Textos na Categoria 'Estudo Cabalístico'

Uma Aventura Incrível: Alcançar O Propósito Da Criação

760.2Pergunta: Por que o Criador perfeito criou lugar para densos contos de tolos em Seu projeto? Se não estivesse no projeto, também não existiria em nosso mundo.

Resposta: Inicialmente, o Criador criou a luz, que contém tudo formado por Ele e está sob ela.

Cada nível superior inclui todos os níveis inferiores, então a luz superior inclui todo o plano de criação, seu objetivo, o método de sua implementação e seu estado final.

Tudo na criação existe sob essa luz na forma de um registro original muito preciso. Assim como no genoma humano, há tudo o que pode ser dito sobre o passado, o presente e o futuro do homem. Se pegássemos todos os genomas de todas as pessoas e os conectássemos corretamente, saberíamos tudo sobre a humanidade.

É o mesmo com relação à luz superior; ela contém tudo.

Pergunta: Então, é o cenário final que contém todos os registros?

Resposta: Sim. Agora tudo nos é revelado como se estivéssemos em um determinado estágio do caminho (para nos dar a ilusão de livre arbítrio), e supostamente temos que alcançar esse objetivo por nós mesmos.

Mas quando você segue em frente, seu próprio caminho se abre para você porque você recebe “obstáculos”, que você aparentemente supera e, assim, adquire um novo sentimento e começa a compreender o Criador, a justificá-Lo, identificar-se com Ele, e isso já vale alguma coisa.

Ao percorrermos este caminho, tomamos consciência de quem nos criou, do que Ele fez por nós e sentimos imensa gratidão.

Mas tudo está predeterminado, é claro. Tudo existe inicialmente em sua forma definitiva. Mas, ao descobrir isso, percebemos tudo como uma grande aventura.

Mesmo quando voltamos a assistir a algum filme e já sabemos o final e o que leva a ele, ainda assim gostamos. Além disso, na segunda vez que o assistimos, gostamos ainda mais do que na primeira vez.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 10/02/19

Pesquisa Cabalística

632.3Pergunta: Em que pesquisa a Cabalá se baseia quando fala da relação entre um homem e uma mulher?

Resposta: Eu acredito que nenhuma ciência, exceto a Cabalá, tem a base para falar sobre um homem, uma mulher, seu relacionamento, sua natureza, de onde vêm, por que foram criados desta forma e existem neste relacionamento.

Tudo isso vem do fato de que a Cabalá se abre para nós no mundo superior, em nossas raízes. Com base nelas, já podemos falar sobre algo.

Por que a Torá diz: no início, um homem foi criado e então ele foi dividido em dois? Por que existem dois gêneros e nenhuma criatura que se reproduz ou não se reproduz? Tudo isso é revelado pela ciência da Cabalá.

Ela explora nossas raízes espirituais, ou seja, as forças a partir das quais os mundos espirituais se desenvolveram gradualmente. No processo de seu desenvolvimento, essas forças desceram, e uma pequena centelha, a energia do mundo espiritual, irrompeu no volume do universo então vazio e começou a criar matéria nele: estrelas, galáxias, nebulosas, planetas, até que, no final, criou a Terra. Então a vida começou a se desenvolver em nosso planeta.

Esses processos são estudados na Cabalá. E se estamos falando do fim da criação, que vai de cima para baixo, então um homem, uma mulher, seu desenvolvimento histórico, sua relação um com o outro, e a que eles chegaram hoje, tudo isso vem das mesmas raízes espirituais. Portanto, ao fazer uma pergunta sobre o relacionamento entre um homem e uma mulher no nível terreno, não podemos entender a resposta.

Embora eu tenha grande respeito por psicólogos, sociólogos, sexólogos e outros cientistas, posso dizer que eles têm apenas um pequeno conhecimento fragmentário de observações em nosso mundo, que estão constantemente mudando e se contradizendo. E a Cabalá responde a isso de uma única raiz.

Mas o problema é que a Cabalá estava escondida até agora porque o mundo ainda não tinha condições adequadas para as pessoas começarem a praticá-la. Eles não precisavam dela.

Portanto, por muito tempo, a Cabalá não se desenvolveu apegada ao nosso mundo. Só agora está começando a se envolver nisso.

De KabTV, “Close-up”, 11/08/09

O Desejo De Dar

549.01Pergunta: Existe uma expressão “o desejo de dar”. Qual é sua raiz, seu atributo e seu desenvolvimento?

Resposta: O desejo, quando eu quero dar, é o desejo de doar. Não há nada além do desejo de doar (o Criador) e o desejo de receber (o ser criado).

O fato de vermos itens e objetos concretos ao nosso redor é uma ilusão, e tudo isso na verdade não existe. Inicialmente, havia apenas um desejo, o Criador, o desejo de doar, que mais tarde criou o desejo de receber. Esses dois desejos existem um em oposição ao outro.

Para dar independência ao desejo de receber, ele foi criado e desenvolvido com a intenção para si mesmo. Na medida em que sente o desejo por si mesmo, ou seja, o ego, ele está separado do Criador.

Conforme o indivíduo se afasta do Criador, o desejo de receber ao mesmo tempo sente que está separado de algo e se pergunta: “Por que existo? O que está acontecendo comigo? Quem me gerencia?”

Todas essas perguntas permanecem vazias, sem resposta, e ele começa a procurar: “Quem me criou, para quê e por quê? Gradualmente, ele começa a agir, a fazer progresso na busca por sua fonte e, finalmente, encontra o desejo de doar.

Quando o indivíduo começa a entender que existe outro desejo ao seu redor, o desejo de doar, mas ele existe dentro de si mesmo e não sente que está no desejo de doar, todos os tipos de conflitos e decisões ocorrem nele. Então, podemos falar sobre um ser criado que deseja sair de si mesmo e entrar em contato com o Criador.

Pergunta: O desejo de dar o desejo inicial e original é dado a um indivíduo que entra em um grupo?

Resposta: Quando o Criador empurra o indivíduo em direção a Ele e deseja trazê-lo para mais perto Dele, Ele lhe dá esses desejos. Ele meio que atrai o indivíduo, Ele flerta com ele.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 19/04/19

Conectando-Se Com Nossos Corações

963.8Pergunta: Quando estudamos O Prefácio à Sabedoria da Cabalá (Pticha), devemos ficar impressionados com o material ou, melhor, trabalhar com ele de maneira árida?

Resposta: Você deve ficar impressionado com ele e tentar transformá-lo em sensações. Senti-lo!

Estamos falando sobre nos conectarmos uns com os outros e nos conectarmos com o Criador. E como podemos nos conectar? Em quê?

A única maneira de nos conectarmos é com nossos corações, e coração significa sensações. A cabeça, a mente, são necessárias apenas para saber a melhor forma de alcançar a unidade. Nós os usamos como ferramentas para alcançar a conexão.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 04/04/19

Ouça, Leia E Veja

531.03Pergunta: No livro Shamati do Baal HaSulam (“Eu Ouvi”) está escrito que uma pessoa que está, por assim dizer, na sensação do inferno, entende que a única coisa que pode tirá-la é a força superior, da qual tudo emana. Mas para isso ela deve sentir essa força superior porque só então pode realmente pedir?

Resposta: Claro. Até que uma pessoa sinta isso, tudo é inútil.

Portanto, a Cabalá não exige nenhuma condição preliminar de nossa parte. Apenas ouça, leia e veja tudo o que essa ciência está falando. Ela revela a força que muda você da mesma forma que uma criança muda em nosso mundo ao adquirir novas propriedades à medida que cresce e se torna diferente a cada dia.

Um adulto não se torna diferente. Ele se enche de todo tipo de novas impressões e deleites. Mas uma criança está mudando, ganhando cada vez mais.

Essa é a forma como a Cabalá, ao agir sobre nós como adultos, eleva uma nova pessoa em nós. Portanto, nós adquirimos novas propriedades, uma nova mente e nos sentimos novos a cada dia. Essa é uma propriedade especial pela qual nos tornamos “Adam” – iguais, semelhantes ao Criador.

Isso certamente vai acontecer. Basta abrir o livro e estudar sistematicamente. Há todas as possibilidades para isso na Internet. Eu convido a todos. E as pessoas verão que mudanças ocorrerão nelas literalmente de um dia para o outro ou, pelo menos, de uma semana para outra.

A Cabalá nos convida a nos tornarmos tão ingênuos quanto crianças a fim de nos aproximarmos da percepção da nova realidade que deve ser revelada a nós. E se nos comportarmos assim, realmente nos tornaremos adultos.

De KabTV, “O Poder do Livro do Zohar” # 9

Não Há Nada No Mundo Que Não Possa Ser Alcançado

251Pergunta: Na ciência moderna, existe uma teoria e uma confirmação experimental de que o nosso mundo é totalmente predeterminado. No entanto, a ciência contém parâmetros ocultos que hoje são inatingíveis. É possível combinar essas duas afirmações: nosso mundo sendo totalmente predeterminado e a inatingibilidade dos parâmetros nos quais ele se baseia?

Resposta: Eu acredito que não existe tal conceito de inatingibilidade. Tudo depende do grau de desenvolvimento de nossos desejos, intenções e qualidades internas.

Em geral, tudo é alcançável. Não há nada que uma pessoa em nosso mundo não possa alcançar. Para fazer isso, você não precisa se mover, morrer ou se transformar em alguns outros estados ou mundos. Tudo isso pode ser alcançado neste mundo, em nossa vida.

Depende de como uma pessoa se desenvolve, talvez não em uma única vida, porque existem ciclos de vidas. Mas, no final das contas, qualquer pessoa em nosso mundo vai conseguir tudo na medida em que trabalhar em si mesma e se desenvolver.

De KabTV, “Curso Integral”, 19/03/21

O Mundo Precisa Que Aceleremos

219.01Pergunta: Como o Rabash o ensinou a sentir o material da estrutura dos mundos superiores enquanto lia O Prefácio à Sabedoria da Cabalá  (Pticha) ou O Estudo das Dez Sefirot?

Resposta: Ele não fez isso. Ele simplesmente me ensinou pacientemente até que comecei a sentir algo, não de outra maneira! Ele não me empurrou para frente.

Eu estou pressionando você. E tenho uma razão para isso: o mundo está se desenvolvendo assustadoramente rápido e nos obriga a nos conformar com as formas erradas e distorcidas que assume. Se não fosse por isso, eu não sentiria essa urgência.

Você tem razão, estamos acelerando um pouco nosso estudo e você não entende o que é exigido de você. Mas você vai superar. Se o mundo está como está hoje, isso significa que você pode.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 04/04/19

Sintonizar-se Com O Meu Próximo

600.02Pergunta: Que instrumentos a ciência Cabalística oferece para estudar o fenômeno da consciência e da mente?

Resposta: Sair de si mesmo é o que precisamos para sentir o campo de informações que nos cerca. E só é possível sentir isso além de você.

Sair de si mesmo é um esforço para se conectar com tensões internas semelhantes de acordo com leis e regras específicas, ou seja, é preciso, por assim dizer, entrar nelas, colocar-se abaixo delas. Tudo se constrói para “entrar” no outro, fundir-se com ele, e com todas as suas forças, físicas e espirituais, ajudá-lo em tudo, excluindo o seu “eu”.

Se eu me anular e tiver um objeto do qual estou tentando me tornar parte, e me fundir com ele, entrar nele e me dissolver nele, eu posso me elevar acima de mim mesmo. Essa é a prática.

No início, isso é puramente emocional. Depois, além das emoções, bom senso, raciocínio e conclusões são adicionados aqui, surge um método de sair e entrar no outro, surge uma sensação de “eu” e “fora de mim”. E fora de mim está um campo.

Em quem estou entrando então? E quem é esse outro, meu amigo? É alguma substância que imagino fora de mim na qual estou tentando me dissolver completamente. O que acontece neste caso com minha consciência, minhas sensações, minhas capacidades? É aqui que começa a transformação de uma pessoa em “mais um”.

Pergunta: Isso acontece de acordo com a lei da ressonância? Todos os dispositivos para estudar campos comuns usados ​​na física são dispositivos que usam o princípio da ressonância.

Resposta: Aqui é o mesmo! Eu tento me subjugar e ressoar com o outro.

Pergunta: Essa é uma lei universal geral de pesquisa?

Resposta: E não existem novas leis. É que eu tento fundir todas as minhas sensações sensoriais, definições e capacidades com outras de acordo com as mesmas leis físicas, e nada mais. Eu sintonizo como se estivesse pegando um instrumento musical e afinando-o para uma determinada referência.

De KabTV, “Encontros com a Cabalá”, 03/01/19

Texto Impresso, Áudio Ou Vídeo?

962.8Pergunta: Existe alguma diferença na forma de ler um livro ou outro? Por exemplo, O Estudo das Dez Sefirot ou O Livro do Zohar.

Resposta: Como em qualquer ciência, existem certas regras e abordagens aqui. Ao longo dos 30 anos de funcionamento da nossa organização, muito temos feito em relação a este assunto.

Publiquei meu primeiro livro em 1983 e o escrevi dois anos antes. Hoje existem outras mídias além do texto impresso, mas ainda é a principal.

Portanto, você pode ouvir todas as minhas palestras e aulas – e há milhares delas – em formato de áudio ou assisti-las em formato de vídeo, ou seja, sentindo plenamente que está presente na aula, na sala de aula e ver como tudo acontece. Temos feito essas gravações nos últimos vinte anos.

Fui uma das primeiras pessoas no país a ter meu próprio site: kabbalah.info.

Pergunta: Isso diz respeito às aulas. E os livros? Há diferença entre recebê-los por outros meios ou ler um texto impresso?

Resposta: Basicamente, não lemos meus livros. Eu ensino apenas de fontes primárias, das obras de Baal HaSulam e Rabash. E os livros escritos em torno de fontes primárias são para todos os outros.

As fontes primárias que estudamos são destinadas a pessoas que começam a estudar Cabalá. Elas as introduzem profundamente nesta ciência.

Uma pessoa que começa a ler esses livros vê que a Cabalá a convida a se familiarizar com o mundo em que existimos, mas não sentimos.

Ele existe fora de nós, nos influencia e nós o influenciamos. Nós meio que respiramos com ele, trabalhamos em uníssono. Tudo o que faço é dado de cima. Mesmo os movimentos que estou fazendo com as mãos agora, bem como meus pensamentos, são controlados de cima.

Tendo adicionalmente construído uma certa atitude em relação ao mundo superior, eu também posso influenciá-lo, ou seja, entrar em uma conexão correta com ele, sentir o que o sistema superior quer de mim e como posso mudar meu destino.

Pergunta: Digamos que uma pessoa leia uma fonte primária ou a ouça em formato de áudio. Existem inserções musicais, pausas, etc. Qual formato a influenciará mais?

Resposta: Depende da pessoa. Se ela estudar da maneira certa, não importa o formato que use. Tudo isso a levará a um conceito comum. É o mesmo que quando olhamos para uma pintura; suas cores e composição, todas juntas, nos afetam. Podemos nem estar cientes de como.

De KabTV, “Perguntas sobre Livros Cabalísticos”, 22/10/19

Traduzindo Palavras Para Sentimentos

284.05Pergunta: Quando uma pessoa estuda música, ela primeiro aprende a ler notas musicais e somente após exercícios prolongados no instrumento musical ela adquire a habilidade de tocar, e lendo as notas já sente a melodia. Acho que um processo semelhante acontece quando se estuda a sabedoria da Cabalá.

Quando estudamos o Prefácio à Sabedoria da Cabalá (Pticha), nos envolvemos na intenção e nas “notas musicais” que deveriam permanecer em nosso pensamento, mas por algum motivo elas evaporam. Há muitos anos estudamos e ainda não conseguimos nos lembrar da dinâmica dos objetos espirituais.

É necessário primeiro adquirir o conhecimento básico do Prefácio à Sabedoria da Cabalá, ou seja, conhecer sua dinâmica, a interação entre os objetos espirituais e seus estados de mudança, antes de começarmos a traduzi-lo em sentimentos?

Resposta: Não, não há necessidade disso.

Tente imaginar o que o Tzimtzum significa, então a luz deixa você, o sentimento de vergonha e a decisão de receber a luz apenas em prol do Criador. Este é o início das “notas musicais” sem as quais é impossível aprender a tocar, o que significa receber a luz, rejeitá-la, recebê-la com novas vestimentas, etc.

Já estamos prestes a entrar na espiritualidade e precisamos começar a senti-la e começar a brincar. Teoricamente, já jogamos isso muitas vezes, mas não combinamos nossos sentimentos com as palavras e não demos sentimentos às palavras e, portanto, não entramos no mundo superior e não tocamos nossa alma. Agora devemos fazer isso.

Precisamos tentar evocar isso em nós de alguma forma, e você começará a sentir até que ponto faz parte desse processo ou não. Se preocupe com isso, trabalhe nisso mais ativamente. Alguns de vocês podem deixar isso porque não sentirão necessidade disso. Alguns de vocês podem não perceber isso emocionalmente e continuarão a estudar apenas mecanicamente por mais alguns anos e só então se juntarão ao grupo em seu movimento sensorial.

Portanto, não devemos banir ninguém, nem forçar ninguém, nem repreender ninguém. Mas vou avançar no estudo porque me concentro na parte avançada do grupo mundial. Eu acredito que existem pessoas em todos os grupos ao redor do mundo que já estão em um estado em que podem começar a pensar sensorialmente; elas não leem simplesmente palavras sobre ações e objetos em nosso mundo, mas na verdade estão em sensações espirituais superiores.

Pergunta: Quando passamos por um estado de vazio ou sentimos um estado de descida, como podemos manter o equilíbrio entre a subida e a descida, entre o vazio e o preenchimento?

Resposta: Você só pode fazer isso no grupo, porque quando você está no grupo em tal estado, tudo está equilibrado e se complementa entre vocês. Você pode passar por diferentes estados, mas eles nunca o prejudicarão, não o desviarão do caminho e não o deterão. Parte das “notas” será adicionada a outras e haverá harmonia.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá” 04/04/19