Textos com a Tag 'Mundo'

Quando Esse Mundo Desaparecer

537Pergunta: Olga escreve: “Li em algum lugar ou ouvi de você que o embrião no útero vê sua vida inteira, do começo ao fim. É assim mesmo? E se sim, por que ele perde essas habilidades mais tarde?”

Resposta: Isso se refere a um embrião espiritual, não a um embrião comum. Nosso embrião não é diferente do embrião dos animais. Nascemos como animais. E gradualmente, se nos desenvolvermos, talvez nos tornemos pessoas decentes e talvez até pessoas espirituais que sentem o Criador.

Pergunta: Digamos que nos desenvolvamos como um embrião espiritual. Então, o que significa que esse embrião espiritual vê tudo? O que significa: “tudo, do princípio ao fim”?

Resposta: Como ele se vê: de onde vem, o que é, com que propósito. Ou seja, ele começa a ver todo o seu caminho do início ao fim, mas em uma escala muito estreita. E entende porque nasceu e existe em uma forma espiritual.

Pergunta: E o que é isso, esse fim? O que posso ver se sou um embrião espiritual?

Resposta: Adesão completa com todas as almas e com o Criador. Isso é tudo. É uma ascensão à qualidade de doação, a qualidade do amor, a qualidade da conexão absoluta com todos, quando a sensação de tempo, movimento, isto é, todo o mundo, deixa de ser sentida.

Pergunta: Em que ponto uma pessoa se torna um embrião espiritual?

Resposta: Quando ela para de pensar em si mesma.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 15/07/21

“Em Um Mundo Sombrio, Há Uma Saída” (Linkedin)

Meu novo artigo no Linkedin: “Em Um Mundo Sombrio, Há Uma Saída

Se uma palavra pudesse incorporar o sentimento atual da humanidade, essa seria “incerteza”. O mundo inteiro está perdendo o rumo, as pessoas vivem sem prever um futuro claro. Elas não sabem o que acontecerá a seguir – amanhã, nos próximos meses, em um ano. De novas variantes de coronavírus a condições climáticas extremas, tudo está se tornando cada vez mais imprevisível.

Por mais sombrio que pareça, o que está por trás da confusão é a boa intenção da natureza de abrir nossos olhos para ver que nossa busca sem fim por conquistas materiais não tem sentido, é fútil e que chegou a hora de buscar uma realização mais elevada e duradoura na vida.

A incerteza é evidente em todos os campos: nos líderes dos países, no nosso local de trabalho, na economia, na sociedade, nas nossas famílias. Chegamos a um beco sem saída. Há uma sensação de desamparo e desespero, e ninguém sabe realmente o caminho certo a seguir.

Não sabemos o que oferecer aos nossos filhos. Os jovens carecem de um bom exemplo a seguir, e as profissões que eles poderiam ter escolhido anteriormente podem em breve ser irrelevantes na realidade de hoje, em rápida mudança. Em qualquer caso, eles não têm vontade de passar muitos anos estudando quando nada realmente brilha no horizonte.

Se seus pais eram obrigados a trabalhar horas intermináveis ​​por dia para se construir, os filhos não querem mais viver assim. Eles parecem ter aprendido a lição e percebem que não há sentido em toda essa busca incessante de esbanjar suas energias apenas para acabar se sentindo vazios.

Muitos jovens pararam de perseguir grandes conquistas e, em vez disso, estão apenas procurando sobreviver na vida, para passar o tempo conectados a gadgets e desconectados de seu ambiente.

Em geral, os impulsos de desenvolvimento que tínhamos no passado estão desaparecendo. Começamos a entender que não há outro lugar para ir, nenhum desejo de seguir em frente, nenhuma força nos impulsionando. Essa é a fonte de nosso desespero, depressão e desamparo. Até que as pessoas comecem a procurar algum sentido para a vida, expressões como “estou melhor morto do que vivo” se tornarão mais frequentes.

Sem um futuro e uma meta claros, uma pessoa não tem força para viver. Vemos essa tendência em todo o mundo, em maior ou menor grau, dependendo da natureza das pessoas ou das condições em seus respectivos países. Mas, certamente, esse é um fenômeno global.

Essa é a primeira vez na história em que todos simplesmente não sabem o que está acontecendo. Há uma sensação geral de choque. Não temos ideia de como controlar o que se desenrola, como liderar ou ser liderado. A importância do desenvolvimento humano, científico, tecnológico e econômico alcançado ao longo das gerações está diminuindo porque agora questionamos se tudo o que construímos até agora tem algo de valor real para nos fazer felizes, realizados.

Chegamos a esse ponto de inflexão por um propósito. Tal estado de desespero é revelado para que percebamos que não podemos sair desse labirinto por meio de nossas próprias forças individuais. Essa situação está nos mostrando o quão alienados estamos uns dos outros. Se não estivéssemos tão polarizados e divididos, não nos sentiríamos tão solitários, inseguros e ansiosos. Seríamos muito mais resilientes, confiantes e esperançosos em relação ao futuro.

Portanto, o que vemos como uma crise geral e ruim é na verdade a natureza em ação – a força superior que é totalmente boa – empurrando-nos para a frente para corrigir nossa natureza egoísta e as relações prejudiciais uns com os outros, a causa principal de todas as nossas dificuldades.

Hoje não seremos mais capazes de administrar nossa vida com sucesso ou sobreviver sem um método para nos guiar, o método de conexão. Ele nos ensina que o verdadeiro sentido de nossas vidas não pode ser encontrado nesse mundo, na matéria terrena de vida curta, mas apenas acima dela. Só poderemos chegar a esse estado elevado unindo e construindo uma sociedade verdadeiramente fundada na base do amor ao próximo, no cuidado mútuo e na reciprocidade. Com isso, seremos capazes de criar o terreno mais fértil para uma existência gratificante.

Ao longo do caminho do amor de si mesmo para o amor dos outros, nossa imagem da realidade é substituída. Nossos sentidos são renovados, a mente e o coração mudam de direção de dentro para fora e um mundo oposto nos é revelado. De repente, percebemos um mundo mais elevado e mais amplo em conexão perfeita com a força que controla e equilibra tudo na natureza e alcançamos uma vida significativa e uma realização eterna.

Transcender Para O Próximo Mundo

939.01Pergunta: Por que estou tão atraído por suas conversas e palestras?

Resposta: Porque você ouve sobre si mesmo, sobre sua alma, sobre a maneira como pode atingir um estado totalmente eterno, onde a vida e a morte do seu corpo não têm efeito sobre você, e onde começará a sentir que a vida é infinita e flui de uma maneira totalmente diferente da que você imagina hoje.

Se começarmos a nos reunir, sentiremos a transição para o próximo estado, para o mundo superior, na conexão entre nós, porque está no centro de nossa cooperação mútua.

Assim como os astrônomos dizem que há uma transição de um estado para outro no espaço, é o mesmo aqui. É uma transição única, uma transição do nosso mundo e uma entrada para o outro mundo.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 19/07/19

O Que Traz Bondade E Benevolência Ao Mundo?

935Pergunta: Como podemos expressar a lei do desenvolvimento gradual de acordo com a sabedoria da Cabalá?

Resposta: A lei do desenvolvimento gradual é uma lei de negação da negatividade. Na verdade, é uma lei marxista e uma lei da natureza, e é realmente verdadeira.

A sabedoria da Cabalá também afirma que cada estado inicial determina o estado futuro. O próximo estado determina o estado anterior e está aparentemente dentro dele, embora não de uma forma revelada por enquanto. Não precisamos distorcer ou interromper a natureza.

Não precisamos mudar nada além de nós mesmos. Em nós mesmos, também não precisamos mudar nada além de nossa boa cooperação mútua. Isso é tudo.

Então, mudando um pequeno parâmetro na natureza, ficando mais próximos uns dos outros por meio de boas ações, já podemos mudar toda a natureza e veremos como isso será bom. De repente, todos os tsunamis, furacões, erupções solares, terremotos, incêndios florestais, etc., irão parar. Toda a natureza começará a se acalmar.

Depende apenas das pessoas, do grau em que nos aproximamos corretamente uns dos outros.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 19/07/19

Quando O Mundo Se Torna Incontrolável

115.06Zohar para Todos, Lech Lecha, item 22: Você deve saber qual é o poder de Nimrod sobre Abraão para jogá-lo na fornalha, que é Ur [aramaico: luz, chama] dos Caldeus, e como ele foi salvo da fornalha.

O rei da Babilônia, Nimrod, representa uma grande força egoísta.

Se você reunir todos os líderes e políticos modernos que são controlados de cima como fantoches, verá Nimrod. Esse é o egoísmo, que não sabe exatamente como agir. Ele vê que tudo está desmoronando diante dele, como os nossos líderes atuais veem.

O mundo está desmoronando. Nem dinheiro, que desaparece sabe-se lá onde, nem o exército vai ajudar. O que deveríamos fazer? Começar uma guerra nuclear? Isso é inútil!

Hoje, os líderes mundiais estão praticamente privados de seu poder. Eles não têm nada com que liderar. A polícia também é muito limitada. O que pode ser feito com as pessoas?

O mundo está se tornando incontrolável. Esse é Nimrod que sente que tudo está escapando de suas mãos. Abraão se revela como o radical que parece estar organizando tudo isso. Como diz o ditado: “Esses judeus de novo”. Afinal, Abraão é considerado o primeiro judeu.

Aqui podemos traçar um paralelo entre o Israel de hoje e todos os outros povos no mundo que muito em breve nos tratarão assim: “É isso, descobrimos quem é o culpado! Vamos destruí-los e tudo ficará bem”.

Portanto, Nimrod joga Abraão em uma fornalha. O mesmo acontecerá conosco. No entanto, vamos superá-lo e, por causa disso, subiremos ainda mais alto.

Pergunta: É necessário passar por esse estágio historicamente? Afinal, já passamos pelas câmaras de gás.

Resposta: O fato é que podemos passar por essa fornalha internamente e não externamente. Externamente, é um caminho muito longo, décadas de todos os tipos de problemas. É o suficiente para passarmos por algum estado difícil internamente e nascermos como uma nova pessoa através dele.

Isso é preferível para nós, como representantes de Abraão, para o mundo inteiro e até mesmo para os odiadores do lado de Nimrod, porque eles mesmos se sentirão mal. Assim, você poderá passar por tudo de forma rápida, fácil e agradável de reconhecer o mal, quando entender que existe o mal em você, mas ao mesmo tempo já está segurando a cura para ele nas mãos.

Comentário: O problema é que as pessoas querem viver em paz e não se preocupar.

Minha Resposta: Elas não podem continuar assim. A crise só se manifestou um pouco. Ela esticou a cabeça como uma cobra e depois a escondeu. Agora não só vai esticar a cabeça, mas também abrir a boca.

De KabTV, “O Poder do Livro do Zohar” # 17

Força Destrutiva Do Nosso Mundo

115.05Pergunta: Você fala muito sobre egoísmo, que é a força destrutiva do nosso mundo. O que é isso e como uma pessoa, que pensa que está longe de ser um egoísta e é um homem justo, pode entender que as raízes do egoísmo estão profundamente enraizadas nela e devem ser trabalhadas?

Resposta: O egoísmo é a única força central do mundo em que existimos. Apenas o egoísmo, isto é, o desejo de fazer tudo da melhor maneira possível para si mesmo, reina em todos os níveis: inanimado, vegetativo, animal e humano.

Esta força governa todos os seres criados, inanimados, vegetais, animais e a essência humana, e é chamada de “egoísmo”. Ao mesmo tempo, praticamente não contamos com nada, é inerente a nós. Não estou interessado no que acontecerá a outra pessoa, a menos que isso me prejudique. Essa é a nossa natureza.

Por outro lado, está em contradição com todos os detalhes do universo. Se todos forem guiados dessa forma em relação aos outros, iremos simplesmente estrangular, matar e ferir uns aos outros.

Se tivéssemos algum tipo de equilíbrio, “faça aos outros o que gostaria que fizessem a você”, chegaríamos a um estado em que não teríamos medo um do outro e desejaríamos um ao outro o que desejamos para nós mesmos.

Portanto, o mais importante que precisamos alcançar é o equilíbrio com a natureza e as pessoas ao redor. Caso contrário, nós, como hoje, existiremos às custas uns dos outros e, portanto, toda a nossa vida será dedicada apenas a compensar o egoísmo.

De KabTV, “Encontros com a Cabalá”, 29/07/21

Missão Dos Vilões Do Mundo

229Pergunta: Essa pessoa, Balaão, já existiu na história?

Resposta: É bem possível que tenha existido porque toda qualidade espiritual deve ser manifestada na matéria. Quase tudo que está escrito na Torá aconteceu em nosso mundo.

Pergunta: Balaão mergulhou deliberadamente no egoísmo?

Resposta: O fato é que todos os vilões do mundo realizaram suas tarefas específicas.

Pergunta: Ele fez isso conscientemente, isto é, dividiu a cabeça da serpente, atraiu as forças do mal da serpente e assim por diante?

Resposta: Não. Ele existia em nosso mundo, mas não conhecia seus vícios, assim como o Faraó não sabia que representava todo o egoísmo do mundo. Ele cumpriu sua função porque era um Faraó, embora acreditasse que esse era um comportamento normal e correto.

Quando o Criador disse a Moisés: “Venha até o Faraó, porque endureci seu coração”, o Faraó não sentiu que seu coração estava endurecido; ele estava apenas fazendo seu trabalho. Ele nem precisava saber sobre isso porque todos os personagens negativos não estavam conectados ao Criador; eles são opostos a Ele. Portanto, eles não têm consciência de sua missão, que desempenham de forma puramente automática.

De KabTV, “O Poder do Livro do Zohar” #16

Uma Empolgante Aventura Dada Neste Mundo

37Se estou pronto para doar ao superior sem quaisquer condições e rejeito todas as dúvidas, eu atingi o estado de um embrião espiritual. Quero anular todas as minhas críticas. Afinal, o embrião recebe nutrição com o sangue da mãe através do cordão umbilical sem nenhuma forma de controlar esse preenchimento e sem mente ou sentimento para controlá-lo.

Ninguém pergunta se ele deseja este preenchimento ou algum outro; ele simplesmente se anula completamente e recebe todo o alimento do superior.

Esse é um exemplo de como devemos ser na espiritualidade – receber tudo o que o superior dá. Mas e quanto ao nosso egoísmo, o desejo de desfrutar? Quer queiramos ou não, precisamos aceitar todo esse mundo – simplesmente na forma de um feto.

Tudo o que sinto em meus sentidos é superior e sou obrigado a aceitar, justificar e abençoar para que não haja nada além do Criador que determina tudo. Em vez de todo este mundo, devo ver uma força superior, e isso significa que entrei no estado de um embrião espiritual.

Então meu egoísmo crescerá mais e mais durante os nove meses de gravidez e desenvolvimento de Malchut a Keter. Além desse desejo crescente de receber, tenho que me anular cada vez mais e assumir uma nova forma acima de todas as críticas.

As críticas indicam que o embrião cresceu e ganhou inteligência e sentimentos. Mas ele anula tudo isso para receber cada vez mais sangue da parte superior pelo cordão umbilical. Todos os nove meses do desenvolvimento do embrião antes do nascimento espiritual são apenas autoanulação, autoanulação e autoanulação com respeito ao mundo inteiro. Afinal, o mundo inteiro é o Criador em relação a quem nos anulamos. É impossível lidar sem um ambiente.

Essa é uma aventura emocionante que nos foi dada neste mundo. Não há mais nada a fazer neste mundo, exceto nos anularmos em relação ao superior para que ele nos eleve. Assim, sairemos da estrutura animal e entraremos na estrutura humana, que definimos para nós mesmos. Afinal, o superior nos deu uma oportunidade; nós nos anulamos diante Dele e começamos a crescer.

Antes éramos uma alma, quase despedaçou. Portanto, ao trabalhar na conexão da dezena, estamos essencialmente trabalhando em todo o Kli global de Adam HaRishon porque ele está quebrado apenas em relação a nós. Só nos parece que está quebrado.

Portanto, não é terrível que não entendamos como alcançar a forma de doação. O Kli comum afeta cada um de nós e todos nós juntos e a partir de nós molda a alma, ou seja, uma forma semelhante ao Criador, apesar do fato de que é baseada no desejo de receber.

O objetivo do embrião espiritual é a anulação completa do meu desejo de receber. Então, no lugar onde me restrinjo e me anulo, começo a sentir o lado oposto deste ponto, que é o Criador. Esse ponto gruda na parede do útero da parte superior e permite que eu continue a me desenvolver na forma de doação.

Da Lição Diária de Cabalá 04/08/21, “Ibur (impregnação) e Yenika (amamentação)”

O Mundo Oposto É O Mundo Do Amor

608.02Pergunta: O que significa: “Eu vi o mundo oposto”?

Resposta: O mundo oposto é um mundo de amor que existe nas qualidades que são o oposto do nosso mundo, ou seja, nas qualidades de doação, amor, atração e trabalho no egoísmo da pessoa.

Nosso mundo funciona apenas no egoísmo, em preenchê-lo. Portanto, o mundo superior é chamado de oposto do nosso mundo.

Na Cabalá, há uma transição de Lo Lishma (para mim) para Lishma (para os outros) quando faço esforços a partir de minhas qualidades egoístas e, como se, adquirisse o mundo oposto.

Ao aplicar esses esforços, ainda recebo energia egoísta, ainda tento revelar o Criador para mim mesmo, para meu próprio bem. Então, em algum momento, Ele me dá a força para fazer isso de forma puramente altruísta, sem qualquer conexão comigo mesmo. Essa é minha recompensa.

De KabTV, “Estados Espirituais”, 02/07/21

Nosso Mundo É O Lugar Mais Escuro

424.02Pergunta: A mente muda de acordo com o material que a pessoa estuda? A mente de uma pessoa que estuda a sabedoria da Cabalá é diferente da mente de uma pessoa que estuda astronomia, por exemplo?

Resposta: Sim. Uma pessoa que estuda a sabedoria da Cabalá estuda sobre as ações do Criador. Ela pensa de forma diferente.

Existem cinco mundos, um dentro do outro. A luz superior atravessa todos os mundos, até o centro. Esses mundos são chamados de Adam Kadmon (homem primitivo), que significa o protótipo do homem, Atzilut, Beria, Yetzira e Asiya. O menor círculo no centro é chamado de nosso mundo, no qual vivemos.

Vivemos no lugar mais escuro, enquanto a luz superior nos alcança através de todos os mundos do mundo de Ein Sof.

Pergunta: Há muita luz ao nosso redor, mas a parte do nosso mundo permanece na escuridão.

Resposta: A pessoa não tem necessidade desta luz, porque não podemos suportar a luz da doação. É a morte para nós. Só podemos perceber a luz egoísta e vivemos dentro dela.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 21/04/19