Textos na Categoria 'Garantia Mútua'

O Método De Correção, Parte 9

laitman_938.02Cuidar Um Do Outro

Baal HaSulam, “O Amor de Deus e o Amor do Homem”: Está claro, sem dúvida, que se 600.000 homens não têm outro compromisso na vida a não ser ficar de guarda e ver que não há necessidade de ficarem insatisfeitos com seus amigos, e até o fazem com amor verdadeiro, com toda a alma e força, não há absolutamente nenhuma dúvida de que não haverá necessidade de ninguém se preocupar com seu próprio sustento, pois terá 600.000 pessoas leais e amáveis ​​cuidando dele, para que nem uma única necessidade seja deixada insatisfeita.

Pergunta: Estamos falando de algum tipo de sociedade, uma vez que uma pessoa não pode fazer isso? Uma pessoa precisa ver esses exemplos, e não apenas exemplos, mas esse tipo de relacionamento entre as pessoas?

Resposta: Naturalmente. Garantia mútua é quando todos se apoiam mutuamente, quando a pessoa pensa nos outros e não em si mesma; eis a lei da garantia mútua.

Pergunta: Baal HaSulam mais tarde escreve que é necessário um certo número de pessoas para cumprir a lei da garantia mútua. Por quê?

Resposta: Porque uma pessoa não pode prover tudo o que precisa. No entanto, se um certo número de pessoas está preocupado com isso, o que depende do tempo em que vivemos, do nosso estilo de vida, etc., então não temos com que nos preocupar. Somente se nos importamos com os outros, não precisamos nos preocupar conosco.

Observação: No entanto, Baal HaSulam escreve que, mesmo que uma única pessoa caia no egoísmo e comece a pensar apenas em si mesma, todo mundo também deixa de se importar um com o outro.

Meu Comentário: Aqui estamos falando de um sistema perfeito, pois Baal HaSulam descreve leis absolutas. Em geral, é assim que deve ser.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 07/02/19

A Chave Para O Sucesso: Arvut (Garantia Mútua)

laitman_282.01Ainda não podemos nos afastar de nosso desejo de desfrutar, não nos desesperamos e não clamamos por esse trabalho de escravidão ao Faraó. Precisamos ver que estamos do lado do egoísmo diante de um abismo, do outro lado está a liberdade do Faraó, de pensar em mim mesmo, da busca constante por meu próprio benefício. Quando percebermos que não somos capazes de pular esse abismo, vamos gritar. Precisamos combinar todos os nossos esforços para sentir esse desespero comum.

Quando sentirmos que o egoísmo comum nos mantém na escravidão, nos impede de sair, e quando quisermos pular o abismo e fugir do Faraó para nos tornarmos pessoas livres e não escravos do egoísmo, então gritaremos. Esse próprio clamor já é uma libertação.1

Todo o nosso grupo mundial Bnei Baruch pertence à parte da alma comum que agora está recebendo um despertar pela iluminação geral do mundo. Portanto, reunimos e organizamos um grupo que deseja revelar o Criador. O Criador reúne uma pessoa em um grupo, coloca a mão na boa sorte e a escolha é minha: escolher ou não, seguir o caminho da luz ou o caminho do sofrimento.

Todos NÓS temos um destino porque, por meio de nossas ações no grupo, despertamos uma centelha comum que deve ser revelada em nossa conexão mútua como o sentimento da força superior. Esse sentimento está se aproximando, porque a cada dia que passa, estamos cada vez mais cumprindo as condições necessárias para sentir o Criador juntos.

É realmente um milagre que acontece conosco, porque esse estado, esse trabalho, não existe há milhares de anos! Embora façamos pequenas correções, movendo-nos gradualmente com pequenos passos, essa é uma correção geral no próprio fundamento da criação, em oposição a uma correção específica de um indivíduo. Há momentos em que os indivíduos começam a sentir um pouco de despertar espiritual, mas isso não é uma correção. Nós vivemos na era do Messias e, de acordo com a demanda da época, devemos liderar uma correção geral e transmiti-la ao povo de Israel e a toda a humanidade.

Este é um caminho muito mais difícil e gradual em comparação com o trabalho individual das gerações passadas de Cabalistas, mas leva a uma correção genuína da criação, de Adam HaRishon. À medida que avançarmos, veremos como realizaremos o objetivo da criação.2

A garantia mútua (Arvut) é a chave do sucesso; nada mais é necessário. Essa é a única coisa que falta no sistema de Adam HaRishon para conectá-lo novamente após a quebra. Todas as partes da alma já estão lá, como peças de motor que precisam apenas ser montadas. A ordem correta de conexão e comunicação entre nós é chamada de garantia mútua. Só precisamos aproximar todos os detalhes e introduzi-los no trabalho comum. Não tem nada a ver com o material em si; basta estabelecer conexões dentro dele.

Tudo é resolvido em pensamento. O Criador nos permite repetidamente sentir nossa separação cada vez mais, e novamente tentamos nos unir e alcançar a unidade. Então, avançamos gradualmente até recebermos a medida completa.3

Da 2a parte da Lição Diária de Cabalá 10/12/19, Escritos de Baal HaSulam, “O Arvut (Guarantia Mútua)”

1 Minuto 8:20
2 Minuto 19:30
3 Minuto 23:10

Arvut (Garantia Mútua) – A Lei Espiritual

laitman_263Garantia mútua (Arvut) é a lei geral da criação, bem como a lei particular de qualquer ser humano. Se verificarmos constantemente o cumprimento desta lei, não nos enganaremos e avançaremos para o objetivo da criação da maneira mais curta possível. Se eu parar de verificar a garantia mútua, vou imediatamente tropeçar, cair ou perder a direção e terei que voltar à conexão da garantia mútua novamente para ter certeza de que estou seguindo na direção certa. Na medida em que sinto falta da garantia mútua em mim mesmo e faço um esforço para alcançá-la, orar e me incluir no grupo, eu avanço e me elevo do caminho do sofrimento para o caminho da luz.

A lei da garantia mútua e minha atitude em relação à unificação determinam todo o meu avanço e até que ponto meu caminho será reto e direto, sem cair e cair. Uma queda se torna tão rápida quanto o beliscão do diabo, apenas um segundo é suficiente para acordar e dar um passo à frente. Eu caio e acordo, caio e acordo, com grande velocidade, milhares de vezes por dia.

Portanto, é preciso sentir como a lei da garantia mútua opera dentro de toda a criação agora. Ainda existimos no sistema corrigido agora, mas simplesmente não podemos vê-lo porque julgamos por nossas falhas; portanto, vemos o sistema como corrompido. Cada vez, precisamos ver o sistema cada vez mais corrigido, cada vez mais incluídos na garantia mútua, e esse é todo o nosso trabalho.

O teste é o quanto eu me humilho na frente da sociedade. Se o grupo aceitou alguma condição para seu avanço, eu posso concordar ou não; mas até que eu compartilhe a opinião do grupo, não cumprirei a lei da garantia mútua e, portanto, não serei direcionado à espiritualidade, ao propósito da criação, ao objetivo da vida, ao Criador que está no centro do grupo. Portanto, devo verificar constantemente até que ponto concordo com o grupo, com o professor, com o que os Cabalistas escrevem e, dessa maneira, me direcionar para a correção com mais precisão. Em essência, esta é a correção.

Garantia mútua é a lei de ferro do sistema espiritual. É realizada em nós a cada momento, sempre nos fazendo voltar à doação, à fé acima da razão, na direção da meta, forçando-nos a nos incluir no grupo e nos rebaixar perante a dezena. Tudo isso está incluído na lei da garantia mútua. Garantia mútua é o nome comum para o total de condições que devemos cumprir para nos tornarmos um homem (Adam) no sistema de Adam HaRishon.1

Doar a uma pessoa é mais importante do que doar diretamente ao Criador. O amor pelo seu próximo como a si mesmo precede o amor pelo Criador. O amor pelo Criador surge na medida em que percebemos o amor pelo próximo, vem da luz superior que preenche os Kelim corrigidos. Acontece que todo o nosso trabalho é preencher os seres criados.2

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 16/12/19, Escritos do Baal HaSulam, “The Arvut (Garantia Mútua)”

1 Minuto 0:55
2 Minuto 42:17

Uma Ponte De Amor Sobre Um Abismo De Ódio

laitman_962.6O Arvut (garantia mútua) é uma conexão especial, a conexão correta entre desejos desfeitos em um homem com um coração. Acontece que não é apenas uma pessoa, mas como se fosse uma, como se estivesse em um desejo. Uma profunda diferença permanece entre um e outro, a oposição polar e o ódio não desaparecem, mas são cobertos de amor. Estamos construindo uma ponte de amor colocada sobre o abismo do ódio. O ódio, combinado com o amor, nos dá uma compreensão e um sentido do que é chamado de Criador: um estado especial, uma qualidade única, que surge de uma combinação de opostos incompatíveis.

Dos dois extremos que se negam, nasce uma força que não é deste mundo, a luz que reforma, que constrói uma conexão entre nós que nos permite entender o que é o Criador. Como resultado do confronto das duas forças, amor e ódio, e sua união, surge uma linha do meio, chamada Criador. 1

O Arvut é a sensação da rede compartilhada em que estamos. A princípio, parece-nos que não há conexão entre nós. Mas esse sistema geral surge gradualmente: degraus e mundos espirituais. Embora não o sintamos agora, ele existe e queremos revelá-lo. Enquanto eu estiver incluído neste sistema geral, posso usá-lo e me sentir confiante.

Primeiro, devo fazer um esforço para trazer a luz e unir nossa dezena em um Partzuf espiritual. A luz nos une em uma criação, em Malchut. Antes disso, não somos uma criação porque Malchut está com dez pontos conectados, prontos para trabalhar juntos. Somente juntos eles podem conhecer o Criador.

A rede geral é a alma comum de Adam HaRishon; somos todos partes dela. Cada pessoa é uma partícula nesse desejo comum. De fato, estamos todos conectados por garantia mútua, fundidos em uma alma, preenchida com o Criador.

Cientistas e biólogos dizem que existe uma conexão universal na natureza: todas as plantas estão conectadas umas às outras por uma rede subterrânea invisível, todos os peixes no oceano e todos os pássaros se sentem. Começamos a revelar que o mundo age como um sistema único no qual estamos localizados e inconscientemente cumprimos suas leis. Precisamos nos unir conscientemente, por nossa própria escolha, participando intencionalmente de seu controle. Para isso, recebemos qualidades humanas especiais: imaginação, pensamento, desejo e sensibilidade.

Todo esse sistema está quebrado, completamente misturado, e nos é revelado em seu nível mais baixo, chamado “este mundo”. Precisamos começar a desmontar e conectar este sistema, assim, alcançaremos o nível do Criador, e construí-lo. 2

Da 2ª parte da Lição Diária de Cabalá 08/08/19, Escritos de Baal HaSulam, “O Arvut (Garantia Mútua)”

1 Minuto 00:18
2 Minutos 14:00

Como Você Assina Um Acordo Mútuo Com O Criador?

laitman_942Pergunta: O Criador é o principal fiador. Assinamos um acordo um com o outro diante Dele, com o entendimento de que Ele está atrás de nós.

Quando alguém do grupo cai e tentamos jogar-lhe uma corda, mas nada acontece, nos voltamos a Ele: “Você tem um contrato conosco e, portanto, pedimos que cumpra sua parte do contrato. Fizemos tudo para ajudar o amigo a se levantar, mas não temos forças. Você é um participante do nosso acordo, pedimos que o retire agora”.

Entendemos corretamente ou não?

Resposta: Não. Por que você não recorre imediatamente ao Criador? Você acha que é capaz de alguma coisa?

Observação: Nós pensamos que devemos colocar nosso “meio shekel”, pagar nosso preço, chegar ao ponto em que não podemos mais fazer nada e depois pedir a Ele.

Meu Comentário: Em princípio, está correto. Mas é melhor entender imediatamente que, exceto pelo Criador, ninguém pode ajudar de qualquer maneira.

Pergunta: Como assinamos um acordo mútuo para sentir que Ele também participa dele?

Resposta: O Criador não participa, ele define. Ele detém a sua garantia. Afinal, Ele mantém todo o sistema.

O que significa essa garantia mútua? Em um sistema completamente fechado, todos são fiadores do resto. E se ele não cumprir sua parte, tudo entrará em colapso. Portanto, devemos obter imediatamente o Criador como uma força que atua em nós.

Outra coisa é que podemos nos voltar a Ele e dizer: “Sim, não podemos manter essa rede de forças. Faça com que entendamos onde fazer isso, nos direcione, ajude, dê força! Dê uma compreensão do que fazer! Governe!” Para Ele, é uma grande alegria.

Da Lição 7, Convenção Mundial de Cabalá na Moldávia 08/09/19, Reunindo Todos Os Estados Em Direção Ao Criador

“Ativando” A Garantia Mútua

laitman_943Pergunta: Nós deveríamos cultivar constantemente a importância do princípio “Não há outro além Dele”?

Resposta: Se os amigos do grupo pensarem em como nenhum deles deve se esquecer de identificar o Criador como a causa básica de seus estados, então vocês realmente ajudarão um ao outro.

Este estágio é chamado garantia mútua; ele começa pelo fato de que simplesmente queremos mecanicamente ajudar-nos mutuamente a manter-nos no pensamento de que “Não há outro além Dele”. Ao mesmo tempo, cada um de nós pensa no outro.

Quando todos pensamos assim um sobre o outro, juntos, nós “ativamos” a garantia mútua e ela age. Neste caso, cada membro do grupo lembra mais frequentemente que o Criador é a fonte de seus pensamentos e sentimentos, e eles começam a se formar, a se conectar uns aos outros em uma rede.

Ajudando constantemente os amigos a se lembrarem de que estamos mutuamente incluídos uns nos outros e conectados ao Criador, tentamos identificar o Criador como nossa fonte comum. Cada um de nós se conecta com os outros de tal maneira que o sinal do Criador passa através de cada um para todos os outros. Este é outro nível de conexão.

Da Lição de Cabalá em Russo 11/02/19

Você É Responsável Pelo Mundo Inteiro

laitman_929Baal HaSulam, “A Entrega da Torá”: “Nossos sábios disseram: ‘Todos de Israel são responsáveis ​​uns pelos outros’. Isto parece ser completamente injusto, pois é possível que, se alguém pecar ou cometer um pecado que perturbe seu Criador, e você não O conheça, o Criador irá cobrar sua dívida de você? Está escrito: ‘Pais não serão mortos pelos filhos… todo homem será morto por seu próprio pecado’ (Deuteronômio 24:16), então como eles podem dizer que você é responsável pelos pecados de um estranho completo, de quem você nem conhece e nem conhece seu paradeiro?

Na medida em que subimos os degraus da correção, na medida de nosso desenvolvimento espiritual, somos responsáveis ​​pelos outros.

Pergunta: Baal HaSulam enfatiza que somos responsáveis ​​por todos, sem conhecer, ver ou estar com eles. Como pode ser?

Resposta: Não se trata de pessoas. Trata-se do sistema: você é responsável por ele, porque pode trazer a Luz superior sobre ele, que irá consertá-lo. No seu nível, você deve fazer isso.

É seu! O mundo inteiro é seu Kli, seu vaso, sua alma. É por isso que você é responsável pelo mundo inteiro.

De KabTV “A Última Geração” 15/03/18

O Poder Da Garantia Mútua

laitman_943Rabash, “O Amor dos Amigos – 1”: Esta senda é chamada de “caminho de doação”, e desta forma é contra a nossa natureza. Para ser capaz de alcançá-la, não há outro caminho a não ser [em um grupo onde haja] amor pelos amigos, pelo qual todos podem ajudar seu amigo [a avançar nesse caminho].

Ninguém no grupo pode avançar sozinho e não pode avançar com a ajuda dos outros. O avanço espiritual significa que a pessoa ajuda o grupo e, assim, desenvolve a qualidade de doação e amor em si mesma.

O grupo ajuda a pessoa com ações alternativas para que ela possa dar, influenciar, realizar, cuidar e apoiar os amigos. Ao mesmo tempo, a pessoa desenvolve qualidades espirituais.

Pergunta: Qual é o papel da garantia mútua neste processo?

Resposta: Suporte mútuo porque a pessoa não tem força própria.

A garantia mútua funciona mesmo em pessoas que não percebem isso e não a usam conscientemente. Amigos trabalhando em grupo e participando de aulas e em todos os eventos já estão usando essa força de qualquer maneira. Mesmo que não explicitamente, não claramente direcionado, mas a garantia mútua já funciona para eles.

De KabTV “A Última Geração”, 01/02/18

Formação Pela Luz Circundante

laitman_940Pergunta: Baal HaSulam escreve que as pessoas precisam se submeter a uma formação para desenvolver o desejo pela espiritualidade. Ele continua explicando que uma pessoa que considera a vida da sociedade mais importante que sua própria vida é chamada de pessoa espiritual. Mas como um egoísta pode ser formado para, de repente, começar a tratar os outros desse jeito?

Resposta: O fato é que todos nós somos criados no campo da luz superior. Portanto, se as pessoas se juntam, então, influenciando-se mutuamente, criam um campo que as sustenta.

Da mesma forma que um ímã mantém um pedaço de metal acima de uma superfície, esse campo criado pela sociedade pode impedir que uma pessoa egoísta caia de volta em seu egoísmo, de modo que ela existe acima dele. Essa é a garantia mútua.

Da Lição de Cabalá em Russo 24/12/17

Nunca Mais!

Laitman_130Eu nasci em 1946 e cresci à sombra daquela guerra implacável que levou a vida de milhões de pessoas em uma terrível tragédia chamada Holocausto do povo Judeu. O Holocausto me impactou pessoalmente. Embora meus pais tenham tido a sorte de sobreviver, dois terços dos meus parentes foram mortos nos campos de extermínio.

Por esta razão, o Holocausto não é uma lembrança distante para mim, mas um doloroso lembrete do que também pode acontecer conosco. A pergunta, “Como podemos evitar outro Holocausto?” Não é uma pergunta sem propósito para mim. Eu faço esta pergunta com toda a dor e a responsabilidade que sinto.

Eu sinto como que um oceano de ódio está nos afogando. Os sinais do desastre iminente nunca foram tão evidentes. Todos os relatórios internacionais sobre o crescimento sem precedentes do antissemitismo são claros sinais de alerta.

No Dia Internacional do Holocausto, uma pergunta foi feita na BBC sobre se não é hora de parar de falar sobre o Holocausto. Uma convenção científica será realizada na Inglaterra sobre o direito legítimo de Israel existir, e um acordo foi assinado com o Irã sobre seu plano nuclear, o que é mais uma prova de que não podemos contar com nossos “aliados”.

Tudo isso é motivo de grande preocupação em relação ao nosso futuro.

Ainda podemos evitar outro Holocausto, mas não basta lamentar o passado para fazer isso. As lágrimas devem dar lugar à análise crítica de nossa situação atual e à busca por outros meios para corrigi-la.

Por quê? Porque estamos vivendo em um sistema fechado de forças sem emoção. A lei, segundo a qual este sistema opera, é a homeostase, que significa o equilíbrio harmonioso de todos os elementos do sistema.

Portanto, se agirmos de acordo com esta lei, o que significa que aspiramos a estabelecer relações boas e harmoniosas, nos sentimos bem, mas se estamos divididos, esse sistema nos reequilibra vigorosamente com ele. Às vezes, tal correção envolve um sofrimento terrível.

Eu sei o quão difícil é para os sobreviventes do Holocausto e membros de suas famílias lerem essas linhas, mas a verdade tem que ser contada. O Holocausto aconteceu porque a nação de Israel não agiu de acordo com a lei da união. Por que nós? Porque temos uma responsabilidade especial de cumprir essa lei desde os dias de Abraão.

Abraão, o fundador da nossa nação, descobriu que tudo é gerido pela lei da unidade. Quando o povo da antiga Babilônia foi dividido porque o ego cresceu, Abraão começou a ensinar aos Babilônios o método da unidade.

Os poucos que o seguiram foram chamados de nação de Israel. A implementação dessa lei é a razão pela qual nossa nação existe. A única justificativa para a nossa existência como nação é transmitir essa lei dentro de nós e a todas as outras nações do mundo.

No início do século passado, recebemos a chance de voltar à terra de Israel, não para construir um lar para todos os Judeus nele, mas para readquirir a unidade que perdemos. Infelizmente, não fizemos isso. A maioria dos Judeus da Europa preferiu permanecer em suas comunidades locais ou assimilar.

A reação do sistema superior a isso foi o Holocausto que começou no início da década de 1920. Muito antes do mundo ter sido inundado e sufocado pelo sangue, os Cabalistas sentiram que uma grande tragédia se aproximava e chamaram os Judeus da Europa para retornarem à sua terra e se unirem, mas estes não ouviram os Cabalistas.

Em vez de nos unirmos em uma nação por nosso livre arbítrio, nos aproximamos um do outro devido ao terrível sofrimento durante o Holocausto. Depois disso, recebemos nossa condição de Estado.

O verdadeiro mandato para a existência do nosso país não é a declaração da ONU, mas a nossa missão. De acordo com os Cabalistas, o Estado que recebemos foi dado apenas para cumprir a lei da unidade. E é exatamente isso que o mundo exige de nós.

Inconscientemente, as pessoas do mundo querem que alcancemos a unidade entre nós e lhes transmitamos o método de Abraão. Nós nos recusamos a fazer isso até agora e invocamos o antissemitismo. Na verdade, essa recusa pode ser a causa do próximo Holocausto.

O Dia em Memória do Holocausto e o Dia da Independência de Israel devem se tornar dias de realização da nossa missão, dias de recalcular e reavaliar a existência de nossa nação. Nestes dias, devemos nos reunir em torno de milhares de mesas redondas em todo Israel e no mundo, e entender como devemos alcançar a verdadeira independência, a independência de nosso egoísmo e aprender como podemos ascender do ódio infundado ao amor fraternal.

Esta é a única maneira de podermos garantir o nosso futuro e o futuro dos nossos filhos e dizer com confiança: nunca mais!