Textos com a Tag 'Zohar'

Veja Um Belo Mundo Eterno

712.03O Livro do Zohar, “Cântico dos Cânticos”, Item 483: Para conhecer e observar o segredo da alma. O que é a alma dentro dele? De onde ela vem e por que vem a este corpo, que é uma gota asquerosa que está aqui hoje e amanhã no túmulo? 

Pergunta: Por que a alma precisa descer a um corpo fétido cujo lugar é, em última análise, o túmulo?

Resposta: A alma não tem nada a ver com nosso corpo. Simplesmente existimos neste pequeno desejo egoísta, como pequenos animais. E a alma não tem nada a ver com isso.

A alma desce ao corpo pútrido significa que atinge o estado egoísta mais baixo e está nele para corrigi-lo.

Quando eu corrijo meu egoísmo, não a carne, não nosso corpo animal que permanece o mesmo, mas meu corpo interior, e gradualmente, com a ajuda do poder recebido do Livro do Zohar, eu o transformo em doação e amor pelo meu próximo, então metamorfoses totalmente incríveis acontecem comigo.

Eu começo a sentir todo o universo porque não me limito, não me afasto de tudo e sinto tudo o que se passa no mundo.

Eu sinto como sou capaz de estar fora do meu corpo, fora dos limites do meu “eu”. Começo a sentir meu “eu” espalhado por todo o universo. Esse é um novo sentimento. Não é familiar para nós. E quando começamos a adquiri-lo, a pessoa se sente livre. Ela de repente deixa sua pequena jaula em que existia.

Os Cabalistas dão um exemplo muito interessante disso. Eles comparam uma pessoa a um verme que se encontra em um rabanete podre e sente que todo o seu mundo é tão amargo quanto esse rabanete. E quando ele finalmente põe a cabeça para fora e vê o sol, o ar, tudo cantando, tudo em flor, ele diz: “Eu pensei que o mundo inteiro era como o rabanete em que nasci, e agora vejo um grande, lindo e maravilhoso mundo diante de mim!”

Nós também. Quando colocamos nossa cabeça para fora do nosso egoísmo, vemos um mundo enorme, lindo e eterno.

De KabTV, “O Poder do Livro do Zohar” # 2

Imagens E Sensações

595.06Comentário: Durante uma boa performance no teatro, o próprio roteiro e as cenas tornam-se secundários, enquanto algo interno começa a ser transmitido que é difícil de explicar em palavras – a alma da performance. Ela evoca algum tipo de inspiração, excitação de algo maior além do que você vê. A arte, na minha opinião, existe apenas com o propósito de ter um momento de descoberta, de beber de alguma fonte.

Minha Resposta: A arte nos mostra que é possível superar as considerações puramente psicológicas do dia a dia e entrar em um campo que não está conectado com o que está acontecendo no palco, mas com certa força que controla o movimento de alguns fenômenos existentes acima de nós, além do tempo e do espaço.

Devemos começar a sentir isso dentro de nós. Esse é o teatro que está dentro de nós. E em vez do grande crocodilo verde mencionado no Livro do Zohar, eu sinto uma qualidade chamada “crocodilo”.

Esta não é uma imagem teatral que certas pessoas evocam em mim. Por meio de imagens alegóricas, começo a sentir as forças espirituais que as definem e são chamadas de uma palavra particular.

Para mim, esse crocodilo não tem mais a imagem de um monstro verde. Pode ser positivo, agradável, gentil, inteligente, controlador, embora necessário e direcionado, etc.

Acontece que quando você lê O Livro do Zohar, você absolutamente não conecta palavras com suas imagens neste mundo! Depois de sair disso, você começa a se perguntar sobre como os outros percebem esse texto ou o ouvem. E isso o leva seriamente a alguma outra realidade, eu diria, à irrealidade.

De KabTV, “O Poder do Livro do Zohar” # 1

O Livro Do Zohar – Um Sistema De Comunicação Com O Mundo Superior

963.1O Livro do Zohar é um sistema. Os dez Cabalistas que o escreveram, através de sua fusão uns com os outros, aproximaram o mundo do infinito do nosso de tal forma que quando começamos a ler O Livro do Zohar, meio que apertamos os botões e realmente iniciamos este sistema.

Ou seja, não lemos apenas o que está impresso. O Livro está organizado de tal forma que o que está impresso no papel afeta diretamente nossa alma, nossa parte interna que está escondida de nós.

Quando uma pessoa começa a ler, não sente nada, mas lança esse sistema sobre si mesma, integra-se a ele e causa a influência de uma força superior, que se manifesta na pessoa em sua parte interna, a alma, que começa a surgir.

Então há contato entre a alma humana e a luz superior e a pessoa começa a sentir neste mundo superior, o estado mais elevado. Essa é a saída para a dimensão eterna e perfeita. É isso que devemos alcançar enquanto estamos neste mundo, nesta vida, para nos elevarmos ao próximo nível de existência.

De KabTV, “O Poder do Livro do Zohar” # 2

“Observar O Segredo De Seu Mestre”

214O Livro do Zohar: A sabedoria que se deve conhecer: conhecer e observar o segredo de seu Mestre, conhecer a si mesmo, saber quem ele é, como foi criado, de onde vem e para onde vai, como o corpo é corrigido, e como ele será julgado pelo Rei de Todos.

Para compreender a si mesmo, o homem deve compreender seu mestre, o Criador, porque fomos criados, como se diz alegoricamente, à Sua imagem e semelhança. Então, eu preciso entender essa imagem, e então vou discernir minha semelhança com Ele.

Como posso revelar o Criador para que eu me conheça? Para fazer isso, devo mudar e então O sentirei e O verei. Acontece que quando eu alcanço o Criador, eu alcanço a mim mesmo. É um processo de autodescoberta.

Quando crio a imagem do Criador dentro de mim, minha semelhança com Ele, encontro-me corrigido. Esta é uma única imagem. Portanto, “homem” em hebraico é chamado de Adam, da palavra Domeh – como o Criador.

Ou seja, a parte de mim que se tornará como o Criador será chamada de homem em mim. E tudo o mais em mim que não é como o Criador é chamado de animal.

Pergunta: O que significa “observar o segredo de seu Mestre”?

Resposta: Os segredos são os planos. Por que Ele criou tudo? Como? Por que Ele me criou com apenas cinco sentidos para perceber o universo e a mim mesmo dessa forma? Por que vivo tão pouco tempo? O que devo alcançar nesta vida? Por que fui criado com tais qualidades, em tais circunstâncias, em tal família, em tal época? Quer dizer, eu quero saber tudo.

Quando eu dominar todo esse conhecimento sobre a criação, saberei tudo o que se relaciona a mim. E talvez eu encontre nisso os meios de mudar meu destino, de ser capaz de superar meu destino, de viver um certo número de anos nesta terra e depois morrer. Talvez eu possa melhorar minha vida, e talvez possa até chegar a um nível em que estarei acima disso, seja eterno e perfeito como o Criador.

Por que não? Se a natureza é eterna, se existe em uma forma ideal excluindo apenas nós, por que não posso ser o mesmo elemento integrante dela com todas as consequências?

De KabTV, “O Poder do Livro do Zohar” # 2

Brotos De Desejos Espirituais

137O Livro do Zohar, Capítulo Bo (Venha ao Faraó), Item 68: E todas as ervas crescem ao redor daquele Nilo imóvel de cada lado.

Estamos falando do nível vegetativo, do que cresce a partir do solo. Aos poucos vão surgindo os brotos das plantas, ou seja, há necessidade de algo, principalmente de crescimento.

Embora o rio silencioso não pareça dar nada, os desejos espirituais e altruístas do homem começam a se desenvolver em torno dele.

Bina é o mundo futuro. Assim, gradualmente, por baixo, ela implicitamente desenvolve em nós brotos de nossos desejos espirituais futuros, que crescem em torno dela e sobem.

Então, aquele monstro sobe até as ervas e cresce entre elas, e retorna para todos esses Nilos. As ervas são a luz que brotou da escuridão.

Assim, a qualidade da água (Bina) se desenvolve gradualmente em nós.

A água é, em princípio, uma substância inanimada, mas praticamente dá vida. Graças a ela, as plantas se desenvolvem a partir da terra porque a propriedade da misericórdia combinada com o egoísmo – a propriedade da terra – dá à terra (qualidade egoísta) aquele poder de dar vida quando novas propriedades começam a brotar dela no homem. Portanto, nosso egoísmo sozinho não é suficiente. Precisamos adquirir a propriedade de Bina, a propriedade do mundo superior.

Isso é basicamente o que O Livro do Zohar faz, porque quando começamos a estudá-lo, atraímos a qualidade da misericórdia.

E todos os quatro rios que descem do Jardim do Éden à nossa terra pecaminosa, às minhas qualidades pecaminosas, começam a me mudar. Novas propriedades espirituais nas quais a sabedoria gradualmente aumenta brotam de mim, e eu começo a me desenvolver a ponto de finalmente chegar ao Jardim do Éden, o mundo futuro, e começar a existir nele.

De KabTV, “O Poder do Livro do Zohar” nº 1

O Efeito Secreto Do Livro Do Zohar

525Pergunta: Quando lemos O Livro do Zohar junto com um público, isso a afeta?

Resposta: Isso dá a eles uma certa impressão, uma certa imagem. Eles nem mesmo sentem o quanto algo mudou neles. Com essas histórias, despertamos neles qualidades ocultas que eles nem imaginavam que possuíam.

Esse é o efeito secreto do Livro do Zohar. Ele fala sobre coisas que existem muito profundamente dentro de você e desperta essas qualidades internas dentro de você. De repente, você começa a sentir: “Algo está acontecendo dentro de mim, este livro está fazendo algo em mim”. Você não entende o que ele faz, mas sente um movimento dentro de você, algo em você muda.

Pergunta: Isso é o melhor? Não há perigo de sentimentos negativos aqui?

Resposta: Com certeza não! Estamos agora em um estado em que o mundo inteiro deve mudar. Este Livro é nosso guia porque ainda mudaremos mesmo sem ele, mas sob as influências muito severas da natureza.

De KabTV, “O Poder do Livro do Zohar” # 1

O Livro do Zohar: No Rio Silencioso

526O Livro do Zohar, Capítulo Bo, Item 68: Ele tem outra maneira de abordar as ervas: quando o calmo Nilo retorna de Malchut para o seu lugar, quando ele sobe e desce. Como suas águas estão paradas, ele caminha calmamente e o grande monstro sobe até aqueles Nilos e não está lá no Nilo parado. E todas as ervas crescem em volta daquele Nilo imóvel em ambos os lados. Então, aquele monstro sobe até as ervas e cresce entre elas, e retorna para todos esses Nilos.

Esses rios são silenciosos porque consistem apenas na propriedade de Hassadim, a propriedade da misericórdia, doação. Eles não têm desejos egoístas; eles não trabalham com o ego, portanto, são tão quietos como se a água não fluísse para lugar algum, água parada, calma, silenciosa. Paz eterna.

Hassadim é propriedade de Bina, propriedade da suficiência; não precisa de nada para si. Tudo pode parar e congelar. Somente se for necessário para outra pessoa, Bina começará a usar esses desejos. Se alguém precisa de algo, ela absorverá esses desejos e o rio começará a murmurar, preenchendo alegremente quem precisa.

Nesse ínterim, ninguém precisa dela. Portanto, mesmo o grande crocodilo verde que personifica a sabedoria não tem lugar para a existência lá. Neste estado, ele não existe porque não há nada e ninguém para despertar quaisquer desejos, pensamentos ou decisões, porque tudo ainda está em um estado absolutamente congelado.

Existem apenas pequenos altos e baixos, pequenas emoções nestas águas calmas, que preparam mudanças em estados futuros. Ou seja, a propriedade de Bina estabelece mudanças futuras em nós, mas ainda não as sentimos e seguimos o fluxo.

Pergunta:  Nós sentimos este estado enquanto lemos O Livro do Zohar?

Resposta: Eu sinto um tremendo poder nisso, o que me prepara internamente para mudanças tremendas. Sou como um embrião no ventre materno, em estado de segurança absoluta: ele não precisa pensar em nada, decidir nada; a mãe faz tudo.

Ela preparou tudo para ele, desenvolveu-o e agora está empurrando-o para fora junto com as águas calmas em que ele existia. Ele deve nascer agora.

Aqui, finalmente, novas forças surgem nele quando águas silenciosas e calmas se transformam em forças, ajudando-o a nascer. Então há o próximo desenvolvimento de eventos.

De KavTV, “O Poder do Livro do Zohar “, Parte 1

A Imagem Aberta Pelo Livro Do Zohar

249.01Pergunta: Nossa tarefa é revelar o mundo que O Livro do Zohar nos dá?

Resposta: Devemos revelar o mundo superior de forças, propriedades e suas relações entre si. O Livro do Zohar nos dá essa oportunidade.

Tudo o que percebemos como existente fora é atraído para dentro de nós. Todos os tipos de parâmetros, forças, interações e reações eletroquímicas pintam um quadro do mundo material em nosso cérebro, e vemos uma grande mistura de forças. Na verdade, tudo isso não é a imagem real. É assim que nosso cérebro descreve o que sente dentro de nós.

Quando começamos a sentir o mundo superior através do Livro do Zohar, ele nos mostra exatamente aquelas forças que estão diante da imagem terrestre e ainda mais elevadas, não todos os tipos de reações eletroquímicas no cérebro, mas as superiores que as controlam e determinam. Isso é chamado de mundo superior, o nível mais elevado.

O que isso nos dá? A capacidade de nos elevarmos acima da ilusão de nosso mundo, acima da ilusão da existência de nossos corpos, acima de toda a imagem, que é desenhada como se na tela. Na verdade, ela não existe. Como no cinema, se não fosse o projetor, no qual a bobina está inserida e o filme está girando, não haveria imagem.

É assim que vivemos. Alguma imagem está sendo rodada para nós e brincamos com ela como se fosse real. Nós interagimos com ela e uns com os outros, então nos vemos e sentimos que tudo isso realmente existe. E de repente, através do Livro do Zohar, você começa a ver que tudo isso é uma imagem holográfica. Não existe.

Existem apenas forças que pintaram esses quadros para você. Você volta à raiz deles, começa a entender para que tudo isso servia, por que, para quê. E como se partisse dessa imagem externa, você começa a subir às suas fontes: de onde vem e por quê. Você ascende a reinos mais elevados.

Nesse caso, você não perde nada. Ao contrário, você começa a sentir tudo o que acontece de forma mais vívida.

É como as pessoas vêm até mim e me mostram um anúncio que desejam fazer, por exemplo, sobre a Cabalá. Eu olho: “Isso não está certo, algo não está funcionando”. E elas me dizem que há uma imagem com dezoito milhões de cores no computador. Mas eu só pego sete cores do arco-íris e alguns outros tons. De onde vieram 18 milhões?

Na verdade, quando nos elevamos às fontes que essas imagens fornecem em nosso mundo, começamos a nos enriquecer bilhões de vezes mais em todas as sensações. Visão, audição, olfato, paladar e sensações táteis se desenvolvem, e cada um deles se torna um mundo inteiro! Portanto, ele se torna tão rico e, o mais importante, eterno, perfeito e determina tudo.

De KabTV, “O Poder do Livro do Zohar” # 1

Como Encontrar O Caminho Para O Livro Do Zohar

65Pergunta: O que nos ajudará a “entrar” no Livro do Zohar e entendê-lo?

Resposta: Não é tão fácil entrar neste livro. Ele é realmente secreto, escondido. Por milhares de anos, ninguém conseguiu abri-lo. Acontece que algo existe, mas as mãos não o alcançam. Mas em nosso tempo, estamos começando a descobri-lo.

Descobrir não significa compreender a linguagem em que está escrito. Descobrir O Livro do Zohar significa trazer a si mesmo para sua narrativa, dentro dele.

Digamos que na infância você pegue um livro, por exemplo, Em Busca dos Náufragos, e quando você lê sobre suas aventuras, você entra nelas, navega com elas em um navio, viaja ao redor do mundo: Patagônia, as tribos e você estão lá com eles.

Mas sua mãe lhe diz: “É hora de dormir”. Você é forçado a fechar o livro e já está de volta em casa, na sua cama, adormecendo e fugindo desse mundo de conto de fadas que foi inventado por alguém.

Quando crianças, muitas vezes continuamos a conviver com os personagens do livro, de alguma forma, como se representássemos esses papéis, falamos como eles. Mas então passa. A vida cobra seu preço. Desenvolvemos desejos mais sérios, relacionamentos mais sérios. Estamos mais conectados com a vida do que com os livros. Assim, passa o período em que vivemos nos livros.

Mas não aqui. Pelo contrário, acontece que você entra no Livro do Zohar e vive nele, como se tivesse uma vida dupla. Por um lado, você vive em nosso mundo normal. É normal porque é assim que estamos acostumados a tratá-lo, como perfeitamente normal, como todas as pessoas o fazem.

Ao mesmo tempo, você existe em outra dimensão à qual este livro está gradualmente introduzindo você, um mundo que existe, não em sua imaginação. É ainda mais brilhante, mais vívido, mais poderoso, mais definidor do que o mundo em que você vive.

Além disso, você começa a compreender, perceber, sentir e ver que o mundo que agora está revelando realmente controla este pequeno mundo que você pensava ser o único que existia.

Quando você fecha O Livro do Zohar, o mundo em que você entrou não desaparece. Afinal, cada vez que você o abre, você percebe esse mundo ainda mais profundamente, você abre esse mundo em você ainda mais profundamente, começa a sentir que já existe nele.

Ou seja, o mundo que é revelado a você através do Livro do Zohar existe aqui, junto com este mundo. Você sente, vê e interage com ele. Cada vez fica mais claro e mais rico. E você mora nele.

Acontece que essa não é uma vida dupla, condicionalmente dividida, mas os dois mundos se complementam mutuamente. No entanto, o mundo que agora é revelado a você é mais majestoso, forte, definidor e superior. Todos os poderes vêm dele e controlam sua pequena vida anterior.

Pergunta: Como resultado, eu começo a me identificar mais com este mundo grande e sério?

Resposta: Isso acontece gradualmente porque você vê que tudo é determinado no nível superior, no mundo superior. Nosso mundo está dentro dele. Segue-se como consequência do mundo superior, e você já pode ver como as pessoas e todos os tipos de eventos são determinados precisamente a partir dele. Parece que a pessoa está de pé, depois ela se move, então ela faz ou diz algo. E você vê como eles a movem, fazem coisas através dela e falam através dela.

De KabTV,  “O Poder do Livro do Zohar” # 1

O Significado dos Livros Cabalísticos, Parte 9

Laitman_165Cinco Regras para Estudar O Livro do Zohar

Pergunta: Para abordar corretamente o estudo do Livro do Zohar, vários postulados podem ser distinguidos. A primeira regra é chamada “o coração entende” (“a-lev mevin“). Isto é, O Livro do Zohar é estudado pelo coração. O que isto significa?

Resposta: Pelo desejo. Você tem que mudar seus desejos. Em vez do desejo de receber, lute pelo desejo de doar, em vez do desejo de se distanciar, afastar-se, deseje atrair e amar.

Observação: A segunda regra: “o homem é um mundo pequeno”. Isto é, O Livro do Zohar inclui muitos conceitos que nos são familiares do mundo material, embora, de fato, o mesmo que na Torá, ele fala dos estados internos experimentados pelo homem.

Meu Comentário: Sim, ele descreve o mundo superior, mas com as palavras e ações do nosso mundo.

Pergunta: Portanto, os Cabalistas dizem que, ao ler O Livro do Zohar, é necessário interpretar as palavras escritas nele como uma expressão de todos os tipos de ações internas?

Resposta: Como ações das forças superiores, não como algo acontecendo em nosso mundo. Em princípio, você só precisa fazer o oposto: perceber tudo o que O Livro do Zohar descreve na qualidade de doação e amor, em sair de si mesmo, não na qualidade de recepção, amor egoísta.

Observação: A terceira regra: “a luz que retorna à fonte”. Uma pessoa que chega a uma lição deve entender que há uma influência especial no Livro do Zohar, uma força especial que podemos extrair daí.

Meu Comentário: O Livro do Zohar é estudado com a intenção de atrair a força que pode mudar uma pessoa, de transformar uma pessoa egoísta em uma pessoa altruísta.

Pergunta: Então, quando chego à lição, preciso saber o que quero mudar em mim mesmo?

Resposta: É por isso que você vem para a lição. Esta é a própria ideia, poder, propriedade, propósito do Livro do Zohar.

Pergunta: Regra Quatro: Antes de concluir o estudo, deve haver o reconhecimento do mal e da oração. Do que se trata isso?

Resposta: O reconhecimento do mal da natureza egoísta é adquirido gradualmente.

A oração é o pedido de uma força que pode me mudar, de alguma forma me elevar acima de mim e me tornar uma criatura útil, boa e agradável para o Criador. Isso, em geral, é a preparação para a leitura correta do Livro do Zohar.

Pergunta: A quinta regra: “como um homem com um coração”. Os Cabalistas dizem que é impossível estudar O Livro do Zohar sozinho, apenas em um grupo de pessoas. Por quê?

Resposta: Como O Livro do Zohar foi escrito em uma dezena, você precisa estudá-lo na dezena. Porque, sob sua influência, uma pessoa se aproxima do resto e, apenas na conexão correta com eles, começa a entender do que ele está falando.

Pergunta: Isso significa que não posso ler sozinho em casa, devo ligar para alguém?

Resposta: Você pode ler sozinho, mas não obterá nenhum benefício disso.

Pergunta: O que me dá fazer isso cercado por outras dez pessoas? Eu não me comunico com elas, apenas sentamos e lemos juntos?

Resposta: Você deve dizer que se comunica com elas, que todas se conectam com seus corações. Digamos que, assim como você descasca batatas, precisa retirar seu coração da casca externa e todos os demais e conectar seus corações em um grande coração.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 18/12/18