Textos na Categoria 'Egoísmo'

Por Que Há Tantas Mulheres Solteiras?

Dr. Michael LaitmanPergunta: Por que há tantas mulheres solteiras hoje em dia?

Resposta: Porque o nosso ego cresceu tanto que não podemos nos entender. As mulheres podem alegar que os homens não podem se dar bem com elas, e os homens podem dizer o contrário. Nosso ego é tão grande, confuso e complicado que não podemos suportar até a melhor pessoa por muito tempo.

Da Lição de KabTV em russo 04/12/16

Satanás Existe?

laitman_207Pergunta do Facebook: Satanás existe ou é ficção?

Resposta: Existe, é o poder egoísta do homem.

É dito muito sobre isso na sabedoria da Cabalá. Na Torá e no Livro do Zohar, ele é chamado de “Satanás” da palavra “Sotah” (desvio), “Masit” (distração). Ele desvia uma pessoa do caminho certo.

Essa força vive dentro de todos e é impossível livrar-se dela; não há “operação cirúrgica” que nos ajude. Há muitas manifestações diferentes de egoísmo, e aquela que nos desvia de uma boa conexão entre nós é chamada de Satanás.

Pergunta: Ela pode ser gerenciada de alguma forma?

Resposta: Há apenas um caso em que ela não pode se apossar de nós. É quando nós construímos nossa comunicação acima dela.

Essa força sempre existirá e gerará constantemente discórdia entre nós. Mas quando a humanidade se unir de uma só vez, então toda a malícia satânica será acrescentada às nossas boas ações e as aumentará.

Especificamente, graças aos truques do egoísmo, nós nos forçaremos a nos aproximar uns dos outros. Portanto, Satanás se transformará em uma boa força, porque, em última análise, é o que nos ajuda a entender a interação correta.

De KabTV “Notícias com Michael Laitman” 30/01/17

Vingança, A Derrota Do Egoísmo

Laitman_155Pergunta: De onde vem o sentimento de vingança em uma pessoa?

Resposta: O sentimento de vingança vem como resultado de uma derrota muito difícil do ego, um ego que experimenta uma humilhação. Em tal situação, a pessoa está pronta para fazer qualquer coisa; ela não tem outra escolha. Uma situação em que você insulta o ponto mais central de meu ego, se você me mostra que eu sou zero, e não me deixa uma oportunidade de existir, esse sentimento desperta um sentimento de vingança em mim.

Se eu pensava que era superior e você me “empurra” para fora desse pedestal, mostrando-me que não sou nada, então uma reação extrema é formada em mim em relação ao fator que produziu essa emoção em mim. Em tal situação, eu não estou apenas pronto para matar, queimar e pisar, mas também quero que esse fator desapareça deste mundo, de qualquer forma!

Pergunta: É possível despertar uma emoção como essa em um Cabalista?

Resposta: Certamente, os Cabalistas experimentam emoções muito mais agudamente do que outros. No entanto, os Cabalistas entendem que esses sentimentos vêm do Criador e somente para que a pessoa se volte a Ele.

Pergunta: Em uma situação humilhante, a pessoa comum se vingará. O que um Cabalista faria?

Resposta: O Cabalista se corrigirá até alcançar um estado em que essa emoção não será sentida como humilhação nele nem mesmo um pouco, porque esse sentimento vem do Criador e não de qualquer outra pessoa. Isto é porque “Não há outro além Dele” (Deuteronômio 4:35).

Pergunta: Por que entre alguns povos, a vingança é elevada à categoria de tradição e passa de geração em geração, enquanto que entre outros povos isso não é assim?

Resposta: Isso está relacionado à educação e ao período em que eles estão vivendo. Houve períodos em que um “feudo de sangue” era um costume muito difundido. Era impossível tolerar a derrota, e apenas um duelo poderia apagar esses sentimentos.

Em toda a história da humanidade, houve muitos períodos em que uma pessoa que sentia grande humilhação calculava como proceder. Hoje, o egoísmo tornou-se tão grande que criou mecanismos especiais de proteção. Caso contrário, em cada buzinada de um carro passando, veríamos os motoristas disparando um no outro.

Hoje, um Cabalista não se relaciona com insultos, perdoar ou tomar ações em resposta a um insulto. Basicamente, não devemos levá-la a sério para não nos sentirmos humilhados, embora, de fato, a vida seja uma imensa fonte de humilhação.

Da Lição de Cabalá em Russo 21/08/16

O Desenvolvimento Do Egoísmo

laitman_566_02Pergunta do Facebook: Você afirma que o desenvolvimento da sociedade é o desenvolvimento do egoísmo nela. Por que não é o desenvolvimento do altruísmo? Será que devemos começar a promover a cooperação entre nós em vez de promover a concorrência?

Resposta: Eu vejo como o mundo tem evoluído há séculos e que é apenas resultado do egoísmo. Além disso, todos os cientistas e pesquisadores confirmam isso. A sabedoria da Cabalá diz a mesma coisa.

Não devemos nos desenvolver por meio do egoísmo, isto é, não no desejo de receber tudo dentro de nós e de pensar somente em nós mesmos em qualquer momento: “O que eu devo fazer para me sentir bem?” Mas devemos mudar nosso paradigma, isto é, devemos pensar: “O que eu devo fazer para que os outros se sintam bem?” Essa é uma mudança significativa, uma revolução interna em uma pessoa, que ela não pode fazer por si mesma.

Pergunta: Como eu posso mudar a mim mesmo se a nossa natureza é puro egoísmo?

Resposta: Esse é um paradoxo interno; não podemos sair da estrutura da nossa natureza. Podemos corrigi-la, mas apenas com a ajuda da força superior, o Criador.

Se o Criador iluminar Sua força sobre nós e nos influenciar como um ímã movendo um pedaço de metal à distância, seremos capazes de mudar a nós mesmos e nos movermos na direção oposta ao nosso egoísmo.

Para fazer isso, precisamos convencer o Criador a avançar para um atributo totalmente diferente: da propriedade de recepção ao atributo de doação, não o atributo do egoísmo, mas o atributo do altruísmo, não o atributo do ódio, mas o atributo do amor.

Vamos tentar fazer isso. Isso é o que a sabedoria da Cabalá nos ensina!

De KabTV “Notícias com Michael Laitman” 15/02/17

Do Vazio Ao Vazio

laitman_424_02Nas Notícias (The Guardian): “Jonathan Safran Foer: ‘A Tecnologia Está Nos Diminuindo’

“A maioria das nossas tecnologias de comunicação começou como substitutos de uma atividade impossível. Não podíamos sempre nos vermos face a face, então o telefone tornou possível manter contato à distância. A pessoa nem sempre está em casa, então a secretária eletrônica tornou possível uma mensagem sem a pessoa estar perto de seu telefone. A comunicação on-line originou-se como um substituto para a comunicação telefônica, que foi considerada, por qualquer motivo, demasiada onerosa ou inconveniente. E, depois, mensagens de texto, o que facilitou mensagens ainda mais rápida e mais móveis. Essas invenções não foram criadas para serem melhorias na comunicação face a face, mas uma declinação de aceitáveis, se diminuídos, substitutos dela.

“Mas então uma coisa engraçada aconteceu: começamos a preferir os substitutos diminuídos. É mais fácil dar um telefonema do que fazer o esforço para ver alguém em pessoa. Deixar uma mensagem na máquina de alguém é mais fácil do que ter uma conversa telefônica – você pode dizer o que precisa dizer sem uma resposta; é mais fácil fazer o check-in sem ficar enredade. Então começamos a telefonar quando sabíamos que ninguém iria atender. Mandar um e-mail é mais fácil ainda, porque a pessoa pode se esconder atrás da ausência de inflexão vocal, e, claro, não há chance de acidentalmente pegar alguém. Com as mensagens de texto, a expectativa de articulação é ainda mais reduzida e é oferecida outra casca para se esconder. Cada passo ‘para a frente’ facilitou ainda mais – apenas um pouco – evitar o trabalho emocional de estar presente, transmitir informações ao invés de humanidade.

“O problema de aceitar – com preferência – os substitutos diminuídos é que, ao longo do tempo, também nos tornamos substitutos diminuídos. As pessoas que se habituam a dizer pouco se acostumam a sentir pouco. Ou apenas sentir o que foi concebido e vendido para nós sentirmos”.

Pergunta: Para onde você acha que a tecnologia moderna, a inteligência artificial, etc., estão levando a humanidade?

Resposta: Para o reconhecimento de que temos que desistir de tudo e começar a trabalhar de coração para coração, para realmente desistir de tudo o que não está relacionado com o sentimento no coração. Tudo o mais vai chegar ao seu pico e depois desaparecer. Nós não precisaremos nos conectar através de longas linhas e redes web, as mais altas tecnologias no espaço ou em novas cidades, nada.

Nem precisaremos de TV com telas gigantes e milhares de canais. Ninguém vai querer entupir sua cabeça com tudo isso. Nós vemos que os jovens estão gradualmente virando as costas para isso. Vai levar mais alguns anos e também vamos nos livrar de todos os telefones.

Comentário: Futurologistas dizem exatamente o oposto. Eles acreditam que uma comunicação interestelar será desenvolvida …

Resposta: Absurdo. Nada vai acontecer.

Pergunta: Você está dizendo que tudo isso vai desaparecer e o homem vai querer sentir novamente um afeto caloroso?

Resposta: Hoje, por exemplo, o carro é um meio de ir de um lugar para outro, não a meta em si. Imagine que você tivesse uma nave espacial e dez estrelas, e que sua sogra vivesse em uma estrela e outro parente ou amigo vivesse em outra, e você pudesse ficar longe de todos eles, ter o seu próprio pequeno planeta e viver lá pacificamente.

Mas já percebemos que todas essas coisas não levam a nada. Uma pessoa tem que se preencher-se, e ela não consegue encontrar um preenchimento em tudo isso, então continuamos perseguindo diferentes preenchimentos e finalmente vemos que, embora tenhamos os meios para isso, isso não se justifica. Uma pessoa se sente cada vez mais vazia.

Comentário: Acontece que toda a nossa vida e desenvolvimentos futuros são apenas uma corrida, na verdade, uma corrida atrás de preenchimentos…

Resposta: Claro! Veja como os escritores retratam imagens futuristas: estamos nos movendo de um lugar para outro a uma velocidade tão grande, para onde? De um fim vazio para outro fim vazio, mas pelo menos eles estão escrevendo best-sellers.

Pergunta: Jonathan Foer diz que estamos nos afastando dos corações. Ele realmente teme isso. As pessoas sentem esse medo como resultado do progresso?

Resposta: Não, elas sentem isso porque não há saída. Se a humanidade não descobrir a razão e a meta da criação, ela vai afundar em drogas e pílulas para dormir.

Pergunta: Por que passamos por um caminho tão longo? Por que precisamos de todas essas tecnologias?

Resposta: Porque temos que reconhecer a parte maligna de nossa natureza. Se não conseguirmos reconhecê-la completamente, não seremos capazes de corrigi-la.

De KabTV “Notícias com Michael Laitman” 01/03/17

“Eu”, “Nós” E Sistemas Sociais

Walking through the WallPergunta: No passado, as pessoas sentiam o “nós”, mas não o seu “eu”?

Resposta: Isso é o que estava acontecendo na antiga Babilônia antes da crise e o que foi chamado de confusão de línguas (construção da Torre de Babel). Mas não era porque as pessoas estavam conectadas e unidas, mas porque seu egoísmo era muito pequeno, no nível zero.

As antigas sociedades em que tudo era compartilhado, viviam sob um primitivo regime comunista.

Com o crescimento do ego, cinco sistemas (configurações) de regras apareceram gradualmente até o capitalismo. Agora chegou a hora do socialismo, e depois chegará o tempo do comunismo.

Da Lição de Cabalá em Russo 30/10/16

O Que É Felicidade?

Laitman_715Pergunta: O que é felicidade?

Resposta: A felicidade é um estado no qual a Luz Superior desce sobre uma pessoa e a preenche com a sensação de uma existência eterna e perfeita.

Felicidade (“Mazal” em hebraico) significa sorte, que vem da raiz de “nozelgotejamento“. Quando a Luz Superior desce sobre uma pessoa, ela flui e preenche a pessoa de realização, conhecimento e a sensação de uma existência totalmente clara, perfeita e eterna. Isso é felicidade.

Pergunta: Tal estado pode vir sem nenhum esforço de parte de uma pessoa? Afinal, há pessoas que têm sorte na vida.

Resposta: Na nossa limitada existência material, certamente. Pode ser que uma pessoa sinta que tudo está bem e que não precisa de mais nada. Ela simplesmente vive uma vida vazia. Por que não? Caminhe para uma cabana em uma aldeia remota, construa para si um covil acolhedor lá, e seja feliz se puder.

No entanto, o fato é que o ego está em constante desenvolvimento. Ele precisa de novos preenchimentos o tempo todo. Caso contrário, uma pessoa não vai se sentir satisfeita.

Como fazemos com que as sensações que chegam ao nosso ego o preencham sem problemas? Só se o seu desejo está focado na doação, fora de si mesmo, é que ele não sentirá que está vazio o tempo todo. A felicidade está criando tais sentidos que são externos a nós, e então seremos felizes.

Pergunta: A maioria das pessoas pensa que precisamos de harmonia, um equilíbrio de atributos, a fim de alcançar a felicidade. De quais atributos estamos falando?

Resposta: Uma pessoa pode viver em harmonia com o mundo ao seu redor se ela e o mundo se tornarem um coletivo geral. Isso só pode acontecer se a pessoa sentir o mundo como a si mesma e cuidar dele assim como se preocupa consigo mesma.

Da Lição de Cabalá em Russo 12/11/16

Babilônia Do Século XXI

Dr. Michael LaitmanA crise da sociedade moderna é um problema muito real; ela é anunciada todos os dias por meio de jornais, rádio e televisão. Começou com a Europa e agora está se espalhando para a América.

O mundo inteiro está entrando em uma nova era e está à beira de grandes mudanças. A esperança é que essas mudanças serão realizadas através de reformas governamentais e financeiras e não através da guerra mundial.

Pela primeira vez na história, a sabedoria da Cabalá está sendo revelada e está entrando no processo que está ocorrendo no mundo porque os Cabalistas são os únicos que entendem o que está acontecendo, ao contrário de todos os outros que estão em tumulto. O mundo reconhece que não pode compreender não só a situação atual, mas também quais as perspectivas que estão disponíveis para o futuro ou quais os meios possíveis para o progresso e o desenvolvimento futuros.

Tudo isso é muito difícil de entender, especialmente quando percebemos que estamos falando de grandes massas de pessoas, tão diferentes e distantes umas das outras. Toda a Babilônia, onde Abraão iniciou sua obra, hoje começa a estar cada vez mais conectada em todos os possíveis caminhos egoístas, um mais explosivo do que outro.

A Babilônia é um símbolo do enorme egoísmo, o “anti-Criador”, revelando-se entre todas as criaturas. Portanto, é muito difícil para uma pessoa entender como esse egoísmo pode ser sujeitado a qualquer correção. Mas na medida em que a sabedoria da Cabalá é revelada, ela explica que ele pode ser corrigido, e nós somos obrigados a fazer isso.

Se não de boa vontade, então pelo caminho do sofrimento, mas a humanidade precisará retornar ao estado onde é novamente como um só corpo, uma alma, um sistema, como o primeiro homem, Adão. Esse sistema atrairá toda a Luz Superior do Infinito e toda a criação alcançará a adesão com o Criador.

Esse estado final não pode ser alterado; não pode haver acordos. A única diferença reside em quanto de seu próprio esforço a humanidade colocará para conseguir isso, quanto compreenderá a essência do processo e quanto desejará participar dele.

Algumas pessoas devem liderar esse processo e essa parte é chamada de “Israel”, que significa “Li Rosh” – “Eu tenho uma cabeça”. E todos os outros agem em relação à cabeça como um corpo e recebem dela o que já foi preparado para eles; isto é, não são obrigados a realizar um trabalho tão difícil. Naturalmente, durante este processo haverá muitas perguntas e problemas que terão que ser resolvidos com a ajuda da educação integral.

É impossível fazer uma única mudança por meio da força, mas apenas por uma mudança interna em um indivíduo. Não há nada a mudar no mundo – nenhuma mudança externa fora de uma pessoa ajudará porque o mundo externo é um reflexo de nossas qualidades internas.

Portanto, a única coisa necessária é corrigir o indivíduo e, fazendo isso, corrigimos o mundo. Esse é todo o nosso trabalho: construir tais sistemas através dos quais a Luz que Reforma alcançará o último ser humano. À frente desse sistema estarão os Cabalistas que têm uma conexão com o Criador e podem se tornar um canal para passar a Luz a toda a humanidade, a todas as nações.

Esse processo está começando a ser realizado no mundo, e, portanto, o mundo está rapidamente adotando novos contornos. Quer queiramos ou não, o governo superior está preparando a humanidade para receber a educação integral. É o chamado dos tempos.

Da 2ª parte da Lição Diária de Cabalá 02/02/17, Lição sobre o Tópico: “Mismah Arosa (Documento Arosa)”, “O Que Deve Ser Feito?”

Nova Vida # 815 – Da Externalidade Excessiva Ao Amor

Nova Vida # 815 – Da Externalidade Excessiva Ao Amor
Dr. Michael Laitman em conversa com Oren Levi e Tal Mandelbaum ben Moshe

Resumo

Por que tendemos a perseguir luxos? Como podemos ver além das aparências, e como o amor nos permite ver a verdade?

Uma pessoa está disposta a fazer qualquer coisa para ser apreciada e respeitada, de modo que vivemos em uma cultura de mentiras.

Certo fenômeno deve ser intensificado para que possamos descobrir que ele é negativo. A educação pode nos ajudar a entender que existem coisas que parecem boas e doces, mas que são, na verdade, falsas e prejudiciais.

Somente o amor pode ser considerado um discernimento absoluto da verdade com o qual nos alinharemos. O amor pode nos aproximar da verdade porque exige nossa ascensão acima do ego e trabalhar para o bem de todos.

Quanto mais avançarmos em direção ao amor, mais deixaremos de respeitar as mudanças externas das pessoas. Por exemplo, um homem que é atraído por uma mulher bonita e depois descobre que ela o usou, a verá como feia.

Nós somos feitos de dois níveis, o nível animal e o nível humano, acima do qual temos que crescer.

A educação de toda a sociedade nos ajudará a adquirir novos valores em vez da falsa externalidade. A corrupção que está sendo revelada hoje nas conexões entre capital e poder nos forçará a avançar rumo à verdade.

Somente o amor nos permite ver a verdade, uma vez que muda a perspectiva de uma pessoa de pensar em si mesma para pensar no bem-estar do público.

De KabTV “Nova Vida # 815 – Da Externalidade Excessiva Ao Amor”, 19/01/17

Nova Vida # 814 – Revelando A Mentira Em Nosso Tempo

Nova Vida # 814 – Revelando A Mentira Em Nossos Tempo
Dr. Michael Laitman em conversa com Oren Levi e Tal Mandelbaum ben Moshe

Resumo

Por que parece que estamos cercados por mentiras? O que podemos aprender com isso a respeito da natureza humana e por que esse estudo é essencial no caminho para o próximo nível de nosso desenvolvimento?

Hoje nós estamos revelando a verdade de que estamos vivendo em uma mentira. A sabedoria da Cabalá nos diz que isso vem da nossa natureza egoísta.

Nós nos desenvolvemos por milhares de anos no egoísmo, e agora a mentira nele está emergindo. Esse é um progresso muito bom. Ninguém neste mundo está limpo do ego, de modo que todos nós somos mentirosos. Ninguém pode ver as coisas objetivamente.

Nós não seremos capazes de avançar a menos que percebamos que nosso objetivo é alcançar o amor ao próximo e que todos devem fazer tudo o que podem pelo bem da sociedade.

A mídia e as redes sociais estão cheias de informações falsas, e cada um ama sua própria mentira. Nós precisamos de um processo geral de educação social através do qual vamos conhecer a nossa natureza e aprenderemos a atualizá-la.

Em breve toda a humanidade descobrirá que a conexão entre capital, poder e imprensa não nos permite funcionar.

O processo evolutivo nos obriga a descobrir que a natureza humana é egoísta e que temos que subir acima do egoísmo, acima da mentira.

De KabTV “Nova Vida # 814 – Revelando A Mentira Em Nossos Tempo” 19/01/17