Textos na Categoria 'Estudo Cabalístico'

Nova Vida # 829 – Religiões E O Desenvolvimento Do Homem

Nova Vida # 829 – Religiões E O Desenvolvimento Do Homem
Dr. Michael Laitman na conversação com Oren Levi e Yael Leshed-Harel

Resumo

O que o atual retorno à religião indica? Como Abraão descobriu a força superior? Qual foi o impacto dessa revelação sobre a humanidade e por que surgiu a religião popular?

Há uma tendência de retorno à religião hoje como resultado do crescente egoísmo. As pessoas estão procurando um sentido na vida. A religião nos diz que há uma força que nos controla acima da natureza, que devemos acreditar nela e obedecer aos seus mandamentos. Nós não precisamos “crer” para revelar o Criador; precisamos trabalhar e adquirir o atributo do amor ao próximo.

De KabTV “Nova Vida # 829 – Religiões E O Desenvolvimento Do Homem”, 14/02/17

Nova Vida # 828 – Entre Religiões E A Sabedoria Da Cabalá

Nova Vida # 828 – Entre Religiões E A Sabedoria Da Cabalá
Dr. Michael Laitman em conversa com Oren Levi e Yael Leshed-Harel

Resumo

O que a religião nos dá? Como a sabedoria da Cabalá nos ensina a conhecer a força superior e qual é o objetivo que as pessoas de todas as religiões devem alcançar de acordo com essa sabedoria?

Nós não sabemos para que estamos vivendo, e as religiões oferecem à pessoa algo que está além dessa vida. A sabedoria da Cabalá é a interioridade do Judaísmo. É o método de revelar o Criador ao homem enquanto ainda está neste mundo.

De KabTV “Nova Vida # 828 – Entre Religiões E A Sabedoria da Cabalá,” 14/02/17

É Possível Avançar Sem Um Grupo?

laitman_245_09Pergunta: Com o que eu devo começar o caminho da alma, a vida espiritual?

Resposta: Estudando virtualmente ou em um de nossos centros físicos. Então, na medida em que você avançar em seus estudos, vai sentir que precisa de um grupo.

Pergunta: Por que você está tão certo de que é impossível avançar sem um grupo? Eu conheci muitas pessoas que afirmam que praticam a Cabalá sem nenhum grupo. Mesmo Baal HaSulam não o menciona em seus escritos. Afinal, ele nunca teve um grupo.

Resposta: Existem inúmeros artigos sobre a necessidade de um grupo, não pelos Cabalistas modernos. Os Cabalistas escreveram muito claramente sobre a importância do grupo por gerações. Você simplesmente não sabe as fontes.

Pergunta: O Rabash tinha um professor, seu pai Baal HaSulam. Qual é o caminho mais curto para o Criador: em um grupo onde o número ideal de pessoas é dez, ou face a face com um sábio professor?

Resposta: Baal HaSulam tinha um grupo de alunos e Rabash era um deles. Depois o Rabash também organizou um grupo no qual eu estudei junto com outros estudantes. Depois de ter estudado com Rabash por algum tempo, eu lhe perguntei o que precisava para continuar a avançar, e ele respondeu: “nada vai te ajudar a menos que você organize um grupo”.

Seu grupo incluía alguns homens idosos com os quais ele tinha estudado com Baal HaSulam. Este grupo não me servia, então comecei a juntar jovens e a dar palestras a eles. Foi assim que um novo grupo foi criado.

É impossível estudar a sabedoria da Cabalá sem um grupo. Sem um grupo, você não vai entender nada e certamente não vai conseguir nada!

Da Lição de Cabalá em Russo 30/10/16

Quatro Raças E Quatro Fases Da Luz

laitman_629_1Pergunta: As quatro raças correspondem às quatro letras do nome HaVaYaH e as quatro fases da Ohr Yashar (Luz Direta)?

Resposta: Sim, as quatro raças são divididas nas quatro fases da Luz Direta, mas isso não significa nada porque precisamos nos unir para realizar a correção.

Não pode haver um Partzuf, ou seja, um sistema espiritual normal no qual o Criador é revelado, se não houver uma conexão  entre todos. Assim, ninguém pode ser removido dela: branco, preto, amarelo ou vermelho.

Da Lição de Cabalá em Russo 14/08/16

O Segredo Do Alfabeto Hebraico Revelado

Laitman_151Nas Notícias (ScienceNews): “O alfabeto mais antigo do mundo, com inscrições em lajes de pedra em vários locais egípcios, era uma forma primitiva do hebraico, concluiu uma nova análise controversa.

“Os israelitas que viviam no Egito transformaram os hieróglifos daquela civilização no hebraico 1.0 mais de 3.800 anos atrás, numa época em que o Antigo Testamento descreve os judeus vivendo no Egito, diz o arqueólogo e epígrafe Douglas Petrovich da Universidade Wilfrid Laurier, em Waterloo, Canadá. Oradores hebraicos procurando uma maneira de se comunicar por escrito com outros judeus egípcios simplificaram o complexo sistema de escrita hieroglífica dos faraós em 22 letras alfabéticas, propôs Petrovich no dia 17 de novembro na reunião anual das Escolas Americanas de Pesquisa Oriental.

Meu Comentário: Há um erro escondido aqui.

Os judeus não tomaram emprestado nada de ninguém porque as vinte e duas letras do alfabeto hebraico derivam da estrutura espiritual de três níveis (Bina, Zeir Anpin e Malchut) do mundo superior que nos influenciam. Então a humanidade começou a realizá-las inconscientemente. O alfabeto hebraico vem de Adão, que o descobriu há 5.777 anos e usou-o. De qualquer forma, a humanidade terá que reconsiderar a arqueologia, a paleontologia e tudo o mais, e então concordará que tudo vem de lá.

Se existiu algum registro antes disso, como parece, eram notas e símbolos, mas um alfabeto pelo qual nós conectamos uma coleção de imagens em uma palavra significativa e criamos uma frase a partir das palavras, ou seja, um pensamento completo sobre um determinado assunto que mesmo depois de gerações pode ser transmitido, algo assim não existiu em nenhum lugar. Isto é apenas porque os judeus tinham uma conexão com o mundo superior e especificamente tomaram os termos e o método de lá.

Em outras palavras, existem três níveis entre nós e o mundo superior que são preenchidos com uma coleção particular de forças que se tornam as letras em nosso mundo.

Cada força espiritual é uma letra. Nós obtemos uma palavra conectando-as junto e, ao conectar palavras, temos um pensamento.

Pergunta: Todos os sinais e hieróglifos apareceram depois destas letras?

Resposta: Certamente. As letras hebraicas são a base das línguas escritas, incluindo o chinês e o japonês.

Pergunta: Por que não temos como provar isso?

Resposta: Por que devemos provar isso? A humanidade está buscando à sua própria maneira com base em escavações, motivações, opiniões e teorias. Mas isso foi descrito em nossos livros há milhares de anos. Ninguém quer prestar atenção nisso porque contradiz a abordagem cristã e muçulmana. Portanto, é preferível que fiquemos de fora, quietos.

As diferentes línguas, o alfabeto e tudo o mais vieram da antiga Babilônia e isso alcançou a antiga Babilônia de Adão.

Linhas horizontais e verticais e outros elementos das letras são derivados das forças que tentamos simbolizar, porque cada letra é um símbolo de uma determinada expressão espiritual, de uma forma espiritual particular, de uma força, e assim por diante. São como um selo. Portanto, existem 22 selos, que são absolutamente suficientes para transmitir as características espirituais mais elevadas de Bina e as características espirituais inferiores de Malchut.

Nada mais é necessário. É assim que as letras devem ser transmitidas. No entanto, houve permutações, sua substituição. Em geral, este é um sistema profundo e complexo, porque tudo é encontrado nas letras.

Assim, desta forma, o segredo das letras, suas combinações, sua formação e seu desenvolvimento ainda está à espera de ser descoberto. Existem leis segundo as quais é impossível modificar qualquer coisa no alfabeto hebraico. É impossível alterar até uma letra, mesmo uma linha, fonte ou embelezamento. Tudo sobre a caligrafia deve ser preservado.

Em programas de computador, nós encontramos vinte mil fontes diferentes. Isso não tem ligação com a verdade. Existe apenas uma fonte chamada “Ktav sofer – escrita escribal” através da qual tudo é apresentado na Torá, porque lá a precisa forma gráfica expressa o conteúdo interno da força na letra.

De KabTV “Notícias com Michael Laitman” 14/12/16

Primeiras Impressões Da Cabalá

laitman_527_07Pergunta: Eu sou um novo aluno. Quando ouço você, suas palavras soam como um córrego fresco da montanha. Mas quando olho para um livro grosso, fica assustador. O que devo fazer?

Resposta: Quando eu comecei a procurar por fontes Cabalísticas, corri para todas as lojas e não consegui encontrar nada. Então, de repente, cheguei a um lugar onde encontrei todos os livros sobre a sabedoria da Cabalá: Talmud Eser Sefirot, todos os volumes do Livro do Zohar, os escritos do Ramchal e outros.

Eu imediatamente comprei tudo porque eles não eram encontrados em nenhum outro lugar. Para adquirir a coleção dos escritos do Ari, eu fui especificamente a um pequeno subúrbio de Tel Aviv, fui para o jardim da frente, e bati no portão. Uma senhora idosa veio me atender, que, depois de entender o que eu queria, disse: “Vou olhar para ver se restou algo”. Eu pedi dois conjuntos dos quinze volumes dos escritos do Ari, mas ela só me entregou 1.

Ela era a esposa de um Cabalista que, durante sua vida, publicou livros, e provavelmente a deixou com um grande depósito depois de sua morte. Foi assim que foi possível obter os escritos dos Cabalistas.

Quando eu trouxe esses livros para casa e comecei a ler, era como um raio caindo do céu; eles me afetaram tão apaixonadamente. Estas foram minhas primeiras impressões. Depois disso, quando você se familiariza com a sabedoria da Cabalá, sente o quão infinitamente boa ela é e que deseja revelar a eternidade, serenidade e bondade da criação para você.

Pergunta: Você entendeu alguma coisa dos escritos do Ari quando os abriu?

Resposta: Na verdade, naquela época, eu não sabia ler hebraico. Eu tinha um amigo da mesma idade que os lia em voz alta, e me sentava ao lado dele e ouvia. Embora eu não entendesse nada, senti que era a coisa mais importante.

Eu memorizei o que ouvi, e de alguma forma comparei-o dentro de mim. Diferentes tipos de imagens nasceram em meus pensamentos. Experimentei todos os tipos de emoções, algo incompreensível. Assim, ao longo de quatro ou cinco anos, tudo foi lido, e quando cheguei ao Rabash, tudo imediatamente assumiu uma forma completamente diferente.

Da Lição de Cabalá em Russo 20/11/16

ISIS Executa Um Xeque Sufi De Cem Anos De Idade

Laitman_153Nas Notícias (Al Arabiya): “O Ansar Bayt al-Maqdis – grupo extremista afiliado ao ISIS no Egito – divulgou imagens que pretendem mostrar a execução de um homem de 100 anos.

O grupo, que mudou de nome para ISIS-Sinai quando prometeu fidelidade ao grupo extremista que mantém terras no Iraque e Síria, matou o xeque Sulaiman Abu Haraz depois de o sequestrar.

“Abu Haraz, considerado um dos simbólicos clérigos sufis e anciãos da Península do Sinai, foi levado pelo grupo da frente de sua casa na cidade de Arish sob a mira de armas”.

Meu Comentário: O sufismo é a Cabalá Islâmica. Eles vivem suas vidas no exílio de suas nações porque são odiados, semelhante à atitude em relação aos Cabalistas no Judaísmo. Da mesma forma, o Sufismo chama a todos a alcançar a unidade através do amor ilimitado, como um princípio fundamental para toda a humanidade.

Libertação

Dr. Michael LaitmanHá duas abordagens à vida. A primeira abordagem é dedicar a maior parte de nossa atenção a este mundo, obtendo o máximo de prazer possível. É por isso que a humanidade conquista o espaço e explora as profundezas de um átomo. Tudo isso é trabalhar com a matéria.

Mas a sabedoria da Cabalá diz que, em vez de voar para estrelas distantes, nós precisamos mergulhar nas profundezas do ser humano. O mundo é descoberto dentro de nós; nós vemos o mundo dentro de nós mesmos. Uma pessoa percebe a realidade com sua consciência e, portanto, ao mudá-la, muda a realidade.

A realidade é um reflexo de nossas qualidades internas. Corrigindo nossas qualidades internas, começamos a ver o mundo espiritual. E, retornando às nossas características egoístas originais, vemos este mundo.

É por isso que mesmo em relação à Torá há duas abordagens. Há aqueles que observam os mandamentos da Torá apenas em suas ações, pensando que a Torá descreve a observância externa. E é por isso que tal Torá é chamada de externa, porque é observada apenas através de ações físicas e palavras. Mas há pessoas chamadas Cabalistas que acreditam que seguir a Torá é uma ação interna, realizada pela mudança da natureza humana.

Ao trabalhar no grupo de acordo com o método da Cabalá e atrair a Luz que Reforma, uma pessoa começa a cumprir a Torá e os mandamentos não só com mãos, pernas e palavras, mas através do desejo que é corrigido com a ajuda da Luz e dividido em 613 partes. E isso porque é dito, “a opinião da Torá é oposta à opinião das massas”.

A abordagem externa também está associada ao estudo da natureza pelas ciências regulares, à aspiração de explorar as profundezas dos níveis inanimado, vegetal e animal, e transformar o mundo através da mudança da natureza e dos governos externamente.

Em contraste, a sabedoria da Cabalá diz que se o mundo é o resultado da nossa percepção, então é necessário corrigir apenas a nossa percepção, as nossas qualidades internas. Somente dessa maneira podemos mudar o mundo, a humanidade, o homem e toda a realidade de tal maneira que começaremos a experimentar o mundo como eterno, perfeito e ilimitado.

Por essa razão, a opinião das massas difere da opinião da Torá, e não há nada que possa ser feito sobre isso, não é possível reuni-las. Pouco a pouco a Luz superior opera sobre a humanidade, avançando-a para a necessidade de reconhecer a verdade e perceber que toda a realidade existe internamente. Não há nada fora de nós, tudo é percebido dentro de nossa consciência.

A passagem da visão geral de mundo, aceita por toda a humanidade que percebe o mundo como externo a si, para o mundo como um produto da percepção dentro da consciência humana, é chamada de libertação. Os olhos das massas se abrirão e elas começarão a se aproximar da verdade.

Então a sabedoria da Cabalá será revelada não apenas a indivíduos específicos, mas a todos, e explicará a toda a humanidade sua missão e o propósito do homem nesta realidade.

Todos vão perceber que o nosso mundo não é este planeta Terra, onde estamos destinados a nascer e morrer, mas uma pequena parada, um ponto de partida, a partir do qual temos que começar a se desenvolver ainda mais.

De 3ª parte da Lição Diária de Cabalá, “A Opinião da Torá é Oposta à Opinião dos Proprietários” 30/01/17

Como Podemos Compreender Que Estamos No Caminho Certo?

Laitman_165Pergunta: Como é possível entender que você está no caminho certo e vai atingir a perfeição espiritual no futuro? Há algum sinal disso?

Resposta: Para fazer isso você precisa de um professor, livros, um grupo e persistência com as lições. Assim, você pode ter certeza que está no caminho certo e vai alcançar a meta.

Da Lição de Cabalá em Russo 01/01/17

O Código Da Torá

Laitman_137Pergunta: Se o código da Torá é semelhante a um código de computador, não deveria haver algum dispositivo nele onde ele pudesse ser compilado e executado? Como ativamos esse código?

Resposta: Nós não o ativamos. Esse código já está em funcionamento. Ele tem seu próprio mecanismo interno, a Luz, que o impulsiona. A questão é como podemos nos adaptar a essa ação para que ela nos controle. Para fazer isso, precisamos nos tornar Cabalistas.

A sabedoria da Cabalá explica que há um código diante de nós, um fluxo de informações. Se alguém quer entrar nele e nadar junto com ele, deve se preparar, entrar nele com cuidado, e depois nadar gradualmente até o centro do rio e se encontrar dentro do fluxo eterno.

Da Lição de Cabalá em Russo 04/09/16