Não Deveria Haver Escolas

273.02“Em uma janela dois viam. Um via a chuva e a lama.
O outro – uma ligadura de folhagem verde, primavera e o céu azul.
Em uma janela dois viam” (Omar Khayyám)

Pergunta: Por que hoje vemos apenas uma coisa em geral?

Resposta: Fomos educados dessa forma; isso não é culpa nossa. Fomos educados dessa forma por jardins de infância, escolas, universidades e por nossa atitude para com as pessoas. Os meios de comunicação de massa fazem tal nivelamento de todos que não há absolutamente nenhuma personalidade sobrando na humanidade.

Precisamos buscar nosso ponto de vista pessoal do mundo. Isso não é fácil. Precisamos encontrar nossas próprias coisas e não seguir o fluxo e não estar interessados ​​no que os outros estão interessados. Vemos essas crianças aqui e ali que de alguma forma se revelam dessa maneira. Precisamos apoiá-las um pouco, criar indivíduos especiais que tenham sua própria visão do mundo. Eles geralmente são diferentes dos outros, talvez pareçam um pouco estranhos.

Pergunta: Você se refere a essas crianças que têm algum tipo de talento?

Resposta: Não, elas podem nem ter nenhum talento. Elas apenas têm sua própria visão do mundo. Às vezes, elas podem até parecer menos desenvolvidos do que outras. Isso não importa.

Pergunta: Precisamos destacá-las?

Resposta: Sim. Cada pessoa deve ter a oportunidade de se desenvolver de acordo com suas características.

Observação: Precisamos reconhecer isso, não é uma tarefa simples.

Meu Comentário: Não, não há necessidade de reconhecer isso. Acontece que em nossa sociedade tudo deve ser preparado da seguinte maneira. Deixe que todos se desenvolvam como quiserem. O principal é não forçar. E não que eles venham, fiquem em uma fila, sentem-se, levantem-se, saiam – avaliações, slogans.

Comentário: Então a escola é um grande problema.

Meu Comentário: A escola não é um grande problema. Não deveria haver escolas, só isso! As escolas destroem a personalidade.

A verdadeira escola é quando a pessoa tem a oportunidade de se desenvolver da maneira que ela mesma achar mais adequada. Esta é uma abordagem muito séria, de longo prazo e gentil para todos. Não é necessário decorar todos os escritos dos clássicos e ler dezenas de todos os tipos de livros. Temos que fazer tudo de uma forma única.

Eu alocaria mais tempo, como está escrito na Torá, para as artes: dança, pintura e música. É porque elas desenvolvem mais o mundo interior de uma pessoa, e ela sente para onde é atraída, como pode se expressar.

Além disso, é claro, um pouco de matemática, um pouco de física, astronomia é obrigatório. A maior parte do tempo, porém, deve ser dedicado às artes, mas não às artes formais, mas sim a desenhar, esboçar, qualquer coisa que a criança queira. Para começar com isso e avançar cada vez mais. Deixe a criança se desenvolver dessa maneira.

Pergunta: O que crescerá da criança se vivermos assim?

Resposta: A criança vai crescer.

Pergunta: Então, eu não devo pensar no que vai crescer dela? Esta abordagem está errada?

Resposta: Não, não temos o direito de expulsar pessoas.

Pergunta: Então, por que produzimos todas elas assim? Todo esse sistema é sobre produção. Você e eu passamos por tudo isso! Isso significa que, de fato, matamos algo em uma pessoa?

Resposta: Nós simplesmente destruímos o “eu” de uma pessoa pela raiz, isso é tudo.

Isso era o que elas queriam fazer de qualquer maneira. O que devemos ser para aqueles que governam este mundo? Apenas os executantes, isso é tudo. Isso significa que precisamos executar o que eles desejam. Como resultado, agora o que eles querem não vai a lugar nenhum, e nós também.

Agora começa a formação da verdadeira humanidade!

Pergunta: “Eu” escaparei do concreto. Vai funcionar?

Resposta: Não há escapatória; esta é a lei da natureza.

Pergunta: Então será realmente meu “eu”?

Resposta: Sim. Para todos.

Pergunta: O que é esse “eu”?

Resposta: Essa será minha participação pessoal na humanidade comum. Todos terão que ocupar seus lugares. Será individual, pessoal, só meu, o único puro. Vou pensar em como completar esse quadro inteiro, toda a humanidade, comigo mesmo.

De KabTV, “Notícias com Dr. Michael Laitman”, 17/08/20

Comente