Textos na Categoria 'Trabalho em Grupo'

Por Que A Importância Dos Amigos É Necessária?

laitman_938.02Pergunta: Quando a pessoa fala sobre a importância da sociedade e dos amigos, já é uma conexão dos pontos no coração?

Resposta: A importância da sociedade e dos amigos é necessária para simplesmente saber que é a sua alma. A pessoa pode até imaginar de forma puramente egoísta que não há mais nada além da inclusão neles. Tudo o mais é pura ilusão. Não entendemos isso.

A alma é sua inclusão nos outros. É aqui que você começa a viver verdadeiramente fora do seu eu atual.

Pergunta: Essa é a conexão dos pontos no coração?

Resposta: Isso é alcançado através da conexão entre nós.

Pergunta: Eu devo vir às aulas e reunião de amigos com esta preparação?

Resposta: Sim, durante todo o tempo em que você não está em conexão com seus amigos, deve pensar nela, que esta é realmente a maneira que você quer se realizar entre eles.

De KabTV “A Última Geração”, 06/06/18

“Os Escarnecedores”: Obstáculos Internos Em Uma Pessoa

laitman_528.01Rabash: “De acordo com o que é explicado sobre ‘ama teu amigo como a ti mesmo’”: “No entanto, depois de todas as reuniões, todos calculam e veem o quanto receberam da associação pelo amor-próprio, o que o desejo de receber ganhou com isso, já que investiram tempo e esforço para beneficiar a sociedade. Então, o que eles ganharam com isso? A pessoa poderia provavelmente ter mais sucesso se se engajasse no benefício próprio, pelo menos a parte de seus próprios esforços. Mas, “eu entrei na associação porque pensei que, através dela, seria capaz de ganhar mais do que poderia ganhar sozinha. Mas agora vejo que não ganhei nada”.

Quando alguém deseja dizer que o amor dos amigos deve ser engajado com o propósito de doação, que todos devem trabalhar para beneficiar os outros, todos riem e zombam dele. Parece-lhes uma espécie de piada, e este é o banco dos seculares. É dito sobre isso, “mas o pecado é um opróbrio para qualquer povo, e toda graça que eles fazem, eles fazem para si mesmos”. Tal sociedade separa a pessoa da santidade e a lança no mundo do escárnio. Esta é a proibição do banco dos escarnecedores”.

À medida que a pessoa avança, seu egoísmo cresce, e de repente ela sente que está começando a desconsiderar e zombar dos princípios organizacionais do grupo Cabalístico. Isso surge de dentro de uma pessoa e ele precisa trabalhar com tais perturbações corretamente, transformando-as em ajuda.

Tudo se resume apenas ao trabalho interno.

Pergunta: E se uma pessoa sentir que sua dezena de repente se transformou em uma reunião de escarnecedores?

Resposta: Isso também exige um trabalho interno, porque tudo o que parece estar acontecendo do lado de fora ocorre dentro dela. Ela vê sua própria interioridade.

Pergunta: Então ela deve continuar a trabalhar no grupo?

Resposta: Uma pessoa deixa o grupo apenas se o grupo inteiro achar que não precisa seguir o caminho da conexão. Fora isso, ela precisa começar com o fato de que tudo o que vê, ela vê através de seu próprio egoísmo.

Pergunta: E como ela trabalha com isso? Elevando a importância da meta?

Resposta: Em primeiro lugar, ela se eleva. É assim que ela se analisa. Se ela muda e vê que o grupo mudou, isso significa que essas eram suas vantagens pessoais.

Pergunta: E se ela vê que é agora o escarnecedor: ela está sentada, rindo internamente de tudo? O que ela pode fazer para se juntar aos amigos?

Resposta: Deixe-a pedir ajuda. Ela pode até mesmo explicitamente se voltar aos amigos para ajudá-la.

Pergunta: É possível que o Criador traga pessoas para o grupo e em algum momento este se converta em uma assembleia dos desdenhosos?

Resposta: Tudo é possível. Portanto, é necessário discutir tudo e, principalmente, envolver-se em Arvut (garantia mútua). Se o grupo funciona corretamente, os escarnecedores são apenas distúrbios internos em cada membro em relação aos outros.

Gradualmente, a pessoa começa a sentir que não há nada externo. Ela vê tudo na frente dela, incluindo o Criador, e tudo o que pode imaginar, como existindo dentro dela.

De KabTV “A Última Geração”, 18/04/18

Uma Reunião De Amigos Bem-Sucedida

laitman_942Pergunta: Existe uma diferença entre uma lição e uma reunião de amigos?

Resposta: A reunião de amigos é o meio para revelar o Criador, não a revelação em si. Aprendemos a nos aproximar uns dos outros, de modo que, em nossa aproximação, começamos a descobrir vários fenômenos espirituais.

Na lição, porém, estamos falando da revelação desses fenômenos espirituais: como eles são revelados, de que consistem, do que dependem, e assim por diante.

Pergunta: O que pode ser chamado de uma reunião de amigos bem-sucedida?

Resposta: Uma reunião de amigos pode ser chamada de bem-sucedida quando sentimos que avançamos em conectar nossos desejos até o estado de mesclá-los em um desejo integral coletivo. Uma rede inteira de comunicação surge entre nós, na qual experimentamos uma infinidade de várias combinações e movimentos. Como resultado, eles criam uma sensação da força superior.

Do comportamento da rede de conexão entre nós – como cada um de nós muda em relação aos outros, que mudanças sofremos em nossos relacionamentos – começamos a sentir a revelação gradual do Criador.

Pergunta: Quando lemos O Livro do Zohar, pensamos constantemente na unidade. Para mim, ele é mais poderoso do que uma reunião de amigos, onde cantamos músicas e nos abraçamos. Um pode substituir o outro?

Resposta: Na verdade não. Nós devemos nos preparar corretamente para a conexão. Mas ela vem gradualmente. A princípio, agimos como crianças para as quais você diz o que fazer e elas fazem, e só mais tarde elas começam a entender que sentimento interior reside em suas ações.

De KabTV “A Última Geração”, 06/06/18

“Com Amor Para Ver Apenas Boas Coisas”

laitman_938.05Rabash, “Sobre a Importância dos Amigos”: [Se uma pessoa] “trabalha em si para amá-lo [um amigo], é natural com amor ver apenas coisas boas. E mesmo que haja coisas ruins no amigo, ela não pode vê-las, como está escrito: “o amor cobre todas as transgressões”.

Uma pessoa sente que, além de si mesma, tudo o mais é uma ação do Criador, que controla e empreende tudo. Portanto, ela não pode atribuir ações, pensamentos e impulsos pessoais aos amigos. É tudo o Criador.

Além disso, o Criador lhe dá um pouco de livre arbítrio: como se relacionar com Ele, transformar e se aproximar Dele. E ela já olha para seus amigos como se eles estivessem em total conexão com o Criador.

Pergunta: Quando se diz que “o amor cobre todas as transgressões”, são as transgressões em mim?

Resposta: Claro. Todas as tendências egoístas em relação aos amigos são cobertas de amor. E um constrói em cima do outro porque a Luz vem que lhe mostra tudo. Como não estava lá antes, você via tudo de forma negativa e agora vê tudo de maneira positiva.

O amor é uma atitude para com os outros quando você não vê nada de errado com eles. Você apenas os ama. Eles são mais preciosos para você do que você.

De KabTV “A Última Geração”, 30/05/18

“Tudo Será Com Amor, Amizade”

Laitman_524.01Rabash, “Sobre a Importância dos Amigos”: Mas com o amor dos amigos, quando amigos se unem para criar uma unidade entre eles, isso significa explicitamente que eles são iguais. Isso é chamado de “unidade”. Por exemplo, se eles fazem negócios juntos e dizem que os lucros não serão distribuídos igualmente, isso é chamado de “unidade”? Certamente, um negócio de amor de amigos deve ser quando todos os lucros e posses que o amor de amigos produz sejam igualmente controlados por eles. Eles não devem esconder ou ocultar um do outro, mas tudo será com amor, amizade, veracidade e paz.

Parece que isso descreve os estados ideais. Mas é impossível cumpri-los se o amigo e eu não estivermos conectados através do Criador. Somente graças ao fato de estarmos conectados uns com os outros Nele, podemos nos comportar dessa maneira. Só isso pode nos obrigar.

Pergunta: Que tipo de lucro existe ali?

Resposta: Não importa. O lucro pode ser material ou espiritual. O principal é que somente o contato no Criador pode nos obrigar e nos forçar a aceitar as condições de garantia mútua, unidade e outros requisitos.

De KabTV “A Última Geração”, 09/05/18

Dois Caminhos Do Trabalho Espiritual

Laitman_524.01Rabash, “Sobre a Importância dos Amigos”: Porém, como a pessoa pode considerar seu amigo maior que ela mesma quando pode ver que seus próprios méritos são maiores do que os de seu amigo, que é mais talentosa e tem melhores qualidades naturais? Existem duas maneiras de entender isso:

  1. Ela está indo com fé acima da razão: uma vez que o escolheu como amigo, ela o aprecia acima da razão.
  2. Isso é mais natural – dentro da razão. Se ela decidiu aceitar o outro como amigo, e trabalha em si para amá-lo, então é natural com amor ver apenas coisas boas. E mesmo que haja coisas ruins no amigo, ela não pode vê-las, como está escrito: “o amor cobre todas as transgressões”.

Pergunta: O que é único em cada caminho: trabalhar com amigos na fé acima da razão ou pelo desenvolvimento natural?

Resposta: A fé acima da razão aparece quando a pessoa recebe uma força de cima para ver os outros como maiores que ela, mais próximos do Criador. Portanto, ela começa a tratá-los com mais respeito e cuidado, torna-se mais cautelosa, como se estivesse em equivalência com o Criador.

Aos poucos, agindo com base no fato de que a Luz a obriga a fazer isso, sua atitude para com seu professor e seus amigos, para com tudo que se relaciona com seu progresso espiritual, torna-se seu estado permanente.

A pessoa muda, e a influência de cima que ela sentiu antes aparentemente se dissipa e se integra em sua vida.

Pergunta: Não deveríamos nos preocupar com esses dois caminhos?

Resposta: Devemos estar apenas em antecipação, na expectativa de receber a Luz superior, a força de doação. Nosso trabalho consiste em querer mostrar antecipadamente que já estamos nele, como uma criança brincando de adulto com carrinhos de brinquedo, bonecas etc.

Pergunta: O que a Luz muda em nós através de sua influência?

Resposta: Nosso relacionamento com o ambiente e com o Criador.

Eu vejo que posso usar o amigo corretamente para o nosso objetivo comum. Como regra, eu o vejo já não como um objeto para a aplicação dos meus esforços, mas como parte do Criador. Afinal, não posso me relacionar diretamente com o Criador, mas posso com o amigo. Ele é virtualmente uma esfera externa de meus esforços aplicados enviados a mim pelo Criador.

Pergunta: Por que é melhor ver meu amigo dentro da razão do que na fé acima da razão?

Resposta: É mais natural, pois a fé acima da razão entra em um novo grau. Eu recebo a força que me permite me relacionar com o amigo como com o Criador. Eu me vejo como o único que tem algo para mudar e corrigir. Todos os outros estão apenas agindo de acordo com a vontade do Criador, uma vez que realmente estão em adesão com Ele.

Segue-se que minha fé acima da razão se torna meu estado natural.

De KabTV “A Última Geração” 30/05/18

Meu Futuro Depende Do Meu Amigo

laitman_934Rabash, “Sobre a Importância dos Amigos”: Segue-se que na questão do amor dos amigos, eles se ajudam, o que significa que é suficiente para cada um considerar seu amigo como sendo do mesmo grau que o seu. Mas como todos devem aprender com seus amigos, há a questão de Rav e discípulo. Por essa razão, ele deve considerar o amigo como maior que ele.

Pergunta: Por um lado, o amigo é como um professor para mim; eu sou pequeno comparado a ele. Por outro lado, pareço ser seu professor. Como esses graus se alternam?

Resposta: Eles trabalham simultaneamente, como uma mãe com um bebê. Por um lado, o filho é mais importante para ela, e por outro lado, ela cuida dele o tempo todo e ele parece estar em seu poder. Segue-se que ele comanda ela, e ela, cuidando dele, como se o comandasse.

Se o meu futuro depende de um amigo, ele é o mais importante para mim. Se tudo que eu posso fazer na espiritualidade só é possível através dele, isso significa que sou obrigado a não receber dele, mas dar a ele. Nossa interação deve ser totalmente aberta e completa. Então chegamos a um terceiro estado, quando os dois relacionamentos abertos um com o outro se tornam um único.

Pergunta: Acontece que nos tornamos iguais?

Resposta: Somos tão equivalentes em relação ao nosso objetivo que nosso “nós” desaparece, e um campo comum aparece, uma vida comum, um espaço comum no qual o Criador é revelado.

Pergunta: Onde está a fé acima da razão aqui?

Resposta: A fé acima da razão só aparece quando a Luz desce e nos dá força e começamos a sentir a necessidade de doar. Essa necessidade de isolar-se de si mesmo, doar, irradiar é a realização da fé acima da razão.

De KabtTV “A Última Geração”, 30/05/18

Duas Condições Para Atingir O Criador

laitman_943Rabash, “Sobre a Importância dos Amigos”: Mas no ensaio “Um Discurso para a Conclusão do Zohar ”, está escrito: “A medida da grandeza vem sob duas condições:

  1. Escutar sempre e receber a apreciação da sociedade, na medida da sua grandeza; o ambiente deve ser grande, como está escrito: “Na multidão do povo está a glória do rei”.
  2. Quanto maior o ambiente aos meus olhos, maior a confiança, a força e a capacidade de agir quantitativa e qualitativamente.

O que é mais importante aqui: qualidade ou quantidade? Naturalmente, em nosso estado, a qualidade é muito mais importante. Estamos sempre em pequenas quantidades, mas, como estamos na última geração, precisamos cuidar para que haja qualidade e quantidade. Além disso, ambos são geralmente realizáveis.

Para aceitar a primeira condição, cada aluno deve sentir que é o menor entre todos os amigos …

E para a segunda condição, cada aluno deve exaltar o mérito de cada amigo como se ele fosse o maior da geração.

Pergunta: Rabash dá dois níveis aqui sobre os quais estamos sempre confusos. Se eu sou menor que os outros, eles não são automaticamente superiores a mim?

Resposta: Não! Depende de como você se tornou inferior aos outros. Você também descobriu que eles são realmente enormes que os eleva aos seus olhos e, portanto, se torna inferior ou se rebaixa.

Depende no que você está trabalhando para estar abaixo deles: na elevação deles ou em sua própria humilhação. Existem duas possibilidades, dois tipos de trabalho.

De KabTV “A Última Geração”, 09/05/18

Como Um Pai Em Uma Família

laitman_938.01Pergunta: Como eu devo tratar um amigo que me irrita porque está constantemente atrasado para a aula e dorme durante a aula? Como posso justificá-lo? Você pode dar algum conselho?

Resposta: Rabash tinha uma atitude tolerante em relação a tal situação. Eu mesmo adormecia muitas vezes nas lições porque nossos estados não dependem realmente de como estamos cansados. Portanto, devemos tentar justificar o amigo.

Pergunta: Há um estado em que uma pessoa deve se ver acima dos amigos. Mas nem todo mundo pode fazer isso. Isso significa que ele deveria fazer esforços para isso?

Resposta: Claro. Como eu posso ajudar os amigos se for menor do que eles? Eu tenho que cuidar deles, organizar tudo para eles, fazer tudo que posso. Para isso, preciso me sentir como um pai na família.

Pergunta: Você sempre diz que eu deveria me sentir como um pai, estes são meus filhos e, por outro lado, eu deveria sentir como se estivesse dentro da minha mãe, que o grupo é minha mãe. Como esses dois estados podem existir ao mesmo tempo, na mesma pessoa?

Resposta: Eles não podem estar juntos ao mesmo momento, porque vêm de estados internos completamente diferentes. No entanto, eles podem ser absolutamente adjacentes. Não há problema em que um estado seja instantaneamente substituído por outro. Nós trabalhamos em um modo pulsante.

De KabTV “A Última Geração”, 09/05/18

Como Podemos Alcançar A Igualdade Entre Nós?

laitman_934Rabash, “Sobre a Importância dos Amigos”: Sobre a importância dos amigos na sociedade e como apreciá-los, ou seja, com que tipo de importância todos devem considerar seu amigo. O bom senso diz que, se a pessoa considera que o amigo está em um grau menor do que o seu, ela vai querer ensiná-lo a se comportar de maneira mais virtuosa do que as qualidades que ela possui. Por isso, ela não pode ser seu amigo; ela pode tomar o amigo como estudante, mas não como amigo.

E se ela vê seu amigo como estando em um grau superior ao seu próprio, e vê que pode adquirir boas qualidades dele, ela pode ser seu Rav, mas não seu amigo.

Isso significa que, exatamente quando a pessoa vê o amigo como estando em um grau igual ao seu, pode aceitar o outro como amigo e vincular-se a ele. Isto é assim porque “um amigo” significa que ambas as partes estão no mesmo estado. É isso que o senso comum determina. Em outras palavras, eles têm as mesmas visões e, assim, decidem se unir. Então, ambos agem em direção ao objetivo que desejam alcançar.

É como dois amigos afins que estão fazendo negócios juntos para obter lucro. Nessa situação, eles sentem que têm poderes iguais. Mas se um deles sentir que é mais competente que o outro, não vai querer aceitá-lo como parceiro igual. Em vez disso, eles criariam uma parceria proporcional de acordo com a força e as qualidades que um tem sobre o outro. Nesse estado, a parceria é uma parceria de trinta e três ou vinte e cinco por cento, e não se pode dizer que eles são iguais no negócio.

É impossível sentir-se igual ao seu amigo porque você está constantemente em estados de ascensão e queda. Não há estados iguais na natureza, mas deve haver um desejo de igualdade.

Ao querer ser igual ao seu amigo, uma pessoa se esforça para subir mais alto, descer mais baixo e, assim, atingir gradualmente o estado em que eles se unem em completa conexão mútua, realização, recepção, num estado de comunicação mútua. A soma dos dois estados leva à conexão correta.

Estamos falando da comunicação de diferentes qualidades que deve ser cumpridas e recebidas umas das outras, como um sistema em um estado conectado.

Tal comunicação entre todas as partes da alma quebrada naturalmente requer que um seja mais elevado em algo do que o outro e em algo mais baixo que o outro, e assim por diante. Nós nunca podemos ser iguais porque somos todos diferentes! Portanto, não pode haver comparação entre nós, exceto em nossos esforços para alcançar o objetivo comum.

Se eu me conecto com os outros para conseguir a adesão com o Criador, que é o nosso objetivo comum, nos encontramos totalmente iguais dentro Dele. Aqui, ninguém é grande ou pequeno, é irrelevante em que qualidades cada um de nós está. O principal é que somos todos conduzidos em direção ao mesmo objetivo. Assim, neste objetivo, alcançamos a linha média.

É por isso que ela não existe. Somente quando alcançamos o Criador podemos obter a linha média Nele e a conexão igual entre nós.

De KabTV “A Última Geração”, 09/05/18