Textos na Categoria 'Crianças'

Educação É O Problema Da Humanidade

220Pergunta: No mundo moderno precisamos educar antes de tudo a sociedade circundante e não o indivíduo?

Resposta: Precisamos mudar urgentemente os meios de comunicação de massa. Este é um trabalho muito difícil porque leva à maior revolução em todos os níveis. Absolutamente em todos os níveis.

Os meios de comunicação de massa passam certas políticas de cada país para uma pessoa. Entendemos que mudá-la pode impactar grandes mudanças na sociedade.

Comentário: Naturalmente. Se a sociedade e suas leis são egoístas, quando todo mundo pensa apenas em como arrebatar algo para si, então a mídia também é construída sobre o mesmo princípio.

Minha Resposta: Não substitua um pelo outro e não os troque. É porque a mídia é carregada e direcionada às pessoas dessa maneira que as pessoas são assim, e não o contrário.

De fato, uma pessoa é inicialmente egoísta, mas são os meios de comunicação de massa que a ensinam a usar seu egoísmo. Ninguém mais. O ambiente, não os pais.

No entanto, se os pais também agem mal, é apenas porque foram ensinados dessa maneira, eles viram esses exemplos. Uma pessoa é criada apenas por exemplos, como dizem: “Você se deita com cachorros, acorda com pulgas”. Portanto, temos que levar em conta que, se quisermos mudar alguma coisa, precisamos mudar o ambiente. Basicamente, o que mais precisamos além de melhorar uma pessoa? Nada mais.

Para fazer isso, você precisa mudar o ambiente ao redor de uma pessoa. Dê-lhe os exemplos certos, não pela força, mas para que ela esteja cercado por eles. Então ela vai ter que mudar.

Se encorajarmos maus exemplos, acabaremos com uma sociedade terrível. Eu assisto a programas de TV e eles me assustam. Esta é a sociedade do futuro!

A maioria dos programas não fala sobre nada além de assassinatos e investigações. Tudo gira em torno disso. Não há mais nada. Eles praticamente acostumam as pessoas ao fato de que vivem nesse ambiente e devem se adequar a ele.

Certa vez fiz um relatório sobre isso em Arosa, Suíça, no famoso World Spirit Forum. Fui aplaudido, e isso foi o fim. O que mais eles podem fazer? Este é um problema enorme. As pessoas não têm problemas além da educação. Tudo depende da educação.

Se pegássemos a geração de hoje e pudéssemos educá-la bem, então em 10 ou 15 anos teríamos uma sociedade normal, uma civilização completamente diferente.

Por que não podemos perceber que podemos fazer isso, pelo bem de nossos filhos? Vamos criar uma boa sociedade para eles. Vamos tornar o mundo completamente diferente, e eles se tornarão diferentes.

De KabTV, “Close-Up. Fora da Lei”, 19/12/10

O Que A Mídia De Massa Nos Ensina

272Pergunta: O limite de idade para responder por crimes está diminuindo gradualmente. Em alguns países, os adolescentes são responsáveis desde os 12 anos de idade. Mas vemos que, apesar de esta bairreira estar constantemente baixando, nada ajuda. A criminalidade está crescendo particularmente entre os adolescentes.

Por que isso está acontecendo? Do ponto de vista da Cabalá, uma pessoa com 14 anos já é uma pessoa realizada? É possível mudar alguma coisa?

Resposta: E quanto aos 40 anos? Isso não é uma pessoa pronta? Tudo depende da formação da pessoa. Se uma pessoa é criada na África, na natureza, em seu clã entre adultos, aos nove ou 10 anos ela já é um homem adulto. Ela entende como os outros agem, todos os seus estados, todas as suas relações, e se comporta da mesma forma que eles neste mundo, o que é natural para ela.

Se em nosso mundo tanto uma criança quanto um adulto aprendem relações e ações completamente artificiais da tela da televisão e circunstâncias e condições irreais são mostradas a eles, eles não sabem em que tipo de mundo estão. Eles saem e repetem as mesmas cenas que viram na televisão. Como resultado, mesmo aos 20, 30 e 40 anos, é tudo igual.

Eu olho para as pessoas nas ruas, elas tocam o que ouvem no rádio, veem na televisão. Apenas repetem o que a mídia lhes dá. É possível chamar essas pessoas de adultos responsáveis por suas ações? Não!

Você pode conversar com elas e ver o quanto elas vivem automaticamente porque é assim que todos vivem. Elas nem pensam nisso. Não lhes foi dito que é possível viver de outra forma.

Tudo depende da educação de uma pessoa, da medida de sua independência e consciência do que está fazendo.

Nossa educação atual visa ensinar uma pessoa a ficar na tela da TV e aprender apenas com ela como agir, falar, pensar e assim por diante. E o que podemos exigir dela? Exatamente o que damos a ela.

De KabTV, “Close-Up. Fora da Lei”, 19/12/10

A Bondade Pode Fazer Milagres

283.01Comentário: Em programa de TV sobre o tema processos judiciais e questões de punição, um participante exigiu sanções ainda mais duras. Mas seu oponente observou que já esgotamos todas as possibilidades que temos e descobrimos que isso não ajuda em nada.

Obviamente, não levamos em conta algum tipo de componente humano, a natureza humana, estamos fazendo algo errado se nenhum aumento de punição pode levar a alguma coisa.

Minha Resposta: A bondade pode fazer milagres, é uma grande força. Confiar na força e na pressão só leva ao nazismo, fascismo, ditadura e violência e, como resultado, à degeneração da sociedade. Torna-se uma sociedade de animais selvagens.

Não apenas animais, mas animais selvagens.

Não imagino outro futuro para tal sociedade além de sua degradação, até a autodestruição.

De KabTV, “Close-Up. Fora da Lei”, 19/12/10

Precisamos Jogar A Vida

962.4Comentário: Cientistas do Brasil, Espanha e Reino Unido observaram um grupo de bugios nas florestas do México e Costa Rica. Estes são macacos que levam um estilo de vida de baixa atividade, e o principal para eles é não se mover. São herbívoros, alimentam-se de folhas. No entanto, eles jogam ativamente.

Os cientistas pensaram: “Por que eles desperdiçariam energia e jogariam (brincariam)?” Eles realizaram experimentos e descobriram que os macacos fazem isso para reduzir a tensão e evitar disputas e conflitos. Eles os evitam com a ajuda de um jogo.

Minha Resposta: Isso é o que precisamos aprender.

Pergunta: Ou seja, eles estão em tal nível: agora vamos entrar em conflito, depois vamos nos odiar – não, é melhor jogarmos. Você acha que este é o caso?

Resposta: É assim. É muito legal e interessante! Muitos animais têm esse jogo.

Veja o quanto eles nadam, fazem alguma coisa, jogam todos os tipos de jogos – bastante sérios, perigosos e arriscados – mesmo na velhice. E tudo isso para substituir seus conflitos por ela.

Pergunta: O que é isso, se extrapolarmos isso para a humanidade? O que a humanidade deve decidir neste caso? Que jogo devemos jogar?

Resposta: O que você quiser. Desde que seja um jogo que substitua todos os conflitos reais.

Pergunta: E ainda, em que tipo de jogo você guiaria a humanidade?

Resposta: Eu faria para que a humanidade jogasse que trabalha, ganha, constrói e compete. Em geral, toda a nossa vida é apenas para que finalmente a vejamos como um jogo.

Comentário: Ou seja, eu vou trabalhar, me comunico com todo mundo.

Minha Resposta: Eu compito em tudo, verifico o que meu vizinho tem, o que eu tenho e assim por diante. Mas é um jogo.

Pergunta: O que isso nos dá?

Resposta: Para que depois eu possa resetar a conta, zerar, e como se fosse recomeçar.

Pergunta: Isso nos impediria de discussões sérias?

Resposta: Sim. Jogaríamos nossa vida. “O que é a nossa vida? Um jogo”. Assim, devemos fazer disso um jogo.

Comentário: Foi-nos dito: “Você está jogando a vida! Você deveria viver de verdade.” Agora acontece que tudo está ao contrário, temos que jogar a vida. Então eu apenas jogo todas essas brigas e discussões.

Minha Resposta: Claro. Nós as perceberíamos de maneira diferente, sentiríamos tudo de maneira diferente, construiríamos esse jogo de maneira diferente.

Pergunta: O que queremos alcançar neste jogo? Isso é algo que devemos ter em mente?

Resposta: Sim. Não o resultado do jogo em si, mas a que chegamos como resultado: ao fato de que há uma compreensão do significado da interação entre nós.

Pergunta: Qual é?

Resposta: A revelação das forças da natureza que nos torcem assim e nos levam a este jogo.

Pergunta: E se eu revelar que realmente estou dentro da lei da natureza?

Resposta: Você verá como a natureza brinca com você e realmente dirá que nossa vida é um jogo.

Pergunta: Se eu vir que estou realmente dentro do sistema – como dizem, a matriz – e tudo o que está acontecendo comigo é o que essa matriz quer, o que ela me dará?

Resposta: Ela lhe dará a oportunidade de entender o que é esse mecanismo do qual você participa e o que você pode fazer para descobrir e entendê-lo. Afinal, ele existe por algum motivo. É para alguma mente superior ou para você?

Pergunta: E o mais importante é que meus pensamentos sejam direcionados para isso?

Resposta: Sim.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 21/03/22

Dez Razões Pelas Quais As Crianças Não Querem Ir À Escola

599.02Pergunta: Um aluno de 11 anos listou dez razões pelas quais as crianças não querem ir à escola. Gostaria de ouvir sua opinião sobre cada uma dessas razões.

A primeira razão é o professor. Quando você chega à escola, imediatamente tentam incutir o medo do professor nos alunos. Deve-se ter medo do professor? Ou é necessário substituir esse medo por alguma outra palavra?

Resposta: Eu tive uma professora primária muito gentil e jovem, Iraida Konstantinovna.

Pergunta: Por alguma razão, lembramos de nossos primeiros professores. É como o primeiro amor?

Resposta: Sim. Portanto, não sei como posso odiar ou temer tal pessoa. Ela era apenas uma amiga, uma amiga sênior, uma conselheira. Ela cuidou de nós. Esta é a melhor atitude para com a criança.

Pergunta: Então, quando um aluno escreve que há dez razões pelas quais eu não quero ir à escola e a primeira razão é o professor porque aprendemos a ter medo dele, esta é realmente a primeira razão?

Resposta: É possível que esta seja a educação de hoje. Nós não tivemos isso. Nós a apreciávamos e a amávamos como uma grande amiga ou até mesmo uma mãe.

Comentário: Significa que um professor deve ser um amigo.

Minha Resposta: Sim. Apenas isso. Estamos falando de crianças pequenas.

Comentário: A segunda razão é o medo das notas. Eles incutem o medo das notas, e depois o medo da punição dos pais na frente do diretor da escola, e assim por diante.

Minha Resposta: A nota em si não significa nada. Mas o medo da punição, é claro, significa muito.

Pergunta: As notas são mesmo necessárias?

Resposta: Em princípio, as notas não são necessárias. Precisamos de uma escola que ensine a atitude correta em relação ao mundo, à vida, aos amigos, aos professores e aos pais. E não precisa das notas que lhe são dadas quando você aprende, mas sim das notas que você dá a si mesmo.

Pergunta: Você pode fazer tais exigências até mesmo para uma criança pequena?

Resposta: Devemos nos esforçar para isso. Explique isso para que eles mesmos atribuam essas notas nas disciplinas, nos livros didáticos, em seus supervisores e assim por diante.

Comentário: Uma criança pode dizer: “Hoje eu estava fora de forma para alguma coisa. Eu deveria ter lido, trabalhado um pouco”.

Minha Resposta: Isso é bom.

Pergunta: Medo dos erros, as escolas não ensinam que erros podem e devem ser cometidos. Este é um menino de 11 anos falando. Você acha que erros devem ser cometidos?

Resposta: Concordo com ele.

Pergunta: Então um erro é uma coisa importante? É preciso cometer erros?

Resposta: É inevitável.

Pergunta: E se eu estiver errado?

Resposta: Está tudo bem. Vou consertar isso, vou aprender ainda mais com isso do que com o fato de ter feito algo sem erro.

Pergunta: Então é ainda mais importante do que se você se mover inconfundivelmente?

Resposta: Cometemos erros e nos corrigimos o tempo todo; cometemos erros e nos corrigimos.

Comentário: Quarto: trollagem, zombaria dos colegas. Muitas vezes é culpa dos professores que fazem as crianças parecerem ridículas. Isso é um golpe no “eu” da criança…

Minha Resposta: É preciso ensinar à criança que se estamos em tal sociedade, como nos relacionarmos adequadamente com a sociedade, com o meio ambiente, explicar a ela que é possível, que é e será até corrigirmos nossa natureza, que esta é a natureza do homem que o obriga a estar acima dos outros a todo custo.

Pergunta: E o fato de eu estar sendo humilhado agora, isso é da natureza humana?

Resposta: Sim, esta é a sua natureza, nada pode ser feito. Eu tenho que entender sua natureza e, de alguma forma, perdoá-los, aceitá-los como eles são. E talvez corrigi-los desta forma.

Pergunta: Devo sentir que essa também é minha natureza, exatamente a mesma, e posso ser exatamente como eles?

Resposta: Naturalmente, sim.

Pergunta: Em outras palavras, você quer introduzir os termos “natureza humana” e “egoísmo humano” quase nas classes elementares para que uma pessoa sinta?

Resposta: E ainda mais cedo.

Comentário: A próxima razão: exames estúpidos. Como eles não têm uma variante de suas respostas, você precisa adivinhar uma das respostas propostas.

Por exemplo, há uma pergunta e há quatro respostas para ela, e ela diz: “Especifique a correta”. E o menino diz: “Eu quero que haja outra opção, minha resposta pessoal”.

Minha Resposta: Ele está certo.

Pergunta: Então esses exames que não dão a opção “Sua Resposta” estão errados?

Resposta: Sim.

Comentário: A sexta razão: a quantidade de lição de casa. “Acredito que a lição de casa não afeta o desempenho acadêmico e a educação das crianças”, diz o menino de onze anos.

Minha Resposta: Acredito que a lição de casa causa nojo e ódio à escola.

Portanto, não é necessário. Basta que uma pessoa vá lá, não importa o que lhe ensinem e não importa como lhe ensinem, talvez pior, melhor, mais ou menos atraente, mas ele voltaria de lá, e essa lição de casa não seria mais pendurada nele.

Em vez de lição de casa, haveria tempo absolutamente livre. Também deve ser de alguma forma mais ou menos programado, mas deve ser livremente sentido para escolher com o que ele gostaria de se ocupar.

Pergunta: Só ele mesmo? Ele deve encontrar exatamente o seu nicho?

Resposta: Sim, todo mundo é diferente em alguma coisa. Tínhamos muitos clubes naquela época. Havia uma enorme Casa dos Pioneiros. E havia um grande número de sociedades, e todas elas eram livres. Uma criança ia e se inscrevia onde queria. Mesmo alguns ao mesmo tempo! Venha aprender. E não pagou nada. Eu também fui ao clube de fotografia. Tanto o papel fotográfico quanto os reagentes de revelação de fotos eram gratuitos. Absolutamente tudo era grátis! É tão incrível!

Comentário: E a forma como os professores lhe trataram lá, com tanto carinho!

Minha Resposta: Sim. Pessoas com tais personagens trabalhavam lá.

Pergunta: Para onde tudo isso desapareceu? O que havia de errado com isso?

Resposta: O tempo não é o mesmo! Entramos nessa onda.

Comentário: A próxima razão é a proibição da exclusividade. As escolas não gostam quando alguém é diferente dos outros.

Minha Resposta: Por um lado, eles parecem estar encorajando isso. Mas, por outro lado, não gostam.

Pergunta: Uma criança deve ter esse direito à singularidade?

Resposta: Este não é apenas um direito à singularidade, mas também um incentivo à singularidade por parte de todos, inclusive dos amigos. Isso precisa ser trazido à tona. Caso contrário, isso será esmagado e apenas o cinza ficará.

Comentário: “A escola não ensina a ser feliz”, escreve o menino de onze anos.

Minha Resposta: Com certeza! Na escola hoje, eles simplesmente demonstram como o embotamento, a obediência e a supressão da felicidade são um estado normal.

Pergunta: Então, em princípio, o slogan da escola deveria ser “Devemos ensinar as crianças a serem felizes”?

Resposta: Sim. Devemos criar pessoas felizes.

Comentário: “A escola não ensina a trabalhar com a informação”, diz.

Minha Resposta: Esta é uma sabedoria completa, enorme, que deve ser incutida em crianças pequenas.

Pergunta: O que essa habilidade dá a uma criança?

Resposta: Ensina a abrir o cérebro e o coração, a mente e os sentimentos, às informações que chegam, para ser capaz de processá-las, classificá-las e estar pronto para receber a próxima porção de informações.

Comentário: A décima razão: “A escola não prepara para a vida adulta”, acredita esse menino.

Minha Resposta: Acho que nada pode prepará-lo para a vida adulta. Nós apenas corremos para lá, como se estivéssemos em um redemoinho. É isso. E lá já estamos nadando, cada um à sua maneira.

Pergunta: E qual é a preparação para a vida adulta?

Resposta: Aqui é necessário criar imagens especiais, totalmente claras e realistas da vida.

Pergunta: Na escola? Diretamente para as crianças? Para que aprendam a sair delas, trabalhar com elas, e assim por diante?

Resposta: Sim, para discutir e assim por diante. Por outro lado, dê-lhes alguns selos, mas realistas. Por exemplo, “O que você faria se você…” e dê a história.

Comentário: A conclusão deste menino é muito interessante. Ele diz: “Acredito que a matéria principal na escola poderia ser uma matéria em que seríamos ensinados a nos entender. Afinal, a capacidade de se comunicar é a coisa mais importante”.

Minha Resposta: Faça dele o Ministro da Educação Escolar. Pronto. E coloque todos esses ministros de volta à escola.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 10/02/22

O Vínculo Entre Mãe E Filho

627.2Pergunta: Por que a conexão entre mãe e filho durante o parto ocorre justamente pela dor?

Resposta: A dor é necessária porque, durante o parto natural, é liberado um grande número de hormônios, anticorpos e tudo o que nem sabemos. A medicina está apenas começando a tocar o estudo desta área.

Mas com uma cesariana, isso não acontece, e a criança perde isso. Vemos na prática que com a cesariana, a ligação entre a criança e a mãe é mais fraca e a própria criança é um pouco diferente. Depois disso, de alguma forma, é compensado, por isso não é tão perceptível na vida comum. Mas ainda assim, a diferença é grande.

O processo de nascimento em si é muito importante. De acordo com a Cabalá, este é o processo de criação, o nascimento de um mundo para outro. Dentro da mãe é um mundo e fora é outro. Se a transição entre dois mundos for realizada naturalmente, a criança estará totalmente preparada para o próximo mundo. Se essa transição não está nela, ela não está, por assim dizer, pronta para o próximo mundo.

De KabTV, “Close-Up. Filhos Indesejados”, 28/11/10

O Que Fazer Quando Você Está Sendo Intimidado

961.1Comentário: Hoje uma palavra bem conhecida é “bullying”. É quando uma pessoa infeliz é intimidada ou assediada na escola, em instituições ou na Internet.

Na França, uma nova lei vai multar os culpados de bullying em 45.000 euros e prisão por três anos. Professores ou alunos, não importa.

E se ficar provado que a vítima faltou à escola por causa de assédio, a pena de prisão será aumentada para oito anos. Em caso de tentativa ou suicídio em consequência de bullying, a multa aumentará para 150.000 euros, e a pena de prisão será de até dez anos.

A lei já foi aprovada na Câmara Baixa do Parlamento. Eles procedem do fato de que uma lei tão rígida poderia parar esse bullying.

Minha Resposta: Que tipo de relacionamento pode haver na escola para que haja a necessidade de adotar tais leis! A França! A fonte do humanismo mundial, da liberdade, da revolução!

Pergunta: Você acha que medidas tão duras e afiadas ajudarão?

Resposta: Por alguma razão, em todos os lugares, em todos os países do mundo, acredita-se que a detenção, o isolamento da sociedade por muitos anos corrige a sociedade, corrige uma pessoa. Até o final do dia, queremos que o criminoso melhore. E a sociedade de alguma forma corrigiria não apenas o criminoso, mas também a falha que lhe infligia.

Mas eu não vejo assim! Tantos estão presos, por quantos anos e em todos os países do mundo! Vamos verificar as estatísticas: onde eles encarceram mais e por mais anos, existe uma sociedade melhor?

Por outro lado. De acordo com as leis bíblicas, não existe tal coisa como “ficar na prisão”. Isso não é um castigo. Ao fazer isso, você tira a oportunidade de uma pessoa interagir com a sociedade, aprender com ela e, de alguma forma, melhorar. A prisão não é um sistema de correção, ninguém saiu da prisão reformado.

Pergunta: Isso não ensinará aos outros que você não pode humilhar e matar o outro? Não vai ensinar os outros e também não vai corrigir a pessoa? E o dinheiro não vai ajudar? Se você pagar multas malucas, também não vai ajudar?

Resposta: O dinheiro pode, de alguma forma, deixá-lo sóbrio, seus pais (estamos falando da escola). Mas não, não vai ajudar.

Pergunta: Então, qual é a saída para isso?

Resposta: A solução é educar as pessoas desde cedo, até mesmo seus pais antes do parto. Você tem que educar os pais para que eles tenham filhos que possam criar adequadamente.

As pessoas devem obter permissão da sociedade para dar à luz uma criança e criá-la.

Pergunta: E que tipo de permissão a escola deve receber?

Resposta: Tudo deve ter como objetivo garantir que as pessoas que geramos, produzimos e educamos sejam educadas precisamente como membros corretos da sociedade. Já estou falando em um nível social, não espiritual.

Pergunta: Você costuma dizer: “Em boas relações uns com os outros, apaixonados um pelo outro”. É este precisamente o caminho para o espiritual?

Resposta: Sim. Mesmo que eles não saibam, não importa. Eles não devem pensar no espiritual. Eles devem pensar na conexão correta mútua. E nela já vão revelar o espiritual.

Pergunta: Então a sociedade deve olhar para si mesma e não para esse criminoso?

Resposta: A sociedade deve olhar para si mesma. A sociedade deve cultivar a atitude correta em relação aos outros. E na correta relação com os outros, de repente começará a descobrir, precisamente nessas relações, relações completamente diferentes, superiores, que chamará de mundo superior. E é isso, nada mais.

Hoje em dia, as pessoas chegam a isso porque querem sentir o mundo superior e, portanto, por necessidade, começam a estudar como podemos começar a tratar bem os outros, se necessário, para sentir o mundo superior, para entender nosso destino. Não gostaríamos disso, mas este é o plano da natureza, este é o seu significado. Então, eu obedeço. Vou inclinar minha cabeça e estudar essas leis de bondade, interação adequada e até mesmo as leis do amor.

Portanto, aqueles que vêm às aulas de Cabalá são os maiores egoístas.

Pergunta: Quando acontece a mudança?

Resposta: Depois de muitos anos. Estamos preparando suas relações externas, a base interna para isso. Mas é difícil. Eles não querem inicialmente estar apaixonados pelo próximo quando vierem.

Tais pessoas, com muito pouco egoísmo, abandonam as práticas espirituais, orientais e assim por diante. Elas não estão interessadas em mais nada.

Mas estamos na fronteira da iluminação – a iluminação real.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 06/12/22

Sob A Influência Do Ambiente

566.01Pergunta: O ambiente social disfuncional e a família conturbada levam ao fato de que crianças de tais condições sofrem uma reação desde a infância. A maioria das pessoas que se tornaram serial killers eram crianças indesejadas em uma família.

Como a relutância de uma mulher em ter um filho pode afetá-lo de tal maneira que mais tarde ele começa a perceber o mundo negativamente e a odiar sua própria espécie?

Resposta: Vemos que a formação de uma pessoa acontece sob a influência do ambiente.

De acordo com a Cabalá, o ambiente forma até aquelas inclinações e qualidades com as quais nascemos, ou seja, ou as herdamos ou não temos ideia de onde elas vêm. Toda a bagagem com que uma pessoa vem a este mundo é formada sob a influência da sociedade.

Digamos que desde o nascimento, uma pessoa é dotada de inclinações muito acentuadas e perigosas para a violência ou demonstra algumas ações socialmente negativas. Mas, sob a influência do meio, essas inclinações podem se realizar no plano socialmente correto, ou seja, em benefício da sociedade.

Por exemplo, se um valentão se torna um guarda de segurança ou um assassino se torna um açougueiro, suas inclinações serão direcionadas para a correção. Assim, em nosso mundo, podemos encontrar a aplicação correta de qualquer qualidade humana, seja ela qual for.

Tudo depende não das próprias inclinações, que existem em nós de forma informativa não revelada, ou seja, na forma de nossos registros informativos internos (chamadas de Reshimot na Cabalá), mas de como mostramos a uma pessoa sua aplicação correta e lhe damos a oportunidade de implementá-los.

Mas se começamos a suprimir as inclinações de uma pessoa, a levamos aos problemas internos quando ela explode em uma certa idade e começa a aplicá-los de qualquer maneira, mas de forma imprevisível. Ela não pode se conter e, naturalmente, encontra uma desculpa para isso.

Em outras palavras, se a mãe e todos na casa tratam a criança como indesejada, eles formam nela uma atitude negativa em relação ao mundo. Então ela naturalmente implementa todas as inclinações negativas no mal.

A Cabalá diz que tudo depende apenas da educação. As inclinações que uma pessoa tem foram dadas a ela apenas para que ela possa se realizar corretamente.

De KabTV, “Close-Up, Crianças Indesejadas”, 28/11/10

Quando O Egoísmo Ultrapassa Os Limites

096Pergunta: Hoje, casos ultrajantes em que um pai abusa de uma criança e a mãe o ajuda nisso se tornaram mais frequentes. Por que isso está acontecendo?

Resposta: Isso é resultado do crescente egoísmo que ultrapassa todos os limites, que não sabemos usar.

Ao longo da história da humanidade, houve até culturas inteiras cujo desenvolvimento resultou em processos não inteiramente naturais. Enquanto nosso egoísmo estava se desenvolvendo com moderação, havia, naturalmente, todos os tipos de anormalidades nele, mas não tanto quanto agora.

Hoje, nosso egoísmo superou a fronteira da sociedade terrestre comum e está começando a se desenvolver para cima até que necessariamente o corrijamos espiritualmente. Nós superamos o desenvolvimento terrestre.

As erupções atuais do egoísmo já precisam de correção espiritual e é por isso que estamos em uma fase tão transitória. Em um futuro próximo, teremos que entender que precisamos fazer algo com nós mesmos, a sociedade, a família, a ciência, a cultura, a tecnologia e a ecologia. Mas ainda não sabemos o que fazer.

Estamos gradualmente chegando à conclusão de que esgotamos todos os nossos recursos razoáveis para compensar nosso egoísmo e não podemos trabalhar com ele como antes. Não encontramos forças compensando, intimidação, persuasão ou educação para o nosso egoísmo que continuará a funcionar.

Aqui, a sabedoria da Cabalá vem em nosso auxílio. Ela nos revela novas forças que podem realmente ser um meio de corrigir nosso egoísmo atual e não apenas corrigi-lo, mas trazê-lo à perfeição.

Tenho certeza de que em um futuro próximo revelaremos este sistema. As pessoas virão à sabedoria da Cabalá e verão que está tudo pronto dentro dela. Os Cabalistas prepararam tudo para seu uso e para seu benefício: “Por favor, você pode tornar a si mesmo, sua família e seus filhos felizes, tornar o mundo ecologicamente limpo e ver muito mais do que você vê hoje”.

Pergunta: Os Cabalistas estavam esperando por este momento para revelar sua metodologia a todos? As pessoas agora têm que se perceber nesse nível através de todos os tipos de conexões?

Resposta: Não há escapatória porque nosso egoísmo nos forçará. Isso nos causará tanto sofrimento com sua falta de compensação que seremos forçados a encontrar este remédio, e então chegaremos à Cabalá.

De KabTV, “Close-Up, Gêmeos Siameses”, 11/07/10

Maturidade Fisiológica

632.2Comentário: De acordo com a Cabalá, as crianças entre 9 e 13 anos devem ser educadas em termos de interação entre os sexos.

Minha Resposta: Isso pode ser feito antes. No exterior, eles praticam isso mesmo nos jardins de infância.

Pergunta: Mas, hoje, por que ensinamos a interação dos sexos apenas ao nível da educaçãosexual e não falamos da relação interna entre um homem e uma mulher?

Resposta: Porque não sabemos para que precisamos disso.

Sabemos que um macho encontra uma fêmea para acasalar e se reproduzir. Como em peixes, pássaros e animais, a mesma coisa acontece em humanos como parte do mundo animal.

Ensinamos as crianças sobre fisiologia. O que mais podemos explicar? Sobre amor?

Meninos com menos de 20 anos têm um período em que amadurecem internamente para tomar decisões especiais e grandes nesta vida. Em outras palavras, nem tudo lhes é permitido. Nesta vida, eles têm permissão de tudo, exceto possuir terras, isto é, exceto algo grande, global, de tomada de decisão.

É porque durante estes sete anos, dos 13 aos 20 anos, eles têm que aprender com a sociedade o que significa ser um adulto, mas um animal adulto. Em nosso tempo, isso é quem eles se tornam. Além disso, é em nosso tempo que a Cabalá está sendo revelada, e não antes. Então tudo se encaixa perfeitamente.

As pessoas fazem várias suposições de que amadurecemos fisicamente cedo, supostamente porque comemos alimentos com pesticidas, somos afetados pela radiação ou outra coisa.

A Cabalá, por outro lado, diz que tudo se baseia apenas no crescimento do egoísmo, o que nos leva a amadurecer mais cedo.

De KabTV, “Close-Up, Teatro do Absurdo”, 18/07/10