Textos na Categoria 'Estudo Cabalístico'

Uma Base Comum Para Diferentes Métodos

Laitman_057Comentário: Existem muitos tipos de Cabalá: a Cabalá do Ramchal, a Cabalá Luriânica, a Cabalá Cristã, o Hassidismo, a Cabalá prática e assim por diante.

Você ensina a Cabalá do Baal HaSulam. Alguns afirmam que este ramo é um de muitos outros, enquanto você o apresenta como o principal.

Resposta: Pessoalmente, eu não tenho queixas contra ninguém sobre essa questão. Eu entendo a natureza do homem e, portanto, mesmo o maior adversário da Cabalá é legítimo aos meus olhos. Não há discrepâncias aqui: tudo vem da natureza e da estrutura da humanidade e do homem. Isso em primeiro lugar.

Em segundo lugar, existem muitas maneiras de revelar o Criador, que podem coexistir e ser paralelas entre si.

Quando eu estava ao lado do meu professor, o Rabash, eu fui com ele a muitos Cabalistas e vi suas reuniões com eles. Certamente, na época, eu ainda tinha uma compreensão muito limitada do que estavam falando e não sabia se estava ao lado de um Cabalista ou não, em que grau ele estava, e qual método usava para penetrar no mundo superior e alcançar o Criador.

Naturalmente, existem diferentes métodos. Mas todos desceram para elevar as pessoas acima de seu egoísmo. Isso acontece com base no que está escrito na Torá: todos devem se reunir em dezenas, como Moisés estabeleceu quando saiu do Egito.

Em outras palavras, elevar-se do Egito, atravessar o deserto – através de uma fase específica da obtenção da qualidade de Bina – é possível apenas em grupos onde as pessoas se dividem em dezenas e onde um sistema de interconexão entre as pessoas é criado nelas. Isso é descrito por todos os Cabalistas. Não há desentendimentos sobre isso.

A Cabalá é dividida em duas partes: estudo teórico e prático da Cabalá.

O estudo teórico dos textos geralmente está associado ao termo “Cabalistas de Jerusalém”. Veja bem, havia habitualmente um grupo de Cabalistas em Jerusalém que se dedicava apenas ao estudo individual dos textos. Eles conheciam os livros do Ari, O Livro do Zohar e outros de dentro para fora, literalmente de cor, mas, ao mesmo tempo, não faziam nenhum trabalho interno. Eles não tinham nenhuma realização (conquista).

Voltando à questão dos diferentes ensinamentos na Cabalá, o grande Cabalista do século XVII-XVIII, o Baal Shem Tov, é notável. Ele reuniu cerca de trinta jovens ao seu redor, ensinou-lhes Cabalá e os enviou para toda a Europa Oriental.

Cada um deles criou sua própria escola Cabalística e essas escolas praticamente não têm diferenças entre si. Elas são baseados no mesmo método do Baal Shem Tov. A única diferença é a explicação externa. É o mesmo de como, por exemplo, em uma universidade existem 20 professores de física e cada um deles explica de maneira diferente. O significado é o mesmo, mas a apresentação externa é diferente.

Isso é sentido entre os Cabalistas até hoje, mas isso não significa que eles estejam explicando coisas diferentes. O único problema é dizer se eles estão ou não envolvidos na conquista do Criador. Como Baal HaSulam escreve, a Cabalá é o sistema da conquista do Criador pelo homem em nosso mundo.

Pergunta: Você ensina apenas de acordo com o método do Baal HaSulam?

Resposta: Eu ensino de acordo com o método do Ari, ou seja, ao longo da linhagem: O Livro do Zohar, o Ari, Baal HaSulam e Rabash.

Pergunta: Mas existem outros métodos também?

Resposta: Não, todos eles ainda são baseados no Livro do Zohar e no método do Ari.

Houve um tempo, mesmo antes de eu chegar ao Rabash, em torno de 1978, que eu conheci pessoas que seguiam o Ramak. Havia vários homens na casa do setenta anos em Tel Aviv. Eles não tinham estudantes. Portanto, eu acho que hoje não resta ninguém desse grupo.

Da Lição de Cabalá em Russo 10/09/17

Quando O Termo “Ego” Apareceu Pela Primeira Vez?

laitman_208Pergunta: A ciência acredita que o termo “ego” foi introduzido pela teoria da psicanálise de Sigmund Freud. Mas a Cabalá é muito mais antiga do que a psicologia. Quando esse termo apareceu primeiro nela?

Resposta: Na Cabalá, esse termo foi originalmente chamado de desejo de receber prazer. Foi apresentado por Adão há 5778 anos. O desejo de receber prazer é a matéria do nosso mundo.

Pergunta: E quando apareceu a palavra “Cabalá”?

Resposta: Eu não posso dizer com total certeza quando a palavra “Cabalá” surgiu pela primeira vez, mas os antigos gregos a traduziram como “recepção”, isto é, “receber”, a ciência da recepção, da revelação.

Da Lição de Cabalá em Russo 10/09/17

Quem Pode Avaliar Corretamente A Cabalá?

laitman_250Pergunta: Somente uma pessoa que atravessou o Machsom, a barreira figurativa entre os mundos material e espiritual, pode entender a essência da Cabalá. Até hoje, só você conseguiu fazer isso, então só você entende essa essência. O que podemos fazer?

Resposta: Primeiro, não foi só eu que conseguiu cruzar o Machsom.

Em segundo lugar, como é possível avaliar corretamente a Cabalá, o Criador, o sistema do universo e as forças de governança se você não estiver neste sistema?

Atravessar o Machsom significa entrar no sistema espiritual e se tornar pelo menos um componente mínimo dele de modo que, mesmo pela menor conexão com o sistema, alguém entenderia o que é. Caso contrário, uma pessoa está em algum tipo de fantasia.

Portanto, naturalmente, aquele que não cruzou o que se chama o Machsom – não criou dentro de si mesmo o sistema do mundo superior de acordo com o método de comparação com o resto dos amigos – não entende do que a Cabalá está falando.

Nós sentimos isso mesmo antes de atravessar o Machsom. Você atravessa, atravessa; você não atravessa, não atravessa. E você está dentro ou fora, ou um ou zero. Não há mais nada.

Da Lição de Cabalá em Russo 10/09/17

Como Devemos Tratar A História E As Tradições?

laitman_202.0Pergunta: Como devemos ver os eventos que já aconteceram? Como devemos avaliá-los?

Resposta: De forma alguma! Não olhe para trás no passado, não pense nisso ou nem leve isso em conta. Só existe o hoje, e ele depende de mim.

O que mais importa para uma pessoa é descobrir como ela pode se sintonizar para perceber o mundo do jeito certo.

Pergunta: O estudo da história, das tradições e da cultura não nos ajuda a nos desenvolver?

Resposta: Nós precisamos nos elevar acima das tradições e da cultura. A única coisa que precisamos é nos comunicar devidamente com as pessoas que nos rodeiam e ensiná-las apenas uma coisa: “Ama ao próximo como a si mesmo”. Tudo o mais foi inventado pelo nosso egoísmo para se afirmar.

Pergunta: Nós nem precisamos estudar a história da Cabalá?

Resposta: Ao estudar a Cabalá, a pessoa também aprende sua história porque ela aprende sobre o desenvolvimento dos Kelim (vasos, desejo) e o desenvolvimento da Luz que influencia o desejo. É nisso que se resume toda a história.

Certo espaço foi definido para nós. Esse espaço é chamado de desejo de receber. Ele é influenciado pela Luz – o desejo de doar. Como o desejo de doar passa pelos estágios de seu desenvolvimento, gradualmente se torna semelhante à Luz. Nesse grau, a Luz o preenche.

O preenchimento gradual do desejo de receber pela Luz, essa é toda história. Não há mais nada.

Observação: Visto que eu estudo história em uma universidade, meu desejo é discordar de você. Mas, por outro lado, não vemos nenhum exemplo de que o homem aprenda qualquer coisa, tome as conclusões corretas e atue corretamente com base em seu estudo da história.

Meu Comentário: Antes de tudo, a história é escrita por egoístas – cada um a partir de seu próprio ponto de vista que lhe é benéfico: quer para elevar a si mesmo ou a sua nação ou por outra questão.

Se você me perguntar por que eu preciso de história, é só para falar com as pessoas porque eu dissemino a Cabalá. Caso contrário, não tenho absolutamente nenhuma necessidade dela.

Eu estou falando como uma pessoa que passou por uma ampla educação superior e estudou muitas coisas. Nada disso é necessário. “Quanto menos você sabe, melhor você dorme”. Dessa forma, você não confunde sua cabeça com filosofias ou histórias. Você precisa saber apenas uma coisa: como interagir com a Luz superior, a única força na natureza que pode ajudá-lo a fazer qualquer coisa.

Para isso, você não precisa estudar mecânica, eletricidade ou computadores – nada.

Observação: Mas se eu não soubesse nada, você não poderia me explicar nada.

Meu Comentário: Essa é uma questão diferente. Claro, eu sou a favor das pessoas que estudam, mas não para seu benefício pessoal e vidas pessoais.

Pergunta: Então, tudo depende da intenção com que você estuda?

Resposta: Claro. A intenção deve ser corrigir o mundo corrigindo-se.

Da Lição de Cabalá em Russo 16/07/17

O Desenvolvimento Da Cabalá Ao Longo Do Eixo Do Tempo

laitman_573.01Pergunta: Como a linguagem e o método da Cabalá mudaram dependendo do estágio de desenvolvimento da humanidade? Os Cabalistas escreveram em uma linguagem que não pode ser compreendida.

Resposta: Na verdade, há séculos que os Cabalistas escreveram apenas para pessoas como eles. Ninguém estava envolvido na popularização da Cabalá.

Se olharmos o processo de desenvolvimento ao longo do eixo do tempo que começa com Adão até o final de todo o desenvolvimento, uma estrutura muito interessante se forma do ano zero até o ano 6000.

Durante esse período, houve crescimento do egoísmo. Primeiro, Adão revelou a metodologia espiritual, depois dele, Abraão e Moisés o fizeram. Depois, o Primeiro e o Segundo Templos foram construídos e destruídos.

E agora começa a ascensão rumo ao Terceiro Templo.

Até chegarmos ao ponto de ascensão (“Nós” no desenho), todo o desenvolvimento foi automático, de acordo com o comando inicial. Não houve nada imprevisível.

Somente a partir do ponto em que “Nós” começamos a correção. E todo o tempo antes disso foi o período de quebra e preparação. É por isso que tudo o que ocorreu antes do nosso tempo era conhecido por absolutamente todos os Cabalistas, sem surpresas.

E só a partir da nossa época é que o livre arbítrio emerge e a disseminação da Cabalá começa para toda a humanidade. As pessoas começam a se animar e a conectar a si mesmas e o seu futuro com o método de correção.

Do estado atual do mundo, torna-se evidente que a correção do mundo é possível somente através do fortalecimento das conexões entre as pessoas. Acontece que o método que nos dá a oportunidade de criar essa conexão está sendo revelado.

Da Lição de Cabalá em Russo, 23/07/17

O Sistema Imutável Do Mundo Superior

laitman_541Pergunta: O que há de especial no método do Ari em comparação com os Cabalistas que vieram antes dele?

Resposta: Sistematização. Nada de novo. Nenhum Cabalista subsequente pode adicionar algo ao trabalho dos Cabalistas anteriores, além de elaborar as conclusões feitas em suas descobertas e dar uma descrição sistemática maior do que pode ter sido descrito com apenas algumas frases. Isso é tudo.

Pergunta: Pode-se dizer que a linguagem também mudou?

Resposta: Claro. Por exemplo, se tomarmos um curso de física escrito há 200 anos e compará-lo com um livro texto atual, naturalmente haverá uma diferença entre eles. Mas, em princípio, a essência da informação contida neles continua a ser a mesma.

É por isso que os grandes Cabalistas – pilares que aparecem uma vez em várias gerações – aumentaram significativamente as descobertas anteriores.

Pergunta: Os meios para alcançar essas descobertas permanecem os mesmos?

Resposta: Sim, porque a estrutura do mundo superior não muda.

Existem duas forças na criação: a força de doação e a força de recepção. A interação entre ambas forma o sistema superior e controla nosso mundo através dela. Essa é a física pura – um mecanismo simples de controle do nosso mundo.

É por isso que os Cabalistas não podem revelar nada novo, mas só podem explicar com maior detalhe o que foi revelado anteriormente. Afinal, o que foi alcançado por Abraão, Moisés e os Cabalistas do Primeiro e Segundo Templos continua a agir e a ser descoberto hoje.

Não há nada de novo no mundo superior. É um sistema estável e constante. É apenas que os Cabalistas, através da sua realização, adicionam esclarecimentos à próxima geração para que seja mais fácil de entender. Dessa forma, em cada geração a linguagem das explicações muda para torná-la mais compreensível a essa geração. É por isso que o Baal HaSulam (no início do século XX) e o Rabash (final do século XX) são os nossos Cabalistas mais próximos.

Da Lição de Cabalá em Russo, 23/07/17

Verdade E Mentira, Parte 4

laitman_283.01Pergunta: O amor e a verdade são sempre inseparáveis?

Resposta: O amor existe no coração e a verdade na cabeça. O amor deve vir do coração, ou seja, eu preciso mudar todas as suas qualidades, todos os meus desejos, para direcioná-los para o benefício do ente querido. Isso é chamado de “um coração aberto”.

Eu meço a verdade em relação ao nível de desenvolvimento de uma pessoa: quanto é benéfico para ela ouvir, quanto ela pode sentir e entender, e eu a trato de acordo. Talvez eu tenha que esconder algo dela ou talvez até mentir se a partir do meu coração amoroso vejo que será melhor para ela dessa maneira.

Uma pessoa que busca a verdade constantemente verifica-se em que mentira está.

Pergunta: Por que uma pessoa é atraída pela verdade? Por que esta adquire valor para ela?

Resposta: Um gene informacional do grau superior começa a se manifestar nela. A força superior é chamada de verdade. A palavra “verdade” consiste nas letras “Alef-Mem-Tav“, isto é, ela cobre todo o alfabeto do início até o fim; é o nome geral do Criador, que é bom e faz o bem, amor absoluto e doação fora de Si. Nós precisamos pensar em como se tornar semelhante a Ele, mesmo que seja um pouco. Isto é o que é ensinado pela sabedoria da Cabalá.

Há pessoas em quem esses genes informacionais estão despertando. Aparentemente, na sua base, elas estavam mais próximas do Criador e, portanto, os registros correspondentes permaneceram nelas. Agora, esses genes começam a se manifestar nelas e as puxam para revelar as qualidades do Criador.

Esse gene é chamado de ponto no coração, o desejo de revelar a verdade. Não importa o que aconteça, o principal é que é a verdade. Mesmo que eu não goste, eu, no entanto, aspirava, como está escrito: “Compre a verdade e não a venda”.

Pergunta: Eu conheço muitas pessoas que não acreditam em Deus, mas, no entanto, são muito atraídas pela verdade. Por quê?

Resposta: A aspiração à verdade é completamente independente da fé. Todo mundo que busca a verdade é convidado a vir e revela-la. A sabedoria da Cabalá não tem nada a ver com religião, mas a luta pela verdade é uma condição necessária.

De KabTV “Nova Vida” 16/11/17

Lições De Cabalá, Parte 4

laitman_939.02A principal coisa no estudo da Cabalá não é a aquisição de conhecimento, mas o uso da maravilhosa propriedade de aprendizagem (Segula), sobre a qual Baal HaSulam escreve na Introdução ao Estudo das Dez Sefirot.

Através do estudo, somos influenciados pela força que desenvolve qualidades altruístas e amor ao próximo em nós. E com a ajuda dessas qualidades, alcançamos o mundo superior, o sistema que nos controla.

Isso não depende do volume de material estudado, mas apenas da verdadeira intenção no coração, do esforço de se tornar doador e amar, sobre os quais os sábios da Cabalá falam.

Pergunta: Onde nos livros Cabalísticos está a força que faz mudanças tão qualitativas em uma pessoa que ela revela uma nova realidade?

Resposta: Os livros Cabalísticos foram escritos por Cabalistas que atingiram altos graus de doação e amor ao próximo e descrevem todas essas ações espirituais. Quando lemos, queremos alcançar o que eles alcançaram, tornar-se doadores como eles e revelar o Criador. Nós tentamos não nos enganar ao imaginar o Criador de forma diferente, mas apenas como a força geral de doação e amor que queremos nos assemelhar.

Nós começamos a mudar na direção da doação ao nosso próximo, nos aproximamos e fazemos tudo um pelo outro, porque somente assim poderemos revelar o Criador. Nós tentamos nos convencer de que, assim, avançamos e queremos mudanças em nós.

Todos os dias eu verifico: eu comecei a tratar meus amigos melhor? Eu procuro como posso alcançar o amor ao próximo para mim, a fim de chegar do amor das criaturas ao amor do Criador.

Pergunta: Qual é o papel de um professor no estudo da Cabalá?

Resposta: O papel de um professor é despertar na pessoa a capacidade de ouvir o que a sabedoria da Cabalá diz. Afinal, uma pessoa escuta o que é dito sobre o amor ao próximo, mas como que ignora isso. No entanto, se ela não cumprir essa condição, não revelará o Criador e todos os seus estudos serão em vão.

Pergunta: Qual a diferença entre um professor regular e um professor de Cabalá?

Resposta: O professor de Cabalá é um guia que lidera a pessoa através de todos os seus estados internos e externos para que o aluno acabe por entender que o principal é o amor pelo outro.

Sem um professor, é impossível estudar a Cabalá porque uma pessoa nessa vida é guiada por seu egoísmo. Portanto, ela nunca será capaz de se dirigir para ações corretas, isto é, a doação ao amigo que leva à doação ao Criador.

Pergunta: Como a pessoa seleciona um professor de Cabalá e verifica se ele é um professor verdadeiro?

Resposta: Em primeiro lugar, isso é determinado de acordo com o sentimento no coração. Além disso, você precisa verificar se essa pessoa estudou – isso é muito importante. Não é por nada que a Cabalá tem o nome de “Recepção”, porque é transferida como um legado espiritual de professor a discípulo.

Sempre foi assim no passado e, apenas recentemente vemos que o estudo em massa da Cabalá em grandes grupos já começou. Portanto, um professor passa seu conhecimento não para um discípulo, mas para todo o grupo.

A Cabalá pode ser ministrada por alguém que a recebeu de um Cabalista reconhecido, está envolvido nela há muitos anos e pode explicar o que está escrito nas fontes originais.

Pergunta: Existe algum requisito preliminar para uma pessoa começar a estudar Cabalá?

Resposta: É necessário estar em um estado normal no sentido físico, psicológico e mental. Não são necessárias outras condições nem habilidades excepcionais. Todas as pessoas devem se tornar Cabalistas e revelar o Criador neste mundo.

Pergunta: E se a pessoa não gosta de estudar e não se inclina para a ciência?

Resposta: Está escrito: “Não é o sábio que aprende”, mas aquele que, de acordo com a inclinação do coração, aspira a saber para que está vivendo, qual é o sentido de sua vida. Se a pessoa se preocupa com essas questões, isso indica sua prontidão para o desenvolvimento espiritual.

Pergunta: As crianças sempre esperam férias. Um aluno da Cabalá também percebe o aprendizado como algo pesado?

Resposta: Não há prêmios ou graus dados pelo estudo da Cabalá. Portanto, uma pessoa que quer estudar terá que pagar com tempo e esforços. Em troca, ela receberá satisfação espiritual pelo fato de estar envolvida na coisa mais exaltada que pode existir, não só em nosso mundo, mas em toda a realidade em geral.

De KabTV “Nova Vida” 20/07/17

A Revelação Da Cabalá De Geração À Geração

laitman_933Pergunta: O Livro da Criação (Sefer Yetzira) escrito por Abraão é um trabalho magnífico, poético e rigidamente construído. É um prazer ler, mas apenas pensamentos ocasionais são compreensíveis. Existe uma chave para entende-lo?

Resposta: Para isso a pessoa deve estudar Cabalá. Por exemplo, como a ciência é diferente em cada geração? É pelo fato de que ela se desenvolve cada vez mais e revela o que era anteriormente desconhecido. Portanto, os Cabalistas em cada geração, como na ciência, podem revelar cada vez mais.

O livro de Abraão está escrito de forma mais suave do que o livro de Adão. Abraão, através de suas conquistas, complementou o que Adão escreveu e revelou a Cabalá mais profundamente. E todos os outros o seguiram.

Uma vez que o grupo de Abraão começou o trabalho espiritual, começou a atingir a qualidade de doação na conexão entre eles, a qualidade superior, o Criador. Se as pessoas restaurarem boas conexões de amor mútuo, responsabilidade mútua e compreensão mútua entre si, então, na medida em que essas conexões forem verdadeiras, o Criador é revelado dentro delas. Essa rede de conexões é chamada de um vaso no qual a força superior é revelada.

Abraão descobriu o método de conquista da força superior na conexão entre as pessoas. E Moisés dominou esse método na prática. As pessoas de sua geração sofreram enormes descidas egoístas que são chamadas de “exílio egípcio”.

Elas mergulharam em um grande egoísmo, mas, ao mesmo tempo, conseguiram se elevar acima dele em sua unificação, de modo que na conexão de duas tendências opostas, uma grande rejeição egoísta e simultaneamente uma aspiração comum de conexão, separação e aproximação, elas criaram condições onde o Criador foi revelado. Essa foi a conquista de Moisés que ele descreveu na Torá.

O que Moisés e seu grupo fizeram foi um grande avanço em relação ao que Abraão alcançou. Portanto, a geração de Moisés se elevou completamente acima do nosso mundo, revelou o Criador na conexão entre si e atingiu o estado mais elevado que nunca foi superado até o nosso tempo. Até hoje, Moisés é o maior líder espiritual do povo.

Da Lição de Cabalá em Russo 23/07/17

Lições De Cabalá, Parte 3

laitman_938.04Pergunta: Se o propósito de estudar a sabedoria da Cabalá é a revelação do Criador, com a ajuda de quais ferramentas vamos revelá-Lo? Podemos ver micróbios através de um microscópio e estrelas através de um telescópio, mas através do que podemos revelar a força superior?

Resposta: A força superior é revelada no meu relacionamento com os amigos com quem estudo no mesmo grupo. Na medida em que eu trato os outros com amor, cuidado e compaixão, dou-lhes o lugar mais importante da minha vida, e desenvolvo dentro de mim a força de doação em relação a eles, eu revelo uma rede de conexões entre nós.

Essa rede existe desde o início. Nós não a criamos, mas apenas criamos as ferramentas para a sua revelação.

A nossa conexão já existe e sempre existiu; estamos apenas revelando-a para sentir o fluxo das forças de doação e amor dentro dela que criam o sentimento do Criador em nós.

Pergunta: Onde é revelada a força superior: no sentimento ou na mente?

Resposta: A força superior é revelada pela primeira vez no sentimento e depois na mente.

O estudo é realizado com base nas fontes Cabalísticas e inclui duas partes.

Uma parte é dedicada ao estudo da estrutura do universo, à difusão dos mundos, PartzufimSefirot e almas, e como tudo foi criado antes que uma pessoa se descubra aqui neste mundo existindo em um corpo biológico e sente o desejo de revelar suas raízes, sua fonte.

Quando uma pessoa faz essa descoberta, começa a estudá-la subindo de baixo para cima: de si mesma hoje, através dos amigos na dezena, até a realização de toda a escada de graus espirituais, isto é, de todas as forças que desceram até ela, reconhecendo-as gradualmente cada vez mais.

Ambas as partes do aprendizado: o estudo da estrutura do universo e sua criação de cima para baixo, bem como a ascensão de volta para a realidade em que nos encontramos hoje, têm apenas um propósito: revelar a força superior de doação chamada Criador.

De KabTV “Nova Vida” 20/07/17