Textos na Categoria 'Zohar'

Quem É Como O Criador

585.01Zohar para Todos, Lech Lecha, item 102: Naquela época, o grande sacerdote, Michael, pega o Ruach e o oferece como uma oferenda de sabor doce perante o Criador, ZA. Ele fica lá em ZA de Atzilut e é refinado naquele feixe de vida, no qual está escrito: “Nem os olhos viram um Deus além de Ti”.

Depois, ele desce de lá para o Jardim do Éden na terra e é refinado com todos os tipos de refinamentos, veste aquela vestimenta do ar do Jardim do Éden mais uma vez, e se senta lá agora em uma coroa que é duas vezes maior como o que era antes de sua subida à ZON de Atzilut.

A subida é realizada por uma força especial que atua da mesma forma que, por exemplo, um ímã, vento ou a força da gravidade atuam em nosso mundo.

Assim como existem quatro graus no mundo corporal: inanimado, vegetativo, animado e humano, também nos mundos espirituais de Assia, Yetzira, Beria e Atzilut existem quatro forças diferentes que realizam a subida.

Essas forças são chamadas de anjos Michael, Gabriel, Uriel e Rafael, e elevam uma pessoa nos níveis dos mundos espirituais. Em princípio, cada mundo tem sua própria força. No entanto, todas trabalham juntos em cada um dos mundos, apesar do fato de que um deles é o líder lá.

A primeira força que eleva uma pessoa ao mundo superior é Michael, “Mi-kaEl” – “Quem é como o Criador.”

De KabTV, “O Poder do Livro do Zohar” # 18

Estados Que Levam Ao Nascimento Espiritual

537Pergunta: Quais são os três componentes: Nefesh, Ruach, Neshama?

Resposta: Eles são os três estágios de desenvolvimento espiritual quando ascendemos do nosso mundo, do nosso estado atual de busca, escuridão, incompreensão, confusão, desapego e vazio que a humanidade está experimentando hoje. Agora, quase todo mundo passa por estados que nos levam ao nascimento espiritual.

É um sentimento de fim, um sentimento de limitação, uma falta de perspectiva, um desejo de algo se desenvolver porque estamos decepcionados com nosso desenvolvimento, pois ele nos traz apenas decepções contínuas e um vazio ainda maior.

Todos esses estados são muito úteis e representam exatamente aquelas forças pelas quais nos elevamos de nosso mundo ao primeiro mundo espiritual, o mundo de Assia, e entramos no desenvolvimento intrauterino real e começamos a sentir em certa medida a presença do superior.

Começamos a sentir que estamos dentro de uma natureza global, que é um único organismo que afeta toda a humanidade, o mundo inteiro e até algo mais – algum tipo de pensamento, plano, começo, fim, objetivo e processo dentro do qual nós existimos.

Conseguir isso é atingir o nível de Nefesh e o mundo de Assia.

De KabTV, “O Poder do Livro do Zohar” # 19

A Caverna Dos Antepassados E Suas Propriedades

923Zohar para Todos, Lech Lecha, Item 104: Quando o Ruach sai deste mundo e entra na caverna de Adam haRishon e os patriarcas, eles lhe dão lá uma carta como um sinal, e ele vai para o Jardim do Éden. Quando ele se aproxima, ele encontra o Querubim lá e aquela espada flamejante que gira em todos os sentidos. Se ele for recompensado, eles veem a carta que é o sinal, abrem o portão para ele e ele entra. Se não, eles o repelem para fora.

Do ponto de vista espiritual, uma caverna é um lugar onde uma pessoa passa nove meses de desenvolvimento intrauterino e aí vive. Em outras palavras, uma caverna é o nível inanimado do habitat ao seu redor. Inicialmente, as pessoas viviam em cavernas porque o microclima de uma caverna é o melhor para o homem. As pessoas sabiam escolher um lugar favorável para morar.

Uma caverna tem propriedades especiais; estamos cercados pelo poder da Terra por todos os lados. Não sentimos isso porque hoje vivemos em prédios altos, em andares acima do solo. E de acordo com a Cabalá, a pessoa não deve ficar muito longe disso.

É claro que, em nosso tempo, tudo isso realmente não importa mais. Devemos usar outras forças.

Quando uma pessoa atinge o estado de entrar na caverna dos antepassados ​​onde Abraão, Isaque e Jacó estão localizados, as três linhas, ela encontra essas propriedades básicas da raiz de sua alma. Adam HaRishon, de quem essas três propriedades espirituais vêm, também está lá.

Esta caverna também é chamada de Machpelah, que significa caverna dupla, ou seja, a união de Bina e Malchut.

Não é apenas uma caverna. Podemos dizer que há outra nela: Malchut e Bina em Malchut, ou Bina e Malchut em Bina. Ou seja, das duas propriedades de Bina e Malchut, quatro propriedades são obtidas: Malchut, Bina, Bina em Malchut e Malchut em Bina.

Estas são as quatro propriedades chamadas pelo nome do Criador: Yod-Hey-Vav-Hey ou HaVaYaH. Quando a pessoa as descobre em si mesma e as molda corretamente, passa a perceber quem a criou e quem a dirige.

As quatro letras dão a ela a primeira qualidade espiritual na qual ela ascende e se torna cada vez mais semelhante ao Criador. Assim, ela chega aos portões do Jardim do Éden. Se ela se prepara corretamente, os anjos, isto é, as forças, que agora deveriam revelar nela o estado chamado Jardim do Éden, agem sobre ela.

E se ela não estiver preparada, apesar do fato de ter recebido todos os ingredientes abaixo: tanto o encontro dos antepassados ​​quanto a chamada carta (Igeret, Mikhtav), ela não atinge o nível do Jardim do Éden, ele não pode revelar essa propriedade em si mesma, e deve descer e começar sua subida novamente.

De KabTV, “O Poder do Livro do Zohar” # 19

Abrir O Livro Da Vida

281.01Zohar para Todos, Lech Lecha, Item 105: Também está escrito que quando Ruach sai deste mundo e entra na caverna de Adam haRishon e os patriarcas, eles lhe dão uma carta como sinal, já que a dura Klipa, a sepultura, não governa Ruach, mas requer mitigação de Bina mais uma vez. Consequentemente, ele entra na Caverna de Machpelah, o local de mitigação das duas letras Hey juntas, que são Malchut e Bina. Essa mitigação é chamada de “caderno”, que é uma carta dobrada, como o feto no útero de sua mãe, que é dobrada como um caderno, com a cabeça apoiada nos joelhos, indicando a subida de NHY para HGT, três em três.

Quando NHY é incluído em HGT, o bebê não tem o conceito de acima e abaixo: as partes inferior e superior de seu corpo são dobradas juntas. Estar dentro da mãe em um estado dobrado, ele é como uma “mensagem”. Isso significa que dentro desse estado está todo o registro de suas informações espirituais, tudo o que mais tarde se desenvolverá a partir dele.

E quando ele sai, ele se abre como se abrisse uma carta e, como resultado, ele começa a ler seu DNA, seu gene espiritual: tudo o que o Criador escreveu nele.

De acordo com essa mensagem, a pessoa começa a se desenvolver, lendo aos poucos todo o seu destino ao longo das linhas, passando-o na realidade. É por isso que se chama que uma pessoa representa uma “mensagem” ou um “livro”.

Pergunta: O que significa estado dobrado?

Resposta: O fato é que ele deve ser dobrado porque a princípio é apenas um ponto, não há realizações, nenhuma sensação nele ainda, ele ainda não se desdobrou diante de si mesmo, ainda não começou a ler.

É como um livro que, ao abri-lo, começa a entender do que se trata. Antes disso, o livro do seu destino e da sua vida está fechado porque você está no estado de “dentro do útero”, no escuro.

Assim, uma pessoa recebe uma “mensagem” do grau anterior enquanto em nosso mundo ela não se sentia de forma alguma e não sabia sobre o ponto no coração, sobre o livro, ou sobre esta mensagem. Este é o “livro do destino”.

De KabTV, “O Poder do Livro do Zohar” # 19

A Diferença Entre Corpos Físicos E Espirituais

546.02Pergunta: Parece-nos que o mundo espiritual é algo sutil, quase imperceptível. Os sentimentos que surgem no mundo espiritual entre os chamados conceitos feminino e masculino são mais fortes ou mais fracos do que no mundo material?

Resposta: É muito mais forte em magnitude. Bilhões de vezes!

Portanto, ao ler as fontes primárias, não devemos visualizar o que está escrito nelas nas imagens do nosso mundo. Na espiritualidade, tudo é totalmente inverso, pois visa a satisfação e o deleite dos outros. Existe uma compreensão completamente diferente dos conceitos feminino e masculino.

Em nosso mundo, por corpos físicos – inanimados, vegetativos e animados – queremos dizer um objeto que ocupa um certo volume, tem um certo peso e alguns parâmetros físicos.

No mundo espiritual, um corpo significa um objeto espiritual que tem parâmetros espirituais correspondentemente e, em particular, o desejo de receber prazer.

De KabTV, “O Poder do Livro do Zohar” # 18

Para Cima – Para O Mundo De Atzilut

610.2Zohar para Todos, Lech Lecha, Item 101: No meio do jardim está um pilar que é formado com todas as cores. Quando Ruach deseja subir ao mundo de Atzilut, ele tira a vestimenta de ar do Jardim do Éden e vai ao pilar, subindo até o lugar de onde saiu, para a Nukva de Atzilut, como é escrito: “E o espírito voltará para Deus que o deu”.

A linha média, que surge na simbiose, na conexão correta dos princípios masculino e feminino, é o pilar que se eleva do mundo inferior ao mundo superior.

Esse pilar consiste em três linhas que parecem se entrelaçar, lembrando uma coluna torcida ou a espiral de uma molécula de DNA.

Pergunta: E por que ele sobe entrelaçado e não reto?

Resposta: Porque uma qualidade prevalece constantemente sobre a outra. Deve ser assim que elas sempre parecem interagir entre si em várias combinações, cada uma se manifestando às custas da outra. Não podemos sentir uma coisa sem compará-la com outra.

Portanto, entrelaçando-se em tal combinação alternativa de quem é maior, quem é menor, em quais qualidades, elas finalmente nos levam adiante, nos elevam ao mundo de Atzilut.

De KabTV, “O Poder do Livro do Zohar” # 18

Para Avaliar A Atitude Dos Superiores

232.1Zohar para Todos, Lech Lecha, Item 99: Ruach é o que sustenta Nefesh nesse mundo, estendendo a abundância de vida e dando à Nefesh. É o meio de três graus….

Apesar do fato de uma pessoa ter subido do primeiro grau de Nefesh para o próximo, Ruach, o primeiro grau é preservado nela.

Ela começa a entender ainda mais o que passou. Assim como hoje: somos adultos, mas quando nos lembramos da nossa infância, podemos entendê-la melhor do nosso nível atual, entender por que nossos pais nos trataram daquela maneira, por que reagimos a tudo de uma determinada maneira.

É o mesmo aqui, do nível de Ruach, do segundo grau, você entende melhor o nível de Nefesh, e ele não desaparece, mas complementa o próximo nível.

Pergunta: Por que preciso saber de algo que já passou?

Resposta: Para que você entenda como o superior o tratou e como o criou. Com base nisso, você deve se tornar cada vez mais como ele.

Tudo o que aconteceu no nível anterior de Nefesh você agora avalia de forma diferente do nível de Ruach. Portanto, no nível anterior, você já não tem a luz do nível de Nefesh, mas a luz do nível de Ruach. Passando do primeiro para o segundo nível, você se transforma de um bebê em uma criança. Em outras palavras, o bebê que estava em você aparentemente sobe para o segundo grau e atinge o grau de criança, ou seja, você se torna mais consciente.

Não parece assim em nosso mundo. No mundo superior, onde a ascensão espiritual é baseada na realização, há um acúmulo constante de graus anteriores. E todos eles sobem e são adicionados ao último grau.

Assim, começamos a entender todos os graus anteriores, começamos a justificar o Criador, Suas ações, nossa história, nossas ações, e somos chamados de justos.

E eu só posso alcançar o grau de justo passando por todos os graus e verificando como o Criador me tratou. E quando olho para todos os graus anteriores do último, eu realmente O justifico.

De KabTV, “O Poder do Livro do Zohar” # 18

Para Nascer Para A Eternidade

744Zohar para Todos, Lech Lecha, Item 98: E quando uma pessoa morrer desse mundo, essa Nefesh nunca se moverá da sepultura, e por essa força de Nefesh que permanece na sepultura, os mortos se conhecem e falam entre si.

Viver em nosso mundo antes de nascer no mundo de Assia, antes do despertar e da iluminação, é chamado de estar em um túmulo. Quando eu saio desse lugar, eu deixo meu túmulo. Rechem (útero) ou Kever (sepultura) são a mesma coisa.

Ou seja, eu enterro meus desejos atuais e subo ao próximo nível. Essa é a saída da sepultura, o nascimento de uma nova pessoa.

Em princípio, em nosso mundo, parece que acreditamos que, depois que uma pessoa é enterrada, ela renasce. Por que tratamos um cadáver dessa maneira? Qual é a utilidade disso e nossa nostalgia por isso? Ir ao cemitério para acariciar uma lápide? O que há nela? Nada!

Mas isso vem precisamente da conformidade com o espiritual, porque de nosso desejo egoísta espiritualmente morto, um desejo altruísta correto nasce. Portanto, tratamos nosso egoísmo com tanto respeito porque todo o nosso crescimento espiritual é baseado nele.

Pergunta: O que são esses mortos que falam entre si?

Resposta: Os mortos são você e eu. Falamos sobre como podemos nos tornar vivos, como podemos sair desse estado. Isso é chamado de mudança de morto para vivo.

Pergunta: Ou seja, o mundo que vemos ao nosso redor está morto? As pessoas que andam pela terra estão mortas?

Resposta: Claro, porque todos olham apenas para dentro. O Livro do Zohar diz: “Olhe para essas pessoas, como suas órbitas estão voltadas para dentro”.

De KabTV, “O Poder do Livro do Zohar” # 18

O Mundo De Assia É O Mais Baixo Dos Mundos

235O Livro do Zohar, “Lech Lecha” Item 97: A primeira extensão é a luz de Nefesh, a força com a qual o corpo é construído …

Uma pessoa nascida espiritualmente é chamada de Ish, e a força espiritual que a anima, a força de sua existência, é chamada de luz do grau de Nefesh.

[Isso] … se estende pela força da luz dos progenitores de Nefesh. Isso porque, pela força do grande desejo dos progenitores, que é uma forte concordância de sua luz de Nefesh, eles estendem a luz de Nefesh do recém-nascido do mundo espiritual de Assia, e a revestem no sêmen produzido, e o corpo do recém-nascido gradualmente se desenvolverá a partir dessa luz espiritual.

Assim como uma pessoa nasce da mãe e sai para o nosso mundo, mas antes disso estava dentro dela, também nascemos no mundo espiritual desde dentro. Portanto, o útero em que estamos agora é um local preliminar para o nascimento no mundo superior.

O mundo de Assia é o mais baixo dos mundos. O primeiro nascimento espiritual ocorre quando nossos olhos e sentimentos se abrem. Nele sou chamado de Ish, e minha energia, meu entendimento, tudo que me anima é chamado de Nefesh.

Assia é o mundo da ação porque ainda não entendo nada, não sei, apenas me desenvolvo por meio de minhas ações instintivas.

De KabTV, “O Poder do Livro do Zohar” # 18

Desejos E Paixões De Duas Palavras

531.02Zohar para Todos, Lech Lecha, item 96: O mais oculto é dado aos sábios de coração. Três graus se apegam um ao outro: Nefesh, Ruach, Neshama.

Nefesh, Ruach, Neshama são os três graus de realização do mundo superior, os três graus de realização do Criador, aproximando-se do Criador e equivalência com Ele.

Quando uma pessoa é preenchida com a luz do primeiro grau, o grau de Nefesh, ela se sente semelhante ao Criador no estado de pequenez.

“Sêmen” significa a inclinação espiritual dentro de nós que nos foi dada, a partir da qual começamos a nos desenvolver. Isso não tem nada a ver com erotismo. Não há erotismo no mundo espiritual. Existem desejos e paixões de doação, mas não de recepção.

Eles são chamados pelos mesmos termos que os desejos e paixões animalescas são chamados em nosso mundo porque há uma impressão no corpo animal como uma cópia das qualidades e ações espirituais. Naturalmente, no mundo superior não há conexão com o que está acontecendo em nossos corpos. Em nosso mundo, este é apenas um instinto que promove a reprodução física mais o desenvolvimento do egoísmo. Não mais do que isso.

Comentário: No entanto, o instinto humano ganhou um caráter bastante poderoso. Até influencia nossa cultura.

Minha Resposta: Tudo em uma pessoa é assim: “o amor e a fome governam o mundo”. Por amor, queremos dizer paixão animalesca.

Na espiritualidade também “o amor e a fome governam o mundo”. Isso vem da mesma força, mas atua em direções diferentes. Passando pelos mundos espirituais, essa força tem sua própria qualidade e seu próprio aspecto de manifestação lá. Quando ela entra em nosso mundo, se manifesta de uma maneira completamente diferente em atração, saciedade e prazer animalescos.

Portanto, há uma diferença na compreensão do mesmo texto por uma pessoa comum e um Cabalista. Por exemplo, um Cabalista, lendo o “Cântico dos Cânticos”, entende-o como uma grande paixão pela doação, pelo Criador, pela adesão a Ele.

No nível espiritual, essas são qualidades completamente diferentes do que no nível animalesco. É porque em nosso mundo existe apenas a natureza inanimada, vegetativa e animal, e o nível de “homem” não existe aqui. “Homem” já é um nível espiritual em nós, uma qualidade de doação.

As pessoas em nosso mundo são chamadas de pessoas ou “humanas” de acordo com a meta que devem alcançar, de acordo com o que está preparado para elas, mas não de acordo com o grau em que existem por enquanto.

De KabTV, “O Poder do Livro do Zohar” # 18