Textos na Categoria 'Amor'

Como Os Cabalistas Definem O Amor?

237Pergunta: Os neurofisiologistas dizem que uma pessoa é apenas um animal confuso, e que sentir amor é resultado de um coquetel de feromônios, dopamina e oxitocina.

Os psicólogos não concordam com isso. Dizem que sentir amor é algo mais do que a soma de seus componentes: mental, social e assim por diante.

Os filósofos não discutem com ninguém. Dizem que o amor confunde uma pessoa e é a causa de toda a estupidez e de todas as descobertas que a humanidade fez.

Como os Cabalistas definem o amor?

Resposta: Os Cabalistas definem o amor como a conexão mais elevada de uma pessoa com tudo fora dela e a torna semelhante ao Criador.

O amor é um meio de se tornar como o Criador. O amor é algo que existe fora de nós. Não há amor em um indivíduo. Portanto, nenhum fisiologista e nenhum psicólogo podem saber nada sobre isso. Eles pensam em tudo apenas com base em feromônios e afins.

O amor é propriedade exclusiva do Criador que nos foi dada, e com sua ajuda podemos nos elevar do nível animado ao humano. O homem é Adão. “Adão” da palavra “Edomeh – semelhante ao Criador.

De KabTV,“Expresso de Cabalá”, 06/12/21

“Como O Amor Pode Ser Definido Espiritualmente?” (Quora)

Dr. Michael LaitmanMichael Laitman, no Quora: Como O Amor Pode Ser Definido Espiritualmente?

O amor espiritual é um estado em que vemos a humanidade como um todo unido, que amamos.

É porque, através de tal atitude em relação a uma imagem unificada comum da humanidade, descobrimos a revelação do – e adesão ao – Criador.

O Criador é a qualidade de amor absoluto, doação e conexão. Ao nos igualarmos a essa qualidade, criamos um sistema de comunicação com ela e começamos a sentir a totalidade da natureza, o universo, a humanidade e todos os estados do passado, presente e futuro em onipresença.

Baseado em KabTV, “Notícias com o Cabalista Dr. Michael Laitman” em 18 de novembro de 2021. Escrito/editado por alunos do Cabalista Dr. Michael Laitman

“Como Posso Amar Os Outros Como A Mim Mesmo?” (Quora)

Dr. Michael LaitmanMichael Laitman, no Quora: Como Posso Amar Os Outros Como A Mim Mesmo?

Sabemos o que queremos receber para nós mesmos. Isso deve ser o mesmo que queremos dar aos outros.

Devemos, portanto, lembrar que amar os outros em primeiro lugar significa tratar os outros como tratamos a nós mesmos.

É claro que, como nossa natureza é egoísta – priorizando o benefício próprio em vez de beneficiar os outros, e muitas vezes às custas deles -, pensar e agir na mesma medida em relação aos outros vai contra nossa natureza e parece impossível.

Se tivermos uma centelha inicial de desejo de amar os outros como a nós mesmos, devemos buscar aprendizado regular que nos guie sobre como superar nossa conexão egoísta inata e entrar em uma conexão altruísta oposta. Além disso, devemos procurar um ambiente de apoio, ou seja, pessoas com uma inclinação semelhante que nos forneçam encorajamento, lembretes e exemplos para nos ajudar a fazer essa mudança de amar a nós mesmos (egoísmo) para amar os outros (altruísmo) repetidamente.

Além disso, ao nos envolvermos nesse aprendizado e em um ambiente de apoio, começamos a atrair para nós a força positiva do amor, da doação e da conexão que habita a natureza. É especificamente essa força que nos concede a capacidade de amar os outros como a nós mesmos. Ganhamos tal habilidade adaptando-nos a essa força, aumentando nosso desejo de nos conectarmos positiva e altruisticamente uns com os outros, aprendendo a sabedoria de tal conexão e apoio mútuo.

Baseado em KabTV, “A Última Geração” com o Cabalista Dr. Michael Laitman em 6 de junho de 2018. Escrito/editado por alunos do Cabalista Dr. Michael Laitman.

A Palavra “Amor” É Compreensível Em Todas As Línguas

509Pergunta: Por que é importante me anular para chegar ao amor entre nós?

Resposta: Eu acho que também podemos entender isso a partir do que sentimos em nosso mundo, em nossas relações uns com os outros. Como posso amar o outro se amo a mim mesmo? É impossível. A expressão do amor só é quando você toma a qualidade do outro, o desejo dele, a vida dele, como sua acima de si mesmo, e existe para fazer tudo o que ele deseja.

Não há outra definição de “amor” senão integrar-se aos desejos do outro para satisfazê-los. Todo o resto é uma expressão totalmente irreal: “Eu te amo”. Não! Dê-me uma definição concreta e material.

Nosso mundo é construído sobre desejos. O que devo fazer com o meu desejo e com o desejo do outro? Que estados devo criar entre nós que serão chamados de “amor”? Só para direcionar todas as minhas qualidades para preencher e satisfazer o outro, isso se chama que eu o amo.

Esta é uma manifestação clara, uma expressão da minha atitude em relação a ele. É por isso que todos nós somos criados no desejo de receber. Se eu coloco o desejo de receber de outra pessoa acima do meu para preenchê-lo, isso se chama “eu o amo”.

Não há outra definição material, clara, pura, que possa sequer ser fixada ao longo do tempo, para medir até que ponto nos sacrificamos pelo outro. Há níveis nesse autossacrifício onde o quanto eu não faço algo apenas pelo bem do outro, mas me elevo acima de mim mesmo apesar de mim mesmo, e tudo o que eu faria por mim eu faço por ele.

Essa atitude, quando você coloca a outra pessoa acima de você, é chamada de amor. Você pode encontrar outras palavras: inclusão, conjugação, comutação, mas a mais simples entre as pessoas e em todas as línguas é amor.

Da Convenção Internacional “Rising Above Ourselves 1/6/22 , “Aproximando-se do Criador através da rede de conexões entre nós”, Lição 1

Como Podemos Sentir Que O Criador Nos Ama?

565.01Pergunta: O amor pelo Criador e o sentimento de Sua grandeza e importância são a mesma coisa?

Resposta: Não. O sentimento de grandeza e importância é o sentimento do Criador. O amor é a sua atitude para com Ele; não a atitude Dele para com você ou como você O percebe, mas como você reage a isso.

Pergunta: Inicialmente, é dito que o Criador nos ama. Como o Seu amor por nós se manifesta?

Resposta: Não se manifesta em nada. Depende da pessoa, de como ela revela sua conexão com a força que a define, sente, anima, controla e conduz.

Na medida de sua atitude para com o Criador, você pode sentir a atitude Dele para com você. Se você O ama, sentirá que Ele o ama.

Pergunta: Às vezes, quando acontece algo bom na vida, parece que alguma força superior o ama, o ajuda. Ou não é isso?

Resposta: Pode acontecer, mas não é isso que devemos fazer. Devemos alcançar o amor pelo Criador em todas as suas manifestações e ter certeza de que todas elas são totalmente boas para nós, mesmo que antes nos parecessem negativas. Isso, como escrevem os sábios, é amor absoluto.

De KabTV, “Estados Espirituais”, 14/12/21

Cosmologia Cabalística

934A lei “Ame o seu próximo como a si mesmo” vem desde o início da criação, quando a luz superior preenchia todo o universo.

Falando em termos físicos, podemos dizer que toda a força da criação, toda a sua matéria, estava concentrada em um ponto. Então o Big Bang aconteceu como resultado do qual todo o universo, todos os mundos e todas as galáxias emergiram.

O Big Bang foi causado por um curto-circuito entre o desejo de receber criado pelo Criador e o desejo de doar, que é a natureza do Criador.

Quando a desejo de doar tocou o desejo de receber criado por ele, o desejo de receber explodiu e todos os elementos em todos os níveis do universo foram formados a partir de suas partículas: inanimado, vegetativo, animado, humano e, acima do homem corpóreo, o nível de desenvolvimento espiritual que torna o homem semelhante ao Criador e retorna toda a matéria à equivalência de forma com o Criador, com a luz. Isso é o que diz a cosmologia Cabalística.

Não importa onde comecemos a cumprir a lei de “Amar o próximo como a si mesmo”. O principal é começar, e então avançaremos cumprindo-a. Mesmo que cumpramos esta lei em um pequeno grupo, através dele, como em um laboratório, queremos representar toda a criação.

O desejo de construir uma conexão entre amigos da dezena é uma aspiração muito elevada e sutil. Significa que estamos realizando um experimento em laboratório para descobrir o que é a criação e que leis se aplicam a ela. Verificando quais leis se aplicam entre nós em nossa pequena dezena, descobriremos como podemos influenciar as leis de toda a vasta criação.

O único problema é que negligenciamos a dezena sem entender que tocamos a parte mais interna e sensível de todo o universo através dela, tanto de todo o mundo corpóreo quanto espiritual.

Se entendêssemos que ferramenta única temos à nossa disposição, trataríamos a dezena de forma diferente. É por isso que a verdadeira imagem está oculta de nós, e somos como crianças brincando com blocos no chão, sem perceber que existe um vasto mundo ao nosso redor. Não notamos nada ao nosso redor em nossa mente infantil porque estamos completamente absortos neste jogo.

Se entendêssemos que toda a lei do amor ao próximo foi implementada na dezena, nos integraríamos a ela, começaríamos a trabalhar com todas as nossas forças e, por meio dela, revelaríamos toda a realidade, corporal e espiritual, como um todo único.

Da 2ª parte da Lição Diária de Cabalá 20/12/21, Baal HaSulam, “O Amor de Deus e o Amor do Homem”

Já Aconteceram Milagres Com Você?

284Pergunta: Já aconteceram milagres com você que você não tenha sido capaz de explicar logicamente?

Resposta: Não, no final sempre fui capaz de entendê-los e explicá-los. Um milagre é algo que vai além de nossos conceitos clássicos do cotidiano.

No entanto, quando você se eleva a um nível mais alto de realização, entende que esses são fenômenos naturais comuns. Somente em nosso nível eles não são visíveis, e se eles se manifestam um pouco em algo, nós os chamamos de milagres.

Pergunta: Mas naquele momento, quando você ainda não se elevou, você considerou um milagre?

Resposta: Sim.

Pergunta: Já aconteceu algo que fosse contra as leis da natureza?

Resposta: Não houve nada parecido. Afinal, se não se encaixa nas leis da natureza que estudei, deve ser adicionado a essas leis.

Pergunta: Por exemplo, se você visse uma pessoa que voa, seria um milagre para você?

Resposta: Se isso não pode ser explicado pela levitação comum, então, é claro, é um milagre.

De KabTV, “Estados Espirituais”, 30/11/21

Nova Vida 1321 – Amor Construtivo, Amor Destrutivo

Nova Vida 1321 – Amor Construtivo, Amor Destrutivo
Dr. Michael Laitman em conversa com Oren Levi e Yael Leshed-Harel

O amor sem quaisquer condições destrói uma criança. A criança passa a sentir que o mundo lhe dará tudo sem ter que fazer nada em troca. Em vez disso, a criança deve saber que uma resposta apropriada é esperada dela: um agradecimento, um beijo ou um esforço para ajudar. A criança precisa estar disposta a fazer parte da família. Um erro comum é fazer por nossos filhos o que eles poderiam estar fazendo por si mesmos. Devemos elogiar as crianças por seus esforços, e não por seus talentos ou qualidades naturais. Devemos ensinar as crianças a reconhecer o que foi dado a elas, contribuindo, por sua vez, para o benefício de outras pessoas.

O amor construtivo atrai uma resposta apropriada da criança, enquanto o amor destrutivo não leva as ações da criança em consideração. O objetivo é educar as crianças para que saibam receber e doar de maneira equilibrada

De KabTV, “Nova Vida 1321 – Amor Construtivo, Amor Destrutivo”, 10/10/21.
Este resumo foi escrito/editado por alunos do Cabalista Dr. Michael Laitman.

Roupas Limpas Para Uma Alma Limpa

595.01Se não sentimos prazer por sermos purificados da bagagem do passado, não queremos ser realmente purificados. Afinal, ainda ansiamos por prazeres que não pertencem ao Criador, para doar, em vez disso, queremos ser preenchidos de forma egoísta.

Livrar-se da intenção egoísta, de receber para nosso próprio bem, é chamado de trabalho de purificação. Para fazer isso, devo pular para a luz superior, como se na água, e mergulhar completamente nela, de modo que a luz atue sobre mim e me purifique.

É assim que acontece em cada novo grau. Quando ascendemos os graus de realização do Criador, chegando mais perto Dele, cada grau começa com o trabalho de purificação de nós mesmos. Essa é a primeira etapa. O segundo estágio já é a santidade quando já estamos em conexão com a luz superior.

Mas primeiro, precisamos nos livrar do nosso egoísmo, purificar-nos com a ajuda da luz superior como se estivéssemos mergulhando na água, no mar. Uma vez purificados, podemos colocar roupas limpas, ou seja, restrição, tela e luz refletida.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá, 09/11/21, Escritos do Baal HaSulam, Shamati # 54 “O Propósito do Trabalho-1”

“Como Amo Meu Próximo Como A Mim Mesmo, Quando Não Amo A Mim Mesmo?” (Quora)

Dr. Michael LaitmanMichael Laitman, no Quora: Como Amo Meu Próximo Como A Mim Mesmo, Quando Não Amo A Mim Mesmo?

A natureza humana é completamente egoísta. Portanto, não podemos deixar de amar a nós mesmos. Mesmo se odiarmos a nós mesmos, por exemplo, mesmo que desejemos cometer suicídio, isso ainda surge de um cálculo egoísta. O egoísmo está na base de nossa natureza, e tudo sobre ele é, portanto, construído a partir do amor-próprio. É o único motivo de todo o nosso comportamento.

Baseado em uma videoconferência com o Cabalista Dr. Michael Laitman. Escrito/editado por alunos do Cabalista Dr. Michael Laitman.