Textos na Categoria 'Professor Espiritual'

Segredo Pessoal Do Cabalista

laitman_961.2Pergunta: Você alcançou pessoalmente o entendimento das leis do mundo espiritual? Isso o ajudou a alcançar um relacionamento pessoal com o Criador?

Resposta: Não posso falar sobre isso; nenhum Cabalista responderá a essas perguntas para você. Este é o segredo pessoal do Cabalista.

Que bem faria se eu dissesse “sim” ou “não”? Isso não lhe dará nada. Portanto, é melhor tentar conseguir tudo sozinho e ver como isso acontece.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 27/10/19

Blitz de Dicas De Cabalá – 27/10/19

laitman_600.04Pergunta: Quando eu alcançar a raiz superior, ainda terei o desejo de mudar alguma coisa nos ramos?

Resposta: Certamente! Porque precisamos alcançar total semelhança com o mundo superior precisamente enquanto estamos em nosso mundo para conectar os dois mundos. É por isso que existimos.

Pergunta: Se uma mulher é leal a seu professor Cabalístico, ele pode transmitir seu conhecimento a ela? Ou isso afeta apenas homens?

Resposta: Não faz diferença se é uma mulher ou um homem. A lealdade não precisa ser do professor Cabalista, mas do método de correção.

Pergunta: Por que um professor transmite informações especificamente através de alegorias?

Resposta: De que outra forma é possível falar sobre o mundo espiritual, se não através de algum tipo de exemplo ou história? Você vê que é necessário causar algum tipo de impressão em nosso mundo, apresentar algo semelhante, para que o estudante entenda que, tanto quanto parece, o assunto acontece assim no mundo superior. Caso contrário, ele não pode transmitir esse conhecimento. Portanto, há um lugar para alegorias e todos os tipos de símbolos na sabedoria da Cabalá.

Pergunta: De onde vem o desejo de uma pessoa de encontrar um professor ou um guia?

Resposta: Isso não depende da pessoa; é assim que a atraem para um professor e, através do professor, para um objetivo maior, para a raiz de sua alma.

Pergunta: Como alguém trabalha com fontes externas que provam a verdade da sabedoria da Cabalá?

Resposta: Não conheço outras fontes! A resposta é final e definitiva. Se uma pessoa está em fontes externas, isso significa que está simplesmente se confundindo, não tem esperança de descobrir nada corretamente.

Pergunta: No futuro, haverá um chefe da organização Bnei Baruch, um novo professor, ou haverá uma dezena?

Resposta: O que você quer dizer com no futuro? Ainda hoje temos professores além de mim. São dezenas de meus estudantes. Qualquer pessoa que tenha sido designada como palestrante por nossa organização é um professor que eu posso recomendar a você. E, como em qualquer outra ciência, cada um ensina em seu próprio estilo, e você já escolhe por si próprio.

Pergunta: O que vale a pena copiar de um professor?

Resposta: Não há necessidade de copiar nada, exceto como o professor mostra ao estudante o quanto ele deseja alcançar essa sabedoria, descobri-la. Você deve ter inveja de um professor que tem um desejo tão grande, mesmo que ele já esteja envolvido com a sabedoria da Cabalá há muitos anos. Por exemplo, eu já estou envolvido com isso há 40 anos e, no entanto, meu desejo não diminuiu.

Pergunta: Um professor precisa desviar um estudante intencionalmente do caminho para o seu desenvolvimento? Ou o professor o guia apenas suavemente?

Resposta: O professor não desvia o estudante do caminho. É o egoísmo natural do estudante que não permite que ele concorde plenamente com o professor e o desvia do caminho. Mas, ao mesmo tempo, mudanças como essas também são úteis.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 27/10/19

Viva Em Uma Ideia

Laitman_165Pergunta: De que maneira o professor depende do estudante na transmissão do conhecimento espiritual?

Resposta: De várias maneiras. O professor precisa tentar abrir o estudante, para ajudá-lo a sintonizar uma onda comum com o professor. Eles devem tentar não apenas entender um ao outro, mas viver juntos através de uma ideia que está gradualmente imbuída de sensações comuns.

Pergunta: O que significa se tornar um estudante de um Cabalista?

Resposta: Ser estudante de um Cabalista significa querer o mesmo sentimento, entendimento e pensamento que o professor.

Pergunta: Quais regras um estudante deve observar em relação a um professor Cabalista?

Resposta: O estudante deve tentar se apegar aos pensamentos de seu professor e tentar entrar nele o mais profundamente possível. Nada mais é necessário. Para isso, existem métodos auxiliares que ajudam o professor em suas atividades.

Mesmo na ciência comum, muito depende da proximidade do estudante com o professor. Na Cabalá, é ainda mais porque um Cabalista passa para seus estudantes não apenas conhecimento, como professor para estudante, mas sensações que não podem ser sentidas pelos sentidos e qualidades comuns. Portanto, é necessária uma proximidade muito maior aqui – uma conexão comum entre eles. No entanto, isso é alcançado gradualmente.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 27/10/19

Proximidade Entre Professor E Estudante

laitman_588.03Pergunta: Quando você, como estudante do Rabash, descobriu uma desconexão interna do seu professor, como se reconectou a ele?

Resposta: Isso acontece com muita frequência. Devemos seguir isso e tentar nos aproximar literalmente a cada minuto. Em princípio, qualquer avanço é baseado na proximidade com o professor. É o único caminho.

Pergunta: Os novos estudantes querem se aproximar do professor o mais rápido possível. Mas eles ainda não entendem o assunto. Quão importante é contê-los e explicar que eles precisam primeiro aprender o básico da Cabalá e depois se apressar para se conectar a você?

Resposta: Em que base vamos construir a conexão? Não é inútil. Tudo se resume ao fato de que juntos avançamos em direção à meta. Eles se sustentam, eu os apoio, e é assim que avançamos.

No começo, quando uma pessoa está começando seu estudo, nem se sabe do que se trata, para que está apressando, por que foi trazida para cá e o que deve desejar.

Portanto, acho bom que nos primeiros seis meses nos encontremos uma vez por semana.

Quando comecei a estudar com o Rabash, eu frequentava suas aulas todas as noites por duas horas. Somente depois de dois ou até três anos ele me permitiu me aproximar dele.

Não sei com que frequência você estuda, mas se você puder dedicar 10% de suas atividades gerais para se comunicar comigo, ficarei muito feliz.

De KabTV, “Fundamentos da Cabalá”, 27/10/19

Elevar-se À Raiz Da Alma

laitman_276.04Pergunta: Que caminho a Cabalá oferece para gerenciar o destino de uma pessoa?

Resposta: Antes de tudo, é necessário elevar-se à raiz da sua alma, pelo menos no grau mínimo, a partir do qual já é possível entender o que está acontecendo com você em algum grau. Para participar do gerenciamento, você precisa subir pelo menos três etapas: Ibur (concepção), Yenika (amamentação) e Mochin (idade adulta).

Depois de subir apenas um grau, o aluno tem pelo menos uma ideia de como os sinais de controle descem até ele e o operam. Ele começa a entender de onde recebe conhecimentos, desejos e opiniões diferentes, onde as decisões estão sendo implementadas e já recebe seus resultados.

Caso contrário, parece-lhe que tudo acontece nele. Devido à falta de entendimento de onde todos os sinais nascem, ele pensa que isso está dentro dele.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 27/10/19

Amarre-se Firmemente À Fonte

laitman_962.3A sabedoria da Cabalá difere de todas as outras ciências, pois esse conhecimento e realização são transmitidos de geração em geração, de Cabalista a Cabalista, pela cadeia contínua que começou com Adam HaRishon. Adão é chamado o primeiro homem, porque foi o primeiro a receber a revelação do Criador. Depois dele, esse conhecimento foi passado por todas as gerações: vinte gerações, de Adão a Abraão e de Abraão em diante. Em cada um desses estágios: Adam HaRishon, Noé, Abraão e assim por diante, essa sabedoria foi passada e desenvolvida.

A Cabalá é especial porque o aluno não recebe conhecimento, mas uma conexão com a fonte. O aluno deve se conectar ao professor e receber tudo através dele. Ele não tem outro caminho, porque o professor está à sua frente na cadeia que se conecta à fonte dessa sabedoria que se estende de Adam HaRishon até o mundo do infinito.

A transmissão do conhecimento Cabalístico depende da conexão entre o aluno e o professor. A transmissão principal e mais elevado é “de boca a boca” (“Peh el Peh”), ou seja, através das telas mútuas que funcionam entre eles. No entanto, deve haver pelo menos a transmissão “de boca a ouvido” (“Peh el Awzen”) – a primeira etapa do treinamento.

“Cabalá” significa recepção da luz que reforma e depois da luz interior. Abrir o caminho para a luz só é possível através de uma tela mútua, através de esforços mútuos do aluno e do professor. No entanto, estudando essa sabedoria sozinho, um aluno pode receber apenas conhecimento abstrato. No entanto, se falarmos sobre a verdadeira sabedoria da Cabalá, isto é, do fornecimento de sabedoria espiritual, isso só será possível através da transferência de professor para aluno ou grupo de estudantes. Aqui é necessário formar um vaso especial (Kli), um instrumento para receber a mensagem espiritual passada de uma fonte superior para uma inferior.

Isso não significa que um aluno deva ser inferior ao professor em sua realização espiritual. Um exemplo disso é o Ari, que se levantou acima de todos os Cabalistas que o precederam. Não é necessário que cada um que sucede nesta cadeia seja menor que os anteriores. Isso se refere apenas à entrega desse conhecimento, mas sua revelação em cada Cabalista corresponde à raiz da alma e aos esforços que ele tem feito.

Esse fio de transmitir a sabedoria da Cabalá se estende de Adam HaRishon a outros Cabalistas, e todos que desejam se tornar um Cabalista, isto é, receber realizações, devem se conectar com o professor. Ele não pode avaliar quão alta é a realização do professor, e isso não importa. Se esse fio desceu em cascata dessa maneira e lhe foi revelado, ele deve se amarrar o mais firmemente possível à fonte, ao professor e tentar receber a sabedoria da Cabalá dessa fonte.

A coisa mais importante na Cabalá é: Com quem você aprendeu? Esta é a primeira pergunta: quem é seu professor? A principal preocupação do aluno é esclarecer se ele está aprendendo o que é ensinado. Isto é, deve estar o mais próximo possível da mensagem que o professor deseja transmitir a ele, a fim de se conectar ao professor e, através dele, a toda a cadeia que se estende até Adam HaRishon. 1

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 20/11/19, Fé no Rav

1 Minuto 0:20

Unir-se Em Um Nível Mais Interno

laitman_962.5Antes de perguntarmos, a pergunta desce do alto e entra em nossa mente e sentimentos. Só então sentimos e perguntamos. O Criador nos responde através dos livros e professores.

Somos completamente controlados de cima, e tudo o que resta fazer é nos anular. Somente se anulando podemos sentir que fizemos algo sozinhos e não apenas recebemos do Criador. A anulação envolve nossa participação, nosso livre arbítrio. Podemos não saber como ou o que fazer, mas, através da fé acima da razão, escolhemos fazer parte da zona neutra acima da razão. Se não fosse essa parte minúscula, mas mais importante, não existiríamos como criações, mas seríamos semelhantes à natureza inanimada, vegetativa e animal. 1

Neste mundo, recebemos os amigos, a dezena, o professor e o método. Todos juntos, é chamado meu professor, ou seja, aquilo que me liga ao objetivo da criação, ao propósito da minha vida.

O conceito de professor inclui o seguinte:

– Uma pessoa que estudou mais do que eu,
– Um grupo de amigos com quem eu avanço,
– Um método passado pelo professor,
– Os livros que chegaram aos nossos dias através de muitas gerações,
– O Criador ao qual aspiramos através de nossa conexão com os livros e com o professor.

Eu combino tudo isso em um, para que, ao me relacionar com ele da maneira correta e acumular uma certa quantidade de ações, eu alcance um resultado palpável.

Eu devo me anular diante do Criador para avançar. É aqui que o professor me ajuda, direcionando-me não para si mesmo, mas para o Criador, bem como para o grupo que me direciona não para o grupo, mas para o Criador. Assim, “Israel, a Torá e o Criador” me apontam para a força superior. Eu posso me anular diante do Criador me anulando diante do professor e do grupo que me direciona para Ele. 2

O professor é composto de duas partes:

  1. Um homem deste mundo;
  2. O componente espiritual.

Não importa qual imagem humana o professor nos representa neste mundo, pois tudo depende da sociedade em que ele vive e de sua cultura. Cada um de nós é um produto do seu ambiente, não podemos nos tornar diferentes. Precisamos desconsiderar nossa visão e percepção da imagem externa de uma pessoa e apenas dar conta da imagem interna.

Devemos nos tratar da mesma maneira no grupo e em todo o mundo, levando em consideração apenas suas qualidades internas, e não externas. Existem muitas pessoas de várias culturas e nacionalidades entre nós. Durante a lição, na tela, eu continuo vendo Espanha, Peru, Países Bálticos, Odessa, Plovdiv, Moscou, Kiev e Nova York … Uma multidão de cidades em nossas telas e, claro, são pessoas com mentalidades diferentes, vários padrões de vida e perspectivas sobre a vida. Nós devemos apagar tudo isso da nossa percepção.

Eu não olho para essas diferenças e vejo apenas a conexão deles com o Criador. Esta é a parte que estou procurando. Eu tenho que coletar essas conexões com o Criador de todos, como se estivesse colhendo frutos. Quero me unir à conexão deles com o Criador, pois eles já têm essa conexão ou não estariam estudando comigo. Eu tenho que aumentar minha conexão com o Criador por meio da conexão com essa qualidade em todos os amigos.

Para conseguir isso, são necessários dez indivíduos. Se houver nove amigos comigo como o décimo, certamente podemos afetar o Criador. Como se estivéssemos tocando a campainha da porta e Ele abre a porta. Mas com a condição de que somos dez (Minyan), a quantidade mínima que conta. Menos de dez não é levado em consideração. Na espiritualidade, dez é como um. Essa é a diferença entre este mundo e o mundo superior, onde apenas a conexão entre a dezena é sentida.

É aqui que não diferimos um do outro em nenhum lugar do mundo e não faz diferença para mim me unir à Espanha ou a Almaty, Nova York, Kiev, São Petersburgo ou Toronto. O principal é ter dez pessoas. Assim entraremos em contato com o Criador.

No entanto, se não temos dez, precisamos procurá-los, precisamos despertar os amigos que ficaram em casa para ir à reunião ou participar virtualmente. Esta é a única coisa que importa. Criamos uma rede virtual de conexões em todo o mundo entre nós, e eu espero que desenvolvamos um mecanismo que nos una em um nível mais interno. Com a ajuda dessa ferramenta, retornamos à Babilônia, mas já em um estado corrigido. Do lado da nossa natureza, a quebra babilônica reina entre nós, mas acima dela estamos unidos. 3

Da Lição Diária de Cabalá 10/10/19, “Dia em Memória do Baal HaSulam”

1 Minuto 18:25
2 Minuto 20:33
3 Minuto 2:02:09

Baal Hasulam: O Canal Para Nossa Conexão Com O Criador

laitman_272Hoje é um dia especial: o aniversário da morte de Baal HaSulam, nosso professor, deste mundo. Esta é a alma que nos conecta com o Criador, o homem que abriu os portões da sabedoria da Cabalá para a última geração em que vivemos. Sem os ensinamentos dele, não poderíamos ser recompensados ​​com o que já recebemos e ainda podemos receber no futuro. O conhecimento, toda a abordagem e metodologia, as etapas de realização – tudo isso foi preparado para nós por Baal HaSulam. Certamente, tudo nos chega do Criador, mas através desta grande alma.

Uma das razões pelas quais a ciência da Cabalá (recepção) tem esse nome é que é transmitida de geração em geração. Cada aluno deve ter um professor. Somente indivíduos excepcionais podem, com ajuda especial do alto, alcançar diretamente a realização do Criador por si mesmos. Portanto, devemos sempre estar conectados com os sábios que alcançaram a espiritualidade, os grandes Cabalistas, e assim avançar geração após geração.

Aqui, tudo depende de quanto uma pessoa é capaz de seguir o professor. Todo mundo tem suas próprias dificuldades nisso e isso é natural, porque é assim que as etapas de cima para baixo são organizadas. É difícil para os inferiores superar seu egoísmo e contatar os superiores. Em nosso mundo, no nível animal, não existe esse problema porque a natureza obriga uma criança a ser dependente dos adultos. Porém, no nível humano em que é necessário estudar a ciência da Cabalá, isso não é mais fácil de fazer. Lá, precisamos nos curvar e maximizar a grandeza do professor para aprender com ele.

Obviamente, isso não é para homenagear o professor, mas apenas para o benefício do aluno. Se um aluno se sente menos que seu professor, ele será capaz de se abaixar mais e receber do professor. Nas ciências deste mundo, esse requisito não é tão categórico, porque o aluno deve criticar o professor e testá-lo. Mas na ciência da Cabalá, uma pessoa não pode alcançar nada se não se curvar diante do Criador. Portanto, na medida em que se curva ao que recebe do professor que a ensina a partir das fontes primárias que vieram dos professores de todas as gerações, ela obtém realizações. Somente desta forma um pequeno pode receber de um grande.

Portanto, precisamos entender o que um excepcional e grande homem, Baal HaSulam, era. Somos obrigados a aceitar todas as suas obras, todo o seu legado, sem críticas, e então podemos esperar que começaremos a nos conectar com sua alma e receber através dele a força superior do Criador.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 10/10/19, Dia em Memória de Baal HaSulam

Onde O Professor Cabalista Se Esconde?

laitman_583.02Pergunta: Caro professor, onde você se esconde?

Resposta: Dentro de você.

Observação: Ainda não sinto isso.

Meu Comentário: É por isso que é considerado que estou me escondendo.

Pergunta: Mas para quê? Ajude-nos.

Resposta: Esta é precisamente minha ajuda.

Observação: Eu pensei que você estivesse em algum lugar entre a dezena e o Criador.

Resposta: É verdade. Mas isso ainda significa se esconder.

Observação: Obrigado, isso já é uma revelação.

Da Convenção na Moldávia, “Dia Um”, 06/09/19, “Estar Preparado para Ser Influenciado pela Sociedade”, Lição 2

Dvekut Une Dois Em Um

Dr. Michael Laitman

Da Minha Página No Facebook Michael Laitman 05/10/19

Em memória do meu professor, Baruch Shalom HaLevi Ashlag (O Rabash)