Textos na Categoria 'Lição Diária de Cabalá'

A Escolha Judaica: Unidade Ou Antissemitismo – Antissemitismo Acima Da Natureza

Dr Michael LaitmanDurante o período do último exílio, o povo de Israel não teve consciência de sua missão espiritual. Não vemos tais sinais nas declarações de filósofos e pensadores judeus. A sabedoria da Cabalá foi grandemente ocultada. Foi um período preparatório: agora com mais luz interior ou circundante, e depois menos e, consequentemente, a humanidade foi atraída para uma direção e depois para a outra.

Era uma época em que tínhamos que descobrir nossa atitude em relação às religiões, verificar a que preço estávamos dispostos a vender o judaísmo comum e corporal e deixar a nossa fé. A alma humana consiste em quatro níveis: inanimado, vegetativo, animado e humano; todos esses níveis também precisam ser examinados.

Portanto, a questão não alcançou a sabedoria da Cabalá e nosso dever para com a humanidade, a revelação de que temos uma missão mais elevada do que o simples cumprimento tradicional dos mandamentos.

Este foi um período de escrutínio que continua hoje. Até recentemente, as pessoas na América pensavam que a moderna emancipação e assimilação dos judeus os ajudariam a se dissolver na sociedade americana. Realmente parecia que era possível fazer isso: quase não havia pressão ou antissemitismo definitivo. Se houve alguma rejeição, foi muito inteligente e oculta.

Muitos judeus na América, como fizeram na Alemanha, pensavam que o antissemitismo poderia ser eliminado por uma assimilação ainda maior na sociedade americana, porque o problema é causado pelo fato de que os judeus não são suficientemente dissolvidos nos americanos. Acontece que 3.500 anos atrás, no tempo de Abraão, a nação de Israel emergiu de todas as nações, da Babilônia Antiga, e hoje, estando na Babilônia moderna, queremos retornar e assimilar entre as nações. Este será o nosso fim.

No entanto, falhamos em entender que a escolha agora está se tornando mais espiritual. Afinal, não há grandes problemas com diferenças corporais: costumes, filosofia do judaísmo e educação. No mundo moderno, tudo está misturado.

Surge a pergunta: por que o antissemitismo moderno está crescendo e aumentando em todos os lugares, em todo o mundo? Isso não se aplica à cultura, educação ou estado; é um fenômeno completamente ilógico, irracional e universal que está acima da natureza.1

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 09/01/20, “A Escolha Judaica: Unidade ou Antissemitismo”, Capítulo 6

1 Minuto 43:00

A Escolha Judaica: Unidade Ou Antissemitismo – Não É Uma Conexão Simples

laitman_962.5A conexão que a Cabalá oferece como solução para todos os problemas não é tão simples quanto pode parecer à primeira vista. Inicialmente, este tópico pode causar confusão e mal-entendidos. Se olharmos para o nosso caminho histórico, sempre foi benéfico para o povo de Israel se conectar? Por um lado, a conexão é boa. Mas é importante em que nível ela ocorre.

Talvez estejamos nos afastando de todos os outros com essa conexão? Ou estamos egoisticamente nos conectando para escapar dos problemas corporais? Ou estamos conectados para cumprir nossa missão espiritual em relação ao mundo inteiro? O povo de Israel pode se conectar de maneiras diferentes e, portanto, sua conexão deve ser avaliada; caso contrário, ficaremos confusos quando for para o bem e quando for prejudicial. Houve muitos períodos na história em que os judeus se conectaram, mas essa conexão apenas demonstrou o quanto não era para o benefício do processo geral de correção.

Por um lado, existimos no mundo corporal, mas, por outro, devemos alcançar nosso propósito espiritual enquanto ainda estamos neste mundo. O que importa é o propósito pelo qual estamos nos aproximando, e também o propósito pelo qual estamos nos afastando. Ambos podem ser benéficos e prejudiciais. É impossível julgar nossa proximidade ou separação sem ambiguidade, mas apenas em relação ao propósito da criação.1

Da 1ª parte da Lição Diária da Cabalá 09/01/20, “A Escolha Judaica: Unidade ou Antiassemitismo”, Capítulo 6

1 Minuto 0:20

O Dever De Israel Em Relação À Humanidade

laitman_962.1O dever de Israel em relação à humanidade é um tópico muito importante, porque determina todo o nosso trabalho direcionado ao resultado final: conectar todos os seres criados em um único ser em adesão ao Criador. Esse processo inclui interioridade e externalidade porque existe o Criador e o ser criado, e ambos os sistemas consistem em partes interna e externa.

A parte interna do Criador é Atzmuto, Sua essência, e a parte externa é Sua atitude em relação aos seres criados. Os seres criados consistem em Israel e nas nações do mundo na proporção da intensidade do desejo que permanece após a quebra.

O ponto que desperta em uma pessoa e a leva à correção é chamado “direto ao Criador” (Yashar-Kel), Israel. Essa pessoa deve receber ajuda de cima e também organizar o ambiente e o trabalho desde baixo.

O objetivo da criação é o fim da correção geral, e, portanto, devemos ansiá-lo o tempo todo. Isso atrairá a força superior, que deseja que todos saibam disso, do menor ao maior. Portanto, devemos levar esse conhecimento a todas as nações do mundo e fornecer-lhes uma conexão com a força da correção e da unidade, nos vendo no papel de Jonas, o Profeta. Embora não desejemos nem saibamos como fazer isso, entendemos a importância e a grandeza de nossa responsabilidade de nos tornarmos a luz para as nações do mundo.

“O resultado final está no pensamento preliminar” e, portanto, já devemos ver o objetivo final e o estado final, verificando cada passo na medida em que atingimos esse objetivo. Todo o nosso caminho é realizar o propósito da criação, o estado final corrigido, aproximando-nos cada vez mais e aperfeiçoando-nos.

O objetivo da grande convenção em Tel Aviv é conectar todo o grupo Bnei Baruch em todo o mundo, estabelecendo assim as bases para a correção geral do mundo. 1

Nós recebemos o despertar espiritual apenas porque é necessário para a nossa geração, que é obrigada a iniciar a correção. Portanto, se quisermos progredir, temos que pensar para quem estamos trabalhando. Nós, Israel, somos o canal de transição que conecta o Criador com os seres criados. Se nos tornarmos obreiros fiéis do Criador e cumprirmos nossa missão sem pensar em nossa própria recompensa e destino, mas apenas em dar satisfação ao Criador e aproximar Dele os seres criados para que Ele possa corrigi-los e cumpri-los, teremos sucesso.

Portanto, devemos levar em consideração não o nosso sucesso, mas apenas a nossa missão como servos do Criador e dos seres criados, e então podemos nos tornar parceiros do Criador na criação. O principal é explicar nosso estado futuro para a humanidade, que já existe na natureza e deve ser revelado. Se estamos prontos para esta revelação, nós a percebemos como bons tempos. Mas se não estamos prontos, a natureza ainda nos leva pelos mesmos estados ao final da correção, mas os sentimos desagradáveis ​​e sofremos. Portanto, para o benefício do Criador e o benefício dos seres criados, precisamos preparar a humanidade para os próximos passos e ajudá-los a aumentar constantemente sua conexão. 2

Por que discutimos essas dolorosas questões do antissemitismo, do Holocausto e do nazismo, se há tantos tópicos legais na Cabalá? O fato é que é para o bem da cura, e o tratamento é desagradável e doloroso. O apodrecimento era interno e agora que o médico está abrindo para curá-lo, certamente dói. No entanto, não há saída, precisamos abrir essa ferida e verificá-la para entender o que fizemos de errado e como continuar.

A correção não é revelada na natureza inanimada, vegetativa e animada, mas depende do material humano na medida em que ele sente os estágios de seu desenvolvimento. Se entendermos como devemos nos desenvolver, daremos as boas-vindas às ações do médico. Até os animais toleram a dor se sentem que uma pessoa está tentando ajudá-los.

No entanto, não devemos apenas tolerar isso, mas participar de nosso próprio desenvolvimento, e esses estágios se tornarão agradáveis ​​para nós, não apenas em nossas sensações, mas também trarão compreensão e realização. Realizaremos nosso próprio tratamento com a ajuda da força superior. Esse desenvolvimento se tornará desejável para nós, porque estaremos nos olhando de cima, desejando receber a força de doação contra nosso desejo egoísta.

De outro modo, veremos a mesma catástrofe ocorrida há oitenta anos na Alemanha, sabendo o que acontecerá se não intervirmos no curso dos eventos. O caminho para o fim da correção já foi definido, mas é possível percorrê-lo pelo caminho da luz ou pelo caminho do sofrimento – a escolha é nossa. Não há como escapar disso.

Devemos tirar conclusões da história passada para o futuro, porque a história sempre volta, as dez Sefirot são reveladas novamente em nosso mundo, é sempre o mesmo processo. Ocorre com novas armas e em uma nova escala, sempre cada vez maior, mas a imagem geral sempre se repete.

A humanidade está à beira de uma guerra mundial. Não se trata mais de ações extremistas individuais, mas de escapar da catástrofe global – a terceira guerra mundial sobre a qual Baal HaSulam escreveu. Esta não é uma perspectiva de longo prazo e pode acontecer a qualquer momento. Antigamente, uma guerra exigia longos preparativos, movimentação de tropas, navios de guerra e hoje basta apertar um botão para destruir metade do mundo.

O aumento dos ataques com base no antissemitismo são apenas sinais iniciais do processo final da correção geral do mundo durante uma guerra mundial. Afinal, vivemos na última geração, na era do fim da correção, por isso não será limitado a uma guerra local em algum lugar da Europa como antes. A guerra cobrirá todo o planeta, todos começarão a acertar as contas. Será revelado que cinquenta países têm armas nucleares, o que é desconhecido no momento. 3

A cada dia que passa, fica cada vez mais claro que o mundo precisa se unir; caso contrário, desmoronará. A cola é uma conexão que só pode ser alcançada pelo exemplo de Israel. Não há outro caminho de acordo com as leis da natureza. 4

As pessoas devem entender:
1. A chave de todo o processo histórico está no povo de Israel.
2. A forte reação do egoísmo geral das nações do mundo é causada pelo fato de os judeus hesitarem e não acelerarem a correção.

Agora fica claro como devemos agir juntos: Israel e as nações do mundo. O antissemitismo, o ódio contra os judeus, nas nações do mundo, desperta para empurrar os judeus adiante.

Está escrito nos Profetas que as nações do mundo levantarão Israel em seus ombros e os levarão a construir o Templo. Você acha que os judeus serão carregados em uma bandeja como um presente? Não, será na forma de uma demanda. O povo de Israel deve sentir a necessidade das nações do mundo de correção, de compreensão do pensamento da criação, de seu propósito. Todos os problemas deste mundo são o resultado do fato de que a humanidade não recebe resposta sobre a causa de seu sofrimento. Isso é sofrer pela falta da luz de Hassadim, a conquista do Criador, razão pela qual as drogas são tão comuns. Isso é tudo porque Israel não carrega a luz superior através deles mesmos para as nações do mundo.

As nações do mundo devem aprender seu papel, como devem usar a atitude negativa em relação aos judeus, o ódio que está despertando nelas, e transformá-lo em uma demanda para que, juntamente com o povo de Israel, possam realizar a correção. O método está no povo de Israel e o poder está nas nações do mundo, por isso devemos caminhar juntos até o fim da correção. 5

Da 1a parte da Lição Diária de Cabalá 30/12/19, O Dever De Israel Para Com A Humanidade
1 Minuto 0:00
2 Minuto 9:40
3 Minuto 13:00
4 Minuto 32:00
5 Minuto 40:40

Sentir Mais Escuridão É Realmente Mais Luz

laitman_276.05Se sentimos que a escuridão está aumentando, significa que a luz chegou e é por isso que vemos a escuridão. 1

Da Preparação da Lição para a Lição Diária de Cabalá 02/01/20, Escritos de Baal HaSulam, “A Liberdade”

1 Minuto 5:26

Dê Uma Olhada No Mundo Com Olhos Altruístas

laitman_766.4Observação: Existem dois tipos de percepção do mundo. A primeira é através do sentimento pessoal e do cérebro de uma pessoa que percebe o nosso mundo através de seus cinco órgãos sensoriais. A segunda é através do ambiente, quando o indivíduo vê o mundo através das pessoas ao seu redor.

O objetivo de todos neste mundo é conhecer o Criador. De acordo com a Cabalá, a pessoa não pode explorar o Criador através dos cinco sentidos habituais, mas apenas através da sociedade, isto é, a sociedade como visão, o objetivo, através da qual olho para o Criador. Não posso vê-Lo diretamente, mas se aprender a olhar através da sociedade, posso determinar claramente quem é o Criador.

Meu Comentário: O fato é que precisamos desfocar nossa visão, ou melhor, nossas sensações. Agora nós os temos presos por nossa realização egoísta e, portanto, não sentimos o Criador.

Portanto, precisamos olhar o mundo com olhos altruístas, isto é, com a qualidade de doação. Digamos que o mundo inteiro seja nosso filhinho, a quem amamos loucamente. Então, como olharíamos o mundo com amor?

No entanto, isso é insuficiente, porque ainda o veríamos egoisticamente. Precisamos encarar isso com amor altruísta, ou seja, como se fosse absolutamente independente de nós mesmos. Agora imagine, em vez de seu filho, que é o mundo inteiro para você, um estranho e, melhor ainda, uma pessoa que você mais odeia. Você deve, assim, desfocar-se, afastar-se da sua visão egoísta do mundo, através de um prisma que o transforma completamente de dentro para fora e, através dele, você verá o Criador.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 04/02/19

Escolha O Fator Externo

laitman_962.7Somente uma pessoa tem livre arbítrio porque pode usar um fator externo que lhe permita escolher a direção de seu desenvolvimento. Imagine que um grão de trigo tivesse a oportunidade de escolher como crescer em um talo de dez grãos e decidir quais grãos. O trigo não pode escolher, mas podemos, embora estejamos no mesmo estado. Mas temos a oportunidade de recorrer ao fator especial que nos desenvolverá, e isso é chamado de livre arbítrio.

Se não houver liberdade de escolha, apenas o trigo e mais nada poderá crescer a partir do seu grão de trigo. No entanto, temos a oportunidade de nos tornar um ser humano devido a um fator externo. Portanto, precisamos descobrir qual é esse fator externo, o que ele pode fazer e como podemos despertá-lo. Além disso, precisamos entender por que precisamos desse fator externo, porque ele vai contra todos os nossos desejos, contra a nossa natureza. Acontece que precisamos nos convencer, e isso exige um ambiente que nos ajude a superar todas as dificuldades e provar que esse é um esforço que vale a pena. É muito difícil adquirir liberdade.1

Fatores externos causam um enorme impacto em uma pessoa: passamos nossos pensamentos, desejos, aspirações, objetivos e valores para outras pessoas e recebemos o mesmo delas. Assim, a humanidade se desenvolve sob a influência da sociedade. Particularmente perceptível é a influência da mídia que destrói uma pessoa.

Um fator externo não pode afetar uma pessoa diretamente, mas indiretamente, de maneira indireta; ele tem um efeito muito sério.2

Da 3ª parte da Lição Diária de Cabalá 02/01/20, Escritos de Baal HaSulam “A Liberdade”
1 Minuto 34:40
2 Minuto 38:12

O Que Eu Preciso Corrigir?

laitman_294.2Você deve estar feliz por ver suas deficiências no pano de fundo da dezena. Eu estou procurando como sou diferente da dezena, dos amigos, e o que preciso corrigir para me tornar igual a eles. Eu sempre descubro o que me falta para me tornar um amigo ou outro, e “a inveja dos sábios aumenta a sabedoria” porque há algo pelo que lutar e algo a pedir. Portanto, todos trabalhamos até que nossos pedidos se transformem em oração real. 1

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 19/10/12, “As Condições Para Se Elevar Acima Do Seu Círculo”

1 Minuto 1:10

A Chave Para O Sucesso: Arvut (Garantia Mútua)

laitman_282.01Ainda não podemos nos afastar de nosso desejo de desfrutar, não nos desesperamos e não clamamos por esse trabalho de escravidão ao Faraó. Precisamos ver que estamos do lado do egoísmo diante de um abismo, do outro lado está a liberdade do Faraó, de pensar em mim mesmo, da busca constante por meu próprio benefício. Quando percebermos que não somos capazes de pular esse abismo, vamos gritar. Precisamos combinar todos os nossos esforços para sentir esse desespero comum.

Quando sentirmos que o egoísmo comum nos mantém na escravidão, nos impede de sair, e quando quisermos pular o abismo e fugir do Faraó para nos tornarmos pessoas livres e não escravos do egoísmo, então gritaremos. Esse próprio clamor já é uma libertação.1

Todo o nosso grupo mundial Bnei Baruch pertence à parte da alma comum que agora está recebendo um despertar pela iluminação geral do mundo. Portanto, reunimos e organizamos um grupo que deseja revelar o Criador. O Criador reúne uma pessoa em um grupo, coloca a mão na boa sorte e a escolha é minha: escolher ou não, seguir o caminho da luz ou o caminho do sofrimento.

Todos NÓS temos um destino porque, por meio de nossas ações no grupo, despertamos uma centelha comum que deve ser revelada em nossa conexão mútua como o sentimento da força superior. Esse sentimento está se aproximando, porque a cada dia que passa, estamos cada vez mais cumprindo as condições necessárias para sentir o Criador juntos.

É realmente um milagre que acontece conosco, porque esse estado, esse trabalho, não existe há milhares de anos! Embora façamos pequenas correções, movendo-nos gradualmente com pequenos passos, essa é uma correção geral no próprio fundamento da criação, em oposição a uma correção específica de um indivíduo. Há momentos em que os indivíduos começam a sentir um pouco de despertar espiritual, mas isso não é uma correção. Nós vivemos na era do Messias e, de acordo com a demanda da época, devemos liderar uma correção geral e transmiti-la ao povo de Israel e a toda a humanidade.

Este é um caminho muito mais difícil e gradual em comparação com o trabalho individual das gerações passadas de Cabalistas, mas leva a uma correção genuína da criação, de Adam HaRishon. À medida que avançarmos, veremos como realizaremos o objetivo da criação.2

A garantia mútua (Arvut) é a chave do sucesso; nada mais é necessário. Essa é a única coisa que falta no sistema de Adam HaRishon para conectá-lo novamente após a quebra. Todas as partes da alma já estão lá, como peças de motor que precisam apenas ser montadas. A ordem correta de conexão e comunicação entre nós é chamada de garantia mútua. Só precisamos aproximar todos os detalhes e introduzi-los no trabalho comum. Não tem nada a ver com o material em si; basta estabelecer conexões dentro dele.

Tudo é resolvido em pensamento. O Criador nos permite repetidamente sentir nossa separação cada vez mais, e novamente tentamos nos unir e alcançar a unidade. Então, avançamos gradualmente até recebermos a medida completa.3

Da 2a parte da Lição Diária de Cabalá 10/12/19, Escritos de Baal HaSulam, “O Arvut (Guarantia Mútua)”

1 Minuto 8:20
2 Minuto 19:30
3 Minuto 23:10

Arvut (Garantia Mútua) – A Lei Espiritual

laitman_263Garantia mútua (Arvut) é a lei geral da criação, bem como a lei particular de qualquer ser humano. Se verificarmos constantemente o cumprimento desta lei, não nos enganaremos e avançaremos para o objetivo da criação da maneira mais curta possível. Se eu parar de verificar a garantia mútua, vou imediatamente tropeçar, cair ou perder a direção e terei que voltar à conexão da garantia mútua novamente para ter certeza de que estou seguindo na direção certa. Na medida em que sinto falta da garantia mútua em mim mesmo e faço um esforço para alcançá-la, orar e me incluir no grupo, eu avanço e me elevo do caminho do sofrimento para o caminho da luz.

A lei da garantia mútua e minha atitude em relação à unificação determinam todo o meu avanço e até que ponto meu caminho será reto e direto, sem cair e cair. Uma queda se torna tão rápida quanto o beliscão do diabo, apenas um segundo é suficiente para acordar e dar um passo à frente. Eu caio e acordo, caio e acordo, com grande velocidade, milhares de vezes por dia.

Portanto, é preciso sentir como a lei da garantia mútua opera dentro de toda a criação agora. Ainda existimos no sistema corrigido agora, mas simplesmente não podemos vê-lo porque julgamos por nossas falhas; portanto, vemos o sistema como corrompido. Cada vez, precisamos ver o sistema cada vez mais corrigido, cada vez mais incluídos na garantia mútua, e esse é todo o nosso trabalho.

O teste é o quanto eu me humilho na frente da sociedade. Se o grupo aceitou alguma condição para seu avanço, eu posso concordar ou não; mas até que eu compartilhe a opinião do grupo, não cumprirei a lei da garantia mútua e, portanto, não serei direcionado à espiritualidade, ao propósito da criação, ao objetivo da vida, ao Criador que está no centro do grupo. Portanto, devo verificar constantemente até que ponto concordo com o grupo, com o professor, com o que os Cabalistas escrevem e, dessa maneira, me direcionar para a correção com mais precisão. Em essência, esta é a correção.

Garantia mútua é a lei de ferro do sistema espiritual. É realizada em nós a cada momento, sempre nos fazendo voltar à doação, à fé acima da razão, na direção da meta, forçando-nos a nos incluir no grupo e nos rebaixar perante a dezena. Tudo isso está incluído na lei da garantia mútua. Garantia mútua é o nome comum para o total de condições que devemos cumprir para nos tornarmos um homem (Adam) no sistema de Adam HaRishon.1

Doar a uma pessoa é mais importante do que doar diretamente ao Criador. O amor pelo seu próximo como a si mesmo precede o amor pelo Criador. O amor pelo Criador surge na medida em que percebemos o amor pelo próximo, vem da luz superior que preenche os Kelim corrigidos. Acontece que todo o nosso trabalho é preencher os seres criados.2

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 16/12/19, Escritos do Baal HaSulam, “The Arvut (Garantia Mútua)”

1 Minuto 0:55
2 Minuto 42:17

Viva Em Dois Andares Ao Mesmo Tempo

laitman_962.8A força da conexão na dezena é medida pelo tipo de distúrbios que somos capazes de conectar. O egoísmo, que nos separa e desperta o ódio um pelo outro, é revelado e começamos a nos unir acima dele. Mas a rejeição mútua permanece dentro e trabalhamos precisamente com esses dois estados.

Verifique na sua dezena se vocês passam por estados nos quais não desejam se conectar, mas fazem esforços para se unir sem eliminar contradições e discórdias entre si. Lá dentro, no andar inferior, vocês estão prontos para se matar. E acima disso, você conquista o amor de seus amigos. Se você é capaz de construir um relacionamento assim, isso é chamado de “dezena” e, se não puder, ainda não é uma dezena. É uma condição simples, apenas dois andares: todas as transgressões serão cobertas pelo amor.

Todos os amigos da dezena devem sentir como o egoísmo queima dentro de cada um deles, resistindo à unificação, e como acima disso eles entendem que, apesar de tudo, precisam se unir. Ambos os andares devem permanecer em nós, para que entre eles revelemos a presença do Criador dentro de nós. Do andar inferior vem a força do desejo (Aviut), e do andar superior vem a força da intenção (Zakut), da qual construímos um vaso espiritual (Kli) para revelar o Criador. E se não sentimos rejeição um pelo outro, é sinal de que não estamos tentando nos unir. Esta é a lei. 1

Devemos aprender a viver em dois andares ao mesmo tempo, entre o ódio e o amor, que se apoiam. O ódio é o calor, o fogo que acende o amor, que incendeia cada vez mais. Um não pode existir sem o outro, mais não pode existir sem menos; só precisamos entender como combinar esses opostos em nossa sensação. E isso não é fácil porque nossa resposta instintiva e natural é livrar-nos do ódio. 2

Deixamos todas as nossas brigas e desentendimentos como estão, nem queremos nos olhar; mas, além disso, começamos a nos unir exatamente da forma oposta. Amo o que odiava, me conecto com o que rejeitei e não tiro os olhos de quem não queria olhar. Eu supero isso construindo um andar acima do outro. Somente nesta forma é construído um vaso espiritual.

Ao fomentar brigas entre nós, o Criador nos dá a oportunidade de construir um Kli sempre crescente. Portanto, devemos nos alegrar com o surgimento repentino de um conflito entre nós e sermos criativos sobre o que o Criador faz conosco. É maravilhoso que Ele desperte inimizade entre nós. Ele existe há muito tempo; nada de novo está surgindo. Todo esse ódio vem da quebra, de um poço repleto de cobras, mas ele se abre gradualmente para que, em cima dele, possamos construir outra e ainda outra camada de conexão.

Portanto, devemos nos alegrar com o mal, como fazemos com o bem, porque o bem por si só não pode construir um Kli poderoso. Vamos amadurecer e começar a nos construir corretamente.

Precisamos manter um equilíbrio constante: se cobrimos o ódio com amor, precisamos verificar onde o ódio desapareceu, por que não aparece mais. Onde está essa cobra, por que ela não levanta a cabeça? Aparentemente, não damos incentivos e não há motivos para subir. Você precisa ganhar experiência com o bem e o mal. É como em uma família em que o casal nunca briga, eles não podem despertar amor. Portanto, eles se provocam propositalmente para aumentar a sensibilidade em seu relacionamento. 3

Devemos tentar sentir como o Criador toca conosco como Ele toca um violino: para ser sensível, pronto e atrair o Criador. O mundo inteiro é o apelo do Criador à criação em todas as formas possíveis, através de sons, imagens, cores, tudo isso é a linguagem do Criador. Se uma pessoa é capaz de perceber essa linguagem, sentir, entender e responder a ela, ela se conecta à criação e ao Criador dentro de si.

É necessário afastar-se do alimentador, pois é inapropriado que uma pessoa coma da mesma calha com um burro. Isso significa que eu me relaciono com a realidade não de forma puramente pragmática, primitiva, como um animal, mas vejo nela a melodia do Criador. 4

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 19/12/19, Escritos de Baal HaSulam, “Introdução ao Livro Panim Meirot uMasbirot

1 Minuto 1:05:35
2 Minuto 1:13:00
3 Minuto 1:19:00
4 Minuto 1:32:45