Textos na Categoria 'Garantia Mútua'

Nunca Mais!

Laitman_130Eu nasci em 1946 e cresci à sombra daquela guerra implacável que levou a vida de milhões de pessoas em uma terrível tragédia chamada Holocausto do povo Judeu. O Holocausto me impactou pessoalmente. Embora meus pais tenham tido a sorte de sobreviver, dois terços dos meus parentes foram mortos nos campos de extermínio.

Por esta razão, o Holocausto não é uma lembrança distante para mim, mas um doloroso lembrete do que também pode acontecer conosco. A pergunta, “Como podemos evitar outro Holocausto?” Não é uma pergunta sem propósito para mim. Eu faço esta pergunta com toda a dor e a responsabilidade que sinto.

Eu sinto como que um oceano de ódio está nos afogando. Os sinais do desastre iminente nunca foram tão evidentes. Todos os relatórios internacionais sobre o crescimento sem precedentes do antissemitismo são claros sinais de alerta.

No Dia Internacional do Holocausto, uma pergunta foi feita na BBC sobre se não é hora de parar de falar sobre o Holocausto. Uma convenção científica será realizada na Inglaterra sobre o direito legítimo de Israel existir, e um acordo foi assinado com o Irã sobre seu plano nuclear, o que é mais uma prova de que não podemos contar com nossos “aliados”.

Tudo isso é motivo de grande preocupação em relação ao nosso futuro.

Ainda podemos evitar outro Holocausto, mas não basta lamentar o passado para fazer isso. As lágrimas devem dar lugar à análise crítica de nossa situação atual e à busca por outros meios para corrigi-la.

Por quê? Porque estamos vivendo em um sistema fechado de forças sem emoção. A lei, segundo a qual este sistema opera, é a homeostase, que significa o equilíbrio harmonioso de todos os elementos do sistema.

Portanto, se agirmos de acordo com esta lei, o que significa que aspiramos a estabelecer relações boas e harmoniosas, nos sentimos bem, mas se estamos divididos, esse sistema nos reequilibra vigorosamente com ele. Às vezes, tal correção envolve um sofrimento terrível.

Eu sei o quão difícil é para os sobreviventes do Holocausto e membros de suas famílias lerem essas linhas, mas a verdade tem que ser contada. O Holocausto aconteceu porque a nação de Israel não agiu de acordo com a lei da união. Por que nós? Porque temos uma responsabilidade especial de cumprir essa lei desde os dias de Abraão.

Abraão, o fundador da nossa nação, descobriu que tudo é gerido pela lei da unidade. Quando o povo da antiga Babilônia foi dividido porque o ego cresceu, Abraão começou a ensinar aos Babilônios o método da unidade.

Os poucos que o seguiram foram chamados de nação de Israel. A implementação dessa lei é a razão pela qual nossa nação existe. A única justificativa para a nossa existência como nação é transmitir essa lei dentro de nós e a todas as outras nações do mundo.

No início do século passado, recebemos a chance de voltar à terra de Israel, não para construir um lar para todos os Judeus nele, mas para readquirir a unidade que perdemos. Infelizmente, não fizemos isso. A maioria dos Judeus da Europa preferiu permanecer em suas comunidades locais ou assimilar.

A reação do sistema superior a isso foi o Holocausto que começou no início da década de 1920. Muito antes do mundo ter sido inundado e sufocado pelo sangue, os Cabalistas sentiram que uma grande tragédia se aproximava e chamaram os Judeus da Europa para retornarem à sua terra e se unirem, mas estes não ouviram os Cabalistas.

Em vez de nos unirmos em uma nação por nosso livre arbítrio, nos aproximamos um do outro devido ao terrível sofrimento durante o Holocausto. Depois disso, recebemos nossa condição de Estado.

O verdadeiro mandato para a existência do nosso país não é a declaração da ONU, mas a nossa missão. De acordo com os Cabalistas, o Estado que recebemos foi dado apenas para cumprir a lei da unidade. E é exatamente isso que o mundo exige de nós.

Inconscientemente, as pessoas do mundo querem que alcancemos a unidade entre nós e lhes transmitamos o método de Abraão. Nós nos recusamos a fazer isso até agora e invocamos o antissemitismo. Na verdade, essa recusa pode ser a causa do próximo Holocausto.

O Dia em Memória do Holocausto e o Dia da Independência de Israel devem se tornar dias de realização da nossa missão, dias de recalcular e reavaliar a existência de nossa nação. Nestes dias, devemos nos reunir em torno de milhares de mesas redondas em todo Israel e no mundo, e entender como devemos alcançar a verdadeira independência, a independência de nosso egoísmo e aprender como podemos ascender do ódio infundado ao amor fraternal.

Esta é a única maneira de podermos garantir o nosso futuro e o futuro dos nossos filhos e dizer com confiança: nunca mais!

Nova Vida # 407 – Difamação

Nova Vida # 407 – Difamação
Dr. Michael Laitman em conversa com Oren Levi e Yael Leshed-Harel

Resumo

O que é o fenômeno da difamação, de onde ele vem e o que ele causa no mundo e nas relações entre as pessoas?

Nossa natureza é o desejo de prazer, e nós medimos a nós mesmos contra os outros. A difamação vem disso. Difamação é quando uma pessoa intencionalmente quer prejudicar outra, rebaixá-la aos olhos dos outros. Isso afeta todo o sistema.

A linguagem é uma conexão entre nós. Ela pode ser verbal, ou seja, por meio de palavras, mas também pode ser por meio de pensamentos.

A difamação no sentido pleno explica a relação que existe no meu coração com relação a outra pessoa, mesmo que eu não abra a boca para falar.

O nosso mundo tem sido arruinado porque o preenchemos com maus pensamentos uns sobre os outros. O campo de conexão tem sido envenenado.

O bom discurso é a doação mútua, conexão mútua, quando cada um pensa no bem da sociedade.

De KabTV “Nova Vida # 407 – Difamação”, 15/6/14

O Risco De Catástrofes Globais

laitman_222Comentário: A Fundação Sueca Desafios Globais, em colaboração com o Projeto De Prioridades Globais da Universidade Oxford, divulgou recentemente um relatório sobre a questão dos riscos de catástrofes globais. O relatório descreve os principais fatores de risco que poderiam ameaçar seriamente o nosso modo de vida no planeta nos próximos cinco anos como base para a política de gestão de risco dos governos.

Portanto, quais são as catástrofes globais que temos maior risco a partir de agora? Segundo o relatório, ainda hoje o maior risco são as pandemias tanto naturais como as projetadas por seres humanos, e a perspectiva de guerras nucleares. Outras ameaças de alto risco são as mudanças climáticas catastróficas, ser atingido por um asteroide como o que dizimou os dinossauros. Terremotos globais ou rupturas pela inteligência artificial são considerados eventos de baixo risco, pelo menos no curto prazo. Os autores do relatório dão um peso considerável a fatores desconhecidos para os quais parece ser mais difícil se preparar, mas que certamente aumentam o nível de risco (Global Catastrophic Risks).

Nenhum dos especialistas acredita que o maior risco para a humanidade seja a separação e desunião entre as pessoas

Resposta: Infelizmente, não estamos tentando resolver o problema no nível das relações humanas. Essas relações são a base de todos os fenômenos negativos, incluindo o impacto de asteroides e erupções vulcânicas. Há estudos hoje que provam e verificam o fato de que diferentes conexões mentais mútuas afetam nosso ambiente, mas estes estudos são poucos, e, por enquanto, não vemos todas as conexões na natureza.

A humanidade entende que é impossível mudar a natureza humana e que devemos procurar a solução em outros planos, porque é impossível exigir que uma pessoa seja melhor para com os outros, ou se anule e suavize suas más relações mútuas para com os outros, porque essa questão ainda está fora de cogitação.

“O que vocês podem oferecer especificamente, acrescentar, para nos mudar?” Isto é o que as pessoas perguntam aos cientistas, cientistas políticos, sociólogos e filósofos. ”Vocês ainda não podem fazer nada por nós; é impossível”.

Suas reivindicações são totalmente justificadas e baseadas em uma perspectiva muito realista do que está acontecendo, porque a única força que muda o homem é a força superior. Ninguém pode chegar perto dessa força. Ela só funciona quando se utiliza a sabedoria da Cabalá. Tudo o que temos a fazer é entender que há um método que pode mudar a nossa natureza.

Portanto, a sabedoria da Cabalá deve ser revelada às pessoas para explicar-lhes que não há outro caminho, nenhum dos truques irá produzir o resultado desejado porque todos os truques que temos são apenas um caminho para a decepção que tivemos no passado.

Apenas a força superior que criou o ego humano pode mudá-lo para a força oposta, o altruísmo, o amor. O egoísmo humano é pedra no caminho do mundo. A humanidade já percebeu que é necessário agir de outra forma. Se permanecermos dentro da estrutura das soluções humanas, sem a ajuda da força superior, não seremos capazes de avançar. Mesmo se tentarmos melhorar, votarmos pelo desarmamento, corrermos para o espaço exterior e explorarmos a lua, a humanidade não vai mudar.

Pergunta: É possível levar a humanidade a um impasse de modo que ela sinta a necessidade da sabedoria da Cabalá e comece a trabalhar com ela, assim como Newton fez em seus dias? Afinal, ele sentiu que havia verdade nela.

Resposta: Ninguém pode fazer isso, exceto os Cabalistas. Nós temos que disseminar a sabedoria da Cabalá, e no caminho vamos encontrar pessoas que estão muito decepcionadas com a vida. Embora elas não possam compreender o nosso método, vão querer realiza-lo, porque não há outro caminho. A ideia da sabedoria da Cabalá é basicamente comunista. E hoje não só nós, mas também o mundo está avançando em direção ao mesmo princípio. O comunismo e o socialismo não são mais palavras obscenas. Há muitos socialistas hoje na América e na Inglaterra, e o único perigo é que o despertar do socialismo se transforme em socialismo nacionalista, em fascismo.

Fascismo deriva da palavra “fascio em italiano, que é um método que une as pessoas, mas as une contra outra coisa. Nós estamos em uma encruzilhada e temos que escolher que caminho tomar, se o caminho para o socialismo e o comunismo, o caminho da fraternidade que une o mundo acima de todas as diferenças, ou o socialismo dentro de um estado independente que tem a intenção de derrotar e escravizar outros. Esse é o problema que o mundo enfrenta novamente, assim como no início do século XX. Esperemos que quando se tratar do nazismo as pessoas sintam que há uma alternativa para não voltarmos ao mesmo ciclo vicioso.

De KabTV “Notícias com Michael Laitman” 01/05/16

O Significado Espiritual Da Virgindade

laitman_559Pergunta: Existe um significado espiritual da virgindade?

Resposta: Sim, porque a parte feminina do vaso (Kli) espiritual é incorporada pelo desejo. O desejo que começa a trabalhar com a Luz passa por certas fases de preparação, e isso é chamado de rompimento do hímen.

Há muitas leis de rituais de pureza em relação a esse assunto. Você pode entrar em sites de Judaísmo e encontrar explicações detalhadas sobre esse assunto: o que é, como se comportar, como uma virgem deve se preparar, quanto tempo ela é considerada impura, e assim por diante. Tudo isso decorre de leis espirituais que devem se relacionar com as raízes espirituais. Assim, a correta interação entre a Luz e o vaso é cumprida, e em nosso mundo, ela é cunhada em expressões e imagens como os corpos masculino e feminino.

Da Lição de Cabalá em Russo 06/12/15

Evitando Os Obstáculos

Laitman_931-02Pergunta: Nós elevamos uma oração de muitos (coletiva) durante a Convenção em Arava, para que pudéssemos ser incorporados num campo, a fim de nos tornarmos um todo. Isso quer dizer que, se nós simplesmente nos lembramos disso agora, podemos voltar a esse ponto?

Resposta: Por que vocês devem se lembrar disso? Vejam que grupo global nós temos! Eu nunca considero certa parte pequena. Para mim, um grupo são todos aqueles que são membros do nosso movimento.

A principal lei do sistema geral do universo é a garantia mútua, uma conexão mútua harmoniosa e absoluta entre todas as partes da criação. Não há nada além disso!

Parece que essa é uma condição virtual, mas, na verdade, a garantia mútua é a lei segundo a qual existe e funciona o sistema da criação! Se somos compatíveis com essa lei, não só começamos a sentir a criação, mas inclusive tomamos uma parte ativa em seu governo. Afinal de contas, de acordo com o pensamento de criação, nós somos a parte mais desenvolvida que é igual ao Criador. Este é o nível ao qual devemos evoluir.

Agora, nós entramos inconscientemente nele como os níveis inanimado, vegetal e animal da natureza, e na fase atual começamos a ascender ao nível humano, uma vez humano, Adão (em hebraico), significa se assemelhar ao Criador. Não há nada além dessa lei!

A oração de muitos ou a oração general significa se preocupar com todo o sistema quando eu estou incorporado integralmente nele. Como eu posso receber a influência correta dele e influenciá-lo corretamente, se não estou conectado a ele dessa maneira? Esta é a razão de eu ter que estudar e ensinar os outros só sobre essa conexão.

Pergunta: O que nós devemos fazer se já estamos incorporados num campo unificado, mas ainda não discernimos o Criador? O que devemos pedir?

Resposta: O sistema já está num estado de completa unidade, mas nós não temos consciência dele nem o sentimos. Há um obstáculo aqui quando eu começo a me perguntar por. Não devemos fazer isso. Nós temos que dizer e pedir para sermos um parceiro ativo, um assistente, que empurra o grupo inteiro, todo o sistema, à unidade.

O Criador é a força que coloca o sistema em movimento na unidade, na totalidade, e que conecta tudo num todo. Esta é a razão que quando eu aspiro a me assemelhar a essa força através das almas, através dos componentes do sistema, eu o levo ao estado de “Ele e Seu nome são um”.

Eu devo construir esse modelo, a imagem deste sistema, dentro de mim, e assim vou constantemente sentir exatamente o que preciso e para onde tenho que avançar.

Pergunta: Mas nós não podemos imaginar totalmente esse modelo.

Resposta: Imagine-o como você pode, porque a aspiração por Ele vai continuar guiando-o mais tarde. Se você se concentrar dessa forma, não vai desviar do caminho certo.

Na verdade, isso não é complicado, mas não é fácil se acostumar com isso em nosso mundo. A verdadeira estrutura é, de fato, muito simples. O que há além do desejo quebrado que devemos montar, unir e descobrir como um único desejo pleno onde a Luz, a força superior, se encontra? Essa é a força de amor e doação que nós elevamos acima de todos os outros atributos e, portanto, chamamos de força superior.

Da Semana Mundial do Zohar “Convenção de Educação Integral”, Dia Três, 04/02/14, Workshop 5

Por Que Precisamos De Um Sentido Adicional?

Dr. Michael LaitmanPergunta: Como podemos desenvolver sentidos adicionais? Podemos usar a ciência normal para inventar instrumentos que permitam às pessoas ver o que um Cabalista vê?

Resposta: É impossível inventar tais instrumentos, mas qualquer pessoa pode desenvolver seus sentidos e adquirir os atributos de amor e doação, a fim de transcender os limites desse mundo e sentir o mundo superior, visto que ela usa corretamente a Luz que Reforma.

Se chegarmos mais perto e estabelecermos boas relações entre nós, desenvolvendo o sentido da doação mútua, vamos atrair a influência da Luz superior, que nos proporciona novos sentidos. Então, vamos ver a realidade superior, as forças superiores, e seremos capazes de usá-las, a fim de gerenciar totalmente a nossa vida em todos os seus detalhes. Nós precisamos do órgão sensorial adicional, a fim de gerir as nossas vidas e melhorá-las.

Está tudo em nossas mãos. A nação de Israel recebeu a oportunidade de tornar a nossa vida feliz e mostrar um exemplo para o mundo inteiro.

Do Programa da Rádio Israelense 103FM, 16/08/15

A Criação De Um Bom Ano

Dr. Michael LaitmanPergunta: O que devemos fazer para que este ano seja um verdadeiro ano novo para nós?

Resposta: É muito simples. A Torá diz: “Eu criei a inclinação ao mal”. E, de fato, toda a divisão e quebra do nosso mundo, todas as contradições e oposições, o ego e a falta de receptividade, a falta de compreensão, tudo que a humanidade já passou durante a sua história, é realmente ação do Criador. Assim, a pessoa tem que sair do seu próprio ego para entendê-Lo.

Pessoas fracas ou muito egoístas, que estão prontas para pisotear o mundo inteiro, não são atraídas a esse tipo de trabalho. Por outro lado, elas têm grandes egos, não fiam satisfeitas com este mundo, e este não lhes interessa. Elas querem controlar toda a criação, saber tudo o que acontece, e descobrir tudo de modo que não haverá nada que elas não saibam, sintam ou controlem.

A revelação de tal ego numa pessoa é de fato um dom do Criador. Isto significa que a pessoa está pronta para a realização e para pagar tudo o que tem que pagar, a fim de alcançar isso. Então, ela se encontra no grupo certo, onde pessoas como ela ficam junto.

Este grupo está sob a influência do método Cabalístico, onde as pessoas vêm e, no final, passam por estados muito sérios de resistência ao seu ego, elevando-se acima dele, e se conectando entre si. Elas aprendem todos os processos em si mesmas e sentem, descobrem, controlam, integram e fazem tudo que for necessário. Por fim, a imagem correta do mundo é formada dentro delas. Elas constroem o Criador na conexão entre elas, porque esta é a única maneira Dele poder ser revelado.

É impossível revela-Lo de outra forma que não seja por esta conexão, ou por essa plataforma sobre a qual Ele se revela. É uma força que requer matéria, a fim de revela-Lo dentro dela.

A eletricidade, por exemplo, pode ser revelada na forma de um mostrador se movendo, fios se aquecendo ou uma explosão. Só então poderemos dizer que há alguma força lá. É o mesmo com o Criador, que é simplesmente uma força sem matéria. Nós temos que fornecer a matéria, de modo que essa força pode ser revelada de acordo com leis físicas precisas.

Não há nada de irracional ou místico aqui. Não é religião, mas a ciência da Cabalá. Portanto, toda a nossa atenção e todos os nossos esforços estão focados em como criar as condições onde o Criador possa ser revelado. Nós precisamos reunir essa matéria com suas partes separadas, combinando os atributos de doação, garantia mútua e incorporação mútua para que a Luz apareça dentro dela.

Nós a esculpimos por um longo tempo e, de repente, nossa estátua ganha vida. Assim, um homem é criado do pó, da matéria inerte, e se torna um homem corrigido onde derramamos vida. Nós celebramos essa maravilhosa oportunidade que nos foi dada durante o Rosh Hashaná.

De KabTV “Feriado de Rosh Hashana” 06/08/15

Venda e resgate

A Torá, “Levítico” 25: 47- 48: Se um residente não judeu ganha riqueza com você, e seu irmão se torna destituído com ele e é vendido a um residente não judeu entre vós ou a um ídolo (?) da família de um não judeu. Depois que ele é vendido, ele terá a redenção; um de seus irmãos deve resgatá-lo.

Um estranho é o ego externo que por si só torna-se um maior nível em relação ao povo de Israel (Galgalta vê Eynaim). Isto fala sobre os estados corrigidos. Então, se há um estrangeiro que se instala com você e levanta a mão, o que significa que ele torna-se grande e corrigido, então, seu irmão, que é menor do que ele em nível, a sua venda a um estrangeiro torna se sua correção. Você deve vendê-lo porque a entrada sob um nível superior com maior ego, chamado de um estranho, é a correção.

No entanto, depois de ter vendido seu irmão para um estrangeiro, você pode resgatar e comprá-lo de volta, pois ele já corrigiu-se ao ser vendido, o que significa que ele anulou-se para o estrangeiro. Quando a redenção resgatá-lo, ele retorna a você juntamente com a parte do estrangeiro que ele adquiriu no momento da venda. [Leia mais →]

Tornando-se Livre Da Dominação Do Ego

A Torá, “Levítico” 25:44 – 25:46: O seu escravo ou escrava a quem você pode ter das nações que estão em seu entorno, a partir deles você pode adquirir um escravo ou uma escrava. E também dos filhos dos moradores que vivem no meio de vós, deles você pode adquirir [escravos] e de suas famílias que estão com você, que foram gerados na vossa terra, e eles tornar-se-ão sua herança. Você deve prendê-los como herança para seus filhos depois de ti, como os bens adquiridos, e pode, assim, tê-los atendendo-o para sempre. Mas, como para os vossos irmãos, os filhos de Israel, um homem não deve fazer trabalhar o seu irmão com rigor.

A Torá nos diz sobre os diferentes estados egoístas a que somos submetidos, um dos quais é a escravização ao nosso ego.

Não devemos perceber o que a Torá nos diz como uma história sobre as relações mútuas entre as pessoas, uma vez que as relações mútuas neste mundo são preenchidas automaticamente de acordo com os nossos atributos naturais. A Torá nos diz apenas sobre os nossos estados internos. [Leia mais →]

Ao Pé Da Montanha

Dr. Michael LaitmanA porção semanal da Torá BaHar (Sobre a Montanha) nos fala sobre as leis que o Criador deu à nação através de Moisés. Estas são as leis que uma pessoa tem que cumprir dentro dela. Há uma montanha de egoísmo em cada um de nós, que é a mesma Torre de Babel, mas que agora é retratada a nós como o Monte Sinai (Sina – ódio).

A força superior está acima de seu cume e nos ajuda a satisfazer o ego e transformá-lo numa montanha sagrada, no Monte do Templo. Então nós construímos o Templo em cima dele, o Criador é revelado no vaso acima do nosso ego.

Se ficarmos ao pé da montanha e estivermos prontos para amar um ao outro, ser mutuamente responsáveis um pelo outro e ser como um homem em um só coração, recebemos a Luz da correção, chamada de Torá, e podemos transformar toda a montanha de ódio numa montanha de amor. É somente em cima dela que podemos construir a casa do Senhor.

Durante a entrega da Torá, apenas Moisés pôde subir o Monte Sinai. Então ele perde completamente sua santidade, pois o Monte Sinai é sagrado somente quando a pessoa recebe a Torá. Caso contrário, é apenas uma pilha de egoísmo. É por isso que a Torá nos diz alegoricamente como transformar a montanha de ódio numa montanha onde construímos o Templo.

De Kab TV “Segredos do Livro Eterno”12/11/14