Textos com a Tag 'Criador'

Somente Do Amor Pelos Seres Criados Ao Amor Pelo Criador

laitman_232.01Nós não temos outro caminho além de cumprir o pensamento da criação, isto é, alcançar a adesão com o Criador. Mas, para alcançar essa adesão, devemos ter o amor pelo Criador, que só é possível com a ajuda de um instrumento que preparamos com nossos exercícios de amor à criação: dentro de uma sociedade, em grupo, em uma dezena. Não há outro caminho: somente através do amor pelos seres criados ao amor pelo Criador.1

Toda a abundância que é revelada no mundo vem somente de cima. Não depende do nosso trabalho e esforço, mas é determinada apenas por tais estados, bons ou maus, que chegam até nós de acordo com o programa da criação. Estados “ruins” são aqueles que nos educam e nos adiantam pelo caminho do sofrimento. É por isso que, na medida em que mudamos o nosso caminho, mudando-o do caminho do sofrimento para o caminho do desenvolvimento consciente, em outras palavras, “apressando o tempo” (Achishena), atraímos para esse mundo o bem para cada pessoa individual e para todos nós juntos. Nisto reside todo o conceito de apoiar o mundo.

Cada indivíduo que pertence a um grupo que cuida de todos os amigos sente que seu desejo de receber é neutralizado e a necessidade de se preocupar consigo mesmo desaparece. A sociedade conquista-o com o seu cuidado e ele já não se sente sob o poder do egoísmo. É como uma criança que sabe e sente que está sob os cuidados de pais amorosos e, portanto, está completamente livre de qualquer preocupação por si mesma. Ela tem certeza que seus pais cuidarão de tudo que ela precisa.

Da mesma forma, o amor e o cuidado da sociedade influenciarão cada pessoa, e ninguém precisará pensar em seu próprio desejo de receber prazer, porque já sente que será preenchido pela sociedade. A sociedade neutraliza seu egoísmo com seu cuidado e demonstra o exemplo de doação. E quando o indivíduo se separa de seu desejo egoísta e começa a se dedicar à doação à sociedade, um mundo inteiramente novo se abre diante dele.

É por isso que o principal é proporcionar tal sentimento de garantia mútua dentro de uma sociedade, de modo que cada indivíduo não sinta necessidade de nada e seja capaz de se importar apenas com a doação e não com ganhos pessoais.2

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá, 11/07/18, Lição sobre o tema: “Do Amor aos Seres Criados ao Amor ao Criador”

1 Minuto 0:00
2 Minuto 2:30

Nós Podemos Agarrar O Criador Com 10 Pares De Mãos

laitman_259.01Uma pessoa não pode pedir para si mesma. O pedido correto ao Criador, no qual uma pessoa permanece em equivalência e conexão com Ele, é um pedido para um amigo. Como resultado da destruição, todas as pessoas parecem ser estranhas para nós, para que possamos construir a qualidade de doação. É como se o Criador pudesse ser contido somente se Ele fosse tomado por dez pares de mãos ao mesmo tempo.

Se eu despertar dez amigos, então, juntos, em dez pares de mãos, seremos capazes de agarrar o Criador, como um bebê que se agarra a sua mãe e não solta. Conforme a união, nós podemos nos conectar com o Criador. Isso deixa claro como o nosso trabalho deveria ser.

Naturalmente, uma pessoa pode orar e pedir, pensando que fala com o Criador. Mas o trabalho real, e não aquele que é percebido em nosso egoísmo, só pode estar no Kli comum criado com a ajuda de vinte mãos. Só assim podemos nos apegar ao Criador e nos aderir a Ele.1

Construir Jerusalém significa construir o medo em si mesmo de que, se a ajuda não vier de cima, eu nunca alcançarei a doação através dos seres criados para o Criador. Isso é chamado de “Jerusalém” – um medo (Ira’a Shlema) completo.2

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá. 03/07/18, Escritos do Rabash, vol. 2, Artigo 39: “O Que É, ‘Quem Chora Por Jerusalém É Recompensado Com Ver Sua Alegria’ No Trabalho” (1990)
1 minuto 29:25
2 minuto 36:20

O Criador Não O Deixará Sozinho

laitman_629.3Pergunta: Se tudo é predeterminado na vida de uma pessoa, talvez a melhor solução seja simplesmente não me enganar?

Resposta: Você pode, claro, permanecer absolutamente passivo, mas não será deixado sozinho e todos os tipos de desejos serão despertados em você.

Você é uma criatura, um ser criado, e deve vir para completar a solidariedade com as ações do Criador dentro de você, seja neste ciclo de vida (encarnação) ou no próximo.

Pergunta: Então essa ideia deve ir e vir, ir e vir. Não pode ser permanente?

Resposta: Ela está se aperfeiçoando constantemente.

Da Lição de Cabalá em Russo 11/02/18

Do Desamparo Ao Clamor Ao Criador

laitman_221.0Existem vários exercícios para chegar a uma oração ao Criador. Em primeiro lugar, é necessário reconhecer que, na verdade, já temos uma conexão com a força superior e existimos no campo de sua ação.

Caso contrário, somos como crianças que, em sua ingenuidade, não suspeitam que a mãe as vigie constantemente e pense que estão sozinhas. O grupo deve constantemente nos dar a sensação de que existimos no campo de força do Criador.

Na realidade, o Criador preenche o mundo inteiro, mas esta experiência está escondida de nós. No entanto, os amigos, o grupo, são capazes de nos dar essa sensação. E mesmo que eu mesmo não sinta minha dependência do Criador, não sinta Sua influência a cada momento, pela qual Ele assegura minha existência, me corrige e me guia, o grupo pode despertar essas sensações dentro de mim.

Nós precisamos mostrar ao nosso amigo que ele tem uma conexão com o Criador, e isso é o principal – tudo o mais é apenas um meio de apoio. Isso nos leva à sensação de nossa dependência da força superior, a princípio egoisticamente, para nós mesmos, para torná-la melhor para nós. No entanto, eu começo a pensar em torná-la melhor para nós, porque é impossível despertar o Criador sozinho, mas apenas em uma dezena.

Quanto mais dezenas começarem a trabalhar assim, maior será a nossa força e nossa chance de despertar a força superior. Nós vamos sentir como o Criador se aproxima de nós. É assim que gradualmente desenvolvemos nossos sentidos; este é o trabalho de toda a nossa vida, todo o nosso desenvolvimento espiritual.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá, 26/06/18, Lição sobre o tema “Do Desamparo ao Clamor ao Criador”

Ansiar Pelo Criador

laitman_567.04Pergunta: Meu anseio por sentir a espiritualidade e o Criador se torna mais forte ou mais fraco com o tempo?

Resposta: O anseio pelo Criador cresce. Até que a pessoa atinja a espiritualidade, o desejo dela pessoa aumenta constantemente, em confusão e incompreensão.

Pergunta: Eu aceito o anseio crescente com alegria?

Resposta: Existem diferentes nuances aqui que você não notará mais e deixará de prestar atenção a elas.

Naturalmente, existem todos os tipos de circunstâncias no grupo: tristes, engraçadas, irritantes e assim por diante. Mas os amigos precisam entender que, se estiverem em um estado interno tenso, terão que passar por tudo isso e ainda terão muito pela frente.

Da Lição de Cabalá em Russo 18/02/18

Não Interfira Com O Criador

laitman_565.01Pergunta: Se todos os meus pensamentos e ações vêm do Criador, qual é o meu papel? Como não evito que o Criador faça o seu trabalho?

Resposta: Una-se. Conecte-se com o Criador em todos os atos Dele. Toda a vida de uma pessoa é construída em sua sintonia com a constante revelação do Criador, não importa como ela se manifeste.

Com isso você não interfere. Pelo contrário, ajuda o Criador a se revelar em você. Você lhe dá prazer.

Da Lição de Cabalá em Russo 11/02/18

O Que O Criador Tem A Ver Com Isso?

Laitman_006Pergunta do Facebook: Tudo o que você ensina é pura psicologia das relações entre as pessoas. O que o Criador, a Luz e todos os outros atributos têm a ver com isso?

Resposta: O fato é que o Criador é alcançado entre as pessoas quando uma relação especial de doação e amor aparece entre elas. Não doação terrena, amor terreno, mas em um nível superior, isto é, acima do nosso egoísmo.

Para elevar-se ao próximo nível, acima do nosso egoísmo, é necessária a sabedoria da Cabalá, que, em princípio, lida apenas com isso. Isto é, é psicologia, mas no próximo nível, superior.

Em nossa psicologia terrena, uma pessoa não precisa se modificar na prática. Aqui ela deve receber a força superior, e a Cabalá explica a ela como fazer isso. Recebendo essa força, ela constrói acima de si outra pessoa completamente diferente que trabalha em doação e amor aos outros, fora de si mesma. Isto é, no nível material, eu “estou dentro de mim” e, no nível espiritual, atuo “fora de mim”.

A psicologia materialista não pode lidar com isso; não tem ferramentas para isso, nenhum poder da Luz que possa mudar inversamente uma pessoa. Portanto, psicologia é psicologia e Cabala é Cabalá.

Pergunta: É possível dizer que a psicologia materialista nos adapta à realidade terrena e a psicologia Cabalista à realidade superior?

Resposta: Claro, eu me adapto a um sistema diferente de relações construído em completa desconexão do meu egoísmo e acima dele.

De KabTV “Notícias com Michael Laitman”, 10/04/18

“Eu” – O Grau De Equivalência Com O Criador

laitman_622.02Pergunta: O que exatamente eu alcanço no processo de autorrealização: as leis, o programa ou o conceito do meu “eu”? O que é o “eu” de uma pessoa?

Resposta: O grau de vestimenta do Criador em uma pessoa é chamado de seu “eu”. Em nosso mundo, nós correlacionamos nosso “eu” com nosso egoísmo. E no mundo espiritual, o “eu” não existe. No mundo espiritual, “eu” é uma medida de equivalência com o Criador.

Pergunta: O que existe do ponto de vista Cabalístico: “eu” ou apenas “nós”?

Resposta: O problema é que o mundo inteiro, todo o universo, sou eu. Portanto, quando eu me uno aos meus amigos, alcanço meu verdadeiro “eu”.

Pergunta: O meu “eu” é um grau de vestimenta do Criador em uma pessoa ou um grau de minha percepção de que o Criador está vestido em mim?

Resposta: Seu “eu” é o que está falando em você agora; isso é o que você é hoje. E o verdadeiro “eu” de uma pessoa é o desejo de se unir e amar, que se torna igual ao Criador. Isso deve ser alcançado.

Comece a se esforçar para se unir e revelar o Criador nesta unidade, e tudo ficará bem.

Da Lição de Cabalá em Russo 11/02/18

Brincando De Esconde-Esconde Com O Criador

laitman_249.01A conexão tem que ser alcançada com um ataque! Conforme os nossos esforços para alcançá-la no mundo corpóreo, rompendo em direção à conexão, cada um de acordo com seu entendimento e a raiz de sua alma, nós forçamos o Criador a realizá-la. O Criador está nos treinando, como um professor, um instrutor e, portanto, nem sempre ajuda a fortalecer a unidade, mas, às vezes, faz o oposto para nos mostrar onde precisamos nos esforçar mais.

Ele nos dá todos os tipos de exercícios, obrigando-nos a tentar formas diferentes. E se interpretarmos corretamente Sua mensagem para nós, percebendo tudo o que está acontecendo na realidade, desde a quebra da alma coletiva no pecado da Árvore do Conhecimento até os dias atuais, como o Criador nos apela para ajudar a realizar a conexão, nessa medida, começamos a entender o nosso trabalho. Começamos a sentir nosso diálogo contínuo com o Criador, Sua reação para conosco.

Nós então temos uma linguagem comum com o Criador. O principal é começar a compreendê-Lo, percebendo tudo o que está acontecendo no mundo, eventos supostamente bons ou ruins, como a comunicação do Criador comigo, um chamado para se dirigir a Ele. O Criador se esconde por trás de todas as ações, por trás de toda a realidade, e eu tento discernir Seu trabalho por trás de tudo que está acontecendo e me concentrar não nas ações em si, mas no Criador.

Isto requer perseverança constante para não deixar o Criador nos enganar. Não importa como Ele se esconda por trás de tudo que acontece, nós nos voltamos diretamente a Ele. Isso O deixa muito feliz! E também dá alegria a uma pessoa se ela, com a ajuda do ambiente, estiver pronta para aceitar este jogo e revelar o Criador acima de Sua ocultação.

Mas isso vem para que não apenas imaginemos Sua presença em tudo o que está acontecendo. Isso é suficiente apenas no começo. Nós então precisamos nos mover para um trabalho mais focado: nos esforçando para nos unir e descobrir o quanto o Criador nos impede. Esse obstáculo é onde aprendemos sobre Ele.

É como escalar uma montanha com um palácio real no cume. Quanto mais tentamos nos unir, mais o Criador impede isso: nos infligindo com esquecimento e enviando todos os tipos de distúrbios. E nós, apesar de tudo, com a ajuda do Arvut (garantia mútua) e da unidade formada, tentamos ajudar uns aos outros; nós nos lembramos de que o principal é permanecer na conexão mútua para revelar o Criador que realiza essa conexão e se revela dentro dela.

Neste caso, somos chamados de Israel (Yashar-Kel), isto é, dirigidos “diretamente ao Criador”, porque queremos revelar a única razão verdadeira para tudo o que está acontecendo em nossa realidade. Nós queremos restaurar o sistema da alma comum, Adam HaRishon, que o Criador nos impede de nos unir para que, através das perturbações, possamos descobrir sua estrutura.

É assim que continua o ataque contínuo à conexão até que o Criador se rende e diz: “Eu quero!”, e nos permite se unir e revela-Lo. Nós nos tornaremos um vaso para Sua revelação, e Ele, o preenchimento deste vaso, e assim alcançaremos nossa primeira adesão com o Criador.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 15/06/18, “Atacando a Conexão”

Aproximar-se Do Castelo Do Criador

laitman_293Baal HaSulam, Os Escritos da Última Geração: Toda a recompensa antecipada do Criador, e o propósito de toda a criação, é a Dvekut [adesão] com o Criador, como em “Uma torre cheia em abundância, mas sem convidados”. É isso que os que se apegam a Ele com amor recebem.

Baal HaSulam enfatiza que a recompensa mais importante de todo o trabalho de uma pessoa neste mundo, como resultado dos esforços que ela faz e para que ela vive, é a conquista da revelação do Criador, unir-se a Ele, a completa equivalência das propriedades da pessoa às propriedades do Criador.

Esta é “uma torre cheia em abundância, mas não há convidados”.

No entanto, o Criador espera por eles.

Por enquanto, em vez do castelo, estamos em uma prisão da qual devemos sair e nos aproximar gradualmente do castelo.

O problema é que a pessoa deve se sentir como se estivesse na prisão. Isso não importa como. Em outras palavras, se não quisermos escapar da prisão por nós mesmos, a natureza operará sobre nós de tal forma que teremos que fazer isso.

Pergunta: Se não há sentimento de que você está na prisão, qual é o uso dos esforços que fazemos durante os workshops?

Resposta: É para que você receba esse sentimento. Isso vem do fato de que você vê o tipo de mundo em que vive.

Enquanto estuda Cabalá, você entende um pouco, que ela de alguma forma funciona. Mas o tempo passou e agora você está novamente tentando encontrar um lugar aconchegante. Portanto, você precisa deixar esse estado. Mas é muito mais difícil fazer isso agora do que antes, porque na “prisão” comum você foi empurrado para frente e agora ela funciona de forma diferente.

Você mesmo deve conscientemente entender que, apesar do fato de estar fisicamente bem confortável, você está num estado enganador, longe do Criador, da qualidade de doação e amor ao próximo. Portanto, essa propriedade, que você não pode e nem quer alcançar, está diante de você e mostra que você está na prisão.

Agora devemos imaginar que estamos na prisão. E é possível chegar a isso somente por meio do desenvolvimento do sentimento no grupo de que somos incapazes de alcançar a conexão, o amor, um estado interno de unidade entre nós em que o Criador se revelaria: a propriedade comum de doação e amor.

Esforços constantes voltados à conexão nos levarão a entender que não podemos fazer isso. De acordo com eles, veremos que esforços vêm até nós de fora: do Criador, pela Luz.

De KabTV “A Última Geração”, 19/12/17