Textos na Categoria 'Percepção'

Mundo – Realidade Ou Ilusão? Parte 8

laitman_744Alcançar a Luz Superior

Pergunta: Se o mundo é uma reação às forças, isso significa que eu também sou apenas uma reação? Se é assim, o que é isso que eu estou alcançando tudo isso?

Resposta: Na verdade, eu sou uma reação ao que produzo. Eu sinto a mim mesmo de uma forma ou de outra.

Minha cabeça, corpo, sentimentos, coração e assim por diante são todas as minhas reações automáticas, naturais e instintivas ao que me afeta e, no final, me dão uma sensação de mim mesmo, meu corpo, meus pensamentos e sentimentos.

Eu não sei quem sou. Eu sou inconcebível, assim como o Criador é inconcebível. Atingimos apenas nossas reações a algo ao nosso redor.

Então, quando mais alcançarmos, veremos que, de fato, estamos alcançando a luz superior. Isso nos dá uma sensação de nós mesmos e do mundo ao nosso redor. Gradualmente, ela achegará até nós.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 15/09/19

Mundo – Realidade Ou Ilusão? Parte 7

Laitman_917.02Por Que Vemos O Mundo Como Distorcido?

Pergunta: Ouvi dizer que uma pessoa percebe a realidade e o mundo como uma distorção real. É verdade?

Resposta: Sim, claro. Só percebemos tudo em nossos órgãos sensoriais e, como eles são distorcidos, não corrigidos e destruídos, naturalmente o mundo também se parece com isso.

O fato é que o mundo ao nosso redor é perfeito, mas não o percebemos como perfeito porque o sentimos em nossos órgãos sensoriais defeituosos e destruídos. Portanto, não podemos dizer nada sobre o mundo em si, mas apenas sobre a maneira como o percebemos.

Nosso método é corrigir nossa percepção. Então, verei o mundo como perfeito na medida em que me corrijo. Nada mais é necessário. Eu não preciso corrigir o mundo. Pelo contrário, na Cabalá, é considerado um movimento completamente errado. Veja como as pessoas têm existido e atualmente são corretoras do mundo ao longo da história da humanidade.

No entanto, se abordarmos o mundo como a sabedoria da Cabalá aconselha, corrigindo a nós mesmos, veremos que, aparentemente, o mundo ao nosso redor é ideal, perfeito, infinito e eterno. Não há nada que precise ser feito a não ser nos corrigir.

Portanto, toda a sabedoria baseia-se em dar conselhos a uma pessoa sobre como se corrigir. Como tornar-se corrigida, integral. Caso contrário, mergulharemos em problemas ainda maiores e em uma percepção incorreta do mundo.

De KabTV, “Fundamentos da Cabala”, 15/09/19

Mundo – Realidade Ou Ilusão? Parte 6

laitman_625.02Eleve-se Acima Dos Sentidos Corporais

Baal HaSulam, “A Essência da Sabedoria da Cabalá”: Entretanto, é suficiente, pois esta é a regra: “Tudo o que é medido e extraído de Sua Providência, a fim de ser realizado na natureza da Criação, é completamente satisfatório”. Da mesma forma, a pessoa não pode desejar um sexto dedo em uma mão, porque os cinco dedos são suficientes.

Estamos dispostos de modo que seja suficiente termos cinco dedos na mão. Nos incomodaria se tivéssemos um sexto dedo? Por exemplo, um macaco tem um dedo especial para agarrar galhos. Seria bom para nós tê-lo também. No entanto, eu não preciso mais disso! Não sinto necessidade de mais um dedo. É o mesmo em todo lugar, em todos os meus sentidos, não sinto falta de nada.

Telescópios e microscópios são apenas ampliações quantitativas dos órgãos sensoriais, sua expansão. Mas se eu usar todos os meus sentidos, não sinto falta de um órgão sensorial adicional. Posso dizer que gostaria de ouvir ondas ultra e infrassonoras como golfinhos. Mas tudo isso vem da natureza, é apenas uma expansão e não novos órgãos sensoriais.

Assim, tudo o que temos em nós não causa nenhum sentimento de falta, é o suficiente para nós e, portanto, não estamos mais nos desenvolvendo. A única maneira de se desenvolver é elevar-se acima dos nossos sentidos: não quanto receberei em meus órgãos sensoriais, mas quanto posso trabalhar com eles na direção da doação.

Aqui, especificamente, eu começo a sentir não a mim mesmo, mas o mundo ao meu redor, me elevo acima de mim. Aqui está uma ciência completamente diferente sobre o mundo: a sabedoria da Cabalá.

Pergunta: E se cinco dedos forem suficientes para mim? Eu apenas vivo assim.

Resposta: Quando eu vivo no que é suficiente para mim, é o nível animado. Se eu quiser entender a fonte de tudo o que está acontecendo, nada além da Cabalá ajudará.

De KabTV, “Fundamentos da Cabalá”, 15/09/19

O Mundo – Realidade Ou Ilusão? Parte 5

Laitman_011Expandindo Os Limites Da Percepção

Baal HaSulam, “A Essência da Sabedoria da Cabalá”: Agora você pode facilmente concluir que todos os nomes e apelações que aparecem nos livros de Cabalá são realmente reais e factuais, embora não tenhamos nenhuma realização no assunto. É assim porque aqueles que se envolvem nela têm a satisfação completa com sua percepção inclusiva de sua plenitude final, ou seja, uma mera percepção de ações, motivadas e nascidas da associação da Luz Superior e seus perceptores.

O fato é que há um limite para a nossa percepção. A sabedoria da Cabalá diz que você constantemente alcança profundidade, largura, entra em todos os espaços vetoriais e os revela completamente. No entanto, você atinge apenas a realidade que o preenche. E a realidade que não o preenche, você não alcança e nem sabe se ela existe ou não.

Aqui surge a pergunta: como os Cabalistas sabem que existe alguma outra realidade? Eles mesmos a alcançaram? Se sim, por que não falam sobre ela como mais um nível adicional de realização da realidade?

Acontece que eles colocam enigmas diante de nós ou querem nos intrigar de alguma forma, como se dissessem: “Há algo aqui, mas não estou lhe dizendo”. No entanto, essa não é a abordagem deles.

Temos que alcançar a qualidade de doação, a qualidade do Criador. O Criador se posiciona em relação a nós como doador, amoroso e unificador, elevando-se acima de nós, apesar do nosso egoísmo. Ao nos elevarmos acima do nosso egoísmo, podemos explorá-Lo, senti-Lo e nos tornar semelhantes a Ele.

Como podemos fazer para que não sintamos apenas o Criador por causa de nossa equivalência com Ele, mas não O sintamos com nossos próprios Kelim (Vasos) e qualidades? Isto é um problema.

De KabTV, “Fundamentos da Cabalá”, 15/09/19

Correndo Contra O Crescente Egoísmo

Laitman_115.05Pergunta: A conquista do estado futuro no presente é possível porque o futuro já existe na espiritualidade e eu apenas o revelo?

Resposta: Não há presente, passado e futuro. Tudo está determinado em nosso egoísmo. Portanto, sentimos esses parâmetros em nós, em nossas qualidades e em nossos desejos.

Na medida em que nossos desejos são corrigidos, começaremos a sentir o mundo corrigido e como se o escalássemos. Caso contrário, sentiremos o mundo caindo cada vez mais porque nosso egoísmo está em constante crescimento.
Tudo depende da medida em que corremos contra o crescente egoísmo.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 14/07/19

Voando Para Um Futuro Bonito

laitman_928Pergunta: Como a luz decide quem é digno de atravessar o Machsom (barreira)?

Resposta: A luz opera sobre nós simultaneamente e, de acordo com a nossa força, pureza e semelhança com a luz, aspiramos à meta de forma individual, em velocidades diferentes.

Tente estar o mais próximo possível da luz em suas qualidades e você literalmente começará a voar, como se estivesse no ar, para esse belo futuro.

Pergunta: Um Cabalista, com a força de sua tela e pensamento, pode viajar no tempo: para trás, para frente, como em uma máquina do tempo?

Resposta: Viajar no tempo significa ter uma tela. Sim, é possível. Mas, novamente, para que? Não pode haver nada egoísta; isso não é como um tipo de jornada corporal: quero voar acima das nuvens.

Aqui estou me referindo a decolar com a força da minha vontade, tremenda tensão interna, aproximando-me das qualidades superiores de doação e amor, a uma distribuição universal maior. Dessa forma, posso voar. Todos esses são esforços muito sérios.

Da Lição de Cabalá em Russo 28/04/19

Singularidade Do Criador, Parte 8

laitman_744Do Que É Feita A Percepção Da Realidade?

Pergunta: O objetivo da natureza é desenvolver todas as suas partes para o estado de polos opostos e depois combiná-las. Porque isto é assim? Qual é o significado desse desenvolvimento?

Resposta: Somente dessa maneira nós revelamos tudo. Nossa compreensão consiste na diferenciação e integração de todas as partes do que observamos.

Observação: Vemos que a nossa natureza, nosso desejo de receber, está em constante evolução, tornando-se mais poderosa, mais egoísta.

Meu Comentário: Da mesma forma, a capacidade de integrar isso, de capturar a interconexão entre todas as partes, está se desenvolvendo em nós. É disso que consiste a nossa percepção da realidade.

Mas a próxima consciência Cabalística da realidade é que não existe uma realidade como tal. Projetamos apenas nossas propriedades interiores na luz superior e sentimos e consideramos essa imagem, que nós mesmos criamos com nossos sentimentos, como o mundo em que existimos.

Pergunta: “Luz superior” é um novo termo. Por que os Cabalistas em suas fontes o usam em vez do conceito de “Criador”?

Resposta: O Criador/Luz Superior é a propriedade de doação e amor, e, portanto, nós a associamos à luz do sol, à luz da mente, a algo superior.

Contra o fundo da luz superior, as propriedades de doação e amor, todos os nossos desejos egoístas pintam uma imagem tridimensional e viva deste mundo. Mas, na verdade, não existe. Eu apenas observo minhas propriedades internas.

Portanto, na medida em que estou me aproximando cada vez mais das propriedades da luz superior, este mundo se dissolve e se torna cada vez mais ilusório, até me encontrar na luz absoluta.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 10/10/18

Como Se Colocássemos Óculos E Começássemos A Ver

laitman_276.03Dois mil anos atrás, o Templo foi destruído e o povo de Israel começou a perambular pelo mundo. Nós nos acostumamos a viver no exílio entre outras nações e muitas vezes conseguimos fazer isso. Às vezes, pelo contrário, as nações do mundo acertaram as contas conosco. O ódio aos judeus cresceu constantemente, uma onda após a outra emergiu e, recentemente, um tsunami de antissemitismo tem aumentado.

O problema é que não estamos corrigindo a quebra. O antissemitismo é o resultado de nossa negligência da possibilidade de obter correção. O exílio terminou, mas apenas em potencial, não na prática. Muitos sonhariam em deixar a terra de Israel e voltar ao exílio. Afinal, a santidade está apenas na unidade que podemos construir entre nós. Sem unidade, não há santidade, e ainda estamos em destruição.1

De fato, a destruição foi uma correção. Você não pode chamá-la de corrupção, porque ainda não havia nada corrigido que pudesse ser corrompido. Foi a quebra do limite entre os desejos de receber e de doar, o limite entre o Criador e o ser criado, entre as propriedades do Criador e o ser criado. Portanto, foi apenas em prol da correção.

O desejo de desfrutar existia antes da quebra, só que estava oculto. Depois que foi revelado, o ser criado já podia começar a trabalhar nele e ascender ao Criador. Cada vez a criatura revela sua disparidade com o Criador, o que lhe dá a oportunidade de corrigir essa discrepância e se aproximar do Criador.

Essa disparidade já existia antes, mas agora foi revelada. Isto é, há uma revelação com relação ao ser criado, como se colocássemos óculos e começássemos a ver o mau funcionamento que não percebíamos antes. 2

A destruição do Templo representa a fusão de Bina com Malchut. Portanto, houve duas destruições, de acordo com os dois níveis nos Partzufim espirituais: Dalet-Gimel (4/3) e Gimel-Bet (3/2). O primeiro Templo foi destruído no nível de Mochin de Haya e o segundo no nível de Mochin de Neshama. Portanto, a destruição do Primeiro Templo foi muito mais poderosa e significativa. Mas a destruição do Segundo Templo foi mais significativa, pois representou uma saída completa da espiritualidade.

O Primeiro Templo é uma união espiritual na qual todos os desejos são combinados com a intenção de doar ao Criador no nível de Mochin de Haya. Houve uma enorme luta entre as pessoas e cada uma dentro de si, com o objetivo de manter essa unidade e não cair. Mas o egoísmo crescia constantemente e, no final, a destruição ocorreu. O povo de Israel foi para o exílio; isto é, havia uma lacuna entre os níveis – o Partzuf espiritual se exauria. Após o exílio, o povo estava retornando à espiritualidade, construindo um novo Templo. (O Primeiro Templo é como Malchey DHGT [Daat, Hesed, Gevura, Tifferet] e o Segundo Templo é Malchey TNHYM [Tifferet, Netzah, Hod, Yesod, Malchut] no mundo de Nekudim, que foi quebrado.

A destruição do Segundo Templo já era a saída final da espiritualidade – todos entraram em intenção para si mesmos. Desde então, toda a nação, com exceção de algumas pessoas especiais (os Cabalistas), entrou no processo de descida contínua das gerações.

É impossível comparar as gerações que viveram imediatamente após a destruição do Primeiro ou do Segundo Templo com nossos contemporâneos. Eles sentiam uma conexão muito maior um com o outro. A santidade ainda os iluminava de longe e as centelhas da destruição do Templo anterior caíram e causaram impacto. Portanto, ainda havia grandes pessoas nessas gerações, mesmo após a destruição do Segundo Templo. Vemos os grandes livros que eles deixaram para nós: Mishna e Talmud.

Muitos ainda estavam em realização espiritual. A queda não aconteceu instantaneamente. A luz estava saindo gradualmente do Partzuf, até que estávamos quase na escuridão total na época do Ari.

Do tempo de Baal Shem Tov em diante, o despertar de baixo começou. Baal Shem Tov fez um ótimo trabalho revivendo a espiritualidade e foi seguido por Baal HaSulam. Houve outros Cabalistas que viveram no tempo entre eles. O último grande Cabalista de nosso tempo foi o Rabash, que nos deixou todo o método de correção que usamos hoje. 3
Da 2ª parte da Lição Diária de Cabalá 21/07/19, “Dia Nove de Av”
1 Minuto 9:50
2 Minuto 12:50
3 Minuto 18:58

Evolução Dos Desejos, Parte 13

laitman_600.01Ao Nível Da Interação Absoluta

Pergunta: Uma pessoa consiste em intenção, desejos, sentimentos, emoções, razão e pensamentos. Existem dois tipos de intenções: para si ou para os outros? Existe apenas um desejo – de desfrutar?

Resposta: Sim. Nada mais. Esta é uma qualidade da natureza. Isto é, receber satisfação ou evitar o sofrimento é basicamente o mesmo.

Sentimentos e emoções se manifestam no desejo, na magnitude de seu preenchimento. A mente nos permite perceber com precisão o que queremos.

Observação: Antes eu pensava que a mente é separada, por assim dizer, ou vice-versa, que os desejos servem à mente.

Resposta: A mente nos níveis inanimado, vegetativo e animado pode servir a desejos instintivos. Quando uma pessoa se desenvolve, a mente começa a servir seus desejos humanos.

De fato, precisamos de razão para contornar os desejos inanimados, vegetativos, animais e até humanos, e começar a subir ao nível da interação absoluta, superior à nossa natureza. Essa é a chamada “fé acima da razão”, quando buscamos conexão uns com os outros, apesar de todos os outros desejos e intenções.

Pergunta: Nosso objetivo é corrigir a percepção egoísta natural do mundo, os desejos egoístas – em relação ao próximo?

Resposta: Nem mesmo ao próximo, mas à união: “Ame seu próximo como a si mesmo”. Isto é, devo amar a mim e a meu próximo também. Isso significa unificação absoluta para criar um sistema comum. Portanto, quero ser parte integrante.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá” 19/07/19

Determine O Futuro

laitman_557Pergunta: Por um lado, você diz que sempre vivemos no futuro. Por outro lado, não há futuro. Você poderia explicar isso, por favor?

Resposta: O fato é que eu sempre me antecipo e dou meio passo à frente. Caso contrário, não posso existir no meu estado atual. É chamado que eu vivo como se no futuro. Mas realmente não há futuro porque eu o defino. Por um lado, espero por ele, mas por outro, predetermino-o.

A ciência da Cabalá diz de forma muito simples: se você pensa que o futuro em si chega até você, então você existe no nível animado. Os níveis inanimado, vegetativo e animado da natureza – é isso que o controla.

Se você deseja determinar seu futuro, defina-o por si mesmo, mas para isso você deve subir para o nível de controle apropriado, onde entende que o futuro depende apenas do grau de unidade entre as pessoas.

Quanto mais fortes estamos unidos, melhor o futuro, aceleramos o tempo e os eventos se tornam mais coordenados. Quanto mais as pessoas se separam, pior é o futuro e, é claro, tudo mais.

Assim, com nossas interações em direção à nossa unidade ou separação, nós mesmos determinamos o futuro.

Da Lição de Cabalá em Russo, 28/04/19