Textos na Categoria 'Religião'

Religiões Em Torno Da Sabedoria Da Cabalá

Pergunta: Na Wikipedia está escrito que “Cabalá (hebraico: קַבָּלָה, literalmente ‘paralelo / correspondente’, ou ‘tradição recebida’) é um método esotérico , disciplina e escola de pensamento que se originou no Judaísmo.”O que você pode dizer sobre isso?

Resposta: A sabedoria da Cabalá é uma ciência que é aprendida por pessoas que sentem o mundo superior e alcançam-no com a ajuda de ações internas particulares dentro deles e não por meio de ações místicas. Elas aprendem e investigam leis da estrutura superior, todas as forças superiores que existem em torno de nós, agora, que nós não sentimos, mas os cabalistas revelaram-nas.

Estas forças são chamadas de superiores porque elas são encontradas no reino da doação, estas são as forças de característica de doação, não de característica de recepção, e, portanto, nós as explicamos definimos assim.

Não há nada de religioso, místico ou esotérico sobre a sabedoria da Cabalá. É ciência pura. Isso é também o que foi escrito pelos antigos filósofos que aprenderam esta sabedoria de cabalistas na antiga Israel. Além disso, os cientistas da Idade Média até nossos dias realmente escreveram isso sobre ela.

Ela não tem nenhuma relevância para o judaísmo. O Judaísmo foi fundado muito mais tarde; surgiu a partir da sabedoria da Cabalá e se tornou a base para ações habituais em nosso mundo.

As pessoas que queriam e decidiram buscar relacionamentos com o Criador em nosso mundo, basicamente, tomaram descrições externas da sabedoria da Cabalá e criaram com elas sua religião. É assim que os ensinamentos espirituais, que foram transmitidos através do ego, tornaram-se a base para o judaísmo e outras religiões.

Comentário: Na Wikipedia está escrito que a sabedoria da Cabalá apareceu nos séculos 12° e 13°.

Resposta: Isso também é incorreto. A sabedoria da Cabalá apareceu quase 5.777 anos atrás. Indicamos esta data como o ano novo judaico.

O aparecimento de Adão e a revelação das leis da natureza, que ele descobriu, simbolizam o nascimento da sabedoria da Cabalá. Nós começamos nossa contagem a partir de então.

A propagação e disseminação da sabedoria da Cabalá começou no 12° século e continuou no 14° século na sua forma escrita para todos.

Portanto, o único ponto correto na Wikipedia é que a principal descoberta da sabedoria da Cabalá começou no. 14° século Tudo o resto foi inventado. A sabedoria da Cabalá não é filosofia, misticismo, religião, ou o judaísmo. Há uma confusão completa sobre isto, que inclui os judeus religiosos, que consideram a sabedoria da Cabalá como parte de sua religião.

[206052]

Da Lição de Cabalá em russo 22/1/17

Material Relacionado:
Cabalá E Religião

Separar O Joio Do Trigo
A Verdadeira Religião E A Religião Do Exílio

Resistência À Sabedoria Da Cabalá, Parte 2

Laitman_060.01A sabedoria da Cabalá e os Cabalistas tiveram um desenvolvimento especial ao longo da história porque o desejo de desfrutar precisa crescer e, assim, mostrar que o progresso material é inútil.

E toda vez, a sabedoria da Cabalá deve se ajustar para coincidir com aquelas pessoas em quem é revelada, isto é, com o povo de Israel, o grupo fundado por Abraão.

Nós vemos que a sabedoria da Cabalá estava disponível para o uso de todos os povos apenas por um tempo limitado quando foi revelada dentro do povo de Israel no tempo de Moisés. E isso foi acompanhado de inúmeros argumentos, esclarecimentos e guerras dentro do povo.

Assim, depois de entrar na terra de Israel – quando Moisés deixou o povo e a sua pressão desapareceu – o povo de Israel começou a descer da altura espiritual. Naquela época, emergiu a religião e as regras de comportamento no mundo material, que copiaram as leis Cabalísticas espirituais na matéria. O povo começou a criar “ídolos” e “coisas sagradas” para si.

O povo entrou cada vez mais nas tradições materiais e, à medida que avançou, a sabedoria da Cabalá surgiu e desapareceu. Após a destruição do Segundo Templo quando o povo caiu do amor fraternal ao ódio infundado, a Cabalá se escondeu completamente.

É preciso entender que ninguém ensina o amor ao próximo, exceto a sabedoria da Cabalá. Embora o princípio “Ama o próximo como a ti mesmo” seja a principal regra da Torá, a própria Torá – que é a sabedoria da Cabalá e a sabedoria da Luz – não existe mais no povo de Israel. Descobriu-se que o povo está no exílio do método de amor e unidade. O entendimento do que é a força superior – o povo de Israel e sua missão e objetivo de desenvolvimento – desapareceu.

Hoje, já estamos no fim dos dias do exílio genuíno e à beira da libertação. Em cada geração, foram revelados Cabalistas que eram adequados para esse período ou para a próxima geração. Precisamos entender que as ações dos Cabalistas e a resistência contra eles são uma consequência do desenvolvimento.

Forças cruéis se levantaram contra a sabedoria da Cabalá. Mas, havia uma divisão entre pessoas religiosas. Por um lado, havia os Hasidim e, por outro, seus oponentes, os Mitnagdim, e muitos outros ramos e movimentos. Os Cabalistas também estavam divididos entre aqueles que estavam mais preocupados com a linha direita ou a linha esquerda, de acordo com a natureza do homem.

Antes do tempo do Ari, os Cabalistas seguiam a escola do Ramak. Depois, o método de Ari foi popularizado. O próximo estágio importante no desenvolvimento da Cabalá começou com Baal HaSulam porque há uma grande diferença entre o que havia antes e depois dele. Depois, o Rabash (Rav Baruch Ashlag) desenvolveu ainda mais a Cabalá. Baal HaSulam e Rabash prepararam o método da Cabalá para a nossa geração.

Cada vez o método da Cabalá foi aperfeiçoado e, consequentemente, seus adversários aumentaram, rebelando-se contra o novo método, a “nova Torá” e a “nova religião”. Afinal, as pessoas não entendem no que se baseiam as ações dos Cabalistas. É muito importante aprender quais são as reivindicações levantadas contra a Cabalá para entender o que se deve resistir e como transformar essas forças supostamente malignas em boas e úteis. Tudo isso deve nos ajudar a perceber o processo geral pelo qual o Criador leva as criaturas a trazer seu desejo à correção completa.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 24/09/17, Lição sobre o Tema: “A Resistência À Cabalá”

Você Verá O Mundo Futuro Em Sua Vida

Laitman_198.jpgTorá, Deuteronômio 28:45: E todas estas maldições virão sobre ti, e te perseguirão, e te alcançarão, até que sejas destruído; porquanto não ouviste à voz do Senhor teu Deus, para guardares os Seus mandamentos, e os Seus estatutos, que te tem ordenado;

A pessoa está sendo aniquilada lentamente até chegar a perceber que tudo o que o Criador exige dela é a equivalência com Ele, isto é, realizar todas as ações para o benefício dos outros, não para si mesma.

Torá, Deuteronômio 28:46 – 28:47: E serão entre ti por sinal e por maravilha, como também entre a tua descendência para sempre. Porquanto não serviste ao Senhor teu Deus com alegria e bondade de coração, pela abundância de tudo.

Ao mesmo tempo, nós recebemos brevemente o estado de “abundância de tudo”, mas não aprendemos nada com isso. O egoísmo prevaleceu e o povo de Israel caiu do nível de doação, amor e conexão entre eles, mergulhou mais uma vez em uma guerra interna e isso encerrou sua história na terra de Israel.

A queda foi terrível. As pessoas se matavam enquanto lutavam entre si. Algumas estavam lutando para serem espiritualmente puras e para fazer tudo apenas em prol da doação e do amor mútuo. Outras não as entenderam, acreditando que simplesmente roubariam delas privando-as de uma vida egoísta confortável. Portanto, a guerra foi conduzida em todos os níveis, tanto espiritual quanto material.

Os sábios, ao verem que as pessoas não podiam guardar os mandamentos na forma recebida para viverem em equivalência com o Criador, gradualmente permitiram que elas os realizassem mecanicamente na forma externa.

As pessoas começaram a acreditar que essa era a realização dos mandamentos do Criador. Foi assim que surgiu o judaísmo que existe nessa estrutura até hoje.

As guerras gradualmente cessaram, e os judeus receberam a oportunidade de viver no estado de exílio e de cumprir simultaneamente os mandamentos de forma mecânica e externa, embora, de fato, os mandamentos impliquem uma correção passo a passo do egoísmo em 613 de seus desejos particulares até o nível do “ama ao próximo como a si mesmo”.

No entanto, quando as pessoas os transformaram em ações físicas comuns, tornou-se possível para todo egoísta que caiu do nível espiritual considerar que, com isso, está cumprindo os mandamentos do Criador e pode ser chamado de “povo de Israel”.

Vamos supor que a ablução das mãos simboliza a purificação dos desejos da intenção egoísta porque as mãos representam os desejos de uma pessoa. Mergulhar na água significa lavar todo o egoísmo. A doação aos outros é sair de si mesmo. No entanto, as pessoas, ao executar tudo isso e compartilhar algo com os outros, acreditam que estão fazendo ações nobres. Isto é, todos os mandamentos espirituais se transformaram em várias ações de nosso mundo.

As pessoas começaram a acreditar que, com isso, tinham direito ao mundo futuro após a morte. No entanto, não é assim. Está escrito na Torá: “Você verá seu mundo em sua vida”.

Isso significa que se você seguir corretamente as ordens da Torá, atingirá imediatamente o mundo superior, onde você age através da sua alma. Você percebe o novo mundo através dos sentimentos internos corrigidos, isto é, através das forças de doação e amor e da força geral que se chama Criador, que é revelada a você.

De KabTV “Segredos do Livro Eterno” 19/12/16

Uma Cabalá Diferente

laitman_570Pergunta: Eu posso entender algumas das queixas que as pessoas religiosas têm contra você, mas por que você também é criticado por estudiosos que estudam Cabalá nas universidades?

Resposta: Os estudiosos que estudam Cabalá sentam-se nas universidades e ninguém tem qualquer problema com eles, enquanto que conosco, o Bnei Baruch, todo mundo nos ataca e todos estão insatisfeitos conosco. Portanto, a questão não é que estamos estudando Cabalá, mas precisamente o quanto esse tipo de estudo da Cabalá não é tolerado pela religião e por pessoas religiosas e seculares.

Os acadêmicos da universidade escrevem sobre o que cada um pensa da Cabalá. Isto veio dos gregos antigos que estudaram a Cabalá dos profetas, mas a compreenderam em um nível puramente superficial e assim é como começaram a escrever sobre ela. Depois, as gerações seguintes escreveram sobre as gerações precedentes dos filósofos e o que acreditavam.

Em outras palavras, a Cabalá acadêmica não segue o objetivo de alcançar o Criador e o mundo superior e de fazer Cabalistas de seus alunos, apenas visa estudar pesquisadores universitários anteriores.

Talvez essas pessoas também venham a nós com um desejo de estudar a Cabalá na superfície como nas universidades, e assim saem insatisfeitas conosco, por supostamente estarmos estudando a “coisa errada.” Da mesma forma, os cientistas que nos estudam nas universidades não nos entendem e internamente se ressentem de nós por sermos diferentes, não como eles.

Eles não podem compreender que a nossa Cabalá é DIFERENTE da deles: nós temos a realização do mundo superior a partir dos Cabalistas que a percebem na prática, enquanto que o que eles têm é estudar as opiniões de seus antecessores que não atingiram o mundo superior.

Por Que Muitas Pessoas Preferem A Religião À Cabalá?

Laitman_507.03Pergunta: A Cabalá diz que o propósito da nossa vida é descobrir a força superior. Uma vez que eu a revele, recebo a capacidade de controlar minha vida e me livrar de todas as ansiedades. Isso parece muito atraente, então porque as pessoas evitam a Cabalá?

Por que elas preferem a religião, que promete uma recompensa somente após a morte em um futuro mundo do qual ninguém ainda retornou?

No entanto, as pessoas estão prontas para dedicar suas vidas inteiras à religião. A Cabalá lhes oferece alcançar a mesma coisa, mas durante a vida delas neste mundo. No entanto, elas rejeitam a Cabalá. Eu não entendo o porquê?

Resposta: Na religião, a pessoa engana a si mesma. Na verdade, ela não receberá nada. Não há nada após a morte! A pessoa morre, e como qualquer animal, o corpo se decompõe e nada permanece.

Por que, então, a abordagem religiosa está prosperando? Porque a religião não só promete uma recompensa e um paraíso após a morte por realizar ações não muito complexas neste mundo, mas mesmo agora, no processo de realização das ações rituais, a pessoa recebe prazer. Mesmo quando sofre, a religião proporciona uma compensação egoísta por esse sofrimento. Na religião, não é necessário anular seu egoísmo como na sabedoria da Cabalá.

É por isso que as pessoas estão dispostas a realizar ordens religiosas, se casar, jejuar e se sujeitar a todos os tipos de restrições. Elas recebem ainda mais prazer com isso. Quanto mais sofrimento os mandamentos religiosos trazem, mais a pessoa valoriza o mundo futuro e é ainda mais dedicada à religião.

A sabedoria da Cabalá não pede para a pessoa se esgotar e realizar algum tipo de ação. Ela só precisa fazer uma coisa: subir acima de seu egoísmo, de sua natureza. Isso, no entanto, é um desafio!

Acontece que, quando a pessoa cumpre as ordens religiosas nesse mundo, ganha uma recompensa para si e sua família neste mundo e no mundo futuro. Ela sente como se tivesse recebido uma apólice de seguro e que uma força superior cuidará dela e a protegerá de todos os males, e depois da morte tem garantida uma vida no céu.

A Cabalá, no entanto, diz que nada disso existe! Acontece que é oposta à religião, porque a desmantela, e é por isso que as pessoas religiosas são contra a Cabalá e não querem ouvi-la. Elas veem isso como uma ameaça porque pode afastá-las da religião. Esta é a razão pela qual os Cabalistas ocultaram a Cabalá e não falaram a verdade, de acordo com o que está escrito: “Não coloque obstáculos diante de um cego”.

Na Cabalá, a regra sempre se aplica: “Mil entram em uma aula, e apenas um sai para a Luz”. Em outras palavras, 999 daqueles que vieram partirão, e depois de sair, vão crescer para odiar a Cabalá porque ela é oposta a nossa natureza.

Muitas delas se tornam religiosas. Elas ainda não têm um ponto suficientemente grande, ardente e forte no coração capaz de segurá-las apesar de todas as dificuldades, problemas e decepções que a pessoa tem que passar durante o estudo prático da Cabalá.

De KabTV “As Razões para a Atitude Negativa em Relação à Cabalá” 19/07/17

Recompensas E Castigos Em Nossas Vidas, Parte 2

laitman_571_08Os Cabalistas não percebem recompensas e castigos como o público em geral; eles os veem como reações por parte do sistema. É por isso que eles recebem calmamente qualquer crítica ou acusação como o sistema tentando ajudá-los a avançar.

Eles não atribuem isso a um indivíduo específico, mas apenas ao sistema geral. Assim, as acusações que podem parecer um castigo para outra pessoa, para um Cabalista representam o material com o qual trabalhar até que seja experimentado como uma recompensa.

Pergunta: Como pode ser considerado uma recompensa quando uma pessoa é acusada ou envergonhada?

Resposta: Há muitos anos eu também fui criticado, acusado de enganar e desejar o poder. Mas eu entendo que essa crítica não vem de pessoas específicas que têm algum tipo de livre arbítrio, mas do sistema. Portanto, eu devo receber essa crítica para me sentir no exílio.

O comportamento delas é apropriado porque me ajudam em minha correção e, à medida que avanço rumo à correção, eu sinto essas manifestações negativas como positivas. E se eu as sinto como negativos, é só porque ainda não fui corrigido em minhas corretas qualidades internas.

Em outras palavras, as recompensas e os castigos a partir da percepção natural e egoísta são inteiramente opostos ao que é percebido pela pessoa que deseja avançar e, portanto, são relacionados acima de seu próprio egoísmo.

Por essa razão, as pessoas que querem se libertar de seu egoísmo, percebem todas as críticas negativas em relação a elas como um presente, que lhes são concedidos como uma oportunidade de se elevar e transformar castigos em recompensas porque isso significa que o sistema está prestando atenção nelas, de forma gentil e cuidadosa, como uma mãe criando um filho pequeno e ensinando-lhe bom comportamento.

Pergunta: Como uma mãe que dá comida saudável ao seu filho em vez de uma lata de refrigerante?

Resposta: Sim, receber golpes é muito saudável. Eles não devem desencadear resistência ou acusações defensivas, mas sim uma análise: o que especificamente está desencadeando isso, quais são essas qualidades, pensamentos e desejos em mim? Tudo isso eu preciso corrigir no lugar exato onde estou sofrendo o golpe.

Isso é exatamente o que eu preciso para sair do meu estado egoísta. Se eu sinto o golpe lá, significa que ainda há um cálculo de benefício pessoal e eu preciso subir para um cálculo do nível superior.

Pergunta: Mas você não quer receber uma reação positiva dos outros?

Resposta: Eu quero receber uma reação positiva como um indicador de que essa qualidade em mim atingiu a correção, não porque quero ver que os outros ao meu redor foram corrigidos. Está escrito: “Cada um julga de acordo com suas próprias falhas”, então, quando eu me corrigir, não experimentarei mais golpes. O sistema é construído de tal maneira que ninguém mais me criticará ou me acusará.

De KabTV “Nova Vida” 02/02/17

Origens Da Cultura

laitman_628_2Pergunta: Onde está a fronteira entre a espiritualidade e a cultura?

Resposta: A cultura não é um conceito separado.

A diferença entre cultura, ética e situações espirituais não existe. A religião é a fonte da cultura. Sem religião, a pintura, a literatura e a música não se desenvolveriam. Todas começaram com a religião, e se desenvolveram externamente mais tarde. Mas os fundamentos de todas elas foram colocados na espiritualidade.

Pergunta: Existem tribos que não mantêm nenhuma das religiões do mundo. Elas têm sua própria cultura, comunicação, comportamento e fundações.

Resposta: Essas tribos têm seus próprios costumes. Existem 2.800 tipos de religiões e fé no mundo.

Tudo o que existe na humanidade apareceu graças à religião. Todas as artes foram criadas a partir da necessidade religiosa da humanidade de se expressar com o poder superior.

Pergunta: Na Torá, é dito: “Em relação a seu filho, um pai é obrigado a circuncidá-lo, resgatá-lo, ensinar-lhe a Torá, casar com uma mulher e ensinar-lhe uma arte”. (Kiddushin 29a).

Resposta: O objetivo da palavra “arte” é a característica de doação.

Da Lição de Cabalá em Russo 08/01/17

Ética E Cabalá

laitman_265Pergunta: Por que a Cabala não é, ao mesmo tempo, a ética e a filosofia humana, se o seu principal postulado é o “ama ao teu próximo”?

Resposta: A Cabalá deve se tornar assim, e será assim. No entanto, hoje a humanidade ainda não está preparada para isso.

Atualmente, nós passamos por certos estágios de realização da natureza do mal do homem, e aprendemos por meio de todos os problemas que constantemente nos perseguem. Isso nos leva ao fato de que não sabemos o que fazer conosco mesmos e o nosso mundo.

Portanto, já estamos começando a perceber que precisamos do conhecimento sobre o nosso mundo, sobre as profundidades das ações das forças nele. Gradualmente, entenderemos que, sem o conhecimento da Cabalá, somos apenas uma geração perdida.

Quando descobrirmos a Cabalá para nós mesmos, que já está pronta para o uso, entraremos em um desenvolvimento muito rápido, fácil e agradável, até o nosso estado final, absolutamente bom.

Da Lição de Cabalá em Russo 22/01/17

Nova Vida # 853 – Esperança E Pureza Do Coração

Nova Vida # 853 – Esperança E Pureza Do Coração
Dr. Michael Laitman em conversa com Oren Levi e Nitzah Mazoz

Resumo

As cerimônias em nosso mundo não mudam nossa intenção de recepção para doação, mas são apenas símbolos.

A ação física não purifica nada porque tudo depende da intenção da pessoa.

De KabTV “Nova Vida # 853 – Esperança E Pureza Do Coração”, 11/05/17

Maçons E A Sabedoria Da Cabalá

Laitman_112Pergunta: Algumas pessoas dizem que as Lonas Maçônicas foram formadas com a participação ativa de grupos Cabalísticos. Quem são os maçons e será que eles estão ligados à sabedoria da Cabalá?

Resposta: Maçons não têm qualquer ligação com a sabedoria da Cabalá. Estas são pessoas que atuam em relacionamentos especiais entre si e que criam uma pequena sociedade fechada em sua conexão. Não tem nada a ver com o judaísmo, a religião, e muito menos com a sabedoria da Cabalá. Eles acreditam que, ao realizar certos rituais, podem afetar suas condições e daqueles ao seu redor.

Eu me encontrei com maçons em Roma e lhes dei palestras. Eles me convidaram para suas cerimônias e explicaram o que queriam dizer, mas não diria que seus rituais eram interessantes. É muito difícil me impressionar porque a Cabalá coloca uma pessoa em tal nível que depois disso não há nada com que se impressionar.

Não procure nada misterioso no mundo porque tudo o que parece misterioso é apenas porque não conhecemos sua natureza. Seja um materialista absoluto!

A sabedoria da Cabalá é o estudo da natureza superior, não da física do nosso mundo. Na verdade, é assim que ela aborda cada fenômeno e é assim que o explica. Portanto, ela está aberta a todos e não exige nenhuma iniciação, encantamentos, sinais secretos ou vestimenta especial.

Você tem um desejo? Venha estudar a sabedoria da Cabalá. Depois, tudo dependerá de você. Você conseguirá ascender acima de sua natureza egoísta e se tornar Cabalista, homens e mulheres.

Da Lição de Cabalá em Russo 22/01/17