Textos na Categoria 'Lição Diária de Cabalá'

Acima Da Existência Corporal

laitman_270Para todo fenômeno espiritual, há uma impressão especial em nosso mundo como um ramo que corresponde à raiz. Como o ramo corpóreo é revelado em um determinado momento, em um determinado local e em condições corporais específicas, ele existe de uma forma muito comprimida, claramente limitada no tempo e no espaço. Portanto, existem todos os tipos de costumes corporais que refletem mandamentos espirituais.

Um mandamento é uma ação de corrigir o desejo, atraindo a luz que reforma chamada Torá. A luz faz mudanças em nós chamadas mandamentos, que corrigem nosso desejo. É útil observar como a raiz espiritual desce e se manifesta no ramo corporal. É por isso que na Cabalá podemos usar a linguagem dos ramos e realizar ações em nosso mundo como símbolos espirituais.

Por exemplo, durante o Yom Kipur (O Dia da Expiação), é habitual se arrepender e orar pelo retorno ao Criador. No entanto, é preciso perguntar sobre esse retorno ao Criador todos os dias, a qualquer momento. O arrependimento deve ser constante. No ramo corporal, no entanto, dedicamos especificamente um dia por ano a isso: o Yom Kipur.

O mês de Elul é chamado, “Eu sou para o meu amado, e o meu amado é para mim”, simbolizando o desejo de uma pessoa pelo Criador. Precisamos desejar o Criador apenas por apenas um mês? No entanto, é assim que é impresso nos ramos corporais. Portanto, ao nos aproximarmos do dia da expiação, deveríamos pensar especialmente em como podemos retornar ao Criador. 1

Se quisermos que nossas ações sejam direcionadas para a espiritualidade, para alcançar a qualidade de doação e elevar-se acima do nosso desejo egoísta, devemos pensar apenas em trazer satisfação ao Criador. Isto é, nossas ações, cálculos e pensamentos devem estar acima da existência corporal. Portanto, todas as ações que realizamos parecem desapegadas da realidade e sem sentido em nosso mundo.

É muito difícil continuar dia após dia, porque cada vez mais precisamos acrescentar aos nossos esforços, gota a gota, até recebermos a nova qualidade de doação.

Portanto, devemos simplesmente seguir o conselho dos Cabalistas, entendendo antecipadamente que em nosso mundo não há base racional e benefício pragmático nessas ações que nos obrigariam. Essas ações são tão desapegadas da realidade quanto o mundo espiritual inteiro. Não sentimos a necessidade delas.

O Criador as fez contradizer nosso egoísmo, nosso desejo de receber, e isso é uma grande ajuda para nós. Afinal, sem essa contradição, sem a oportunidade de sentir e avaliar nossa resistência, não saberemos absolutamente que realizamos ações espirituais e avançamos. Quanto menos desejo eu tiver para realizar uma ação, mais certo posso estar de que ela está próxima da espiritualidade.

O Criador criou propositadamente a inclinação ao mal em nós, para que possamos avaliar nossas ações e pensamentos em relação ao nosso egoísmo e entender até que ponto eles não correspondem à direção espiritual. Caso contrário, nunca seríamos capazes de entrar no mundo espiritual, não saberíamos o que é.

O egoísmo funciona como uma ajuda contra si mesmo. Toda vez que ele nos afasta da espiritualidade e tira nossas forças, mas se entendermos que tudo isso nos é dado como uma ajuda, podemos avançar exatamente dessa maneira. 2

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 07/07/19, “Qual é a Medida do Arrependimento?”

1 Minuto 0:20
2 Minuto 15:45

O Significado Dos Livros Cabalísticos, Parte 8

Laitman_151O Livro do Zohar pode aliviar os infortúnios?

Pergunta: Dizem os sábios que o estudo do Livro do Zohar elimina todos os infortúnios. Como um livro pode salvar todas as pessoas e toda a humanidade dos problemas?

Resposta: O livro em si não nos salva de nada. Não posso comprar este livro e usá-lo, como acreditam os habitantes da cidade, como um talismã ou algum meio milagroso (Segula). Não é assim que funciona.

O Livro do Zohar nos salva se o usarmos corretamente e, estudando-o, tentamos mudar a nós mesmos de acordo com ele. Se o mantivermos em uma prateleira ou até o colocarmos perto do coração, nada mudará.

Pergunta: Mas psicologicamente ele ajudará?

Resposta: Psicologicamente, sim.

Não descarto o fato de que essa assistência psicológica é muito importante para uma pessoa. Para uma pessoa pequena, frágil e fraca em nosso mundo, é muito importante. No entanto, do ponto de vista científico, é inútil.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 18/12/18

O Significado Dos Livros Cabalísticos, Parte 6

laitman_250Razões Para A Aparição Do Livro Do Zohar

Pergunta: O Livro do Zohar é um comentário sobre a Torá. Por que ele teve que ser escrito?

Resposta: As circunstâncias mudaram.

Houve estágios em que grupos de Cabalistas que estavam em um estado de realização, ou seja, um aumento gradual desde o início da criação do egoísmo até seu desenvolvimento relativamente completo, como durante o Segundo Templo, caíram. O Livro do Zohar foi escrito no século II d.C. em um estado em que uma queda já havia ocorrido. Não havia grupos, nem nações; não havia nada chamado santidade, ou seja, um sentimento de pelo menos unidade relativa. Tudo foi destruído, esmagado, dividido. Portanto, era necessária uma técnica para coroar esse período sombrio de sofrimento, chamado exílio, que deveria terminar em correção.

O Livro do Zohar destina-se ao período separado da sua escrita até os nossos dias por um exílio de dois mil anos, para que, da nossa época em diante, comecemos a implementar o que está escrito nele, o que significa corrigir a nós mesmos.

Em nossa geração, recebemos o Comentário Sulam sobre o Livro do Zohar. Portanto, podemos revelar a Cabalá e começar a entender o que o grande Cabalista Rav Shimon e seus alunos disseram há dois mil anos.

Pergunta: Você está dizendo que sem o comentário escrito pelo último Cabalista do século XX, Baal HaSulam (Yehuda Ashlag), é impossível entender O Zohar?

Resposta: Impossível. Portanto, apareceu.

De KabTV, “Fundamentos da Cabalá”, 18/12/18

Sinta A Alma Comum Começar A Trabalhar

laitman_962.7Cada grupo Cabalístico do mundo deve trabalhar para servir como base para o próximo congresso na Bulgária. A alma de Adam HaRishon, o corpo comum, contém muitas propriedades diferentes, cada uma das quais não pode ser negligenciada. Todos devem se anular diante dos outros, a fim de obter conexão, mas, ao mesmo tempo, não se anula a individualidade, o caráter e a força. Pelo contrário, uma pessoa deve mostrar esse desejo único de unificação concedido a ela e ser um exemplo para todos, para que eles também desejem servir como exemplo. O resultado é uma conexão comum.

Todos devem crescer pela unificação comum. Todos se preocupam em ajudar os outros, em ajudá-los a maximizar sua natureza especial, de modo que todas as qualidades sejam claras, brilhantes e ardentes, mostrando todas as diferenças e todas as conexões entre eles. As diferenças entre nós crescem à medida que nossas relações se desenvolvem.

Este é um trabalho prático para todos os grupos e alunos individuais. Todo mundo tem que fazer isso antes do congresso. A mera organização física do congresso é insuficiente. Todos os grupos e indivíduos na Europa devem ser despertados para que todos sintam que são uma parte importante e vibrante do sistema europeu. Caso contrário, seremos incapazes de criar um vaso ( Kli ) espiritual comum.

O objetivo do congresso é criar um Kli central da alma mundial composta por estudantes europeus. Todos os pré-requisitos materiais para isso existem por causa da revelação das principais contradições egoístas que exigem correção especificamente na Europa.

Nossa conexão mútua cresce à medida que nos preocupamos em melhorar o grupo mundial comum, fortalecendo e expandindo os laços entre todos os grupos, a fim de superar tudo o que nos divide como resultado da separação babilônica – diferenças psicológicas e espirituais, línguas diferentes – elevando-se acima de tudo e cobrindo-o com amor. Com a ajuda da conexão entre nós, todos subirão corretamente em seu caminho espiritual pessoal.

A partir de agora, é impossível construir um único Kli espiritual sem se preocupar com a unificação comum. O objetivo principal é uma conexão comum, que obriga cada grupo em qualquer país a crescer da forma correta.

A era do desenvolvimento pessoal, quando uma alma individual poderia se elevar, terminou. Onde quer que um grupo seja formado – em Novosibirsk, em Berlim ou na Itália – nenhum deles pode crescer individualmente. Todas as suas correções, desenvolvimento e força espiritual, a partir de hoje, dependerão apenas do despertar do Kli coletivo. Isso será sentido cada vez mais. É isso que nosso tempo atual exige.

Ao estabelecer laços entre nós, pedir ajuda e ajudar um ao outro, revivemos o sistema de Adam HaRishon. Começaremos a sentir nossa interdependência e nossa obrigação de cuidar de todos.

Esta é uma nova etapa do trabalho. Seu resultado será cada Kli individual capaz de crescer corretamente, desenvolvendo seu caráter individual e sua contribuição para o sistema. Sentiremos como a alma comum começa a funcionar e respirar.

Não podemos fazer o contrário. O estágio de dezenas e grupos separados já passou e terminou. Um novo e especial estágio de avanço já começou. Sentiremos uma manifestação mais forte da força superior através do sistema geral, como ela nos guia e opera sobre nós.

Este é um estágio muito importante para abordar o Criador, porque Ele será sentido em todos os grupos.

Portanto, permanecendo em nossas dezenas, temos que começar a cuidar de todos os grupos, o Kli espiritual comum e o sistema da alma comum de Adam. É aí que o Criador será revelado. 1

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá, 23/09/19, Perguntas e Respostas com o Dr. Michael Laitman

1 Minuto 03:30

Uma Realidade Comum Chamada Kli

laitman_259.02Por que nosso trabalho deveria ser em ocultação e escuridão? Porque inicialmente não sentimos nada espiritual. Somos criados em oposição à qualidade espiritual de doação e amor, a fim de construir pessoas espirituais e reais. O ser humano (Adam) é chamado de “semelhante” (“Domeh“) ao Criador, e precisamos criar isso de nós mesmos.

Como vamos fazer isso? O Criador nos partiu em pedaços e Ele está entre nós. Para revelá-Lo, precisamos nos conectar. Na medida desta conexão – tensão, intensidade, percepção sensorial de nossa conexão, unificação e aspiração -, começaremos a sentir o Criador.

Este trabalho está sendo oculto porque não sentimos e não estamos interessados ​​no que há entre nós. Estamos interessados ​​apenas no que está dentro de nós e no que está fora de nós como se não existisse. A externalidade existe apenas na medida em que sentimos seu benefício para nós mesmos e não mais.

Como posso me transformar em um sensor que sente mais a externalidade do que a interioridade? Parar de sentir o que está dentro de mim significa restrição (Tzimtzum). Começo a sentir que fora de mim está a luz refletida (Ohr Hozer), e o que sentirei nesta Luz refletida, isto é, nos sentimentos que emanam de mim externamente, será chamado Criador.

Portanto, o trabalho está sendo feito em ocultação, no escuro, à noite.

O Criador inventou um truque para nos deixar perceber uma realidade que não devemos perceber. Esse truque é chamado de escuridão. Quando nos parece que estamos perdidos, sem compreensão, conhecimento e sensação, quando estamos confusos, perdidos, caindo em um estado desconhecido e perdendo nossa orientação no mundo, isso significa que estamos no início de um novo estágio espiritual de compreensão e que temos uma base confiável para revelar a luz. Como diz o ditado: “a vantagem da luz é de dentro da escuridão”.

Portanto, o sentimento que entendo ainda menos do que antes cria realmente bons pré-requisitos para avançar. Qualquer novo passo espiritual começa com perda, desorientação e um sentimento de desesperança, isto é, escuridão. Na medida em que sentimos a escuridão, continuamos a fazer esforços e a procurar a luz. A luz está fora de nós e a escuridão é revelada dentro de nós.

É daí que vem todo o método: você deve sair de si mesmo em direção a seus amigos e, no caminho em direção a eles, encontrará a luz. Eles vêm até você e você os procura: é assim que nos ajudamos mutuamente, mesmo com objetivos egoístas. Este já é algum tipo de movimento, como um bebê que pode fazer alguns movimentos inconscientemente. Mas esses movimentos caóticos e inconscientes nos impulsionam para a frente.

A força superior nos dá dicas e brinca conosco. Este Criador cria tudo ao nosso redor. Mais tarde veremos como Ele trabalha em nós. Não há nada ao nosso redor – a realidade que sentimos está em cada um de nós. Então entenderemos que não há cada um de nós individualmente, mas apenas uma realidade comum chamada Kli, HaVaYaH.

Se me sinto perdido, este é um modelo do Criador do meu novo estado. Eu tenho que fechar os olhos e me conectar aos meus amigos. O Criador resistirá a isso, assegurando que não há nada para procurar, porque eles são como eu, e talvez até pior. Enquanto no egoísmo, eu os vejo em um egoísmo ainda maior e em uma escuridão maior.

Mas eu tento navegar nesse estado caótico, saindo de mim mesmo e tentando entender como me conectar com outras pessoas fora de mim, até o sentimento de uma nova realidade lá. 1

Da Lição 4, Convenção Mundial de Cabalá na Moldávia 07/09/19, Regozije-Se Com O Que Nos Falta/Trabalho Em Ocultação

1 Minuto 0:10

Um Grupo

laitman_589.02A percepção da realidade é impossível de explicar em palavras; você vê a realidade ou não. Se eu tirar meus óculos, não verei nada na minha frente. Saberei que há pessoas lá e ouvirei suas vozes, mas não as verei. Para ver a realidade através dos olhos do Criador, precisamos de óculos nos quais possamos ver a alma que existe em todos e em todos nós juntos, para que ela seja um todo. É assim que funciona porque a percepção da realidade, como a soma de indivíduos, uma soma de unidades, requer uma abordagem integral e diferente.

Queremos descrever os grupos Cabalísticos ao redor do mundo como um grupo, e queremos cuidar de todos igualmente, elevando-se acima de nossa preocupação pessoal com nossa dezena, nosso país e nossa linguagem para a alma comum de toda a humanidade, toda a Babilônia. Tudo isso para corrigir nossa percepção e ver a realidade através dos olhos do Criador, de forma integral e coletiva.

Portanto, devemos agora tentar pensar na alma comum, pelo menos em todos os nossos grupos no mundo, a fim de superar todas as diferenças entre nós. Assim, todos corrigirão sua quebra e nossa percepção da realidade se tornará mais integral.

Como podemos fazer isso? Isso só pode ser feito trabalhando nossos sentimentos com a ajuda da mente, entendendo o quanto é importante conectar as partes da alma quebrada. Devemos fazer tudo ao nosso alcance e chegaremos à oração que nos salvará. O problema é que é preciso muito esforço para alcançar tal oração, quando entendo que não posso realizar o que desejo, mas quero muito e sei a quem pedir e que Ele pode me ajudar.

Não corrigimos nada por nós mesmos e não fazemos conexão um com o outro. No entanto, se apesar da rejeição, fazemos esforços, nos voltamos ao Criador que conclui o trabalho para nós. É assim que devemos nos preparar para a Convenção na Bulgária: faça todo o possível e parte da Convenção se tornará uma oração.

Este não é mais um relacionamento na dezena, a conexão humana compreensível que está no meu campo de visão e sensação, mas algo intangível e incerto: com quem e como eu me conecto? Não tenho as formas dentro de mim através das quais me conecto com outros grupos em um Kli; portanto, tudo o que me resta é orar, pedir.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá , 16/09/19, Baal HaSulam, “600.000 almas”

Minutos 20:50 a 28:06

Todos Os Desejos Permanecem

laitman_219.02É impossível erradicar o desejo de receber porque ele é a própria criação. Você pode confundir-se, embebedar-se, correr atrás de um desejo em vez de outro, extinguindo o primeiro desejo dessa maneira, mas é impossível arrancar um desejo. Posso ignorá-lo por medo ou por outros desejos mais fortes, mas é impossível combatê-lo diretamente.

Até a luz que reforma não muda o desejo em si; apenas aumenta ou diminui sua importância. No entanto, todos os desejos permanecem com uma pessoa como foram dados a ela no nascimento. Se uma pessoa não atribui importância ao desejo, pode apagá-lo da tela em que vê o mundo. Não há outro caminho, porque toda a criação é um desejo. 1

Antes da Convenção, eu espero que as dezenas europeias estabeleçam conexões entre si e com todos os outros grupos mundiais. Deve haver um local de reunião virtual comum onde todos possam se encontrar, obter informações e recarregar.

Precisamos ser incluídos um no outro não apenas em um nível informativo, mas também no sentimento. Quero sentir os amigos como os órgãos do meu corpo que foram separados e devo trazê-los para mais perto de mim. Por mais que eu os aproxime e aumente minha sensibilidade a eles, vivo-os e começo a senti-los vivos, conectados comigo e vivendo dentro de mim; nessa medida, construo um vaso da alma até que o Criador seja revelado nele.2

Da 3ª parte da Lição Diária de Cabalá, 16/09/19, “Correção da Quebra – Preparação para o Congresso”
1 Minuto 3:10
2 Minuto 19:35

Afaste-se Para Entender Como O Sistema Funciona

laitman_962.7Tudo o que uma pessoa precisa fazer é conectar-se com outras pessoas e, para isso, ela precisa anular o egoísmo e esquecer-se de si mesma, reduzindo o controle e dando espaço para os outros. Este é todo o trabalho e correção geral em uma alma geral. Portanto, todos os pecados e mandamentos, arrependimento, recompensas e punições, dizem respeito apenas à conexão. Quanto mais ampla essa conexão, mais difícil é anular a nós mesmos, abrir espaço para os outros e dar importância a eles. Na conexão, tanto a qualidade quanto a quantidade são importantes.

Durante Selichot (Perdão) pedimos perdão por nosso egoísmo, pela incapacidade de anulá-lo em prol de nossa unidade. Gradualmente, a quantidade se transforma em qualidade, a expansão da conexão e a inclusão de novos círculos nela levam a novos graus de conquista e atraem uma nova luz. Ao gerar o novo Partzuf Nefesh, nós mesmos recebemos o grau de Ruach e assim por diante.

Portanto, não há dúvida qual é mais importante para a correção: qualidade ou quantidade. A correção qualitativa é impossível sem uma correção quantitativa. Todas as nossas ações são muito simples e discretas, mas devido ao seu grande número, esforços constantes para nos anular e nos conectar, alcançamos todas as realizações espirituais e subimos.

Está escrito que “não é o sábio que aprende”, mas aquele que constantemente acrescenta esforços para que de centavo em centavo se acumule uma grande soma. Muitas ações discretas se acumulam em um resultado importante.

Portanto, não podemos reclamar que somos incapazes de fazer uma grande ação. Um grande feito não é exigido de nós. Em qualquer lugar e em qualquer estado, sempre há a oportunidade de fazer um pouco de esforço. Se pudermos realizar nossas pequenas ações e reuni-las juntas, através delas, alcançaremos a correção e uma subida elevada.1

A pessoa deve se arrepender apenas por não pedir correção ao Criador. Todas as correções vão além do conhecimento, além dos desejos do nosso egoísmo. Nosso trabalho é sempre voltar a “Não há outro além Dele”. Em um local onde o Criador está ausente, devo acrescentá-Lo. Se eu não fizer isso, peço perdão. Exijo ao Criador que me dê mais força, entendimento e sensibilidade para ver a possibilidade de correção e pedir ao Criador por isso.2

Peço perdão pelo fato de ter tido a oportunidade de exigir correção do Criador e não o fiz, não atingi o pleno reconhecimento do mal. Arrependo-me por não ter trabalhado o suficiente e não ter sido afetado o suficiente pelo meu egoísmo para começar a agir. O mal que foi revelado não tocou meu coração. Eu poderia ter sido mais sensível e intransigente com o mal.

Tudo depende da nossa conexão, mas não a alcançamos, não podemos sentir o problema comum como nosso. Por isso, agora estamos pedindo perdão.

Agora estamos trabalhando para expandir nossa conexão global (Kli). Graças a essa expansão, cada um se tornará muito mais sensíveis às pessoas que estão perto dele. A conexão em cada dezena individual crescerá porque expandimos nossas conexões fora dela. 3

Para conectar-se corretamente com sua dezena, com maior precisão e força interior, discernindo detalhes adicionais nessa conexão e, finalmente, revelando o Criador nela, precisamos cuidar de um círculo mais amplo. Sabe-se que, para aprofundar o estudo de algum fenômeno, devemos, pelo contrário, expandi-lo e nos afastar um pouco. Com isso, entenderemos o fenômeno em si.

Indo além da Terra para o espaço, alcançamos uma maior compreensão do planeta em que vivemos. É assim em tudo. Uma pessoa deixa seu país natal e parte para conquistar novos continentes porque isso a ajuda a entender a si mesma. É o mesmo com a dezena; não podemos estudá-la e descobrir o Criador nela até cuidarmos de todas essas outras dezenas semelhantes.

Precisamos estabelecer laços de conexão entre nós, linhas de conexão; caso contrário, não entenderemos como o sistema funciona. É impossível estudar as funções do corpo inteiro a partir de uma célula. É até impossível entender essa célula em si mesma, seu propósito e funções, porque ela faz parte do corpo geral e seus sistemas trabalham principalmente para se comunicar com outras células. É impossível extrair um resistor ou transistor de um computador e pensar que entendemos a construção de todo o sistema.

Portanto, se sentimos a necessidade de expandir e começar a pensar em todos os grupos mundiais, é um sinal de que estamos prontos para alcançar a conexão na dezena em um grau superior. Um não pode ficar sem o outro.4

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá, 24/09/19 “O Que é a Preparação para Selichot [Perdão]”

1 Minuto 18:20
2 Minuto 26:25
3 Minuto 39:10
4 Minuto 01:10:45

A Melhor Época Para Construir O Kli

laitman_283.02Devemos entender que, após uma reunião tão grande e forte e a subida que tivemos durante a Convenção mundial na Moldávia, pode haver grandes descidas, maior escuridão, frustração e uma sensação de desamparo. Subidas e descidas devem ser equilibradas. Portanto, quanto mais substancial a subida, mais severa deve ser a descida depois dela, como preparação para uma subida ainda maior.

É necessário levar isso em conta e tratar a descida propositadamente, entendendo que ela faz parte do nosso trabalho. Portanto, devemos retornar novamente ao tópico principal de “Não há outro além do Criador”.1

Sozinho, posso ter uma sensação inicial de estar dentro do Criador. Mas sou incapaz de qualquer ação e atitude em relação a Ele. O Criador é algo que existe dentro das dezenas. Caso contrário, não será o Criador, mas um ídolo que eu criei.

Só posso expressar minha atitude em relação ao Criador por meio da atitude em relação aos amigos. Ao trabalhar na conexão na dezena, construo minha atitude em relação ao Criador.

Sentimos escuridão nos amigos porque somos diferentes um do outro. No entanto, isso não é escuridão, mas o lado oposto da Luz, direcionando-nos para o Criador. Não há aliado mais leal que a escuridão. Segure-se a ela, porque somente ela o levará à verdade.

A escuridão nos ajuda a não perder a cabeça do que recebemos em nossos sentimentos e mentes. A mente e o coração não agem, apenas a escuridão trabalha, e isso é uma tremenda ajuda. Portanto, a escuridão é uma nova criação; o Criador criou a escuridão. A escuridão nos aponta na direção certa e nos conecta com o Criador. 2

A dezena são dez pessoas, cada uma disposta a se anular, a se sacrificar, a fim de entrar nas outras apenas para apoiá-las. Ela não exige nada para si mesma, mas apenas procura um local de trabalho. Ela então se transforma em uma linha de costura que junta todos. Ela pede apenas esse trabalho porque, ao costurar todos juntos, ela traz satisfação ao Criador.

Portanto, a dezena em que me sento e os nomes das pessoas na dezena não me importam. O que importa é que elas tenham desejos que estão prontos para me dar, para que eu os costure, investindo meus esforços nesse trabalho.

Se agora sentimos a escuridão e o vazio, este é o melhor momento para construir o Kli. Nós devemos amar os estados de escuridão. Então, não tenho ninguém em quem confiar além do Criador, e me apego a Ele. No início, é apenas um desejo egoísta de me proteger: “É bom que haja o Criador que controla tudo e faz tudo, e eu vou me aderir a Ele, não há outra escolha”.

Depois, porém, mesmo sem interesse próprio, sem recompensa, estarei pronto para aderir a esse ponto único. O vaso de doação começará a se desenvolver a partir dele. Tudo o que ultrapassar esse ponto de autoanulação se transformará em Hassadim (misericórdia), em doação. Eu não quero nada além disso. É assim que construímos o vaso de doação e, no momento em que aparecer, poderei sentir a luz de Hochma em prol da doação.3

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá, 10/09/19, “Não Há Outro Além Dele”

1 Minuto 0:25
2 Minuto 24:25
3 Minuto 02:18: 35

A Visão Do Mundo A Partir Da Dezena

laitman_234Quando o ponto no coração desperta em uma pessoa, ela anseia pelo Criador, mas ainda não se sente parte do sistema comum e não procura se conectar com outras pessoas. No entanto, gradualmente, sob a influência da luz que reformado, ela começa a sentir a necessidade de se conectar com os outros; em última análise, há uma alma e ela brilha igualmente para cada um.

A pessoa ainda precisa corrigir a percepção da realidade, porque sente o mundo totalmente diferente do seu vaso quebrado. Parece-lhe que todos nós existimos separadamente e que o mundo está dividido em muitas partes, de alguma forma conectadas entre si. No entanto, você deve ver o mundo como um, como integral, isto é, não conectado por algum tipo de fio, mas existindo como um todo.

Mesmo que estejamos conectados pelo desejo de receber, a restrição, a tela e a luz refletida, em outras palavras, mesmo que estejamos conectados através de algum tipo de tubo, ainda deve haver uma conexão entre nós, como se não houvesse limitações nessa conexão através dos tubos, os fios individuais. Esses tubos de conexão devem preencher todo o espaço, como se as ondas do mar penetrassem entre nós, nos conectando sem barreiras.

Então nos transformaremos em um único Kli, do jeito que era antes da quebra, mas através de um número infinito de telas. A atitude em relação ao desejo de receber será corrigida através do número infinito de atos individuais de superação, e alcançaremos uma conexão integral e contínua.

A visão de mundo da perspectiva da minha dezena e da minha perspectiva individual difere como se uma percepção da realidade fosse criada pelo Criador e por mim. Eu vejo o mundo na forma de pixels separados, em uma imagem em preto e branco.

Quanto mais pixels eu distingo, com mais formas e cores, mais clara e mais profunda é a minha percepção em todos os eixos: passado-presente-futuro e eu-o Criador-a alma comum. No entanto, tudo isso está na forma binária, no contraste da luz e da escuridão.

Quando nos aproximamos do estado em que a escuridão brilha como a luz e a luz e a escuridão se tornam um todo para nós, devemos perder a capacidade de ver qualquer coisa na antiga percepção, onde tudo se baseava na diferença, no contraste entre o preto e branco.

A percepção espiritual da realidade, no entanto, depende de quanto eu me anulo, eliminando a diferença entre luz e escuridão. Quero que a escuridão brilhe como luz em meus sentidos, o que é contra meu desejo de receber. Quero me elevar acima dele, para que a escuridão se pareça com meu novo desejo, armado com restrição, tela e luz refletida. Eu alcanço a percepção mais elevada da realidade, sentindo-a como o Criador.1

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá, 16/09/19, Escritos do Baal HaSulam, “600.000 Almas”

1 Minuto 12:45