Textos com a Tag 'Mundo'

Todos Os Problemas Do Mundo São Enviados Para Nos Obrigar A Equilibrá-Lo

laitman_962.3A espiritualidade é alcançada apenas através da conexão. Estamos no mundo espiritual, mas não o sentimos; nós sentimos apenas nós mesmos. Portanto, precisamos dar um salto em nossa percepção, transferindo-a do pessoal, no qual todos se sentem neste mundo, para sentir a existência dentro da força superior de doação e amor, unindo todos nós juntos em um único vaso, um desejo .

Todas as almas vêm da alma de Adam HaRishon porque após o pecado da Árvore do Conhecimento, essa alma foi dividida em 600.000 almas. E a única luz que preencheu esse vaso, um grande desejo, foi dividida em várias partes, corpos e desejos particulares. Portanto, vemos este mundo dividido em bilhões de pessoas com desejos conflitantes e fragmentados. E se quisermos revelar o mundo espiritual, o mundo da verdade, devemos nos unir.

É por isso que a primeira lição da Convenção Mundial de Cabalá de 2020 é chamada “Nós Nos Reunimos Aqui”; realmente não há mais nada a fazer. Se nos reunirmos e nos unirmos em uma alma, como era antes da destruição de Adam HaRishon, antes do pecado da Árvore do Conhecimento, retornaremos ao mundo superior, em um estado espiritual, tornando-nos novamente Adam HaRishon.

Portanto, uma pessoa não tem nada a fazer neste mundo, além de procurar maneiras de se conectar com outras pessoas. Claro, isso é contra a nossa natureza, não há nada mais repulsivo e oposto a ela; portanto, não queremos ouvir sobre isso. Mas o Criador, a luz superior, com infinita paciência, age sobre nós repetidamente para nos ensinar que nada mudará para melhor até que decidamos nos unir de maneira positiva.

A humanidade está aprendendo. As pessoas ainda não entendem o que está acontecendo conosco, mas as impressões da crise global e dos problemas crescentes penetram em nossos sentidos, em nossa memória e, gostemos ou não, nos fazem ficar mais sábios e ganhar experiência. Algum dia, ficaremos tão sábios que concordaremos que não há saída senão se conectar.

Se estudarmos a sabedoria da Cabalá, ficará claro para nós o que fazer. Afinal, revelamos não apenas a doença e sua causa que emanam do egoísmo humano, mas também um remédio que nos permite esconder do egoísmo. Se sofro muito por causa dele, preciso me libertar dele.

A sabedoria da Cabalá nos ajuda nisso, precisamos apenas organizar um pequeno grupo de pessoas afins e atrair a luz que reforma. A Cabalá nos ensina como nossos desejos podem se conectar e trabalhar juntos, realizando ações denominadas “contração”, “tela”, “luz refletida”, “batida” e “receber pelo bem da doação”. Ao estudar o que acontece em nossos desejos, gradualmente nos corrigimos. E quando aprendemos e conversamos sobre isso, a luz que brilha sobre nós muda-nos gradualmente.

Como diz o ditado, “centavo por centavo acumula uma grande soma”. Temos um sistema que pode nos incluir dentro de si, nos conectar e atrair a luz que reforma que nos afetará. Mesmo que não desejemos realmente isso agora, no final, exigiremos que as forças de doação, relações altruístas no topo de nosso egoísmo, sejam reveladas entre nós. 1

Todas as almas vêm da alma única de Adam criada pelo Criador. Mas depois que Adam pecou com a Árvore do Conhecimento, isto é, a quebra desse desejo único, que deixou de ser como o Criador, ele perdeu a intenção altruísta e tornou-se egoísta; foi dividido em 600.000 almas individuais. Uma luz encheu Adam HaRishon no “Jardim do Éden”, isto é, o estado em que ele estava unido em uma alma e retinha a força de doação, Bina, dentro de si mesmo, desapareceu após o abalo, e em cada partícula permaneceu apenas sua pequena centelha.

Agora que nos encontramos em corpos adicionados aos fragmentos da alma, sentimos o desejo de reunir todas as centelhas espirituais. Portanto, nos reunimos e trabalhamos em nossa conexão, retornando assim a luz superior que brilhará dentro de nós. Mas, ao retornar, a luz se torna 620 vezes mais forte do que antes, porque estamos agindo contra a distância que surgiu entre nós e, portanto, alcançamos a integração com a força superior, o Criador. 2

Um desejo comum estava no grau de Bina, que é chamado de alma, e quando ele se despedaçou, caiu no grau de Malchut. Precisamos juntar todas as partículas que caíram em Malchut e elevá-las a Bina, ao Jardim do Éden. Malchut é chamada de “este mundo” e Bina é chamada de “o mundo futuro”. Portanto, através da nossa conexão, devemos nos elevar deste mundo, no qual agora sentimos a nós mesmos, para o “mundo futuro”, até o nível de Bina, onde sentimos nossa existência como eterna, perfeita, sem dificuldades e problemas, tudo juntos, imbuídos do poder de doação e amor um pelo outro. 3

A luz superior fortalece seu brilho o tempo todo, e quando sentimos essa iluminação do poder espiritual de doação e amor, nos sentimos cada vez mais opostos a ela. Acontece que todos os dias nos sentimos cada vez piores, o mundo se torna cada vez mais corrupto. Não resta mais que corrigir-se e tornar-se semelhante à força de doação que brilha sobre nós de cima.

Portanto, nós vemos este mundo em crise, desamparado e sem entender o que está acontecendo. Talvez todos os vulcões da Terra despertem amanhã e comecem a lançar bilhões de toneladas de cinzas na atmosfera, para que não vejamos mais o sol. O mundo congelaria e mergulharia na escuridão. Mas nós mesmos ativamos essas forças porque vivemos em um sistema integrado e precisamos saber como equilibrar as forças da natureza. Se nos tornarmos gentis um com o outro, a natureza se tornará gentil conosco.

Não há outra maneira de agir sobre a matéria inanimada, plantas e animais, sobre essas forças da natureza, se não através dos seres humanos. Além disso, a pessoa é um pensamento, uma intenção. O corpo físico é apenas um animal, mas através de nossos relacionamentos um com o outro, podemos nos elevar um passo mais alto: do nível animado para o humano. “Humano – Adam” significa “como o Criador [Adameh le Elyon]”.

Portanto, devemos entender que todos os infortúnios e problemas do mundo são enviados especificamente para nos obrigar a nos mover e começar a colocar o mundo em ordem, a fim de estabelecer um equilíbrio nele. Para fazer isso, só precisamos nos aproximar e trabalhar em nosso egoísmo. Então, do nível humano, do nível mais alto da natureza, obrigaremos todas as outras forças da natureza, que estão abaixo de nós nos níveis animado, vegetativo e inanimado, a entrar em equilíbrio, e o mundo inteiro encontrará paz e felicidade. 4

O estado do nosso grupo mundial Bnei Baruch é excepcional, porque dentre todos os bilhões de almas individuais, fomos escolhidos para estar no sistema de Israel, isto é, direcionado “direto ao Criador”, que leva a humanidade à correção. 5

Da Convenção Mundial de Cabalá 2020, “Conectando-se à Raiz da Vida” , 25/02/20 , “Nós Nos Reunimos Aqui”, Lição 1
1 Minuto 1:40
2 Minuto 11:00
3 Minuto 14:00
4 Minuto 27:55
5 Minuto 32:42

Nosso Mundo É Um Ponto Preto

laitman_424.02Pergunta: Você diz que nosso mundo não existe. Em que sentido ele não existe e por quê? O que significa “ilusório” e de quem é a ilusão?

Resposta: É a nossa ilusão. Na realidade, nosso mundo não existe.

O que significa “na realidade”? Na propriedade de doação, que é a única coisa que existe na realidade; nosso mundo não existe.

Nosso mundo é a propriedade da recepção, é puro egoísmo. E o próprio mundo não existe, é propositalmente criado como fantasmagórico e ilusório, para que vivamos nele como ponto de partida de nosso verdadeiro desenvolvimento espiritual, para que existamos fora dos mundos espirituais, fora da verdadeira existência.

Nosso mundo é simplesmente um ponto preto.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 05/01/20

Ajude O Mundo: Una-se

laitman_962.8A humanidade é um grande vaso, uma alma, chamada Adam HaRishon. Para ser corrigido, esse vaso é dividido em dois: Israel e as nações do mundo. Não podemos corrigir tudo de uma vez, porque existem camadas muito profundas que a luz não pode alcançar imediatamente.

Todas as correções começam com as mais fáceis, progredindo para as mais difíceis. Assim, as primeiras a serem corrigidas são as camadas superiores e mais leves, como se diz sobre Israel que é “pequeno entre as nações”, o que significa que tem o tipo mais leve de desejo de desfrutar. E nas nações do mundo o desejo é muito mais intenso, que aparecerá quando começarem a despertar.

Cada pessoa que recebe o despertar para a espiritualidade em nossos dias é uma parte da alma comum chamada Israel (Yashar Kel), direto ao Criador. Elas devem se apressar com sua correção, porque seu trabalho principal consiste em ajudar os outros desejos, as nações do mundo.

Israel canaliza a luz que reforma através de si mesmo, através de sua unidade. Então as nações do mundo despertam e começam suas correções, exigindo mais luz de Israel até que todos se unam em uma só alma, como está escrito: “Minha casa será chamada casa de oração para todas as nações”. Israel deve se corrigir para corrigir toda a humanidade. 1

O povo da antiga Babilônia foi chamado de “geração da discórdia”. Foi nessa época que a alma comum de Adam HaRishon foi dividida em duas: Galgalta ve Eynaim (GE) e Awzen Hotem Peh (AHP), em cabeça e corpo do desejo, em Israel e nações do mundo. A sociedade babilônica foi dividida nesses dois campos.

Dizem que essa foi a geração que iniciou o declínio da humanidade. Antes desse tempo, o desejo egoísta, que precisava de correção, não existia. Começando com ela, a parte chamada Israel tem a obrigação de corrigir seu desejo egoísta em altruísta.

Esta foi a geração de Abraão. Abraão é a força que dividiu a humanidade em duas partes com o apelo: “Quem é pelo Criador – venha se juntar a mim!” E “O amor cobrirá todos os crimes”.

Antes disso, o desejo de desfrutar era tão pequeno nas pessoas que todos os babilônios sentiram intuitivamente qual deveria ser o comportamento correto e o seguiram naturalmente. Eles falavam a mesma língua e viviam como uma família.

Mas na época de Abraão, o desejo de desfrutar cresceu, e eles quebraram seus velhos ídolos sem saber o que fazer com seu egoísmo. Dizem que Abraão derrotou os ídolos, mas, de fato, foi um processo inteiro ocorrendo com todas as pessoas. Elas não sabiam como continuar vivendo, então parte da nação seguiu Nimrod com seu método egoísta de correção, chamando-os para realizar o sonho americano. E a outra parte seguiu Abraão, que os chamou para se tornar Israel, para aspirar ao Criador.

Adorar o Criador significa seguir a força da conexão. Todos os mandamentos visam a conexão entre as dezenas, a fim de nos tornarmos uma união de dez para um, um grupo, um entendimento. Essa é a essência, o significado e o propósito dos mandamentos, porque precisamos corrigir o vaso quebrado. 2

De Adão a Abraão, a humanidade continuou se desenvolvendo e seu desejo de desfrutar cresceu. Dentro de uma pessoa, que ainda era um animal, começaram a surgir qualidades humanas, isto é, egoísmo. Ele começou a se separar do resto do povo: esposa, filhos, casa própria, posses, trabalho, propriedade, comércio.

Todos se sentiam cada vez mais distantes dos outros, até chegar ao ponto em que começaram a brigar entre si e a acreditar em ídolos diferentes, isto é, forças diferentes. Um ídolo não é apenas uma mera estátua à qual se inclina; existe uma filosofia interna profunda que está por trás disso. É ativo nas pessoas até hoje e vemos que o mundo ainda tem uma grande separação entre todas as religiões, cada uma adorando seu próprio símbolo. Toda essa ruptura começou na antiga Babilônia.

O desejo de desfrutar continua crescendo passo a passo, causando certas consequências: Shoresh de Shoresh, Alef de Shoresh, Bet de Shoresh, Gimel de Shoresh, Dalet de Shoresh (0-0, 1-0, 2-0, 3-0, 4-0). O desenvolvimento no nível zero chegou ao fim e o nível 1 começou: 0-1, 1-1, 2-1, etc. Então, o desejo continuou crescendo até que Galgalta ve Eynaim parou de se desenvolver e Abraão apareceu como consequência.

Abraão é a conexão de Bina e Malchut. Assim, ele pode ser o pai da nação, dando à Malchut a qualidade de Bina. Portanto, Abraão quebra os ídolos, mostrando que é Bina, a qualidade de doação, que deve ser adorada em vez de Malchut, a recepção. A doação se torna nosso Deus, e essa é toda a diferença entre Abraão e Nimrod.

Existem apenas dez Sefirot, Galgalta ve Eynaim e AHP, a relação entre os vasos quebrados e o trabalho em direção à correção. 3

Abraão foi o primeiro homem que criou o elo entre Bina e Malchut. Ele elevou sua Malchut à Bina em 40 anos, durante os quais começou a alcançar o Criador, a qualidade de doação, Bina. Foi assim que ele criou sua metodologia e começou a ensiná-la a outras pessoas. 4

Dizem que “o mundo se sustenta em três pilares: a Torá, o trabalho espiritual e a bondade”. A ordem é: Abraão – Isaque – Jacó. Abraão é Chesed, bondade, a luz de Hassadim. Essa é a luz que reforma, nossa preparação para o trabalho. O trabalho é Isaque, Gevura, força. Através deste trabalho, chegamos a Jacó – Torá, Tifferet. Este é o processo pelo qual devemos passar.

A luz vem, trabalhamos em nossa conexão e revelamos o Criador dentro de nossa unidade.

Os “três pilares em que o mundo se apoia” são Abraão, Isaque e Jacó. Abraão é Chesed, um homem de bondade que se esforçou para levar as pessoas à bondade. Isaac é o pilar do trabalho que se coloca no “altar de sacrifício”; ou seja, ele se sacrificou pelo trabalho, força. O altar de sacrifício refere-se ao nosso desejo de desfrutar, no qual continuamos trabalhando enquanto o sacrificamos, querendo mudá-lo para o desejo de doar.

Jacó é chamado “o homem da Torá”. A Torá é a linha do meio em que chegamos através do trabalho duro em nosso egoísmo, com a força de Abraão, ou seja, devido ao trabalho de Isaque, força (superação). Todos os sofrimentos de Jacó representam a luta contra a inclinação ao mal.

A ordem do trabalho:

1. Recebemos a força do alto, chamada Abraão.

2. Trabalhamos duro em nosso desejo de desfrutar dessa força para organizá-la corretamente – isso é chamado de obra de Isaque.

3. Chegamos à linha do meio, a conexão entre a qualidade da luz, a intenção de doar e a qualidade do desejo, e todas elas se fundem na linha do meio chamada Jacó. 5

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá, 15/1/20 , “O Dever de Israel em Relação à Humanidade”
1 Minuto 0:20
2 Minuto 7:30
3 Minuto 13:00
4 Minuto 19:00
5 Minuto 23:40

Mudando Sua Atitude Em Relação Ao Mundo

laitman_293.1Pergunta: Algumas pessoas, sentindo a falta de algo, automaticamente se sentem infelizes. Isto é, existe um modelo difundido na sociedade de que felicidade é alegria e prazer contínuos. Não deveria haver sofrimento na minha vida. De onde vem esse modelo?

Resposta: Esta é a formulação errada da felicidade, a formulação errada da pergunta, e a educação errada. Não conhecemos nossa natureza e, portanto, infelizmente, somos infelizes.

Se entendêssemos quem somos e o que somos, poderíamos nos formar para que nossa estrutura e atitude em relação a qualquer estado fossem perfeitas.

Isto é o que a Cabalá faz. Ela não muda o mundo, não diz que você precisa mudar algo ao seu redor. Você deve mudar sua atitude em relação ao mundo. Então será feliz. E estará em um estado absoluto.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 15/12/19

Por Que Precisamos Deste Mundo

laitman_294.1Como uma pessoa se eleva de um estado devastado para a grandeza do Criador, para a fé acima da razão? Na verdade, uma pessoa é incapaz de sair de um estado de devastação genuína, porque esta é a abertura de um novo espaço que estava vazio durante a quebra de Adam haRishon que precisamos corrigir e preencher com a luz da conexão. Portanto, não temos forças e meios para isso. Neste mundo, não há forças capazes de preencher esse vácuo espiritual, e não temos meios espirituais.

Mesmo se já estivéssemos no mundo espiritual, em graus espirituais, não poderíamos corrigir esse espaço vazio que nos é revelado. Isso acontece sempre que novos desejos são revelados que não tínhamos anteriormente. A cada passo, desejos quebrados mais fortes se manifestam; portanto, toda a nossa experiência anterior não ajuda.

Portanto, estamos neste mundo, em um grupo físico material que devemos usar para subir de um nível para outro. Agora entendemos por que essa realidade é necessária. Quando caio, permaneço vazio, sem apoio no passado e sem esperança para o futuro, sem chance de ir de um passo a outro, porque o nível está quebrado e é impossível entender e ver algo nele. A única coisa que pode ser feita é ingressar no grupo e começar a trabalhar de novo: unir-se aos amigos, tentar se envolver com eles o máximo possível, atraindo a luz que reforma, e o Criador terminará esse trabalho para mim.

Portanto, até que concluamos todas as correções, não podemos nos libertar deste mundo. Este sistema deve existir. De fato, quando um novo espaço vazio é revelado, ou seja, o próximo Reshimo quebrado na cadeia, eu não tenho outra escolha senão me juntar ao grupo e obter novas forças de nossa conexão para a subida. E assim é sempre. 1

É dito: “O que a mente não faz, o tempo faz”. E o tempo é uma sequência de ações, impressões que eu preciso passar para entender que não tenho nada além de um grupo. Por outro lado, eu tenho um grupo, que maravilhoso!

Na medida em que estou caindo agora, começo a apreciar o grupo. E essa não é uma queda, mas um novo grau não corrigido. Se eu entrar no grupo e cair nos braços de meus amigos, eles me salvarão. Portanto, o estado material, ou seja, a conexão, o centro das dezenas, é tão importante para entrar na escada espiritual. Se não imagino todo esse sistema, não sinto onde está localizado o centro da dezena, o grupo e eu dentro dele, se não formar esse modelo de conexão, não poderei obter um único Reshimo quebrado. Afinal, a pessoa só pode subir através de uma conexão com a dezena. O modelo da dezena deveria começar a viver em mim, cada vez esclarecendo mais e mais. Portanto, a realidade deste mundo em que estamos é tão importante. 2

Da 1a parte da Lição Diária de Cabalá 30/11/19, “O Trabalho na Fé Acima da Razão”

1 Minuto 1:00
2 Minuto 6:00

Mundo – Realidade Ou Ilusão? Parte 16

Laitman_049.04Reação Às Nossas Sensações

Pergunta: Se a realidade que sinto é apenas uma reação dentro de mim, como posso sentir algo fora dessa reação?

Resposta: Você não pode. É impossível. Sempre sentimos apenas a nós mesmos, nossa reação a algo que está acontecendo e nada mais.

Na medida em que somos como aquilo que está acontecendo, sentimos isso com base em nossa reação.

Como alcançamos o Criador? Devemos criar essas qualidades em nós mesmos chamados “o Criador”, e então nós o entenderemos e sentiremos. Apenas desta maneira.

Em relação a qualquer coisa que sentimos, o Kli (vaso) sente apenas o que sente dentro de si e nada mais.

De KabTV, “Fundamentos da Cabala”, 15/09/19

Mundo – Realidade Ou Ilusão? Parte 14

laitman_572.02Além Da Correção Absoluta

Pergunta: Uma alma é dividida em 600.000 partes. Cada uma quebrou de maneira diferente. A experiência de cada uma delas desempenha um grande papel e é muito importante. Voltaremos à alma comum e depois perceberemos tudo como o Criador?

Resposta: Quando retornarmos juntos à alma comum, seremos capazes de alcançar o Criador em relação a nós? Sim, mas como qualquer ação do mundo, nós compreendemos a ação, por exemplo, o efeito da eletricidade, magnetismo, gravidade, etc. Isto é, atingiremos esses fenômenos, mas não Ele.

Na Cabalá, em vários lugares, é sugerido que existe outro grau em que a criação se afasta de si mesma, se inclui no Criador e começa a alcançar não Suas consequências, não Seus efeitos, mas Ele. No entanto, não consigo imaginar tal ascensão. Isso está além dos limites da correção absoluta. É bem possível que isso também exista.

O fato é que nessas fases de nosso desenvolvimento estamos mudando totalmente. Nosso sistema de percepção, lógica, tudo está mudando. Já não vivemos no espaço tridimensional: bom-mau, doação-recepção. Nós começamos a existir em dimensões completamente diferentes. Portanto, é um problema dizer o que existe durante a realização do Criador. Até agora, é um problema.

De KabTV, “Fundamentos da Cabalá”, 15/09/19

Mundo – Realidade Ou Ilusão? Parte 12

Laitman_096O Criador É A Única Realidade

Pergunta: Nós somos uma realidade integral junto com o Criador?

Resposta: Não, de maneira alguma somos uma única realidade com o Criador. A única realidade é o próprio Criador. Nós como que existimos fora Dele.

Isso é algum tipo de fantasma, algum tipo de “espírito” que supostamente existe fora do Criador, a fim de começar a sentir-se, posicionar-se corretamente com o Criador e aproximar-se Dele.

De KabTV, “Fundamentos da Cabalá”, 15/09/19

Nosso Mundo E Este Mundo

laitman_547.03Pergunta: Nos escritos do Baal HaSulam, vemos os conceitos “nosso mundo” e “este mundo”. Qual é a diferença entre eles?

Resposta: Nosso mundo é o que sentimos em nossas qualidades. Este mundo é como os Cabalistas falam sobre o grau mais baixo, que ao mesmo tempo é chamado de “nosso mundo”.

Tudo depende do observador. Se observarmos o que está acontecendo ao nosso redor, chamamos de “nosso mundo”. Se a Cabalá fala sobre isso como o nível mais baixo dos mundos, então chama de “este mundo”.

De KabTV, “Fundamentos da Cabalá”, 06/10/19

Nosso Mundo É Uma Marca Do Mundo De Assia

Laitman_912Pergunta: Nosso mundo é parte do mundo de Assia e, ao mesmo tempo, como se fosse parte dos mundos espirituais. Mas eles diferem no grau de doação, que não existe em nosso mundo. É possível que, talvez, nosso mundo tenha surgido separadamente, não como parte do espiritual? Afinal, aqui está uma qualidade de existência diferente. Por que ele está incluído neste sistema?

Resposta: Antes de tudo, é escrito por Baal HaSulam. Esta é a primeira e muito simples resposta. Eu sempre me refiro às fontes.

Segundo, nosso mundo está debaixo de todos os mundos espirituais e é uma impressão do mundo de Assia, no qual existem as mesmas partes que nos mundos espirituais. No entanto, nos mundos espirituais, essas partes estão conectadas pela lei de doação, amor e interconexão, e em nosso mundo pela lei de recepção e rejeição.

Em detalhes, nosso mundo e o mundo espiritual são absolutamente idênticos. Mas dizer que o nosso mundo foi criado separadamente é impossível. Você pode imaginar o que quiser. Nós tomamos o que a Cabalá diz como fundamento. Isso é tudo o que posso dizer.

Leia as fontes. Tudo está descrito lá e explicado um pouco mais do que analisamos em palestras. Eu acredito que você só precisa mastigar tudo isso sozinho, engolir e digerir.

Isso lhe dará não apenas compreensão, mas a sensação de quanto o nosso mundo material está conectado ao mundo espiritual, suas semelhanças e contrastes, como o mundo espiritual afeta esse mundo, etc.

Quando falamos sobre a semelhança do nosso mundo com o mundo superior, queremos dizer apenas sua estrutura, não suas qualidades e sua administração. Embora nosso mundo seja uma impressão do mundo superior, ele é feito de material totalmente diferente. O mundo espiritual é o material de doação, amor e conexão e o nosso mundo é absolutamente oposto a ele, egoísta.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 10/06/19