Textos na Categoria 'Egoísmo'

O Que É O Ego?

Dr. Michael Laitman

Da Minha Página No Facebook Michael Laitman 30/12/19

A natureza humana é o desejo de desfrutar, e o ego é a intenção de desfrutar às custas dos outros.

Leia meu artigo completo

O Método De Correção, Parte 2

laitman_570Cabalá – A Chave Para As Leis Da Natureza

Pergunta: Por que a natureza nos criou como egoístas e opostos a ela? Qual é o propósito?

Resposta: Para que justamente por causa do nosso egoísmo, nos tornemos conscientes de quão terríveis somos como criaturas.

Surge a pergunta: se vemos que o nosso egoísmo é o único obstáculo para alcançar uma vida eterna e perfeita, como podemos corrigi-lo? Como, com a ajuda do ego, podemos mudar a nós mesmos, a sociedade, o ambiente, tudo?

Nesse ponto, surge a necessidade de realmente mudar a nós mesmos. Existem muitos métodos, teorias e ideias diferentes sobre esse tópico, incluindo religiosos e não religiosos, místicos, orientais etc.

Um desses métodos é a Cabalá. Ela se destaca de tudo o mais porque surgiu muito antes do início deles, há 6.000 anos. Segundo a Cabalá, havia um homem chamado Adão. Ele foi o primeiro a compreender toda a matriz, todo o sistema da natureza e desvendou seu plano, seu começo, seu curso e o fim.

Adão lançou as bases para a ciência da Cabalá. Seus estudantes foram Sim, Ham, Yaphet e outros que foram descritos alegoricamente na Torá. Eles continuaram a desenvolver essa ciência até Abraão na antiga Babilônia.

A Cabalá fala de como se unir acima de si mesmo, acima do seu egoísmo. Nesse caso, começaremos a sentir o poder geral da natureza, sua imagem geral. Ficará claro para nós que a natureza é eterna, perfeita, infinita e, o que é mais importante, integral e plena.

Se a tratamos assim, começamos a desvendar suas verdadeiras leis, sua verdadeira forma. Afinal, hoje não sentimos isso. Realmente não a sabemos, e realmente não a vemos.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 07/02/19

Caminho Para Alcançar O Objetivo Superior, Parte 3

laitman_423.01Causas De Mudança Da População Mundial

A sabedoria da Cabalá estuda a ordem da cascata das forças superiores a partir da qualidade que é revelada pela primeira vez em Malchut do Mundo do Infinito, nas quatro fases da luz direta e depois desce até nós através do Tzimtzum Aleph (primeira restrição).

Então, os Partzufim Galgalta, AB, SAG, MA e BON são formados, depois os mundos Atzilut, Beria, Yetzira e Assia, e então a estrutura especial é criada chamada Adam, ou a alma comum, e a destruição dessa alma ocorre. Nós somos os pedaços dessa quebra.

À medida que o egoísmo se manifesta cada vez mais, a fim de criar a possibilidade de algum tipo de ascensão e trabalho com ele, a massa egoísta geral se divide em mais e mais partes. Portanto, em nosso mundo, sentimos que estamos nos multiplicando: a população do planeta cresce.

Por outro lado, se entramos em um relacionamento negativo um com o outro, a destruição e as guerras começam, isto é, certa quantidade da população é removida.

Não é porque a guerra mata as pessoas como pensamos, mas porque neste caso a humanidade não precisa de um grande número de pessoas, ela pode ser reduzida. Se houver sofrimento, menos almas também podem cumprir seu propósito. É assim que se observa um aumento ou diminuição da população na Terra.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 18/08/19

“A Mídia Prosperando Numa Sociedade Cada Vez Mais Egoísta” (Medium)

O Medium publicou meu novo artigo: “A Mídia Prosperando Numa Sociedade Cada Vez Mais Egoísta”.

Dê um passo atrás para ver por um momento a sociedade humana em todo o mundo como um corpo humano. O que você veria? Veria o sistema imunológico funcionando mal e os órgãos que deveriam estar formando um corpo unificado e saudável se desintegrando.

Os problemas pessoais, sociais e globais estão em ascensão, desde depressão, estresse, solidão, vazio, ansiedade, xenofobia, abuso de drogas e suicídio, passando pela igualdade de renda, pobreza, mudança climática e desastres naturais. Apesar dos inúmeros esforços para lidar com esses problemas, há uma camada mais profunda envolvente para todos eles que exige atenção.

Qual é a camada mais profunda? Não é outro senão o ego humano, isto é, o amor próprio e a preocupação pessoal exagerados em todos os órgãos, provocando a degeneração de todo o organismo.

O ego humano passou por um surto recente de crescimento, atingindo níveis recordes: destacou-se de todas as normas anteriormente aceitas, livre da lei e da ordem, e atropela cruelmente estruturas estabelecidas.

Quem pode resistir ao ego quando ele infla seu peito orgulhosamente? Que lei irá bloqueá-lo? Que fator pode impedi-lo?

A Mídia numa Sociedade Egoísta

O ego tem um forte apoio: a mídia.

Hoje, a mídia, e a mídia social em particular, desfruta de influência e poder generalizados que nunca teve antes. A qualquer momento, a opinião pública pode ser desviada de uma maneira ou de outra. Com uma sacola cheia de dinheiro, você pode comprar espaços publicitários, publicações patrocinadas e outros meios de comunicação, sacudindo o que quiser na frente das pessoas.

O dinheiro pode comprar fama, e a fama pode dominar tudo. Dia após dia, um lava o outro, até que todos são gradualmente enfraquecidos e se rendem, e a consciência de todos os órgãos – a polícia e os advogados, os educadores e os juízes, os líderes e os cidadãos – todos caem diante da mídia. Dia após dia, a doença do corpo aumenta; o cuidado com outras pessoas diminui, o ódio por outras pessoas se torna maior e o câncer corroendo o corpo da sociedade humana prolifera em direção à morte do corpo.

Uma Direção Positiva para a Mídia Rumo ao Futuro

A mídia em todo o mundo precisa ser informativa e objetiva, não cativa nas mãos de pessoas e grupos com interesses de riqueza e poder. Ela deveria conhecer seus limites. A mídia tem o papel de nos unir e servir como um instrumento projetado para conectar todos os órgãos em um único corpo saudável.

Quão bom seria se todas as diferentes partes da sociedade se sentassem juntas – a esquerda e a direita, a religiosa e a secular, representativa de todos os diferentes grupos de interesse e os que estão à margem da sociedade – e todos trabalhassem juntos para um chefe: o benefício do público. Todas as suas decisões responderiam a isso e sozinhas. Toda opinião teria seu próprio espaço, nenhuma opinião seria subjugada e nenhuma voz seria silenciada. Eles se sentariam e discutiriam em um amplo fórum, discutiriam posições com especialistas, investigariam os dados, discutiriam e iriam compor até chegarem a uma decisão comum e a uma mensagem comum a ser disseminada.

Uma nova regra orientaria o trabalho deles: publicar notícias e conteúdo que contribuam para o bem-estar do público, que busque unir a sociedade humana. Ninguém teria o direito de debilitar outra opinião, mas apenas equilibrá-la com outras posições e guiar os vários pontos em direção à complementaridade mútua. Se a mídia não chegar a um acordo, nenhum anúncio público será feito. Por outro lado, somente quando a informação beneficiasse a todos ela seria divulgada. Esse pluralismo da mídia começaria o processo de curar a doença de uma sociedade fraturada.

Uma Direção Positiva para a Liderança Rumo ao Futuro

No entanto, não apenas a mídia deve agir em uníssono, mas também a liderança. Se todas as visões procurassem se complementar, abririam um caminho de ouro. Representantes de todos os diferentes setores do público sentariam em torno de uma mesa redonda e buscariam se tornar um modelo unificador para a sociedade atual. Tal liderança seria considerada uma verdadeira democracia: o governo do povo, o governo da maioria, o governo da representação eleita.

O estágio essencial e decisivo seria levar os participantes a se sentirem unificados e criar uma sinergia com as opiniões divergentes. Precisamente quando os opostos alcançam aceitação mútua, a sociedade alcança um novo estágio de desenvolvimento. Essa liderança é o que nosso mundo global e interconectado precisa hoje.

A introdução de uma regra justa e igualitária pode tomar decisões por todos com base no conhecimento de que beneficiariam todo o corpo. Em uma sociedade assim, não haveria necessidade de uma estrela que subisse hoje e caísse amanhã, mas seria suficiente ter um círculo de tantas opiniões diversas quanto possível. Seria o cérebro do corpo da sociedade, e todos o seguiriam de bom grado.

Com essa liderança, ninguém seria convidado a desistir de sua opinião particular. Permaneceria e seria enriquecido por outras ideias diversas e até opostas. A nova situação, que incluiria todas as contradições possíveis, daria origem a um novo desenvolvimento, dando a todos um lugar igual na sociedade. A contribuição única de todos estaria lá para todos verem. Esta é a maravilha da criação mútua.

Assim como todas as células, órgãos ou sistemas do corpo humano atuam sabiamente juntos para garantir o sustento e a saúde de todo o corpo, todas as opiniões se entrelaçam para finalmente beneficiar todo o corpo da sociedade humana.

Embora pareça uma fantasia utópica imaginar a liderança da mídia e da sociedade trabalhando em tal unificação, é apenas pelo fato de ainda não termos implementado nenhum método para conectar-se dessa maneira. O método que pode possibilitar essa conexão positiva repousa no método que Abraão trouxe ao mundo cerca de 3.800 anos atrás: a sabedoria da Cabalá. Apenas um pequeno esforço para analisar essa sabedoria com uma mente renovada, e logo se tornará evidente que existe um método capaz de conectar positivamente a sociedade humana, diagnosticando a causa principal de todos os problemas modernos e oferecendo um método para resolvê-los, trazendo assim uma existência harmoniosa para todos.

Masculino E Feminino, Parte 5

Laitman_407.01Desenvolvimento Das Relações Entre Homens E Mulheres

Pergunta: Como a Cabalá pode ajudar a estabelecer um relacionamento entre um homem e uma mulher?

Resposta: Vemos que, à medida que a humanidade evolui isso se torna cada vez mais difícil. Antigamente, os relacionamentos entre um homem e uma mulher eram regulados pela sociedade: uma vila, uma cidade pequena, religiões, costumes estabelecidos e assim por diante.

Por exemplo, os homens tinham direitos, as mulheres não, e tudo estava organizado dessa maneira. Tudo era muito simples. Uma mulher sabia qual era o seu propósito. Um homem sabia qual era o seu propósito.

Em princípio, ambos entendiam para que existiam e como deveriam viver. Não havia oportunidade de inventar um novo tipo de família, novos tipos de cooperação, como “quid pro quo” ou qualquer outra coisa. Tudo estava calmo e claro.

A menina foi criada na sua família, o jovem na sua. Pelo relacionamento de seus pais, eles viram o que significava viver uma vida familiar. Eles cresceram para isso, casados, e é assim que existem.

Tudo isso continuou até que a humanidade começou a ir além de sua estrutura.

Existem graus no desenvolvimento do egoísmo: desejos básicos, como comida, sexo e família, e desejos sociais de riqueza, honra, poder e conhecimento. Enquanto o desenvolvimento dos desejos não excede os básicos, tudo fica calmo; essas sociedades podem existir normalmente. Elas não têm impulsos elevados.

Quando a sociedade entra no grau em que começa a se interessar por riqueza, poder e conhecimento, surgem problemas porque esses desejos nas pessoas são muito mais fortes do que os desejos por comida, sexo e família.

Portanto, uma pessoa deixa a família para atingir objetivos mais elevados. Em geral, aqui temos a confusão que vemos em nosso tempo.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 31/12/18

Família E Casamento, Parte 7

laitman_600.01Vá Além Do Seu Ego

Observação: Você disse que uma pessoa experimenta instintivamente o primeiro amor aos 12 anos de idade ou até mais cedo. Depois, pela primeira vez, ela sente amor por seus filhos. Tudo isso para sentir o modelo em si mesmo, como se relacionar corretamente com o próximo, com toda a humanidade.

Meu Comentário: Sim. E depois pelo Criador.

Pergunta: Essas relações são semelhantes?

Resposta: Cada vez elas surgem em um nível diferente.

Se estamos falando do amor dos filhos, ou do amor pelos filhos ou pela família, este é o amor natural que existe em todos como um botão, que a pessoa precisa desenvolvê-lo.

Se falamos de amor por estranhos, isso vai além da estrutura do nosso egoísmo. Nosso egoísmo inclui algum tipo de campo: “Isso é meu, e isso e isso”. Seja o que for meu, eu o amo, atraio e aprecio. Não aprecio nada que vá além do escopo do meu egoísmo. Pelo contrário, talvez eu não precise e não queira vê-lo perto de mim.

Portanto, o trabalho em si mesmo é necessário aqui. Aqui eu devo ver o que está além do meu egoísmo. E praticamente fora dele está o Criador. Quando começo a me relacionar com o que está além do meu egoísmo, também me relaciono com o Criador. Portanto, devo determinar minha atitude em relação ao Criador e, com base nisso, relacionar-me com tudo o que está fora do meu egoísmo.

Pergunta: Acontece que, se uma pessoa tem um grande ego, sua estrutura é reduzida? Ela nem sente a família como sua?

Resposta: Sim. Mas isso não significa que ela não pode ir além do próprio ego. Talvez, pelo contrário, desta maneira uma pessoa seja levada adiante, dado o reconhecimento do mal.

Nosso avanço é baseado em contração e expansão: inspiração – expiração, expiração – inspiração. Portanto, se uma pessoa tem grande egoísmo e não sente ninguém além de si mesma, embora, talvez, não perceba, isso a leva a uma compreensão mais profunda do Criador.

Os maiores Cabalistas, antes de serem corrigidos, eram grandes egoístas.

De KabTV, “Fundamentos da Cabala”, 01/01/19

“Black Friday”

Dr. Michael Laitman

Da Minha Página No Facebook Michael Laitman 29/11/19

Todos os anos, logo após o Dia de Ação de Graças, a natureza humana fica louca. Chamamos isso de “Black Friday”. Não vamos nos enganar; os varejistas não estão perdendo dinheiro na Black Friday, estão ganhando muito mais. Então, por que eles não vendem a esses preços o ano todo? Porque nós, clientes, não estamos unidos.

Não estou tentando sugerir que a união em prol da redução de preços nos leve a qualquer lugar. Não vai. Se for o caso, piorará as coisas, porque sempre haverá pessoas que tirarão proveito da situação às custas do público.

Mas se estivermos dispostos a permanecer em longas filas, perdendo muito tempo e esforço para economizar algumas centenas de dólares (na melhor das hipóteses), pensem quanto poderíamos economizar colaborando? Quanto poderíamos economizar construindo nosso compromisso um com o outro, e não apenas com nós mesmos?

Blitz De Dicas De Cabalá – 28/07/19

laitman_962.8Pergunta: A humanidade está evoluindo o tempo todo; isso significa que ela está se tornando mais compassiva, gentil e justa?

Resposta: De jeito nenhum! No processo de desenvolvimento do egoísmo, nos tornamos mais calejados, rudes e deixamos de ser sensíveis um com o outro. Claro, você pode perguntar: “Como pode ser isso? Afinal, os humanos costumavam ser bárbaros!” Sim, mas eles eram mais capazes de se entender. Quanto mais sensíveis nos tornamos, mais sofisticados somos.

Pergunta: Nossos estudos e disseminação estão avançando rápido o suficiente ou não estamos avançando rápido o suficiente?

Resposta: A velocidade depende de você.

Pergunta: Como meu egoísmo desejará a verdade se isso depende da sociedade e também nega essa sociedade ao transcendê-la?

Resposta: Primeiro você deve aprender tudo isso na sua dezena e só depois pensar em outra coisa. Pode levar alguns anos. Portanto, é impossível, por enquanto, falar sobre qualquer outra sociedade. Não construa ilusões. Tudo isso deve ser devidamente organizado na dezena.

De KabTV, “Fundamentos da Cabalá”, 28/07/19

Dissolver Nosso Egoísmo

laitman_963.8Pergunta: Como posso não ter medo da sensação de que estou me dissolvendo?

Resposta: Se uma pessoa se sente muito doente, ela está pronta para se dissolver sem medo. Todo mundo tem momentos em que está pronto para desaparecer, não ouvir nada, não existir.

Se aumentamos a importância da espiritualidade, chegamos a um estado em que vale a pena dissolver nosso egoísmo em prol da espiritualidade.

Da Convenção na Moldóvia “Dia Um” 06/09/19, Lição 2, “Estar Pronto Para Ser Influenciado pela Sociedade”

Correndo Contra O Crescente Egoísmo

Laitman_115.05Pergunta: A conquista do estado futuro no presente é possível porque o futuro já existe na espiritualidade e eu apenas o revelo?

Resposta: Não há presente, passado e futuro. Tudo está determinado em nosso egoísmo. Portanto, sentimos esses parâmetros em nós, em nossas qualidades e em nossos desejos.

Na medida em que nossos desejos são corrigidos, começaremos a sentir o mundo corrigido e como se o escalássemos. Caso contrário, sentiremos o mundo caindo cada vez mais porque nosso egoísmo está em constante crescimento.
Tudo depende da medida em que corremos contra o crescente egoísmo.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 14/07/19