Textos na Categoria 'Estudo Cabalístico'

A Estrutura Do Universo, Parte 8

laitman_548.01Posfácio

Pergunta: Você pode resumir o material abordado para aqueles que estão ouvindo pela primeira vez.

Resposta: Em primeiro lugar, EU tenho frequentemente explicado os estágios do desenvolvimento da luz direta. Outras descrições valem a pena ver também. Aconselho vivamente que o faça porque cada vez o material é expresso de forma diferente.

Em segundo lugar, as pessoas ainda precisam se familiarizar com os termos em hebraico, já que a Cabalá é descrita em hebraico e aramaico. Mas, por enquanto, pelo menos o hebraico é suficiente.

É necessário processar bem este tópico porque é o principal. Todos os mundos e tudo o que acontece a seguir são baseados nas quatro fases da luz direta. Por que quatro? Porque Keter (o estágio zero) doa, e todos os outros quatro estágios (Hochma, Bina, Zeir Anpin, Malchut ou 1, 2, 3, 4) são recebidos de Keter. Você precisa saber disso.

Em seguida, analisamos como esses cinco estágios se refletem no desenvolvimento da matéria, em nosso desenvolvimento humano, na evolução. Eles determinam absolutamente tudo o que está em uma pequena partícula microscópica da natureza ou em toda a natureza em geral, incluindo a sociedade, a família e cada pessoa. O que quer que tomemos, sempre podemos dizer: existem cinco estágios no desenvolvimento do desejo e, portanto, sabemos como algo acontece ou até mesmo como algo acontecerá.

Pergunta: A interação do desejo de receber e de dar, da criação e do Criador, está impressa como um estêncil no relacionamento entre as pessoas?

Resposta: Está impressa em todas as formas de matéria e seu desenvolvimento. Qualquer interação inclui todos os cinco estágios.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 27/11/18

Há Um Fim Para Estudar Cabalá?

laitman_261Pergunta: Existe um fim para estudar Cabalá?

Resposta: Não. O fim para estudar está no infinito. Mesmo depois de deixarmos este mundo, continuamos nossa conquista no mundo superior, fora de nossos corpos. Então não se preocupe, tudo ainda está à frente.

Pergunta: Em que estado final uma pessoa deve chegar?

Resposta: O estado final é a conexão total com todos os seres criados e com o Criador em uma união única, em um desejo comum.

Da Lição de Cabalá em Russo, 10/03/19

A Pessoa É Revelada, Não O Texto

Laitman_522.03Pergunta: Os Cabalistas escreveram textos com códigos e ocultaram segredos com letras ou palavras ou os livros deveriam ser entendidos como estão escritos?

Resposta: Você deve entendê-los como estão escritos. Então você verá que um significado completamente novo e diferente é encontrado, não no texto em si, mas dentro de você, como uma reação ao texto. Isto é, você se revela, não o texto.

Não há código, nenhum segredo, nenhuma cifra no texto. A cifra inteira está dentro de você. Suas reações às mesmas palavras serão completamente diferentes. Você será capturado pelo que é revelado dentro de você.

Em princípio, o texto será o mesmo texto e o livro será o mesmo livro; só você o perceberá de uma nova maneira. Por exemplo, ao ler um livro pela primeira vez, você sentirá que ele diz algo inteligente e, voltando a ele depois de alguns anos, verá que ele descreve a estrutura do mundo superior e você está nele.

Da Lição de Cabalá em Russo, 10/03/19

Os Novos Estados São Melhores Que Os Antigos

580.03Pergunta: Se eu ler as cartas do Baal HaSulam e sentir como vou junto com o autor de um estado descrito para outro, como posso não abandonar esse movimento interno com ele? Como posso ficar com o autor o tempo todo?

Resposta: Realmente é preciso muito esforço. Mas mesmo que isso não funcione, não se preocupe, você vai voltar a ele de qualquer maneira. Mais importante ainda, não tente ficar em um estado espiritual particular. Os verdadeiros Cabalistas até pediram para esquecer tudo e começar de novo. Imagine o quanto eles entenderam que os novos estados são melhores que os antigos. Não tenha medo de nada! Renda-se a esse fluxo, deixe-o seguir em frente.

Da Lição de Cabalá em Russo, 10/03/19

“Um Pequeno Passo Para O Homem, Um Grande Salto Para A Humanidade”

laitman_928Exatamente 50 anos atrás, um evento significativo aconteceu: o mundo assistiu ansiosamente enquanto o homem dava seus primeiros passos na Lua. Todas as estações de rádio e canais de TV estavam transmitindo as palavras de Neil Armstrong: “Esse é um pequeno passo para o homem, um grande salto para a humanidade”.

Agora, depois de 50 anos, podemos dizer que realmente foi um grande avanço para a humanidade?

Naquela época, eu era um jovem de 23 anos, estudante, e lembro-me de como fui inspirado por essas cenas. Eu costumava sonhar com essas viagens. Havia muitas pessoas ao meu redor e todos nós mantínhamos nossos olhos colados na tela, observando o que estava acontecendo.

Primeiro de tudo, eu estava interessado nisso como um cientista, que estava me preparando para me tornar. Foi um grande avanço na ciência. Claro, se você olhar para este evento hoje, não parece tão fatídico. Hoje ninguém está impressionado com as viagens espaciais. No entanto, naquela época, as pessoas eram muito apaixonadas por isso. O homem queria sair da estrutura terrena, romper com a Terra e descobrir o que está acontecendo além dela.

Este foi realmente um grande salto para a humanidade, olhando para cima da Terra, estabelecemos com certeza que a Terra é redonda. Nos tempos antigos, as pessoas geralmente consideravam ser um disco. Lembro-me de ter sido atingido por imagens da Lua: o globo se elevando acima do horizonte, assim como geralmente vemos a Lua se erguendo no céu. Foi uma inversão muito interessante.

Nós começamos a entender que estamos em um vasto universo que é vazio. Não há outra vida em todo o universo, exceto pelo único ecossistema que conecta a natureza inanimada, plantas, animais e pessoas na Terra, e nos dá vida. Nós demos um passo no espaço, abrindo um novo espaço, mas ele estava morto.

Aqui a humanidade está começando a perceber dois opostos: nós enfrentamos o espaço aberto infinito do universo, mas não há vida nele, apenas pedras e um vácuo. Portanto, precisamos cuidar do nosso planeta – não haverá outro lugar. É necessário perceber todas as pessoas como vivendo juntas em uma casa. Eu não vejo que ter ido à Lua tenha mudado as atitudes das pessoas nesse sentido. Mas pelo menos desencadeou pesquisas nessa direção.

Nos últimos 50 anos, a humanidade desenvolveu-se significativamente, mas para pior. Provamos que estamos sozinhos no universo e que a Terra é um lugar único que nos dá vida. No entanto, apesar disso, estamos a destruí-la, aproximando-nos de uma linha vermelha irreversível, e não consideramos ninguém. Mostra-nos como o nosso egoísmo é destrutivo; está nos matando e precisamos fazer algo sobre isso.

O próximo “pequeno passo para o homem, que se tornará um grande salto para a humanidade” será um passo em direção à unificação entre nós. Para fazer isso, você não precisa pisar na Lua ou em outro planeta, mas precisa pisar em si mesmo. Cada pessoa deve pisar em seu próprio egoísmo, então nós realmente faremos um enorme avanço por toda a humanidade, porque seremos capazes de nos salvar da autodestruição.

Se cada um de nós der um pequeno passo para fora de si mesmo, pisando em seu próprio egoísmo, isso nos elevará muito acima da Lua e das estrelas em uma dimensão completamente diferente. Não podemos abolir nosso egoísmo, mas podemos nos elevar acima dele. Isso requer uma força especial; nenhum foguete poderá nos elevar acima de nós mesmos.

Cada pessoa é mantida pela força da gravidade de seu próprio egoísmo e, portanto, é necessário despertar a força oposta, que a afastará do amor por si mesma. A sabedoria da Cabalá destina-se a esse propósito e só nos dá o poder de nos elevar acima da superfície da Terra, para nos afastar do egoísmo que nos pressiona para a Terra.

Gostaríamos de nos elevar e crescer acima do nosso egoísmo, mas não podemos. Isso requer um método especial de conexão, que é ensinado pela Cabalá. Então nos sentiremos em um foguete no universo sem limites. Ao romper com o egoísmo, entenderemos quais forças especiais a Terra, a Lua, o Sol e o universo inteiro possuem. Vamos aprender por que esse sistema é construído dessa forma e qual é o nosso papel, por que existimos nele. Tudo ficará claro para nós; só precisamos nos elevar acima do nosso egoísmo.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 18/07/19

A Fonte De Tudo O Que Existe

Laitman_138Baal HaSulam, “Os Escritos do Baal HaSulam, Volume 1”, A Qualidade da Sabedoria do Oculto em Geral”, Este Princípio Superior É Definido em Um, Único e Unificado: É óbvio que o superior é um. Ele compreende toda a realidade e todos os tempos – passado, presente e futuro – pois não se pode dar aquilo que não se tem. Se toda a realidade e a existência da realidade não estivessem incluídas Nele, não teriam surgido Dele, como é evidente para qualquer escrutinador, e sem perceber que encontramos corrupções nos modos da existência da realidade.

De fato, saiba que este é o estudo que os sábios do oculto chamam de “um”. O primeiro a estudá-lo foi Abraão, o Patriarca. (Isso é explicado no Livro da Criação e, portanto, é atribuído a Abraão, o Patriarca.) Isso significa que não há duas autoridades aqui – boa e má -, mas apenas boa.

O princípio fundamental da sabedoria da Cabalá é que existe apenas uma força, um objetivo, um caminho e um movimento, no universo, isto é, apenas uma fonte, além da qual nada existe. Daí o ditado: “Não há outro além Dele”.

Tudo o que nos parece existir além Dele é, de fato, Ele. O fato de que alguém em algum lugar e de alguma forma vê que algo supostamente existe é apenas um ligeiro desalinhamento, uma diferença do centro, quando você tem que combinar duas linhas para que elas atinjam exatamente o alvo. Então, a pessoa começará novamente a sentir que não há nada além do Criador.

Todos os desvios do conceito de “um, único e unificado” nos são dados, de modo que nos esforçamos repetidamente para confirmá-lo e nos fundir com ele. Esse é o objetivo do nosso desenvolvimento. O desenvolvimento é entrar e se dissolver nesta unidade.

Isso não cabe em nossa mente, memória, nem em nossas capacidades analíticas, porque para isso precisamos refazer completamente nossa abordagem, nossa visão do objetivo, do mundo, do espaço, do tempo, do movimento e, em geral, de tudo. Devemos relacionar tudo a uma única sensação: eu existo ou só Ele.

Pergunta: Então, eu não existo? Existe apenas Ele?

Resposta: Claro, eu não existo. Eu existo somente quando posso diferir Dele ou quando me misturo com Ele.

Da Lição de Cabalá em Russo 27/01/19

A Estrutura Do Universo, Parte 2

laitman_251Estágios do Desenvolvimento da Criação

O Criador emana a Luz (+) de preenchimento, satisfação, que dá origem a um desejo por ela, o Kli (vaso) (-).

A Luz é o estágio 0 (Keter). O primeiro estágio, Hochma, já é um desejo de receber que quer desfrutar da Luz. Esse desejo é natural, instintivo. Costumamos retratá-lo na forma de uma taça recebendo a Luz.

Depois que a Luz criou o desejo, ele começou a se transformar. Agora ele quer ser como a Luz e, portanto, recusa-se a desfrutar. A Luz gradualmente transfere suas propriedades de doação, e o desejo, que agora quer doar por si mesmo e ser semelhante à Luz, esvazia-se. Este é o terceiro estágio, Bina.

Pergunta: Se no estágio um eu queria receber, então no estágio dois, sob a influência da Luz, eu de repente quero doar, tornar-me como a Luz?

Resposta: Sob a influência da Luz, você começa a mudar.

O terceiro estágio é muito interessante. É o oposto do primeiro estágio, ou seja, aqui o ser criado alcança o estado oposto àquele em que foi criado. Posteriormente, Bina decide: “Se eu quiser doar, tenho que me realizar”. Portanto, com seu desejo de doação, cria uma nova etapa chamada Zeir Anpin.

Este é um desejo de receber, mas muito pequeno, não tão grande quanto o estágio de Hochma.

Pergunta: Por que o estágio dois é insuficiente? Afinal, nos tornamos como a força superior que doa.

Resposta: Não. Nós nos tornamos como a força superior em nossa intenção, mas não em nossa forma. Não doamos nada a Bina, simplesmente nos recusamos a receber. Mas quando Bina se realiza em Zeir Anpin, o terceiro estágio, é assim que se percebe como semelhante ao Criador.

Portanto, Keter é a propriedade do Criador para doar. Hochma é a realização desse desejo, doação. Bina recebe a propriedade que Hochma passa para ela e, por sua vez, se recusa a receber.

Mas, por enquanto, ela não tem nada para dar e nem sequer quer.

No terceiro estágio, Zeir Anpin, Bina percebe sua propriedade de doação. É como se tivesse dado à luz a ela, criado essa próxima propriedade e a preenchido.

Pergunta: Então, neste terceiro estágio, eu dou e tomo um pouco?

Resposta: Sim. Zeir Anpin é complexo, composto, como se fosse composto de duas partes, como Bina. Hochma também consiste de duas partes e o mesmo acontece com Keter. Isto é, o desejo de receber está sempre presente.

Quando Zeir Anpin é completamente preenchido por Bina, começa a sentir que o mais importante é ser preenchido em vez de se recusar a receber. Portanto, a propriedade que deseja ser preenchida é chamada Malchut (reino): o reino dos desejos.

Malchut é completamente oposto à Keter. Isto é, a criação, que é completamente oposta ao Criador, finalmente quer perceber o que Ele planejou para ela, ou seja, que o Criador quer doar, e Malchut quer receber o que Keter quer doar.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 27/11/18

A Estrutura Do Universo, Parte 1

laitman_548.03O Plano da Criação: Trazer Prazer à Criação

Pergunta: Qual é o propósito da criação?

Resposta: O propósito da criação é de extrema importância. Ele precede tudo criado até onde estamos agora.

O propósito da criação é trazer prazer à criação. Para conseguir isso, a criação precisa ter o desejo de desfrutar. Portanto, primeiro deve haver uma carência na criação, uma sensação do que a criação quer. A principal qualidade da matéria da criação é a sensação de que carece de algo. Isso é chamado de “desejo de receber prazer”.

Este desejo deve desenvolver-se gradualmente porque a criação será capaz de determinar o que é desejável e indesejável para si mesma, em que estágios, em que forma, etc., somente se o desejo se desenvolver gradualmente. Em outras palavras, a criação não pode ser criada imediatamente. Pode-se construir rapidamente uma máquina que execute uma certa função, mas para que a criação seja independente, para que ela se torne semelhante ao seu Criador, para que ela desfrute, o desejo tem que passar por certos estágios de desenvolvimento.

Pergunta: Acontece que mesmo o Criador não pode criar uma criação de uma só vez, sem nenhum estágio de desenvolvimento?

Resposta: A resposta é não. Se a criação não passasse por um processo gradual de desenvolvimento, não seria uma criação. Seria como um robô, semelhante aos níveis inanimado, vegetativo e animal da natureza, que automaticamente realizam sua programação sem qualquer livre arbítrio e participação independente em seu nome.

Criar um ser humano é desenvolver o desejo de um ponto de independência, levando-o a uma consciência de quem ele é, o que é, quem o controla e por que e como ele foi criado especificamente do jeito que foi. Por um lado, este desejo tem que ter qualidades opostas ao Criador e, por outro lado, tem que ter a oportunidade de alcançar as propriedades do Criador. É assim que a criação pode finalmente alcançar a perfeição. Portanto, tudo começa com a influência do Criador na criação.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 27/11/18

Cabalistas Infalíveis?

laitman_961.2Pergunta: Existe um culto à personalidade na Cabalá? Você acredita na infalibilidade de alguns autores ou tudo deve ser tratado com certo grau de ceticismo?

Resposta: Francamente falando, eu, com minha pouca realização espiritual, não posso dar ao luxo de avaliar os Cabalistas. De fato, apesar do fato de que eu sinto, compreendo, alcanço e habito em algum espaço espiritual, estou nele ao nível de um menino de quinze anos em nosso mundo.

O que posso dizer sobre isso? No mundo espiritual, quando você compreende até mesmo em tal nível, isso lhe dá a sensação de que você é apenas uma pessoa jovem, você ainda não sabe muito e, portanto, não pode abrir sua boca, criticar ou fazer qualquer avaliação.

Posso criticar Cabalistas tão grandes como meu professor Rabash e seu pai Baal HaSulam ou aqueles que os precederam: Baal Shem Tov e o Ari? Eles estão todos em absoluta realização do Criador. Portanto, não tenho nada a dizer sobre este assunto.

Eu aceito seus livros como um conhecimento absoluto. São pessoas que não cometeram erros ao subir ao seu nível, e seu nível está praticamente na Correção Final (Gmar Tikkun).

A única diferença entre eles é que cada um atingiu a raiz de sua alma, então há uma diferença na apresentação. Mas para mim, é realmente bom. Eu leio de um ângulo sobre a realização do mundo superior, depois de outro, de um terceiro, e isso me desenvolve.

Da Lição de Cabalá em Russo 10/03/19

O Sistema De Escrita Entre Baal Hasulam E Ramak

laitman_258Pergunta: Qual é a diferença no sistema de escrita entre Baal HaSulam e Ramak?

Resposta: Existe uma enorme diferença entre eles. Na verdade, Ramak explicou tudo a partir da perspectiva da propagação da luz, enquanto o Ari explicou a partir da perspectiva da correção dos Kelim, vasos e desejos. Já que somos um vaso e um desejo, o sistema do Ari está mais próximo de nós.

Quanto ao Baal HaSulam, ele é como a continuação do Ari; portanto, seus escritos explicam o mesmo sistema das telas.

Da Lição de Cabalá em Russo, 10/03/19