Uma Realidade Comum Chamada Kli

laitman_259.02Por que nosso trabalho deveria ser em ocultação e escuridão? Porque inicialmente não sentimos nada espiritual. Somos criados em oposição à qualidade espiritual de doação e amor, a fim de construir pessoas espirituais e reais. O ser humano (Adam) é chamado de “semelhante” (“Domeh“) ao Criador, e precisamos criar isso de nós mesmos.

Como vamos fazer isso? O Criador nos partiu em pedaços e Ele está entre nós. Para revelá-Lo, precisamos nos conectar. Na medida desta conexão – tensão, intensidade, percepção sensorial de nossa conexão, unificação e aspiração -, começaremos a sentir o Criador.

Este trabalho está sendo oculto porque não sentimos e não estamos interessados ​​no que há entre nós. Estamos interessados ​​apenas no que está dentro de nós e no que está fora de nós como se não existisse. A externalidade existe apenas na medida em que sentimos seu benefício para nós mesmos e não mais.

Como posso me transformar em um sensor que sente mais a externalidade do que a interioridade? Parar de sentir o que está dentro de mim significa restrição (Tzimtzum). Começo a sentir que fora de mim está a luz refletida (Ohr Hozer), e o que sentirei nesta Luz refletida, isto é, nos sentimentos que emanam de mim externamente, será chamado Criador.

Portanto, o trabalho está sendo feito em ocultação, no escuro, à noite.

O Criador inventou um truque para nos deixar perceber uma realidade que não devemos perceber. Esse truque é chamado de escuridão. Quando nos parece que estamos perdidos, sem compreensão, conhecimento e sensação, quando estamos confusos, perdidos, caindo em um estado desconhecido e perdendo nossa orientação no mundo, isso significa que estamos no início de um novo estágio espiritual de compreensão e que temos uma base confiável para revelar a luz. Como diz o ditado: “a vantagem da luz é de dentro da escuridão”.

Portanto, o sentimento que entendo ainda menos do que antes cria realmente bons pré-requisitos para avançar. Qualquer novo passo espiritual começa com perda, desorientação e um sentimento de desesperança, isto é, escuridão. Na medida em que sentimos a escuridão, continuamos a fazer esforços e a procurar a luz. A luz está fora de nós e a escuridão é revelada dentro de nós.

É daí que vem todo o método: você deve sair de si mesmo em direção a seus amigos e, no caminho em direção a eles, encontrará a luz. Eles vêm até você e você os procura: é assim que nos ajudamos mutuamente, mesmo com objetivos egoístas. Este já é algum tipo de movimento, como um bebê que pode fazer alguns movimentos inconscientemente. Mas esses movimentos caóticos e inconscientes nos impulsionam para a frente.

A força superior nos dá dicas e brinca conosco. Este Criador cria tudo ao nosso redor. Mais tarde veremos como Ele trabalha em nós. Não há nada ao nosso redor – a realidade que sentimos está em cada um de nós. Então entenderemos que não há cada um de nós individualmente, mas apenas uma realidade comum chamada Kli, HaVaYaH.

Se me sinto perdido, este é um modelo do Criador do meu novo estado. Eu tenho que fechar os olhos e me conectar aos meus amigos. O Criador resistirá a isso, assegurando que não há nada para procurar, porque eles são como eu, e talvez até pior. Enquanto no egoísmo, eu os vejo em um egoísmo ainda maior e em uma escuridão maior.

Mas eu tento navegar nesse estado caótico, saindo de mim mesmo e tentando entender como me conectar com outras pessoas fora de mim, até o sentimento de uma nova realidade lá. 1

Da Lição 4, Convenção Mundial de Cabalá na Moldávia 07/09/19, Regozije-Se Com O Que Nos Falta/Trabalho Em Ocultação

1 Minuto 0:10

Comente