Textos na Categoria 'Estudo Cabalístico'

Cabalá E Psicologia: A Relação Professor-Aluno

Laitman_524.01Observação: Na Cabalá, a relação entre professor e aluno é muito importante. Pelo que entendi, não é assim na psicologia.

Meu Comentário: Eu acho que mesmo lá a pessoa se apega ao seu psicólogo. Mas na Cabalá, a conexão de um aluno com seu professor é simplesmente essencial. É necessário que o aluno ouça o professor e tente implementar seus conselhos, mesmo que isso não pareça real.

Um professor na Cabalá é uma espécie de problema para o aluno: ele precisa aceitar o professor e segui-lo de maneira contrária ao senso comum.

Na psicologia, é mais claro. Tanto o psicólogo quanto o paciente estão no mesmo nível egoísta, enquanto na Cabalá, eles estão em dois níveis: o professor está no nível espiritual e o aluno está no material. Portanto, surge um problema.

Pergunta: É verdade que todos os conselhos dados por um professor-instrutor na Cabalá são incompreensíveis para um aluno?

Resposta: Seu significado interno certamente não é claro porque o aluno ainda não está no mesmo nível do professor. A psicologia, em princípio, é possível estudar sozinho e entender o que vem de onde, o que os grandes psicólogos dizem sobre isso, etc.

Isto é, a psicologia está dentro da estrutura de pensamentos e desejos racionais, e a Cabalá, que está fora desses limites, está no que é chamado de fé acima da razão.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 13/12/18

A Fé No Mundo Futuro Facilita A Vida?

laitman_604.02Pergunta: Se todos dissessem que a alma é a coisa mais importante e o corpo não é nada, as pessoas provavelmente teriam uma atitude diferente em relação à morte?

Resposta: Não há dúvida.

Pergunta: Por que não fazem isso?

Resposta: Primeiro, porque ninguém na população em geral sente isso, e segundo, é anti-egoísta. Afinal, se isso é direcionado contra o egoísmo, quem quer trabalhar contra ele?

Aqui é necessário pensar, fazer esforços, agir de alguma maneira, organizar alguma coisa. O que vou receber disso? Nada neste mundo: nem comida, nem sexo, nem família, nem fama, nem conhecimento.

Pergunta: Provavelmente é mais fácil para uma pessoa viver com o que se pensa nas religiões sobre a existência de um mundo futuro. Mas quanto a esperança de que algo em algum lugar melhore psicologicamente a vida de uma pessoa?

Resposta: Hoje, para melhorar a vida de uma pessoa psicologicamente, é desnecessário ser religioso.

Vemos religiões gradualmente desaparecendo. Recentemente, muitas pessoas não religiosas apareceram que desprezam diferentes crenças, porque as religiões não respondem especificamente a nossas perguntas.

Se uma pessoa precisa transformar um pouco essa vida, ela tem Hollywood, a Internet ou qualquer outra coisa. Isso basta para ela. Ela criará qualquer mundo ilusório para si mesma.

O que há depois da morte? Ninguém sabe. Portanto, uma pessoa não acredita mais nisso. Seu ego superou essas histórias e não pode mais acreditar, muito menos sacrificar seu tempo e intelecto.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá” 12/11/18

Singularidade Do Criador, Parte 7

712.03O Método De Realização, Não Distorcido Pelo Egoísmo

Pergunta: Todas as teorias da gestão da natureza são muito diversas e uma combinação de opostos. É na combinação de opostos, precisamente entre eles, que a sensação do nosso mundo, ou do Criador, é revelada?

Resposta: Não, eu não penso assim, porque todas essas teorias são egoístas. O homem inventou o monoteísmo, o politeísmo, etc., baseados em seu egoísmo sem corrigi-lo.

A única teoria que tem o direito de existir é quando uma pessoa sai de si mesma, elevando-se acima de si mesma, começando a sentir os outros em vez de si mesma, sentindo o que acontece dentro dos outros, fora de si mesma. Então, ela obtém uma impressão verdadeiramente objetiva de quem é, onde está e o que está ao seu redor. Essa “teoria” é chamada de “o método da Cabalá”, que nos permite obter uma impressão correta do universo, sem distorções do nosso egoísmo.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 10/12/18

Quando Você Não Entende O Que Lê…

laitman_209Pergunta do Facebook: Como você pode atrair a luz superior se não entende o que leu? Quem precisa do Livro do Zohar, que, em suas palavras, não é dado para compreensão?

Resposta: Os livros Cabalísticos foram dados para que, lendo e mesmo sem entender nada neles, nos esforçássemos pelo bem – eternidade, amor, doação, luz superior – e pedíssemos que Ele nos fizesse assim.

É realmente bom que você não entenda nada. Seu cérebro então fica desocupado com o que está escrito no livro, mas com a solicitação de se tornar bom, eterno, superior, doando e amando a todos. Quando você se tornar assim, começará a entender tudo o mais.

De KabTV, “Respostas Às Perguntas do Facebook”, 10/03/19

Singularidade Do Criador – Parte 9

laitman_563Qual É A Influência Da Luz Superior?

Pergunta: No artigo “Introdução ao Estudo das Dez Sefirot”, item 155, Baal HaSulam descreve como a luz superior funciona. Ele diz que os Cabalistas obrigaram cada pessoa a estudar a sabedoria da Cabalá apenas para atrair sobre nós esta luz que nos muda.

Qual é a influência da luz? Como posso sentir essa transformação em mim mesmo e em quem posso me transformar?

Resposta: Você pode sentir a influência da luz sobre si mesmo, em suas mudanças pessoais e qualidades pessoais, como desejos, intenções, qualidades, no propósito de desenvolvimento mais claramente descrito.

Pergunta: Estou me tornando mais moral?

Resposta: Talvez não. No entanto, você entende cada vez mais o que está acontecendo. Talvez você ainda não esteja mudando, mas se estiver estudando a sabedoria da Cabalá, a luz superior já o afetará e o preparará para a mudança.

Pergunta: Isso significa que a luz superior ainda não é o Criador? Existe o Criador e a luz superior, certo?

Resposta: Não, existe apenas uma força, mas a chamamos com nomes diferentes de acordo com a maneira como ela se manifesta. Chamamos a intenção superior de “o Criador” e chamamos Sua influência sobre nós de “a luz”.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 10/12/18

Para Todo Tipo De Alma

laitman_527.07Pergunta: Ouvi dizer que uma página de um texto escrito por um Cabalista é suficiente para entrar na espiritualidade. Por que tantos livros foram escritos, milhares de páginas?

Resposta: Primeiro, toda pessoa tem seu próprio destino, seu próprio tipo de alma, seu próprio progresso. Alguém gosta de algo específico; outra pessoa gosta de outra coisa.

Estamos nos movendo para o Criador de maneiras diferentes e em velocidades diferentes. Alguém anda à esquerda, alguém à direita, alguém fica meio, etc.

Não vejo nenhuma carta ou artigo do Baal HaSulam ou Rabash em que haja repetições e que não haja necessidade de retirar algo de cada uma delas.

Mas isso não importa. Afinal, quando os estudamos, chegamos ao estado de que tudo isso é processado em nós, moído e traz um resultado.

Pergunta: Se o livro Shamati evoca uma tempestade de sentimentos em mim, essa evidência é adequada ao meu tipo de alma e ao meu destino?

Resposta: Claro.

Pergunta: É assim que você pode conferir um livro?

Resposta: Não. Mesmo assim, os livros de Baal HaSulam e Rabash são o que você tem. Eu recomendo que você não se espalhe nos outros.

Da Lição de Cabalá em Russo 10/03/19

Aprenda As Ações Que Devemos Executar

Dr. Michael Laitman“O Prefácio à Sabedoria da Cabalá” começa com estas palavras: “O Criador desejava purificar Israel; portanto, Ele lhes deu abundante Torá e Mitzvot (mandamentos) …” O Criador tem um objetivo e trabalha para isso. O objetivo deve ser alcançado através do processo pelo qual as criaturas passam. O Criador colocou esse objetivo diante de nós e deseja que o alcancemos não por algum milagre, mas através de nosso próprio esforço e graduais mudanças internas.

Esse objetivo é primário, precede nossa criação; para alcançá-lo, precisamos seguir a Torá e Mitzvot, ou seja, mudar nosso desejo com a ajuda da luz que reforma. Esse objetivo existia antes da criação do homem neste mundo, assim como a escada dos graus espirituais que um homem deve subir para alcançá-lo. O Criador pensou em tudo com antecedência e o organizou para nós; tudo está pronto.

Devemos nos purificar do nosso egoísmo e, assim, alcançar o objetivo. Mas não o negamos porque nada foi criado neste mundo desnecessariamente. Assim, se tivermos a atitude correta em relação à nossa natureza, criada pelo Criador, e nos esforçarmos pelo estado que Ele tem reservado para nós, nos encontraremos em um determinado caminho que devemos percorrer.

É impossível pular esse caminho porque adquirimos as qualidades que precisamos enquanto nos purificamos. Devemos purificar nosso desejo egoísta e, através deste trabalho, chegar ao objetivo pretendido. Tal é o desejo do Criador.

É assim que Baal HaSulam inicia seu artigo “Prefácio à Sabedoria da Cabalá”, tentando nos explicar, da maneira mais breve possível, o começo, o meio e o fim do caminho da obra espiritual do homem e o estudo do sistema dos mundos superiores. Neste artigo, a pessoa precisa entender que as leis espirituais superiores, expandidas a partir do pensamento da criação, consistem em apenas duas partes: a natureza do Criador e a natureza da criação, que devem ser opostas ao Criador. O objetivo final é trazer a criação à plena adesão com o Criador sem alterar sua natureza, mas dando-lhe uma forma diferente, que se assemelha às qualidades do Criador.

Ao estudar o artigo “Prefácio à Sabedoria da Cabalá” (Pticha), o sistema dos mundos superiores e seu desenvolvimento de cima para baixo como resultado do qual toda a nossa realidade foi construída, percebemos que tudo isso surgiu do pensamento da criação, com o objetivo de nos levar ao objetivo final. Esse desenvolvimento dos mundos de cima para baixo, os graus e estados espirituais, obriga-nos a realizar certas ações aqui abaixo, a fim de usar todos os meios à nossa disposição e alcançar o objetivo de nossas vidas. Nosso trabalho interno deve refletir as qualidades espirituais descritas neste artigo.

Nós aprendemos sobre a luz que age no desejo, construindo e disseminando de cima para baixo, Partzufim, Sefirot, mundos superiores. Mas, de fato, estamos aprendendo sobre as ações que devemos realizar para ter uma compreensão clara de como deve ser nosso trabalho espiritual. Assim, eliminamos todos os equívocos anteriores e vemos claramente o que deve ser feito para atingir o objetivo.1

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá, 14/08/19, Escritos do Baal HaSulam, “Prefácio à Sabedoria da Cabalá”, Item 11

1 Minuto 05:05

Palestras Introdutórias Na Índia

Dr. Michael Laitman

Da Minha Página No Facebook Michael Laitman 25/08/19

Pushkar é uma cidade comercial pitoresca, um oásis mágico localizado no estado de Rajasthan, na Índia. Enquanto eu estava hospedado no lado sul do subcontinente, alguns dos meus alunos convidaram as pessoas da área para uma palestra introdutória sobre os fundamentos da Cabalá.

Como resultado, duas palestras introdutórias foram realizadas – uma em hebraico para mochileiros israelenses e outra em inglês para turistas de todo o mundo. Ambas as palestras foram realizadas na calma atmosfera característica da Índia. Assim, os turistas se sentaram em um círculo ao lado de curiosos locais, enquanto todos ouviam a mensagem simples da sabedoria da Cabalá – unindo os corações como um só.

Naturalmente, todos entendiam de forma diferente. No entanto, todos concordaram que todos nós éramos uma só alma. Obrigado a todos que participaram e você pode continuar estudando on-line com o clique de um botão.

Evolução Dos Desejos, Parte 12

laitman_546.02Para Onde A Cabalá Nos Leva?

Falando francamente, a natureza de cada um é usar a vida de todas as criaturas do mundo para seu próprio benefício. Tudo o que a pessoa dá ao próximo só é feito de forma forçada, sob compulsão. (Baal HaSulam, “Paz no Mundo”)

Pergunta: Baal HaSulam escreve que cada um usa o outro de maneiras diferentes. Apenas cerca de 10% das pessoas têm uma orientação altruísta. Mas ainda assim, como o Baal HaSulam enfatiza, elas são altruístas egoisticamente, em prol de si mesmas.

Resposta: Em primeiro lugar, a Cabalá nos ensina o que é a nossa natureza: somos egoístas absolutos em todos os níveis. Mas não precisamos nos corrigir nos níveis inanimado, animado e vegetativo, porque somos incapazes de fazer isso.

Precisamos nos corrigir apenas no nível humano, isto é, na sociedade. Precisamos criar uma sociedade na qual estaremos harmoniosamente conectados uns aos outros, substituiremos uns aos outros, apoiaremos uns aos outros.

Somente em uma rede de conexão entre si, na comunicação correta entre nós, podemos nos elevar acima do egoísmo. Então todos os outros níveis de egoísmo –inanimado, vegetativo, animal – também se juntarão ao nível humano.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 03/12/18

Blitz De Dicas De Cabalá – 10/03/19

laitman_549.01Pergunta: Ao ler O Estudo das Dez Sefirot, adormeço, mas quando ouço O Zohar, ele me fascina. Vale a pena continuar lendo O Estudo das Dez Sefirot, ou ele é destinado apenas aos homens?

Resposta: Se você é uma mulher, geralmente não precisa ler O Estudo das Dez Sefirot; em vez disso, leia os artigos e cartas de Baal HaSulam e Rabash.

Pergunta: Na Introdução ao Estudo das Dez Sefirot, é dito que se uma pessoa aprende a Torá e não alcança o que é necessário após 3 a 5 anos, ela não verá mais sucesso no caminho. Por que o estudo da sabedoria da Cabalá é o último recurso?

Resposta: Essas coisas foram ditas para que as pessoas que realmente anseiam aprender a Torá saibam que ela foi dada a uma pessoa para a correção de si mesma e a revelação do Criador para ela neste mundo. Portanto, se uma pessoa estuda a Torá por 3 anos e não vê nenhum resultado, isso significa que ela deve se mover para a sabedoria da Cabalá.

Pergunta: Baal HaSulam disse que a alma do grande Ari estava vestida nele. Essa era a mesma alma ou ele alcançou o mesmo grau que o Ari?

Resposta: Não, é a mesma alma. Isso é chamado de “Concepção das Almas”.

Pergunta: A sabedoria da Cabalá é também uma sucessão, uma herança. De quem o Baal HaSulam a herdou? Quem foi seu professor?

Resposta: Seu professor foi um rabino de Porosov, uma pequena cidade perto de Varsóvia, onde ele morava. Mas quando Baal HaSulam entendeu que havia ido além de seu professor, decidiu que deveria deixar a Polônia e viajar para Israel, e foi o que ele fez.

Pergunta: Graças à abordagem científica, eu leio Salmos, Eclesiastes e textos Cabalísticos com um sentimento de que nem sequer entendo uma única palavra neles. Isso não é terrível?

Resposta: Isso é terrível. Você deve ler com sentimento e compreensão. É dito que “o coração entende”, ou seja, que deve haver uma combinação particular entre sentir e compreender, da compreensão ao sentimento e do sentimento à compreensão. Um supervisiona e define o outro.

Pergunta: Quando se lê um livro de Cabalá, significa que se experimenta os estados do autor durante a leitura?

Resposta: Eu suponho que sim. Como é entendido, você não pode experimentar o que o autor experimentou, mas você pode, até certo ponto.

Pergunta: Um aluno pode se aproximar imediatamente do estudo dos escritos do Baal HaSulam? Ou ele deve primeiro entender e compreender, ou seja, abordá-los?

Resposta: Eu começaria com os artigos dos Cabalistas acima de tudo, que foram escritos para os círculos mais amplos da sociedade. Estes são “Matan Torá (A Entrega da Torá)”, “O Arvut (Garantia Mútua)”, “Paz no Mundo”, e assim por diante.

Pergunta: Para um Cabalista, qual é o significado do desaparecimento da parte bestial (morte)?

Resposta: Não tem significado. Se algo acontecer comigo, vou aceitar isso com calma absoluta. A única coisa que me preocupa é dar uma boa lição com intensidade total e sacudir os alunos preguiçosos que estão comigo em todo o mundo. Nada mais me preocupa. Espero que seja assim por mais algum tempo. Pelo menos, é para isso que estou vivendo.

Pergunta: Posso mostrar resumos dos livros que escrevi com minhas próprias palavras ou devo queimá-los?

Resposta: Você pode deixá-los com você. Mesmo que alguém os veja ou escute, tudo bem.

Da Lição de Cabalá em Russo, 10/03/19