Textos na Categoria 'Estudo Cabalístico'

A Que A Luz Superior Responde?

laitman_530Pergunta: Como posso atrai a luz circundo: com meu esforço ou meu desejo? A que ela responde?

Resposta: Desejo e esforço são noções muito próximas. Porém, a luz circundante responde principalmente aos nossos esforços.

Na medida em que tento sair de mim mesmo, me conectar com amigos e alcançar uma propriedade oposta ao meu egoísmo, começo a sentir do centro do grupo o impacto de uma propriedade especial chamada “fé acima da razão”.

Da Lição Diária de Cabalá em Russo, 23/12/18

Como Posso Me Aproximar Do Rabash?

721.03Pergunta: Eu acredito em Baal HaSulam e em você, mas não consigo me aproximar do Rabash. Como posso fazer isso?

Resposta: Baal HaSulam é um grande Cabalista que alcançou, generalizou e sistematizou a ciência da Cabalá. Estamos engajados na Cabalá para dominá-la não na forma de ciência, mas na forma de um método de realização espiritual. Essas são duas coisas diferentes, embora inter-relacionadas.

Quando uma pessoa quer entrar no mundo espiritual, Baal HaSulam é um teórico para ela. Ele não pode levar uma pessoa para frente. O Rabash nos leva para frente, explicando a cada passo onde estamos, o que fazer, como agir, que interação ter em um grupo, com nós mesmos e com o Criador.

Eu me lembro bem como ele escreveu seu primeiro artigo, sentado ao meu lado em um banco do parque. Dei-lhe um invólucro de cigarro de alumínio e, no verso, ele escreveu um pequeno artigo – o primeiro do futuro livro de três volumes.

No começo, fiz-lhe perguntas e ele deu respostas por escrito a elas. Seus primeiros artigos apareceram dessa maneira. Mais tarde ele escreveu sozinho.

Sem esses artigos, não poderíamos avançar. Em cada aula matinal dedicamos uma hora e meia a duas horas aos artigos do Rabash, apenas meia hora ao Estudo das Dez Sefirot, e meia hora aos artigos do Baal HaSulam.

É até incompreensível como as pessoas poderiam dominar o espaço espiritual antes do Rabash, como elas poderiam sentir isso em si mesmas e avançar para diferentes níveis. Isso é o que ele nos ensina, porque no nosso tempo, almas que descendem a este mundo precisam disso.

O Rabash é um estágio da Cabalá e o Baal HaSulam é mais um Cabalista teórico.

Para se aproximar do Rabash, é preciso ler seus artigos e ouvir nossas lições sobre eles. Todos eles estão no arquivo, você pode usá-los gratuitamente, o acesso é gratuito. Vá em frente, ouse!

Da Lição de Cabalá em Russo 23/12/18

Parâmetros Astronômicos E O Calendário Judaico

laitman_427.02Pergunta: Como os dias são divididos de acordo com o calendário judaico?

Resposta: Há 24 horas em um dia, quatro estações e quatro Anos Novos Judaicos em um cronograma inconstante. O mesmo horário existe entre o dia e a noite: os dias são mais longos e as noites mais curtas no verão e o inverso no inverno.

De acordo com o calendário judaico, uma hora não é de 60 minutos, cada um dos quais é de 60 segundos, mas uma unidade convencional. Esta unidade não é constante, mas depende do tempo.

De acordo com o calendário habitual, considera-se que há 12 horas do pôr do sol até o nascer do sol e do nascer do sol até o próximo pôr do sol também é de 12 horas. Mas às horas de luz, 20 horas podiam passar do nascer do sol até o pôr do sol, e a noite (escuridão) duraria apenas quatro horas.

Neste caso, a hora do dia e a hora da noite são totalmente diferentes. É um pouco como o relógio de sol, que não tem um mostrador uniforme, mas está em escala logarítmica.

Como a duração do dia e da noite muda todos os dias, isso significa que a duração das horas da noite e do dia muda todos os dias. Elas dependem apenas do Partzuf Zeir Anpin no mundo de Atzilut, cuja atualidade gerencia essas ações, porque a luz superior que passa por ele para Malchut (e Malchut somos nós) define tudo.

Se pudéssemos saber exatamente como funciona, sentiríamos esse sistema, uma gigantesca máquina astronômica que nos cerca e nos afeta. Então, começaríamos a nos aproximar de seus parâmetros internos: o que significa mais luz – menos luz, mais quente – mais frio? Se vivêssemos e trabalhássemos de acordo com tais horas, teria sido uma vida completamente diferente.

Por outro lado, como é possível existir nessas mecânicas? Por que precisamos disso? Por que isso deveria nos afetar dessa maneira? Se nos reestruturássemos e vivêssemos de acordo com ela, como sentiríamos a natureza e a nós mesmos? É interessante! Isso significa que começaríamos a senti-la de acordo com sua influência sobre nós. O mundo ao redor, o espaço, as estrelas, tudo brilharia de maneira diferente.

Da Lição de Cabalá em Russo, 30/12/18

Mapa Do Destino

laitman_448No calendário judaico, existem correlações especiais entre as datas. Isso ocorre porque o sistema espiritual tem um instrumento chamado Zeir Anpin (ZA), que é vestido por Malchut, e a luz de Bina entra nele de cima.

Zeir Anpin tem aberturas ou buracos particulares, através dos quais brilha até Malchut. Quando algum buraco corresponde ao receptor, Malchut, a alma, a luz entra nele, e isso é chamado de “Mazal” – o destino de uma pessoa.

Existem correlações especiais entre dias e noites e entre vários tempos. Por exemplo, algo que pode ser feito em um determinado dia e hora da noite, também pode ser feito em um dia diferente em um horário diferente, e os resultados serão praticamente os mesmos.

Nós vemos até que ponto somos afetados pela luz de Bina. De acordo com Zeir Anpin e Malchut, cada vez nos colocamos em um novo destino.

No judaísmo, as tabelas astronômicas foram reunidas há muito tempo. Colombo, Newton e outros cientistas famosos, assim como viajantes, as usaram. O próprio Abraão foi um grande astrônomo e astrólogo.

Durante os tempos de Abraão, a astrologia não era como é hoje. Baseava-se em uma conexão clara entre a localização das estrelas, a Lua, a Terra e o Sol em relação a cada pessoa, em relação à alma, levando em consideração quando ela foi concebida, nascida e assim por diante.

Se soubéssemos tudo isso, saberíamos o que acontecerá com cada pessoa e como elas agirão – seu destino seria conhecido. Não havia necessidade de adivinhação – este é o mapa do nosso destino.

Da Lição de Cabalá em Russo 30/12/18

Precisamos Nos Aprofundar No Significado Do Texto?

laitman_209Pergunta: Quando lemos as fontes originais junto com um amigo ou em grupo, precisamos realizar workshops para entender melhor o significado do texto?

Resposta: Sim e não. O fato é que, às vezes, nos aprofundar no significado do texto nos confunde e, em vez de entrar em sentimentos e conexões entre nós, começamos a dissecar o texto em alguns elementos e propriedades fonéticos, ortográficos ou linguísticos. Eu acho que isso é desnecessário.

É possível analisá-lo somente a partir da perspectiva de nossas realizações específicas neste texto: o que ele deve dar à nossa conexão para revelar o Criador. Isto é suficiente. O resto virá.

Assim que começarmos a revelar a manifestação do Criador entre nós, entraremos na Cabalá prática, e tudo o que estiver escrito no livro ficará claro. Começaremos a entender o que está escrito em O Estudo das Dez Sefirot e outras fontes.

Da Lição de Cabalá em Russo 11/02/19

Realização Em Seus Próprios Sentimentos

525Pergunta: Os Cabalistas dizem que a própria essência do Criador é inatingível. Nós podemos alcançar apenas Sua forma e matéria. O que isso significa?

Resposta: Isso vem de todo fenômeno físico que alcançamos. Nós não alcançamos nada que exista fora de nós.

Suponha que um certo sinal entre nos meus órgãos sensoriais. Eu não sei que tipo de sinal é. Sei que passa no ouvido, pressiona o tímpano, depois os martelos e outras partes do órgão da audição. Em seguida, ele se transforma em sinais elétricos, passa para o cérebro e é exibido em alguns conceitos.

Qual é a conexão entre o fato de que alguns pensamentos e sensações de suas palavras aparecem em meu cérebro e como as vibrações sonoras atingem meu tímpano?

Como milhares de mudanças estão ocorrendo, não posso nem dizer o que está fora de mim. Eu só alcanço o que já está em mim. Do que está em mim, começo a experimentar e descubro que tudo isso vem de fora.

Isto é, nunca atingimos o fenômeno em si, apenas alcançamos o seu reflexo em nós. É o mesmo no mundo. É exibido em nós assim. O que essas paredes, livros, pessoas, aparelhos de TV, luz e escuridão realmente significam? Eu não sei.

Pergunta: Suponha que um homem seja um mentiroso. Seu corpo biológico é a matéria, e sua forma é uma mentira. Pelo que entendi, uma mentira desconectada de uma pessoa é sua forma abstrata e não pode ser pesquisada. Isso está correto?

Resposta: Esta é uma filosofia que leva a erros.

Pergunta: Isso significa que é impossível pesquisá-lo? Mesmo os Cabalistas não podem fazer isso?

Resposta: Não, os Cabalistas podem pesquisá-lo. Eles nomeiam todos os elementos do mundo espiritual somente a partir de seu alcance.

Pergunta: Mas eles pesquisam a forma e a matéria em si e não a forma abstrata e sua essência?

Resposta: Sim. Claro. É por isso que se chama Atzmuto, isto é, um fenômeno que não podemos pesquisar nem sentir. Existia antes de entrar em nós.

Por exemplo, a onda sonora que entra em mim e depois passa por todas as transformações, a partir da aurícula até a consciência na mente sobre o que é, existe em mim. O que está fora de mim eu nunca saberei porque está fora. Da mesma forma, os Cabalistas separam claramente seus alcances daquilo que é inatingível, porque uma pessoa ainda é um ser criado.

Observação: Existe uma lei na Cabalá: não personifique ou crie qualquer imagem do Criador ou das forças superiores.

Meu Comentário: Sim. Como resultado do desenvolvimento da ciência, agora é muito mais fácil explicar do que era há 40 anos quando comecei a ensinar a Cabalá.

Hoje, você pode explicar claramente que tudo ao nosso redor é ondas, forças, não volumes ou objetos. O fato é que todos os volumes e objetos existem apenas em nossas sensações e, na realidade, são todos algum tipo de impacto sobre nós, cuja natureza não compreendemos.

Podemos falar sobre o que existe apenas de nossas sensações em nós mesmos. Portanto, hoje é muito mais fácil explicar isso para as pessoas, especialmente para a geração mais jovem, que já entende que é assim que as coisas funcionam.

De KabTV, “A Essência da Ciência da Cabalá, Parte 7”, 12/11/18

Eu Virei E Ensinarei

laitman_961.2Pergunta: Como alunos “cegos” podem trabalhar sem um professor com visão, se não tiverem tempo para atingir uma visão espiritual durante sua vida?

Resposta: Não importa. O Ari escreve sobre isso de uma maneira muito interessante. Enquanto ele estava morrendo, um de seus alunos perguntou: “O que vai acontecer conosco?” O Ari respondeu: “Vocês devem continuar a aprender, e eu irei ensiná-los”.

“Como você vai nos ensinar se está morrendo agora?”

“Não é da sua conta, você não entende nada disso”. E ele morreu.

Portanto, eu posso dizer que não é da sua conta. Não se preocupe. Eu virei e ensinarei.

Da Lição de Cabalá em Russo, 02/12/18

 

Entenda As Forças Ocultas Da Natureza

712.03Pergunta: O que é a “revelação do Criador aos seres criados neste mundo”? É possível comparar a revelação do Criador com a revelação das leis do magnetismo ou da eletricidade? Nós simplesmente aprendemos a usar as leis da natureza que antes estavam escondidas de nós?

Resposta: Revelar o Criador significa revelar as forças ocultas da natureza, suas dependências, leis, fórmulas e gráficos, ou seja, entender o que existe dentro de nós, entender não a imagem que vemos agora, mas as forças por trás dela.

A natureza é controlada por certas forças. Suas relações mútuas, seu impacto sobre nós, nosso impacto reverso sobre elas – precisamos de todo o quadro para continuar nossa existência pelo menos mais ou menos confortavelmente e com confiança. As ciências do nosso mundo apenas nos levam à consciência de que não controlamos a natureza e suas forças – podemos nos esconder um pouco do impacto negativo e nada mais.

Ao mesmo tempo, há um crescente sentimento de que a ciência está em crise, num beco sem saída, e o próximo avanço deve estar além dos limites de nosso mundo, para aquelas forças que estão fora da esfera de nossa existência atual, fora da esfera do nosso universo.

Estas são as forças ocultas da natureza que são superiores a nós e definem toda a nossa vida.

Pergunta: Podemos dizer que elas são a causa dos eventos que nos acontecem no mundo físico?

Resposta: Naturalmente. Certamente.

Pergunta: Acontece que se eu atingir essa força oculta enquanto estiver neste mundo, isto é, se sentir isso com meus cinco sentidos, isso é a revelação do Criador?

Resposta: Sim, você pode dizer isso.

Pergunta: É uma realização sensorial?

Resposta: Isso é alcançado não apenas nos sentimentos, mas também na mente.

Nós revelamos como as forças que nos afetam estão interconectadas, seu desenvolvimento causal e seu impacto consistente em nós. Em geral, vemos uma imagem completa do nosso mundo sob a influência das forças superiores do governo: o significado “superior” ainda escondido de nós.

Além disso, começamos a ver e compreender a possibilidade de nossa influência sobre essas forças através de uma conexão reversa, a fim de levá-las a um estado no qual elas nos influenciam de forma desejável e positiva.

De KabTV “A Essência da Ciência da Cabala, Parte 2”, 12/11/18

Os Escritos do Rabash – Pacote Completo – 8 Volumes

Dr. Michael Laitman

Da Minha Página No Facebook Michael Laitman 15/04/19

Tenho o prazer de anunciar que depois de muitos anos de trabalho temos todos os artigos do meu professor (RABASH, Rav Baruch Shalom HaLevi Ashlag) publicados em um conjunto de livros em inglês.

Estes livros revelam o profundo conhecimento da natureza humana que o RABASH possui e nos leva a uma jornada de exploração de nossas almas. À medida que absorvemos os textos, descobrimos que a Cabalá não é um ocultismo enigmático, mas um método testado pelo tempo para nos entendermos e melhorar nossas vidas e o mundo ao nosso redor.

Os Escritos do RABASH >>>>>>>>>>

Citações De Einstein, Parte 1

 202Pergunta: Você poderia, por favor, comentar algumas citações atribuídas a Albert Einstein?

Citação: “Apenas um tolo precisa de ordem, o gênio pode lidar com o caos”.

Resposta: Sim. Uma pessoa geralmente corre para a ordem porque não consegue abraçar o que está à sua frente.

O gênio, por outro lado, sente que deve se dissolver no caos e assim verá uma ordem interna: não aquela que ele impõe ao mundo existente, mas a que inicialmente existe dentro deste mundo.

Citação: “Existem apenas duas maneiras de viver sua vida. Uma é como se nada fosse um milagre. A outra é como se tudo fosse um milagre”.

Resposta: Se os milagres não existissem, tudo seria muito simples e claro. Eu também quero explicar a todos: “Por que você está sofrendo? Olha, tudo está escrito de forma simples. Você está tentando fazer algo em sua vida com tentativas incompreensíveis”.

Esta é uma vida quando tentamos captar a imensidão com nossas mentes. Mas dizemos com antecedência: “Por que isso está aí? Tudo é simples e bom”, abrace tudo em nossa mente.

E a outra é quando nos dissolvemos no espiritual, no espaço, quando entendemos que não podemos engoli-lo e acreditamos que só podemos entrar nele, dissolver-se nele.

Assim, aceitamos o mundo entrando nele. Ao mesmo tempo, depreciamos a nós mesmos, nossas mentes, nossas capacidades; vemos a natureza acima de nós, não nos governando acima da natureza. Como Sir Isaac Newton [e muitas vezes atribuído a Einstein] dizia: “para mim mesmo, parece que fui como um menino brincando na praia, desviando-me de vez em quando para encontrar uma pedra mais lisa ou uma concha mais bonita que a comum, enquanto o grande oceano da verdade permanece totalmente desconhecido para mim”. Somente assim podemos entrar na natureza e começar a compreendê-la verdadeiramente.

Observação: Então parece que dizemos: “Algumas maravilhas abundam!”.

Meu Comentário: Sim. Esta é a abordagem correta. Na verdade, apenas milagres. Por que milagres? Porque não consigo compreendê-los com minha mente. No entanto, quando digo que são milagres e quero estar neles, começo a compreendê-los, precisamente porque me anulo diante deles.

Citação: “A educação é o que resta depois que tudo aprendido na escola é esquecido”.

Resposta: O que significa educação? Nós formamos, ou podemos dizer, formatamos nosso cérebro. À medida que lançamos certos programas em computadores e, depois, com a ajuda desses programas, começamos a processar materiais, trabalhando com eles. A educação deve ser apenas isso. Ela em si não importa. Somente depois de começar a tratar a vida corretamente com sua ajuda, começo a apreciá-la.

Pergunta: E o que significa esquecer a educação em geral?

Resposta: O que estudamos na escola? Não me lembro de história, geografia, matemática, não sei todas essas equações. Claro, eu posso de alguma forma especular sobre elas. Em princípio, na faculdade, quanto era aparentemente desnecessário? Sim, tudo é necessário para desenvolver cérebros, desenvolvê-los e agitá-los. Caso contrário, o que? Eu só poderei contar minhas cabras ou vacas no rebanho? Ou devo ainda poder trabalhar com o aparato conceitual?

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 26/02/18