Textos na Categoria 'Crise'

Todos Juntos Na Reta Final

961.1O Criador nos obriga a seguir o programa da criação e, portanto, nos mostra que é ruim permanecermos separados uns dos outros. Mas como Ele pode nos mostrar que isso é ruim?

Só às custas do sofrimento, caso contrário não entenderemos que a separação é má. Portanto, o Criador é forçado a anexar algum evento desagradável à nossa separação para que possamos começar a senti-la.

Precisamos sentir, durante a pandemia do coronavírus, que estamos com problemas por causa de nossa separação. Precisamos conectar nossos estados físicos e mentais. O fato de estarmos tão distantes um do outro mentalmente e não sentirmos o quão bela é a conexão, é a causa de todos os infortúnios que nos aconteceram. O vírus em si não é tão terrível, mas por cobrir o mundo inteiro, paralisa todas as nossas vidas. Se tivesse atingido um único país, não teria atraído tanta atenção.

Mas visto que vem de um nível completamente diferente, da força espiritual global ao redor do globo inteiro, do estado espiritual, do programa do fim da correção global, ele desperta uma atitude muito especial para consigo mesmo e mergulha todos em confusão e perplexidade.

Os cientistas não conseguem encontrar uma solução e não há esperança de uma vacina em breve. Essa epidemia é diferente de todas as anteriores, que eram mais locais, não visavam corrigir a última geração e não vinham de uma força comum chamada Mashiach que atua sobre toda a humanidade. Esta é a primeira vez que a encontramos.

É por isso que tais medidas estão sendo tomadas. Afinal, por que parece necessário parar toda a indústria ao redor do mundo, destruir as economias de todos os países e mudar radicalmente a vida das pessoas só por causa de algum vírus? E se houvesse uma guerra que matasse milhões, não teria parado, as pessoas continuariam a lutar. Por que estamos parando nossas vidas por causa do coronavírus?

É porque esse poder vem do nível superior – de onde já estamos conectados. E esse poder vem para nos mostrar que temos que nos conectar aqui neste mundo.

Portanto, não o entendemos e estamos perplexos. Gradualmente, começaremos a ouvir a maneira como o Criador está nos ensinando e começaremos a entender como Ele nos trata e o que Ele quer de nós.

Com isso, ouviremos a voz do Criador, sentiremos Suas ações e seremos capazes de responder a elas. Vamos nos aproximar um do outro e ver imediatamente a epidemia diminuir. Então cairemos de volta em nosso egoísmo, e a epidemia retornará.

Desse modo, vamos nos aproximar e nos afastar, como uma criança que sobe nos braços do pai, depois foge dele, fica com medo de um cachorro e pede para ser pega novamente. Da mesma forma, o Criador nos ensina como sempre nos esforçar para nos conectarmos com Ele.

A única diferença entre este mundo e o mundo espiritual está em quem governa: eu ou o Criador. É para essa mudança de poder que a pandemia deve nos empurrar.

O Criador leva em consideração a correção global do mundo inteiro: Ele pensa no futuro da humanidade, conectando todos em um Kli e preenchendo-o com a luz superior. Já alcançamos a reta final da correção – o Criador não está muito escondido.

Somos nós que não podemos revelá-Lo, e Ele não se esconde, influenciando-nos a partir da nossa conexão. E assim sentimos um golpe global para todos, não em algum lugar mais, em algum lugar menos, mas em todos os lugares. Afinal, já estamos na reta final e só precisamos chegar à linha de chegada: à conexão global.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 13/09/20, “Trabalho Com Fé Acima Da Razão”

Como A Moda Mudará?

565.01Observação: O coronavírus e a pandemia associada a ele estão mudando os hábitos, diretrizes e prioridades da sociedade. Como resultado, isso tem impacto em todas as esferas dos negócios, incluindo a moda. Na semana de moda de Paris, uma das marcas apresentou sua coleção em uma barcaça que desceu o Sena. Ela podia ser observada da Torre Eiffel e de diferentes lados.

A Dior lançou uma coleção de bonecos, e se os clientes quiserem comprar alguma coisa, ela será reproduzida em tamanho real.

Outra marca de luxo criou uma coleção que corresponde às condições atuais. Seu costureiro diz que muito provavelmente é um vestido de casa ou uma camisola que agora corresponda à época atual.

Meu Comentário: Muito bom. Isto é o mais necessário.

Pergunta: O que uma pessoa transmite através das roupas do ponto de vista da Cabalá?

Resposta: Seu mundo interior, sua atitude interior em relação ao significado do mundo, ao sentido da vida.

Pergunta: Que valores devemos transmitir uns aos outros para não dependermos das roupas, seu custo, etiquetas e assim por diante?

Resposta: Com a ajuda das roupas, temos que transmitir nossa aspiração por unidade, por uma conexão bonita e simples entre as pessoas acima do nosso egoísmo, para que todas as pessoas ao redor sintam que eu me relaciono bem com elas, gentilmente, e elas podem ver isso em minhas roupas.

Ou seja, as roupas não devem ser provocantes, mas cativantes, atraindo algo compassivo para mim. É possível verificar como as crianças se relacionam com ela, querem acaricia-la, encostar sua bochecha nela.

Pergunta: Que tipo de moda deve ser introduzida para que isso apareça e se desenvolva entre as pessoas?

Resposta: Moda por um sorriso. Nenhuma roupa, nenhuma dragona ou qualquer outra coisa possa substituir isso. Deve haver um sorriso amigável. Não um olhar malicioso.

Pergunta: Que informações as roupas devem transmitir a outras pessoas?

Resposta: Elas devem transmitir a boa mensagem de uma pessoa.

De KabTV, “Notícias com Dr. Michael Laitman”, 27/07/20

Negócios De Acordo Com As Leis Da Natureza

962.5Pergunta: Nos negócios, a receita se baseia no fato de que todos estão tentando usar os outros para obter o máximo para seus próprios superlucros. Portanto, praticamente não há lugar para uma pessoa honesta em uma empresa. Como deve ser uma empresa para se conformar com as leis da natureza?

Resposta: Um negócio deve ser totalmente recíproco quando ambos os parceiros entendem que não podem viver um sem o outro. Portanto, o negócio material não deve ser construído sobre o fato de que eles vêm juntos, começam a se enganar e roubar um do outro e, então, rapidamente se espalham.

E o negócio espiritual é baseado no fato de que nos unimos e eventualmente formamos algo mais. E isso é algo maior. E isso é algo do qual a sociedade pode tirar o máximo proveito, e queremos oferecê-lo à sociedade.

Pergunta: Que conselho você daria às pessoas que desejam cumprir as leis da natureza?

Resposta: Para investir tanto quanto possível em uma nova educação ou no cultivo de uma nova sociedade.

De KabTV, “A Era Pós-Coronavírus”, 04/06/20

A Impossibilidade De Existir Na Mesma Estrutura

562.02Pergunta: Vemos que cada geração que se segue luta mais pela liberdade, quebra os limites das restrições da vida, corta-os. De onde vem esse desejo?

Resposta: Cada geração seguinte não quebra a estrutura anterior, mas simplesmente não pode existir nela porque a própria geração é diferente. Tem desejos diferentes, egoísmo diferente, prioridades diferentes. Portanto, não pode cumprir as condições e restrições que as gerações anteriores realizaram com prazer ou com o mínimo de energia.

Pergunta: Vemos que o mundo está lutando por uma maior interconexão. A integração está se manifestando muito fortemente hoje. As pessoas se movem de um lugar para outro, os privilégios mudam, as fronteiras das nações se tornam mais abertas. Na natureza, existem tendências em direção a uma maior liberdade e menos limites. Existe alguma contradição nisso?

Resposta: Não. Acontece que a humanidade está começando a sentir o próximo nível de seu desenvolvimento. Portanto, a estrutura anterior não parece mais necessária.

Acreditamos que a nova geração não quer nossas condições, nossas leis. É simplesmente criada com tais desejos que não podem cumprir com essas condições e senti-las como necessárias.

De KabTV, “Habilidades de Gestão”, 02/07/20

“Shana Tovah Depende De Nós” (Medium)

Medium publicou meu novo artigo: “Shana Tovah Depende De Nós

Nós estamos no limiar de uma revolução completa – uma mudança substancial em nossa atitude em relação a nós mesmos, à sociedade, à humanidade e a toda a natureza. Rosh Hashanah, que em hebraico significa a “cabeça” ou “início” do “ano”, chega em um momento especial, como nunca antes, no meio de uma pandemia global. Estamos cientes do impacto de longo alcance do vírus, mas precisamos nos perguntar para que propósito ele chegou? A resposta a esta pergunta é a chave para um bom ano novo, um Shana Tovah 5781.

A era do coronavírus está remodelando nossas vidas, literalmente à força. Está nos levando a um mundo mais elevado e avançado, no qual todas as partes estão ligadas. O fato de que o mundo parece exatamente o oposto agora – cheio de jogos de ego, violência, corrupção, lutas e tumultos – faz parte do processo de desenvolvimento.

O coronavírus está nos mostrando como nosso comportamento individualista e egoísta está nos levando à destruição e à dor. Olhando-nos bem nos olhos no espelho, com total honestidade, desejaremos reformar e corrigir nossa natureza em uma que deseja apenas cooperação e unidade mútuas.

Os crescentes desafios e apuros que vivemos despertam a introspecção mundial para perceber que o caminho atual que a humanidade trilha não está nos levando a um bom lugar. Este reconhecimento por si só já é um passo muito importante em nosso desenvolvimento. O coronavírus revelou-se uma força que está despertando a humanidade para empreender uma revisão completa de seu estado.

Nosso entendimento atual do que está acontecendo se resume à consciência de que estamos sendo espancados por este vírus. Mas nosso discernimento não vai mais fundo do que isso. Não temos ideia para onde os golpes estão nos direcionando, de onde eles vêm e, mais importante, com que propósito. Estamos tão desamparados e desorientados como um bebê recém-nascido que sente dor e não para de chorar, sem entender o motivo da situação.

Assim, nosso desafio mais importante é descobrir a razão do coronavírus, não no sentido biológico, mas no sentido essencial, desde sua própria origem. Distanciamento social, máscaras, prevenção de multidões, uma corrida global por uma vacina, tratamentos experimentais – todas são medidas que buscam aliviar o problema da Covid-19. No entanto, nenhuma será capaz de constituir uma solução abrangente para o fenômeno do coronavírus.

A natureza, como um pai amoroso, sempre trabalha para o bem de toda a criação em conjunto. Os golpes, pressões e angústias, por mais dolorosos que sejam a cada indivíduo, não vêm para nos prejudicar, mas para nos levar ao equilíbrio com a natureza e, com isso, a uma vida melhor. Seu objetivo é aguçar nossa consciência de nossas prioridades na vida, do que realmente importa: nossas relações harmoniosas entre nós e com a natureza.

A pandemia visa ensinar-nos como abordar o meio circundante de forma adequada, de forma integrada e complementar, com o desejo de fazer o bem aos outros e ao ambiente. A natureza é global, integral e unificada. Assim, a tendência do desenvolvimento evolutivo é fazer com que nos identifiquemos com essas mesmas qualidades, apesar de termos sido criados diferentes e distantes uns dos outros.

A era do coronavírus está remodelando nossas vidas, literalmente à força. Está nos levando a um mundo mais elevado e avançado, no qual todas as partes estão ligadas. O fato de que o mundo parece exatamente o oposto agora – cheio de jogos de ego, violência, corrupção, lutas e tumultos – faz parte do processo de desenvolvimento. Se no início da pandemia ainda víamos manifestações de solidariedade e ajuda mútua, hoje a paciência de todos se esgotou.

Além disso, a ilusão de que nos tratamos bem foi destruída e ficou claro que é da natureza humana cuidar apenas de si mesmo.

O desamparo que estamos sentindo nos levará a buscar a orientação de nossos sábios que, ao longo de milhares de anos, criaram um método unificador para este tempo especial para conduzir a humanidade a um novo horizonte. Este método atemporal desenvolve na pessoa a visão e o sentimento de que estamos todos dentro de um sistema. Uma vez que essa noção é firmemente instilada em nós, torna-se natural tratar os outros como gostaríamos de ser tratados até nos tornarmos “como um homem com um só coração”.

E quando finalmente estivermos harmoniosamente conectados, sentiremos como o único poder da natureza que governa tudo na realidade só nos faz bem.

Então, o que devemos desejar para o ano novo? Primeiro, reconhecer nossa natureza humana egoísta como uma força autodestrutiva que nos separa. Em segundo lugar, que desejaremos mudar de direção e nos conectar para o bem de todos. Com isso, vamos ativar a força da natureza que irradia um mundo saudável e pacífico. Nossa intenção e vontade de construir uma conexão profunda entre nossos corações curará o coronavírus em sua raiz e garantirá que o próximo ano seja o mais doce que já experimentamos, um verdadeiro Shana Tovah.

“Até Logo, Ursinho De Pelúcia – Hora De Crescer Se Quisermos A Covid Fora” (Medium)

Medium publicou meu novo artigo: “Até Logo, Ursinho De Pelúcia – Hora De Crescer Se Quisermos A Covid Fora

Como eu disse desde o início do surto, o coronavírus não é outro vírus e a Covid-19 não é outra pandemia. É uma virada de jogo, um transformador que vai virar nossas vidas de cabeça para baixo e do avesso. Quando terminar, seremos pessoas diferentes e, até que isso ocorra, não vai embora.

Qualquer que seja o quadro que os governos e a mídia estejam pintando, a verdade é que estamos no meio de um colapso econômico, social e político. A própria base do nosso modo de vida, onde somos forçados a competir uns com os outros por recursos e fundos, e por status social e respeito, onde não podemos confiar em ninguém porque o sucesso de um significa necessariamente o fracasso de outro, essa base de nossas vidas anteriores estão finalmente se dissolvendo.

Quando transformarmos nossa abordagem de egoísta em altruísta, iremos colaborar ainda melhor e todos realmente se beneficiarão de nossos produtos comuns. Haverá abundância para todos.

Assim como a neve derretida cria muita lama, mas por baixo dela a grama está crescendo e os botões estão brotando da terra congelada, nossas vidas estão mudando sua fachada congelada anterior, e uma nova fachada, vibrante e alegre, está brotando. Mas até que brote, vamos ter que caminhar um pouco na lama.

Enquanto isso, há várias coisas que podemos fazer para acelerar o surgimento de nossa vida nova e melhor.

1. Temos nos agarrado às nossas velhas vidas como se fôssemos adolescentes agarrados a um ursinho de pelúcia surrado e surrado que amamos desde a infância. Não podemos ver que a Mãe Natureza está nos oferecendo uma infinidade de jogos novos e emocionantes para jogar, adequados para nossa idade e compreensão. Estamos tão presos ao passado que não podemos nos livrar dele e agarrar a riqueza que o futuro está nos oferecendo.

No entanto, isso vai acontecer mesmo assim. Teremos que desistir de nosso antigo modo de vida, já que estamos mudando, quer gostemos ou não. Mesmo que as empresas sejam reabertas sem quaisquer limitações, os compradores não virão como antes e as empresas entrarão em colapso em massa. Se fizermos a transição para a nova era com consciência, seremos capazes de fornecer a todos renda e ocupações. Se não fizermos, ainda o faremos, no final, mas após um desfile de desastres. As catástrofes que estamos vendo agora em toda a América são apenas um prelúdio para uma cacofonia de adversidades contemporâneas colidindo.

2. Precisamos entender que, essencialmente, não estamos passando por uma crise econômica. Ver as coisas dessa maneira é a visão de mundo limitada dos financistas que ganham a vida explorando pessoas e aproveitando oportunidades financeiras. Mas, na verdade, estamos passando por uma transformação social, uma transição de uma atitude egoísta para uma atitude altruísta em relação à vida.

Podemos pensar que viver abnegadamente dá menos abundância material, mas isso é totalmente errado. Quando uma sociedade vive de forma abnegada, todos os seus residentes garantem o bem-estar de cada um dos membros da comunidade. Isso significa que eles nunca terão que se preocupar com comida, abrigo, educação, saúde, energia e atividades após a escola. Em vez de indivíduos cuidando de si mesmos, a comunidade cuida deles. As pessoas, em troca, fazem o mesmo pelos outros, mas suas mentes e corações ficam despreocupados.

Como resultado da transformação da sociedade, todo o nosso conceito de economia mudará. Uma vez que a economia reflete as relações na sociedade, quando os membros da sociedade colaboram, a economia também se torna colaborativa. Além disso, esse processo não se desenvolve de forma obrigatória, mas simplesmente porque é do interesse de todos.

Considere o seguinte: já vivemos em uma sociedade colaborativa. Nada do que produzimos é feito 100% localmente e, sem a colaboração de inúmeros outros fabricantes em vários países, não seríamos capazes de produzir nada. Portanto, o problema não é que não colaboremos, mas que colaboramos contra nossa vontade e tentamos extorquir, manipular e enganar uns aos outros no processo. Quando transformarmos nossa abordagem de egoísta em altruísta, iremos colaborar ainda melhor e todos realmente se beneficiarão de nossos produtos comuns. Haverá abundância para todos.

3. O terceiro e mais importante requisito para acelerar a transição do velho mundo para o novo é o apoio mútuo. Temos que nos ajudar mutuamente a ver para onde estamos indo, que estamos caminhando para uma vida linda. As pessoas não serão capazes de largar seus ursinhos de pelúcia e abraçar a vida nova e fácil até que vejam outros fazerem o mesmo. Portanto, pense sobre isso, fale sobre isso e entusiasme os outros sobre a nova vida que temos pela frente, porque assim que concordarmos com a transição pela qual estamos passando, os brotos vão estourar na neve e uma nova primavera começará.

O Que Será De Nós?

555Observação: Nós vemos que o vírus mudou as pessoas. Costumava haver todas essas corridas: onde ir descansar, para onde voar, comprar passagens aéreas com antecedência, o que comprar, como se vestir. Tudo isso ocupava os pensamentos centrais de uma pessoa.

Hoje, uma pessoa tem um futuro incompreensível, ela tem ansiedade, algo nasceu dentro dela que começa a perguntar: “O que será de mim?”

Meu Comentário: Agora, uma pergunta sobre o futuro surge em uma pessoa. Sempre nos pareceu que o futuro estava se movendo ao longo de algum tipo de desenvolvimento de etapas egoístas. Agora, isso não é mais verdade e não será assim no futuro; tudo está acabando. O vírus está devorando esse futuro e, portanto, não sabemos como construí-lo.

Observação:  Sempre houve um desenvolvimento tão linear do egoísmo que amanhã haveria algo, depois de amanhã haveria algo.

Meu Comentário: Haveria ainda mais, será ainda melhor! Vamos voar para as estrelas. “E as macieiras florescerão em Marte”, etc.

Apenas 20 a 30 anos se passaram; olhe o que está sendo feito com a Terra, com o espaço sideral e com tudo! Não há solução em lugar nenhum! Esta é uma terrível decepção de toda a humanidade em si mesma. Esta é uma mudança impressionante.

Mas isso é ótimo! Estamos finalmente começando a remover o véu de nossos olhos. Nosso egoísmo nos cegou: vou construí-lo para você; vou fazer isso por você! Venha, olhe! Vá para o mar, vá para o exterior! Olha quantas garotas lindas! Olha que música está tocando! Veja o que está sendo feito! Que vida! Isso é tudo.

Observação:  Então, quando ouvimos que não haverá vida, isso é o que nosso egoísmo nos diz. Pelo contrário, haverá vida, mas nosso egoísmo diz: não haverá vida.

Meu Comentário: Sim. Portanto, nós o acolhemos. O egoísmo nos move para frente.

Pergunta: Apesar do fato de que agora ele está pintando uma escuridão completa para nós. Você chama isso de avanço?

Resposta: Ele pinta isso corretamente para nós porque por dentro nós nos sentiremos assim.

Pergunta: Então, se estamos seguindo o caminho egoísta que temos seguido até agora, existe um abismo à frente?

Resposta: Sim, mas na natureza, afinal, isso é feito com antecedência para que tudo acabe bem de qualquer maneira. Não pode ser em nossa vida, em nosso mundo, nesta natureza de tal forma que tudo é tão estúpido com um beco sem saída além do qual não há nada. Ele renasce, assim como todos os estágios e tempos da natureza renascem.

O futuro degrau determina a escuridão porque não é escuridão. O que parece escuridão à nossa frente já é um futuro degrau que sentimos como escuridão hoje porque ainda não estamos determinados a ver este degrau.

Quando dermos uma boa olhada na escuridão, de repente veremos: isso não é escuridão, não são nem mesmo silhuetas, nem mesmo alguns estados semi-escuros. Na verdade, é uma luz enorme! Este é um novo mundo.

Pergunta: O degrau mais alto foi rebaixado até nós agora? Para nós, ele agora parece uma escuridão absoluta. Queremos viver como vivemos, mas não podemos mais viver como vivíamos. O que deve ser feito agora? Agarrar-se a ele?

Resposta: Devemos aceitá-lo como é e tentar nos adaptar a ele; o que está nele é o melhor. Dessa forma, vamos nos reeducar.

Pergunta: Qual é a próxima etapa?

Resposta: É um novo mundo no qual uma pessoa existirá nas forças do bem, conexão, doação e amor. Ele está se aproximando e, portanto, parece-nos escuridão. Mas tudo ficará bem. O vírus vai nos ajudar.

Pergunta: Esse empurrão por trás nos leva exatamente a este estágio? Ele definitivamente leva a este estágio?

Resposta: Sim. Na verdade, os vírus definem toda a nossa vida. Somos todos apenas vírus. Podemos dizer que somos feitos deles. Até os cientistas dizem isso. Portanto, devemos ver as mudanças corretas em nossa natureza nisso.

Pergunta: Se eu agora me direcionar mesmo um pouquinho até este degraus com bons pensamentos, tentarei estar neles?

Resposta: Então você se adaptará a ele de forma rápida e fácil e não sentirá que existe algum tipo de transição abrupta até a próxima etapa.

Pergunta: Então, o mundo futuro é bom e brilhante?

Resposta: Ele já está chegando; já está aqui. Vamos pegá-lo! Não vamos fazer nenhuma virologia. Todos nós trabalharemos juntos para nos adaptarmos uns aos outros. De repente, esse vírus estará entre nós como um elo. Começaremos a nos sentir mais perto de nossos corações. Tudo vai passar.

De KabTV, “Notícias com Michael Laitman”, 22/06/20

“Este Mundo Está Indo Na Direção Certa?” (Quora)

Dr. Michael LaitmanMichael Laitman, no Quora: Este Mundo Está Indo Na Direção Certa?

O mundo já passou por fases preliminares suficientes, incluindo regimes inclinados para a extrema esquerda e a extrema direita, e experimentou uma grande quantidade de turbulências, tumultos e erros.

Agora, a questão iminente é: que caminho seguiremos?

Ao longo da história da humanidade, estávamos constantemente tentando descobrir que caminho seguir: para a direita ou para a esquerda.

O que resta hoje?

Chegamos a um impasse em todos os campos do envolvimento humano, pessoalmente, socialmente, educacionalmente, economicamente, ecologicamente e globalmente.

Trabalhamos com todos os sistemas que podíamos conceber e verificamos que não existe um único sistema ou plano remanescente que possa nos conduzir com confiança a um futuro brilhante.

Entramos em um impasse sem nenhuma visão de futuro melhor que nos motive, e também nada que nos impulsione por trás.

Nossa era é, portanto, caracterizada pelo fim de nossas provações e tribulações egoístas. O ego humano graciosamente apoiou cada empreendimento humano e cada descoberta e progresso anterior, fornecendo o combustível suficiente para que ele se desenvolvesse e revelasse como falhou em fornecer satisfação e felicidade duradouras.

Enquanto absortos em nosso ego, podemos receber egoisticamente ou dar egoisticamente. Com uma intenção egoísta por trás de qualquer ato de receber ou dar, a destruição é a conclusão inevitável.

A Alemanha nazista foi um exemplo severo de regime baseado em receber egoisticamente levado ao extremo e, na outra extremidade do espectro, a Rússia comunista também foi um exemplo severo de regime baseado em dar egoisticamente levado ao extremo. Ambos causaram devastação.

Nós esprememos todos os sucos dessas formas egoístas.

Agora precisamos deixar nossos egos em paz, reconhecer que eles não nos levam a nenhum resultado positivo e construir um novo nível acima deles.

Este novo nível deve ser aquele de dar acima de receber e conectar-se positivamente acima do desapego e estranhamento um com o outro.

Para construir este novo nível, precisamos acessar um novo tipo de combustível e motivação, que não surge naturalmente em nossos desejos e pensamentos egoístas.

Esse acesso pode ser concedido por meio de um novo método de educação – um método de conexão – que nos mostra como podemos desenvolver conexões positivas acima de nossas diferenças e divisões egoístas.

Se alguma pessoa, organização ou movimento deseja puxar as pessoas para uma determinada direção, para a esquerda ou para a direita, então está fadado ao fracasso, e temos exemplos de tal fracasso na Alemanha nazista e na Rússia comunista.

Hoje, temos a vantagem adicional de tais experiências – que podemos ver como nossos egos planejam sistemas que, em última instância, separam uma pessoa da outra, e que tais sistemas estão configurados para o fracasso.

Reconhecendo o fracasso em trabalhar de acordo com nossos egos, seríamos sábios em aceitar um novo tipo de educação: aquela que nos orienta sobre como nos conectarmos harmoniosamente acima de nossos egos.

A conexão acima do ego é o único caminho que resta ao mundo.

Esse caminho significa que aceitamos o fato de que a humanidade é um todo único e que todos nós somos partes desse todo, como células e órgãos de um corpo humano. Se uma única célula tira de outras células mais do que o necessário para sobreviver, ela se torna cancerosa e espalha doenças por todo o corpo.

Hoje, experimentamos doenças como uma série de problemas e crises se espalhando por toda a humanidade. E todos eles compartilham a mesma raiz: cada pessoa trancada em seu estreito canto egoísta, agindo em um cabo de guerra com todos os outros.

Portanto, precisamos concluir que o ego humano, que fundamentou todo o nosso desenvolvimento até hoje, atingiu sua data de expiração.

Usar o ego inabalável – sem nenhuma inclinação para reconhecer como ele opera constantemente sobre nós e sem nenhum movimento para se elevar acima dele – nos traz todos os problemas que experimentamos.

Os dias de ir e vir entre a esquerda e a direita chegaram ao seu beco sem saída. Hoje, nossa sobrevivência, no mínimo, e além disso, nossa capacidade de obter motivação, felicidade, sucesso e confiança de uma nova fonte de vitalidade depende de nos elevarmos acima de nossa natureza egoísta, ponto final.

O Último Dia De Verão

243.07O último dia de verão chegou. Estamos entrando no período outono-inverno e, claro, a pandemia de coronavírus continuará. É bom que a cada dia percebamos cada vez mais claramente que o vírus não vai nos deixar tão rápido. A pandemia não traz apenas doenças, mas muda toda a nossa existência: trabalho, casa, nossa comunicação com o outro e a atitude de uma pessoa em relação à vida.

Nunca houve uma epidemia que tenha sido tão ampla, profunda e duradoura e que tenha causado tantas mudanças qualitativas em uma pessoa. A humanidade ainda tem dificuldade em compreender que mudanças são exigidas de nós, mas nos próximos dois ou três meses sentiremos que este golpe nos obriga a mudar, a mudar a nossa atitude perante a vida e a sociedade. O coronavírus muda as pessoas e será mais fácil para nós entender que tipo de pessoa devemos ser.

O outono começa e as pessoas voltam ao trabalho após as férias de verão, as crianças voltam à escola, os alunos às universidades. Tudo começa a voltar ao quadro normal, e aqui sentiremos o quanto somos incapazes de voltar a ele.

Não temos para onde voltar! Não poderemos mais oferecer suporte aos sistemas que tínhamos antes. Por enquanto, não temos um entendimento de como continuar o curso anterior. Qual deve ser a nossa atitude em relação ao trabalho, ao estudo, a tudo na vida nas novas condições que nos são reveladas como resultado da pandemia. Teremos que descobrir tudo de novo.

Sentiremos que queremos lutar cada vez menos contra esses fenômenos, mas precisamos entender sua essência interior e mudar de acordo.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 31/08/20, “Trabalhar com Fé Acima da Razão”

Nova Vida 1278 – Um Resumo Do Ano 5780 Do Calendário Judaico

Nova Vida 1278 – Um Resumo Do Ano 5780 Do Calendário Judaico
Dr. Michael Laitman em conversa com Oren Levi e Yael Leshed-Harel

O coronavírus introduziu uma nova era para toda a humanidade, embora ainda sejamos incapazes de compreender seu significado ou apoiar seu propósito. Entendemos que estamos levando golpes, mas não sabemos por que ou de quem. Somos como crianças indefesas, chorando, que precisam crescer e amadurecer em relação ao novo mundo em que nos encontramos. Precisamos perceber que o coronavírus é uma ferramenta educacional que veio para reconhecermos o quanto somos maus e que devemos mudar nossas atitudes uns com os outros para que estejamos mais em sintonia com a natureza.

Vivemos em um sistema redondo, integral, global e interconectado, e ele deseja que toda a humanidade esteja em equivalência de forma com ele, para que vivamos em harmonia mútua com ele. Isso requer que tenhamos relações boas e benevolentes entre nós, de acordo com o princípio “ame o seu próximo como a si mesmo” e nos tornemos um homem com um coração.

De KabTV, “Nova Vida 1278 – Um Resumo Do Ano 5780 Do Calendário Judaico”, 31/08/20