Textos com a Tag 'Zohar'

O Criador Não É Revelado No Egoísmo

207De acordo com a extensão dos Panim do grau, assim é a extensão de seus Achoraim. A instilação dos Achoraim é um chamado e um convite para instilar os Panim. É por isso que pela medida da ocultação dos Achoraim que eles alcançaram, eles sabiam a medida de revelação que estavam prestes a alcançar (Rabi Shimon bar Yochai, Zohar para Todos).

Estamos falando da ocultação que temos que fazer em nosso egoísmo para corrigi-lo. A revelação acima da ocultação é como o Kli (vaso) espiritual funciona. Somente neste caso seremos capazes de receber a revelação do Criador nele.

Pergunta: O que está escondido de nós?

Resposta: Tudo está escondido de nós! No entanto, nos foi dado um estado muito interessante, que se o atingirmos gradualmente, revelaremos tudo. No entanto, revelaremos esse estado não em nossa recepção, mas nos desejos de doação. Portanto, há revelação na ocultação. Essas duas forças opostas, dois estados opostos, confundem as pessoas.

Pergunta: Uma pessoa, no entanto, revela o governo do Criador?

Resposta: Sim, mas ela não o revela em seus desejos egoístas, que são inerentes a ela, mas nos desejos altruístas que ela cria acima dos desejos egoístas. Portanto, o estado inicial é chamado de ocultação, e se torna uma revelação na ocultação.

Há uma grande diferença entre esses estados porque você não revela o Criador no egoísmo, mas no fato de que, graças ao seu trabalho especial com o ego, você constrói um sistema acima dele no qual revela o Criador, a qualidade de doação.

De KabTV, “Estados Espirituais”, 15/02/22

Como Foi Escrito O Livro Do Zohar?

563Pergunta: Existe alguma diferença se um livro foi escrito por uma única pessoa como Baal HaSulam ou por dez pessoas como Rabi Shimon e seus alunos?

Resposta: Na Cabalá, ou uma pessoa escreve um livro sobre o que alcança, como o Baal HaSulam fez, ou um grupo de pessoas conectadas escreve um livro. Entre elas, existem vários estados nos quais elas começam a perceber o Criador de maneira diferente. Isso é o que elas descrevem.

Além disso, os estados pelos quais Rabi Shimon e seus alunos passaram entre si, eles descreveram na forma de viagens a alguns lugares terrestres. Mas, na verdade, eles não saíram da caverna em que estavam. Tudo aconteceu apenas em um lugar e em conexão entre eles.

Quanto mais eles aumentavam sua conexão uns com os outros, mais alcançavam o Criador. E vice-versa, quanto mais se afastavam um do outro, menos sentiam o Criador. Esses escrutínios de aproximação e distanciamento entre si na dezena e de acordo com o Criador é o que eles registraram. E eles estão incluídos no Livro do Zohar .

Baal HaSulam escreveu que os alunos do Rashbi atingiram todos os 125 passos. Isso significa que eles revelaram todo o seu egoísmo original, elevaram-se acima dele em conexão um com o outro e sentiram a única força superior nessa conexão.

Assim, eles se tornaram semelhantes a ele como um homem com um coração e alcançaram o Criador em seu desejo comum.

De KabTV, “Estados Espirituais”, 15/02/22

O Livro Do Zohar: O Esplendor Superior

65Pergunta: O que significa a palavra “Zohar?

Resposta:Zohar” significa “esplendor superior”. É a luz superior, a luz da iluminação, compreensão, amor e participação, que inclui tudo nela. Ele desce sobre uma pessoa e lhe dá uma sensação do governo superior, a força superior, o propósito superior.

O esplendor superior nos traz uma sensação de pertencer à força geral da natureza chamada Criador e nos faz sentir em um nível completamente diferente.

O Livro do Zohar leva a pessoa a se conectar com o Criador. Até certo ponto, pode ser chamado de instrução sobre como se conectar com a força superior, para revelá-la. Você não precisa de mais nada neste mundo.

Portanto, é chamado Zohar, isto é, o esplendor que se recebe da revelação correta do Criador. Aos poucos nos influencia, corrige, constrói, forma e preenche.

De KabTV, “Estados Espirituais”, 15/02/22

O Livro Do Zohar E O Desejo De Mudar

209Pergunta: O Livro do Zohar foi escrito a partir do grau da força superior que governa tudo. É por isso que ele muda uma pessoa? Ele pode fazer tudo?

Resposta: Ele pode fazer tudo. Mas não há nada no próprio livro, em suas páginas e símbolos. Pode ser impresso na China, ou não importa onde, e dado a qualquer pessoa no mundo para ler.

Tudo depende de quanto você deseja penetrar, por meio deste livro, no mundo que ele descreve. Então você começará a vê-lo como uma narrativa de várias camadas.

Tudo depende apenas do desejo! O próprio livro não faz nada. Com o seu desejo, você começa a revelar a conexão com o mundo superior por meio dele.

Então essa conexão muda gradualmente a pessoa. Ela revela a esfera externa, a força superior, o estado em que existimos acima de nosso nível animal. Se subirmos a um nível superior, isto é, do inanimado ao vegetativo, do vegetativo ao animal, do animal ao humano, deixamos de sentir que o nível anterior existe explicitamente.

Por exemplo, quando meus cabelos ou unhas são cortados não sinto dor, não sinto que estou perdendo algo do meu corpo porque este é o nível da planta que é inferior ao animal. Temos exatamente o mesmo sentimento quando encontramos o mundo superior e olhamos para o nosso mundo material: “Corte-o!” Continuamos a existir para sempre em perfeição junto com a força superior que determina tudo. É para isso que existimos.

Uma pessoa revela a fonte da força superior. O encontro com o Criador ocorre na conexão das pessoas umas com as outras. É exatamente nisso que O Livro do Zohar ajuda.

Eu espero que, fazendo isso corretamente, a humanidade chegue para se livrar do egoísmo, para resolver todos os seus problemas.

De KabTV, “Close-Up. Destino e O Livro do Zohar”, 05/02/10

A Linguagem Do Livro Do Zohar

65O Livro do Zohar foi escrito em uma linguagem especial, principalmente em aramaico. O aramaico é uma língua antiga paralela à língua hebraica falada no Estado de Israel hoje. Essas duas línguas eram populares na antiga Babilônia e, portanto, os Cabalistas as usam.

O primeiro Cabalista, cujo nome era Adão, começou a usar tanto o aramaico quanto o hebraico. Em seu livro Raziel HaMalach (O Anjo Secreto), ele usou as duas línguas.

A linguagem do Livro do Zohar não é uma linguagem matemática-física exata, mas uma linguagem de dicas, que precisamos entender. Somente uma pessoa que está vestida com aquelas imagens e eventos que são alegoricamente descritos nela pode entendê-lo. Portanto, uma pessoa não pode entender imediatamente do que trata este livro.

No entanto, se ela trabalha em si mesma, estuda Cabalá, está em um grupo e cria um grupo semelhante ao que escreveu O Livro do Zohar, ela começa a entender o que eles escreveram e as coisas descritas no livro começam a funcionar em seu grupo. Ou seja, O Livro do Zohar começa a tocar como um disco, se manifesta entre eles e mostra a eles do que está falando.

Mas isso acontece apenas na medida em que são semelhantes às qualidades dos autores do Livro do Zohar. Portanto, a própria linguagem deste livro, a chamada “linguagem dos ramos”, é alegórica, e apenas aqueles que estão em um nível espiritual podem entendê-la. Caso contrário, O Livro do Zohar é percebido como uma coleção de histórias, contos de fadas e lendas.

De KabTV, “Conversa sobre o Livro do Zohar

“E Eles Voltarão Ao Pó”

232.08Quando o espírito é adicionado a ele e ele vê, ele se afasta deste mundo, como está escrito: “Você retira seu fôlego, eles perecem e voltam ao seu pó”. (O Livro do Zohar)

Quando você ascende aos níveis espirituais, o passo anterior é mortificado e o egoísmo se torna ainda maior e passa apenas os estados de sua negação. De acordo com a lei da negação, no próximo estágio, você a usa em uma extensão ainda maior, em uma expressão egoísta ainda maior.

A pessoa vê essa morte, essa decadência, essa imersão no “túmulo” de seu egoísmo. Ela se alegra porque seu egoísmo apodrece, que ela o cobre, o enterra.

A decadência do egoísmo é uma relutância em usá-lo porque não tem vida, não dá vida a você.

Pergunta: Existe alguma conexão entre a decadência espiritual e o que está acontecendo no solo com o corpo humano?

Resposta: Todos esses processos ocorrem no espiritual. Em nosso mundo, apenas uma cópia fraca deles está incorporada.

Na verdade, o mundo espiritual é um enorme sistema de níveis, enquanto nosso mundo é o menor, obscuro e último nível inanimado. Comparado com os preenchimentos espirituais, há um vazio absoluto aqui.

De KabTV, “O Poder do Livro do Zohar” # 20

Encontre Uma Nova Vida

232.05Quando uma pessoa vai morrer e a sentença para sair do mundo está sobre ela, o espírito elevado é adicionado a ela. (O Livro do Zohar)

Não estamos falando da morte material. “Morrer” significa passar de um estado a outro.

Todas as vidas e mortes sobre as quais O Livro do Zohar fala, devemos suportar durante nossa vida animal. Uma pessoa deve morrer no estágio anterior e passar para o próximo.

O estágio anterior parece estar morrendo para ela, como às vezes dizemos: “Você está morto para mim. Não o sinto mais, não o sinto, não o percebo”. Devemos também tratar esse estado da mesma forma: esperar e agir de forma que ele se extinga, se torne um estágio obsoleto e elaborado.

A pessoa sente que está adquirindo uma nova vida. “Quem quiser viver (subir ao próximo nível) mortifique-se” neste nível.

O Espírito Superior é adicionado a ela de uma forma que ela nunca teve antes. O espírito da próxima etapa, sua luz, desce até a pessoa a fim de elevá-la espiritual, moral e internamente à próxima etapa. Esse espírito está acima dela, como a luz circundante (Ohr Makif).

E uma vez que está sobre ela e se apega a ela, ela vê o que nunca foi recompensada em ver, porque o próximo passo se abre para ela, uma luz superior entra nela.

De KabTV “O Poder do Livro do Zohar” # 20

Quem É Como O Criador

585.01Zohar para Todos, Lech Lecha, item 102: Naquela época, o grande sacerdote, Michael, pega o Ruach e o oferece como uma oferenda de sabor doce perante o Criador, ZA. Ele fica lá em ZA de Atzilut e é refinado naquele feixe de vida, no qual está escrito: “Nem os olhos viram um Deus além de Ti”.

Depois, ele desce de lá para o Jardim do Éden na terra e é refinado com todos os tipos de refinamentos, veste aquela vestimenta do ar do Jardim do Éden mais uma vez, e se senta lá agora em uma coroa que é duas vezes maior como o que era antes de sua subida à ZON de Atzilut.

A subida é realizada por uma força especial que atua da mesma forma que, por exemplo, um ímã, vento ou a força da gravidade atuam em nosso mundo.

Assim como existem quatro graus no mundo corporal: inanimado, vegetativo, animado e humano, também nos mundos espirituais de Assia, Yetzira, Beria e Atzilut existem quatro forças diferentes que realizam a subida.

Essas forças são chamadas de anjos Michael, Gabriel, Uriel e Rafael, e elevam uma pessoa nos níveis dos mundos espirituais. Em princípio, cada mundo tem sua própria força. No entanto, todas trabalham juntos em cada um dos mundos, apesar do fato de que um deles é o líder lá.

A primeira força que eleva uma pessoa ao mundo superior é Michael, “Mi-kaEl” – “Quem é como o Criador.”

De KabTV, “O Poder do Livro do Zohar” # 18

Para Cima – Para O Mundo De Atzilut

610.2Zohar para Todos, Lech Lecha, Item 101: No meio do jardim está um pilar que é formado com todas as cores. Quando Ruach deseja subir ao mundo de Atzilut, ele tira a vestimenta de ar do Jardim do Éden e vai ao pilar, subindo até o lugar de onde saiu, para a Nukva de Atzilut, como é escrito: “E o espírito voltará para Deus que o deu”.

A linha média, que surge na simbiose, na conexão correta dos princípios masculino e feminino, é o pilar que se eleva do mundo inferior ao mundo superior.

Esse pilar consiste em três linhas que parecem se entrelaçar, lembrando uma coluna torcida ou a espiral de uma molécula de DNA.

Pergunta: E por que ele sobe entrelaçado e não reto?

Resposta: Porque uma qualidade prevalece constantemente sobre a outra. Deve ser assim que elas sempre parecem interagir entre si em várias combinações, cada uma se manifestando às custas da outra. Não podemos sentir uma coisa sem compará-la com outra.

Portanto, entrelaçando-se em tal combinação alternativa de quem é maior, quem é menor, em quais qualidades, elas finalmente nos levam adiante, nos elevam ao mundo de Atzilut.

De KabTV, “O Poder do Livro do Zohar” # 18

Para Avaliar A Atitude Dos Superiores

232.1Zohar para Todos, Lech Lecha, Item 99: Ruach é o que sustenta Nefesh nesse mundo, estendendo a abundância de vida e dando à Nefesh. É o meio de três graus….

Apesar do fato de uma pessoa ter subido do primeiro grau de Nefesh para o próximo, Ruach, o primeiro grau é preservado nela.

Ela começa a entender ainda mais o que passou. Assim como hoje: somos adultos, mas quando nos lembramos da nossa infância, podemos entendê-la melhor do nosso nível atual, entender por que nossos pais nos trataram daquela maneira, por que reagimos a tudo de uma determinada maneira.

É o mesmo aqui, do nível de Ruach, do segundo grau, você entende melhor o nível de Nefesh, e ele não desaparece, mas complementa o próximo nível.

Pergunta: Por que preciso saber de algo que já passou?

Resposta: Para que você entenda como o superior o tratou e como o criou. Com base nisso, você deve se tornar cada vez mais como ele.

Tudo o que aconteceu no nível anterior de Nefesh você agora avalia de forma diferente do nível de Ruach. Portanto, no nível anterior, você já não tem a luz do nível de Nefesh, mas a luz do nível de Ruach. Passando do primeiro para o segundo nível, você se transforma de um bebê em uma criança. Em outras palavras, o bebê que estava em você aparentemente sobe para o segundo grau e atinge o grau de criança, ou seja, você se torna mais consciente.

Não parece assim em nosso mundo. No mundo superior, onde a ascensão espiritual é baseada na realização, há um acúmulo constante de graus anteriores. E todos eles sobem e são adicionados ao último grau.

Assim, começamos a entender todos os graus anteriores, começamos a justificar o Criador, Suas ações, nossa história, nossas ações, e somos chamados de justos.

E eu só posso alcançar o grau de justo passando por todos os graus e verificando como o Criador me tratou. E quando olho para todos os graus anteriores do último, eu realmente O justifico.

De KabTV, “O Poder do Livro do Zohar” # 18