Textos na Categoria 'Religião'

A Sabedoria Da Cabalá Está Aberta Para Todos

Dr. Michael LaitmanPergunta: Será que os sacerdotes no antigo Egito conheciam a sabedoria da Cabalá? Dizem que Pitágoras aprendeu com eles.

Resposta: De acordo com fontes Cabalísticas, vieram pessoas da Grécia antiga para estudar na Judéia, mesmo no tempo dos profetas, e elas escreveram sobre isso.

O filósofo Alemão Johann Reuchlin, por exemplo, que viveu na Idade Média diz que: “Meu professor Pitágoras, o pai da filosofia, não aprendeu do Grego, mas na verdade dos Judeus”.

Os Judeus não esconderam seu conhecimento de ninguém, e Abraão inicialmente queria falar e ensinar sobre este conhecimento por toda a Babilônia, mas os Babilônios se opuseram a ele. Tudo depende dos desejos das pessoas. Ainda hoje vemos que as pessoas não o querem.

A sabedoria da Cabalá teve que ser escondida por apenas 1.500 anos, desde o primeiro século d.C. até o tempo do ARI, porque a humanidade teve que se desenvolver internamente e amadurecer durante esse tempo. Do ARI em diante foi possível revelar a sabedoria da Cabalá a todos. O Baal Shem Tov começou a fazer isso, e hoje ela está aberta a todos.

Da Lição de Cabalá em Russo 22/01/17

A Torá: Conhecimento Criptografado

Laitman_137Pergunta: A sabedoria da Cabalá pode existir sem a Torá?

Resposta: A Torá é a Cabalá e não como ela foi posteriormente reinterpretada e alterada pelas pessoas.

A Torá é um registro Cabalístico da informação do mundo superior. Parece-nos que ela fala de eventos históricos em nosso mundo, mas não tem nada a ver com eles, e fala apenas sobre o que está acontecendo na forma das forças do mundo superior.

A Torá está escrita na linguagem dos ramos, portanto, ao invés dos vegetais, animais e humanos mencionados nela, devemos imaginar as forças que governam o universo. E não só o texto inteiro, mas cada letra da Torá é um registro de força. Portanto, devemos tratá-la como um conhecimento criptografado.

Da Lição de Cabalá em Russo 22/01/17

Corpo E Alma Do Ponto De Vista Dos Filósofos Antigos E Da Cabalá

laitman_612Comentário: Como é sabido, muitos filósofos e Cabalistas mencionaram que há muito tempo os antigos Gregos visitaram a Judeia para aprender com os Cabalistas. Por exemplo, o grande filósofo e matemático grego Pitágoras escreveu: “As almas nunca morrem, mas sempre ao sair de uma morada passam para outra. Todas as coisas mudam, nada perece. A alma passa aqui e acolá, ocupando agora este corpo, agora aquele…. Como uma cera é carimbada com certas figuras, depois derretida, carimbada novamente com outras, no entanto, é sempre a mesma cera. Então, a alma, sendo sempre a mesma, ainda usa formas diferentes em diferentes épocas.”

Minha Resposta: Isto se refere à reencarnação. Eu não posso dizer se ele entendeu corretamente o que é uma alma, mas o que ele disse está correto.

Meu professor costumava me dizer que o corpo humano é como uma camisa, que se troca, mas a alma permanece a mesma.

Comentário: Sócrates escreveu: “Assim como você não deve tentar curar olhos sem cabeça ou cabeça sem corpo, não deve tratar o corpo sem alma”.

Minha Resposta: Na Cabalá, por corpo, queremos dizer desejo. Nosso corpo físico não é levado em conta; não é nada mais do que um animal.

Comentário: Aristóteles disse: “A amizade é uma única alma habitando em dois corpos”.

Minha Resposta: É dito de forma bela. Meu amigo e eu somos um todo, estamos separados apenas por organismos animais.

Na Cabalá, um amigo significa aquele que é meu parceiro no trabalho espiritual. E tudo o que eu quero assemelhar ao Criador, eu dou a ele e ele dá a mim, e nós exercitamos juntos como um através do outro podemos nos tornar semelhantes ao Criador. Assim, um campo de doação mútua e amor é formado entre nós, onde o Criador é revelado.

Da Kab TV “Uma Palestra Sobre a Alma” 30/03/17

O Poder Superior Do Ponto De Vista Da Cabalá

Laitman_043Pergunta: A maior parte da humanidade é religiosa. Eles têm suas próprias impressões sobre o poder superior, Deus, o Criador. Na sabedoria da Cabalá, qual é o poder superior e qual é a diferença fundamental?

Resposta: A humanidade sempre temeu algo e teme até hoje. Ela sempre tenta encontrar algum método de proteção contra as forças inesperadas e cruéis da natureza.

O mesmo é dito sobre Abraão, que foi primeiro um sacerdote na antiga Babilônia e mais tarde descobriu o poder superior, chamado natureza ou Criador, como uma força singular e boa que não exige rituais e sacrifícios. Com base nessa descoberta, ele começou a realizar pesquisas e esclarecimentos e, finalmente, também ensinou as pessoas.

Foi assim que a linguagem Cabalística se formou; seus fundamentos vêm do primeiro Cabalista, Adão, que viveu há 5777 anos.

Visto que a sabedoria da Cabalá se desenvolveu de Adão até Abraão e de Abraão até nós, ela expandiu seu sistema conceitual através de quatro linguagens com as quais os Cabalistas descrevem o mundo superior. Através dessas linguagens, nós começamos a sentir gradualmente o que os Cabalistas sentiam e descreviam.

Da Lição de Cabalá em Russo 22/01/17

Propósito Da Multidão Misturada

Dr. Michael LaitmanA implementação da Torá parte do fato de que ao lê-la começamos a entender o que ela está exigindo e o que ela representa, e então seguimos em frente.

Comentário: Mas há uma grande resistência a ela.

Minha Resposta: Não é resistência, porque tudo vem dos desejos quebrados que permaneceram os mesmos desejos, mas sem uma tela, que contraria o egoísmo e eleva-o ao seu estado inverso, ou seja, ao nível de doação e amor ao próximo.

Primeiro, o egoísmo deve ser revelado como uma demonstração de sua natureza, uma demonstração do mal. Naturalmente, nesta fase, os Cabalistas recebem muitos obstáculos que os perseguem e são revelados como maus.

Isso também aconteceu durante o êxodo do povo de Israel do Egito. Afinal, não é um passeio no deserto do Sinai, mas uma fuga de nosso egoísmo, a separação dele e a elevação acima dele. Portanto, os desejos que são chamados de “egípcios” foram praticamente mortos dentro da pessoa. O próprio Faraó concordou com isso e os soltou.

No entanto, a assim chamada “multidão misturada” (Erev Rav) não os libertou. Estes são aqueles que pensam que têm outra Torá mais correta. Como está escrito, eles são “servos do Faraó tementes a Deus”. Eles são caracterizados por um duplo estado, quando, ao estar neste mundo, ao mesmo tempo, desejam ganhar o próximo mundo: o paraíso, por seu trabalho egoísta.

“Diga-nos o que fazer neste mundo sem nos corrigirmos”, essa é a obra do Faraó. O Faraó diz: “Por que vocês precisam de todos os seus problemas? Trabalhem, façam o que quiserem. Orem, ajam, tudo está aberto a vocês. A única coisa que vocês não devem fazer é se corrigir. Todo o resto está diante de vocês; vocês serão respeitados e honrados. Vocês possuirão o mundo inteiro”.

Infelizmente, ou eu diria, com grande alegria, nosso objetivo é alcançar a conexão com o Criador, a integração e plena equivalência com Ele. Não é apenas realizar mandamentos, movimentos, ações físicas e considerar que obteremos este ou o próximo mundo, ou ambos os mundos juntos ao fazer isso; é subir ao estado onde não precisamos de recompensas.

Nós queremos receber a Luz superior de correção que retorna à fonte, ao Criador, e se tornar plenamente equivalente a Ele, quando não restará nenhum desejo pessoal em nós. Não é que pretendamos ou não entendamos porque ele se manifesta em nós cada vez mais, mas recebemos cada vez mais força da Luz superior para trabalhar contra o egoísmo.

Neste caso, nós ascendemos 125 graus ao nível do Criador. Essa é a implementação do método Cabalístico. Portanto, o principal problema para aqueles que não concordam com o avanço do Criador neste mundo é o problema com a sabedoria da Cabalá.

É necessário fazer tudo para revelar essa sabedoria aos amplos círculos do povo judeu e das nações do mundo. Baal HaSulam, no artigo “Shofar do Messias”, escreve que a Cabalá deve ser espalhada pelo mundo antes mesmo do povo de Israel começar a dominá-la.

Ele pede para penetrá-la gradualmente, e então entenderemos a necessidade dela. Afinal, até mesmo o Faraó entendeu o que é a realização do método de correção da humanidade, e, portanto, deixou o povo de Israel sair do Egito. Mas isso veio a ele com grande dificuldade, através de fortes golpes.

Portanto, obviamente, agora os adversários da difusão da Cabalá também receberão grandes golpes, e devemos distribuí-la o mais amplamente possível.

Esta não é uma tarefa fácil, com muitos desafios em nosso caminho.

Pergunta: Então, você acredita que os Cabalistas não poderiam se limitar ao trabalho interno sozinho?

Resposta: Não. Durante a saída do Egito e também agora, a “multidão misturada” (Erev Rav) vai perseguir o povo que sai do Egito (de seu egoísmo) e sobe à correção. Esse é o exército que o Faraó envia atrás dos judeus. Seus soldados pensam que estão protegendo a santidade da Torá e assim, por todos os meios, impedem a propagação da Cabalá.

Na verdade, a multidão misturada é o adversário mais ardente da ascensão da humanidade ao nível do Criador.

Pergunta: A multidão misturada queria que o povo ficasse no Egito. Então, por que essas pessoas não ficaram lá, mas seguiram as outras quando começaram a sair do Egito?

Resposta: Não, elas ficaram no começo. Mas quando viram que o povo já se aproximava do Mar Vermelho (Yam Suf),perseguiram-no. Sem elas, o povo não teria feito a travessia porque tinha medo de ir mais longe quando se aproximava do Mar Vermelho.

Aqui eles deveriam subir pela fé acima da razão, para se colocarem no poder do Criador, para fazer a primeira inclusão Nele. E nisso eles receberam ajuda precisamente de seus perseguidores que se aproximaram muito deles.

É quando Nachshon foi manifestado, a força especial que puxou todos depois dele. No entanto, se não fosse pela força negativa da multidão misturada, o povo de Israel não seria capaz de fazer a travessia.

A contradição mais importante entre eles: é necessário cumprir a Torá não em prol de si mesmo, não para receber alguns privilégios materiais, mas apenas em prol do próximo, sem qualquer recompensa? Se eles concordarem com isso, eles são obrigados a atravessar o Mar Vermelho, e a chamada multidão misturada os ajuda nisso, agudizando o problema. Então, a conquista do método de elevação para o Criador começa.

Infelizmente, a multidão misturada os segue e constantemente estraga suas vidas. Todos os problemas vêm apenas dela. Em particular no deserto, ela incita o povo a fazer o bezerro de ouro.

Essa é a força que deve ser corrigida gradualmente, compreendendo que tudo é feito somente pela força superior, e nós precisamos interagir corretamente com todos os obstáculos que ela nos traz para nos direcionar ao objetivo correto. Portanto, todos os obstáculos têm uma direção clara, mostrando-nos como avançar.

De KabTV “Segredos do Livro Eterno” 14/09/16

Por Que A Sabedoria Da Cabalá Não É Considerada Uma Religião?

Dr. Michael LaitmanPergunta: Por que a sabedoria da Cabalá não é considerada uma religião se ela fala sobre a força superior, sobre o Criador?

Resposta: É porque a sabedoria da Cabalá explora e estuda a força superior como um físico explora e estuda as forças físicas em nosso mundo. A sabedoria da Cabalá explora e estuda a próxima camada da natureza, as forças físicas do mundo superior.

Da Lição de Cabalá em Russo 22/01/17

Demônios, Anjos E Milagres

Laitman_151Pergunta: O Livro do Zohar menciona demônios, anjos e outros milagres. Parece estranho para mim que a Cabalá não seja misticismo. Você pode explicar o que você quer dizer com isso?

Resposta: O fato é que os Cabalistas usaram termos como “satanás”, “anjo”, “demônio” e assim por diante, para dar nomes às forças físicas da natureza.

As forças positivas e negativas da natureza são equivalentes. Além disso, as forças negativas não são, de forma alguma, piores que as forças positivas, mas em hebraico, são descritas nestes termos e, portanto, a Cabalá os usa. Isso foi escrito na Cabalá 5.000 anos atrás, quando não havia nem cristianismo nem judaísmo.

O fato de que as pessoas começaram a dar nomes às forças físicas, formas, volumes e os adicionaram às suas vidas como se os colocassem em nosso mundo é a imaginação de uma pessoa; isso é misticismo.

Da Lição de Cabalá em Russo 22/01/17

Nós Temos Proteção De Cima? Parte 10

Dr. Michael LaitmanAo longo de toda a sua vida, uma pessoa não pode fazer uma única ação sem rumo, sem qualquer conexão com a força superior. No entanto, é preferível que ela atue apenas para se assemelhar à força superior e para se conectar a ela, pois assim se aproxima da revelação.

Pergunta: Por que eu preciso da força superior? Por que preciso me assemelhar a ela? De que forma isso está conectado à minha vida cotidiana? Eu me levanto de manhã, vou ao trabalho, minha preocupação é que meus filhos cheguem à escola e voltem para casa em segurança. Eu gostaria que tudo fosse bem no trabalho, que meu chefe estivesse de bom humor e que meus projetos funcionassem bem.

À noite volto para casa e quero ser recebido por uma esposa satisfeita e crianças felizes para que não haja estresse ou agravamento.

Essa rotina diária se repete ano após ano, apenas com novos problemas, discernimentos, invenções e perdas. Como é que tentar se assemelhar à força superior, que teoricamente protege minha vida, se encaixa em tudo isso? Que tipo de conexão, se houver, isso tem com a vida de uma pessoa?

Resposta: Durante toda a sua vida você estava seguindo os comandos da força superior sem sequer ter consciência de quem estava controlando você. Você apenas correu ao longo da vida como um trem de brinquedo que é posto em movimento por um controle remoto. E pareceu-lhe que você fez tudo sozinho.

O problema reside no fato de que a força superior está escondida de nós. Mas se você começar a sentir quem está controlando você e para que propósito, e como você pode participar de todas as coisas que Ele está fazendo com você, vai entender que não está sendo conduzido sem rumo, em círculos, como um trem de brinquedo. Precisamente participando dessas ações você será capaz de alcançar Aquele que está controlando você e ver toda a sua vida a partir da perspectiva Dele.

Então em tudo que você faz, você tentará estabelecer o contato com o controlador. Uma pessoa deve realizar esse tipo de trabalho interior a cada momento. Ou seja, tudo o que você faz na vida é apenas a fim de revelar a força superior que dirige você. Você começa a sentir como ela se comporta em cada momento.

Pergunta: Uma pessoa sente a sua completa vulnerabilidade na vida, ao não saber o que o amanhã trará. Será que uma conexão com a força superior nos dá uma maior sensação de segurança no amanhã?

Resposta: Se uma pessoa está conectada à força superior, ela não está preocupada com nada sobre o amanhã, o principal é ficar em contato com o controlador. Que diferença faz quando Ele está me conduzindo? Não estou preocupado com o próximo momento, minha única preocupação é não perder o contato com Ele.

Isso fornece um escudo protetor na vida que nada mais é necessário porque você está conectado à mente superior. A conexão com a força superior é como a cobertura de um seguro para todas as situações na vida da maior e mais bem-sucedida companhia de seguros que inclui toda a existência. Isso é o que a sabedoria da Cabalá oferece a uma pessoa.

Pergunta: Mas e se a pessoa não é religiosa?

Resposta: Isso não tem nada a ver com a religião, apenas com o desejo de alcançar a força que nos governa.

Pergunta: Onde procuramos essa força superior?

Resposta: Nós precisamos procurá-la dentro de nossos próprios corações com a ajuda da sabedoria da Cabalá. Não é uma tarefa fácil e requer tempo. Mas, em última instância, cada um será capaz de “conhecer o seu Deus e servi-Lo”.

De KabTV “Nova Vida”, # 818, 26/01/17

Nós Temos Proteção De Cima? Parte 9

Dr. Michael LaitmanPergunta: Como a Mezuzá simboliza a força espiritual que protege a alma?

Resposta: A Mezuzá tem quatro componentes, que juntos representam todo o HaVaYaH: Yod- Key- Vav- Key, em outras palavras, o sistema superior. Uma pessoa, desejando se assemelhar ao Criador, entra neste sistema de HaVaYaH completo. Então ele é a sua casa, o útero da mãe, no qual ela se desenvolve.

O sistema de HaVaYaH simboliza a atitude de amor para conosco a partir dessa força superior, o Criador. Alcançando o amor ao próximo, nos assemelhamos ao Criador que ama Sua criação e nos unimos a Ele em um abraço mútuo.

Pergunta: Se Ele me ama, por que o Criador não me abraça agora?

Resposta: Porque você não corresponde a Ele, O desconsidera, é oposto à força superior do sistema, e, portanto, indesejável.

O Criador se relaciona com todos com amor, mas Seu objetivo é trazer todos à realização da força superior, para que todos conheçam o Criador, para revelá-Lo e tornar-se igual a Ele. Desta forma deixamos de ser marionetes sem livre arbítrio, sem entender nada em nossas próprias vidas, e nos elevamos a um nível mais elevado, eterno e absoluto.

Pergunta: Mas qual é o propósito do mandamento de colocar uma Mezuzá na entrada?

Resposta: Ele nos lembra que há a força superior da qual dependemos e que precisamos nos assemelhar a ela, nos comportar como ela. Visto que ela é misericordiosa, nós devemos ser misericordiosos, visto que é compassiva, devemos ser compassivos. No final, tudo é muito simples.

Pergunta: Então a Mezuzah simboliza a força de amor e conexão positiva entre nós?

Resposta: Assim como qualquer outro mandamento no mundo físico, este nos dirige a necessidade de segui-lo espiritualmente, internamente.

De KabTV “Nova Vida”, # 819, 26/01/17

Nós Temos Proteção De Cima? Parte 8

Dr. Michael LaitmanO judaísmo obriga os judeus a seguir muitos mandamentos: bênçãos, Kashrut (observar kosher) Mikveh (banho ritual), oração, além de várias outras ações. O judaísmo é considerado a religião mais complicada e extraordinariamente difícil.

Tudo isso é para que nós, dia a dia, momento a momento, nos lembremos com estas ações da conexão com a força superior e da necessidade de mantê-la constantemente.

Pergunta: Você está dizendo que esta conexão, o amor entre as pessoas, nos garante a proteção de cima?

Resposta: “Ama o próximo como a ti mesmo” é uma grande lei da Torá e representa a altura do desenvolvimento humano. Não há nada maior do que isso porque essa é a forma como eu me incluo na outra pessoa e faço o que ela precisa. O amor é a lei de um sistema integrado, através do qual todos os elementos devem ser conectados.

Pergunta: Como isso me protege?

Resposta: É assim que eu, ou melhor, o único elemento do sistema que eu represento, sigo as leis de todo o sistema. Naturalmente, isto oferece proteção para mim. Eu nunca posso me proteger. Eu me protejo apenas através de minha capacidade de me juntar corretamente com os outros porque, na realidade, eu estou conectado com todos e recebo sustento deles. Em essência, eles determinam todos os meus estados porque somos interdependentes.

Eu me uno ao conectar laços com uma infinidade de outros. Se essas conexões são negativas, eu sofro até finalmente morrer. No entanto, se do meu lado, essas conexões se tornam positivas, em troca, eu recebo uma reação positiva do sistema. Mesmo se outras pessoas, em relação a quem eu ajo com bondade, não pretendem me responder da mesma maneira, a força superior, que funciona dentro do sistema, irá influenciá-las de tal forma para fazê-las se relacionar comigo corretamente.

Desta forma as minhas ações começam a estar em harmonia com a força que preenche todo o sistema. Minhas tentativas de amar ao meu próximo me fazem semelhante à força superior. Eu me sintonizo com esta força e, ao fazê-lo, obrigo o sistema a me proteger. Assemelhar-se ao superior; o que pode ser mais seguro? Eu entro no superior quase como se estivesse entrando no útero de uma mãe; há um lugar mais seguro do que este?

O superior vai me proteger porque eu anulo a mim mesmo, o meu egoísmo, e me torno semelhante a ele. Eu não penso em mim mesmo, mas ajo apenas de acordo com os desejos dos outros. Como resultado, eu me torno semelhante ao superior e entro nele na forma mais mínima. Mas mesmo nesta forma mínima, eu estou dentro dele como um embrião dentro da mãe. Onde mais você pode se sentir mais protegido?

De KabTV “Nova Vida” # 819, 26/01/17