Textos na Categoria 'Professor Espiritual'

Meu Professor E Eu

Dr. Michael Laitman

Da Minha Página Do Facebook Michael Laitman 22/09/20

Em uma noite fria e chuvosa de fevereiro de 1979, enquanto eu estava fazendo minhas pesquisas habituais nos livros de Cabalá com meu amigo Chaim Malka, percebi que não havia esperança. “Chaim”, eu disse, “vamos encontrar um professor agora mesmo”. Entramos no carro e partimos para Bnei Brak, uma cidade ortodoxa onde ouvi dizer que as pessoas estudam Cabalá. Enquanto a chuva caía no para-brisa, eu dirigia quase às cegas, com visibilidade zero. Mas fui impulsionado desde dentro; eu tinha que continuar.

Uma vez dentro da cidade, não tínhamos ideia para onde ir. De repente, vi um homem parado na calçada esperando para atravessar a rua. Na chuva torrencial, ele era o único por perto. Abaixei a janela e gritei através da torrente: “Onde eles estudam Cabalá por aqui?!”

O homem olhou para mim com indiferença e disse: “Vire à esquerda e dirija em direção ao pomar. No final da rua, você verá uma casa em frente a ela; é onde eles estudam Cabalá”.

Naquela casa perto do pomar, eu conheci meu professor, Rav Baruch Shalom HaLevi Ashlag (RABASH), o filho primogênito e sucessor do Rav Yehuda Leib HaLevi Ashlag, o maior Cabalista do século XX, que era conhecido como Baal HaSulam (autor de o Sulam) após seu comentário Sulam (Escada) sobre O Livro do Zohar.

Durante os próximos doze anos, eu fui assistente pessoal do RABASH e me tornei seu discípulo principal. Estudei com ele três horas pela manhã e duas horas à noite com todos os outros. Também estudei com ele enquanto estávamos sozinhos, enquanto o levava em seus passeios diários à praia ou ao parque. Estudei com ele a cada dois fins de semana, quando nós dois passávamos os fins de semana na companhia um do outro, e estudei com ele quando ele ficou hospitalizado por um mês em duas ocasiões. Fiz-lhe todas as perguntas que pude sobre espiritualidade, seja durante as aulas ou enquanto dirigia, ou em qualquer outra oportunidade. Eu perguntei a ele porque precisava saber. Eu sabia que ele era o último dos moicanos, o elo final em uma linhagem que remonta a milênios, e sabia que teria que manter esse ensino. Gravei cada lição e tomei nota de suas palavras. Absorvi dele tudo o que pude, o significado externo e interno das palavras, para que pudesse transmiti-las quando chegasse a hora.

Depois de alguns anos, quando o RABASH me disse que eu precisava de amigos para praticar o trabalho espiritual, trouxe-lhe quarenta alunos. Para eles, ele começou a escrever seus ensaios inestimáveis ​​sobre o progresso de alguém de uma pessoa normal para um Cabalista – que conhece as sutilezas mais íntimas da natureza humana e o relacionamento com o Criador.

Os ensaios do RABASH pavimentaram o caminho não apenas para seus alunos, mas para todos nós, individualmente. Agora, esses ensaios são um farol que mostra o caminho para quem deseja alcançar a espiritualidade. Eles nos ensinam como nos relacionarmos uns com os outros e como nos relacionarmos com os sentimentos e estados que descobrimos dentro de nós ao longo do caminho. RABASH, assim como seu pai à sua maneira, foi um pioneiro, um pioneiro de coragem, compaixão e amor sem fim pela humanidade.

Após sua morte em 1991, as pessoas me pediram para começar a lecionar. RABASH me encorajou a ensinar enquanto eu ainda estava com ele, então quando as pessoas me abordaram eu consenti e formei um grupo de estudo que chamamos de Bnei Baruch (filhos do Baruch). Na verdade, aspiramos antes e aspiramos agora a merecer o nome e ser os filhos espirituais do meu professor.

Hoje, ao comemorar o 29º aniversário de sua morte, é minha esperança que continuemos a merecer o nome de Bnei Baruch, a trilhar seu caminho de amor e unidade, e a espalhar a sabedoria autêntica da Cabalá em todo o mundo para todos alma com sede.

“E uma vez que adquiri uma vestimenta de amor, centelhas de amor começam a brilhar dentro de mim, o coração começa a ansiar por se unir aos meus amigos, e parece-me que meus olhos veem meus amigos, meus ouvidos ouvem suas vozes, minha boca fala com eles, as mãos se abraçam e os pés dançam em um círculo, em amor e na alegria junto com eles. Eu transcendo meus limites corporais e esqueço a vasta distância entre meus amigos e eu … e parece-me que não há realidade no mundo exceto meus amigos e eu. Depois disso, até mesmo o ‘eu’ é anulado e imerso, mesclado nos meus amigos, até que me levanto e declaro que não há realidade no mundo senão os amigos” (RABASH, Carta nº 8).

Concordando Com O Professor

604.01Pergunta: Se eu realmente não entendo o que o professor me diz ou não concordo com o que ele diz, isso interfere em eu receber a luz através dele?

Resposta: Você precisa aceitar tudo o que o professor fala como a verdade absoluta, e ao mesmo tempo escrutinar, porque se você não concorda com algo, deve entender e concordar, pois é por isso que você se desenvolve.

Ninguém o está forçando a fechar os olhos e concordar com o professor antecipadamente, mas você é chamado a aceitar a perspectiva dele e alcançar o estado em que a alcançará e concordará com ela. Se você começar a ver as falhas com antecedência, não avançará.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 16/09/18

Apegar-se Ao Professor

444Pergunta: O que significa apegar-se ao professor e senti-lo, e o que significa receber a luz por meio do professor?

Resposta: Apegar-se ao professor e senti-lo são duas coisas diferentes. Apegar-se ao professor significa tentar fazer tudo o que ele lhe aconselha, aprender tudo o que ele lhe ensina. Você só pode se apegar ao professor se cumprir todas as suas exigências e ajudá-lo, talvez até no seu dia a dia, mas principalmente no processo de estudo e disseminação.

Dedique-se a servir não à pessoa, mas ao que ela representa, e então você descobrirá que é assim que você começa a alcançar o mundo superior.

De ,KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 16/09/18

Perpetuar O Nome?

laitman_294.2Pergunta: As escolas de educação integral que serão abertas pelos seus alunos devem receber o seu nome?

Resposta: Por que diabos? Antes de tudo, eu não inventei nada novo, então não devo fazer nada aqui. Não me atribua nada.

Nossa organização tem o nome do meu professor, o RABASH. Nosso centro está localizado em uma rua com o nome dele em Petach Tikva, Israel. Eu não preciso de mais nada.

Eu ensinarei a milhares de pessoas o método Cabalístico, e elas irão além. Pessoalmente, eu vou desaparecer nelas. Esse é o meu sentimento.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 17/05/20

Como Encontrar Guias No Caminho Espiritual?

laitman_530Pergunta: Como um grupo de amigos recém-criado encontra um professor?

Resposta: Encontrar um professor é um problema. Você precisa escolher um professor de verdade que não oculte o objetivo e tenha experiência em como levar as pessoas a ele.

Ele, por sua vez, também teve o professor certo e não esconderá de você que o caminho não é fácil, é longo e difícil, mas ele o levará adiante de maneira consistente. Ele não apenas liderará, mas seguirá esse caminho junto com você. Claro, ele já está em um nível diferente, mas ainda vai com você.

Eu não acho que hoje você possa encontrar esses professores, “guias” no caminho espiritual, exceto entre meus alunos. Não estou apenas anunciando-os a você, não há outros no mundo.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 26/04/20

Para Meus Alunos, Amigos E Seguidores

Dr. Michael Laitman

Da Minha Página No Facebook Michael Laitman 15/06/20

Estamos vivendo em um momento especial. As conexões ocultas que nos unem a um todo emergiram e exigem nossa atenção. Nesse momento, todos somos responsáveis; somos responsáveis ​​um pelo outro. O que cada um de nós faz, diz e pensa, afeta todas as pessoas e todo o planeta.

Por esse motivo, agora devemos buscar a unidade mais do que nunca. Devemos persegui-la acima de tudo o que nos separa: raça, cor, religião, gênero, idioma, cultura, história, alfabetização, mentalidade e caráter. Somos um corpo, um organismo e, em um organismo, não há ódio entre os órgãos, apenas amor, respeito e gratidão a cada órgão por desempenhar seu papel único. Agora que estamos todos conectados, podemos ver que nós, a humanidade, somos como qualquer organismo. Todos somos dependentes um do outro e, portanto, devemos cuidar um do outro.

Quando nos ajudamos a crescer e expressamos a singularidade de cada um, não o fazemos por outra pessoa; estamos fazendo isso por nós mesmos! Quando cada um de nós está feliz, todos nós estamos felizes. É assim que funciona em um organismo. E quando trabalharmos como um organismo, descobriremos o poder que existe na unidade. Esse poder, que permite que toda a realidade trabalhe em harmonia, existe entre nós. Se construirmos nossas conexões em congruência com esse poder, sentiremos que ele preenche as cavidades entre nós. Então, todo ódio e angústia cessarão.

Nestes tempos especiais, todas as pessoas na humanidade são convocadas a participar da unidade e espalhá-la por toda parte. Quanto mais amplo a espalharmos, mais a sentiremos. Por esse motivo, estou pedindo a todos os meus amigos, alunos e seguidores que compartilhem essa mensagem. Compartilhem as postagens na minha página sempre que puderem; coloque-as em sua parede e em grupos onde vocês são membros. Vocês não estão fazendo isso para si mesmos; estão fazendo isso pelo mundo, para espalhar a unidade e amar o mundo inteiro. Nunca antes o espalhamento de amor e unidade foi tão premente e essencial do que é hoje. Ao fazer isso, vocês estão curando a humanidade do ódio; vocês estão anunciando solidariedade, amizade e felicidade em um momento de grande transformação. Está em suas mãos determinar se passamos por ela de maneira agradável e fácil, ou dolorosa e lenta.

Por favor, espalhem a palavra,
Michael

Um Professor Da Sabedoria Da Cabalá

laitman_582.01Pergunta: Aqueles que ensinam cursos sobre a sabedoria da Cabalá não alcançaram o estado que ensinam. Como uma pessoa pode transmitir o que não alcançou?

Resposta: Você acha que um professor de matemática precisa necessariamente ser um triângulo ou um quadrado?

Comentário: Eu acho que ele precisa entender o que é.

Minha Resposta: Um professor fornece acesso ao conhecimento para que você possa entrar em contato com ele, conectar-se e integrar a ele de acordo com o método que ele lhe ensina. De qualquer forma, ele não pode transmitir seus sentimentos espirituais a você.

Pergunta: Estes são sentimentos subjetivos, é claro. Você está em um estado corrigido?

Resposta: Eu não vou lhe dizer. Abra seus olhos um pouco mais amplamente e você verá.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 15/12/19

Duas Fontes De Conexão Com O Mundo Espiritual

laitman_528.02Pergunta: Nossa conexão com o mundo espiritual é através de um livro escrito por Cabalistas ou através de pessoas que já atingiram esse sistema?

Resposta: Não, é muito difícil obter uma conexão com o mundo superior através de um livro. Só pode ser através de um professor e, constantemente, de geração em geração.

O livro não substitui a comunicação com um professor Cabalista. Você pode ler muitos livros que podem direcionar uma pessoa para o objetivo certo, mas você pode alcançá-lo apenas aprendendo com o professor certo.

Além disso, nem todos os Cabalistas, aqueles que atingiram o mais alto estado da natureza, podem ser professores. Depende da raiz da alma. Alguém tem, alguém não. Como em nosso mundo: uma pessoa pode ser um grande cientista, mas um péssimo professor, ou seja, não recebe essas habilidades. Mas, por outro lado, há quem ensine muito bem, mas elas próprias são pequenas.

Pergunta: Então, a conexão com o mundo superior ocorre através de dois componentes: um professor e um livro?

Resposta: Sim. Portanto, essa ciência é chamada de “Cabalá”, ou seja, “recepção”, inclusive do professor.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 10/06/19

Sintonia Com O Superior

laitman_267.01Não somos capazes de entender a visão do superior que pensa em um nível diferente e, portanto, não concordamos com ele. Não importa o quanto eu verifique minhas conclusões e as conclusões do superior, apenas fico cada vez mais convencido de que isso é inaceitável para mim.

A visão do superior parece-me irracional, desapegada da realidade, uma fantasia ingênua. Segundo meu entendimento, não pode ser verdade.

Depois de ter verificado várias vezes e ter certeza de que não há como justificar o superior, eu paro dizendo: “Agora vou aceitar a opinião do superior acima da minha razão, mesmo que isso contradiga a minha opinião”. E é porque é contra o meu entendimento que eu a aceito pela fé acima da razão e me alegro com a oportunidade de fazer isso.

Se não posso aceitá-la, peço ao superior que me dê forças para fazer isso, porque passo pela fé acima da razão e aceito a opinião do superior. Está claro para mim que meu conhecimento permanece na base e o conhecimento do superior é superior, um em cima do outro.

Isto é, eu não substituí meu conhecimento, entendimento e percepção anteriores pelo conhecimento, entendimento e percepção do superior, como em nosso mundo as crianças aceitam a opinião dos adultos. No espiritual, eu permaneço com minha própria opinião e, além disso, recebo a opinião do superior e trabalho de acordo com ela. Nesta forma, eu existirei na realidade espiritual.

Minha opinião, verificada mil vezes, com a qual permaneci, é chamada de conhecimento. E a opinião do alto, também verificada por mim mil vezes, se torna minha fé, superior à minha razão, porque a considero verdadeira, embora, de acordo com meu entendimento, ela não seja real.

É claro que isso não está de acordo com a lógica racional do nosso mundo, mas é assim que a ascensão espiritual ocorre e a percepção do mundo superior é revelada. Mesmo agora estamos na realidade superior, então por que não sentimos isso? Porque ainda não podemos substituir nossa sintonização pela realidade espiritual correspondente, ou seja, sintonizar nosso coração e mente com a percepção do mundo superior.

E mesmo que eu ainda não entenda o mundo superior e não possa revelar sobre o que os Cabalistas estão falando, eu deveria estar agradecido por ter me permitido, pelo menos, me aproximar dele e ouvi-lo. Estou feliz por estar entre aqueles que estão se movendo em direção à entrada no mundo espiritual – isso por si só é um grande privilégio e um presente pessoal do Criador. Portanto, eu estou cheio de gratidão e alegria e abençoo a força superior pela grande misericórdia comigo.

É muito importante desenvolver tal atitude em si mesmo, um desejo de se aproximar do Criador, agradecê-Lo e fazer todo o necessário para poder servi-Lo de alguma maneira.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 17/04/20

Uma Moeda De Ouro Em Um Bolso Vazio

laitman_622.01Um bom exemplo de fé acima da razão está contido na história de David Leikes, um estudante do Baal Shem Tov. O aluno diz que eles se sentaram com o professor em uma refeição no final da noite de sábado, e ninguém tinha um centavo no bolso, pois todos eram muito pobres.

De repente o professor disse-lhe: “David, dá-me dinheiro para comprar hidromel”. E o aluno colocou a mão no bolso, sacou uma moeda de ouro e deu a ele.

Como poderia ser isso, quando ele sabia que seu bolso estava vazio? Mas como o superior havia dito a ele para lhe dar dinheiro, ele não hesitou em enfiar a mão no bolso e tirar uma moeda. E isso não é um conto de fadas, mas uma história verdadeira.

Isso é chamado de fé acima da razão. Ele sabia que não havia nada no bolso, mas quando o professor lhe disse para tirar o dinheiro do bolso, ele não tinha dúvida de que devia haver o dinheiro do qual o professor estava falando, porque esse é um grau de realidade diferente. Por isso, o aluno colocou a mão no bolso e tirou uma moeda.

Não podemos julgar o mundo espiritual a partir do nível deste mundo ou julgá-lo a partir do nível do mundo superior. É exatamente o mesmo que acontece com as crianças pequenas: se você quer entender por que o bebê está chorando, qual é o pesar dele, precisa descer ao nível dele e entrar no estado dele. Então saberemos o que ele sente, o que vê e por que chora. Não podemos entender a causa da altura do nosso nível, mas apenas ver o efeito.

A sabedoria da Cabalá nos ensina como se vestir no estado superior e, em seguida, ser capaz de revelá-lo, entender e sentir onde conseguimos todas as ordens que nos governam. Então agora, quando eu falo sobre esta moeda de ouro, sobre o estado espiritual que temos que revelar, você pode seguir o professor com fé acima da razão e tirar o ouro do seu bolso?

Eu lhe digo que você está no fim da correção – este é o verdadeiro estado imediatamente criado na criação do mundo, só que você não o sente! Mas, de fato, nossa condição é perfeita, então coloque a mão no bolso e retire a correção final!

Um professor de Cabalá é um guia no caminho espiritual e você deve segui-lo com os olhos fechados.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 23/04/20, “Sobre Acima da Razão”