Textos na Categoria 'Lição Diária de Cabalá'

Como Avaliamos O Mundo

laitman_629.3Pergunta: Como é possível aceitar e amar todas as pessoas? Afinal, existem maníacos e assassinos entre elas.

Resposta: Tudo depende de até que ponto você olha o mundo corretamente. Não pense que você está mudando e o mundo não está.

Por mais que você mude em sua percepção do mundo, o mundo também estará mudando em sua percepção. Acontece que, no final, você será capaz de ver o mundo inteiro como absolutamente bom, corrigido e perfeito, porque mudou.

Em outras palavras, você avalia o mundo de acordo com sua correção ou com sua corrupção.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 17/05/20

É Mais Fácil Para O Mundo Mudar Ou Perecer?

laitman_294.2Cada ação espiritual começa com uma reação oposta a ela, como “a vantagem da luz revelada a partir da escuridão”.  Caso contrário, não podemos sentir nada, porque tudo é percebido apenas em contraste. Portanto, a escuridão precede a luz, e a confusão e o mal-entendido ocorrem antes da clareza e da consciência. E isso é assim em tudo.

Veja nossa vida: quanto tempo a humanidade sofrerá para perceber o mal do egoísmo e finalmente decidir que precisamos nos libertar dele, porque é a fonte de todos os nossos problemas. Embora não saibamos como fazer isso, aparentemente seremos forçados a recorrer ao Criador por toda a humanidade.

Dizem que “a vantagem da terra (desejo) está em tudo”. Antes de tudo, o desejo deve revelar a escuridão, e somente a partir da escuridão compreenderemos a luz. É exatamente isso que está acontecendo em nossa vida.

Toda a evolução da humanidade deveu-se ao crescimento do egoísmo. E hoje chegamos ao que é chamado de “última geração”, a geração do Messias (Mashiach), que é obrigada a despertar um poder superior que nos puxará para fora do nosso desejo egoísta.

E nós entendemos que não somos capazes de fazer isso porque o egoísmo é toda a nossa natureza, toda a nossa vida. Não sabemos pensar de maneira diferente e apenas revelamos o nosso mal, mas nem sequer somos capazes de imaginar como nos livrar dele.

Portanto, a condição atual é extraordinariamente importante, única e nunca aconteceu em toda a história da humanidade. Gradualmente, estamos começando a perceber que não é mais possível existir como antes, como há milhares de anos. Todo o nosso desenvolvimento levou apenas à percepção de que não podemos mais permanecer dentro da natureza egoísta e é necessário sair dela.

Mas para onde subir e como fazer isso? Os Cabalistas dizem: “fé acima da razão”. No entanto, o que é e como alcançamos um estado em que doar se torna superior e mais importante do que receber? O homem não é capaz disso. E aqui estamos cientes de nosso total desamparo e entendemos que não há esperança, exceto o nosso Criador.

A humanidade começa a revelar que o egoísmo é uma força do alto, e há um poder superior oposto ao egoísmo, ao qual precisamos pedir ajuda para transformar o poder do mal em poder do bem, em antiegoísmo. Então, viveremos bem e felizes no novo mundo.

Mas até agora isso é extremamente difícil para nós. É mais fácil para uma pessoa acreditar que o mundo deixará de existir do que imaginar que possa viver de acordo com as leis da natureza altruísta. Como é possível que, entre todos, em qualquer lugar e em qualquer estado, eu reconheça apenas o quanto posso dar ao meu próximo, e não que benefício obterei dele?

O altruísmo é uma natureza diferente. Se ele nos vestir, nos comportaremos de maneira diferente; caso contrário, não seremos capazes. Portanto, a única saída é perceber que é impossível continuar existindo em uma natureza egoísta e que precisamos seguir para uma nova abordagem inversa da vida. Tudo o que acontece nos leva a isso. Vamos tentar entender rapidamente que não há outra escolha e que tudo depende de nossa oração.

De fato, é mais fácil para uma pessoa imaginar a destruição e o colapso do mundo do que a vida de acordo com as leis de doação. Nosso mundo inteiro é construído sobre o poder do egoísmo e sua destruição ocorrerá pela mesma força egoísta. Não haverá nada novo. Já experimentamos terríveis guerras, desastres e problemas neste mundo.

Em algum lugar do mundo, algum tipo de infortúnio está acontecendo constantemente, e todo mundo entende que o mundo pode entrar em colapso. Mas, ao mesmo tempo, permanecerá a mesma força do egoísmo que levou o mundo à morte.

É muito mais difícil mudar o programa em que o mundo trabalha, de acordo com a natureza da relação entre natureza inanimada, vegetativa e animada, e as pessoas, de modo que tudo isso funcione ao contrário, em doação ao próximo. Todos devem começar a contar com os outros e cuidar de seu bem-estar. Isso simplesmente não se encaixa na nossa cabeça, é impossível imaginar.

De fato, para isso, eu preciso sentir o desejo dos outros e tentar preenchê-los. É assim que todos devem agir o tempo todo. Para fazer isso, outro programa deve ser carregado nesse computador enorme, no mundo inanimado, vegetativo e animado e nas pessoas.

Não podemos imaginar isso. Nenhuma tentativa de socialistas e utópicos de criar um mundo assim foi bem-sucedida. Essa revolução pode ser realizada apenas pelo Criador, que nos dará uma natureza diferente. É isso que devemos tentar pedir e o mais rápido possível.

E se não, então o sofrimento que agora está começando a se desdobrar, cada vez mais decisivamente nos levando a retificar o mundo, nos obrigará. Mas esta é uma jornada muito difícil, longa e dolorosa, cheia de sofrimento. De fato, chama-se “caminho do sofrimento”.

Vamos seguir o melhor caminho da luz. Para fazer isso, precisamos atrair a força superior de cima para nos vestir. Precisamos exigir, pedir, que o Criador nos dê o poder da doação. Caso contrário, não teremos sucesso. Vamos tentar nos corrigir até desistirmos deste trabalho. Então nosso clamor alcançará o Criador, e Ele nos dará Sua força altruísta. Isso é chamado de êxodo do Egito, do nosso egoísmo.

Mas se não pedirmos e não obrigarmos o Criador a nos ajudar, não seremos capazes de mudar nada e sofreremos cada vez mais com o nosso egoísmo todos os dias.

Não é necessário esperar que o coronavírus desapareça em breve. Ele não vai nos deixar e, além disso, problemas ainda mais graves virão. Dinheiro, recursos e mantimentos acabarão em breve – a humanidade sofrerá terrivelmente. Além disso, furacões, nuvens de gafanhotos, inundações e secas estão chegando.

Tudo isso é para que entendamos que somente quando apelamos ao Criador, temos esperança de sermos salvos de todos os problemas e dificuldades. Então, quando começarmos a nos voltar a Ele, entenderemos que o principal aqui não é se livrar de problemas e infortúnios. De fato, eles vieram para isso para nos convencer a recorrer ao Criador. Portanto, é uma pena pedir benefícios materiais a Ele, é melhor pedir que Ele nos aproxime Dele, porque toda a felicidade está aí.

Da 1ª parte parte da Lição Diária de Cabalá 01/07/20, Baal HaSulam, Shamati 34, “A Vantagem de uma Terra”

Sintonize-Se Com A Percepção Correta Do Mundo

laitman_761.2Pergunta: Você está falando da natureza como um derivado de minhas próprias propriedades, que algo parece depender de mim. Não existem leis e forças absolutas e imutáveis ​​que agiriam independentemente da minha percepção?

Resposta: Claro que existem. Mas você quer entender a integridade da natureza. E já que você a percebe apenas em suas sensações, você deve, de alguma forma, ajustá-las, alterá-las para a percepção correta.

Pergunta: Isto é, eu, como partícula da natureza, devo sentir sua imagem integral?

Resposta: Sim. Portanto, a Cabalá fala apenas sobre isso. Para compreender toda a natureza, você deve, como eles dizem, relaxar e se elevar acima do seu egoísmo. Então você sentirá a natureza não através do seu egoísmo, mas como um sistema existente fora de você.

Você começará a sentir que não existe individualmente, mas em um total eterno e perfeito. Você não sentirá a si mesmo, mas a imagem geral como um todo, todas as leis, a funcionalidade deste sistema, em que tudo está em movimento mútuo, complementação e comunicação, em integração absoluta.

Então você entenderá o que está perdendo, o que deve acrescentar a essa imagem integral eterna e perfeita, que, passando pela sua subjetividade, pelo seu egoísmo, fornece uma imagem completamente distorcida da realidade.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 17/05/20

A Dezena: Um Dispositivo Para Revelar O Criador

laitman_934O Criador pode ser revelado apenas dissolvendo-se nos amigos e subindo ao nível de Bina. É semelhante a um dispositivo necessário para detectar um campo magnético invisível. Este dispositivo mostrará que existe uma certa força atuando sobre ele e desviando seu mostrador. Isto é, ele nos mostra não a força em si, mas sua reação a essa força.

Nós nos tornamos um dispositivo para revelar o Criador, que trabalha com o mesmo princípio de todos os instrumentos de medição do nosso mundo. Nós apenas temos que organizar tudo corretamente dentro de nós, e seremos capazes de descobrir o Criador.

O dispositivo deve perceber o fenômeno e reagir a ele, e então sua reação pode ser medida e o dispositivo pode ser usado para estimar a força que o causou. Não sabemos o que são forças eletromagnéticas, mas sabemos como elas agem; elas fazem com que a corrente flua em um fio ou o movimento de uma agulha da bússola. Sempre vemos a reação do dispositivo, não a força em si, e tiramos conclusões, nomeando-o pelo próprio fenômeno.

Para revelar o Criador, precisamos construir uma bússola de nós mesmos, um circuito de indução, um dispositivo que revele a força superior. O Criador está girando tudo dentro de nós agora também, mas não estamos prestando atenção a Ele. Que mudança é preciso fazer dentro de si mesmo para discerni-Lo?

Todo o nosso trabalho consiste nessa calibração, em sintonizar-se com o Criador. O problema é que eu sinto a minha própria reação à influência da força superior e preciso decifrá-la de maneira a encontrar o Criador nela. Eu respondo a Sua influência dentro do meu desejo, meu corpo. Portanto, preciso me calibrar para que meu desejo me permita entender corretamente as ações do Criador.

Para isso eu preciso me anular a zero, não exigir nada para o meu egoísmo. Cada dispositivo é primeiro calibrado dessa maneira, definido como zero e, então, pode ser usado para medir.

Nossa calibração inicial é não querer nada para nós mesmos, de modo a não sermos subornados e não julgarmos com viés. Nós realizamos essa calibração na dezena. Se eu tentar entrar no centro da dezena e quiser me conectar a todos os meus amigos, redefinirei meu dispositivo. Agora, deste zero, eu posso começar a responder corretamente ao Criador, ao Seu impacto em mim.

Zerar já é um ponto de partida que permite que ninguém obtenha nada para si mesmo, mas apenas para a dezena. Eu não tenho outro indicador além da dezena para verificar que não recebo nada para o meu egoísmo. Se há amigos na minha frente de quem eu penso, eu me anulo perante eles. Acontece que eu pessoalmente me torno neutro, ou seja, zero.

Dessa maneira, construímos o dispositivo correto para a percepção do Criador. Sob a influência da força superior, começamos a despertar para a doação mútua na dezena. O Criador nos dá o poder de doação pelo qual revelamos que Ele está entre nós. Afinal, começamos a nos relacionar dessa maneira na dezena e recebemos a propriedade de Bina, doação, a força da fé acima de nossa resistência, nosso conhecimento.

A resistência também começa a ser sentida mais porque chega uma força que flui dentro dos laços que nos conectam, como se fosse um dispositivo eletrônico, e sentimos resistência dentro de nós. Dessa maneira, medimos a diferença de potenciais: entre doação – acima, e recepção – abaixo, que são chamadas de “fé” e “conhecimento”.

E esses passos de fé e conhecimento começam a subir: a força do nosso egoísmo cresce e a força de doação cresce, e assim subimos. A diferença de potenciais entre Malchut e Bina, por assim dizer, permanece a mesma – as sete Sefirot de Zeir Anpin.

No começo era apenas zero. Mas depois cresceu gradualmente para sete Sefirot. Zeir Anpin é o Partzuf da minha alma que acabou de nascer. A alma cresce no ventre de Bina devido à sua conexão com Malchut, que se anula em relação a Bina.

Sete Sefirot de ZA – este é o lugar onde eu revelo toda a realidade. Nesta lacuna entre o conhecimento e o conhecimento acima, estão todos os mundos, todo o universo. Não há mais nada. Acima de Bina já existem as propriedades do Criador: Keter, Hochma, Bina. Abaixo de Bina estão as propriedades de ZA, que acaba de nascer. E Malchut é o desejo de desfrutar criado pelo Criador. Portanto, além dessas propriedades que desenvolvo entre Malchut e Bina, não há mais nada: essa é toda a minha realidade.

Da 2ª parte da Lição Diária de Cabalá 25/06/20, Escritos do Baal HaSulam, “Introdução ao Estudo das Dez Sefirot”, Item 15

Como Combinar Duas Realidades

laitman_928Pergunta: Como um Cabalista, no próximo nível de percepção da realidade, combina a realidade perfeita com uma realidade terrena não corrigida, não integral, má e terrena?

Resposta: O Cabalista combina isso em si mesmo. Nós, seres humanos, somos criaturas especiais que existem nos dois mundos: em um mundo superior perfeito, na medida em que podemos entrar em conjugação com um sistema integral e, ao mesmo tempo, em nosso mundo, na medida em que ainda não conseguimos sair do nosso mundo egoísta. .

Não pense em nosso mundo como ruim e mal. É um sistema especial que, na linguagem da verdade, existe apenas em nós. Somente em nós é percebido.

Portanto, devemos corrigir apenas a nós mesmos. Nada que eu perceba como nosso mundo, subjetivamente, existe. O que parece real para nós existe em nós. Você existe em mim, eu em você. Isso complica um pouco a percepção do quadro geral, mas, em geral, é assim.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 17/05/20

Torre Flutuando No Ar

935Precisamos tentar construir o conceito de centro em cada dezena. Antes do coronavírus, nossos centros eram físicos.

A maioria delas pertencia a grupos físicos que organizavam uma casa para si, o centro; elas alugavam um quarto onde poderiam se reunir e estudar juntos. Tudo estava claro. Era um lugar onde havia livros, comunicações e onde era possível organizar refeições, lições.

Mas agora o Criador quer nos transferir para um centro mais espiritual. Sentamos em casa com nosso corpo físico e devemos nos conectar com corações, desejos e aspirações no centro.

O centro é um conceito espiritual. Estes não são muros de concreto, mas os muros de nossos corações. Precisamos cuidar deste centro e ver se estamos unidos pelos corações. Afinal, este não é o concreto que permanecerá, mesmo que você o esqueça, e não um centro de material que possa ser alterado ao se mudar para outro prédio.

Agora estamos nos transformando em um vaso espiritual (Kli), e o Criador propositadamente nos abençoa com um coronavírus para nos obrigar a construir um centro espiritual em nossos corações. Onde fica esse centro?

Essa é uma torre flutuando no ar; não tem lugar. Portanto, precisamos seguir em frente, todos os dias preservando o centro espiritual, fortalecendo as paredes de nossos corações, a fim de nos aproximarmos, sentirmos e entendermos mais, sentirmos uma preocupação mútua em nos conectarmos com os corações.

Então esse centro voltará à vida e começará a agir. Sentiremos o mecanismo de dez Sefirot e o Criador preenchendo nosso centro. A partir de agora, nosso centro se transforma no Templo, no lugar do Criador, onde O revelamos. Cada um revela o Criador um pouco no pequeno centro da dezena e, em seguida, todas as dezenas se unem e apoiam um grande centro, que será chamado de Terceiro Templo.

Portanto, agora precisamos tomar cuidado, nas dezenas, sobre como construir nosso centro, colocar mais esforço nele, discutir o que todos devem fazer, como construir uma conexão entre nós e como pedir ao Criador que nos conecte. Afinal, apenas o Criador pode ser a cola que conecta coração com coração. Cada coração é egoísta e apenas um poder superior pode conectá-los. Caso contrário, os corações nunca se unirão porque o coração humano é mau desde o nascimento.

Temos um trabalho especial e sublime nesta construção. Eu espero que vocês reconheçam sua responsabilidade, sintam a necessidade e nós faremos isso.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 19/06/20, Baal HaSulam, Shamati, 33 “Os Lotes em  Yom Kippurim  e com Haman”

O Coronavírus Está Reconstruindo Nossas Vidas

273.02É possível chegar a uma correção, evitando as dez pragas egípcias?  Afinal, a natureza já nos envolveu enviando-nos o coronavírus e, naturalmente, enfrentamos muitos outros desafios.

O coronavírus já nos fez desistir de todos os compromissos planejados. Agora que a quarentena foi levantada, veremos que a maioria das empresas que não eram essenciais não será restabelecida.

Toda a indústria encolherá porque não haverá mais a demanda anterior por combustível e eletricidade. A primeira prioridade será fornecer a todos as necessidades da vida, isto é, comida e abrigo. Tudo será mais modesto, não haverá necessidade de levar frutas exóticas de outras partes do mundo, pois você pode cultivar tudo o que precisa localmente, em estufas. O mundo assumirá uma nova forma.

A maioria das pessoas estará envolvida em estudos e trabalhará em conexão. Trabalhar na conexão se tornará nosso foco principal, e todo o resto será direcionado exclusivamente para fornecer todas as necessidades para quem constrói essa conexão: comida, roupas, educação, canais de comunicação. Tudo girará em torno da conexão.

Já podemos ver o quanto um único vírus reformulou nossas vidas. O coronavírus carrega consigo uma enorme quantidade de informações sobre como devemos organizar nossas vidas.

Isso levará mais um ou dois anos, como em todos os processos de transição, quando no início ocorrem mudanças acentuadas em sua amplitude e, em seguida, as flutuações diminuem gradualmente à medida que o processo se estabiliza.

Portanto, espero que não haja guerras ou grandes problemas nos esperando. As pessoas vão começar a mudar internamente, mesmo sem isso. Pequenos vírus que nem podem ser vistos já causaram um grande impacto em nós. Todos os dias há mudanças positivas que ocorrem dentro de uma pessoa.

Da 4ª parte da Lição Diária de Cabalá 14/06/20, “A Obrigação de Divulgar a Sabedoria da Cabalá a Muitos”

O Homem Em Um Mundo Interconectado, Parte 1

laitman_423.02Preso no Egoísmo Global

Pergunta: O grande físico Albert Einstein disse: “Um ser humano é uma parte do todo, chamada por nós de“ Universo ”, uma parte limitada no tempo e no espaço. Ele experimenta a si mesmo, seus pensamentos e sentimentos como algo separado do resto – uma espécie de ilusão óptica de sua consciência. Essa ilusão é uma espécie de prisão para nós, restringindo-nos aos nossos desejos pessoais e ao carinho por algumas pessoas mais próximas de nós. Nossa tarefa deve ser libertar-nos dessa prisão, ampliando nosso círculo de compaixão para abraçar todas as criaturas vivas e toda a natureza em sua beleza. Ninguém é capaz de conseguir isso completamente, mas a busca por essa conquista é, em si mesma, parte da libertação e fundamento da segurança interna”.

Você está de acordo com esta afirmação?

Resposta: As declarações são boas. Mas elas são tão simplificadas que, quando você começa a entendê-las, chega à conclusão de que está pensando em coisas, eventos, razões e soluções completamente diferentes. Acontece que tudo parece estar certo como deveria estar, todos concordam, mas no final, eles chegam ao ponto de correrem em direções diferentes.

Pergunta: De fato, falamos sobre o amor pelos outros, sobre a unidade, mas vemos que está ficando cada vez pior.

Mas unidade e amor foram falados milhares de anos atrás. Todas as religiões são construídas sobre isso. Hoje, até pesquisas científicas estão sendo conduzidas sobre esse assunto. Embora uma pessoa seja muito pragmática, ela vê que a unidade pode nos beneficiar. Mas onde estamos, onde está essa unidade, onde está esse amor pelos outros?

Resposta: Nosso egoísmo não nos permite submeter um ao outro. Se em um momento eu me submeto a você, no momento seguinte, não quero me submeter, tento me afastar, tentar arrancar algo para mim.

Veja os acordos feitos entre países, governos e dentro de governos. Quantas leis existem em cada país para cada ato, para cada movimento de uma pessoa? E quem monitora sua implementação? E o que podemos fazer dentro dessas leis?

As pessoas não fazem nada além de inventar novas leis, anotá-las e colocá-las nas prateleiras. Então, quando necessário, elas as retiram usando todos os tipos de métodos de fabricação de engajamentos (hook-making methods) e começam a provar que essa lei existe e que deve ser ativada. Dessa forma, elas querem suprimir os outros.

Nós entendemos esses movimentos do nosso egoísmo que querem subjugar a todos. Esses egoístas se posicionam em governos com tanto orgulho, tentando suprimir os outros pelos chamados métodos parlamentares. Mas por quanto tempo essas coisas podem ser toleradas e por quanto tempo elas podem continuar existindo?

De KabTV, “A Era Pós-Coronavírus”, 23/04/20

A Humanidade É Uma Usina Nuclear Ou Uma Bomba Nuclear?

laitman_276.04Hoje a humanidade se encontra em um estado muito interessante. Por um lado, o coronavírus abriu brechas tão grandes em nossas vidas que lhe faltam muitas coisas para ser perfeito. Por outro lado, nunca estivemos tão perto da perfeição, como se estivéssemos separados dela por uma divisória fina, como uma tela de papel.

Sentimos que a realidade espiritual está bem à nossa frente, atrás de uma parede fina. Estamos quase no mundo espiritual, e esse “quase” está em nossos corações. Se eu me conectar com a dezena, já me encontro na espiritualidade. Parece-me que o mundo espiritual está longe, mas está bem aqui – no lugar onde minha dezena está. Se eu cair nas mãos de meus amigos e me entregar a eles, entro na espiritualidade. Eu me curvo diante deles – me encontro na espiritualidade.

Graças a essas ações, entramos no mundo espiritual; portanto, o Criador criou tais condições neste mundo. E hoje vemos isso através do coronavírus, que nos empurra para a espiritualidade. Temos medo de que o vírus queira nos matar, mas ele coloca o mundo espiritual à nossa frente.

Parece-nos que o vírus nos mantém separados, nos obriga a manter distância, mas isso não é verdade. A distância é uma consequência do nosso egoísmo, e o desejo de doar uns aos outros nos aproximará mais. Se pudéssemos nos conectar agora em prol de doar, cuidar uns dos outros, nenhum vírus poderia nos prejudicar. Não teríamos descoberto nenhum vírus prejudicial; pelo contrário, o vírus teria nos tornado mais saudáveis, nos curando de todas as doenças.

O coronavírus revela o mal do nosso egoísmo, que sempre existiu em nosso mundo. É que agora ele se revelou claramente, para que possamos entender que correção precisamos fazer. Tudo depende da nossa intenção. Se nos reunirmos e todos nos odiarmos, teremos uma bomba atômica entre nós. Se quisermos nos conectar, apesar de todas as diferenças, então entre nós não é mais uma bomba, mas um reator nuclear que não explode, mas gera energia boa e útil para nós.

Tudo depende de como usamos a energia interna do desejo de receber que está embutida em nós. O egoísmo deve existir, sem ele, não nos sentiremos. No entanto, a diferença está na maneira como nos conectamos. É como um reator nuclear que possui combustível radioativo e hastes de grafite que inibem a reação em cadeia. Elas não permitem que os elementos colidam entre si, elas colocam uma tela entre eles para que a luz refletida apareça; isto é, elas constroem a conexão correta.

Como resultado, recebemos uma boa energia que podemos usar. É assim que acontece em toda a natureza.

A humanidade avançará a tal ponto que precisará de uma explicação para cada detalhe de sua vida. Parte do trabalho que cada pessoa tem que fazer por conta própria e sobre a outra parte da qual apenas precisa aprender para ter uma ideia de como o sistema inteiro funciona.

Israel pertence à cabeça da alma comum e, portanto, é responsável por trazer a luz do Criador a todas as nações que pertencem ao corpo da alma e recebem luz. No entanto, todas as nações devem entender o princípio da operação, como o motorista de um carro, que sabe dirigir e tem uma ideia geral de como funciona, mas não pode projetar e criar um carro novo.

Toda a humanidade é como um reator atômico e o grupo Bnei Baruch são as hastes de grafite. Se fizermos o nosso trabalho, podemos parar a explosão nuclear que já está sendo preparada, aproximando o mundo da terceira e até da quarta guerra mundial. Vamos torcer para que possamos parar essa explosão.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 19/06/20, Baal HaSulam, Shamati, 33, “Os Lotes de Yom Kippurim e com Hamã”

Somente O Guarda-Chuva Do Amor Vence A Guerra

laitman_293Há protestos maciços contra o racismo em toda a América, mas precisamos entender que as contradições e os confrontos entre as quatro raças são inevitáveis até cobrirmos com amor todas as nossas diferenças.

Existem quatro tipos de pessoas de acordo com seu lugar de origem: a raça branca (Europeia), amarela (Ásia), negra (nativos da África), e vermelha (povos indígenas da América).

Foi assim que as pessoas foram distribuídas na Terra até que começaram a migrar de um lugar para outro após a descoberta da América por Colombo e outros eventos. Estes quatro tipos correspondem aos quatro níveis de desejo de desfrutar, pois do estágio de raiz, Keter, surgem o primeiro, segundo, terceiro e quarto estágios: Hochma, Bina, Zeir Anpin e Malchut.

Os conflitos que surgem hoje entre as raças não podem ser resolvidos por meios corpóreos comuns. Agora mesmo, antes da correção final, mais e mais problemas serão revelados. A Europa também está sujeita a grandes rupturas devido ao problema dos refugiados.

O ódio entre todos crescerá e se espalhará a tal ponto que os profetas escreveram sobre este tempo: “Os inimigos de um homem são as pessoas de sua própria casa”. Isto é, os parentes mais próximos se odiarão porque o egoísmo cresce bruscamente e não permite que as pessoas se tolerem.

O homem não pode mais tolerar nem mesmo a si mesmo. E tudo isso acontece para que possamos fazer correções. Uma correção não é fazer gestos bonitos, ajoelhar-se e pedir perdão. Nada disto vai ajudar, somente o amor que cobre todos os crimes vai ajudar; esta é a única correção.

Há um método que leva à unidade de todas as pessoas, independentemente da cor de sua pele; além deste método, nada funcionará. Estamos entrando agora num período crítico: a pandemia do coronavírus, o aumento do ódio entre todos os povos, e problemas na economia e no comércio. Não há campo onde possamos estabelecer uma vida normal se não usarmos o método de construir a conexão espiritual correta entre nós, o que nos elevará a um novo nível.

Chegou o momento de nos elevarmos; portanto, todos estes problemas estão se revelando agora. Eles revelam a necessidade de um nível mais elevado, pois a conexão correta entre nós é revelada.

O desemprego crescente, as brechas crescentes entre ricos e pobres, crianças e pais, a epidemia de coronavírus, o racismo, os choques entre diferentes tipos de pessoas, muitos fenômenos negativos surgirão que só podem ser resolvidos por um único meio: “O amor cobrirá todos os crimes”. Precisamos da força superior que virá e resolverá todas essas contradições. Fora isso, nada ajudará.

Nesta disputa, não há pessoas inocentes ou culpadas. É o desejo egoísta revelado no homem que é culpado. Se os negros estivessem no lugar dos brancos há centenas de anos, eles não teriam agido melhor. Portanto, não se deve olhar para o passado, mas sim lutar para um futuro bom, para a conexão, para o amor que cobre todos os crimes. Se não o fizermos, então conduziremos guerras sem fim sem vencedores. Afinal de contas, o egoísmo é nosso inimigo comum.

Não devemos olhar para trás em busca de inocentes e culpados, mas devemos apenas seguir em frente e cobrir todos os crimes com amor. O amor é uma conexão mútua sem quaisquer condições. Se não lutarmos por tal amor, então o mundo está feito. Entraremos em um período de terríveis catástrofes que nos ensinará a atitude correta uns para com os outros.

Precisamos olhar apenas para frente, não para trás. Não há razão para mergulhar no passado porque não encontraremos nenhuma solução lá, e os americanos entendem isso muito bem. É impossível estabelecer harmonia entre povos tão diferentes vivendo na América: Afro-americanos, latino-americanos, alemães, ingleses, judeus. Trata-se de uma verdadeira Babilônia. A única saída é começar a aprender o que são conexão e amor.

O amor significa elevar-se acima de todos os crimes. Portanto, se há crimes e ódio mútuo, então temos uma base, uma base, sobre a qual o amor é construído.

O amor deve cobrir todos os crimes, e é bom que eles existam. O Criador preparou o alicerce para que possamos trabalhar, permitindo-nos construir o amor acima dele, no qual revelaremos o verdadeiro Ele, a força superior. Portanto, não adianta lamentar que o Criador tenha criado tal mundo, mas vale a pena agradecer a Ele pelo fato de que agora podemos preenchê-lo com amor.

O mesmo se aplica ao conflito entre a Rússia e a Ucrânia, onde disputas acontecem o tempo todo, como geralmente acontece entre vizinhos. Embora estes povos sejam tão próximos, ainda é impossível estabelecer boas relações.

Isto pode parecer paradoxal, mas quanto mais a humanidade avança, mais educada, mais desenvolvida na ciência e na cultura, mais forte cresce o ódio entre todos, de modo a nos obrigar a construir laços de amor entre todos. Afinal, isto é o que se exige de nós no final da correção.

Portanto, vivemos em um mundo que está ficando cada vez pior. Mas isto não é porque o mundo em si está caindo cada vez mais baixo. É a luz superior que está afetando cada vez mais o desejo de desfrutar que existe no mundo, querendo se aproximar do ser criado. E até que a luz entre no desejo, sua oposição se intensifica, o que revela o mal do desejo egoísta.

Portanto, não há outra solução para quaisquer conflitos inter-raciais ou inter-étnicos. Mais e mais ódio e rejeição serão revelados em todos os lugares, e nenhuma medida ajudará até que o amor cubra todos os crimes. E o amor só pode aparecer a partir de nossa unidade, que construímos de acordo com o método de educação integral.

A América está em fúria, a União Europeia está se desmoronando, mas o Criador tem seu próprio plano geral de correção, que não nos é revelado. Só precisamos fazer nosso trabalho. Não escolhemos com quem nos conectar: precisamos construir conexão e amor comum com aqueles que o Criador nos traz, de acordo com a estrutura da alma comum de Adam HaRishon.

Não depende de nós em que sequência isso acontece. Quando trabalhamos na conexão geral, gradualmente revelamos como todo este sistema é montado em partes. Não somos nós, é o Criador que está jogando, juntando esse quebra-cabeça, e nós só precisamos pressioná-Lo, exigi-Lo e pedir.

Dói ver as relações estragadas entre a Ucrânia e a Rússia. E muitos outros problemas inter-étnicos se abrirão, que de repente surgirão entre os países europeus, assim como na Idade Média. Pensamos que já formamos a União Europeia, um mercado comum, mas este é apenas um mercado no qual não há nenhuma semelhança. Somente o guarda-chuva do amor nos salvará da terceira guerra mundial.

Da 3ª parte da Lição Diária de Cabalá, 07/06/20, Escritos do Baal HaSulam, “Paz no Mundo”