Textos com a Tag 'Amor'

O Método De Correção, Parte 9

laitman_938.02Cuidar Um Do Outro

Baal HaSulam, “O Amor de Deus e o Amor do Homem”: Está claro, sem dúvida, que se 600.000 homens não têm outro compromisso na vida a não ser ficar de guarda e ver que não há necessidade de ficarem insatisfeitos com seus amigos, e até o fazem com amor verdadeiro, com toda a alma e força, não há absolutamente nenhuma dúvida de que não haverá necessidade de ninguém se preocupar com seu próprio sustento, pois terá 600.000 pessoas leais e amáveis ​​cuidando dele, para que nem uma única necessidade seja deixada insatisfeita.

Pergunta: Estamos falando de algum tipo de sociedade, uma vez que uma pessoa não pode fazer isso? Uma pessoa precisa ver esses exemplos, e não apenas exemplos, mas esse tipo de relacionamento entre as pessoas?

Resposta: Naturalmente. Garantia mútua é quando todos se apoiam mutuamente, quando a pessoa pensa nos outros e não em si mesma; eis a lei da garantia mútua.

Pergunta: Baal HaSulam mais tarde escreve que é necessário um certo número de pessoas para cumprir a lei da garantia mútua. Por quê?

Resposta: Porque uma pessoa não pode prover tudo o que precisa. No entanto, se um certo número de pessoas está preocupado com isso, o que depende do tempo em que vivemos, do nosso estilo de vida, etc., então não temos com que nos preocupar. Somente se nos importamos com os outros, não precisamos nos preocupar conosco.

Observação: No entanto, Baal HaSulam escreve que, mesmo que uma única pessoa caia no egoísmo e comece a pensar apenas em si mesma, todo mundo também deixa de se importar um com o outro.

Meu Comentário: Aqui estamos falando de um sistema perfeito, pois Baal HaSulam descreve leis absolutas. Em geral, é assim que deve ser.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 07/02/19

O Método De Correção, Parte 8

laitman_933Quando Um Amigo Está Sempre Diante De Seus Olhos

Baal HaSulam, “O Amor pelo Criador e o Amor pelos Seres Criados”: Afinal, uma pessoa certamente se ama com todo o coração, alma e força, mas, no que diz respeito ao Criador, ela pode se enganar; e com seu amigo, ela sempre se espalha diante de seus olhos.

A lei da correção de se relacionar com um amigo é ainda mais importante do que se relacionar com o Criador, porque é assim que a pessoa pode se aproximar dele. Não consigo imaginar o Criador, mas um amigo está constantemente à minha frente e posso verificar claramente como me relaciono com ele.

Observação: Baal HaSulam escreve que o método de correção da percepção egocêntrica do mundo, com as preocupações de autossatisfação e preenchimento, foi dado a toda a nação, que era um conjunto de representantes das diferentes nações da Babilônia.

Meu Comentário: Eles receberam a condição de que todos tinham que aceitar o princípio de “amar o próximo como a si mesmo” como um meio de alcançar a adesão ao Criador.

Naquela época, a antiga Babilônia estava passando por um declínio, que é chamado de “torre babilônica”. O egoísmo subitamente subira, o ódio entre si irrompeu, e as pessoas tornaram-se incapazes de coexistir pacificamente entre si, o que levou à destruição do império babilônio. O mesmo aconteceu durante o tempo do rabino Akiva no momento da destruição do Templo.

Pergunta: Nós recebemos o amor próprio para que percebêssemos com que finalidade devemos amar um amigo, cuidar dele?

Resposta: Claro. Somente pelo oposto você pode entender.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 07/02/19

Uma Ponte De Amor Sobre Um Abismo De Ódio

laitman_962.6O Arvut (garantia mútua) é uma conexão especial, a conexão correta entre desejos desfeitos em um homem com um coração. Acontece que não é apenas uma pessoa, mas como se fosse uma, como se estivesse em um desejo. Uma profunda diferença permanece entre um e outro, a oposição polar e o ódio não desaparecem, mas são cobertos de amor. Estamos construindo uma ponte de amor colocada sobre o abismo do ódio. O ódio, combinado com o amor, nos dá uma compreensão e um sentido do que é chamado de Criador: um estado especial, uma qualidade única, que surge de uma combinação de opostos incompatíveis.

Dos dois extremos que se negam, nasce uma força que não é deste mundo, a luz que reforma, que constrói uma conexão entre nós que nos permite entender o que é o Criador. Como resultado do confronto das duas forças, amor e ódio, e sua união, surge uma linha do meio, chamada Criador. 1

O Arvut é a sensação da rede compartilhada em que estamos. A princípio, parece-nos que não há conexão entre nós. Mas esse sistema geral surge gradualmente: degraus e mundos espirituais. Embora não o sintamos agora, ele existe e queremos revelá-lo. Enquanto eu estiver incluído neste sistema geral, posso usá-lo e me sentir confiante.

Primeiro, devo fazer um esforço para trazer a luz e unir nossa dezena em um Partzuf espiritual. A luz nos une em uma criação, em Malchut. Antes disso, não somos uma criação porque Malchut está com dez pontos conectados, prontos para trabalhar juntos. Somente juntos eles podem conhecer o Criador.

A rede geral é a alma comum de Adam HaRishon; somos todos partes dela. Cada pessoa é uma partícula nesse desejo comum. De fato, estamos todos conectados por garantia mútua, fundidos em uma alma, preenchida com o Criador.

Cientistas e biólogos dizem que existe uma conexão universal na natureza: todas as plantas estão conectadas umas às outras por uma rede subterrânea invisível, todos os peixes no oceano e todos os pássaros se sentem. Começamos a revelar que o mundo age como um sistema único no qual estamos localizados e inconscientemente cumprimos suas leis. Precisamos nos unir conscientemente, por nossa própria escolha, participando intencionalmente de seu controle. Para isso, recebemos qualidades humanas especiais: imaginação, pensamento, desejo e sensibilidade.

Todo esse sistema está quebrado, completamente misturado, e nos é revelado em seu nível mais baixo, chamado “este mundo”. Precisamos começar a desmontar e conectar este sistema, assim, alcançaremos o nível do Criador, e construí-lo. 2

Da 2ª parte da Lição Diária de Cabalá 08/08/19, Escritos de Baal HaSulam, “O Arvut (Garantia Mútua)”

1 Minuto 00:18
2 Minutos 14:00

O Amor Cobre Todos Os Crimes

laitman_963.1Está escrito: “O amor cobrirá todos os crimes”. De que crimes estamos falando? Crimes são tudo que me impede de entrar na espiritualidade. Eu não cometo nenhum crime porque, inicialmente, estou cheio deles como resultado da destruição da alma organizada pelo Criador. Quando começamos a estudar Cabalá e a trabalhar em grupo, entendemos o que nos impede de revelar o mundo espiritual e o Criador, e que obscurece a verdadeira realidade de nós, toca os ouvidos, fecha os olhos e todos os sentidos. Estamos em um mundo ilusório que não tem conexão com a realidade; é tudo crime porque esconde a espiritualidade de nós.

O Criador preparou todos esses crimes, essa ocultação em que vivemos. Precisamos saber disso para entender que ocultação é toda a minha vida e existência.

A ocultação é o resultado de minhas qualidades porque “todos julgam de acordo com as próprias falhas”. Portanto, eu descrevo o mundo dentro de minhas qualidades e o vejo como corrompido, em vez de ver o mundo real fora de mim.

A sabedoria da Cabalá nos ajuda a mudar do mundo que estamos imaginando para o mundo real. O mundo real é o Criador. O mundo do engano em que estou agora, o mundo do crime, é o anti-Criador. Não é apenas o oposto do Criador onde eu vejo, em vez dele, o Faraó em toda sua força e força de egoísmo. Tal Faraó eu revelarei como a linha esquerda apenas em graus muito altos da realização do Criador.

Agora, no entanto, infantilmente, eu sinto e imagino um pequeno mundo sombrio dentro de meus desejos superficiais. A sabedoria da Cabalá nos ensina a verdadeira percepção da realidade e como transformar o engano em verdade, que botão pressionar para mudar o programa para ver, em vez de uma representação falsa, a representação verdadeira.

Apenas o meio preparado pelo Criador pode me ajudar nisso: o grupo. Não importa o quanto eu odeie os amigos e os repele por causa da minha natureza egoísta, o principal não é deixar esse caminho, mas continuar sempre, ano após ano. Eu concordo em estar em busca da verdade, mesmo que não consiga um resultado visível.

Afinal, é melhor estar no caminho da verdade, buscando a verdade, do que viver em um mundo de engano, como no efeito de uma droga mortal, dentro da ilusão criada pelo Criador para aqueles que ainda não estão prontos para transformar uma mentira em verdade.

Em toda a realidade, há uma parte designada para me ajudar e é o grupo. A influência do ambiente é o nível com o qual eu posso transformar o mundo. Parece tão pesado e entediante para nós, mas pouco a pouco depois de muitos anos, finalmente percebemos que não há escolha: o único meio de mudar nosso mundo é mudar a nós mesmos através do grupo, subjugando-se diante dele. 1

A Convenção europeia mostra o estado quebrado do mundo para nós da forma mais interna e verdadeira. A Convenção é minha dezena, apenas em uma resolução diferente, ampliada, em uma escala diferente. Oitocentos amigos que compareceram é minha dezena. Devo me relacionar com eles dessa maneira, afinal, cada um deles carrega uma parte do Criador dentro de si.

Se eu tratar todo mundo como uma dezena, não sentirei falta de nada da minha alma, eu os conecto e recebo apoio deles porque eles querem a mesma coisa. Acontece que, se atingirmos tanta intensidade, por meio de nossos esforços conjuntos, poderemos revelar o Criador imediatamente, entre nós.

Este é o primeiro grau espiritual, o primeiro exercício que precisamos fazer de acordo com o princípio “o amor cobrirá todos os crimes”. De onde vem o amor? Vem do fato de que eu amo o ponto espiritual que está em todos, “a parte divina de cima”. Eu conecto esses pontos construindo a partir deles a imagem do Criador. 2

Eu tenho que ver mil pessoas como um grupo. Esta é a minha dezena, apenas sob a lupa que multiplica tudo cem vezes. Todos os distúrbios e a conexão que quero alcançar acima deles – tudo isso é cem vezes maior. 3

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá, em 11/11/19, “O Amor Cobre Todos os Crimes” (Preparação para a Convenção na Bulgária)

1 Minuto 00:30
2 Minuto 25:20
3 Minuto 48:00

Procurando Por Amor

laitman_294.2No próximo grau, uma carência ainda maior é sentida: a carência de amor. A necessidade de amor é um tesouro e eu sofro pelo fato de não haver amor em meu coração. 1

A necessidade de amar é um novo Kli. Em nosso mundo, o amor murcha porque recebemos o que desejamos e desfrutamos. Como podemos desfrutar do amor de tal maneira que ele continue constantemente a crescer? Eu devo sentir a necessidade de amar e desfrutar não usando meu ente querido por prazer, mas ansiando por ele.

Esse anseio é o meu Kli e a única alegria que desejo. Não quero revelar o Criador, mas estou satisfeito com meu desejo por Ele, com a grandeza daquele que preencho. Esse amor nunca murcha. Se esse amor existisse em nosso mundo, nunca haveria divórcio. Nós devemos trabalhar com esse amor.

Nós mudamos nossa atitude em relação à unidade. Nosso Kli se torna diferente, nós gradualmente o abordamos sob um novo ângulo: em vez de desejar alcançar a meta, eu desfruto do meu desejo por ela. Quero permanecer nesse anseio e receber dele satisfação como no meu primeiro amor, nos pensamentos românticos, no fato de que gosto de olhar para o objeto do meu afeto, de ouvir a voz deles. O Criador dá a todos um exemplo na vida; a partir dele podemos entender como isso funciona na espiritualidade.

Nós podemos viver no prazer de lutar pelo Criador. Então não seremos mais enganados como antes, quando queríamos revelá-Lo e desfrutar desse amor. Isso é mentira, e é assim que o matamos. O amor só pode ser desfrutado se você ultrapassar seus desejos egoístas. Qualquer relacionamento abaixo desse nível destrói o amor.

Portanto, o espiritual e o corporal são dois mundos diferentes. Na vida corporal, amamos da maneira que podemos, mas na espiritualidade, o amor deve ser edificado sobre a fé acima da razão.

Baal HaSulam, “Carta nº 19”: “Isso significa que, durante a preparação, a beleza e a graça aparecem e a essência da perfeição que a pessoa deseja e anseia. No entanto, no momento da correção, quando ‘a terra estiver cheia do conhecimento do Senhor’, então ‘verei um mundo oposto’, porque apenas o medo e o anseio são a essência da perfeição desejada. Então a pessoa sente que, durante o tempo de preparação, estava mentindo para si mesma”.

De fato, dessa maneira, nosso vaso espiritual não é limitado, podemos sentir a eternidade nele: o Criador. A necessidade de amar é prazer: alegria de ansiar e desejar. É exatamente nesse anseio que o amor é alcançado, não em recebê-lo e em saciar-se com ele, o que destrói tudo. Vemos que esse amor acaba e se transforma em ruínas. O desejo de amar não é um vazio, mas uma satisfação que nunca acaba. Cada vez você pode aumentá-lo, como o amor por um bebê que nunca acaba; ele existe para toda a vida.

O objetivo do Congresso na Bulgária é aprender a amar, a revelar um desejo genuíno em relação ao Criador e dar o maior salto em direção ao primeiro grau espiritual. O amor genuíno é realizado no grupo, em unidade pelo bem da doação em que o Criador pode se vestir. Isso significa que o Criador se veste de acordo com Suas criações.

Todos experimentam seu primeiro amor na juventude; ele nos é dado de cima como um exemplo de amor platônico altruísta. Mas nós entendemos que é impossível alcançar o amor perfeito em nossos desejos corporais, exceto na condição de nos elevarmos acima deles. É por isso que recebemos um exemplo em nossa infância de que desfrutamos não do relacionamento físico, mas dos sonhos de nosso amado.

Esta é a atitude que devo ter em relação ao Criador: desfrutar do meu desejo por Ele, para que ele me preencha completamente. Eu estou contente só de pensar no Criador, sonhando em trazer-Lhe alegria. Este é um Kli ilimitado que sempre pode ser expandido ainda mais. Este não é o desejo romântico que sentimos na infância, mas o desejo de doar, que é muito profundo e sério. Ele é mais importante que este mundo inteiro e todos os desejos de desfrutar.

Internamente, existem muitas propriedades diferentes, as guerras são travadas não pela vida, mas pela morte, e todas sobre esse relacionamento: pelo prazer de lutar em relação ao Criador. Isso significa trazer alegria ao Criador. O que mais podemos dar a Ele; o que podemos acrescentar à Sua perfeição? Somente nossa aspiração a Ele.

Dizem: “Cuidado ao buscar o amor”. Não quero receber o que quero, porque isso destruiria meu amor, enfraqueceria e desapareceria imediatamente. Portanto, eu só preciso da aspiração.

Isso se origina desde o início da criação, a partir das quatro fases da luz direta. A qualidade do estágio quatro (Behina Dalet) é restrição e anseio. Eu não quero receber nada, porque senti vergonha e entendi que estou destruindo o modo como o Criador está se relacionando comigo e, nesse caso, nada pode acontecer entre nós. É bom que tenha desenvolvido um sentimento de vergonha, um aviso sobre minha incapacidade de amar. Portanto, restrinjo meu desejo.

Quão grande é o fato de eu ter encontrado uma solução: a restrição após a qual existe apenas a luz refletida, apenas o anseio pelo Criador. A restrição permanece entre nós, eu não a revelo, porque isso é chamado de revelação da nudez. Nós não podemos fazer isso. Eu sempre permaneço apaixonado acima da razão, e o amor romântico me preenche completamente.

Eu cubro a fonte do meu amor com uma tela para que possa me relacionar com ele acima dos meus desejos animalescos, acima do desejo de desfrutar. 2

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 13/10/19, Preparação à Convenção da Europa

1 Minuto 1:17:35
2 Minuto 1:20:30

Cinco Tipos De Amor

laitman_258Observação: As pessoas percebem a atitude dos outros de maneira diferente. Gary Chapman, consultor de relacionamento e autor do livro The Five Love Languages (As Cinco Linguagens do Amor, em tradução livre), dos quais cinco milhões foram vendidos, descreve as diferentes abordagens e percepções de cada tipo de pessoa, a maneira como elas percebem o amor.

Ele diz que existem cinco tipos de amor.

O primeiro é quando as pessoas gostam de palavras. Quando o amor é expresso por palavras de encorajamento, apoio e louvor.

Meu Comentário: Geralmente, mulheres e crianças pequenas gostam disso.

Observação: O outro tipo de amor é o “tempo”. Aqui, pelo contrário, as palavras não são necessárias. Você precisa passar um tempo com a pessoa, prestar atenção nela, estar com ela e assim por diante.

Meu Comentário: O próprio tempo organiza tudo entre eles. O tempo afeta a todos. Como diz o ditado: “O tempo é um grande curador”. As coisas mudam ao longo do tempo.

Observação: Existe um tipo de amor chamado “toque”. Isto é, as pessoas gostam de sensações táteis: quando são abraçadas, acariciadas e experimentam emoções positivas com isso.

Meu Comentário: Todo mundo gosta disso: crianças, mulheres, animais e até homens.

Observação: O próximo tipo de amor é o de “presentes”. Tudo é importante, como uma bugiganga, um presente, uma nota, algum tipo de surpresa ou algo inesperado.

E o quinto tipo de amor é “ajuda”. Faça algo pelo outro, expresse sua atenção com ações, passe uma camisa, limpe o chão, cozinhe o jantar ou apenas ajude com alguma coisa.

Os cientistas dizem que os conflitos entre casais surgem devido à falta de entendimento. Se quero ouvir palavras agradáveis ​​e prazerosas ​​e a outra pessoa quer uma camisa passada ou passar um tempo juntos, temos um conflito, simplesmente não nos entendemos. Isto é, os conflitos surgem precisamente por causa de mal-entendidos.

Meu Comentário: Depende do consumidor, por assim dizer, com quem estou lidando.

Não posso dar fraldas passadas a uma criança e conquistar seu amor com isso; ela não vai entender. Mesmo se eu lhe der uma comida saborosa e boa. Ela precisa de um calor especial, tratamento especial e garantia.

Se eu lidar com um animal, devo tratá-lo em seu nível, para que ele sinta que pode confiar em mim, que sou seu dono, o protejo, o alimento, dou água e cuido dele. Isto é, sou seu grande companheiro e amigo.

Se estamos falando do amor amigável entre os homens, então, antes de tudo, isso significa apoiar e entender um ao outro.

Se é um amor entre um homem e uma mulher, tudo vai bem: qualquer coisa que um homem goste e qualquer coisa que uma mulher goste. E um não gosta do que o outro gosta. No entanto, se eles entenderem o que o outro gosta, podem se organizar de tal maneira que desfrutarão até de coisas que nunca poderiam imaginar e inventar sozinhos, mas porque o outro gosta delas.

Uma mulher gosta de presentes, sinais de amor, atenção e assim por diante. Um homem, antes de tudo, gosta de ser servido e alimentado: “O caminho para o coração do homem é através do estômago”. Isso é verdade porque, no que diz respeito à comunicação e principalmente ao amor, os homens são mais primitivos que as mulheres. Se uma mulher pode, de alguma maneira, lembrá-lo de sua mãe, sua atitude em relação a ele, então pronto. Ele já a está seguindo como um patinho atrás do pato.

Observação: Vimos que, ao longo dos anos, as relações entre casais se desenvolvem. Primeiro, há um período romântico, depois ele se transforma em um relacionamento mais complexo e, após vários anos, eles descobrem subitamente que não se entendem e não se entenderam durante todos esses anos.

Meu Comentário: Em princípio, isso pode ser ensinado. No entanto, se não existe essa educação ou esses casais ainda são muito jovens e não têm experiência, não sabem como proteger seu relacionamento, não sabem perdoar e fazer um compromisso interno sem sequer falar sobre isso e discuti-lo, então, é claro, é muito difícil.

Precisamos ensinar isso. É um coletivo. Homem e mulher, ou em qualquer outra combinação: homem, mulher e uma criança, ou dois homens, ou duas mulheres. Qualquer número de pessoas é um coletivo e requer uma abordagem completamente diferente do que com uma pessoa. Aqui, é necessário ensinar. Isso é bem complicado.

Vemos que não nos envolvemos nesse trabalho. Ainda hoje, na escola, ensinam sexo e não ensinam como tratar o outro como pessoa e não como objeto de realização sexual. É muito unilateral, bruto e bestial. Isso significa que não há educação.

Eu me lembro que quando ainda morava em Leningrado e estudava na faculdade de cibernética médica, chegamos à maternidade número dois de Leningrado. Havia 400 parturientes lá. Perguntei ao médico: “Que treinamento psicológico você realiza com elas?” Ele disse: “Infelizmente, não temos esses especialistas”.

Observação: Vemos que, ao longo da história da humanidade, o amor é mais valorizado. Poetas e escritores o louvam. Pessoas como se seguissem um sonho ilusório.

Meu Comentário: Eles querem vender esse sonho ilusório.

Pergunta: Por que a humanidade precisa de amor?

Resposta: A humanidade precisa de amor, porque sem ele não pode haver vida no nível animado ou no nosso nível.

Mesmo no sexo, vemos algum tipo de necessidade de algo maior, embora seja puramente mecânico e animalesco, por uma questão de prazer naquele momento e nada mais.

Se o sexo fosse apenas sobre isso, estaríamos apenas acasalando como animais. Mas precisamos de carinho e cuidado, de apoio mútuo, o que chamamos de amor.

O amor é apoio mútuo. Amor é o sentimento de ser amado, de ser cuidado, de ser amado do jeito que você é. Essas são emoções muito sérias; os animais não as têm. Mesmo no que diz respeito aos filhotes, os animais só têm sentimentos por um curto período de tempo para amamentá-los, para que não morram de fome, e depois se separam e nem sequer percebem e se reconhecem.

Observação: Sempre existe um momento de amor quando duas pessoas aparentemente se amam, mas uma imagina o amor de uma maneira e a outra de outra maneira.

Meu Comentário: É porque não temos educação. O amor é um relacionamento humano, uma necessidade, uma atitude em relação ao outro. Portanto, precisamos estudá-lo e ensiná-lo. Não é sexo, mas a capacidade de satisfazer as necessidades internas da outra pessoa. Pode não ter nada a ver com sexo.

Pergunta: O que estudamos sobre o amor? Como cumprir, como mudar meus hábitos, a fim de tratar o outro para que ele lhe dê prazer?

Resposta: Para isso, é necessário sentir que tipo de pessoa ele é. Isso requer um trabalho mútuo sério. E não seja tímido. “Eu gosto quando você me acaricia”. “E gosto quando você sorri”. E assim por diante. Explicar. Tudo é muito simples.

“Não, eu quero que ele adivinhe!” Como ele pode adivinhar?!

Devemos entender e conversar abertamente sobre isso e discuti-lo. Embora os jovens não gostem nada disso, parece-lhes que tudo deve ser espontâneo, simples e imediato. Uma pessoa é um animal muito complexo e multifacetado.

Pergunta: Qual é a chave que você daria às pessoas pela lei do amor que as ajudará nos relacionamentos em qualquer situação?

Resposta: Em qualquer situação, a primeira coisa é conceder, como meu professor disse. O amor é um animal que está ao seu lado e você deve alimentá-lo com concessões mútuas.

É da natureza da mulher se adaptar a um homem. Eu não a menosprezo por isso, pelo contrário. Ela é sábia. Afinal, ela dá à luz. Ela tem que criar um certo ambiente para criar filhos, e assim por diante. Isto é, a natureza deu-lhe tais capacidades.

O homem é muito primitivo. Ele só precisa ser lembrado um pouco das coisas que recebeu de sua mãe e estará correndo atrás de você como uma criança atrás de sua mãe. Isso é tudo.

Eu recomendo a todas as mulheres: vá até a mãe dele e comece a perguntar que comida ele gosta, que tipo de serviço e tudo ao seu redor. A mãe ficará muito satisfeita! Ela entenderá que esta é realmente a mulher que poderá substituí-la.

Este é um sistema de relações primitivo muito simples: pensar apenas em como dar prazer ao outro, pelo menos um pouco, apenas um pouco. No entanto, isso já requer sabedoria, experiência e compreensão da psicologia humana.

Boa sorte no amor!

De KabTV, “Notícias com Michael Laitman”, 19/12/18

Pelo Amor Dos Amigos

laitman_947Pergunta: Quando há um desejo de satisfazer um amigo, nos esquecemos de nós mesmos. Em teoria, esse desejo só por si seria suficiente para me anular de alguma forma?

Resposta: Sim, talvez, por enquanto. Provavelmente isso mudará mais tarde. O que significa satisfazer um amigo? Significa que você está preparado para sacrificar tudo, se somete ele receber o que quer.

Pergunta: O meu desejo de satisfazer o amigo é egoísta?

Resposta: Não importa que seja egoísta. No momento, não verifico se é egoísta ou não. Ainda não estou em posição de ponderar egoísmo e altruísmo. Estou preparado para satisfazer o amigo com o que ele quiser. Isso se chama amor por ele.

Então, há graus em que subirei e descobrirei que isso é amor egoísta e, de fato, nem mesmo pelo amigo, mas por mim mesmo, que satisfaço meus desejos dessa maneira.

Aprendemos que o amor pelo amigo só é possível acima do próprio ódio. É preciso sentir o  próprio ódio e, na mesma medida, sentir o amor pelos outros. Será então o amor pelo amigo e não pelo meu novo desejo, porque isso é autoengano.

Da Convenção na Moldóvia “Dia Um” 06/09/19, “Dissolver-se nos Amigos”, Lição 1

O Amor É O Preenchimento Dos Desejos Dos Outros

Laitman_138Pergunta: Por que os Cabalistas usam constantemente a palavra “amor”?

Resposta: Nossa matéria e a matéria de toda a natureza é o desejo. Amor é satisfação mútua, quando eu satisfaço seus desejos e você satisfaz os meus, e somente graças a esse estado nossas vantagens e desvantagens se conectam, e nos transformamos em um único corpo espiritual, em um único desejo.

Pergunta: Se, em vez de “amor”, eu digo “a força da atração”, isso está correto?

Resposta: Diga “a força da gravidade, da unidade ou da conexão”.

Observação: Afinal, as frases “amor ao próximo” e “ama o próximo como a si mesmo” são muito usadas e nos confundem muito.

Meu Comentário: Eu entendo. Lembro-me que também me deparei com isso. Agora não consigo imaginar alguma atração carnal como sinônimo de amor. Afinal, esses são instintos animais.

Pergunta: O método da Cabalá consiste em estabelecer a conexão correta entre as pessoas. Com isso, como escreve Baal HaSulam, invocamos energia dos estados em que estávamos anteriormente. A energia começa a nos afetar e a nos unir da mesma maneira que as moléculas uma vez se uniram. Apenas que a aproximação delas era inconsciente, e devemos fazer tudo conscientemente.

Que ação é essa de se aproximar de outras pessoas? O que devemos fazer?

Resposta: Devemos perceber os desejos de outras pessoas e tentar preenchê-los, e eles devem fazer o mesmo com seus desejos.

Talvez, de alguma forma, possamos sentir os desejos dos outros, embora isso seja muito difícil. Não temos ideia de como realmente fazer isso. Se quisermos preenchê-los, começaremos a sentir o quanto nosso egoísmo neutraliza isso. Teremos então que lutar conosco mesmos, nos colocar abaixo dos outros, e essa já é uma ação espiritual.

Pergunta: Como vou preencher os desejos dos outros, se não posso nem mesmo preencher os meus próprios desejos?

Resposta: Você não precisa. Deixe seus desejos em paz e preencha os outros. Então você verá que somente dessa maneira pode se preencher.

Pergunta: Mas eles têm muitos desejos. Eu não estarei apenas ocupado preenchendo-os o dia todo.

Resposta: Significa que você estará ocupado se preenchendo o dia todo. Somente através dos outros você pode se preencher. É por isso que a humanidade está se tornando cada vez mais devastada.

Observação: Sim, mas não me sinto assim. Eu não gosto de preenchê-los. Só se eu amo alguém, então, sim.

Meu Comentário: Portanto, você deve exigir que tenha amor por eles. Isso já está acima do seu egoísmo.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 11/11/18

Sabedoria E Amor

laitman_608.02Pergunta: Quais são os estágios para se obter sabedoria e amor na Cabalá?

Resposta: Onde há sabedoria, existe amor. Onde há amor, é claro, há sabedoria.
Sabedoria chamamos a luz de Hochma que se espalha na luz de Hassadim.

Hassadim é a luz de devoção, doação incondicional e absoluta, acima de todos os problemas, além de toda razão.

“Acima” não significa que você não tem razão. Pelo contrário, você tem uma mente enorme e ainda está pronto para dar tudo. É nesta devoção que você começa a sentir o Criador, e nisso você sente amor.

Da Lição de Cabalá em Russo, 24/03/19

O Amor Cresce Constantemente

laitman_276.05Precisamos entender que o desejo de receber nunca será preenchido porque não é o egoísmo que é preenchido, mas a intenção de doar. Nós nos voltamos para o Criador na fé acima da razão. Em vão, esperamos nos preencher com a sensação do Criador, para alcançar Sua revelação. De fato, devemos formar Sua imagem dentro de nós mesmos; isso é o que nos preencherá.

A diferença é que não é o Criador que vem e me preenche, mas eu estou cheio do desejo por Ele, construindo Sua imagem dentro de mim pelo fato de que quero me assemelhar a Ele.

Nós não podemos ser preenchidos com amor. Se eu recebo conteúdo de alguém que amo, o amor desaparece rapidamente, queima e pode até se transformar em rejeição e ódio. Amor significa que eu constantemente desenvolvo o desejo para com o ente querido e isso sustenta o meu amor. Então eu posso ser preenchido com ele para sempre. Esse anseio, essa paixão, é chamado de luz refletida.

Isso significa que nossa oração deve nos preencher. Ao pedir ao Criador, não esperamos receber nada: o próprio apelo para Ele já será um preenchimento. Acima de todos os tipos de perturbações e obstáculos, queremos desenvolver um apelo ao Criador, fazer uma restrição ao nosso egoísmo, à tela e à luz refletida. Eu não exijo mais nada, sentindo a imagem do Criador que eu construí na luz refletida e isso me preenche. Mas nós nunca alcançamos o próprio Criador.

Como um casal apaixonado, vendo que seu amor está gradualmente desaparecendo, eles pensam em como despertá-lo. Mesmo que ainda não tenha desaparecido, eles tentam aumentar seu amor, porque se você não o reacender, ele desaparecerá. Então eles chegam à conclusão de que isso é impossível; é impossível lutar com a natureza, com o hábito.

A pessoa é incapaz de amar para sempre. Gradualmente, o amor se torna um hábito e o hábito não traz satisfação. Só há uma saída: aumentar o anseio, o desejo, o desejo um pelo outro. Então o amor pode queimar para sempre.

O sentimento entre dois amantes deve sempre se desenvolver. Isso é possível apenas desenvolvendo um sistema acima do desejo egoísta; esta já é uma área espiritual na qual a ciência da Cabalá está envolvida.

A espiritualidade é uma continuação do desenvolvimento corpóreo, mas em uma direção eterna quando o amor cresce constantemente e não se desvanece. Ao mesmo tempo, o sinal de mais e o sinal de menos não se anulam, mas se apoiam mutuamente.

Em essência, estas são as mesmas forças da natureza, apenas organizadas de novas maneiras. Dizem que o Criador não criou nada de novo.1

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 05/07/19, Oração

1 Minuto 38:48