Textos na Categoria 'Garantia Mútua'

O Homem Em Um Mundo Interconectado, Parte 5

Laitman_718.04A Natureza É Um Professor Rigoroso

Pergunta: Baal HaSulam escreve que os golpes da natureza ocorrem precisamente e de acordo com o nível de desenvolvimento da sociedade. Isto é, à medida que a sociedade se desenvolve, a natureza nos corrige.

Como a correção atual difere dos vírus e cataclismos de 100 anos atrás?

Resposta: De acordo com o nosso desenvolvimento, recebemos mais e mais golpes da natureza. Parece-nos que a natureza está nos punindo. Mas isso não é verdade. Ela nos ensina, mostra em que nível e em que medida estamos errados. Nós nos desviamos do esforço de integrar um ao outro e nos unir à imagem global da natureza.

Acontece que somos, em geral, participantes intocáveis ​​e sem noção da natureza. Não entendemos o que devemos fazer. Ou entendemos, mas não queremos ouvir.

Como resultado, a natureza sempre aponta um dedo para nós, cutuca nosso nariz com nossos erros, e parece que não os vemos. Acontece que os mais bem-sucedidos entre nós parecem ser aqueles que percebem menos esses erros, que não se importam com as inconsistências de uma pessoa com o mundo ao seu redor. Eles fazem tudo à sua maneira e, ao mesmo tempo, no entendimento dos outros, são considerados os mais bem-sucedidos.

Comentário: Mas a natureza ainda nos empurra para a parceria, cooperação, solidariedade. Vemos que quando ocorrem alguns cataclismos, as pessoas começam a se tratar com mais sensibilidade e delicadeza.

Minha Resposta: Não porque percebem algo, mas por necessidade. E assim que o estado ameaçador passa, elas imediatamente retornam à posição uma contra a outra.

Pergunta: Como a natureza pode nos levar à solidariedade, a relacionamentos sensíveis, se os golpes não ajudam? Qual o sentido deles?

Resposta: A natureza nos leva, no entanto, a ver como ela é integral e a sentir, por analogia consigo mesma, como devemos ser integrais.

Pergunta: Então, a natureza ainda exige que nós, como seres humanos, como a coroa da criação, reconheçamos isso sozinhos e desejemos nos conectar de forma sensível?

Resposta: Sim. Para nos unirmos no mais alto nível, criamos um sistema em que sentimos toda a força motriz interna da natureza e nos tornamos os mesmos: eternos, perfeitos e alcançamos tudo.

Pergunta: Então deve haver algum tipo de redefinição de valores na sociedade?

Resposta: Claro. Em todo e qualquer um.

De KabTV “A Era Pós-Coronavírus”, 16/04/20

O Homem Em Um Mundo Interconectado, Parte 4

laitman_760.1O Elemento da Liberdade no Rígido Programa da Natureza

Pergunta: De acordo com Baal HaSulam, a lei da garantia mútua é a base para a interação de todos os organismos vivos e é construída sobre o equilíbrio entre recepção e doação.

Além disso, a lei da recepção é que cada membro da sociedade tenta obter tudo o que precisa para viver da maneira que seu sistema egoísta individual exige. E a lei da doação é que cada pessoa se preocupa com o bem-estar de toda a sociedade.

Se uma pessoa não observa a lei de doação, ela é atingida por desastres e problemas que lhe são enviados pela natureza. Como uma pessoa pode observar essa lei?

Resposta: Como observar é um problema. E o fato de uma pessoa ser obrigada a observar essa lei decorre da imagem da natureza que nos é revelada.

Vemos à nossa frente uma imagem totalmente integral: uma única natureza na qual o homem está incluído em todos os seus egoísmos, “ismos” científicos e anticientíficos. Acontece que não podemos nos esquivar e fugir da imagem integral da natureza. Quer queiramos ou não, estamos dentro deste sistema e não podemos existir fora dele.

Esse sistema está em constante evolução: do nível inanimado por centenas de milhares de anos, ao nível vegetativo por dezenas de milhares de anos, ao nível animado por milhares de anos e ao nível humano por literalmente décadas. Em outras palavras, quanto mais elevada a natureza, mais organizada é a fase de desenvolvimento.

A única questão é quando começamos a nos descobrir nesse sistema? Vemos que somos contra ele por uma razão muito simples. Não estamos instintivamente envolvidos na natureza porque ela nos afeta com o elemento da liberdade.

Podemos concordar ou discordar da maneira como a natureza trabalha conosco e, nessa medida, determinamos nosso destino. Acontece que somos pessoas infelizes. A natureza nos é dada, podemos viver nela, trabalhar, reproduzir, criar qualquer coisa imaginável – diferente dos animais – no próximo nível consciente. E não sabemos o que fazer com isso.

Criamos tudo com base em nossa natureza egoísta natural, agindo em detrimento dos outros e ostensivamente para o benefício de nós mesmos. Não entendemos que a natureza integral nos obriga a nos tornar diferentes. Para o benefício de si mesmo significa para o benefício dos outros.

De KabTV, “A Era Pós-Coronavírus”, 16/04/20

Homem Em Um Mundo Interconectado, Parte 3

A Humanidade É Um Organismo Único

laitman_929Pergunta: Vivemos em um mundo interconectado, e essa conexão se manifesta em todos os níveis. Todo mundo conhece fenômenos como o efeito borboleta, o efeito dominó, a inteligência coletiva, a sabedoria da multidão, etc.

Existe até uma disciplina chamada “crowdsourcing”, usando a sabedoria da multidão para resolver todos os tipos de problemas. Ela define essa interconexão como um estado de responsabilidade mútua, dependência entre si de alguém ou de algo, um relacionamento no qual nenhuma das partes pode prescindir da outra.

Na Cabalá, essa lei de garantia mútua foi descrita há 3.000 anos. O que é essa lei?

Resposta: A garantia mútua (Arvut) é quando todos nós representamos um sistema integrado unificado.

Ainda não estamos falando de todas as pessoas da Terra, mas, em princípio, a natureza nos leva a perceber que estamos totalmente interconectados. Portanto, devemos mudar nossa atitude um com o outro, em nossa atenção e assistência mútua, para que sejamos um organismo único absolutamente unido. Um corpo!

Isso significa que, assim como cuido do meu corpo e desejo instintivamente o melhor para ele, devo participar da mesma natureza e esforçar-me para que todos cheguem ao mesmo nível.

De KabTV, “A Era Pós-Coronavírus”, 16/04/20

Sem Perda, Apenas Ganho

laitman_255Pergunta: Se alcançarmos garantia mútua em uma sociedade e similaridade de forma com o Criador, não perderemos nossa liberdade como indivíduos em tal sociedade?

Resposta: Não perderemos nada, porque ao longo do caminho veremos que não somos totalmente livres. Somos governados por nosso egoísmo sem que ele nos peça alguma coisa, e isso nos força a agir como ele deseja a qualquer momento.

Mas se percebermos que é o egoísmo que nos governa, e nos elevarmos acima dele, podemos controlá-lo, e com isso controlar a nós mesmos, o nosso destino.

E o mais importante, começaremos a sentir que não estamos vivendo em um corpo animal egoísta, mas acima dele, e assim sentiremos que existimos para sempre em um espaço perfeito. Devemos chegar a isso enquanto ainda estamos neste mundo. Como se diz: “Que você veja seu mundo em sua vida”.

Esse é o papel da Cabalá – dar ao homem a oportunidade de elevar-se acima da natureza animal até o nível humano. E o homem é alguém que vive para sempre, fora do tempo. O tempo existe apenas em organismos inanimados, vegetativos e animais, mas no nível de Adão não há o tempo. Lá, como Einstein, tudo entra em outra dimensão.

De KabTV “Fundamentos dr Cabalá”, 19/04/20

Jornada De 3.000 Anos

laitman_600.04Pergunta: Três mil anos atrás, as pessoas descobriram a lei da garantia mútua: ame seu próximo. Já estava escrito sobre isso naquela época. Esta é a mesma lei que existe no nível das partículas elementares.

Como é que conhecemos essa lei há milhares de anos, mas ela não nos ajuda? Será que ainda não podemos equilibrar nosso egoísmo de nenhuma maneira?

Resposta: Mas esta lei é contra a nossa natureza. Nossa natureza procura se exaltar, subjugar tudo a si mesma, absorver tudo em si mesma, sem dar nada a ninguém, sem considerar ninguém. Esta é a lei do egoísmo que existe em todas as pessoas.

Não sou como animais, arrastando uma carcaça para mim e não a compartilhando com ninguém. Quero subjugar a todos, para que todos sejam meus escravos, rastejando diante de mim. Eu quero poder absoluto sobre o mundo inteiro. Se alguém pensa que não é esse o caso, simplesmente não se conhece bem.

Pergunta: Se há alguns milhares de anos as pessoas já sabiam que o amor cobrirá todos os pecados e não conseguiram isso, será que talvez milhares de anos devam passar antes de chegarmos a isso?

Resposta: Talvez. Não estou dizendo que deve terminar hoje. Mas estamos chegando a isso. Estamos caminhando para a realização do mal de que não podemos viver dentro de nossa natureza. Com isso, estamos nos matando e colocando em risco a vida na Terra. De alguma forma, devemos nos elevar acima do nosso egoísmo, acima de nossos instintos, e chegar à interação integral.

De KabTV, “A Era Pós-Coronavírus”, 16/04/20

“Quão Prática É A Responsabilidade Mútua?” (Linkedin)

Meu novo artigo no Linkedin: “Quão Prática É A Responsabilidade Mútua?

Há pouco tempo, um comentário em um dos meus posts afirmou que a adaptação da sociedade à natureza harmoniosa e integral em que vivemos é impraticável. No momento, é realmente impraticável, pois as pessoas não vêem razão para estar em harmonia com outros. Enquanto pudermos, nossa natureza egocêntrica tentará manter sua mentalidade egocêntrica.

Mas a realidade mudou, e quanto mais cedo percebermos, melhor para todos nós. O vírus nos forçará a pensar um no outro. Cada um de nós pode transmiti-lo a todos ao nosso redor. Mesmo se não estivermos doentes, isso não significa que não somos portadores e, portanto, devemos ter cuidado para não transmiti-lo a outras pessoas. Dessa maneira, o vírus está nos ensinando a pensar um no outro, a ter consideração, mesmo que não por nossa própria vontade ou afeição pelos outros.

Como o vírus não desaparecerá no futuro próximo, teremos que adotar a abordagem de responsabilidade mútua. Inadvertidamente, nos encontraremos em uma sociedade que obedece a diferentes regras: regras de uma sociedade harmoniosa e integral. Simplesmente não teremos escolha; nossas vidas vão depender disso.

Pode levar alguns meses ou alguns anos a partir de agora, mas uma sociedade de responsabilidade e solidariedade mútua não será apenas prática e realista, será a única opção para a humanidade, pois será a única maneira de lidar com sucesso com a COVID-19 ou com todas as crises no caminho.

Garantia Mútua – Agora E Para Sempre

laitman_275A vida que vemos do lado de fora da janela é um reflexo de nossa conexão interior um com o outro. As manifestações violentas nas cidades americanas que protestam contra o racismo e uma nova onda de coronavírus em todo o mundo se devem à nossa inação e falta de vontade de corrigir nossas atitudes mútuas.

O coronavírus irrompeu em nossas vidas e declara: “Vocês estão todos em uma conexão integral. Vocês estão juntos em frente do Monte Sinai. Se vocês não se unirem e não pedirem ao poder superior para corrigi-los, esse será o local do seu enterro.

O coronavírus foi projetado para nos mostrar o quanto dependemos um do outro. Essa dependência é chamada de “garantia mútua”, o que significa que eu não deveria pensar em como me proteger do coronavírus, mas em como proteger os outros de doenças devido à minha atitude amável e correta em relação a eles.

E o que está acontecendo agora? Agora, como um egoísta genuíno, eu digo que estou cansado de ficar em casa em quarentena, quero sair e me divertir, ir a um restaurante, café, parque e praia. Eu quero isso! Eu não penso nos outros; não há absolutamente nenhuma garantia mútua entre nós. Outros não são considerados por mim; eu faço o que é melhor para mim.

Se eu tivesse certeza que todo mundo estivesse saudável e que eu fosse o único doente, eu andaria descuidadamente com todo mundo com minha infecção. Eu saberia que ninguém iria me infectar e eu deixaria que outros fossem infectados; o que eu me importo com eles? É exatamente isso que está acontecendo na sociedade humana na América, em Israel, na Europa e em todos os lugares. Todo mundo pensa apenas em si mesmo; não há senso de responsabilidade um pelo outro.

Começaremos a seguir o caminho certo somente quando ficarmos em casa botar o nariz para fora, porque temos medo de infectar os outros e não pensamos em nós mesmos. O coronavírus nos levará a essa mudança e não desaparecerá até que a mudança aconteça. O vírus nos fará pensar em como não prejudicar nosso vizinho. Eu terei medo de prejudicar os outros e, portanto, preferirei ficar em casa.

O coronavírus deve nos dar a sensação de que estamos vivendo em um mundo integral, onde você só pode ser saudável sob a condição de garantia mútua. Isso não é tudo, mas é a primeira e necessária coisa para iniciar a correção.

Então não precisarei mais de restrições como fronteiras fechadas entre países, uma distância obrigatória de dois metros ou uma máscara; ninguém terá que ser obrigado a fazer nada. Afinal, todos cuidam dos outros e tentam fazer tudo para que os outros permaneçam saudáveis.

Precisamos aprofundar a essência desse vírus, porque ele nos revela não a doença biológica em nós, mas nossa condição espiritual: as relações entre nós e a falta de garantia mútua. Para manter tal garantia e cuidado mútuo, precisamos da luz superior.

Portanto, o coronavírus chegou até nós de cima e nos despertou para que voltássemos nossa atenção para cima e pedíssemos a luz superior que nos corrija e nos dê um senso de responsabilidade um pelo outro, o que não temos. Então vou me preocupar com os outros para não prejudicá-los, mas para ser útil a eles.

A garantia mútua é o mais difícil de todos os esforços, porque é a nossa principal correção. Eu tenho que pensar nos outros, envolver-me em suas vidas, cuidar deles, sentir seus desejos e entender como ajudá-los a se aproximarem da adesão ao Criador, como se fundir com a força superior.

Estes são conceitos muito elevados, relacionados à correção da alma quebrada de Adam HaRishon. Mas estamos nos aproximando deles dia a dia na compreensão e no sentimento.

A saúde das pessoas depende de sua unidade e garantia mútua. Todos são garantidores da saúde do próximo e garantem que todos estejam saudáveis. Dessa maneira, nos livraremos do coronavírus porque, ao fazer isso, agiremos em prol da unificação, garantia mútua e construção de um vaso integral comum.

Nós daremos esse passo quando todos se preocuparem, não com a infecção pelo vírus, mas com a transmissão do vírus a outras pessoas. Isto é, a direção do pensamento deve ser inversa e o raciocínio também deve ser oposto.

Garantia mútua significa que não consigo pensar em mim porque todo mundo pensa em mim. Eu teria que pensar neles, na dezena. Assim estaremos todos em garantia mútua, expandindo-a gradualmente para o mundo inteiro, e o Criador estará entre nós e nos corrigirá.

A garantia é aceita em conjunto, agora e para sempre. A garantia, por sua natureza, não pode existir se houver restrições, porque se baseia no amor. E o amor não é compatível com limitações.

Nosso bem-estar depende da garantia mútua, porque essa é a lei básica do sistema corrigido. Para ser saudável, uma pessoa precisa estar em um corpo cujas partes estejam corretamente conectadas entre si. E a conexão correta entre todas as partes da sociedade humana é a garantia mútua em que todos pensam em todos e fazem o bem a todos. Portanto, precisamos coletar todas as nossas partes quebradas e conectá-las a um corpo saudável.

Quando uma conexão e garantia amáveis ​​entre todos os órgãos surgirem neste corpo perfeito, sentiremos a vida nesse corpo, não a existência doente de hoje em que todo o corpo é cortado e fragmentado, mas a vida real onde a luz superior circula por todo o corpo e preenche cada parte de nós. Isso significa que devemos obter correção, bem como vida eterna e perfeita.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 30/05/20

Responsabilidade Mútua Do Corona

Dr. Michael Laitman

Da Minha Página No Facebook Michael Laitman 06/04/20

O coronavírus nos impõe comportamentos sociais aos quais não estamos acostumados e não aceitamos; ele impõe a responsabilidade mútua. De fato, o vírus iniciou uma nova fase em nosso desenvolvimento, e cada nova fase é melhor e mais evoluída que sua antecessora; é mais um passo no avanço da humanidade em direção à unidade e coesão.

Na maioria das vezes, nos opomos intrinsecamente às mudanças e preferimos permanecer na complacência conhecida. Essa dissonância que sentimos entre onde queremos ficar e onde a realidade está nos puxando é dolorosa e intimidadora, mas o maior erro que cometemos como indivíduos, sociedades e governos é negar a chegada da nova fase e tentar forçar a realidade a permanecer onde estava. Ela não vai permanecer. Hoje, se quisermos ser felizes, seguros e até saudáveis, devemos abraçar a unidade e a responsabilidade mútua entre todas as facções da sociedade. Quanto mais cedo começarmos, mais fácil será mudarmos nossas mentalidades de “eu” para “nós” e, finalmente, para “um”.

(Imagem: NY: Obrigado aos trabalhadores de saúde estabelecidos em Elmhurst)

Coronavírus – Bumerangue Da Natureza

laitman_269Garantia mútua é um conceito familiar a todos desde a infância. Sempre aprendemos que precisamos nos apoiar, caso contrário estaremos perdidos. Hoje, porém, a garantia mútua, a conexão entre as pessoas, está se tornando um tópico incomumente aprimorado e relevante.

A epidemia de coronavírus que varreu o mundo nos dá a oportunidade de aprender algo novo sobre nossas vidas e relacionamentos no mundo global. Por outro lado, ela nos mostra que poder cada um possui, até mesmo o menor elemento da natureza. O mundo parece tão grande, mas de repente ocorre que um pequeno vírus pode mergulhá-lo no caos e na escuridão.

Isso nos mostra que responsabilidade pessoal cada um de nós tem diante do mundo em nosso tempo, para não ser uma peste e não infectar os outros. Pense, um simples comerciante de um mercado chinês fez mudanças tão drásticas no mundo. Isso mostra o poder que cada um de nós possui no mundo global e qual é a responsabilidade de cada um em relação a todos.

Existe uma lei simples na ciência da Cabalá: O geral e o particular são iguais. O geral é apenas uma coleção de elementos privados e, portanto, depende de cada um deles. É impossível extrair até mesmo o menor elemento do geral sem destruir o geral. Sem uma partícula, ele será defeituoso porque não possui essa parte.

Portanto, analisamos o coronavírus e não entendemos como uma partícula microscópica conseguiu criar tantos problemas no mundo? Mas, de fato, o vírus nos mostra que danos causamos em todo o sistema no nível biológico, no nível mais alto da natureza. Acima dele, existem apenas os pensamentos e as intenções das pessoas.

Devemos entender que tudo começa com a cabeça. Portanto, se houver um colapso no sistema biológico, é uma consequência de um mau funcionamento do sistema de pensamento e desejo que está acima do nível biológico. Deve-se esclarecer que tipo de problemas existem no relacionamento dentro de uma pessoa, com outros, com a humanidade em geral, o que cria distorções como o vírus no nível biológico.

Aparentemente, há um problema em nossos relacionamentos: eles não são integrais. Já violamos todas as leis de natureza integral e proibimos sua existência normal. Portanto, a destruição que criamos na natureza, onde tudo deve estar conectado e harmonioso, tornou-se tão significativa que atingiu todos na forma de vírus.

A epidemia realmente afeta a todos porque vivemos em um mundo integral. Portanto, não importa quem mora onde – todos sofreram, seja um camponês chinês, um corretor da bolsa em Hong Kong ou um americano porque estamos em um sistema comum e conectado.

Uma vez vivíamos mais isolados e dependíamos apenas da nossa área local, porque o mundo não era global. Mas o mundo de hoje é tão integrado que qualquer vila chinesa está ligada ao longo de uma cadeia através de uma rede de relações comerciais com toda a humanidade. Estamos acostumados ao fato de que o destino do mundo é gerenciado pelos governos e, de repente, as rédeas estão à disposição de um pequeno vírus.

Somos todos partes de um sistema integrado chamado “Adam”, ser humano, e dependemos um do outro sem exceção. E se esse sistema está mostrando cada vez mais nossa dependência e nos obrigando a melhorá-la, vamos aprender como nos encaixar nesse sistema, ou ele será ruim para nós. Caso contrário, novos vírus mortais serão revelados todos os dias.

O sistema indica que somos obrigados a nos conectar através de conexões positivas. Mas precisamos descobrir o que significa “positivo”, porque nosso egoísmo considera como positivo apenas o que é benéfico para ele.

Para descobrir o que é realmente positivo, precisamos estudar todo o sistema e, em seguida, todos e cada um juntos para agir para manter sua integridade. Além disso, nada é necessário, apenas para cuidar dos outros, como de si mesmo.

Entre nós, deve haver uma garantia mútua e global, superior a qualquer separação e objetivos pessoais. O cuidado mútuo, a conexão positiva entre nós está acima de tudo, e deve determinar todos os laços individuais existentes entre nós. A garantia mútua é a lei mais alta da natureza, existindo apenas na natureza. Todas as outras leis e formas de comportamento são derivadas dela.

Graças ao coronavírus, a lei da garantia mútua está agora sendo revelada em todo o mundo. A natureza decidiu nos mostrar quem somos e quão opostos somos.

Talvez durante essa crise, aprendamos o que deve ser feito para se tornar parte integral da natureza. Tendo cumprido a lei da garantia mútua, nós, seres humanos, equilibraremos a natureza. Atingir o equilíbrio e a harmonia completos das forças da natureza é um verdadeiro paraíso.

De KabTV, “Nova Vida # 1212”, 10/03/20

Quarentena – O Primeiro Passo Para Superar A Crise

laitman_597.01A responsabilidade mútua global é a lei para todos os elementos, conectados em um sistema. Esta lei obriga todos a saber como devem se relacionar com o sistema, a fim de equilibrá-lo e aperfeiçoar os relacionamentos mútuos entre todas as partes.

Claro, somos incapazes de entender essa lei e, mais ainda, de cumpri-la. Não posso assumir esse compromisso porque, se não cumprir minha função no sistema integrado, tudo ficará desequilibrado e serei o culpado.

Todos sentirão que eu violei a perfeição do sistema. Acontece que cada elemento é equivalente a todo o sistema em geral, e essa é uma responsabilidade terrível. Todos são responsáveis ​​pelo mundo inteiro. Portanto, é dito: “É melhor sentar e não fazer nada”.

Então agora pede-se que as pessoas sejam colocadas em quarentena, que não saiam de lugar nenhum, voar ou entrar em contato com ninguém. Então, o que precisa ser feito?

Precisamos estudar que estamos em um sistema integral e global em que a lei da responsabilidade mútua, ou seja, a dependência mútua, opera e como podemos inverter essa dependência de obrigatória para desejável. Queremos estar conectados, não porque a natureza nos obriga, mas porque nós mesmos começamos a revelar como é bom estar em contato.

É apenas a vida celestial – unir-se em uma unidade perfeita e começar a sentir a perfeição da natureza. Então sentiremos todas as partes da natureza, desde as estrelas mais distantes até formas de vida que não conhecemos agora. Um homem pode se tornar um criador exaltado de perfeição.

O primeiro passo para superar a crise é a quarentena, ou seja, “sente-se e não faça nada”, apenas aprenda. O problema da humanidade é que começamos a agir antes mesmo de entendermos o que estamos fazendo. Enquanto estamos em quarentena, temos tempo para pensar: em que mundo existimos, quem somos e qual é o sistema da natureza em que vivemos, bem como como dependemos do sistema da natureza e ele depende de nós?

Como, através dos nossos relacionamentos, influenciamos o sistema global da natureza: a matéria inanimada, as plantas, os animais e os seres humanos, e como a natureza reage às nossas ações? Como tal, começaremos a aprender a construir um lar bonito para todos – não apenas confortável, mas eterno e perfeito, acima dessa vida e morte biológicas, em um nível superior.

Ao corrigir a conexão entre nós, chegamos a um sistema infinito e ilimitado no tempo. Começamos a viver em um mundo em que a morte não existe e não há restrições, apenas realização e existência ilimitadas. Agora temos a oportunidade de chegar a essa vida.

Antes de tudo, precisamos estudar o sistema global da natureza e nosso papel nela e como podemos nos organizar entre nós para nos conectar a esse sistema global da natureza. Afinal, cada um de nós é egoísta, o oposto da natureza. E como posso me adaptar ao sistema da natureza, que é integral e existe de acordo com a lei da responsabilidade mútua, conexão, amor e complementaridade mútua, se fui construído com qualidades exatamente opostas?

É aqui que a sabedoria da Cabalá vem em nosso auxílio; ela nos ensina, egoístas, a construir uma conexão entre nós semelhante ao sistema integral da natureza. Isso é chamado de “dezena”, onde dez pessoas se reúnem para estabelecer relacionamentos consistentes com o sistema da natureza.

O ego humano sempre tentou adaptar o mundo inteiro às suas necessidades. Mas esse tempo acabou. A epidemia revolucionou a consciência no mundo, e começamos a entender que não poderíamos usar tudo apenas para o nosso próprio benefício, mas devemos procurar como nos tornar úteis para todo o sistema.

Dez pessoas são como um pequeno laboratório em que tentamos desenvolver um antivírus concordando em estabelecer as mesmas leis entre nós que as que operam em uma natureza perfeita, integral e global, ou seja, em doação mútua. Todo mundo se abaixa e eleva os outros acima de si mesmo, construindo relacionamentos que são superiores ao egoísmo pessoal de cada um. Isso servirá como uma vacina contra o vírus.

Assim, novos grupos surgirão até que toda a humanidade receba uma vacina antivírus, e retornemos todos a comportamentos que correspondam a uma natureza saudável. Este será um novo humano, porque ele perceberá o desejo dos nove amigos como seu e cuidará deles mais do que cuidar de si mesmo.

Nesse sentido, ele receberá apoio da lei integral da natureza, que o transformará em sua parte integral. A lei da garantia mútua obriga a pessoa a estar conectada com todo o sistema acima de seu egoísmo.

A natureza fez do homem o maior egoísta de todas as criaturas. Mas a natureza global desta crise quer nos mostrar que já estava esperando para nos tornar suas partes inextricáveis. É como se a natureza estivesse nos dizendo: “Agora estou pronta para incluir você dentro de mim como elementos integrais”.

E isso apesar do fato de que cada um de nós seja criado anti-integral e queira apenas governar e usar os outros. A natureza nos fez inversos a si mesma, para comparar os estados negativo e positivo e apreciar a “vantagem da luz a partir das trevas”. Poderemos então sentir e perceber o estado perfeito e integral e queremos alcançá-lo. Caso contrário, não entenderíamos onde estamos.

A natureza originalmente instalou um programa egoísta em nós, que agora para de funcionar. Precisamos entender que um programa egoísta é incompatível com um mundo global e conectado.

A crise está nos levando a concordar em nos conectar com os outros e cumprir a lei integral da natureza. Precisamos instalar em nós mesmos um programa novo e melhorado de garantia mútua – o único programa que existe na natureza.

Esse programa funciona em tudo, exceto no ser humano, mas não podemos percebê-lo com nossa mente mimada e egoísta. Julgamos o mundo com base em nossas deficiências e, portanto, o vemos como deteriorado. Mas assim que começarmos a nos corrigir e quisermos nos tornar parte integrante da natureza, veremos um mundo completamente diferente e perceberemos que sempre foi assim, só que não o percebíamos.

A lei da garantia mútua afirma que todos pertencemos a um sistema e somos obrigados a nos sentir como engrenagens de um mecanismo em que todos dependem de todos. Com isso, forneceremos a nós uma vida eterna, perfeita e bela. Nada mais é necessário, e a crise criada pela epidemia de coronavírus nos aproxima disso. Vamos desejar sucesso a todos em sua resolução adequada.

De KabTV “Nova Vida # 1212 – Responsabilidade Mútua”, 10/03/20