Textos na Categoria 'Livre Arbítrio'

O Enigma Não Resolvido Do Criador

629.3Pergunta: É possível influenciar o desenvolvimento e o curso dos eventos ou eles são predeterminados?

Resposta: Por um lado, eles são predeterminados, mas por outro lado, eu posso influenciar sua implementação na medida em que entendo que eles são predeterminados.

Comentário: Parece um enigma.

Minha Resposta: Porque existem dois tipos de livre arbítrio: do lado da natureza e do lado do homem. E se eles se entendem – a natureza e o homem (ou o Criador e o homem) – seus planos se combinam e são realizados.

Na medida em que uma pessoa pode fazer de si mesma o que a natureza quer dela, ela predetermina sua ascensão a esse nível.

Pergunta: O que a natureza quer de nós?

Resposta: Quer que sejamos bons e gentis. Bom e gentil para que todos, todos mesmo, fiquem felizes com você. Não em nosso mundo. Em nosso mundo, estamos cercados por egoístas e isso não pode acontecer.

Quando falo de humanidade, de natureza, quero dizer um nível de existência completamente diferente.

Pergunta: Quando eles ficarão felizes comigo? Que bondade é essa que se espera de mim?

Resposta: Quando você corrige todas as pessoas e elas se tornam totalmente amáveis, perfeitas e corrigidas. Essa é sua responsabilidade. Com isso, você se corrige. Afinal, você se vê nas pessoas. Você vê o reflexo de si mesmo. Desta forma, você corrige o Criador.

Pergunta: O Criador precisa ser corrigido?

Resposta: Claro. Devemos fazê-Lo! Ele não existe de forma alguma. Você deve fazê-Lo! E constantemente tente torná-Lo cada vez melhor. Isso é o que a Torá diz: “Como se você Me fizesse”.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 28/12/20

Como Obter O Que Você Deseja Na Vida

617Pergunta: Como será o próximo ano depende de todos?

Resposta: Sim! Depende de todos. E da forma mais direta.

Ou seja, eu crio minha própria vida, eu mesmo, meu próprio mundo. Eu só preciso aprender como fazer isso. A ciência da Cabalá é chamada de ciência de receber, como obter o que deseja da vida.

Pergunta: O que devo criar?

Resposta: Você mesmo. E consequentemente, junto com isso, você cria o mundo no qual você existe.

Criar a si mesmo é tornar-se o que você sonha, o que precisamos fazer. Para que você não se arrependa de nada, e por tudo você agradeça a natureza, o Criador e as pessoas – a todos por tudo!

Estou falando sobre sonhos elevados – entrar no nível da eternidade e da perfeição. Isso está preparado para todos, mas devemos tentar fazer isso em um futuro próximo.

Não podemos adiar. Isso é necessário no próximo ano. Agora vamos começar a trabalhar nisso.

Pergunta: Posso dizer: “Agora eu quero entrar em um estado onde estarei amando, dando e existindo em um espaço eterno”?

Resposta: Sim. Para este fim, você deve agora começar a se perguntar como isso é feito.

E esse seu pensamento fará esse objetivo. O homem faz a si mesmo e ao mundo.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 28/12/20

A Escolha É Não Pecar

592.02Pergunta: Na Cabalá, a ausência de ações para a unificação do povo é considerada um pecado. Ao mesmo tempo, a Cabalá diz que não existe liberdade de escolha. De onde vem o pecado?

Resposta: A liberdade é apenas mover-se corretamente em direção ao objetivo e muito mais rápido do que é determinado pela natureza.

Pergunta: Se eu orar por mim mesmo, é um pecado de acordo com a Cabalá. Por outro lado, que escolha eu tenho?

Resposta: Sua escolha é orar para que você se relacione gentilmente com os outros e para que o Criador o ajude com isso. Desta forma, você acelera seu movimento e seu desenvolvimento.

Pergunta: Eu tenho liberdade de escolha para pedir ajuda ao Criador?

Resposta: Sim. Depende de quanto você entra no grupo que o inspira, ajuda e impulsiona você para frente. Você usa o apoio mútuo deles e, assim, se volta para o Criador por meio de um certo número de impressões do grupo.

Pergunta: O que é pecado, do ponto de vista da Cabalá?

Resposta: Pecado é o uso incorreto das condições que são dadas a você a fim de mover-se corretamente em direção ao objetivo e alcançá-lo de forma rápida e sem dor, durante esta vida.

De KabTV, “Estados Espirituais”, 14/01/20

Como Parar O Tempo

928Comentário: Os hotéis em Paris estão vazios. Há uma pandemia e não há turistas. O Hotel Avenir Montmartre, que tem uma boa localização com vista para a Torre Eiffel, acolhe os sem-teto.

A gerência do hotel cedeu quartos a uma instituição de caridade sem-teto e forneceu abrigo para pessoas durante o ano para que não congelassem nas ruas no frio; elas foram colocadas nestes quartos. Lá, elas fazem três refeições por dia, um banho quente e um banheiro aquecido.

Essa instituição acredita que, dessa forma, eles poderão fazer com que os moradores de rua mudem suas vidas.

Minha Resposta: Não. Este é um estilo de vida.

Pergunta: Viver na rua?

Resposta: Sim! Sinto-me livre. Não devo nada a ninguém e ninguém me deve nada. Não preciso de nada. Não quero obrigações mútuas. Eu quero me sentir livre.

Pergunta: Isso não é uma desgraça, como todos nós pensamos?

Resposta: Isso não é uma desgraça. É um sentimento de liberdade, de uma existência que ninguém mais tem.

Comentário: Vou assumir cuidadosamente que os sem-teto estão olhando para nós e dizendo: “Aqui estão os infelizes! Com todos os seus negócios e questões”.

Minha Resposta: Sim. O principal é que vivemos em busca de tempo e eles não têm tempo; o tempo não tem controle sobre eles.

Comentário: Isso é bom. Temos um relógio correndo o tempo todo, o tempo todo, tudo é tempo, sim. Eu não tive tempo.

Minha Resposta: É assim que inconscientemente pensamos que não tivemos tempo de fazer e o que conseguimos fazer.

E aqui, nada! Você entende o que é felicidade?! Por causa dessa sensação de liberdade, eles estão prontos para viver na rua. Uma pessoa sempre escolhe egoisticamente, não há nada que você possa fazer a respeito. Essa é a nossa natureza. Elas escolhem este estado. Portanto, elas virão, é claro, para os hotéis, mas não creio que sejam muitas.

Não creio que usem hotéis 100%. São pessoas que, em princípio, não se importam tanto se se lavaram ou não e mesmo se se alimentaram normalmente ou não, desde que isso não afetasse o sentido de sua atemporalidade. Nem mesmo sentimos como é possível existir fora do tempo, fora do movimento. Esse é realmente um sentimento espiritual, pois o tempo é a coisa mais importante que temos.

Comentário: Sim. Estes são nossos grilhões. Se for um pouco mais, vou largar tudo e sair para a rua assim mesmo. Há até um pouco de romance nisso.

Minha Resposta: Essa é a escolha de uma pessoa, não porque ela não pudesse fazer outra coisa. Essa é sua escolha. Eu diria mesmo que a França tem fundos suficientes para cuidar desses clochards [vagabundos], não necessariamente agora, por causa da pandemia, mas em geral, houve todos os tipos de oportunidades.

Mesmo assim, eles não saem das ruas. Eles acreditam que tal existência lhes dá uma sensação de liberdade. Você pode dizer: “Mas eles não existem como moradores de rua, eles existem como animais”. Eles vivem na rua, não importa onde, como ou o quê. Está certo. Mas, essa é a escolha deles.

O mais importante é se uma pessoa controla o tempo ou se o tempo controla uma pessoa, até a morte.

Pergunta: Como podemos, sem sair às ruas, começar a controlar o tempo?

Resposta: Para fazer isso, devemos nos livrar de todas as restrições que nosso egoísmo nos impõe, elevar-nos acima delas, acima do egoísmo, e começar a agir de uma forma completamente diferente, não para nós mesmos, mas para os outros. Não temos outra escolha. Então, você sentirá que está saindo de um cativeiro e caindo em outro, cuidando dos outros, mas aí você se sentirá livre dos grilhões terrenos.

Comentário: Mas, ainda assim, olhando para os sem-teto.

Minha Resposta: Inveje-os! Por outro lado, podemos dizer que agora estamos nos aproximando deles em alguns aspectos. O vírus faz com que fiquemos em casa e não tenhamos pressa.

Você não pode fazer nada de qualquer maneira. Fique em casa por mais alguns meses e depois verificará se consegue meter o nariz para fora na rua ou não. Se você ainda não está acima do seu destino, ficará em casa por mais alguns meses e assim por diante, até começar a sentir que não há tempo.

Agora, você ainda está escrevendo em seu calendário, mais alguns meses, mais três meses e muito mais. Quando você parar de fazer isso, perderá a noção do tempo. Então, em vez de uma noção de tempo, você terá outro sentido.

Você começará a definir esse sentimento como outras relações e conexões de espaço-tempo entre todos. O passado, o presente e o futuro se tornarão um movimento em direção à conexão universal. Então, você vai medir dessa forma: se há uma conexão e ela se torna cada vez mais explícita e desejável, vou em frente e vivo. Se essa conexão não se manifestar em uma conexão cada vez maior entre nós, o tempo começa a voar. É exatamente quando ele voa.

Pergunta: Isso significa que o tempo para quando eu encontro uma conexão com os outros, como se eu tivesse passado para um estado quase eterno?

Resposta: Sim. Se tudo se move, não dentro de mim, mas entre eu e os outros, então o tempo fica paralisado.

Comentário: Pensamentos sobre os outros, viver para os outros, eu viverei assim.

Minha Resposta: Sim. A circulação dentro de um sistema fechado trará esse sistema a um estado de repouso absoluto.

Este sentimento é a realização do Criador.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 21/12/20

Os Meios Para Sair Para O Mundo Superior

600.01Pergunta: Há uma pequena carta dirigida a você: “’Você disse repetidamente como uma pessoa é influenciada pelo ambiente e que é a única coisa que nós, adultos e crianças, precisamos. Ele nos constrói, nos dirige, nos corrige. O principal é ter um ambiente bom e correto’. Mas então o que fazemos agora? Durante a pandemia, ficamos praticamente isolados uns dos outros, exceto pela família, é claro. O que me molda agora? Quem me influencia? ”

Resposta: A sociedade, em primeiro lugar.

Pergunta: Onde ela está? Além da minha família, não tenho muito contato.

Resposta: Não, não importa. Estamos em um mundo que está nos influenciando. Está tudo na atmosfera. Essa é a primeira coisa. Em segundo lugar, sou, é claro, influenciado pelo meu ambiente imediato. Minha família. Talvez eu esteja trabalhando. Também estou em todos os tipos de pequenos ambientes, empresas.

Em terceiro lugar, se, digamos que estou falando sobre mim, eu tenho outro círculo, o mais importante para mim, de pessoas que pensam como eu. Nós organizamos um ambiente para nós que nos eleva acima da pandemia, acima deste mundo, acima das coisas que as pessoas comuns veem aqui. Neste ambiente, estamos tentando criar condições para sentir o mundo superior.

Pergunta: Se estamos falando de uma pessoa comum, o que este ambiente oferece a ela?

Resposta: Isso lhe dá uma sensação da eternidade da natureza, a oportunidade de entrar nesse sentimento e existir nele com um foco mais elevado, um propósito.

Pergunta: Isso é necessário para alguma pessoa hoje?

Resposta: Não consigo imaginar o que alguém faria sem isso. Por que viver? Hoje vai passar, amanhã vai passar, de novo e de novo. Mesmo sem futebol! Vai ser ainda pior. Em breve começaremos a sentir o quanto esgotamos a Terra, a nós mesmos, a natureza humana, a sociedade humana, o quanto somos pobres em geral. Com o que posso me preencher pelo menos um pouco?! Por um lado, não há desejo de nada e, por outro, as realizações desaparecem.

Pergunta: Fomos deliberadamente dirigidos hoje para esta caixa – nossa casa?

Resposta: Sim. Esse é um período maravilhoso! O reconhecimento do mal do nosso egoísmo e para onde ele nos levou. Essa é a primeira coisa que deve acontecer. Em segundo lugar, eu começo a procurar um ambiente que esteja engajado apenas em conectar-se uns com os outros para subir ao próximo nível da natureza, para escalá-lo, para me agarrar ao próximo nível da natureza, onde há doação, amor, onde uma pessoa vive não com a ajuda do desejo egoísta, mas altruisticamente.

Isso é o que dará a uma pessoa realização ilimitada. Começaremos a sentir que existimos em um espaço comum que hoje está simplesmente oculto; não o sentimos porque todos os nossos órgãos são egoístas. Então sairemos de nós mesmos e começaremos a sentir a natureza fora de nós.

É como aquele pequeno verme que vive no rabanete e de repente põe a cabeça para fora do rabanete e exclama: “Achei que o mundo inteiro fosse tão amargo quanto esse rabanete! Agora vejo o sol, o ar e os pássaros cantando. Que adorável!”

Pergunta: Onde está o ambiente nesta história do pequeno verme?

Resposta: Isso é exatamente o que permite que o verme saia do rabanete.

Pergunta: Caso contrário, ele teria continuado a viver nele?

Resposta: Sim, claro. Como ainda fazemos hoje.

Comentário: Entendo. Isso significa que precisamos sair do rabanete.

Resposta: Boa sorte!

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 12/07/20

Aceitando As Regras Do Jogo

547.06Pergunta: Acontece que o Criador criou um jogo para nós, isto é, o mal e as regras do jogo pelas quais devemos jogar. Onde está a liberdade de escolha aqui? O que depende de mim?

Resposta: A liberdade de escolha não é jogar pelas regras do Criador, mas o fato de você aceitar essas regras do jogo e jogar de acordo com elas.

Você pode não aceitá-las, mas então será levado a aceitar isso pelos golpes do destino. Ninguém diz que você é livre.

De KabTV, “Pergunte a um Cabalista”, 31/12/18

O Criador, A Tolerância E O Botão Vermelho

628.2Comentário: O dia internacional da tolerância foi comemorado em 16 de novembro em um mundo onde praticamente não vemos tolerância. A paciência acabou.

Na América, Europa e Ásia, qualquer que seja o nome, não há tolerância. Veja o que está acontecendo na Etiópia, na Bielo-Rússia. Para onde quer que você olhe.

Minha Resposta: O mundo agora está entrando em um pico muito sério, uma queda.

Pergunta: O que o termo “tolerância” significa para você?

Resposta: Tolerância é uma palavra muito útil, um método muito bom se soubermos aplicá-lo, se tivermos a atitude certa uns para com os outros, que o mundo existe para todos igualmente e em igual medida para que não favoreçamos ninguém. alguém mais. Isso deve ser ensinado, não nascemos assim.

O Criador tornou todos diferentes. E devemos nos tornar iguais. Portanto, aqui devemos ir contra a natureza, contra o Criador. E pense seriamente sobre o que estamos realmente fazendo a nós mesmos.

Comentário: Você disse que devemos ir contra o Criador. O Criador nos criou de tal forma que não há paciência, nem tolerância, mas você nos diz que devemos resistir a isso, dizendo: “Queremos ser pacientes”.

Minha Resposta: Claro! O próprio Criador diz: “Eu criei a inclinação ao mal. E você tem que corrigi-la”.

Pergunta: E como fazemos isso?

Resposta: Peça ao Criador outra força, a força da tolerância, o poder da unidade e conexão, da paciência e compreensão dos outros como uma parte integrante de si mesmo.

Pergunta: Em que ponto eu peço isso?

Resposta: Quando vejo que destrói tudo, inclusive eu, e não concordo com isso! Quando se entende que dar as costas ao mundo aconteça o que acontecer, deixar tudo desabar, derrubá-lo é a solução mais fácil.

É muito mais difícil viver, se corrigir, corrigir o mundo e assim por diante, todos os dias.

Comentário: Você está dando à humanidade um trabalho que ela não quer fazer.

Minha Resposta: É disso que se trata a educação – o que devemos levar a uma pessoa que concorda em se autodestruir: “Pressione o botão e, em um momento, não haverá mais nada”. Isso é muito fácil.

Mas não, eu tenho que pensar em como tirar todos desse pântano de inutilidade, insignificância, intolerância. Eu devo puxar todos para cima para levantar suas cabeças, abrir seus olhos e começar a olhar para o mundo de uma nova maneira.

Pergunta: Eu sei para onde os estou levando?

Resposta: Claro.

Pergunta: Como é este mundo melhor?

Resposta: Pensar bem uns nos outros. Nada mais. E instantaneamente atraímos a força do bem da natureza, que nunca sentimos antes. Em vez da força do mal que ainda nos governa hoje, sentiremos uma força diferente e boa.

Precisamos apenas querer estar sob o poder dessa força.

Comentário: Em que ponto eu quero estar sob o poder desta força e começar a mudar alguma coisa? Afinal, se tudo é minha inclinação ao mal, pois tal é minha natureza, isso só vai voltar para me assombrar.

Digamos que eu faça algo ruim para alguém, envie alguns pensamentos negativos e volte para mim dez vezes pior. Então eu pude entender você. Então eu parava e pensava: “Nossa, pensei mal dele e tudo explodiu na minha cara”. Isso eu posso entender se o Criador fizesse isso de forma que ele voltasse dez vezes como um bumerangue.

Minha Resposta: Então você seria um animal! Você não faria nada de errado, mas não teria livre arbítrio, que está exatamente entre as ações boas e as más.

Pergunta: Sim, eu seguiria o exemplo. Se a vara me bater, sei como me livrar dela. Está errado?

Resposta: Ao fazer isso, você transforma um ser humano em um robô, o que é completamente contra a intenção do Criador.

Pergunta: Mas se não voltar para mim como um bumerangue, se eu ficar cada vez mais rico suprimindo os outros, como acontece, como esse pensamento ocorrerá?

Resposta: As circunstâncias o levarão até lá.

Pergunta: Sofrimento?

Resposta: Sim. Bons pensamentos não são desencadeados por uma vida boa.

Pergunta: Onde está a educação de que você sempre fala?

Resposta: Ninguém tem nenhuma.

Pergunta: Então, quem a apresentará?

Resposta: Eu acredito que apenas os Cabalistas o façam. Eles devem mostrar ao mundo as fontes corretas. E o mundo está lentamente chegando a isso.

Pergunta: Você acha que mais cedo ou mais tarde as pessoas virão aos Cabalistas e pedirão essa instrução educacional?

Resposta: Sim, para ensinar-lhes esta metodologia.

Pergunta: Então, depois de todas as tentativas de arranjar algo neste mundo com a ajuda das leis do nosso mundo, a humanidade vai entender que isso é impossível e que outras regras são necessárias?

Resposta: Sim. Espero que isso aconteça um pouco antes deles pressionarem o botão vermelho.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 16/11/20

Realizando O Potencial Espiritual

626Pergunta: Por que uma pessoa, por natureza e sua educação, acaba sendo uma grande egoísta e outra pessoa uma pequena egoísta? Uma pessoa que tem um ego maior experimentará sofrimentos maiores, e isso está relacionado a seus ancestrais ou suas ações em vidas anteriores?

Resposta: Tudo o que você disse é verdade, mas não tem sentido.

Seu livre arbítrio atual, a liberdade de realizar o potencial espiritual está em você, e você precisa tentar realizá-lo. Tente fazer isso com todas as suas forças e então verá o que acontece com você e por quê. Você verá como o seu potencial espiritual e o potencial espiritual de seus ancestrais afetam você e como você afeta todos os outros.

Tudo isso vai acontecer. Não preste atenção ao que aconteceu antes. No momento, tudo depende apenas de você.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 18/11/18

A Natureza Abomina A Anarquia

36Pergunta: Uma pessoa nascida em nosso mundo, de acordo com sua natureza, sempre usa outros. Claro, educação e genes desempenham um papel aqui, mas ela irá, na primeira oportunidade, sem hesitar, preferir o ganho pessoal ao bem público. Isso significa que ela não tem escolha?

Resposta: Claro, todas as nossas ações são estritamente predeterminadas. A única opção é seguir em frente o tempo todo e aumentar gradativamente o nível de liberdade: até que ponto posso preferir o coletivo ao individual.

Pergunta: Qual é a diferença entre liberdade e anarquia?

Resposta: Não existe anarquia na natureza. O fato é que as pessoas agem no nível do nosso mundo sem conhecer as verdadeiras leis da natureza. Também não há anarquia no comportamento humano: tudo é predeterminado, tudo é conhecido.

A única coisa que podemos fazer é atrair a luz circundante sobre nós. No entanto, isso também acontece sob a influência da força superior, e não há anarquia aqui.

A anarquia é um sistema específico. Mas a natureza não tolera isso. A natureza é uma lei muito séria, estrita e absoluta.

De KabTV, “Habilidades de Comunicação”, 11/09/20

Liberdade É Uma Maneira De Sair Do Egoísmo

628.4Pergunta: Ao longo da história, as pessoas lutaram pela liberdade. A Declaração Universal dos Direitos Humanos afirma que: “No exercício dos seus direitos e liberdades, todos devem estar sujeitos apenas às limitações determinadas pela lei exclusivamente com o objetivo de garantir o devido reconhecimento e respeito pelos direitos e liberdades dos outros e de cumprir os requisitos justos de moralidade, ordem pública e bem-estar geral em uma sociedade democrática”. O que em essência significa liberdade consiste na capacidade de fazer qualquer coisa que não prejudique o outro.

Você concorda com isso?

Resposta: Em parte. Este não é o significado completo da liberdade, mas pelo menos o primeiro e principal ponto.

Pergunta: Se considerarmos o conceito de liberdade em termos de comunicação entre as pessoas, quão livres somos em nosso comportamento? Compreendemos que nossos genes e meio ambiente moldam quase completamente nosso comportamento. Qual é, então, nossa liberdade?

Resposta: É se colocar a serviço da conexão entre si, o que leva todos ao mais belo estado: à unidade. Essa é a única coisa que precisamos perceber, como a possibilidade de movimento livre entre nós.

Pergunta: Do ponto de vista da natureza, uma pessoa deve ser livre?

Resposta: Do ponto de vista da natureza, isso não é dado de forma alguma. A liberdade não existe em nenhum organismo biológico, incluindo os humanos. Mas, ao elevar-se acima da natureza egoísta, ao sair de si mesmo, uma pessoa pode alcançar uma nova natureza altruísta e aí encontrar liberdade na forma de doação e amor pelos outros.

A liberdade é uma forma de sair do egoísmo.

De KabTV, “Habilidades de Comunicação”, 11/09/20