Textos na Categoria 'Crise'

“Olhando Para O Ano Da Covid” (Linkedin)

Meu novo artigo no Linkedin: “Olhando Para O Ano Da Covid

Olhando para o início de 2020, vejo que as pessoas aceitaram involuntariamente as mudanças forçadas pela Covid em suas vidas. É difícil dizer que é uma pandemia; é mais uma nova força que entrou em ação, criando divisões entre nós e nos separando. Isso meio que nos colocou em nossos cantos e nos forçou a nos comportar de novas maneiras. Podemos não querer isso, pelo menos a maioria de nós, mas ainda assim é uma força compulsória de cima.

Não estou surpreso que a Covid tenha feito isso. Quando ela começou, eu disse logo que era o começo de algo novo que estaria conosco de agora em diante. Nesse sentido, eu sugeri que adaptássemos nossas vidas a essa realidade. Não acho que devemos voltar ao modo como vivíamos antes, pois era insustentável e, na verdade, facilitou o surgimento da Covid-19. Se eu tivesse uma palavra a dizer sobre o assunto, diria o contrário – que quero que a Covid nos pressione até o ponto em que nos rendamos e concordemos em mudar nossos corações um para o outro e, se não, deixar o vírus continuar nos separando como ele tem feito ao longo do último ano.

O mundo antes da Covid era um hospício: pessoas correndo sem rumo, lutando furiosamente umas contra as outras, competindo por superioridade e poder, e cada vez mais deprimidas. A Covid parou com tudo isso porque mudou a maneira como trabalhamos, como nos socializamos e como tratamos nossas famílias. Ela mudou nossos valores e estou feliz porque os valores antigos não nos fizeram bem.

Nós nos sentíamos livres, mas éramos escravos de nossos egos. Nós nos sentíamos no direito, mas usávamos isso para privar outros de direitos. Nós nos sentíamos poderosos, mas apenas porque humilhávamos os outros. No final, ficamos com medo de que, se parássemos de intimidar os outros, outros nos intimidariam. Eu fico feliz que a Covid tenha interrompido isso e espero que nunca volte.

Agora é hora de encontrar a verdadeira liberdade, a liberdade de dar, apoiar e abrir espaço para os outros. É a liberdade para construir uma sociedade de partilha e atenção, solidariedade e coesão, responsabilidade mútua e confiança em nossos próximos. É hora de construir um novo mundo.

Agora que 2020 está terminando, eu espero que tenhamos aprendido o que ela veio nos ensinar e que passemos o resto da década vivendo suas lições.

Sonhando Com Pesadelos Pandêmicos

Meu novo artigo no Linkedin: Sonhando Com Pesadelos Pandêmicos

Tanto acordada quanto dormindo, pensamentos sobre a pandemia assombram toda a humanidade como nenhum outro evento no século passado. Os pesadelos sobre a Covid-19 em todo o mundo são um dos temas de estudo mais recentes. A pesquisa da Universidade de Harvard confirmou que as pessoas em todo o mundo estão passando por mudanças notáveis ​​na frequência e na natureza de seus sonhos como resultado da emergência de saúde global. Isso confirma ainda mais que o vírus afeta a humanidade como um único corpo e, portanto, é mais do que hora de começarmos a agir como tal.

As repercussões do coronavírus não são incidentes isolados, mas ocorrências globais que afetam toda a raça humana. Medos diurnos e preocupações sobre a pandemia permanecem presos na mente das pessoas à noite, enquanto elas dormem, de acordo com um estudo da Harvard Medical School. A pesquisa avaliou milhares de respostas a uma pesquisa global relatando sonhos bizarros semelhantes de enxames de insetos assassinos e outras imagens relacionadas a vírus, independentemente da localização e ocupação das pessoas.

Os sonhos são construídos a partir de um conjunto de pensamentos e desejos que uma pessoa acumula durante o dia. Mesmo que ela possa não estar ciente deles, eles permanecem abaixo da superfície no subconsciente. Quando uma pessoa coloca a cabeça no travesseiro e adormece, ela não tem mais controle sobre seus pensamentos e desejos ocultos. Durante o sono, eles são retirados da sua memória e surgem na forma de sonhos.

Quando nossas emoções, ideias, sensações e desejos estão livres de limitações, livres da opressão do mundo exterior e sem limites físicos, eles se conectam e se integram em um sonho, misturando elementos e experiências que muitas vezes se manifestam de forma ilógica e maneira bizarra. Este processo deu origem a todos os tipos de teorias e especulações sobre sua origem e interpretação. Mas os sonhos nada mais são do que um processo psicossocial e fisiológico. No final das contas, o que somos é carne com um sistema nervoso interno que nos desperta o tempo todo e não nos deixa descansar nem mesmo durante o sono quando nosso cérebro não está mais funcionando com força total.

Sonhar é um mecanismo importante que nos permite processar imagens e nos livrar delas. Às vezes, os sonhos não são simples, eles podem nos colocar em situações desagradáveis, estresse e medos. Portanto, é aconselhável ler algo relaxante ou mesmo engraçado antes de dormir. Ler os Salmos também pode ajudar a canalizar os pensamentos em uma boa direção. O sexo também pode aliviar o estresse e liberar o corpo da tensão acumulada durante o dia.

O estresse de nossa vida diária desde o surto do coronavírus tornou-se um fenômeno mundial. De acordo com a sabedoria da Cabalá, este período é o momento em que a humanidade completa seu estágio de desenvolvimento individual e passa para um estágio mais elevado e novo no qual todos os indivíduos se conectam como um corpo, para serem uma família, uma alma. Portanto, é natural que mesmo os pesadelos sejam agora globalmente semelhantes, já que o próprio mundo se tornou global e redondo.

Todos nós nos conectamos, compartilhamos desafios e experiências comuns. Passamos pela mesma pandemia e enfrentamos as mesmas crises enquanto estamos acordados. Embora todos pensem em sua vida pessoal, em sua família e no trabalho, esses pensamentos individuais agora estão fundidos na consciência coletiva do mundo, de modo que nossas experiências são cada vez mais semelhantes. Estas novas condições apresentam uma oportunidade notável para transformar nosso pesadelo no sonho de um mundo mais agradável e realidade viva.

Reação Da Natureza Às Relações Humanas

294.2Pergunta: Uma norma torna-se verdadeiramente moral apenas quando o requisito contido nela é realizado pela pessoa como um comando interno para si mesma. Em que condições isso acontece?

Resposta: Para que uma pessoa alcance tal nível, ela deve ser elevada, ver que funciona dessa maneira, e então, pelo que realmente existe ao seu redor, ela verá que não pode agir de outra forma. Nós devemos alcançar este estado.

Agora, estamos caminhando para a compreensão de que nossas interações, sejam boas ou más, têm um tremendo impacto sobre toda a natureza. Não é nem mesmo necessário que nossas expressões sejam expressas em algum tipo de ação mecânica, uma vez que os pensamentos humanos também afetam em grande medida nossos estados.

Comentário: Na verdade, hoje, quando estamos em quarentena, vemos como a sociedade está fragmentada. Existem as camadas mais egoístas da sociedade e as menos, as primeiras observam as regras de quarentena e as últimas não.

Por um lado, entendemos que sem garantia mútua não seremos capazes de lidar com a pandemia. Por outro lado, ninguém quer ceder. Não existe cultura geral ou educação geral.

Minha Resposta: Porque não vemos uma interação óbvia ou uma reação explícita da natureza aos nossos relacionamentos ruins.

Comentário: Nós vemos! Pessoas estão morrendo! Isso já está claramente visível.

Minha Resposta: Mas eu não vejo isso em exemplos pessoais. Não vejo que se repreender alguém então, no dia seguinte, eu mesmo morro. Portanto, devemos chegar a um tal desenvolvimento que uma pessoa sinta que sua atitude má em relação a outra mata a si mesma e a seu oponente.

De KabTV, “Habilidades de Comunicação”, 09/10/20

Preparação Do Egoísmo Para Mudanças Futuras

294.2Pergunta: Por que a humanidade levou tanto tempo para chegar a condições equitativas e igualdade de todos perante a lei? Além disso, embora não seja igualdade espiritual, você ainda vê algum progresso nisso?

Resposta: Sim, vejo algum progresso. A humanidade demorou muito para chegar ao estado atual porque trabalhamos com o egoísmo. Nos estágios inferiores de seu desenvolvimento, o egoísmo é realmente impenetrável. Demorou milhares de anos para prepará-lo de alguma forma para mudanças futuras.

Ainda não sentimos essas mudanças, mas em breve elas começarão a se manifestar. Veremos como em diferentes estágios do desenvolvimento humano, em diferentes estágios históricos, estávamos nos preparando para essas mudanças. Podemos passar por eles.

O fato de tudo ter sido distribuído dessa forma ao longo do tempo indica apenas que a natureza entende com quem está lidando e sabe fazer tudo de acordo com a lei de seu desenvolvimento intrínseco.

É necessário trazer gradualmente o egoísmo à consciência da necessidade de mudanças éticas, morais e, finalmente, espirituais.

De KabTV, “Habilidades de Comunicação”, 11/09/20

A Escuridão É Mais Profunda Antes Do Amanhecer

961.2Nas Notícias (thejournal): “O assassino de John Lennon [Mark Chapman] pede desculpas a Yoko Ono por seu ‘ato desprezível’ …

“Durante a audiência [de liberdade condicional], Chapman disse que matou Lennon, 40, por ‘glória’ e admitiu que merece a pena de morte.

“’Só quero reiterar que sinto muito pelo meu crime’, disse ele. ‘Não tenho desculpa. Isso foi para glória própria’. …

“Ele disse: ‘Eu o assassinei, para usar sua palavra anterior, porque ele era muito, muito, muito famoso e essa é a única razão e eu estava muito, muito, muito, muito buscando a glória própria, muito egoísta’”.

Pergunta: Como é possível que seu desejo de ser, como ele escreve, “muito-muito-muito-muito” famoso esteja acima de tudo, acima da vida e da morte?

Resposta: Essa é a maneira mais fácil de se tornar famoso. É porque ele tirou a recompensa de outra pessoa. Lennon havia crescido tanto que se tornou famoso e respeitado por todos. Enquanto esse cara, em um único momento, pressionava o gatilho e o matava e instantaneamente ganhava a mesma quantidade de fama.

Pergunta: E quanto à sua própria vida? Não há vida depois disso. Ele enfrentou uma sentença de prisão perpétua.

Resposta: Se ele continuasse sendo quem era, nada teria saído dele. Mas agora ele é famoso em todos os lugares.

Comentário: Que ego há dentro de nós! Há uma eternidade nele!

Minha Resposta: Certamente.

Pergunta: Então tudo se resume à fama acima de tudo?

Resposta: Ele subiu ao nível de Lennon.

Pergunta: Quer dizer que sem aplicar nenhum esforço, sem ter nenhum talento ou qualquer outra coisa, ele subiu ao seu nível? Este é um desejo humano natural ou ainda é um desejo especial?

Resposta: Não. Este é um indivíduo específico que simplesmente não consegue, não entende, não consegue encontrar nenhuma outra maneira de fazer algo consigo mesmo, de se elevar acima dos outros, exceto fazendo isso de uma maneira tão especial.

Eu o entendo. O que mais ele pode fazer se houver uma voz dentro dele que ele simplesmente deve ser pelo menos tão famoso quanto Lennon.

Pergunta: E se essa pessoa tivesse um vislumbre de pensamento sobre o sentido da vida, ela não teria cometido esse ato?

Resposta: Claro que não. Por que sacrificar sua vida? Para cumprir 40 anos? Onde está o sentido disso?

Pergunta: Então, na realidade, tudo o que falta à humanidade é um pequeno raio de luz neste reino escuro, não é mesmo?

Resposta: Sim. Eu acho que aos poucos vamos superando essa estupidez.

Pergunta: Por que o Criador não lançaria esta luz apenas um pouco?

Resposta: É proibido. Ele não pode fazer isso. O Criador não tem direito a isso! Caso contrário, Ele violaria esta lei fundamental da natureza de que o egoísmo é completamente oposto a Ele!

Pergunta: O que esta lei nos dá?

Resposta: Esse homem pode se tornar igual ao Criador no final de sua correção. Caso contrário, ele não o fará.

Pergunta: Ele o suprimirá desta maneira? Uma pessoa correrá atrás desse raio de luz e sempre o estará perseguindo?

Resposta: Sim. Na verdade, talvez ela fosse capaz de alcançar algo no meio. Mas uma pessoa deve se tornar igual ao Criador, livre em suas manifestações, e escolher por livre escolha exatamente a equivalência com o Criador, e alcançar a similaridade com o Criador apesar de todos os problemas, especificamente apesar de todos os problemas, tornando-se independente, que é, criar outra imagem do Criador a partir de todas as leis e qualidades do universo.

Se o Criador faz isso – não há sentido nisso! Ele não tem o direito de interferir, de mudar uma vírgula dessas condições.

Pergunta: Então, a escuridão completa chegará daqui a pouco?

Resposta: Sim, claro! A escuridão mais profunda se estabelecerá antes da correção final.

Pergunta: Antes da subida?

Resposta: Sim. Nós não vimos isso ainda.

Pergunta: Então, isso ainda não é definitivo?

Resposta: Não. Haverá indignação geral. Como está escrito, haverá a ascensão de todas as nações contra Israel, e assim por diante. Coisas simplesmente terríveis.

Comentário: Você está dizendo “terrível” e “ultraje”, mas ainda assim tem algum tipo de alegria interior.

Minha Resposta: Eu sinto alegria porque essa é uma etapa necessária pela qual temos que passar, e podemos passar por ela muito bem colocando a luz contra a escuridão. Então será realmente um grande salto para a frente.

Pergunta: Então, o que a humanidade terá de fazer se começar a sentir o caos e a escuridão completos?

Resposta: Primeiro, temos que subir até esse nível. O caos completo e a escuridão não serão revelados a menos que tenhamos a capacidade de trazer a luz para compensar essa escuridão.

Pergunta: Ou seja, o Criador envia apenas o que podemos superar? Seremos capazes de superar isso e voltar a andar?

Resposta: Claro. Mas enquanto isso, você vê que está se arrastando indefinidamente. Quanto mais contarmos ao mundo o que está acontecendo e o que fazer, mais problemas surgirão e mais rápido os resolveremos.

Pergunta: Então por que você continua dizendo ao mundo para voltar ao seu bom senso? Ele não precisa cair em si, deixe-o cair na escuridão completa.

Resposta: É assim que ele vai chegar lá. Quanto mais soubermos, mais rápido chegaremos lá. Mas temos que passar por isso!

De KabTV, “Noticias com o Dr. Michael Laitman”, 01/10/20

“No Shopping Hoje, No Necrotério Amanhã” (Linkedin)

Meu novo artigo no Linkedin: “No Shopping Hoje, No Necrotério Amanhã

Os negadores da epidemia do Coronavírus abundam em todos os países. Você pode vê-los protestando contra os bloqueios iniciados pelo governo, andando sem máscara, gabando-se de seu descuido e indiferença ao mal que podem infligir aos outros ao infectá-los, e ocupando lugares públicos como se fosse 2019. E daí se mais de um quarto de um milhões de americanos morreram e inúmeros outros sofrem de complicações pós-corona que ninguém consegue explicar, curar ou dizer quanto tempo durarão? E daí se minha “liberdade de expressão” colocar em risco a vida de outra pessoa? Em um país livre, sou livre para fazer o que quiser, certo?

Errado. Somos livres para fazer o que quisermos, desde que não prejudique os outros. Quando se trata da Covid-19, o comportamento irresponsável em público não se enquadra nessa categoria; ele arrisca a saúde de outras pessoas e, possivelmente, suas vidas.

Eu gostaria de sugerir uma ideia às autoridades que desejam conter a praga: comecem uma campanha e intitule-a “No shopping hoje, no necrotério amanhã”. Façam filmagens de câmeras de segurança de pessoas em locais públicos, como elas se divertem e se relacionam descuidadamente, como desconsideram as precauções de segurança, não usam máscaras, não mantêm a distância necessária e não evitam o contato. Duas semanas depois, analise esses dados e compare-os com os registros de novos casos confirmados da Covid. Tenho certeza de que os resultados, apesar de todas as leis de privacidade que protegem os dados pessoais, mostrarão evidências suficientes de que a Covid é muito real e as pessoas sofrem as consequências de suas ações.

Não há intenção de vingar comportamentos imprudentes, mas simplesmente de provar que o perigo é real. Este ato, por mais frio que possa parecer, pode salvar inúmeras vidas ao expor a verdade que tantas pessoas estão tentando negar: a Covid é real e está aqui!

Quando as pessoas perceberem que realmente existe um problema, que as 270.000 mortes de Covid estranhas eram pessoas reais que não estão mais conosco, elas estarão mais abertas para contemplar maneiras de resolver a situação. É quando precisamos começar a falar sobre responsabilidade mútua, solidariedade, interdependência e todas aquelas ideias belas e verdadeiras que parecem tão insubstanciais para as pessoas até que a interdependência as atinge no rosto porque elas ou alguém que amamos foi infectado por uma pessoa descuidada.

Precisamos perceber, e começar a agir de acordo, que existe uma regra básica para toda a natureza: todos os seres são um sistema, uma entidade. Assim como não existe um órgão doente, mas o resto do corpo é saudável, não existe uma pessoa doente e o resto da humanidade é saudável. Uma doença em qualquer lugar é uma doença em qualquer lugar. O fato de não a sentirmos não significa que ela não seja verdade; significa que nossos sentidos são defeituosos, que estamos doentes de alienação e que, para curar o resto de nossas doenças, devemos primeiro curar a condição de alienação.

Se trabalharmos nisso juntos, poderemos mudar a realidade. Poderemos aprender a sentir um ao outro, sentir nossa conexão e nossa dependência mútua. Poderemos descobrir os benefícios da responsabilidade mútua e da solidariedade, mas primeiro devemos assumir o compromisso conjunto de fazer isso. Quando estivermos cansados ​​do isolamento e da solidão, seremos capazes de nos curar de nosso orgulho sem sentido e começar a nos conectar. Quando estivermos cansados ​​da alienação, seremos capazes de ver que a alienação é a nossa verdadeira doença.

“Aquele Que Vier Para Matar Você, Mate-O Primeiro” (Linkedin)

Meu novo artigo no Linkedin: “Aquele Que Vier Para Matar Você, Mate-O Primeiro

Nossos sábios escreveram: “Aquele que vier para matar você, mate-o primeiro” (Midrash Rabbah, 21:4), e “Se alguém vier matar você, mate-o primeiro” (Midrash Tanchum, Pinhas, Capítulo 3). Há poucos dias, o principal cientista nuclear iraniano, Mohsen Fakhrizadeh, considerado o mentor do programa nuclear iraniano, morreu depois que seu carro foi aparentemente emboscado em um distrito a leste de Teerã. Embora a maioria dos dedos apontem para Israel, eu não descartaria a possibilidade de que isso seja um feito das forças americanas. De qualquer forma, sou totalmente a favor. Uma pessoa que dedica sua vida à destruição de outros deve ser eliminada. Esta não é apenas a antiga lei judaica, como acabamos de declarar, é a coisa razoável a se fazer aos olhos de toda pessoa sensata. Fakhrizadeh dedicou sua vida ao desenvolvimento de uma bomba atômica que destruiria o estado de Israel e mataria seu povo. Isso torna seu assassinato um clássico ato de autodefesa.

Existem relatos de algumas organizações judaicas que denunciaram seu assassinato. Mesmo que suas palavras sejam meramente humilhantes às poderosas forças anti-Israel a quem desejam aplacar e propiciar, tal posição prova que eles não desejam a existência do Estado de Israel.

A decisão de tirar a vida de alguém, mesmo que seja seu pior inimigo, não é fácil. Requer meses, senão anos de deliberação e ponderação de todas as opções. Mas, uma vez que fica claro que apenas eliminar essa pessoa irá parar o andamento de um plano de genocídio, mesmo que apenas temporariamente, torna-se justificado matá-la e interromper o estratagema.

No caso do Irã, é óbvio que seu objetivo é usar armas nucleares para destruir Israel. Também é óbvio que eles não têm planos de deter ou diminuir seus esforços para construir tais armas. Portanto, eliminar o principal cientista nuclear iraniano é uma medida sábia e necessária.

Na verdade, mesmo considerando a possível resposta iraniana, como ataques a embaixadas ou usando seus representantes no Oriente Médio para atacar Israel, não tenho dúvidas de que os custos foram calculados e as conclusões corretas foram tiradas.

É verdade que Israel está em perigo agora, mas quando não esteve, quando Fakhrizadeh estava vivo? Israel está em perigo desde que os primeiros hebreus deixaram a Babilônia seguindo Abraão e decidiram construir uma nova nação com base no amor aos outros, oposta ao resto do mundo.

O último incidente não muda nada o quadro geral. Tudo o que faz é dar a Israel tempo para controlar seu papel no mundo: unir suas fileiras e estabelecer um modelo de solidariedade acima das disputas.

Se o povo de Israel se unir acima de todas as suas diferenças, eles se tornarão o modelo de que o mundo precisa desesperadamente. Esta é a única circunstância em que as nações considerarão a existência de Israel como legítima e até desejável. Solidariedade interna e responsabilidade mútua são as únicas curas para o ódio contra nós. Elas são nossa única defesa verdadeira contra as bombas nucleares, pois irão neutralizar o ódio que as cria.

Mas até que nos tornemos sábios e superemos nosso ódio, operações direcionadas são necessárias para nos dar mais tempo para completar nossa tarefa. As únicas questões são quanto tempo podemos comprar e quanto mais podemos levar até que nos tornemos sábios e façamos o que deveríamos fazer no mundo.

Diferentes Níveis De Tomada De Decisão

583.04Pergunta: Uma pesquisa mostra que um pequeno grupo de dez a quarenta pessoas pode demonstrar conhecimento verdadeiro de questões complexas. Portanto, não se pode acreditar cegamente na sabedoria da multidão. Existem questões que precisam de especialistas para serem resolvidas.

Quando a sabedoria da multidão pode ser usada para resolver problemas e quando é inteligência coletiva? Por que, quando conectada à sabedoria, ela a leva a um novo nível? No entanto, isso não é suficiente. Também é necessário conhecimento?

Resposta: Depende de quais questões você está decidindo. Você não pode reunir um milhão de pessoas que não entendem nada, por exemplo, sobre construção e esperar que possam construir um prédio alto. Elas não terão sucesso. E se você reunir vários especialistas, você obterá um resultado positivo.

Portanto, é necessário examinar especificamente qual é o problema que você deseja resolver. A pessoa anda no conhecimento ou na fé acima do conhecimento. Se você vai no conhecimento, deve reunir especialistas. Se você se depara com uma tarefa praticamente inatingível, por exemplo, como lidar com o coronavírus, os especialistas não serão capazes de ajudar.

Vemos que esta forma de epidemia afeta simultaneamente a todos no mundo, está se tornando cada vez mais dominante e se espalhando por todo o planeta. Não acho que seremos capazes de limitar, parar ou matá-la de qualquer forma.

Então teremos que levar em conta a sabedoria da multidão. Como encontramos uma solução? É muito simples. Se pegássemos um grande número de pessoas sem colocá-las em um escritório que exploraria sua mente e conhecimento, mas as reuníssemos e tentássemos elevá-las acima de seu nível para que trabalhassem pela unificação, o resultado seria apenas a unidade, uma ascensão acima de seu egoísmo pessoal. Então, elas seriam capazes de identificar com sucesso qual é o problema.

De KabTV, “Habilidades de Comunicação”, 25/09/20

Nível Único De Anulação

530Pergunta: Digamos que eu seja o ministro da saúde e você, o ministro das finanças. Precisamos tomar uma decisão em uma hora se vamos fechar o país para quarentena ou não. É claro que teremos opiniões diferentes. Então, você deve anular sua opinião e eu a minha?

Resposta: Não. Nenhum de nós pode anular sua opinião. Não vai adiantar nada. Aqui, precisamos criar um sistema de tomada de decisões completamente diferente, mas definitivamente não dos gabinetes de ministros.

Precisamos reunir um grupo que queira se elevar acima de suas opiniões egoístas. Não ficar do lado de um ou outro egoísta, mas se elevar acima de si mesmos. Isso só é possível quando cada um de nós se anula perante os outros.

A dezena (Minyan) é suficiente para isso. Se todas as dezenas começarem a se anular pelas outras, nós podemos sentir a comunidade, sentir o que significa que nos anulamos.

Este ponto de anulação será o ponto de partida de nosso desenvolvimento espiritual, que é a base do grau de Bina: o grau do novo conhecimento. Devemos começar com isso.

Pergunta: Isso significa que, mesmo que concedamos um ao outro e encontremos algo no meio, também não chegaremos a lugar nenhum? A solução está em um nível diferente?

Resposta: Sim. Infelizmente, este nível ainda não está claro porque é realmente especial e único.

Comentário: Você está falando sobre sentimentos que são impossíveis de compreender.

Minha Resposta: Nesse caso, a humanidade terá que sofrer um pouco mais antes de fechar os olhos e aceitar isso de quem já tem esse sentimento.

De KabTV, “Habilidades de Comunicação”, 25/09/20

Aquele Dentro De Mim

293Comentário: Existe dor no mundo. Como você sempre diz, essa pandemia não é o fim de tudo. A ONU já aceitou que perdemos esta luta com mais de um milhão de mortos e mais de 30 milhões de infectados, e que precisamos nos unir. Mas como? Como podemos nos unir? De repente, Karabakh! Nação sobre nação! Esse ódio é derramado que não existia antes. O que está acontecendo na Bielorrússia?! O que está acontecendo na América?!

Minha Resposta: O mundo, é claro, desceu …

Pergunta: E quanto a Israel? O governo não pode tomar decisões básicas. Parece que não fomos colocados em apartamentos, em quartos, o vírus não nos assustou.

Resposta: As pretensões mútuas são as mais fortes.

Pergunta: Isso é impressionante! Que tipo de natureza é essa?! Como podemos trabalhar com ela?

Resposta: Este é o próximo estado do egoísmo. O fato de eu prestar cada vez menos atenção às consequências que são supostamente ameaçadoras. Eu estou ameaçado, outros estão ameaçados, não importa, não sinto. O que eu posso fazer?

Pergunta: Uma pessoa não tem responsabilidade. Deve haver uma mudança de mente ou de coração?

Resposta: “O que a mente não faz, o tempo faz”, diz a Bíblia.

Nós estamos tentando acelerar esse processo de revelação do mal. Para quê? Para a humanidade dizer ao seu ego: “É isso! Você não me governa mais! Estou me separando de você! Este é você e este sou eu”.

O que posso fazer para perceber que ele está me guiando o tempo todo? Levanto de manhã e sinto que ele está me guiando: “Levanta, vai lá, faz aquilo, senta assim, daquele jeito …” Ele manda em mim o tempo todo.

Pergunta: Devo admitir que sou seu escravo?

Resposta: Eu não admito. Começo a entender isso e começo a me rebelar contra isso porque vejo que, em princípio, ele não prepara nada de bom para mim.

Precisamos nos elevar acima disso para que nossa natureza terrena não nos guie. Não podemos continuar vivendo assim.

Pergunta: Podemos falar sobre o egoísmo e o homem, sobre o fato de que o egoísmo nos transforma, nos empurra, nos faz girar e, em princípio, nos empurra para o abismo. Uma pessoa comum pode raciocinar assim ou não?

Resposta: Se você explicar tudo isso a ela o tempo todo, ela acabará sendo capaz de ver, por um lado, a explicação e, por outro, os golpes do destino.

As explicações devem estar sempre diante de seus olhos. E ela não queria vê-las, nem lê-las, nem nada. Mas chega a hora, ela leva golpes, e de repente vê. Ou começa a pesquisar freneticamente: “O que devo fazer ?! Como faço para me livrar do problema?!” Então ela começa a ver, a ouvir.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 01/10/20