Textos na Categoria 'Religião'

A Era Do Iluminismo E Da Emancipação, Parte 6

Laitman_011Rejeição Da Percepção Religiosa Do Mundo

Pergunta: Na primeira metade do século XIX, a luta entre o povo judeu começou a diminuir e ele é percebido como um todo. No entanto, surge outro problema: começa a era do Iluminismo, o desenvolvimento das ciências, a aquisição de direitos civis pelos judeus e a liberdade de movimento.

Isso levou novamente a uma divisão entre judeus: por um lado, a sociedade ortodoxa e, por outro lado, pessoas que começaram a deixar a religião. Isto é, houve uma rejeição da percepção religiosa do mundo.

Por que, pela primeira vez na história, os judeus e as outras nações começaram a deixar a religião em massa e a se envolver na ciência?

Resposta: Porque a religião não lhes explicava que o amor ao próximo é sua principal lei. Seguir a religião consistia apenas no cumprimento de prescrições, jejuns e todos os tipos de feriados.

Ela obrigava as pessoas a observar tradições, mas, ao mesmo tempo, não explicava por que isso era necessário e a que deveria levar. Portanto, uma pessoa que não sentia por que estava fazendo as coisas e que propósito positivo elas tinham, simplesmente renunciava à religião.

Pergunta: Como esse período afetou a correção de toda a humanidade e o papel dos judeus nesse processo?

Resposta: Eu creio que esse foi um período necessário, primeiro, porque nada acontece em vão. Era necessário ficar sóbrio e interromper o cumprimento figurativo das leis da Torá sem pensamentos e sentimentos quando eles eram realizados apenas porque isso deveria ser feito, de maneira escrupulosa e mecânica. Afinal, não é isso que o Criador exige de nós, mas que corrigimos nossos pensamentos e sentimentos, mente e coração.

Comentário: Em princípio, essa abordagem religiosa mecânica é bem egoísta. Eu sigo as tradições e, por isso, tenho direito a algo neste mundo e no outro mundo, o paraíso me é prometido.

Minha Resposta: Essa é uma abordagem medieval egoísta que não proporcionou desenvolvimento a uma pessoa. Naturalmente, os grandes sábios sabiam e entendiam por que e com que propósito tudo estava acontecendo dessa maneira, mas era apenas alguns deles.

Pergunta: Era necessário, porque mantinha as pessoas dentro de limites e dava algum tipo de confiança na vida?

Resposta: Sim, isso foi exigido pelo atual período de desenvolvimento humano. Tudo depende do desenvolvimento dos desejos internos da pessoa.

Pergunta: Por que todas essas leis não foram reveladas há 1.000 anos e sua divulgação ocorreu precisamente no curto período da Cabalá Lurianica?

Resposta: Existem períodos de acumulação de algumas tensões internas em uma pessoa e na sociedade, e então elas são liberadas, via de regra, de maneira explosiva.

De KabTV, “Análise Sistemática do Desenvolvimento do Povo de Israel”, 05/08/19

A Era Do Iluminismo E Da Emancipação, Parte 5

laitman_533.02O Confronto Entre Dois Movimentos

Pergunta: Algum tempo após a expulsão dos judeus da Espanha, movimentos espirituais começaram a florescer em Safed, e o Conhecimento cabalístico entre as massas começou a se espalhar.

Mas então a rápida disseminação do novo movimento causou uma resposta e resistência. Os professores espirituais da escola tradicional da Lituânia começaram a se opor à disseminação desse conhecimento com boicotes, calúnias às autoridades e extermínio físico.

Como se explica isso? Por que os ensinamentos do Ari, que já deveriam estar incorporados na humanidade, falharam repentinamente e a queda recomeçou?

Resposta: Isso não é um fracasso, mas um desenvolvimento natural do método de correção, que não pode passar por apenas uma linha. Ele passa precisamente por duas linhas e é realizado entre elas, na terceira.

Como resultado, verificou-se que a Cabalá do Baal Shem Tov é a mesma Cabalá do Ari, que foi entendida pelas massas. Ele organizou um Cheder, ou seja, um local para aulas. Ele recrutou jovens talentosos para o seu grupo, independentemente do status deles. Então grandes grupos de estudantes e líderes de movimentos hassídicos foram formados de seus alunos. Eles eram especialmente populares entre a população judaica da Ucrânia, Bielorrússia e Europa Oriental, onde suas próprias escolas foram organizadas.

Mas, ao mesmo tempo, apareceu outra escola, fundada pelo Gaon de Vilna. Ele acreditava que as pessoas deveriam ser ensinadas gradualmente, e somente àquelas que haviam alcançado grande conhecimento no Talmude, em um simples estudo da Torá.

Na sua opinião, o estudo da Cabalá deve ser difundido não entre as pessoas comuns, mas entre a elite a quem os mundos espirituais e outras predestinações da humanidade só podem ser explicados depois que dominaram seriamente a Torá “árida”.

Pergunta: A Cabalá fala de amor ao próximo em sua forma mais simples e terrena. Qual poderia ser o perigo de estudar a Cabalá?

Resposta: O fato é que, quando você simplesmente fala sobre o amor ao próximo, deixa a pessoa pensar que, se ela tratar os outros corretamente, nada mais é necessário. Portanto, há certo delírio na compreensão do “amor ao próximo”.

É assim que um movimento foi formado no hassidismo: se você ama outra pessoa e parece tratá-la corretamente, isso é suficiente. Nada mais é necessário, e você já está cumprindo sua predestinação.

E o Gaon de Vilna afirmou: “Não, é necessário estudar seriamente a Torá, o Talmude Babilônico, e manter cuidadosamente todas as leis. Somente depois disso, pode-se estudar Cabalá”.

Portanto, na introdução de seu grande trabalho, O Estudo das Dez Sefirot, Baal HaSulam presta muita atenção a isso. No começo, ele faz a pergunta: “É realmente necessário conhecer todas as grandes leis do cumprimento da Torá em nosso mundo e somente depois disso estudar Cabalá?

“Ou é suficiente fazer isso em paralelo? Ou mesmo, talvez, não seja necessário conhecer e obedecer a todas as leis de maneira tão escrupulosa? Porque o Criador exige que corrijamos nossos corações mais do que encher nossas cabeças com todos os tipos de leis”.

Então, aqui estamos em um estado de grande contradição ideológica. E é muito sério porque fala do método de correção da alma. Deveria ser ensinado a crianças a partir dos 13 anos ou até mais cedo? Ou talvez, também possa ser explicado às mulheres? Ou apenas para grandes especialistas no Talmude Babilônico?

Essa contradição ideológica era um processo necessário e estava se formando por si só.

De KabTV, “Análise Sistemática do Desenvolvimento do Povo de Israel”, 05/08/19

A Sabedoria Da Cabalá E A Religião São Totalmente Opostas

laitman_204Pergunta: Qual é a diferença entre as pessoas ortodoxas para quem não há nada além de Deus e as pessoas que se dedicam ao estudo da sabedoria da Cabalá para as quais “Não há outro além Dele?”

Resposta: A diferença é muito simples; esses dois tipos de pessoas são completamente diferentes. Primeiro, a sabedoria da Cabalá não é uma fé ou uma religião. Ela se envolve na fé, mas não obriga ninguém a acreditar. Em vez disso, exige que a pessoa revele o Criador.

Uma pessoa religiosa diz: “Eu acredito!”

“Por que você acredita?”

“Disseram-me para acreditar e isso me foi explicado, e por isso acredito no que me disseram”.

“Ok, isso é da sua conta”.

De acordo com a sabedoria da Cabalá, por outro lado, fé significa conhecimento, realização, sentimento, sensação. Não é o que chamamos de fé em nosso mundo, quando não sei se algo é verdadeiro ou não, mas aceito-o e vivo como se fosse. Quem pode provar isso? Ninguém. É verdade ou não? Existem tantas opiniões quanto pessoas.

Portanto, não há conexão entre a sabedoria da Cabalá e a religião. Pelo contrário, a sabedoria da Cabalá não tem nenhuma relação com a religião. Ela se destina apenas à revelação, ao conhecimento e ao sentimento, e não às coisas sobre as quais alguém nos fala. Há uma enorme diferença.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 24/11/20

A Era Do Iluminismo E Emancipação, Parte 4

laitman_227Hassidismo: Tocando As Verdades Espirituais

Pergunta: O movimento hassídico apareceu na terceira década do século XVIII e foi fundado pelo Baal Shem Tov. A abordagem dos professores hassídicos permitia que as pessoas comuns tocassem verdades espirituais. Se antes apenas os sábios as estudassem, agora as pessoas comuns poderiam fazer isso também.

O que havia de tão especial nos ensinamentos de Baal Shem Tov que capturaram tanto o coração de tantas pessoas?

Resposta: O Baal Shem Tov seguiu o caminho do Ari e explicou em uma linguagem mais simples, próxima ao povo, como agir e se conectar entre si para alcançar a revelação do Criador.

Ele estabeleceu um objetivo muito prático: explicar a qualquer pessoa que esteja em absoluta ignorância sobre em que tipo de mundo ela existe, por quais estados ela passa, por que a Torá é necessária e por que as pessoas existem.

Acontece que o Baal Shem Tov deu vida às pessoas comuns. Ele explicou a elas como viver corretamente e que por trás de cada movimento interior de uma pessoa em mente e sentimentos há uma enorme força que está corrigindo o mundo. Portanto, toda pessoa que trata o mundo dessa maneira está empenhada em corrigi-lo.

De KabTV, “Análise Sistemática do Desenvolvimento do Povo de Israel”, 05/08/19

Oposição À Unidade, Parte 11

laitman_293Desacordos Entre Dois Movimentos No Povo Judeu

Comentário: Nos últimos séculos, o confronto entre o povo judeu tem sido muito forte, principalmente entre judeus lituanos e o hassisdimo, o Gaon de Vilna e o Baal Shem Tov.

A razão de sua discordância foi um ponto de vista diferente sobre a disseminação da Cabalá entre seu próprio povo e todo o resto.

Minha Resposta: O Gaon de Vilna foi um grande Cabalista, mas ele se opôs à disseminação da Cabalá entre seu povo.

O Baal Shem Tov, pelo contrário, acreditava que era necessário espalhar a Cabalá, educar os discípulos Cabalistas e transmitir informações sobre o mundo espiritual a todos. Portanto, o hassidismo se originou a partir do Baal Shem Tov, no qual cada criança era ensinada sobre os mundos espirituais, a unidade e o propósito da existência do povo de Israel.

E os discípulos do Gaon de Vilna se envolveram na Cabalá apenas como um pequeno grupo de pessoas. Como resultado, a ênfase em suas atividades foi colocada puramente no cumprimento formal dos mandamentos.

O confronto entre esses dois grupos continua até hoje, embora hoje seja externo, informal. Mas naquela época era uma guerra séria.

Pergunta: Eles não entenderam que suas divergências os levaram à desunião e os alienaram do Criador?

Resposta: É difícil dizer algo sobre essas pessoas. Estas são duas abordagens diferentes da Cabalá que se manifestam dentro dos próprios Cabalistas. Mas o fato de não conseguirem estabelecer uma conexão entre eles levou a grandes perseguições. E tudo isso é sentido até hoje.

Comentário: Nosso Baal HaSulam contemporâneo escreve que é apenas devido à disseminação da Cabalá entre as massas que seremos libertados, cada um e toda a humanidade. Mas se você olhar para a história do desenvolvimento da humanidade, quase tudo se repete.

Minha Resposta: Não. A hora é diferente agora. Hoje, a humanidade está se movendo rapidamente para se revelar como caindo no egoísmo, o que permite simplesmente se estabelecer, curtir a vida e usar corretamente todas as conquistas da humanidade.

Assim, surge um ambiente favorável para revelar o sentido da vida. Esta pergunta, que exige urgentemente uma resposta, aparece em todas as pessoas da nossa geração. E a resposta geralmente não é encontrada em nenhum lugar, exceto na Cabalá.

De KabTV, “Análise Sistemática do Desenvolvimento do Povo de Israel”, 29/07/19

Não Adicione Um Erro Sobre Outro

Dr Michael LaitmanPergunta: A religião é uma estrutura de relacionamento entre pessoas que compartilham a mesma fé. A sabedoria da Cabalá é uma religião?

Resposta: A sabedoria da Cabalá não tem nada a ver com religião. O fato de que, em nossa vida cotidiana, começamos a estabelecer certos rituais e leis que não existem na natureza, mas queremos que eles existam, é o que chamamos frequentemente de religião. Ou também pode ser algum tipo de norma cultural da sociedade.

Esse não é o caso da sabedoria da Cabalá. Ela é baseada no fato de você revelar essas leis na natureza, compreendê-las por si mesmo com conhecimento absoluto, e então você não tem nenhum problema com elas.

É claro que a sabedoria da Cabalá não é uma religião nem é uma ciência, porque não revela nada em nossos sentidos ou em nossa mente, mas, em vez disso, é realmente revelada nos atributos que você desenvolve internamente quando ascende acima do seu ego, acima da matéria do nosso mundo. Então você começa a sentir atributos totalmente diferentes, leis diferentes, e é assim que você avança.

Você precisa se aprofundar nessa questão para alcançar a verdade e entender no que se envolve.

Caso contrário, você se relaciona com o que ouve hoje da perspectiva do que ouviu ontem. Qual é o resultado? Ontem sua cabeça estava cheia de certos dogmas, que você aceitava como verdadeiros, e hoje você condena e critica o que recebeu ontem e define tudo de novo.

Isso significa que você aceitou algo como uma condição e agora nega tudo o mais, e assim continuará a aumentar seus erros e não revelará nada de novo na vida. Em dez anos você ainda estará no mesmo estado em que está hoje.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 15/12/19

A Cabalá Não É Uma Religião, Mas Uma Ciência

laitman_214Comentário: Muitas pessoas olham a Cabalá como uma religião. Outras a consideram uma seita.

Minha Resposta: Isso significa que elas simplesmente não sabem nada sobre a Cabalá. A Cabalá é uma ciência, não uma religião. Primeiro, qualquer um pode estudá-la, independentemente de sua origem. Meus alunos, representantes de diferentes nações, vivem em todos os continentes. Se você der uma olhada na lição matinal, verá pessoas de todas as nacionalidades.

Em segundo lugar, a Cabalá não força a pessoa a realizar nenhuma ação religiosa. Os Cabalistas não têm fetiches, objetos sagrados ou ritos. É simplesmente a compreensão de uma esfera superior do nosso mundo e nada mais. Nada mais!

Quando você a compreende, começa a sentir a eternidade, a perfeição, a inclusão mútua de tudo em tudo. Você começa a mudar sua visão de mundo, sua atitude em relação ao mundo. Essa metodologia molda você, faz de você uma pessoa diferente.

De KabTV, “Encontros com a Cabalá: Victoria Bonya”, 29/03/20

Sementes Do Exílio, Parte 1

laitman_747.03O Confronto Entre Macabeus E Helenistas

Pergunta: Qual foi o conflito ideológico entre macabeus e judeus helenísticos?

Resposta: A oposição era que os Macabeus eram a favor da união do povo sob um princípio comum, de modo que todos fossem como irmãos que sentiam a unidade interior um do outro.

E os helenistas eram por proclamar cada pessoa livre, independente, não adorando o Deus único, isto é, a única força, natureza e, consequentemente, o único princípio de união. Cada pessoa escolheu entre um grande número de deuses para adorar, como nos tempos antigos, quando as pessoas adoravam árvores, pedras, forças celestes, estrelas, etc.

Como resultado, houve uma enorme diferença entre eles em sua ideologia, comportamento e atitude um com o outro. Em princípio, os helenistas existiam cada um por si. Seu estado era mantido apenas por baionetas, apesar do fato de que mais tarde eles foram guiados por métodos razoáveis ​​emprestados dos judeus após a conquista de Israel.

De KabTV, “Análise Sistemática do Desenvolvimento do Povo de Israel”, 08/07/19

Por Que A Cabalá Não É Uma Das Principais Religiões Do Mundo?

254.02Pergunta: Se a ideia principal de todas as religiões do mundo é unir as pessoas com alguma ideia comum e elevá-las a um poder superior, por que a ciência da Cabalá não se tornou a principal religião mundial nesses 6.000 anos?

Resposta: A ciência da Cabalá apareceu 6.000 anos atrás, e os fundamentos das religiões, 3.500 anos atrás, na Antiga Babilônia. O cristianismo surgiu cerca de 2.000 anos atrás e o Islã 600 anos depois.

A ciência da Cabalá não é uma religião. Você não precisa acreditar nela, apenas precisa realizá-la. A razão para o surgimento das religiões foi a ocultação da ciência da Cabalá.

A Cabalá não afirma nada infundado; encoraja a pessoa a revelar e encontrar o que ela está falando. Esta é uma ciência que se chama Hochmat ha Kabbalah (a sabedoria da Cabalá) ou seja, sabedoria. Não consiste em atos sagrados, passes ou qualquer outra coisa.

Ela não diz que você deve acreditar. Você deve chegar a um estado chamado fé. Mas a fé é um estado de doação, de se elevar acima do egoísmo, e não a fé da qual as religiões falam.

Isto é, a Cabalá não tem absolutamente nada a ver com elas. Portanto, não importa quem você é ou o que você é. Nacionalidade e gênero não importam. O principal é o desejo de saber onde você mora e para quê. A Cabalá não divide as pessoas em nenhum sinal. Quem deseja vem e se envolve nela.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 02/02/20

Cabalá – O Único Método De Revelar O Criador

laitman_214Pergunta: Por que existe apenas uma verdade e ela está na Cabalá? Por que não existem outros caminhos diferentes para descobrir o mundo espiritual?

Resposta: O egoísmo é criado em oposição à luz superior. Não há nada além do Criador (luz, qualidade de amor e doação) e do ser criado (qualidade de recepção, preocupação própria, sensações em si mesmo).

Assim, tudo o que é necessário é construir a conexão correta entre eles para que o egoísmo (desejo de desfrutar) adquira a forma do Criador. É tão simples quanto um mais um, nada mais. Portanto, não pode haver muitas metodologias.

Por sua natureza, o método da Cabalá é muito rígido e categórico. Ele diz: “Faça isso, e pronto!” Portanto, não podemos oferece-lo dessa maneira a outros. Por enquanto, temos que amolecê-lo, estruturá-lo, colocá-lo em alguns parâmetros socialmente aceitáveis, para que pareça mais palatável, como uma pílula amarga com um revestimento doce.

Pergunta: Mas todas as outras metodologias também vêm do Criador: “Não há outro além Dele”. Existem cerca de 3.800 várias práticas espirituais. Este é um jogo da parte Dele para que toda a humanidade se aproxime Dele?

Resposta: Há um número enorme de almas diferentes que abordam sua correção final de maneira diferente. No entanto, sua correção final ainda ocorrerá com a ajuda do método da Cabalá.

Elas devem necessariamente adquirir uma tela sobre seu egoísmo e tornar-se semelhantes ao Criador. Mas, por enquanto, não são atraídas por isso. Existem tantas religiões, crenças, filosofias e práticas místicas por aí.

Pergunta: Então, para estabelecer uma conexão com o Criador, uma pessoa deve “vestir” seu desejo – adquirir uma tela sobre seu egoísmo?

Resposta: Sim. Como na tecnologia: deve haver um sinal de mais, um sinal de menos e um resistor entre eles. Caso contrário, ocorrerá um curto-circuito.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 25/03/19