Textos com a Tag 'Egoísmo'

O Ataque Do Egoísmo

600.02Profetas, Josué 11:06: E o Senhor disse a Josué: “Não tenha medo deles, porque amanhã a esta hora entregarei todos mortos a Israel. A você cabe cortar os tendões dos cavalos deles e queimar suas carruagens”.

Pergunta: Se no caminho para a espiritualidade (para a Terra de Israel) somos perseguidos e atacados por desejos egoístas, o que significa que eles estão em cavalos e carruagens?

Resposta: Significa que o egoísmo com toda a sua força e com todo o seu potencial se opõe à conexão e trabalho em doação e amor. Há uma luta muito difícil pela frente que não pode ser superada de uma vez. Há um enfraquecimento do povo de Israel e eles começam a gemer.

Mas é impossível sem luta. Também precisamos lutar para identificar nossas próprias qualidades negativas, não apenas externas, mas também internas. É assim que o povo de Israel avançará.

Cavalos e carruagens simbolizam todos os tipos de ferramentas egoístas que seduzem as pessoas e mostram como é doce viver em desejos egoístas e ser unidos pela competição egoísta.

Em outras palavras, é o ataque do desejo egoísta que atrai muito uma pessoa.

De KabTV, “Segredos do Livro Eterno”, 02/08/21

Resistindo Ao Egoísmo

566.02Profetas, Josué 11:6: E o Senhor disse a Josué: “Não tenha medo deles, porque amanhã a esta hora entregarei todos mortos a Israel. A você cabe cortar os tendões dos cavalos deles e queimar suas carruagens”.

Isso significa: não dê aos desejos egoístas a oportunidade de se aproximar de você. Se você não pode lidar com eles, assuma a defensiva e faça de tudo para privá-los dos meios de lutar contra você.

Um grande problema surge porque esses desejos são tão poderosos que você dificilmente pode resistir a realizá-los. E o Criador é fraco aqui. O problema é que nós mesmos entendemos que temos que resistir a eles.

Comentário: Mas neste caso, os israelenses eram fortes. Eles quebraram as carruagens, ou seja, o egoísmo de ataque.

Minha Resposta: Sim, mas o egoísmo atua em muitas direções e com grande astúcia. Vitória após vitória, é bom. Mas por que mais tarde as pessoas estão sofrendo uma derrota e, além disso, uma grande derrota geral? Porque o egoísmo é nossa natureza.

Embora nos pareça que estamos vencendo, a vitória, em geral, é puramente externa. E para realmente conduzir as pessoas à unidade umas com as outras e com o Criador, é necessário lutar com o próprio Criador, que organiza tudo isso, tanto enfraquece quanto fortalece. Como é dito sobre Jacó: “Você lutou com os reis e lutou com o Criador e venceu”.

Vencer significa forçar o Criador a ajudá-lo a recriar a si mesmo. Depois de um esforço constante, quando você percebe que não tem forças, é um movimento natural.

Pergunta: Acontece que nem reis nem Israel têm livre arbítrio? Aqueles são aquecidos e estes são aquecidos.

Resposta: Não, Israel tem livre arbítrio para que constantemente fortaleça sua unidade contra o egoísmo e entende que não pode fazer nada – apenas pedir ao Criador.

De KabTV, “Segredos do Livro Eterno“, 02/08/21

Manifestações Parciais De Egoísmo

95Zohar para Todos, Chayei Sarah, Item 74: Todas as ações do ímpio Balaão vieram do lado da impureza.

Todos os vilões: Balaão, Balak, Faraó, Hamã e outros são o resultado da serpente. A serpente é sua propriedade comum e todas são manifestações parciais dela.

No início de seus atos, ele pegou uma serpente dentre as serpentes e a amarrou diante de si. Ele partiu a cabeça da serpente e tirou sua língua. Então ele pegou certas ervas e as queimou e fez um único incenso com elas. Então ele pegou a cabeça daquela serpente e a dividiu em quatro lados e a transformou em um único incenso (Item 77).

Fazer incenso é aproveitar ao máximo o seu egoísmo.

Balaão é uma propriedade que nos leva a ser tão egoístas que nem sabemos o que ela é. Somente à medida que escalamos os níveis espirituais é que começamos a senti-la.

Na verdade, tudo o que está escrito no Livro do Zohar fala sobre pessoas que já estão ascendendo espiritualmente e sentindo esses problemas.

Ao redor dele, ele desenhava um único círculo e dizia coisas e fazia outras ações até que ele atraísse para si os espíritos da impureza, que o informavam do que era necessário. E ele agiu por suas palavras, de acordo com o que eles sabiam do lado daquela serpente do firmamento (Item 78).

A tarefa de Balaão é a mesma da serpente. Todos os personagens negativos da Bíblia têm como objetivo apenas continuar o mesmo trabalho, ou seja, chegar até a pessoa na hora certa e picá-la com seu egoísmo.

A queda de uma pessoa no egoísmo a sacode. A partir desse estado, ela começa a ver um objetivo distante e a correr em direção a ele. Portanto, ela precisa desse abalo, o que é chamado de consciência do mal.

De KabTV, “O Poder do Livro do Zohar” # 16

O Cerco Ao Egoísmo

933Profetas, Josué, 6:15 – 6:16, 6:20 – 6:21: No sétimo dia, levantaram-se ao romper da manhã e marcharam da mesma maneira sete vezes ao redor da cidade; foi apenas nesse dia que rodearam a cidade sete vezes. Na sétima vez, quando os sacerdotes deram o toque de trombeta, Josué ordenou ao povo: “Gritem! O Senhor lhes entregou a cidade!

Quando soaram as trombetas o povo gritou. Ao som das trombetas, e do forte grito, o muro caiu. Cada um atacou do lugar onde estava, e tomaram a cidade. Consagraram a cidade ao Senhor, destruindo ao fio da espada homens, mulheres, jovens, velhos, bois, ovelhas e jumentos, todos os seres vivos que nela havia.

Tudo isso ocorre nas pessoas que supostamente atacaram a cidade. Esta cidade está dentro delas. Elas atacam seu egoísmo remanescente e o destroem em todos os níveis: inanimado, vegetativo e animado. Ou seja, elas tiram a vida de todos os desejos que ainda existem nelas, mas já estão separados delas por uma parede e são definidos em oposição a elas.

Pergunta: O que é a cidade murada egoísta dentro de mim?

Resposta: É todo o nosso egoísmo remanescente manifestando-se diante de nós como tal. E não há outra maneira de conquistá-lo senão por meio de um cerco e precisamente por meio de ações como tocar uma trombeta.

Pergunta: O que é esse misterioso número 7, que se repete o tempo todo?

Resposta: São Hesed, Gevura, Tiferet, Netzach, Hod, Yesod e Malchut – sete degraus que a pessoa deve subir consistentemente a fim de destruir completamente a intenção egoísta para seu próprio bem. O egoísmo em si não é destruído e continua a ser usado com a intenção correta.

De KabTV, “Segredos do Livro Eterno”, 12/07/21

Existir Dentro Do Egoísmo

608.01Pergunta: A pessoa pensa que cria com seus pensamentos, que se dedica a algum tipo de trabalho e que existe. Mas, na verdade, ela está iludida. Existe um ponto a que uma pessoa pode se agarrar para se livrar disso?

Resposta: Para que você precisa?! Por que você precisa saber qual é o sentido da sua vida, o que você faz por conta própria e o que vem de cima? Por que você, um egoísta, também quer saber disso? Você não estragou essa pobre Terra o suficiente com seu conhecimento egoísta?

Pergunta: Não é o pensamento “Para que vivo?”, Em princípio, a única coisa importante para uma pessoa?

Resposta: Claro. Mas ainda assim, o pensamento não vai te dar nada. Você não será capaz de alcançá-lo e buscá-lo enquanto estiver em seu estado egoísta mesquinho, apenas se se elevar acima dele.

Pergunta: É possível superar esse estado confiando em nossos pensamentos, no intelecto?

Resposta: Não. De jeito nenhum! Nenhuma mente, nenhum intelecto, nenhuma qualidade dada a você pela natureza terrena é o suficiente para tirá-lo de si mesmo.

Para fazer isso, deve haver todo um sistema de saída onde você se separa de seu egoísmo e se eleva acima dele.

De KabTV, “Expresso de Cabalá”, 13/06/21

No Início Do Desenvolvimento Do Egoísmo

41.01Pergunta: A história de Abraão em Gênesis começa com o fato de que na antiga Babilônia as pessoas viviam como uma nação e falavam a mesma língua. Ninguém governava sobre os outros. Como isso pode ser? Afinal, antes disso, dezenas de milhares de tribos diferentes lutaram entre si.

Resposta: Houve um período na Mesopotâmia, entre o Tigre e o Eufrates, em que não havia contradições no lugar onde os babilônios viviam porque tudo era em abundância. Havia peixes nos rios, a terra fértil dava uma boa colheita e as pessoas não precisavam de nada. Elas nem mesmo invejavam umas às outras e não eram competitivas.

Era tudo muito bom. Ninguém governava os outros, todos eram iguais. As pessoas viviam calmas, como se estivessem preservadas. Isso indica um grau zero (raiz) de egoísmo. Naquela época, ele estava apenas começando a se desenvolver na humanidade.

Em princípio, estamos considerando a antiga Babilônia como o estado inicial da humanidade quando as pessoas ainda não sentiam egoísmo, ganância, inveja e assim por diante dentro de si mesmas.

O grau raiz é o egoísmo morto. Não precisa de mais do que tem. Representa o estado animalesco inicial da humanidade.

De KabTV, “Estados Espirituais”, 11/06/21

Mundo Não Limitado Pelo Egoísmo

608.02Se pudéssemos ir além de nossa intenção estreitamente focada – fazer tudo apenas para nosso próprio benefício (consciente e inconscientemente, por qualquer esforço, pela força, por todos os meios) – começaríamos a sentir o mundo não com nossos cinco sentidos, mas como se pelos sentidos de outra pessoa.

A percepção do mundo através dos órgãos sensoriais de outras pessoas nos dá uma imagem completamente diferente – não egoísta, acima da egoísta, que chamamos de mundo superior. Afinal, na medida em que começamos a sair de nós mesmos, de nossa intenção para nosso próprio benefício e nos integrar na intenção não para nosso próprio bem, descobrimos que antes estávamos servindo à força para nosso próprio benefício e agora estamos servindo à força para o benefício de outros.

A intenção em prol dos outros é chamada de Lishma.

Quando adquirimos essa intenção, passamos a ver o mundo de forma diferente, não dependendo de nós, de nossa existência, de nossas ações e desejos. Este mundo é chamado de mundo superior. Por quê? Começamos a ver forças, ações que estão acima de nós, superiores a nós, fora de nós porque não são limitadas por nosso egoísmo estreito.

Essa oportunidade de agir de forma absoluta e não para o nosso próprio benefício, que se chama Lishma, nos leva ao grau de eternidade, perfeição e nos dá a oportunidade de existir em um mundo diferente, em um espaço diferente.

Pergunta: Onde está o Criador aqui?

Resposta: O Criador é a força geral de doação e amor, que neste caso é revelado a uma pessoa, uma vez que ela começa a adquiri-la fora de si mesma. Nessa medida, parcialmente, ela se torna mais e mais familiarizada com este grande campo, a grande força que a cerca em uma nova dimensão, em um novo mundo, que é chamado de Criador.

De KabTV, “Estados Espirituais”

Por Instinto Interior Ou Cálculo Egoísta?

627.2Comentário: Muitas pessoas que se casam tentam fazer um acordo pré-nupcial de forma a ganhar às custas da outra parte.

Minha Resposta: Naturalmente. Nosso egoísmo já implica isso. Por que criamos uma família?

Uma mulher se casa porque vê que tem um parceiro confiável com quem pode ter filhos. E ele vai sustentar a família tanto quanto puder.

Ela o vê como um sério apoio para seus futuros filhos, como uma mulher olha para um homem que deve fornecer-lhe tudo o que é necessário para a reprodução e criação dos filhos. Essa é a atitude natural da mulher em relação ao casamento. Converse com biólogos e psicólogos sobre isso. Essa é a única maneira que escolhemos.

Mas o problema é que nos afastamos da natureza. Os animais escolhem de acordo com seu cheiro, com seu instinto interior. A fêmea vê que é com esse macho que ela será capaz de criar a melhor família e criar descendentes. É assim que a natureza a organizou.

Mas nos humanos todos os tipos de distorções se sobrepõem a isso. Por exemplo, um homem está interessado no comprimento das pernas de uma mulher, se ela se formou na universidade, o que o ambiente dirá ou qualquer outra coisa. Estamos muito confusos com as avaliações uns dos outros. Mas se estivéssemos agindo por natureza, isso seria, é claro, o ideal.

Pergunta: Por que, ao redigir contratos matrimoniais, os homens tentam evitar a questão de como sustentar sua esposa? Eles tentam tirar tudo da esposa, mesmo que os filhos fiquem com ela.

Resposta: Por que as mulheres buscam isso? Por que tal contrato foi elaborado? O mais importante em um contrato de família é dar à esposa a oportunidade de dar à luz e criar filhos. É para isso que existe uma família.

Comentário: Hoje os homens não querem se casar de jeito nenhum, eles estão satisfeitos com os casamentos civis. Aparentemente, esta é a resposta para o fato de que uma mulher que deseja constituir família aceita tais condições e assina o contrato de casamento.

Minha Resposta: Ou porque o Estado assume esta parte de sustentar uma mulher com filhos cujo marido a abandona. Portanto, ela inconscientemente considera essas opções e, percebendo que pode obter ajuda da sociedade, do Estado, concorda com tal acordo.

De KabTV, “Close-up”, 19/08/09

Desamparado Diante Do Egoísmo

236.01Pergunta: No quinquagésimo dia após deixar o Egito, o povo foi ao Monte Sinai. “Sina” em hebraico significa ódio. “Montanha” é a palavra “Har” de “Hirhurim”, que significa dúvidas. Quais são essas dúvidas? Dúvidas de ódio?

Resposta: Olhando para o ódio que preenche uma pessoa e para a qualidade de doação e amor, a qualidade chamada Criador, ninguém pode acreditar que é possível derrotar o ódio, escalar esta montanha, superar o enorme egoísmo em todas as suas manifestações.

Estar ao pé de uma montanha significa sentir que não há nada que você possa fazer, você levanta as mãos e seja como for. Você não tem controle sobre o seu egoísmo, sobre a sua natureza, ela o controla completamente e faz o que quer.

Pergunta: O Monte Sinai é ódio contra a qualidade do Criador, a qualidade de doação e amor? Ou é ódio contra as pessoas ao seu redor?

Resposta: É a mesma coisa. Assim como em nosso mundo, transferimos as qualidades das pessoas para sua imagem externa e, portanto, amamos algumas pessoas e não amamos outras. Afinal, definimos nossa atitude não em relação à “carne”, mas em relação à qualidade que uma pessoa representa como se a representasse diante de nós como um ator. É por isso que a amamos ou não, estamos mais próximos ou mais distantes dela.

De KabTV, “Estados Espirituais”, 09/04/21

Mergulhe No Egoísmo Espiritual

508.1Comentário: Na Torá, primeiro existem atos de criação, e então, depois de dois mil e quinhentos anos, os Dez Mandamentos foram entregues ao povo.

Minha Resposta: Os mandamentos surgem apenas em uma pessoa após seu longo desenvolvimento. É muito difícil entender de onde eles vêm.

A pessoa deve mergulhar em um egoísmo espiritual sobrenatural, que é chamado de Egito. Isso é o que aconteceu com o povo judeu de acordo com o épico histórico quando eles passaram pelo Egito, mergulharam em todas as propriedades egoístas, as viram e perceberam que eram o oposto do Criador.

Por outro lado, ela percebeu que não era capaz de sair delas sozinha, e todas as suas propriedades estão diante dela como o Monte Sinai, uma montanha de ódio, o oposto do Criador.

E tudo isso se deve ao fato de que entre essas propriedades há um ponto de “Moshe” (Moisés) chamado de contato com o Criador; puxando, como um pequeno fio, a pessoa pode sair dessa oposição para a semelhança do Criador.

De KabTV, “O Poder do Livro do Zohar” # 10