Textos na Categoria 'Egoísmo'

Quando Todas As Necessidades Perdem Valor

538Pergunta: Vivemos em uma época em que a maioria das pessoas tem tudo o que precisa. Como nossas necessidades básicas são atendidas inicialmente, não é mais necessário monetizar o trabalho da sua vida, certo?

Resposta: Depois de um certo período histórico, talvez daqui a algumas décadas, chegaremos a um estado em que os robôs trabalharão em nosso lugar, e as pessoas, em princípio, não precisarão mais de dinheiro, fama ou mesmo conhecimento, porque todos isso perderá valor devido à falta de sentido.

Aos poucos, deixamos de ver o sentido do nosso desenvolvimento corporal e entendemos que tudo está chegando a um beco sem saída, inclusive a ciência. O que revelamos na natureza é, na verdade, um caminho que nos leva ao beco sem saída do desenvolvimento, a uma crise global. Tudo é muito mais amplo e em um nível diferente.

O egoísmo se desenvolve de acordo com certos graus, e agora chegou ao ponto em que se fechou. Ele se dobra, torna-se uma pequena aldeia e, finalmente, vai nos forçar a nos conectarmos, embora não queiramos.

Aqui podemos chegar a uma conexão ou impulsionados por vários sofrimentos, incluindo guerras e destruição, ou percebendo que é necessário porque é a implementação do programa da criação.

De KabTV, “Videoconferência”

Tornando-se Parte De Um Todo Comum

528.01Não há desenvolvimento individual na Cabalá. Ela ajuda se a pessoa se torna uma parte organizada do coletivo.

O fato é que nosso egoísmo para de funcionar. Ele passa por tais estados que nos empurra para fora de si mesmo.

Já completamos o caminho egoísta individual e vemos até que ponto a humanidade não sabe como ir mais longe. No entanto, a Cabalá diz que o próximo nível de desenvolvimento não é o nível de complacência individual, realização ou encontrar algum tipo de nicho para você, mas é o estado em que você atinge pensamentos e desejos coletivos.

Todas as decisões são tomadas apenas no grupo, na dezena. Dez pessoas se conectam umas com as outras em um desejo especial e aspiração de pensamento, no qual de repente descobrem uma força integral comum da natureza, chamada de Criador. Isso é revelado por meio de sua conexão correta quando todos se elevam acima de seu egoísmo e se conectam com os outros como se fossem parte deles.

Elevando-se acima da individualidade e construindo um todo único comum entre si, passam a sentir nele, como em um novo sensor, em um novo sentimento, essa força comum da natureza segundo a lei da equivalência de forma.

De KabTV, “Videoconferência”

Nova Vida 1310 – As Razões Para Perder O Senso De Proximidade Na Família

Nova Vida 1310 – As Razões Para Perder O Senso De Proximidade Na Família
Dr. Michael Laitman em conversa com Oren Levi e Nitzah Mazoz

As conexões na família estão desaparecendo porque o ego cresce continuamente e não quer ser dependente de ninguém. Esse é um processo natural. As pessoas não se sentem mais obrigadas a seus irmãos ou pais.

Ainda podemos aprender como desenvolver uma conexão humana afetuosa na família se ensinarmos nossos filhos sobre o ego e como lidar com as rejeições e a inveja corretamente. Precisamos mostrar a todos o que eles vão ganhar em estar conectados aos outros, fazendo exercícios como, por exemplo, ajudar um irmão diferente a cada dia em cada assunto que surgir.

Podemos aprender a competição positiva comparando quem pode ascender acima de seu próprio egoísmo, a fim de se aproximar dos outros membros da família e despertar o amor neles. A família deve fornecer um senso de apoio, comunicação, compromisso e estar mais próximo em um novo nível quando nos elevamos juntos acima do ego.

De KabTV, “Nova Vida 1310 – As Razões Para Perder O Senso De Proximidade Na Família”, 27/06/21

Percebendo A Finitude Do Desenvolvimento Egoísta

115.06A Cabalá diz que todas as crises que sentimos são necessárias precisamente para percebermos a perversidade e a finitude de nosso desenvolvimento egoísta. Em nossa comunicação, carecemos de uma segunda força positiva. Você não pode viver apenas com uma dessas forças. Nosso mundo é simplesmente desprovido de influências positivas. Tudo se move apenas para obter o benefício e o gozo de cada indivíduo.

Tudo isso deve levar a uma reavaliação de nosso paradigma. Precisamos levar muito a sério o fato de trazer forças positivas para a gestão do nosso mundo, incluindo famílias em desintegração, estados em desintegração, toda a humanidade, e existir entre as duas forças, assim como toda a natureza.

A existência de toda a natureza é baseada em duas forças: positiva e negativa. Em nossos relacionamentos, todos se cobrem com o cobertor. Este é o problema da humanidade, por um lado.

Por outro lado, este é o nosso desenvolvimento para que cheguemos conscientemente à necessidade de suplementar nossa natureza com uma força positiva e à correta interação de ambas as forças.

De KabTV, “Habilidades de Gestão”

“O Que É Egoísmo?” (Quora)

Dr. Michael LaitmanMichael Laitman, no Quora: O Que É Egoísmo?

Egoísmo é o desejo de atrair vida ou forças vitais para si mesmo. Em sua base, a matéria do nosso mundo são diferentes níveis de egoísmo.

Nós, humanos, somos únicos porque, ao contrário do resto da natureza, não usamos nosso ego apenas para as necessidades mais básicas. Os níveis inanimado, vegetal e animal da natureza recebem para si apenas a quantidade de alimento e energia de que necessitam para sua existência.

O egoísmo foi inserido apenas em nós humanos e nos leva a consumir excessivamente. Desfrutamos não apenas de ter o essencial da vida e até de algo extra – mas também gostamos quando outras pessoas carecem de algo e sofrem, ao contrário de nós. Isso nos dá uma sensação de realização ainda maior.

É por isso que consideramos apenas o ego humano como verdadeiramente egoísta em comparação com os outros desejos da natureza. Com exceção do ser humano, o egoísmo não se desenvolve em nenhuma parte da natureza. Por exemplo, um bezerro de um dia é como um touro adulto, ou seja, mesmo os representantes do nível animal completam suas vidas assim que nascem. Seu ego não se desenvolve, ao passo que nós, humanos, nos desenvolvemos por meio de um egoísmo crescente, ao longo de nossas vidas individuais, bem como ao longo das gerações. Cada geração progride devido ao seu egoísmo ser mais desenvolvido do que o da geração anterior.

Esse egoísmo nos empurra para o progresso civilizacional. No entanto, agora que alcançamos o último estágio do desenvolvimento humano, o egoísmo está nos levando a um beco sem saída. Já não sabemos para onde progredir e mergulhamos numa crise global em todas as esferas da nossa atividade.

Em essência, as forças da natureza compreendem um único sistema fechado – além de nós, humanos, que em nosso egoísmo consumimos mais do que o essencial de nossa vida. Precisamente nós, seres humanos, somos os elementos desequilibrados da natureza, pois usamos mais do que precisamos para existir. É por isso que apenas nós, humanos, somos os únicos elementos da natureza que prejudicam outras pessoas, bem como os outros níveis da natureza.

Baseado em Q&A com o Cabalista Dr. Michael Laitman em 9 de setembro de 2006.
Escrito/editado por alunos do Cabalista Dr. Michael Laitman.

No Início Do Desenvolvimento Do Egoísmo

41.01Pergunta: A história de Abraão em Gênesis começa com o fato de que na antiga Babilônia as pessoas viviam como uma nação e falavam a mesma língua. Ninguém governava sobre os outros. Como isso pode ser? Afinal, antes disso, dezenas de milhares de tribos diferentes lutaram entre si.

Resposta: Houve um período na Mesopotâmia, entre o Tigre e o Eufrates, em que não havia contradições no lugar onde os babilônios viviam porque tudo era em abundância. Havia peixes nos rios, a terra fértil dava uma boa colheita e as pessoas não precisavam de nada. Elas nem mesmo invejavam umas às outras e não eram competitivas.

Era tudo muito bom. Ninguém governava os outros, todos eram iguais. As pessoas viviam calmas, como se estivessem preservadas. Isso indica um grau zero (raiz) de egoísmo. Naquela época, ele estava apenas começando a se desenvolver na humanidade.

Em princípio, estamos considerando a antiga Babilônia como o estado inicial da humanidade quando as pessoas ainda não sentiam egoísmo, ganância, inveja e assim por diante dentro de si mesmas.

O grau raiz é o egoísmo morto. Não precisa de mais do que tem. Representa o estado animalesco inicial da humanidade.

De KabTV, “Estados Espirituais”, 11/06/21

Por Que O Homem Deveria Corrigir Sua Natureza?

958Pergunta: Por que devo, como homem, corrigir minha natureza?

Resposta: Você não pode fugir disso. Não temos escolha neste assunto. Como se diz: “Contra a sua vontade você nascei; contra a sua vontade você vive e contra a sua vontade você morre.

Simplesmente temos que cumprir nosso destino na vida, e não apenas uma vida, mas uma série de reencarnações, retornos graduais a essa vida. E não depende de nós; de uma forma ou de outra, temos que completá-la.

Ao longo da história até os dias atuais, fomos conduzidos por um caminho inconsciente. Nós nos desenvolvemos egoisticamente; fomos empurrados para a frente; inventamos todas as variações possíveis de sistemas sociais, estrutura familiar, educação dos filhos; desenvolvemos tecnologias e outras coisas até que percebemos que todo esse desenvolvimento nos leva ao vazio, à depressão, às drogas e à autodestruição. Como resultado, nos encontramos hoje em uma crise global.

O fato é que essa é uma crise de toda a humanidade, de sua desesperança. Mas não fomos consultados sobre isso. O egoísmo continuou se desenvolvendo e nos impulsionando e parecemos estar rolando pela inércia. E agora nos mostrou que todo esse desenvolvimento egoísta puramente automático não tem sentido e que seu único propósito é percebermos que é um beco sem saída.

E agora? Agora surge a pergunta sobre o próximo nível de existência: “Do que se trata?” Mesmo assim, as pessoas tentam fugir da resposta, se afogando em pensamentos de moda, férias, festas ou qualquer outra coisa. Mas, gradualmente, todos esses entretenimento começam a desgastá-las. E as pessoas ficam sozinhas com a pergunta: “Qual é o sentido da minha existência? A vida não tem sentido. Portanto, não vale a pena viver”.

O homem não pode escapar disso. Esse é um caminho natural de desenvolvimento e estamos nele. Cada vez mais pessoas no mundo estão fazendo essa pergunta, não podem se esconder dela, enterrar a cabeça na areia e continuar vivendo como antes. É assim que nossa natureza funciona.

Você não precisa ser mais educado, menos educado, um psicólogo, um cientista ou um intelectual para perceber isso. Eu conheci essas pessoas na América do Sul, na África, em todos os lugares. Tenho alunos em todo o mundo. É que chegou a hora. O Livro do Zohar diz que é a nossa geração que vai começar a fazer essa pergunta seriamente, e é por isso que a Cabalá deve ser revelada.

De KabTV, “Close Up”

“Somos Todos Uma Consciência?” (Quora)

Dr. Michael LaitmanMichael Laitman, no Quora: Somos Todos Uma Consciência?

A natureza se relaciona com a humanidade como um sistema único e completo. Nossa perspectiva atual, no entanto, está fragmentada porque estamos separados em nossa sensação da totalidade da natureza.

A natureza é uma qualidade altruísta pura, enquanto nossa natureza é o oposto, egoísta. Em outras palavras, a natureza se relaciona conosco de uma forma de dar e amar, e nossa atitude é oposta, onde desejamos desfrutar por conta uns dos outros e da natureza.

Consequentemente, embora a natureza se relacione conosco como um todo único, não fazemos essa distinção e existimos em constante oposição à natureza. Nossa oposição à natureza também é a causa de todos os problemas e sofrimentos que experimentamos.

No entanto, a natureza está nos desenvolvendo a um estado em que nosso egoísmo será substituído pela qualidade altruísta da natureza, e nos perceberemos completamente – toda a humanidade – como uma única consciência. Quando alcançarmos essa mudança na consciência, descobriremos uma nova existência harmoniosa que vem do cumprimento das leis da natureza.

Estamos atualmente em uma transição de nossa consciência egoísta individualista para uma consciência altruísta que está equilibrada com a natureza, no entanto, nossos desejos ainda têm que amadurecer o suficiente a tal nível.

A fim de ajudar e acelerar essa mudança inevitável na consciência, para que possamos experimentá-la com prazer e consciência, precisamos aprender a sabedoria da conexão. A sabedoria da conexão explica como a natureza funciona de maneira altruísta, como nossa natureza é oposta e como podemos fazer a mudança de nos percebermos como seres egoístas separados para nos percebermos como um único sistema e alma que está equilibrado com a natureza. Sem esse aprendizado, podemos esperar que mais e mais sofrimento e problemas entrem em nossas vidas, pois o ego humano continuará crescendo em oposição à natureza.

Com base na lição online “Fundamentos da Cabalá” com o Cabalista Dr. Michael Laitman em 17 de março de 2019.

Escrito/editado por alunos do Cabalista Dr. Michael Laitman.

Crescimento, Não Destruição

552.03Pergunta: Vemos que cada geração que vem a este mundo é mais egoísta e mais grosseira do que a anterior. Ela nega os valores da geração anterior. Por quê?

Resposta: Não nega. Necessita apenas de novos valores.

Parece-nos que a próxima geração deve quebrar a anterior. No entanto, ela não lida com a destruição do antigo, apenas lida consigo mesma e constrói uma nova. Enquanto os revolucionários aqui e ali queriam destruir tudo o que era antigo, isso é o que era ruim.

No entanto, se não acontece por meio da revolução, mas como desenvolvimento em si, envolve crescimento, não destruição.

De KabTV, “Close-up”

“Como Posso Destruir Meu Ego (Eu)?” (Quora)

Dr. Michael LaitmanMichael Laitman, no Quora: Como Posso Destruir Meu Ego (Eu)?

Não precisamos destruir o ego.

O que devemos fazer é construir um novo nível de amor, altruísmo e conexão positiva com os outros, e a natureza acima dele. A inclinação para criar uma nova atitude positiva acima do ego é descrita na sabedoria da Cabalá como a cobertura de “amor acima dos crimes”.

Se tentarmos destruir o ego, só o faremos duas vezes pior. Não devemos tocar o ego, nem para diminuí-lo nem para aumentá-lo. Pelo contrário, devemos apenas nos concentrar em construir uma atitude positiva de amor, altruísmo, bondade e cuidado com os outros acima do ego.

O propósito do ego é nos levar à compreensão de sua maldade, que, ao desejar nos beneficiar às custas dos outros e da natureza, prejudicamos a todos, incluindo a nós mesmos. No entanto, tal revelação deve atuar como um trampolim pelo qual saltamos para agir de maneira amorosa e cuidadosa oposta para com os outros acima do ego. Nós então descobriremos como todo o mal em nosso mundo, que é baseado na qualidade egoísta dentro de nós, existe apenas para nos levar ao bem.

Para alcançar vidas mais felizes, equilibradas e harmoniosas, precisamos nos envolver na criação, não na destruição. Se mudarmos completamente nossa ênfase para fora de nosso nível egoísta e nos concentrarmos totalmente na construção de uma nova sociedade de indivíduos positivamente conectados, com fios de amor, altruísmo e bondade habitando em nossas conexões, atrairemos as forças altruístas positivas habitando na natureza para nossas conexões, e começaremos a ver como um novo mundo harmonioso se abre para nós.

Baseado em KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman” em 18 de fevereiro de 2021. Escrito/editado pelo Cabalista Dr. Michael Laitman.
Foto de Liz Dougherty no Unsplash.