Textos na Categoria 'Egoísmo'

Dissolver Nosso Egoísmo

laitman_963.8Pergunta: Como posso não ter medo da sensação de que estou me dissolvendo?

Resposta: Se uma pessoa se sente muito doente, ela está pronta para se dissolver sem medo. Todo mundo tem momentos em que está pronto para desaparecer, não ouvir nada, não existir.

Se aumentamos a importância da espiritualidade, chegamos a um estado em que vale a pena dissolver nosso egoísmo em prol da espiritualidade.

Da Convenção na Moldóvia “Dia Um” 06/09/19, Lição 2, “Estar Pronto Para Ser Influenciado pela Sociedade”

Correndo Contra O Crescente Egoísmo

Laitman_115.05Pergunta: A conquista do estado futuro no presente é possível porque o futuro já existe na espiritualidade e eu apenas o revelo?

Resposta: Não há presente, passado e futuro. Tudo está determinado em nosso egoísmo. Portanto, sentimos esses parâmetros em nós, em nossas qualidades e em nossos desejos.

Na medida em que nossos desejos são corrigidos, começaremos a sentir o mundo corrigido e como se o escalássemos. Caso contrário, sentiremos o mundo caindo cada vez mais porque nosso egoísmo está em constante crescimento.
Tudo depende da medida em que corremos contra o crescente egoísmo.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 14/07/19

Hikikomori

laitman_959Observação: Existem pessoas no Japão chamadas Hikikomori. São pessoas que se retiram, se isolam, se confinam em seus lares; não vão a lugar algum. Algumas nunca saem de casa e ganham dinheiro trabalhando como freelancers na internet. O Japão tem cada vez mais dessas pessoas.

Meu Comentário: Muito bem. Elas vivem e adquiriram uma identidade virtual para si. Elas devem ter a oportunidade de se desenvolver de várias maneiras através dessa identidade virtual. Cada pessoa decidirá, de acordo com seu próprio egoísmo, o que é melhor e mais conveniente para si.

Elas não custam nada ao governo, não prejudicam ninguém, não matam ou roubam – nada disso. Isso é tudo de bom. Elas não fogem à noite para fazer algo ruim.

Eu colocaria todas as pessoas nessa “dieta”, nesse estilo de vida.

Mas, para alcançar uma vida superior, um propósito mais elevado, adquirir a capacidade de sentir isso, sair de nós mesmos, elevar-se acima dessa escassa coleção de corpos inanimados, vegetativos, animados e humanos, do nosso mundo, para essa ascensão, a pessoa deve sair de sua cela e começar a se unir. Mas una-se da maneira certa!

Pergunta: Elas serão capazes de avançar e crescer depois de algum tempo? O que elas conseguirão sentando-se na solidão e não saindo lá fora? O que vai acontecer com elas?

Resposta: A pergunta sobre o sentido da vida chegará até elas. Isso ocorrerá com cada uma delas.

Estou certo de que as pessoas começarão a se distanciar dessa massa agitada e furiosa, deste “Manhattan” que se espalhou por todo o mundo. Graças às tecnologias emergentes, todo o deslocamento de escritório em escritório, para e do trabalho será reduzido. A humanidade se envolverá em um trabalho interno com a ajuda de computadores, produzindo um produto intelectual mais interno.

Portanto, muitas pessoas estarão confinadas em suas casas, não apenas os japoneses. É ecologicamente correto, mais limpo, mais fácil, mais agradável para as pessoas. Até a Torá diz: “Feliz é quem ganha a vida sem ter que sair de casa”.

Pergunta: Para onde isso nos levará?

Resposta: As pessoas continuam se desenvolvendo, seu desejo continua crescendo, como pretendido pela natureza, desde cima; elas começarão a sentir: “Para que serve tudo isso?”

No momento, a humanidade está preocupada com seus “jogos”, sem perceber que tipo de pergunta está pairando sobre elas. Elas chegarão ao sentido da vida. A verdade.

Pergunta: Um avanço nessa direção? A partir de que, de um clamor?

Resposta: De uma necessidade interna crescente. Na verdade, esse é um sofrimento doce, porque fala sobre a busca, que você é humano!

Pergunta: Isso significa que há uma grande alegria em algum lugar lá fora, mas ainda não a descobri?

Resposta: Sim. Ainda não a descobri, mas está brilhando para mim de longe. Isto é, já estou conectado a ela, mas agora tenho que avançar em direção a ela.

De KabTV,  “Notícias com Dr. Michael Laitman”, 02/07/19

Nova Vida # 275 – O Ego E Eu, Parte 2

Nova Vida # 275 – O Ego E Eu, Parte 2
Dr. Michael Laitman em conversa com Oren Levi e Tal Mandelbaum ben Moshe

A partir de hoje, estamos reconhecendo o mal inerente ao desenvolvimento egoísta e estamos adotando uma nova abordagem na qual todos estamos preocupados com a conexão social, a igualdade e a reciprocidade. Está surgindo uma nova visão que também nos equilibrará com o ambiente ecológico em que vivemos. O verdadeiro eu é aquele que desfruta a vida em toda a sua plenitude. O poder de fazer uma mudança como essa é de natureza latente e a educação integral é o método para localizá-lo. Isso requer um poder superior que é revelado quando todos estão conectados como em um coração.

De KabTV, “Nova Vida # 275 – O Ego e Eu, Parte 2”

Nova Vida #274 – O Ego E Eu, Parte 1

Nova Vida #274 – O Ego e Eu, Parte 1
Dr. Michael Laitman em conversa com Oren Levi e Tal Mandelbaum ben Moshe

O ego é amor-próprio. Sem ele, nada poderia existir, incluindo dor e prazer. O ego se desenvolve através de quatro estágios na natureza: os níveis inanimado, vegetativo, animado e falante ou humano. As pessoas são únicas em seu desejo de explorar outras pessoas para seu próprio prazer. Queremos o que os outros têm. Gostamos de prejudicar e humilhar os outros para nos sentirmos superiores. Quando as pessoas querem se conectar com os outros, elas revelam resistência (a inclinação ao mal). Atingimos o pico do desenvolvimento do ego e estamos evoluindo para uma nova forma de desenvolvimento baseada na conexão e harmonia mútuas com os outros e com a natureza como um todo.

De KabTV, “Nova Vida # 274 – O Ego e Eu, Parte 1”, 29/12/13

Na Gaiola Do Seu Egoísmo

Laitman_115.05Pergunta: Um homem, ao contrário de um animal, pode ver algum tipo de prazer no futuro, calcular os passos e chegar a ele, desistindo do prazer nos estágios intermediários.

Por que, com um intelecto tão grande, ele não consegue calcular racionalmente o estado de equilíbrio com a natureza? Por que todas as suas tentativas racionais de construir uma sociedade equilibrada fracassam constantemente?

Resposta: Porque ele está dentro de sua natureza egoísta. Ele não pode calcular nada.

Comparando um egoísmo em relação ao outro, no que ele ganha ou perde mais, ele ainda se encontra dentro de seu egoísmo. Ele não é livre. Ele não tem o segundo grau de liberdade. O que ele considera liberdade é a ilusão de permanecer sob a influência de uma força coercitiva externa.

Pergunta: Ele não pode calcular: “Se eu usar meu egoísmo, vou me sentir mal?”

Resposta: É assim que sempre tentamos nos afastar dos problemas. Mas isso não significa que somos livres. Eu estou constantemente fugindo de golpes egoístas: uma vara daqui, uma vara de lá, e é assim que caio de manhã à noite.

Veja o que está acontecendo nas ruas, nos ônibus, no metrô, nos escritórios, em todos os lugares. Olhe para todo esse formigueiro humano! Onde podemos falar de liberdade?

Não há liberdade. É possível escolher, a qualquer momento, no máximo, como me parece, o estado confortável de todas as possibilidades. Isso é tudo.

Eu escolho o que me é dado, mas sou sempre limitado. O Criador brilha sobre mim através do estado corrigido, mas ainda não estou corrigido. Naturalmente, não entendo a influência Dele sobre mim. Para onde ele está me levando? O que Ele quer de mim a cada instante? Se não sei isso, que tipo de livre arbítrio pode haver?

Da Lição de Cabalá em Russo 5/12/19

Evolução Dos Desejos, Parte 12

laitman_546.02Para Onde A Cabalá Nos Leva?

Falando francamente, a natureza de cada um é usar a vida de todas as criaturas do mundo para seu próprio benefício. Tudo o que a pessoa dá ao próximo só é feito de forma forçada, sob compulsão. (Baal HaSulam, “Paz no Mundo”)

Pergunta: Baal HaSulam escreve que cada um usa o outro de maneiras diferentes. Apenas cerca de 10% das pessoas têm uma orientação altruísta. Mas ainda assim, como o Baal HaSulam enfatiza, elas são altruístas egoisticamente, em prol de si mesmas.

Resposta: Em primeiro lugar, a Cabalá nos ensina o que é a nossa natureza: somos egoístas absolutos em todos os níveis. Mas não precisamos nos corrigir nos níveis inanimado, animado e vegetativo, porque somos incapazes de fazer isso.

Precisamos nos corrigir apenas no nível humano, isto é, na sociedade. Precisamos criar uma sociedade na qual estaremos harmoniosamente conectados uns aos outros, substituiremos uns aos outros, apoiaremos uns aos outros.

Somente em uma rede de conexão entre si, na comunicação correta entre nós, podemos nos elevar acima do egoísmo. Então todos os outros níveis de egoísmo –inanimado, vegetativo, animal – também se juntarão ao nível humano.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 03/12/18

A Evolução Dos Desejos, Parte 11

laitman_627.1Obstáculo à Unidade

Baal HaSulam, “Matan Torá” (A Entrega da Torá), Item 12: “Um jumento selvagem será transformado em homem” (Jó 11:12), porque quando a pessoa emerge do seio da Criação, está em imundície absoluta e baixeza, ou seja, uma multidão de amor próprio que está impressa nela, cujo movimento gira exclusivamente em torno de si, sem um pingo de doação aos outros”.

Pergunta: A pessoa nasceu originalmente como egoísta. Pelo que entendi, na Cabalá, a percepção egocêntrica é que precisa ser corrigida?

Resposta: Este é um egoísmo específico. Requer correção.

Não se trata de egoísmo animal quando todo mundo instintivamente quer tomar uma certa postura, fazer algum tipo de cálculo para estar bem. Este é um egoísmo natural, não há necessidade de combatê-lo.

Nossos desejos naturais (comida, sexo, família etc.) não são considerados egoístas. As pessoas pensam que é egoísmo e que você deve lutar contra ele. Não, está errado. Precisamos lutar apenas com o egoísmo que desaprova a nossa unidade, estar juntos com os outros em um estado de amizade, conexão e amor.

Portanto, as forças de oposição que surgem quando uma pessoa tenta interagir de alguma forma com outras pessoas são o verdadeiro egoísmo.

Pergunta: Desfrutar às custas dos outros, usar alguém – isso também é egoísmo?

Resposta: Naturalmente, porque essas são também as forças que nos impedem de nos unirmos aos outros.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 03/12/18

Evolução Dos Desejos, Parte 6

laitman_263A Orientação Egocêntrica Dos Desejos

Pergunta: Todos os desejos têm uma orientação egocêntrica?

Resposta: Com certeza! Eu faço tudo apenas em prol do meu amado eu. Mesmo que eu faça algo como se fosse em prol de outra pessoa, é só porque ela é querida e importante para mim.

Pergunta: Então nossos desejos têm uma certa intenção, que visa preencher esses desejos em uma pessoa? O programa de nossos desejos, como dizem os Cabalistas, é o máximo de prazer com o mínimo de esforço.

Resposta: Esta é uma lei da natureza. Em outras palavras, otimização é quando eu quero aproveitar o máximo possível com um custo mínimo, e assim por diante em todos os níveis.

Veja como nos sentamos, como fazemos alguma coisa. Qualquer movimento, mental ou físico, não importa o que pensamos ou fazemos, é realizado de tal forma que nos traga o máximo benefício, prazer e realização. Talvez, ao mesmo tempo, gastemos uma enorme quantidade de energia, por exemplo, quando se joga futebol, não importa. O principal é que sempre tento otimizar meus esforços para meu benefício.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 03/12/18

Evolução Dos Desejos, Parte 5

laitman_560É Possível Nivelar Nossos Desejos?

Pergunta: Dizem que nossos desejos podem ser nivelados, como é costume nas técnicas orientais. O que pode ser feito para querer muito pouco? Afinal, quanto menos você quer, menos você sofre.

Resposta: Isso é verdade, mas somente se eu começar a avaliar meus desejos em termos de prazer ou sofrimento. Então posso chegar à conclusão de que deveria estar disposto a sofrer menos. Este é um certo exercício volitivo com o qual alcanço um estado mais confortável.

Pergunta: Então, como controlo esses desejos?

Resposta: Em princípio, eu não os controlo, mas o desejo de desfrutar ou sofrer menos controla e determina o quanto posso reduzir meus desejos.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 12/03/18