Textos na Categoria 'Amor'

“Não Nos Esqueceremos Do Holocausto, Nem Porque Estamos Aqui” (The Times Of Israel)

O The Times of Israel publicou meu novo artigo: “Não Nos Esqueceremos Do Holocausto, Nem Porque Estamos Aqui

O Holocausto foi exagerado. Esta é uma crença contundente e preocupante expressa por um terço dos americanos de acordo com um novo estudo divulgado por uma organização judaica antes do Dia em Memória do Holocausto no próximo mês. Minimizar o impacto de tal atrocidade não é apenas atribuído às massas, mas também a alguns líderes, como o presidente brasileiro Jair Bolsonaro, que disse recentemente sobre esse assunto: “Podemos perdoar, mas não podemos esquecer”. Além das manchetes, a situação atual nos lembra que, se quisermos evitar que a história se repita, não devemos esquecer nosso papel: unir e difundir esse exemplo de unidade ao resto do mundo.

A falta de consciência sobre o assassinato de seis milhões de judeus sob o Terceiro Reich está crescendo. Sessenta e seis por cento dos millennials dos EUA não fazem ideia do que Auschwitz foi e representa com base neste relatório. A humanidade tem uma memória de curto prazo. Consequentemente, o antissemitismo continua reaparecendo, constantemente em mutação na Europa e na América, da direita e da esquerda. Ele se manifesta não apenas por meio de discursos de ódio, mas também por ataques físicos, suásticas traçadas em lares judaicos e vandalismo em cemitérios e lojas judaicas. A violência contra os judeus está em alta em todas as grandes cidades como Nova York, Berlim e Paris. É apenas uma questão de tempo até o próximo incidente doloroso irromper.

De acordo com a Cabalá, o antissemitismo é uma lei da natureza. Quando nós, os judeus, estamos separados e distantes um do outro, criamos uma força negativa no mundo, que se transforma em expressões e ações antissemitas. Por outro lado, quando nos unimos sobre conflitos e diferenças de opinião, uma força positiva se espalha no mundo que pode fazer maravilhas.

Portanto, o ódio irracional que está ficando mais forte hoje nos lembra da maneira mais difícil que temos um papel que não podemos ignorar: unir e espalhar esse exemplo de unidade para o resto do mundo. Mesmo que fiquemos felizes em evitar essa tarefa, é impossível. É o nosso destino; fomos escolhidos para iluminar a unidade entre as nações através da nossa unidade como povo. Como está escrito: “Se uma pessoa pega um feixe de juncos, não pode quebrá-los todos de uma só vez. Mas, tomado um de cada vez, até um bebê os quebrará. Assim, Israel não será redimido até que sejam todos um feixe” (Midrash Tanhuma, Nitzavim, Capítulo 1).

Portanto, não é coincidência que tenhamos sucesso contra todas as probabilidades de cumprir um papel específico. Somos uma nação que carrega dentro de si o ideal de amor por todos os povos do mundo. Nós nos tornamos uma nação baseada na regra do “ame seu próximo como a si mesmo”, e somente o retorno à realização desse princípio pode erradicar o fanatismo e o ódio contra nós. Como Rav Yehuda Ashlag (Baal HaSulam) escreveu, “a nação de Israel deveria ser uma ‘transição’… eles passam seu poder ao resto das nações” (“O Amor pelo Criador e Amor pelos Seres Criados”). Alcançar a unidade e transmiti-la à humanidade é o que os líderes mundiais e as pessoas em todos os lugares esperam e exigem de nós. Não devemos esquecer.

Amor Absoluto Ou Como Encontrar A Alma Gêmea

laitman_294.2Pergunta: Do ponto de vista da ciência, o amor que uma pessoa sente por outra não pe simplesmente um processo químico ocorrendo em seu corpo?

Resposta: Claro, estes são todos processos químicos.

Pergunta: O que é o amor na Cabalá?

Resposta: É um amor em outro nível. Mas, no final, ele é realizado em nós nos mesmos processos físicos e químicos. Somente na Cabalá ele é estudado a partir de sua fonte superior, de onde ele surge em nós.

De fato, tudo é determinado pelo que se chama “afinidade de alma”, isto é, o quanto nossas almas, nossos componentes espirituais, estão em um estado próximo um do outro no sistema comum de todas as almas do mundo. Assim, nos atraímos e nos encontramos.

Parece que é uma coincidência, que existem algumas circunstâncias. Não é nada disso. Não há coincidências no mundo. Apenas a raiz superior nos leva a algum tipo de movimento em direção ao outro. Isso nos obriga a prestar atenção uns aos outros e se aproximar. Em que nível e em que sentido nos aproximamos depende da qualidade de nossas raízes espirituais.

Pergunta: Como ocorre esta convergência espiritual?

Resposta: Uma pessoa em nosso mundo não sabe disso. Nós, como dizem, “cheiramos” um ao outro, estudamos um ao outro. Parece-nos que somos adequados ou não. Parece-nos que as circunstâncias levam a isso, e todos dizem: “Vocês são tão parecidos, semelhantes” e assim por diante. Este é todo o mundo de bonecos, o mundo de um jogo. Mas, na verdade, forças espirituais, raízes espirituais, determinam tudo.

Pergunta: Como uma pessoa procura por um parceiro espiritual?

Resposta: As pessoas não poderão. Elas não entendem. Nós estudamos isso na ciência da Cabalá e entendemos como funciona. Mas no nosso mundo, ainda não podemos perceber isso.

Pergunta: O amor é um relacionamento de almas?

Resposta: O amor é a atração de almas afins. Mas isso é amor espiritual e ideal.

Pergunta: O que é uma alma gêmea?

Resposta: Almas gêmeas são aquelas que estão em uma combinação muito próxima no mundo espiritual.

Existe uma alma comum. Nele, existem muitos bilhões de almas privadas que coexistem entre si em todos os tipos de combinações. Suas combinações determinam a convergência, separação e movimento, incluindo físico, em geral, todo esse movimento browniano entre nós em nosso mundo.

Pergunta: O nome “minha outra metade” implica uma alma gêmea?

Resposta: Este é o caso perfeito.

Pergunta: O que é a paixão?

Resposta: Paixão em nosso mundo é um sofrimento puramente egoísta, porque eu preciso de satisfação e não consigo encontrá-la. “Onde está a minha segunda metade que vai me preencher?” É como: “Onde está o meu jantar que quero comer que eu deveria ter?” É a mesma coisa. Também é o mesmo com sexo e com todos os outros preenchimentos.

Pergunta: Qual deve ser o princípio das relações de amor em termos da Cabalá?

Resposta: Este é um entendimento mútuo, a busca de um objetivo comum, no qual nos unimos como um. Mas apenas em um objetivo comum.

Pergunta: Esse objetivo pode ser qualquer coisa?

Resposta: Não, apenas o objetivo espiritual! Um objetivo espiritual é a união de nossas almas. Como o grande poeta inglês Chaucer escreveu: “Alcance a fusão de nossas almas no emaranhado de nossos corpos”. Ele riu disso – o que nós queremos.

Pergunta: Qual é a paixão (“sofrimento por amor”) em termos cabalísticos?

Resposta: É quando eu quero encontrar minha alma gêmea, incluir todas as outras almas do mundo, a fim de alcançar um estado de conexão espiritual entre nós, quando dou tudo, e através delas a entrego ao Criador. Isso é chamado de amor verdadeiro. Eterno.

Pergunta: Pode haver uma separação entre almas gêmeas, uma ruptura na comunicação? Por que isso ocorre?

Resposta: Eu não observei tais efeitos em nosso mundo. Ainda estamos em um estado em que o nosso mundo está quebrado, e isso apenas inicia sua abordagem ao mundo espiritual corrigido.

Nós definitivamente vamos entrar. A questão é quando? Chegaremos a um estado em que, simultaneamente, realizaremos ações em nosso mundo com base em ações espirituais. Então, nos apaixonaremos pela alma e uniremos “alma a alma” como dizem. Então tudo vai coexistir dessa maneira. Não consigo imaginar que a separação seja possível nesse estado.

Pergunta: Então a separação não existirá?

Resposta: Não. Isso é amor eterno!

De KabTV, “Notícias com o Cabalista Dr. Michael Laitman”, 28/02/18

Uma Bênção Para A Família?

laitman_547.06Pergunta: Eu posso pedir ao Criador uma bênção para minha família e amigos que não estão interessados na Cabalá?

Resposta: Você pode pedir, mas eu não sei no que isso resultará. Eu não acho que algo especial irá resultar porque o pedido deve ser um pedido de correção e você pede a melhoria de uma situação, mas a melhoria é impossível sem correção.

Pergunta: Eu posso pedir ao Criador que me envie a Luz para corrigir meu egoísmo?

Resposta: Sim, é possível, mas o seu pedido deve ser o mais altruísta possível.

Da Lição de Cabalá em Russo 04/11/18

Navio Na Convenção Do Deserto 2019

É Possível Fazer Todos Felizes?

laitman_608.02Pergunta: Como um Cabalista sabe que existe um bem comum? Isso cheira a comunismo e um desejo de fazer todos felizes sem o desejo deles por isso.

Resposta: Não, é impossível fazer uma pessoa feliz sem o seu desejo por isso.

Há uma abundância superior, cuja fonte é o Criador. Nós só precisamos desenvolver nossos desejos corretos para sermos satisfeitos. É por isso que a Cabalá é chamada de “a sabedoria da recepção”.

Não há coerção na espiritualidade. Nós mesmos devemos querer, pedir e convencer a nós mesmos e aos nossos amigos que a recepção em prol da doação é perfeita porque é infinita e ilimitada.

Ao receber a fim de passar para os outros, eu me torno um conduto, como um cano pelo qual o preenchimento flui. No entanto, como tudo passa por mim, tudo isso é meu e eu transfiro tudo isso adiante e, na mesma medida, sou esvaziado para uma nova recepção.

Da Lição de Cabalá em Russo 13/05/18

Avançar Rumo À Realidade Integral

laitman_294.2Uma dezena é tudo o que existe em toda a realidade, em todos os mundos. Toda a criação, que evoluiu a partir dos quatro estágios da Luz direta, é chamada de uma “dezena”. Malchut do mundo do Infinito, na qual existem dez Sefirot redondas cheias de Luz infinita, é uma dezena. Não há nada além disso. E o Criador é a Luz do infinito que preenche esta dezena, Malchut.

Então este sistema de dez círculos, as Sefirot, sofre todos os tipos de mudanças. O programa da criação transfere esta dezena de um estado redondo completo para um fragmentado.

Como se para calcular a integral quando a superfície contínua é dividida em um número infinito de quadrados, o sistema de dez “círculos” é quebrado para dividir o trabalho entre multidões de pessoas, entre todas as partes do sistema, para que todos completem seu trabalho particular e se torne semelhante ao Criador. Afinal, a pessoa não pode fazer todo o trabalho imediatamente de uma só vez.

O sistema é transformado de uma “integral” para um “diferencial”, no qual o trabalho é realizado em partes. Dez estágios de trabalho são distribuídos entre os cinco mundos e são adicionalmente divididos cada vez mais. Cada um de nós realiza algum tipo de trabalho em sua célula. Como resultado, todas as partes deste trabalho são integradas novamente, combinadas em um trabalho integral, como uma integral do zero ao infinito.

Todas essas quebras, contrações e descidas são feitas para dar a cada fragmento sua infinitude em sua completude a partir de suas propriedades individuais.

No primeiro estado, era impossível fazer isso porque estávamos todos interconectados de forma integral e infinita. É impossível destruir o ser criado que é oposto ao Criador, para que ele possa atingir o Criador a partir de seu estado oposto e antagônico e deixá-lo “redondo”. Afinal, o círculo já é a perfeição, um Criador menor ou maior.

Portanto, é necessário quebrar esse círculo para dar a cada fragmento diferentes propriedades, lados, ângulos, isto é, restrições. Agora, a partir dessas restrições, a pessoa deve começar a alcançar eternidade, perfeição, integração, conexão de todos com todos. Isso dá um sentimento do Criador e a verdadeira perfeição. É impossível entrar no terceiro estado ignorando o segundo, o fragmentado. Este é todo o nosso trabalho.

É necessário se esforçar para ir do estado 1, passando pelo estado 2, até o estado 3. A correção começa quando uma dez é organizada e aparece diante de nós. Isto é, a correção começou a partir de Abraão, e agora cada um de nós em algum momento cai em um lugar onde tem uma dezena. É assim que começa o avanço em direção ao sistema integral e verdadeiro da força superior.

É necessário se acostumar com essa percepção da realidade. Ela ajuda a mente a superar os sentimentos, como um paciente recebe uma imagem de raio X com a qual não pode discutir – é um fato, e ele precisa tomar remédios e ser tratado. Esta é uma realidade objetiva que está acima de nossas emoções e devemos trabalhar com ela.1

Da 2ª parte da Lição Diária de Cabalá, 12/09/18, Lição sobre o Tópico “Disseminação da Cabalá”

1 minuto 0: 10-7: 33

The Times Of Israel: “15 Introspecções De Rosh Hashaná Que Você Não Conhece”

O The Times of Israel publicou meu novo artigo “15 Introspecções De Rosh Hashaná Que Você Não Conhece

Nós já temos celebrado Rosh Hashaná, o começo do ano hebraico, por 5.778 anos. O que poderia realmente ser renovado este ano e como podemos mudar nossa percepção da realidade para que o próximo ano seja significativamente melhor? Aqui estão 15 introspecções (insights) que mudam a mente.

1. O Mundo Em Um Ponto De Inflexão

No século XXI, nós alcançamos tudo. No entanto, não podemos afastar os problemas e doenças que nos atormentam como indivíduos e como sociedade. Instabilidade política, divisão social, terrorismo e ameaças de segurança, desestabilização climática, imigração em massa e muito mais – são apenas alguns dos sintomas que apontam para o emaranhamento global que o mundo está enfrentando.

Por milhares de anos temos tentado consertar o mundo ao nosso redor de inúmeras maneiras. Mas os fatos concretos provam que não deciframos a fórmula para uma vida pacífica e feliz. O lado positivo é que as pessoas estão começando a questionar o paradigma atual e a buscar uma nova abordagem da vida.

2. O Mundo É Um Espelho Do Nosso Mundo Interior

O Ari, o Cabalista que descreveu toda a estrutura da realidade espiritual em detalhes, resumiu da seguinte forma: “O homem é um pequeno mundo; o mundo é um grande homem”. Em outras palavras, o mundo inteiro é o reflexo do mundo interior do homem, reflete as consequências das qualidades internas do homem. Se aprendermos a perceber a realidade corretamente, encontraremos a conexão entre o que acontece no mundo e o que acontece dentro de nós. Assim, mudando o homem, podemos mudar o mundo.

3. Os Seres Humanos São Motivados Pelo Desejo

O poder que impulsiona o desenvolvimento da humanidade é o desejo de receber prazer. Este desejo cresce em quantidade e qualidade. A escada do desenvolvimento do desejo humano começa com os desejos físicos-básicos por comida, sexo, família e abrigo, continua com os desejos humanos-sociais por dinheiro, honra, poder e conhecimento, e atinge o ápice no desejo pela realização espiritual. A cada degrau da escada, o desejo molda nossa percepção da realidade.

4. O Desejo Egoísta Forma a Percepção Humana

Em certo estágio do desenvolvimento do desejo humano, as pessoas querem ter prazer às custas das outras. A Cabalá chama essa fase natural de desenvolvimento de “egoísmo”. O crescente desejo egoísta no homem molda sua percepção da realidade. Como resultado, o homem vê o mundo exterior em uma crise crescente, um mundo no qual o homem é um lobo para o homem.

5. O Ego Humano Em Um Beco Sem Saída

O desejo egoísta vê inúmeras possibilidades para atrair prazer do mundo. Ele está em constante busca por maior prazer. Mas, muitas vezes, o homem fica desiludido, pois o desejo é recebido com insatisfação que causa desapontamento e frustração. Com o tempo, a experiência amarga se acumula na humanidade e cada geração se torna desencorajada com a perseguição mais rápida que a anterior. Esta é a razão para a ascensão meteórica na demanda por drogas e o fenômeno da depressão se tornando a principal causa de incapacidade no século XXI.

6. Para Mudar O Mundo – Mude O Homem

Instintivamente, queremos corrigir o mundo ao nosso redor, pois é aí que nossos problemas aparecem. Mas isso é uma ilusão. A fonte de nossos problemas é o ego crescente em nosso mundo interior. Assim como o painel do veículo mostra ao motorista dados como velocidade, combustível e assim por diante, o mundo apresenta ao homem vários dados para informá-lo sobre suas qualidades internas. Portanto, se corrigirmos nosso egoísmo, nossa atitude negativa em relação aos outros, o “painel”, nos apresentará um mundo perfeito – uma réplica de nosso mundo interior.

7. O Homem Muda Em Sua Relação Com Os Outros

A atitude do homem para com a realidade muda quando ele trata os outros enquanto trata a si mesmo. Tratar positivamente o próximo gera uma atitude positiva em relação aos outros níveis da natureza: inanimado, a flora e a fauna. É por isso que os sábios da Cabalá cunharam a famosa máxima “ame a seu próximo como a si mesmo”. Não se trata de conduta ou moralidade, mas o meio para uma mudança fundamental em nossa percepção da realidade. No esforço para perceber todas as partes da realidade ao nosso redor como um todo, evocamos a força natural que constrói uma nova percepção dentro de nós. Em outras palavras, uma pessoa que se aprimora melhora diretamente o mundo ao seu redor.

8. Toda Crise Calibra Nossa Percepção

O propósito por trás de todos os problemas que nos atormentam, tanto como indivíduos quanto como sociedade, é que prestaremos atenção à correção de nosso ego, que melhoraremos nossa atitude uns com os outros. Enquanto negligenciarmos isso, a realidade nos pressionará cada vez mais para calibrar nossa percepção da realidade.

9. O Caminho Positivo Para Uma Mudança Na Percepção

Uma maneira agradável, eficiente e rápida de mudar nossa percepção da realidade é um processo educacional de conscientização. Nesse processo, a pessoa aprende a ver e a sentir o mundo como uma réplica de suas qualidades internas. Passo a passo, ela pode atualizar sua percepção da realidade consciente e independentemente – não através de crises.

10. O Mundo Virtual Nos Prepara Para Uma Nova Percepção Da Realidade

A transformação do mundo em uma pequena aldeia global nos ajuda a entender que estamos todos conectados e interdependentes. O que acontece em um indivíduo afeta o mundo inteiro. Juntamente com a crescente interdependência, as redes e tecnologias virtuais estão se desenvolvendo exponencialmente. Elas nos liberam das correntes do mundo físico e nos acostumam com a ideia de que a humanidade é uma essência interna dentro de nós. Por exemplo, quando as pessoas se comunicam virtualmente, elas formam um caráter interno da pessoa ou grupo com quem se comunicam.

11. Uma Pequena Mudança De Desejo – Uma Enorme Mudança No Mundo

Pode parecer que mudar nossa percepção da realidade requer um escrutínio intelectual ou uma profunda autoanálise, mas esse não é o caso. Como o desejo é o que molda nossa percepção, tudo o que é necessário é uma mudança genuína de desejo, isto é, uma mudança emocional e emocional. Isso significa que ações simples que aumentam nossa sensibilidade à unidade entre as pessoas podem focalizar nossa percepção e, assim, projetar uma imagem mais brilhante do mundo.

12. Conectar as Peças da Realidade Leva à Revelação do Criador

O trabalho regular no “ame o seu próximo como a si mesmo”, isto é, o esforço para compreender todas as partes da realidade como um todo, revela-nos a força única que opera a realidade. A força que é a base da realidade, que une o sistema inanimado, vegetativo, animado e humano a um sistema harmonioso. É assim que gradualmente começamos a sentir como a mesma força opera tudo na realidade.

13. O Mundo Está Dentro De Nós: A Próxima Revolução Depois De Einstein

A humanidade está enfrentando uma tremenda e profunda mudança na abordagem da vida e de toda a realidade. Assim como a humanidade acreditava que o Sol girava em torno da Terra e Copérnico provou o contrário, e assim como Einstein redefiniu a realidade como um quadro relativo que depende do observador – o próximo estágio revolucionário do desenvolvimento nos mostrará que a realidade é uma projeção do eu interior do homem.

14. Os Pioneiros Na Mudança Do Conceito De Realidade

As pessoas que alcançaram uma nova percepção da realidade são chamadas de “Cabalistas”. O primeiro grupo de Cabalistas que levou uma vida social baseada em uma percepção completa da realidade, tornou-se “o povo de Israel” ao longo dos anos. Desde então, o papel do povo judeu tem sido servir de exemplo para a humanidade, um exemplo para uma sociedade que vive em uma percepção unificada da realidade. Este é o verdadeiro ensinamento do povo de Israel, e esta é a razão para o sentimento inexplicável do mundo em relação ao povo judeu.

15. Rosh Hashana É Uma Oportunidade De Mudança

Rosh Hashaná significa o começo de uma mudança no homem, uma mudança em sua percepção da realidade. Portanto, o próximo feriado simboliza a oportunidade perfeita para decidirmos que neste ano estamos mudando nossas mentes e corações para perceber uma nova realidade.

Feliz Rosh HaShanah!

No Campo Da Informação Espiritual

laitman_250Pergunta: Eu tenho estudado por três anos, assisto suas lições diárias e as lições noturnas do Zohar. Devo parar de estudar se não tenho um grupo?

Resposta: Sob nenhuma circunstância você deve parar. Aquele que deseja progredir espiritualmente deve estar ao máximo conectado a nós – se possível, através de um grupo; se não, então sem um. Gradualmente, no entanto, você sentirá uma conexão conosco.

É um processo cumulativo que se acumula em uma pessoa. No estágio final, o indivíduo começa a sentir e entender o que acontece dentro de si e nas profundezas do mundo. Tudo funciona.

Pergunta: Se eu assistir a uma aula gravada, ainda receberei uma pequena porção de Luz de você?

Resposta: Sim. Também não é apenas uma pequena porção da Luz. Durante a lição matinal, um enorme campo de informação flui entre nós, e aquele que está corretamente sintonizado com ele pode, literalmente, como um pássaro, se erguer e ascender no fluxo ascendente de ar.

Assista à lição gravada ou ao vivo, apenas esteja junto conosco.

Da Lição de Cabalá em Russo 01/04/18

O Que Traz Contentamento Ao Criador?

laitman_943O que é adesão permanente com o Criador? Como podemos trazê-Lo contentamento, o que podemos dar-Lhe? O Criador não é perfeito?

O Criador é como um pai que quer apenas uma coisa: que seus filhos sejam bons e tenham uma vida boa – com isso, eles trazem prazer aos pais. Não temos mais nada para dar ao Criador; não há nada com que satisfazê-Lo. Pelo fato de que eu preencho meus desejos da maneira certa, eu satisfaço o Criador e trago-Lhe contentamento.

Você pode trazer contentamento ao Criador, corrigindo sua alma quebrada e vazia. Ela foi criada dessa maneira deliberadamente para que pudéssemos corrigi-la e preenchê-la, trazendo contentamento ao Criador por meio disso. Quanto melhor eu organizar minha vida espiritual, mais prazer trarei ao Criador. É como se é em nossa vida, quanto mais bem-sucedida a criança é, mais agrada a seus pais.

Na espiritualidade, não há doação ao superior – tudo está dentro do nosso Kli [vaso]; é a única coisa que estamos corrigindo e preenchendo, e com isso podemos verificar o contentamento que trazemos ao Criador: como nos corrigimos para a conexão e para a doação mútua um ao outro. Portanto, está escrito: “Do amor dos seres criados ao amor do Criador”.

Ao trazer prazer aos amigos, posso ter certeza de que trago satisfação ao Criador. O prazer que desperto no Criador pode ser medido pelo tipo de correção que obtive e pela luz que recebo em meu desejo corrigido.

Precisamos corrigir nossa abordagem à correção, porque tudo acontece internamente e, portanto, o trabalho espiritual é chamado de trabalho interno. Precisamos trabalhar apenas dentro da conexão entre nós, que é chamada alma, e de acordo com isso, o Criador “sentirá” o trabalho que estamos fazendo em nós mesmos para trazer-Lhe contentamento.

Nós trabalhamos para nos elevarmos acima do nosso egoísmo, que está constantemente tentando nos distrair com todo tipo de coisas, e ansiamos por nos corrigir e nos realizar, mas apenas para trazer contentamento ao Criador. Existe uma analogia direta entre o relacionamento dos pais com os filhos e nosso relacionamento com o Criador.

Estar em permanente adesão com o Criador significa pensar em todas as minhas ações do que fazer dentro de mim, isto é, na conexão com os amigos, dentro da minha alma, a fim de trazer contentamento ao Criador. Quanto mais eu peço ajuda ao Criador para corrigir minha alma, como uma boa criança que pede ajuda a seus pais, maior é o Seu contentamento. E os pais estão felizes em ajudá-lo; é um prazer para eles.

E quanto mais pedimos ajuda ao Criador para corrigir a conexão entre nós, isto é, para corrigir nossa alma, mais contentamento nós trazemos a Ele. Seu prazer é medido pela luz que vem para corrigir e unir nossas almas e pela luz que preenche a alma corrigida.

Não há nada que possamos dar ao Criador – todo o trabalho acontece entre nós, em nossa conexão mútua: “Do amor dos seres criados ao amor do Criador”. Ele é revelado apenas dessa maneira. Se sempre tentamos ver corretamente o lugar da nossa conexão, do nosso trabalho, então estamos na adesão permanente com o Criador.

Da Lição de 21/7/18, “Da Parte Inferior da Escada ao Dvekut [Adesão] Permanente”

“Entre Os Estreitos: Israel Complacente Entre Terremotos E Pipas De Fogo”

“Entre Os Estreitos: Israel Complacente Entre Terremotos E Pipas De Fogo”

O maior portal, Breaking Israel News, publicou meu novo artigo: “Israel Complacente Em Meio A Terremotos E Pipas De Fogo”

Disse mais o Senhor a Moisés: Tenho visto a este povo, e eis que é povo de dura cerviz. Êxodo 32: 9 (A Bíblia de Israel)

Bombeiros israelenses extinguem fogo em um campo de trigo. (Crédito: Yonatan Sindel / Flash90)

Mais de cem dias de fogo nas áreas do sul de Israel em torno da faixa de Gaza, e quase ninguém se importa. Vinte incêndios eclodem a cada dia, consumindo milhares de metros quadrados de áreas agrícolas, campos e plantações, enquanto a maior parte do público israelense permanece despreocupada. Por que nos mantemos complacentes?

E à medida que a terra do Sul está ardendo, a terra do Norte está tremendo. Mais de uma dúzia de terremotos em várias intensidades ocorreram em torno de Tiberíades na última semana, e o público permanece indiferente. Que tipo de chamada de despertar precisamos? Que nível na escala Richter vai abalar nossos corações? Até que ponto as pipas de fogo precisam voar para nos despertar do coma?

Simbolicamente, o calendário hebraico mostra que estamos exatamente “entre os estreitos” – as três semanas de dificuldades e aflições que atingiram o povo de Israel, levando à ruína do Templo. Assim como o povo no reino da Judéia era indiferente ao seu destino coletivo, o povo israelense de 2018 está preocupado principalmente com seus interesses limitados.

No entanto, as coisas parecem ser diferentes em 2018. Israel tem a reputação de ser um dos países mais fortes do mundo – tanto militarmente, diplomaticamente e economicamente. Mas nosso sucesso temporário depende de uma realidade preocupante: os países hostis ao nosso redor ainda precisam se unir e dar as mãos em um esforço para nos destruir.

Claro, somos uma nação que não gosta de ouvir reflexões preocupantes sobre nós mesmos. Mas também somos um “povo de dura cerviz”. Nós nos apegamos ao que temos, alheios às lições que já aprendemos nos momentos mais difíceis de nossa história. Nós somos indiferentes à nossa indiferença.

Os garotos presos em uma caverna na Tailândia nos preocupam muito mais do que apagar os fogos a poucos metros de nós, e isso indica que algo na nação israelense está completamente fora de sintonia. Não podemos ver o principal motivo de preocupação, bem debaixo dos nossos narizes.

“Os pobres da sua cidade vêm primeiro”, diz a Torá. Nossa principal preocupação deve ser aqueles próximos a nós, de norte a sul. E nossos representantes eleitos deveriam começar a consertar o país, em vez de colocar todos os seus esforços na tentativa de “consertar” uns aos outros.

Em vez de esperar que o próximo problema venha dos céus ou do subsolo, devemos começar a reconhecer nosso destino coletivo, vendo todos esses golpes como clarões. Cada golpe nos diz para estreitar ainda mais nossos laços, aumentar nossa preocupação um pelo outro, e começar a viver pelo cerne da nossa nacionalidade, sendo “como um homem em um coração”.

De acordo com a sabedoria da Cabalá, a reconstrução do Templo não é sobre colocar tijolos e erigir paredes. É sobre construir uma conexão sólida entre nossos corações. É isso que precisamos construir para nós e para o mundo. Temos que demonstrar um novo nível de cuidado mútuo e vínculo humano que acabará por espalhar “luz às nações”, mas isso tem que começar bem aqui, entre nós.