o número de locais de trabalho é reduzido drasticamente, e os robôs nos levam a se aposentar. Mas não há soluções possíveis para esses problemas. Já há discussões sobre a introdução de uma renda universal garantida. Então, para onde o mundo está indo?

Resposta: Os economistas terão que levar tudo isso em consideração, e fará parte da nova economia.

Pergunta: Por que há tantas pessoas otimistas após a eleição de Donald Trump como presidente dos Estados Unidos e esperançosas de uma mudança positiva?

Resposta: Porque Trump é um homem versado em negócios. Ele sabe como fazer negócios e se refere ao mundo como um negócio privado.

Os economistas gritam que a economia mundial está à beira do colapso, mas ninguém quer cuidar do mundo inteiro. A economia se tornou integral em todo o mundo. No entanto, eles não podem trabalhar juntos para ver o mundo inteiro como um lar, como sua família, como um único país, uma única sociedade, e começar a cuidar dela adequadamente.

Em vez disso, eles realizam cálculos insignificantes: “Eu estou aqui, e você está lá fora”, mas isso não funciona mais. Existe uma contradição. Por um lado, a economia deve ser uniforme em todo o mundo, e por outro lado, os economistas são incapazes de pensar de forma global.

Em outras palavras, os economistas são o problema. Como os convertemos em pessoas com uma visão ampla do mundo, não apenas de seus bolsos? Caso contrário, amanhã, eles vão perder inclusive o que têm em seus bolsos.

Pergunta: Em 2016, nós testemunhamos o colapso econômico de países inteiros (Venezuela), a denominação da moeda e extração de notas de circulação (Índia), e os problemas econômicos da Grécia. Como isso afetará as pessoas?

Resposta: Isso vai atingir a todos, até mesmo os bilionários que, de repente, vão achar que não lhes resta nada de todos os seus bilhões. Se a América tem uma enorme dívida pública, como ela pode ser coberta? Digamos que é necessário pagar a dívida hoje, então quantos bilhões serão deixados no mundo?

Pergunta: É impossível saldar a dívida dos EUA, mas ninguém está exigindo isso. Todo mundo está confiando no dólar dos EUA e, portanto, não estão pedindo o reembolso da dívida.

Resposta: No entanto, se eles equilibrassem a economia e reduzissem a dívida para zero, cada dólar provavelmente seria no valor de 50 centavos ou menos. Assim, tudo isso é uma ficção.

Pergunta: Se tal empresário como Trump chegou ao poder, isso aceleraria ou, pelo contrário, retardaria o processo de correção e o reconhecimento do mal?

Resposta: Eu acho que Trump quer colocar tudo em ordem. Afinal de contas, ele entende que no mundo de hoje, todos são muito dependentes uns dos outros: China, Índia, EUA, Brasil e Rússia. É uma vasta rede econômica que ninguém pode se livrar dela.

Pergunta: Mas se eu sou John de Wisconsin e Trump organiza tudo, eu não tenho motivação para mudar a minha vida. No entanto, estávamos falando sobre o processo de correção e o reconhecimento do mal, sobre a mudança para novos relacionamentos e uma nova economia.

Resposta: John de Wisconsin não precisa mudar, mas Chaim de Jerusalém deve. Chaim e Sarah de Jerusalém são obrigados a mudar, e então John de Wisconsin também vai mudar, juntamente com Fritz de Berlim, e Jack de Londres.

O problema é como Trump vai pressionar Israel para que ele finalmente comece a se envolver na correção espiritual. A correção espiritual deve ocorrer em Israel, a correção financeira na América, e então tudo ficará bem.

Da Discussão Resumindo 2016 25/12/16