Textos na Categoria 'Lição Diária de Cabalá'

Misericórdia, Verdade E Falsa Misericórdia

laitman_260Antes do êxodo do exílio egípcio, a pessoa entra em um período obscuro, quando a cada dia se encontra mais e mais profundamente em seu egoísmo, tendo cada vez menos força para lutar contra ele. O desejo de desfrutar lhe envia todos os tipos de pensamentos, desejos e ações estranhos, cada vez mais distantes da espiritualidade. A pessoa sente que em vez de avançar, vai para trás.

Ela é então tentada a voltar-se para a religião, que promete uma recompensa imediata por cada ação tomada, como se uma única ação fosse suficiente para a correção. Isso, claro, é atraente e a pessoa sai.

Rabash escreve que especificamente tais pessoas que se envolveram com a Cabalá por um longo tempo, fizeram um bom progresso, e depois partiram sem entrar no mundo espiritual, arriscando-se a se tornarem os maiores oponentes da Cabalá, até mesmo seus inimigos. Por um lado, elas parecem entender do que se trata e, por outro lado, não têm nenhuma realização.

Não há outra força atuando na realidade além do Criador. Ele só permite que o ser criado perceba o que acontece com ele e o que a força superior faz com ele. O ser criado deve aplicar todos os esforços a esse ponto de consciência. Mas, de fato, antes, agora e no futuro, em todos os momentos, em todos os níveis, somente o Criador agiu e agirá.

E nós somos encarregados de revelar o Seu trabalho. Nós não influenciamos o trabalho em si, mas queremos apreciá-lo e alcançar toda a grandeza do Criador.

Está escrito: “Eu e não um mensageiro”, ou seja, que o próprio Criador nos tira do Egito. Isso significa que estamos em contato direto com o Criador, com a força superior, sem intermediários. “Intermediário” significa que na minha demanda eu ainda não me sinto diretamente diante do Criador e não conecto todas as minhas esperanças de salvação somente a Ele.

Nós precisamos fazer enormes esforços agora, para que todos examinem sua própria condição e sintam que esse é o exílio egípcio. O sinal do êxodo do Egito estando próximo é um sentimento de total desesperança em absolutamente tudo, de todos os lados. Nesse estado de desespero, o Criador se revela e nos salva. No entanto, precisamos examinar esse estado juntos – essa deve ser nossa decisão comum. Não se pode sair do Egito sozinho. É factível apenas pela consciência séria no Kli geral.

O egoísmo assegura à pessoa que o caminho não deve ser tão difícil e intransigente quanto a sabedoria da Cabalá sugere. Por que se atormentar lutando com seu egoísmo? Existem muitos métodos psicológicos que permitem que você se acalme e se dê bem com seu desejo de desfrutar.

Certamente, isso é muito atraente. Portanto, a partir do momento em que a sabedoria da Cabalá surgiu, ao longo da história, muitos métodos diferentes se desenvolveram em paralelo a ela. E quando a sabedoria da Cabalá entrou em ocultação, isso se tornou uma razão para o surgimento de três religiões mundiais.

A religião suaviza a vida de uma pessoa, permitindo que ela realize ações externas em vez das internas e promete uma recompensa por isso neste mundo e no mundo futuro. É claro que o egoísmo busca compensar a si mesmo.

No entanto, de cima para baixo, é especificamente organizado para que existam outros sistemas além da Cabalá, que ajudam a descobrir o que é o egoísmo em relação à força de doação, a força do Criador. Portanto, todas as religiões e métodos são necessários e nada pode ser destruído. Nossa tarefa é apenas continuar esclarecendo o desejo do superior.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 28/03/18, Escritos do Rabash, Vol. 2, Artigo 8

Tudo Que Eu Preciso É De Uma Dezena

laitman_231.03Como eu posso saber quantos Partzufim espirituais estão diante de mim e quantos estão atrás de mim? Onde eu estou não importa. O mais importante é que eu tenho uma dezena, que é minha estrutura espiritual.

Se eu chego à adesão nela, alcanço a adesão em toda a escala da criação. Eu não preciso me preocupar em conectar a dezena superior e a dezena inferior e assim por diante em toda a cadeia. Há uma infinidade em sua forma completa em cada elemento da realidade espiritual. O mundo espiritual é organizado dessa maneira: apenas a qualidade, e não a quantidade, funciona nele. Se eu conecto totalmente a minha Malchut com as nove primeiras Sefirot, que para mim é o meu grupo, eu obtenho adesão, minha correção final e, ao mesmo tempo, o fim da correção geral.

“Não há parcialidade na espiritualidade”. Na espiritualidade “o geral e o particular são iguais”. Não sentimos isso, para nós são apenas belas palavras. Mas é necessário entender que, se eu tiver uma dezena, não preciso de mais nada. Eu posso terminar todo o trabalho da minha correção completa nela.

Da 2ª parte da Lição Diária de Cabalá, 28/03/18, Talmud Eser Sefirot, Parte 2, “Histaklut Pnimit”, Capítulo 9, Item 111

A Percepção Do Cabalista

Laitman_113Pergunta: Todos os Cabalistas têm essa percepção dual de mim e do meu egoísmo?

Resposta: Isso depende com o que o indivíduo se associa: o ponto no coração ou seu egoísmo. Se com um e outro, então ele realmente se sente em um estado dual, dividido em duas partes.

Pergunta: Este é um bom estado?

Resposta: É muito bom! Em qualquer ponto da vida, em qualquer estado, você se apega ao pensamento de que você é formado por duas partes: uma é o desejo de seu egoísmo e a outra é seu desejo como ser humano.

No mínimo, é melhor separar-se de seu egoísmo, olhar para ele à distância e se convencer de quão egoístas todos nós somos. Justaposto com o bem, perceba o que todos podemos ser. No entanto, o egoísmo não irá desaparecer e não estamos sofrendo com ele no mínimo. Nós o tratamos completamente de forma objetiva. Esta é uma ótima qualidade natural que ajuda você a subir mais alto.

Da Lição de Cabalá em Russo, 04/02/18

Sentir O Mundo Fora De Si Mesmo

Laitman_931.02Pergunta: Por um lado, há o princípio “O juiz tem apenas o que seus olhos veem”. Por outro lado, é dito que não há nada ao nosso redor exceto a Luz branca que preenche tudo. Como podemos reconciliar esses dois princípios?

Resposta: Se você quiser entender isso, atenha-se a um princípio muito simples: usando a metodologia da Cabalá, una-se em grupos e tente sentir os outros. Você começará a sentir o mundo espiritual neles.

Suponha que eu sinta só a mim mesmo agora. Se eu sair dos meus próprios sentimentos e começar a sentir meus amigos de dentro, se eu fizer uma restrição (Tzimtzum Aleph) nos desejos “só para si” e entrar na qualidade de doação, vou sentir cada amigo como um ser espiritual, uma Sefira. Todos juntos se sentirão como um Partzuf que está cheio de Luz, chamado de Criador.

Juntos, a Luz, o Criador e a totalidade das Sefirot – tudo exceto meu “eu” animal – serão chamados de alma. Acontece que, junto com meus amigos, eu crio minha alma e cada um deles o faz em relação aos outros.

Pergunta: O que vou ver em um estado “fora de mim mesmo”?

Resposta: Você verá as forças que governam o universo inteiro agindo através de uma multidão de leis superiores: seu início, processo, efeito e conclusão. Esse entendimento permeia o seu desejo, preenchendo-o. Você percebe essa satisfação como o maior e mais elevado prazer de sua existência eterna.

Da Lição de Cabalá em Russo 12/10/17

Como As Emoções Podem Ser Reconciliadas Com A Razão?

laitman_543.01Pergunta do Facebook: Como podemos reconciliar as emoções com a razão porque nossas emoções surgem como respostas a eventos de vida que estão longe da maneira racional como o mundo é conduzido?

Resposta: Nossas emoções não têm nada a ver com a razão. Elas se manifestam porque “saltam” do desejo. E o desejo é a nossa natureza inata.

A razão é um sistema adicional adquirido, projetado para coletar emoções, classificá-las, comparar, restringir, etc. Mas, geralmente, a razão é fraca diante das emoções; diante dos desejos, é secundária.

Pergunta: É possível restringir as emoções?

Resposta: Não faz sentido. Você tem que chegar a um estado em que suas emoções estejam equilibradas. Afinal, emoções negativas podem ser equilibradas com emoções positivas e você pode se sentir confortável com elas, porque emoções negativas e positivas irão trabalhar juntas para um objetivo elevado.

E você sabe que precisa de tudo isso. Você não está lutando contra a sua natureza ou as pessoas ao seu redor. Pelo contrário, você entra em um estado quando está em harmonia um com o outro. O mais (positivo) de uma pessoa é compensado pelo menos (negativo) do outro. Nós somos criados de tal forma que se todos nós nos conectássemos corretamente, formamos um sistema ideal, e todos os nossos prós e contras se encaixariam perfeitamente.

Pergunta: Então as vantagens e desvantagens estão espalhadas pelo mundo para se conectar?

Resposta: Esse é o problema. Nós não temos outra escolha. Nós tentamos fazer algo um com o outro, ficamos desanimados, vendo que nada ajuda, e finalmente morremos.

Mas, na verdade, precisamos ver que não podemos fazer nada sozinhos e devemos pedir ao Criador para nos ajudar. Então Ele brilhará sobre nós com a Luz superior, sob a influência da qual rapidamente nos reuniremos no mosaico correto e completaremos um ao outro.

Então teremos a combinação perfeita de todos uns com os outros. Todas as emoções negativas e positivas serão complementadas, cada pessoa será necessária para outra. É assim que alcançaremos a perfeição.

De KabTV, “Notícias com Michael Laitman” 24/04/18

Regozijar-Se Nas Falhas

laitman_278_03Quando eu vejo uma falha em algo, me alegro com isso. Afinal, é um sinal de que fiz uma correção e, portanto, descubro uma nova falha. Isto é, estou alegre com meu estado corrigido anterior.

Eu também estou feliz no estado atual porque agora tenho a oportunidade de fazer uma correção e de aproveitar isso. Acontece que, no passado, presente e futuro, em todos os momentos e em todos os estados, eu estou alegre.

A perfeição é construída acima do conhecimento, acima da sensação. Dentro das sensações, eu sinto problemas e dificuldades, mas acima das sensações – examinando por que, de onde e por que motivo elas estão chegando – me regozijo. Estes são dois níveis diferentes.

Tudo vem de um grande sistema que revela problemas e dificuldades para mim de acordo com minha capacidade, e eu tenho que corrigir minha atitude em relação a eles. Este sistema existe na minha frente. Quando as corrupções são reveladas para mim, é sinal de que preciso fazer uma correção porque não há nada para corrigir, exceto minha atitude.

A partir do momento em que vejo a corrupção, começo a pensar sobre de onde veio, quem a enviou e com que propósito. Então eu trabalho e corrijo. Estou feliz o tempo todo. Eu estou sob o cuidado constante da força superior que constrói minha alma. Eu só preciso tentar me apegar às ações do Criador, independentemente de elas parecerem boas ou ruins para mim.

Eu tenho que lembrar de onde os problemas vêm, mas não segui-los no conhecimento (isto é, nas sensações que eles despertam em mim). Em vez disso, eu permaneço um nível acima deles, entendendo que tudo é feito para meu benefício. Eu quero me apegar àquele que me deu o golpe e beijar a mão que me atingiu. Assim, quero me apegar ao Criador acima dos golpes. Se eu tiver sucesso, me separo do nível corpóreo e existo em adesão com o nível espiritual acima do mundo corpóreo. 1

Eu me regozijo com as deficiências reveladas, porque elas existiam anteriormente, mas estavam ocultas, permitindo-me pensar que sou perfeito. No entanto, quando uma deficiência é revelada, é uma salvação, porque a pessoa tem a oportunidade de corrigir o que é capaz de corrigir. Portanto, eu saúdo todos os problemas e dificuldades que o Criador me traz. Afinal, o Criador os envia apenas por uma questão de correção. Ele nunca nos pune.

O próprio Criador admite que criou a inclinação ao mal. Todos os nossos problemas vêm apenas desse egoísmo. Portanto, não há falha que me pertence pessoalmente. Minha única falha é que eu não cumpri o que poderia cumprir – este é todo o meu crime.

Todos os problemas existem apenas para que eu corrija minha atitude em relação a eles, declarando que eles vêm do Criador e seja grato a Ele por eles. Nada mais é necessário. Todas as correções são feitas internamente, por uma mudança de atitude. É necessário chegar a um estado em que o mundo inteiro me mostrará onde devo corrigir um pouco a minha mentalidade e tudo ficará bem.

Ações materiais são apenas brincadeira de criança. As ações verdadeiras são nossa atitude para com as ações do Criador sobre nós. Isso é chamado de trabalho do Criador. 2

A alegria se expressa no fato de que, de acordo com a sensação em meu desejo de desfrutar, eu estou em apuros, mas de acordo com a sensação de fé (no desejo de doar adquirido), estou em ascensão. A diferença entre um e outro me dá alegria. Sem o golpe no desejo de desfrutar, eu não iria adquirir um novo desejo de doar. 3

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá, 17/05/18, Shamati, Artigo 40, “Fé no Rav, Qual é a Medida
1 minuto 28:35
2 minuto 40:00
3 minuto 49:40

Nenhuma Alegria Sem Tristeza

laitman_599_02Nas Notícias (Nautilus): “A Infelicidade É Um Limpador De Paladar”, por Indira M Raman, “… Com frequência nos comportamos como se pudéssemos encontrar um caminho para o contentamento – conforto, saciedade, calor ou alguma outra recompensa – e sermos felizes o tempo todo se pudéssemos fazer as escolhas certas. Mas o prazer é muitas vezes passageiro, mesmo a partir das experiências mais atraentes, dando origem ao tédio e despertando a busca de algo novo e sensacional. Como neurocientista, não posso deixar de me perguntar se a transitoriedade de nossa satisfação pode, na verdade, não ser inevitável e, em vez disso, revelar um aspecto inevitável da maneira como o cérebro funciona, cuja compreensão pode fornecer uma pista sobre como lidar com isso. …

“Sem a pessoa poder fazer comparações, o mundo fica cinzento. Em outras palavras, não é só que a variedade é o tempero da vida; é a variação que nos permite sentir algo.

“Nós percebemos as coisas não pelo valor absoluto, mas pelo contraste com o que veio antes.

“… Eu acho que isso oferece a chave para a felicidade que é compatível com o funcionamento do cérebro. A capacidade de detectar até mesmo estímulos familiares geralmente pode ser restaurada por um breve limpador de palato, que literalmente permite uma recuperação da dessensibilização suficiente para intensificar uma experiência subsequente. … Como o cérebro classifica em uma curva, comparando infinitamente o presente com o que veio logo antes, o segredo da felicidade pode ser a infelicidade. Infelicidade não absoluta, é claro, mas o frio passageiro que nos deixa sentir calor, a sensação de fome que torna a saciedade tão bem-vinda, o período de quase desespero que nos leva à surpreendente experiência do triunfo. O caminho para o contentamento é através do contraste”.
Indira M. Raman é professora do departamento de neurobiologia da Northwestern University.

Meu Comentário : Eu concordo com ela. É impossível distinguir a luz sem escuridão, alegria sem tristeza e assim por diante. Nossos sentimentos são construídos em duas percepções opostas, e tudo depende de como os avaliamos, pesamos.

A maneira mais correta é começarmos a perceber que sensações amargas eram necessárias para nos sentirmos doce. Então elas também se tornam parte do doce. Eu lhes desejo tal sentimento.

De KabTV “Notícias com Michael Laitman” 20/03/18

Esta Vida É Para A Criação E O Criador Se Encontrar

Laitman_161Em todo o sistema geral da realidade há apenas dois: o Criador e o ser criado, a Luz superior e o desejo criado pela Luz dentro de Si mesmo como um ponto negro que Ele desenvolve. Este ponto evoluiu para o estado em que se sente existindo independentemente, isto é, como um ser humano que vive neste mundo e tem sua própria autoridade. Ele deixou de notar que existe dentro da Luz superior que o governa, avança e constantemente trabalha nele.

Este ponto negro, um humano deste mundo, não tem consciência de que toda a sua existência – tudo o que se faz, diz, pensa, sente e decide – é determinado pela Luz, pela força superior. Estamos em tal ocultação. E todo o nosso trabalho é descobrir essa força superior e perceber que ela age dentro de nós, não nos deixando liberdade em nada exceto por uma coisa: desejar que ela volte e nos governe como realmente já ocorre, mas sem a nossa consciência.

Portanto, existem dois mundos: o mundo inferior onde estamos aparentemente em nossa própria autoridade e o mundo superior onde descobrimos que tudo vem somente de cima, da Luz, do Criador. A principal coisa neste trabalho é descobrir o lugar da nossa liberdade de escolha, onde podemos, através de ocultação e revelação, descobrir a nossa liberdade entre eles. Somente neste lugar nós realmente existimos como os seres criados.

Fora disso, estamos sob a regra completa do Criador, inconsciente ou conscientemente. No entanto, em algum lugar no meio, entre um e outro, há um ponto especial em que podemos determinar nossa independência. Só podemos encontrá-lo se estivermos buscando a fé acima da razão. Então, a importância do Criador é gradualmente revelada, que é maior do que a importância de uma pessoa.

Isso é revelado de cima e a pessoa começa a sentir, pelo menos às vezes, que o Criador é mais importante para ela do que ela mesma, e está disposta a investir toda a sua vida e toda a sua força Nele. Essa sensação vem e vai e vem de novo. Este trabalho é chamado de fé acima da razão, doação acima da recepção. Afinal, antes tudo era baseado no desejo de desfrutar que foi revelado em uma pessoa.

É chamado de “um rei velho e tolo”, mas sempre cresce junto com a força da fé em oposição a ele, a fim de criar uma oportunidade para a pessoa proclamar sua independência como uma linha média essas duas forças. Lá, na linha média, o Criador e o ser criado se encontram.

A implementação deste trabalho só é possível dentro do grupo, na dezena. Portanto, alcançar a garantia mútua, a conexão em torno do Monte Sinai é uma pré-condição necessária para receber de cima a força da fé. 1

Amigos e o grupo são meios para revelar o Criador. O Criador quebrou a alma comum para nos reunirmos novamente e nos tornarmos um homem. De fato, se nos corrigirmos, começaremos a nos sentir como uma estrutura única. Como agora, olhamos para o nosso corpo e percebemos cada parte dele como a nós mesmos, exatamente da mesma maneira que veremos e sentiremos que toda a humanidade é um homem.

No entanto, reunimos e corrigimos esse homem apenas por um objetivo: revelar nele o espírito de vida chamado Criador. Ao conectarmos partes separadas, o espírito de vida começa a entrar nelas e elas ganham vida. O Criador anima tudo. Assim, o trabalho com os amigos é o meio para a revelação do Criador e da verdadeira realidade.

Nós não trabalhamos diretamente com o Criador. Na medida em que trabalhamos com os amigos e conectamos os órgãos da alma comum, o Criador se veste neles. 2

A linha direita e a linha esquerda não se anulam. Eu posso sentir as duas e também a linha do meio que reconcilia entre elas. Um desejo está dentro da razão e o outro acima dela; são duas sensações diferentes. Eles não se misturam; eu distingo claramente entre eles e posso mudar de um para o outro. Eu posso medir um em relação ao outro; ambos os desejos existem, mas eu devo decidir com qual quero me identificar. 3

Primeiro, nós vivemos apenas neste mundo onde tudo acontece no desejo de desfrutar e não ascendemos ao “segundo andar”. Então, o segundo andar aparece em adição à razão: fé acima da razão. Portanto, eu tenho duas opiniões nas quais posso navegar entre elas. Eu entendo quando chega a hora de expandir o primeiro andar, a fim de ampliar o segundo andar acima.

Eu moro em dois mundos. Dois desejos existem em mim sem se anularem: um está dentro da razão, em Malchut, e o outro está na fé, em Bina.

Nós ainda não sentimos essa divisão dentro de nós, mas nos movemos em direção a ela. Precisamos discuti-la e tentar imaginá-la. Da mesma forma que estudamos eventos em nosso mundo que primeiro não entendemos e sentimos. Mas, gradualmente, no processo desses exercícios, temos sensações e ideias.

Baal HaSulam escreve que não há nada no mundo que uma pessoa não possa sentir, incluindo o Criador. Afinal, a força superior existe; nós só precisamos desenvolver uma sensibilidade crescente por ela. Tudo vem com experiência e o hábito se torna uma segunda natureza. 4

Dois mundos existem simultaneamente sem anular um ao outro. Razão e fé acima da razão são dois programas que agem em paralelo. Podemos estar em qualquer um deles e conectá-los juntos. Portanto, é chamado fé acima da razão que descobrimos a diferença entre os dois mundos.

Cada nível tem sua própria verdade: verdade dentro da razão e verdade acima da razão, o grau de Malchut e o grau de Bina entre os quais nossa existência é realizada. Precisamos aumentar Malchut para aumentar Bina. Elas se influenciam e tudo é implementado entre elas. 5

Eu me movo para um nível diferente de percepção, para o grau de Bina (fé) e decido que a fé está acima de Malchut, acima da razão. De acordo com o grau de fé, eu decido que o Criador governa tudo, determina toda a minha existência, e eu quero ser guiado pela mente superior da fé, não pela minha mente e conhecimento animal.

Segundo a razão, eu sou o mais importante e de acordo com a fé, o Criador e os amigos são mais importantes que eu. Razão, meu desejo de desfrutar, sempre permanecerá como a linha esquerda contra a direita, e exatamente por causa disso eu poderei aumentar a linha direita (fé) e avançar. O anjo da morte existe até a correção final. 6

A Luz desceu de cima para baixo e no seu caminho já construiu cada ponto, construiu uma marca para cada estado. Subindo de baixo para cima, precisamos alcançar o mesmo ponto, ou seja, subir de uma de suas marcas para outra. É como atirar em um alvo pronto. Nós só precisamos trazer nossa oração de acordo com o estado que existe diante dela. A resposta à oração já existe e, assim que pedimos corretamente, nós a receberemos imediatamente. 7

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá, 03/06/18, “Trabalho na Fé Acima da Razão”
1 minuto 0:20
2 minuto 16:50
3 minuto 20:20
4 minuto 24:00
5 minuto 28:20
6 minuto 34:00
7 minuto 53:35

Comunicação Através De Um Único Cérebro Do Universo

laitman_594Nas Notícias (Daily Mail) : “O Professor Moran Cerf da Northwestern University diz…

“Escolher os amigos certos é importante porque faz com que nossas ondas cerebrais se assemelhem às das pessoas com quem passamos a maior parte do tempo. …

“Isso significa que vocês começam a se tornar semelhante e adquirem seus comportamentos desejáveis ​​e formas de ver o mundo sem ter consciência disso.

“’Quanto mais estudamos o envolvimento, vemos mais de uma vez que apenas estar ao lado de certas pessoas realmente alinha seu cérebro com elas’, disse ele.

‘Isso significa que as pessoas com quem você sai realmente têm um impacto no seu envolvimento com a realidade além do que você pode explicar. E um dos efeitos é que vocês se tornam semelhantes’.

“Pesquisadores sugeriram anteriormente que esse ‘acoplamento neural’ é uma parte fundamental da comunicação.

“Se estamos no mesmo comprimento de onda que outros, podemos antecipar o que eles podem dizer e, portanto, compreendê-los melhor.

“Isso, por sua vez, tem uma vantagem evolutiva, pois significa que trabalhamos melhor e mais rápido em equipe”.

Meu Comentário: Na verdade, nosso cérebro se comunica com a mente geral do universo. Estamos conectados a ele como modems. Existe um imenso sistema entre nós e todos recebem informações através dele.

A comunicação “direta” é muitas vezes uma ilusão. O que eu digo e o que chega ao ouvinte não é a mesma coisa. A principal influência do ambiente passa por diferentes canais.

É por isso que quero que meus alunos estudem de acordo com um sistema, das mesmas fontes, leiam meu blog, Twitter e assim por diante. Só assim nos aproximamos uns dos outros.

De KabTV “Notícias com o Dr. Michael Laitman”, 13/03/18

Nosso Papel Na Fé Acima Da Razão

laitman_221.0Fé acima da razão é um sentimento de que a doação está acima da recepção, a importância do Criador está acima da importância do ser criado e de toda a realidade. A pessoa começa a sentir que tem uma nova preocupação: fazer alguma coisa pelo Criador e de tal maneira que o Criador nem mesmo saberá sobre isso, doar em ocultação, humildemente, sem qualquer intenção de receber uma recompensa.

Precisamos pedir esse poder para que ele nos governe e nos dê orientação sobre como trabalhar entre nós pelo amor do Criador. Esse poder desperta em torno do ponto no coração, cresce e permite que ele atue. Aqui começamos a descobrir que a realidade não é o que antes parecia ser. Na verdade, ela é governada por uma única força que preenche e organiza tudo. Ela sempre arranjou tudo, mas agora está começando a ser revelada.

Através do nosso desejo e esforços de nos conectar, podemos convidar o Criador a se revelar e nos corrigir. Na verdade, esta é a única coisa que podemos fazer. Afinal, o primeiro ato básico de doação é revelado dentro da conexão, e somente dentro da conexão ele começa a crescer e a se fortalecer. Portanto, vemos na Torá que, imediatamente após o êxodo do Egito, a formação da nação começou por reunir pessoas em dezenas, centenas e milhares.

O estado desejável é a revelação da força superior que nos dá o desejo de doar acima do desejo de receber. Assim, nós realmente aspiramos a doar para trazer alegria e contentamento ao Criador, que é nossa única recompensa.

A pessoa que faz o trabalho certo é sempre feliz, principalmente porque em qualquer estado ela tem uma conexão correta com o Criador. Em qualquer subida ou descida, ela está sob o governo do Criador e, estando ciente disso, já traz contentamento ao Criador e, portanto, se alegra.

Ela sente que recebe força para estar sempre preocupada com o Criador e trazer-Lhe contentamento sem qualquer compensação pessoal, isto é, realizar a pura doação pessoal. Este é um efeito da Luz; é assim que a Luz da fé funciona.2

No nível espiritual, a pessoa recebe Luz que a desconecta do egoísmo e começa a considerar seu desejo de desfrutar apenas como meio para realizar atos de doação. Portanto, ela não se leva em conta, ou seja, o que tem e o que não tem. Pelo contrário, ela não quer nada, nem recompensa! Essa é sua principal preocupação. “Prove e veja que o Senhor é bom”. 3

Eu quero que todos os resultados do meu trabalho estejam apenas no Criador, e eu mesmo não receberei nada por isso, exceto a força pelo trabalho, como se eu estivesse cheio de combustível como um carro. Todos os cem por cento do meu trabalho serão para o benefício do Criador de tal forma que Ele nem sequer saberá sobre a minha existência, como se eu fosse um zero absoluto.

Um carro não sabe para onde está indo, está sob o controle completo de seu dono. Eu quero estar sob tal controle do superior. Deixe o dono me encher de combustível e me usar completamente. Eu quero ser totalmente dedicado a Ele. Isso é chamado de servidor leal.4

O Criador gosta quando preparamos um vaso onde Ele pode ser revelado. É exatamente isso que queremos fazer na próxima Convenção na Itália. Temos que criar um lugar para a revelação do Criador. Mesmo que não sintamos como criamos este lugar, ele existirá. Talvez a sua intensidade não seja suficiente para a revelação do Criador em relação a nós, porque somos muito grosseiros, mas, no entanto, este lugar já estará fundado.

Agora estamos começando a criar a estrutura de Adam HaRishon no estado da correção final. Este é o começo, estamos lançando uma fundação dessa estrutura da alma comum de Adão em sua forma completamente corrigida. Este é um trabalho extremamente importante.

Portanto, precisamos fazer tudo em nosso poder, e o Criador terminará isso para nós. O mais importante é fazer isso e o resultado é determinado de cima.

Eu realmente espero que possamos construir o lugar para a revelação do Criador e para trazer-Lhe contentamento.5

Se eu tento fazer meu trabalho corretamente, a cada momento eu trago satisfação ao Criador, mesmo que isso ainda não seja aparente para mim. Portanto, eu me alegro. Afinal, sei que o Criador está cuidando de mim: não há dúvida de que recebi vida e desenvolvimento Dele. “Não há outro além Dele”. Portanto, tudo depende apenas da minha atitude. Eu não coloco condições diante do Criador para que Ele se revele não importa o que aconteça, mas eu apenas quero realizar atos de doação.6

A construção começa com a escavação de um buraco e a fundição. Da mesma forma, estabelecemos um fundamento para a alma comum corrigida de Adam HaRishon. Para isso, precisamos cavar no chão, e este é um trabalho duro e sujo. Aquele que faz isso não vê nada além da escavação dentro de seu egoísmo até que escava o suficiente para estabelecer uma fundação para o edifício. Então, talvez, ele gradualmente comece a se levantar do poço, acima da fundação e erguer o próprio edifício.

Adicionar níveis não é um problema, alguém pode adicioná-los depois de nós. O mais importante é colocar as primeiras pilhas da fundação e estamos muito perto disso.7

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá, 30/05/18, Lição sobre o Tópico: “O Trabalho na Fé Acima da Razão”

1 minuto 0:20

2 minuto 14:20

3 minuto 19:25

4 minuto 27:49

5 minuto 42:30

6 minuto 45:40

7 minuto 47:50