Textos com a Tag 'Amor'

O Que Tornará As Pessoas Mais Amáveis?

546.01Pergunta: Algumas redes sociais ajudam as pessoas a se tornarem mais gentis. Neste tempo tenso, em que a pandemia se alastra, os políticos lutam por votos e os manifestantes exigem justiça racial, a comunicação humana se torna mais importante.

Pesquisadores da Carnegie Mellon University desenvolveram um método automatizado para tornar a comunicação mais educada. Os cientistas têm certeza de que educação e comunicação gentis nos farão bem. Agora eles desenvolveram um método automatizado para tornar a comunicação amável.

Esses algoritmos podem realmente ensinar a uma pessoa uma forma diferente de comunicação e uma linha de pensamento diferente?

Resposta: Em princípio, eles podem, em uma extensão muito pequena. Depende da seriedade com que nos relacionaremos com esse modelo de comunicação, o quanto sejamos capazes de seguir todas essas regras: desculpe, por favor, obrigado – e o tempo todo instilar emoções positivas um no outro, e assim por diante.

Isso pode suavizar a sociedade de alguma forma. Mas em uma extensão muito insignificante porque com isso nos desviamos do propósito da criação.

O propósito da criação é trazer a pessoa à consciência de sua natureza como má. Portanto, precisamos entender que não importa o quão bons, puros e fofos sejamos externamente, fora de nós mesmos, por dentro ainda permaneceremos nojentos, sujos, obscuros e maus. Portanto, isso não nos mudará por dentro, mas nos ajudará a entender rapidamente quem realmente somos por dentro. Assim como quando você acende a luz em uma sala, você pode ver melhor como ela está suja.

Pergunta: Será que todas as mensagens gentis, toda gentileza e polidez apenas ajudam a revelar a negatividade que se esconde por dentro?

Resposta: Claro.

Pergunta: O que acontece depois com uma pessoa?

Resposta: Começamos a sentir quem somos dentro de nós mesmos.

Pergunta: É necessário ter negatividade interna e bondade externa, polidez externa e uma atitude positiva um para com o outro? Ou deveria haver apenas bondade, graça, positividade e comunicação harmoniosa?

Resposta: Devemos lutar constantemente com nossa natureza egoísta gananciosa, e não apenas manifestar tudo isso externamente em uma bela forma em relação uns aos outros, como todos os métodos – aqueles de quem você está falando e outros.

Devemos entender que tudo não reside em belas embalagens externas, invólucros, bonbonnières, mas em mudarmos a nós mesmos, nossa natureza. Só então poderemos realmente alcançar um estado em que a humanidade se tornará diferente. Ela se tornará diferente de si mesma – generosa, amorosa e solidária.

Pergunta: Que ajuda traz este mal no homem? Por que ele é dado a nós?

Resposta: Este mal é necessário para revelar nossa natureza para nós. Essa é a nossa natureza, isso somos nós, não algo artificial, externo, estranho. É assim que nossa natureza é revelada.

Não é fácil revelar a uma pessoa o quão má ela é. Fale com as pessoas e você verá como elas reagem quando você lhes diz quem são. Elas vão odiar você; vão bater em você. Não vão concordar com você. Como você pode acusá-las do que é supostamente errado?!

Uma pessoa não gosta quando isso é apontado para ela. Precisamos revelá-lo – revelá-lo cada um a si mesmo e aos outros e ajudar todos juntos a chegar à conclusão de que somos bestas terríveis e não temos outra escolha a não ser nos corrigir o mais rápido possível; caso contrário, comeremos uns aos outros vivos.

Comentário: Você teve um tweet interessante que dizia que é o ódio que dá conhecimento de como preencher o desejo de outra pessoa. Portanto, a base da vida é o amor próprio e o egoísmo e o resto é seu tempero.

Meu Comentário: Sim. Então, está escrito: “Eu criei a inclinação ao mal e fiz a Torá como seu tempero”.

Pergunta: Por que o ódio ajuda a preencher o desejo de outra pessoa?

Resposta: Porque se transforma em ódio à sua natureza e, portanto, inversamente, na direção oposta, em direção ao amor por outra pessoa. Acontece que, virando meu ódio do avesso, posso odiá-lo em mim mesmo e amar outra pessoa.

Pergunta: Podemos dizer que esse ódio, esse mal que existe na pessoa, deve ser tratado como um sparring que nos ajuda a melhorar?

Resposta: Sim. Isso é chamado de ajuda contra Ele.

Pergunta: O que você diria a todas as pessoas que realmente esperam atitudes gentis, cordialidade e harmonia na comunicação dos outros?

Resposta: Não esperem. Não esperem nada de bom de ninguém. Apenas entendam que tudo depende de cada um de vocês. Mudem a si mesmas – e o mundo mudará.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 01/07/20

Por Que Não Existe Amor Instintivo Entre Nós?

294.4Pergunta: Podemos presumir que o amor instintivo pelos filhos que a natureza nos inspira pode ser usado como um exemplo de nosso relacionamento com outras pessoas?

Resposta: Claro, seria maravilhoso. Isso é o que a ciência da Cabalá exige: uma pessoa deve tratar a todos como sua família porque o mundo inteiro é uma família. Mas ainda estamos longe disso.

Pergunta: Você acha que a unidade familiar foi criada pela natureza para que uma pessoa recebesse pelo menos algum exemplo do amor instintivo que é inerente a nós, e pudesse seguir a vida com esse exemplo?

Resposta: Em princípio, no início, a família era uma unidade na qual várias gerações viviam juntas em estreita ligação umas com as outras. Era assim que a natureza pretendia se o homem, com seu egoísmo, que constantemente se desenvolve nele, não rompesse essa ligação e não construísse algo a partir da boa unidade familiar original que se transformasse em inimizade e ódio mútuos.

Vemos que esses exemplos já estão embutidos em nós. Caim e Abel, embora irmãos, tinham inimizade um com o outro. Neste exemplo, a humanidade mostra como laços familiares profundos e amáveis ​​podem produzir um resultado completamente oposto.

Pergunta: Por que não existe amor instintivo entre os cônjuges? Então a família seria mais forte e a criação melhor.

Resposta: Porque as pessoas sentem uma grande lacuna entre elas. Elas têm um desejo mútuo apenas no instinto sexual. Portanto, não se deve associar o instinto reprodutivo ao instinto de atração. Esses são níveis de relacionamento completamente diferentes.

Pergunta: Mas por que a natureza não criou um amor tão instintivo entre os parceiros como o amor dos pais por um filho?

Resposta: Para que possamos criá-lo. Devemos aprender isso constantemente.

E o nosso amor instintivo pelos filhos é muito fraco. Também precisamos desenvolvê-lo e falar sobre ele o tempo todo. Deve haver exemplos normais ao nosso redor. Infelizmente, isso não está no homem. Tudo é suprimido pelo nosso egoísmo pessoal.

De KabTV, “A Era Pós-Coronavirus”, 21/05/20

No Que É Construído O Amor?

963.6Pergunta: Você costuma dizer em suas conversas que é errado considerar a atração mútua como amor, que o amor deve ser construído por concessões mútuas. Por que a atração deveria me impedir de desenvolver sentimentos por meu parceiro?

Resposta: A atração não pode impedi-lo. No entanto, o amor não se baseia na atração sexual. Isso é necessário como parte integrante, mas é totalmente insuficiente. É como na matemática – a condição é necessária, mas não suficiente.

O amor ocorre quando há um certo tipo de contato espiritual entre os parceiros, quando eles se complementam, quando há uma reaproximação gradual, saciedade espiritual mútua um do outro. Portanto, as relações sexuais não desempenham um papel primordial aqui.

De KabTV, “A Era Pós-Coronavírus”, 21/05/20

O Amor Cobrirá Todos Os Crimes

239O amor cobrirá todas as transgressões. Isso significa que, dia após dia, teremos que revelar novos pecados, porque sem isso é impossível avançar. O egoísmo tende a se desenvolver mais e mais. O Criador só deu origem à criação quebrando a alma comum de Adam HaRishon. A partir disso, a inclinação ao mal começou a se desenvolver, nosso grande desejo de receber prazer, e nós precisamos ajudar este egoísmo a se abrir mais e mais para que ele não permaneça no nível inanimado, vegetativo ou animal.

Mas o egoísmo só pode ser revelado na forma oposta. Se quisermos acelerar a revelação do egoísmo, devemos, ao contrário, nos esforçar para alcançar a unidade. E se ontem não tivemos uma consciência maior do mal do que anteontem, então não lutamos pela unidade.

Todos os dias tentamos nos unir e, como resultado, a rejeição se abrirá para nós, para a qual pediremos o poder de correção para que o amor cubra todas as transgressões. E assim continuaremos avançando.

É necessário revelar o mal e atrair o bem para ele, a fim de cobrir todos os crimes com amor. Sem transgressões, não haverá união, não haverá correção do Kli. Devemos abrir todas as fissuras, todas as rupturas, em nossa união, no vaso da alma comum de Adam HaRishon. E isso só é possível quando nos esforçamos para nos unir.

Primeiro, realizamos ações artificiais, tentando alcançar a unificação, mas vemos que o Criador não permite que nos unamos. Pelo contrário, isso revela ódio e rejeição entre nós. Este é o resultado desejado, porque crimes estão sendo revelados em cima dos quais podemos verdadeiramente nos unir e cobri-los com amor. Mas isso já é com a ajuda de uma oração ao Criador, que nos dará o poder da unidade. Então chegamos à correção.

Este é o trabalho: lutamos pelo bem, e o Criador nos revela o mal, mas tentamos cobrir o mal com o bem e nos voltamos ao Criador em busca de ajuda. Estas são as duas ações: para frente e para trás, para frente e para trás, correspondendo aos quatro estágios do Kli.

Vocês podem imaginar que estamos sentados em um barco remando juntos, cada um com seu remo. Cada um trabalha em seu próprio Kli. Ele é atraído para a união e vê que a rejeição desperta em seu lugar. Então ele faz um segundo movimento: ele se volta ao Criador, pede ajuda e vê como o Criador faz uma fileira de remos para ele. Ele não abandona o Criador até que Ele complete a ação, cobrindo todos os crimes e transgressões com amor.

Eu faço a primeira linha com um remo: procuro me conectar com meus amigos e vejo que não estou conseguindo o que quero, mas estou revelando qualidades negativas. Então me volto ao Criador e peço a Ele para corrigir esse negativo. Então remamos o tempo todo: um-dois, um-dois. O primeiro um e dois são meus, onde nada funciona para mim, e o segundo um e dois é feito pelo Criador e já é bem-sucedido. É dito sobre isso: “O Criador vai terminar este trabalho para mim.”

Na primeira vez, eu tento fazer e revelar as deficiências e, na segunda vez, procuro o Criador com essas deficiências e vejo um resultado bem-sucedido.

Uma dezena se senta em um barco, e cada um segura seu remo com as duas mãos. O Gabai senta-se na popa e torce para os remadores, enquanto o Shaatz senta-se na proa do barco. E é assim que todos nós vamos.

O primeiro movimento do remo é para revelar uma falha. EU quero me conectar com meus amigos, mas revelo que não sou capaz disso. Ou seja, a primeira vez eu tento fazer sozinho e descubro minha impotência. Mas, ao mesmo tempo, estou ciente do meu fracasso, ou seja, abro o Kli. Na segunda remada com o remo, já peço ao Criador para me ajudar e terminar este trabalho para mim.

É sempre assim: o primeiro golpe é a revelação da falta e o segundo golpe é a ajuda do Criador. Como resultado, avançamos em nosso barco, primeiro fazendo esforços para revelar o mal, e depois nos voltando ao Criador para a correção e revelação da bondade.

Primeiro eu devo ser grato ao Criador e aos amigos. Afinal, a meta da criação só pode ser alcançada sintonizando os amigos de olhos fechados, se eles quiserem e puderem me aceitar. E o Criador deve me dissolver em meus amigos, unir-me a todos sem qualquer distinção entre nós.

Portanto, eu sou grato ao Criador e aos amigos pelo fato de que eles existem e me dão a oportunidade de me juntar a eles, de me perder e nascer de novo, o que é chamado de “passar pelo buraco de uma agulha”. Nada resta de mim, exceto a rede do desejo, que eu arrasto pelo buraco de uma agulha e, assim, passo de um mundo para outro.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 17/08/20, “O Amor Cobre Todas as Transgressões”

Credo De Vida: Amor

523Pergunta: Podemos dizer que o amor é um sentimento que é consequência do relacionamento correto entre as pessoas?

Resposta: Eu descreveria de forma diferente. Amar significa sentir as outras pessoas e tentar fazer de tudo para realizar seus desejos.

Pergunta: Você acha que esta é a lei básica da sociedade humana e que devemos revelá-la da mesma forma que revelamos todas as leis físicas?

Resposta: Devemos não apenas revelá-la, mas também implementá-la constantemente. Essa lei deve se tornar nosso credo na vida.

Pergunta: Então todas as outras leis da ética e países também existirão, mas assumirão formas diferentes?

Resposta: Naturalmente. Todos procedem desta lei: a reaproximação constante de todas as partes da criação umas com as outras, a ascensão constante acima do egoísmo e a aproximação a um estado perfeito e absoluto.

De KabTV, “Habilidades de Gestão”, 07/05/20

“Se Você Quiser Amar, Prepare-Se Para O Ódio” (Medium)

Medium publicou meu novo artigo: “Se Você Quiser Amar, Prepare-Se Para O Ódio

Si vis pacem, para bellum (Se você quer paz, prepare-se para a guerra) disse o autor latino Vegetius. Da mesma forma, se você deseja amor, prepare-se para o ódio.

Os filmes mostram o amor como um fluxo constante de calor, cuidado e afeto entre as pessoas. Mas os filmes estão errados. Antes de toda emoção positiva precede-se uma negativa, que desencadeia o surgimento da positiva. Assim como a noite precede o dia, o ódio precede o amor. A única exceção a isso é o amor materno, mas isso ocorre porque a mãe percebe seu bebê como parte de si mesma. Mas com qualquer outra pessoa, para desenvolver emoções reais, devemos mudar constantemente entre o ódio e o amor em diferentes manifestações e intensidades variadas.

Acontece que o fato de eu ter sido informado de meu ódio por esta ou aquela pessoa me permite descobrir quem sou e o que tenho por dentro. Na verdade, eu deveria ser grato a essa pessoa.

Na verdade, este é o princípio que coloca toda a criação em movimento. As ondas de calor e os períodos de frio, as inundações e as secas, o ódio e o amor, tudo isso são demonstrações alternadas de ódio e amor.

Há um propósito por trás deles: sua intensidade crescente, especialmente quando está do lado negativo, nos leva a procurar sua fonte. Por que existe tanto ódio? Por que a natureza é tão cruel? Por que nunca estou satisfeito com o que tenho? Por que não há paz? Por que estou com medo? Quando você tenta responder a essas perguntas, descobre que elas vêm da mesma fonte invisível, e essa fonte é a natureza, ou simplesmente, a realidade.

Cada mineral, planta, animal ou pessoa, pensamento, desejo ou palavra é criado pela natureza. Agora, se a natureza é a fonte de tudo, então tudo faz parte da natureza, parte do todo. Assim como há dias e noites, há pessoas que eu odeio e pessoas que amo. Assim como não haveria dias se não houvesse noites, não haveria pessoas que amo se não houvesse pessoas que odeio. Na verdade, eu não conseguiria definir o que amo, o que odeio, quem sou e quem não sou se não fosse por todas essas coisas que considero negativas. Acontece que eu, com minha visão limitada, as vejo como negativas, mas elas não são; elas são opostas a mim para que eu possa aprender sobre mim e sobre a natureza. Se não fosse por elas, eu não teria ideia de toda a minha existência.

Acontece que o fato de ter sido informado de meu ódio por esta ou aquela pessoa me permite descobrir quem sou e o que tenho por dentro. Na verdade, eu deveria ser grato a essa pessoa. O mais sábio de todos os homens, o Rei Salomão, chamou este conceito de “O amor cobre todos os crimes” (Prov. 10:12), onde o crime é o ódio e o amor cobre o ódio, uma vez que descobrimos que nosso objeto odiado é, na verdade, um presente que nos foi dado. Nesse momento, a alienação se dissolve e o amor e a gratidão emergem.

“O Que Significa Amar O Seu Próximo Como A Si Mesmo?” (Quora)

Dr. Michael LaitmanMichael Laitman, no Quora: O Que Significa Amar O Seu Próximo Como A Si Mesmo?

Tanto quanto retratemos a extensão de nosso amor por nós mesmos, precisamos amar os outros da mesma maneira.

Quanto mais nos desenvolvemos, mais percebemos o “ame o seu próximo como a si mesmo” de maneira diferente.

Como o ego humano, o atributo do amor próprio, cresce constantemente em cada pessoa, então quanto mais nos desenvolvemos, mais nos amamos.

Nosso amor próprio deve servir como exemplo de como devemos amar os outros.

O caminho para alcançar o “ame seu próximo como a si mesmo” é, portanto, um caminho que tem um primeiro estágio necessário, definido como “não faça aos outros o que você odeia”. Exercitando não fazer aos outros o que odiamos, aprendemos gradualmente a nos elevar acima do ego que nos separa, desenvolvendo a qualidade de doação acima de nossa qualidade inata de recepção, desenvolvendo nossa prontidão para alcançar o sublime estado de “ame o seu próximo como a si mesmo”.

Em outras palavras, “ame o seu próximo como a si mesmo” não é apenas um slogan agradável, mas um estado de conexão positiva absoluta acima do ego, onde percebemos e sentimos uma realidade completamente diferente daquela que sentimos em nosso ego inato.

Atingir esse estado requer uma sociedade circundante de pessoas dispostas a se apoiar mutuamente para alcançar esse objetivo. Caso contrário, se houver uma falta de concordância entre alguém em uma sociedade assim, em que mesmo uma pessoa permaneça no impulso egoísta natural do amor próprio, isso prejudicará a capacidade de todos de alcançar um estado comum de amor.

“Você Está Ciente De Que O Amor É Tudo O Que Precisamos?” (Quora)

Dr. Michael LaitmanMichael Laitman, no Quora: Você Sabe Que O Amor É Tudo O Que Precisamos?

Em uma época em que a divisão social e o ódio estão aumentando, e quando as autoridades e o raciocínio humano não conseguem conter as emoções negativas, o mundo definitivamente precisa mudar para uma forma de amor completa, inclusiva e absoluta.

É comum pensar no amor como uma sensação ilógica que surge aparentemente do nada, e que não há motivo real para se amar.

No entanto, o poder do amor é tudo o que pode nos unir em nossas divisões e nos guiar para um mundo mais positivo.

Estamos desenvolvendo momentos em que sentiremos em nossa carne que o amor é uma necessidade, que, sem amor, a vida se tornará cada vez mais dolorosa e, com amor, chegaremos a uma nova dimensão harmoniosa que nunca experimentamos antes.

Amor Pelos Outros – Proteção Contra Infortúnios

laitman_527.03Pergunta: O amor pelos outros cresce na medida em que a pessoa se ama ou vice-versa?

Resposta: O amor pelos outros cresce à medida que você se esforça por ele. Para realizá-lo, é acrescentado egoísmo, ou seja, amor próprio. Quando você se eleva acima do seu ego, acima do amor próprio, constrói amor pelos outros.

Ao mesmo tempo, sempre há um equilíbrio de duas forças opostas em você. Assim você está sempre em um equilíbrio dinâmico interno.

Pergunta: Se eu amo os outros, eles não vão me machucar?

Resposta: Naturalmente. Na medida em que você ama as pessoas, você estará protegido delas. Mas esse não é o objetivo que você deve perseguir; deve se esforçar para ajudá-las.

“Ame o seu próximo como a si mesmo” é a lei externa global, mais importante, de todo o universo, toda a criação, dos dois mundos: este mundo e o outro mundo.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 19/04/20

Somente O Guarda-Chuva Do Amor Vence A Guerra

laitman_293Há protestos maciços contra o racismo em toda a América, mas precisamos entender que as contradições e os confrontos entre as quatro raças são inevitáveis até cobrirmos com amor todas as nossas diferenças.

Existem quatro tipos de pessoas de acordo com seu lugar de origem: a raça branca (Europeia), amarela (Ásia), negra (nativos da África), e vermelha (povos indígenas da América).

Foi assim que as pessoas foram distribuídas na Terra até que começaram a migrar de um lugar para outro após a descoberta da América por Colombo e outros eventos. Estes quatro tipos correspondem aos quatro níveis de desejo de desfrutar, pois do estágio de raiz, Keter, surgem o primeiro, segundo, terceiro e quarto estágios: Hochma, Bina, Zeir Anpin e Malchut.

Os conflitos que surgem hoje entre as raças não podem ser resolvidos por meios corpóreos comuns. Agora mesmo, antes da correção final, mais e mais problemas serão revelados. A Europa também está sujeita a grandes rupturas devido ao problema dos refugiados.

O ódio entre todos crescerá e se espalhará a tal ponto que os profetas escreveram sobre este tempo: “Os inimigos de um homem são as pessoas de sua própria casa”. Isto é, os parentes mais próximos se odiarão porque o egoísmo cresce bruscamente e não permite que as pessoas se tolerem.

O homem não pode mais tolerar nem mesmo a si mesmo. E tudo isso acontece para que possamos fazer correções. Uma correção não é fazer gestos bonitos, ajoelhar-se e pedir perdão. Nada disto vai ajudar, somente o amor que cobre todos os crimes vai ajudar; esta é a única correção.

Há um método que leva à unidade de todas as pessoas, independentemente da cor de sua pele; além deste método, nada funcionará. Estamos entrando agora num período crítico: a pandemia do coronavírus, o aumento do ódio entre todos os povos, e problemas na economia e no comércio. Não há campo onde possamos estabelecer uma vida normal se não usarmos o método de construir a conexão espiritual correta entre nós, o que nos elevará a um novo nível.

Chegou o momento de nos elevarmos; portanto, todos estes problemas estão se revelando agora. Eles revelam a necessidade de um nível mais elevado, pois a conexão correta entre nós é revelada.

O desemprego crescente, as brechas crescentes entre ricos e pobres, crianças e pais, a epidemia de coronavírus, o racismo, os choques entre diferentes tipos de pessoas, muitos fenômenos negativos surgirão que só podem ser resolvidos por um único meio: “O amor cobrirá todos os crimes”. Precisamos da força superior que virá e resolverá todas essas contradições. Fora isso, nada ajudará.

Nesta disputa, não há pessoas inocentes ou culpadas. É o desejo egoísta revelado no homem que é culpado. Se os negros estivessem no lugar dos brancos há centenas de anos, eles não teriam agido melhor. Portanto, não se deve olhar para o passado, mas sim lutar para um futuro bom, para a conexão, para o amor que cobre todos os crimes. Se não o fizermos, então conduziremos guerras sem fim sem vencedores. Afinal de contas, o egoísmo é nosso inimigo comum.

Não devemos olhar para trás em busca de inocentes e culpados, mas devemos apenas seguir em frente e cobrir todos os crimes com amor. O amor é uma conexão mútua sem quaisquer condições. Se não lutarmos por tal amor, então o mundo está feito. Entraremos em um período de terríveis catástrofes que nos ensinará a atitude correta uns para com os outros.

Precisamos olhar apenas para frente, não para trás. Não há razão para mergulhar no passado porque não encontraremos nenhuma solução lá, e os americanos entendem isso muito bem. É impossível estabelecer harmonia entre povos tão diferentes vivendo na América: Afro-americanos, latino-americanos, alemães, ingleses, judeus. Trata-se de uma verdadeira Babilônia. A única saída é começar a aprender o que são conexão e amor.

O amor significa elevar-se acima de todos os crimes. Portanto, se há crimes e ódio mútuo, então temos uma base, uma base, sobre a qual o amor é construído.

O amor deve cobrir todos os crimes, e é bom que eles existam. O Criador preparou o alicerce para que possamos trabalhar, permitindo-nos construir o amor acima dele, no qual revelaremos o verdadeiro Ele, a força superior. Portanto, não adianta lamentar que o Criador tenha criado tal mundo, mas vale a pena agradecer a Ele pelo fato de que agora podemos preenchê-lo com amor.

O mesmo se aplica ao conflito entre a Rússia e a Ucrânia, onde disputas acontecem o tempo todo, como geralmente acontece entre vizinhos. Embora estes povos sejam tão próximos, ainda é impossível estabelecer boas relações.

Isto pode parecer paradoxal, mas quanto mais a humanidade avança, mais educada, mais desenvolvida na ciência e na cultura, mais forte cresce o ódio entre todos, de modo a nos obrigar a construir laços de amor entre todos. Afinal, isto é o que se exige de nós no final da correção.

Portanto, vivemos em um mundo que está ficando cada vez pior. Mas isto não é porque o mundo em si está caindo cada vez mais baixo. É a luz superior que está afetando cada vez mais o desejo de desfrutar que existe no mundo, querendo se aproximar do ser criado. E até que a luz entre no desejo, sua oposição se intensifica, o que revela o mal do desejo egoísta.

Portanto, não há outra solução para quaisquer conflitos inter-raciais ou inter-étnicos. Mais e mais ódio e rejeição serão revelados em todos os lugares, e nenhuma medida ajudará até que o amor cubra todos os crimes. E o amor só pode aparecer a partir de nossa unidade, que construímos de acordo com o método de educação integral.

A América está em fúria, a União Europeia está se desmoronando, mas o Criador tem seu próprio plano geral de correção, que não nos é revelado. Só precisamos fazer nosso trabalho. Não escolhemos com quem nos conectar: precisamos construir conexão e amor comum com aqueles que o Criador nos traz, de acordo com a estrutura da alma comum de Adam HaRishon.

Não depende de nós em que sequência isso acontece. Quando trabalhamos na conexão geral, gradualmente revelamos como todo este sistema é montado em partes. Não somos nós, é o Criador que está jogando, juntando esse quebra-cabeça, e nós só precisamos pressioná-Lo, exigi-Lo e pedir.

Dói ver as relações estragadas entre a Ucrânia e a Rússia. E muitos outros problemas inter-étnicos se abrirão, que de repente surgirão entre os países europeus, assim como na Idade Média. Pensamos que já formamos a União Europeia, um mercado comum, mas este é apenas um mercado no qual não há nenhuma semelhança. Somente o guarda-chuva do amor nos salvará da terceira guerra mundial.

Da 3ª parte da Lição Diária de Cabalá, 07/06/20, Escritos do Baal HaSulam, “Paz no Mundo”