Textos na Categoria 'Amor'

Reavaliando Os Desejos

laitman_624.04Comentário: Depois que comecei a estudar Cabalá, muita coisa mudou na minha vida. Eu reavaliei meus valores e desejos.

Minha Resposta: De fato, uma pessoa que começa a estudar Cabalá está pronta para diminuir suas expectativas desta vida para um nível mínimo normal. Comida, abrigo e família são tudo o que ela precisa no nível corporal.

Você não deve estar correndo atrás de objetivos corporais. Você deve ansiar pela consecução do estado perfeito e eterno, que você vê à sua frente possível.

Tudo o resto é temporário e desaparecerá de qualquer forma. A esse respeito, a sabedoria da Cabalá ajuda a pessoa a se posicionar corretamente em relação aos valores que ela pode obter em nosso mundo.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá”, 26/01/20

A Terra De Israel: Dispersão E Assimilação, Parte 1

laitman_746.03Quem Compra Um Escravo Hebreu É Como Se Comprasse Um Mestre Para Si Mesmo.

Comentário: Depois de entrar na terra de Israel, a nação seguiu por vários milhares de anos sem um rei ou um exército em ação. Havia uma maneira especial de tratar mulheres, crianças e até escravos. De acordo com a lei, era possível manter um escravo por até seis anos, após os quais ele tinha que ser libertado.

Mais importante, se um mestre tivesse apenas uma almofada, ele teria que deixar o escravo usá-lo. Tal atitude desafia toda lógica.

Resposta: Isso significa que a vida de um escravo não pertencia ao mestre. Um escravo só poderia ficar com ele por um certo período de tempo. De certa forma, um mestre pagava por seu trabalho dentro de uma estrutura estrita de regras e poderia exigir apenas uma certa quantidade de esforço em troca. Em todo o resto, essa pessoa não era escrava, mas uma parceira para ele, até um amigo que morava com ele, alguém que o mestre tinha que cuidar.

Como está escrito: “Quem compra um escravo hebreu é como se comprasse um mestre para si mesmo”. Isso significa que um escravo não era um tipo de “animal de rua” com o qual o mestre podia fazer o que quisesse, diferente da maneira como os escravos ou prisioneiros eram tratados em outros países.

De KabTV, “Análise Sistemática do Desenvolvimento do Povo de Israel”, 08/07/19

“É Importante Ter Amor Na Vida?” (Quora)

Dr. Michael LaitmanMichael Laitman, no Quora:É Importante Ter Amor Na Vida?

O princípio do amor, ou mais especificamente, amar os outros como a si mesmo, é conhecido por todos, mas há muita confusão em torno dele.

Há um acordo geral entre a maioria das pessoas de que precisa haver amor entre as pessoas, embora vejamos que algumas pessoas estão dispostas a eliminar grandes porções da humanidade em nome do amor. É ainda mais surpreendente o quão vagamente esse princípio se reflete em diferentes religiões.

Como resultado, não estamos muito preocupados em amar um ao outro de fato. Somos criados por uma infinidade de influências que negligenciam completamente a questão de como podemos alcançar o amor verdadeiro entre as pessoas.

Portanto, a pergunta aqui está correta, e devemos definitivamente parar e prestar atenção a ela: é importante ter amor na vida? O amor é realmente tão importante?

Talvez seja suficiente ensinar moral às crianças e ter uma atmosfera geral de respeito entre os adultos? Ou o amor aos outros deve, no entanto, ser o objetivo da vida, que lutamos para alcançar a cada momento e com o qual estamos preocupados em alcançar todas as pessoas e todos juntos igualmente? Talvez, se estabelecermos o amor por outras pessoas, todas igualmente, como nosso objetivo, e tentarmos alcançá-lo da maneira mais rápida possível, poderemos poupar muito sofrimento à humanidade e, além disso, experimentar vidas com muito mais satisfação e felicidade?

Portanto, essa é uma pergunta extremamente importante. Se discutirmos o sentido da vida, o propósito para o qual entramos em nosso mundo, por que negligenciamos tanto esse princípio?

Em essência, estamos extremamente longe de entender o fato de que esse princípio é a lei universal do universo e da natureza. Todas as outras leis que conhecemos, e especialmente as que não conhecemos, giram em torno desse eixo.

Se quisermos entender a nós mesmos e ao mundo em que vivemos, temos que alcançar as leis da natureza, que são fundamentalmente leis de amor e conexão. Sem alcançar o amor pelos outros, ou como foi escrito: “Ame o próximo como a si mesmo”, não conseguiremos descobrir quem ou onde estamos.

O amor é a chave que nos permite ver com precisão toda a imagem da realidade, entender, sentir e ser incluído nela, e usá-la para a realização pessoal.

Ao adquirir amor pelos outros na prática, alcançamos a qualidade do Criador. Outras leis são apenas facetas e expressões parciais dessa lei fundamental da realidade. É semelhante a como a lei da gravidade pode ser expressa de diferentes maneiras, mas como um todo, sempre determina como um objeto é atraído por outro.

Há um fenômeno geral e há casos particulares. Existe uma lei de doação universal e, para nós, ela é principalmente expressa como o princípio social: “Ame o seu próximo como a si mesmo”. Ao realizar esse princípio na sociedade, cumprimos a lei universal. Ele nos controla e, se quisermos organizar bem nossas vidas, precisamos aspirar à sua realização.

“Satanás Realmente Existe?” (Quora)

Dr. Michael LaitmanMichael Laitman, no Quora:Satanás Realmente Existe? 

Satanás é a força egoísta humana, ou seja, o desejo de desfrutar às custas dos outros, que compreende a natureza de cada pessoa.

A sabedoria da Cabalá diz muito sobre essa força em livros como a Torá e O Zohar. Por exemplo, a palavra “Satanás” se conecta à mesma raiz que a palavra hebraica “Soteh“, que significa “desvio” e “Masit“, que significa “incitação”. É uma força que desvia a pessoa do caminho correto – uma conexão positiva com outras pessoas em amor e doação mútua.

Essa força chamada “Satanás” está enraizada em cada pessoa e é impossível nos livrarmos dela. O ego humano tem muitas manifestações diferentes, mas especificamente a que nos desvia da conexão positiva entre si é chamada “Satanás”.

Para nos libertarmos de seu controle sobre nós, precisamos nos envolver ativamente em nossa sociedade, construindo conexões positivas sobre ela.

Essa força sempre existirá e constantemente gerará discórdia entre nós. No entanto, quando alcançamos um estado positivamente unificado, todas as formas satânicas que nos impediram serão adicionadas aos nossos esforços para conectar-se positivamente e servirão para aumentar a força positiva de conexão entre nós.

Precisamente devido ao motor em constante movimento do ego humano que tenta nos manipular a cada momento, nos fazendo querer nos separar em vez de nos conectar, e nos afundando cada vez mais profundamente em nós mesmos, em vez de aplicar esforços para sair de nós mesmos e nos conectar com os outros, então, graças a esse ego, ficaremos cansados ​​dele, um estado chamado “o reconhecimento do mal”, e logo nos forçaremos a nos aproximar um do outro.

Nesse momento, Satanás se tornará uma força positiva. É, em última análise, o que nos ajudará a entender nossa necessidade de conexão e a forma correta que nossa conexão precisa adquirir.

O Método De Correção, Parte 10

laitman_944Quando A Pessoa Segue As Leis Da Natureza

Pergunta: Se eu tiver o cuidado de que meus amigos com a mesma opinião alcancem o Criador e essa seja a melhor coisa que posso fazer por eles, é suficiente? Isso significa que eu não deveria me preocupar em realizar seus muitos outros desejos?

Resposta: Não. Dizem que o aspecto material de um amigo é mais importante que o espiritual.

Observação: Eu não posso nem suprir meus próprios desejos materiais, e menos ainda o do meu amigo!

Meu Comentário: Isso se refere a uma sociedade que existe apenas para atingir o Criador. Então, todos os seus membros estarão em um estado de garantia mútua (Arvut) entre si quando viverem apenas com isso.

Tudo o que eles precisam para a alimentação, para a vida, chamadas de “condições necessárias à existência”, eles obtêm juntos. Eles se ajudam nisso. Eles sempre terão o suficiente de tudo, porque cumprirão as leis da natureza.

De KabTV, “Fundamentos da Cabalá”, 07/02/19

Coração Mais Duro Que Pedra

laitman_962.3Dizem que o Criador está próximo daqueles cujos corações estão quebrados, e meu coração quebra quando entendo que não posso quebrá-lo. Eu preciso trabalhar muito para concordar que meu coração é realmente tão duro quanto uma pedra, e apenas o Criador pode quebrá-lo, e somente através da dezena, dos amigos. 1

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 06/12/19, “A Condição de Elevar-se Acima do Seu Círculo”

1 Minuto 1:11:19

O Método De Correção, Parte 3

laitman_565.01Ame Seu Próximo

Pergunta: O objetivo da criação é tornar-se como o poder geral da natureza, o Criador, em termos de propriedades. Sua propriedade é doar.

Baal HaSulam escreve em seu artigo, “Amor ao Criador e Amor aos Seres Criados”, que a pessoa não pode simplesmente pular e adquirir a propriedade do Criador, porque ela pode se enganar.

Para garantir que eu realmente alcance essa propriedade, uma imagem do nosso mundo foi criada com todos os tipos de criações: inanimado, vegetativo, animado e, o mais importante, humano. Eu devo corrigir minha atitude em relação às pessoas.

Portanto, como está escrito em todas as fontes originais, a lei básica é “Ame o seu próximo como a si mesmo”. O que isso significa? Todo mundo entende isso à sua maneira.

Resposta: “Ame seu próximo como a si mesmo” é a meta que uma pessoa deve alcançar se trabalhar na sua correção. Esse objetivo é muito distante, mas no início existem outros estágios preliminares de correção.

“Ame seu próximo como a si mesmo” significa que, assim como hoje eu me amo e instintiva, consciente e inconscientemente, me coloco à frente de todo o mundo e somente através de mim percebo esse mundo, e apenas de mim mesmo em diante eu olho o mundo, e apenas para o meu eu trabalho e faço tudo, devo mudar a mim mesmo pelo mundo inteiro, trabalhar apenas para melhorar o mundo e sentir apenas dor como se fosse meu pequeno filho amado.

De KabTV, “Fundamentos de Cabalá, 07/02/19

“Nova Política Americana De Assentamentos Israelenses Pode Promover A Paz” (Newsmax)

Meu novo artigo na Newsmax: “Nova Política Americana De Assentamentos Israelenses Pode Promover A Paz

Para deixar claro, a reversão de uma posição americana de quatro décadas sobre a política de assentamentos israelense na Cisjordânia como sendo “inconsistente com o direito internacional” é uma declaração significativa e positiva.

Em primeiro lugar, se ajudar a reparar a ruptura no tecido social de Israel, ajudará a facilitar o caminho para a paz. Depois de consertar as conexões do povo de Israel, a tranquilidade com nossos vizinhos seguirá naturalmente e sem problemas.

A mudança na política externa americana anunciada pelo secretário de Estado americano Mike Pompeo concorda com a avaliação do presidente Ronald Reagan de 1981 de que os assentamentos em territórios conquistados por Israel na guerra de 1967 não eram “inerentemente ilegais”.

No entanto, essa avaliação contradiz as posições da ONU, da Europa, do Oriente Médio e da Palestina sobre o assunto. A comunidade internacional geralmente considera os assentamentos ilegítimos, alegando que eles corroem a possibilidade de um futuro Estado palestino que inclua áreas disputadas na Judéia e Samaria.

A declaração de Washington foi rejeitada pela Rússia, Jordânia, Turquia e representantes da União Europeia, o que não é de surpreender. As nações do mundo constantemente perseguem Israel, sem hesitar em pressioná-lo sem piedade, em comparação com o que exigem de seus vizinhos ou de qualquer outro país.

Por que Israel É Sempre o Ponto Focal do Mundo?

Podemos nos perguntar por que Israel é tratado de maneira diferente de outras nações, atraindo tanta atenção global. É assim por uma razão. O mundo sente, inconscientemente, que os judeus possuem as chaves para um bom futuro, mas de alguma forma estão escondendo o segredo para um mundo melhor.

Portanto, as nações do mundo nos irritam por trás e não descansam até que cumpramos o que é esperado de nós.

Nossa nação judaica foi fundada por nossos antepassados ​​com base na adesão à condição de ser “como um homem com um coração”. Juntos, nosso povo descobriu e refinou o método de superar os interesses pessoais, o ego, para nutrir uma preocupação genuína um pelo outro.

Eles descobriram uma força unificadora positiva que guiava todos os seus movimentos e, durante séculos, conseguiram se unir acima das divisões.

No entanto, cerca de 2.000 anos atrás, a nação judaica sucumbiu ao ódio infundado, o que levou ao seu exílio e eventual dispersão.

O estado quebrado de separação ainda domina em nossos corações, e é a causa principal de uma infinidade de problemas hoje.

Portanto, reconstruir nossa unidade judaica é a solução chave que pode restaurar um estado de harmonia profundo o suficiente para permear tudo ao nosso redor e o mundo inteiro.

Esta é precisamente nossa obrigação moral e espiritual como povo de “ser uma luz para as nações”, servindo como um exemplo positivo para o mundo. É o mandato para a nossa existência como nação, bem como para a Terra de Israel em que residimos.

Como escreveu o Rav Abraham Isaac Kook, o primeiro rabino chefe na Terra de Israel, “Em Israel está o segredo da unidade do mundo” (Orot Kodesh).

A Paz Deve Começar em Casa

Até que reconstruamos nosso estado de coesão, que a humanidade precisa hoje, as nações do mundo não aceitarão nossa existência como judeus individuais ou como nação judaica soberana. Portanto, a paz deve começar em casa, entre os judeus. Quando nos elevarmos acima de nossas diferenças e atingirmos uma certa extensão de unidade, todos serão beneficiados. Caso contrário, o mundo continuará culpando judeus e Israel por seus problemas.

Nós somos os portadores do método de correção do ego e da divisão que destrói nosso mundo. Primeiro, no entanto, precisamos aprender como implementar a correção entre si para poder transmiti-la.

Esse método de “cobrir todos os crimes com amor”, como disse o rei Salomão (Provérbios 10:12), sempre foi e sempre será a nossa arma para nossa sobrevivência e prosperidade.

Restabelecer a conexão que alcançamos é o processo de paz que mais precisamos.

Quanto mais cedo começarmos, mais rápido encontraremos calma e tranquilidade para todos.

O Papel Das Mulheres Na Correção Da Natureza

laitman_591Pergunta: Você costuma dizer que é mais difícil para as mulheres se conectar do que os homens. Mas se olharmos mais de perto, perceberemos que hoje uma mulher, mesmo com três filhos, quer ir além dos limites de sua casa.

Ela organiza todos os tipos de workshops, círculos femininos, vê o valor da conexão, entende que estamos vivendo em um campo comum.

Uma mulher dá à luz; esse já é algum tipo de experiência de sair de si mesma em prol de outra pessoa. Uma mulher, em geral, quer fazer do mundo inteiro uma grande família, um lar.

Você concorda que uma mulher é naturalmente mais adequada para conexão do que um homem?

Resposta: Hoje em dia tudo está mudando dramaticamente e eu realmente vejo que é necessário revisar tudo. De repente, acontece que há mais mulheres em nossos círculos do que homens.

Inicialmente, explicávamos isso pelo fato das mulheres não estarem satisfeitas com suas vidas. Afinal, elas têm família, marido e filhos, e tudo ao seu redor deve ser bom e calmo. Isso é muito difícil de conseguir em nosso tempo. Portanto, pensávamos que talvez as mulheres estivessem insatisfeitas e que isso as leva à Cabalá.

No entanto, em princípio, vemos que hoje elas realmente não querem uma família: “Por que preciso de marido e filhos? Em geral, é possível viver sem eles. O Criador, a espiritualidade, a alma e a luz superior!”

Quanto ao fato de uma mulher ser mais realista e querer que todos estejam conectados, isso ocorre porque o egoísmo dela é organizado dessa maneira. Ela sente que isso dará maior satisfação a seus desejos egoístas.

Eu acho que hoje já não importa se é homem ou mulher. Tudo acontece de forma tão igualitária que todas as diferenças de gênero não são mais diferenças.

Pelo menos a tendência é que cada vez mais mulheres estejam vindo para a Cabalá. Elas estão ficando mais sérias, são líderes. Eu devo dizer que sempre foi assim: as mulheres conduzem a humanidade a objetivos sérios. E os homens brincam. Eles vão para onde quer que uma mulher os empurre.

Uma mulher é mais livre em seu egoísmo do que um homem. Portanto, eu realmente espero que tenhamos ainda mais mulheres e que elas mostrem aos homens como devemos tratar a conexão. Será mais claro para eles.

Os homens podem se abraçar, caminhar, ir à sauna, e lhes parece que isso é uma conexão. Eles estão confusos. As mulheres são mais sensíveis ao significado da conexão real, porque não podem sequer voltar-se umas para as outras sem uma necessidade.

Portanto, ainda podemos ver mudanças muito sérias na humanidade em relação ao papel da mulher na correção da natureza.

Da Lição 5, Convenção Mundial de Cabalá na Moldávia 07/09/19, Voltar-se ao Criador

Procurando Por Amor

laitman_294.2No próximo grau, uma carência ainda maior é sentida: a carência de amor. A necessidade de amor é um tesouro e eu sofro pelo fato de não haver amor em meu coração. 1

A necessidade de amar é um novo Kli. Em nosso mundo, o amor murcha porque recebemos o que desejamos e desfrutamos. Como podemos desfrutar do amor de tal maneira que ele continue constantemente a crescer? Eu devo sentir a necessidade de amar e desfrutar não usando meu ente querido por prazer, mas ansiando por ele.

Esse anseio é o meu Kli e a única alegria que desejo. Não quero revelar o Criador, mas estou satisfeito com meu desejo por Ele, com a grandeza daquele que preencho. Esse amor nunca murcha. Se esse amor existisse em nosso mundo, nunca haveria divórcio. Nós devemos trabalhar com esse amor.

Nós mudamos nossa atitude em relação à unidade. Nosso Kli se torna diferente, nós gradualmente o abordamos sob um novo ângulo: em vez de desejar alcançar a meta, eu desfruto do meu desejo por ela. Quero permanecer nesse anseio e receber dele satisfação como no meu primeiro amor, nos pensamentos românticos, no fato de que gosto de olhar para o objeto do meu afeto, de ouvir a voz deles. O Criador dá a todos um exemplo na vida; a partir dele podemos entender como isso funciona na espiritualidade.

Nós podemos viver no prazer de lutar pelo Criador. Então não seremos mais enganados como antes, quando queríamos revelá-Lo e desfrutar desse amor. Isso é mentira, e é assim que o matamos. O amor só pode ser desfrutado se você ultrapassar seus desejos egoístas. Qualquer relacionamento abaixo desse nível destrói o amor.

Portanto, o espiritual e o corporal são dois mundos diferentes. Na vida corporal, amamos da maneira que podemos, mas na espiritualidade, o amor deve ser edificado sobre a fé acima da razão.

Baal HaSulam, “Carta nº 19”: “Isso significa que, durante a preparação, a beleza e a graça aparecem e a essência da perfeição que a pessoa deseja e anseia. No entanto, no momento da correção, quando ‘a terra estiver cheia do conhecimento do Senhor’, então ‘verei um mundo oposto’, porque apenas o medo e o anseio são a essência da perfeição desejada. Então a pessoa sente que, durante o tempo de preparação, estava mentindo para si mesma”.

De fato, dessa maneira, nosso vaso espiritual não é limitado, podemos sentir a eternidade nele: o Criador. A necessidade de amar é prazer: alegria de ansiar e desejar. É exatamente nesse anseio que o amor é alcançado, não em recebê-lo e em saciar-se com ele, o que destrói tudo. Vemos que esse amor acaba e se transforma em ruínas. O desejo de amar não é um vazio, mas uma satisfação que nunca acaba. Cada vez você pode aumentá-lo, como o amor por um bebê que nunca acaba; ele existe para toda a vida.

O objetivo do Congresso na Bulgária é aprender a amar, a revelar um desejo genuíno em relação ao Criador e dar o maior salto em direção ao primeiro grau espiritual. O amor genuíno é realizado no grupo, em unidade pelo bem da doação em que o Criador pode se vestir. Isso significa que o Criador se veste de acordo com Suas criações.

Todos experimentam seu primeiro amor na juventude; ele nos é dado de cima como um exemplo de amor platônico altruísta. Mas nós entendemos que é impossível alcançar o amor perfeito em nossos desejos corporais, exceto na condição de nos elevarmos acima deles. É por isso que recebemos um exemplo em nossa infância de que desfrutamos não do relacionamento físico, mas dos sonhos de nosso amado.

Esta é a atitude que devo ter em relação ao Criador: desfrutar do meu desejo por Ele, para que ele me preencha completamente. Eu estou contente só de pensar no Criador, sonhando em trazer-Lhe alegria. Este é um Kli ilimitado que sempre pode ser expandido ainda mais. Este não é o desejo romântico que sentimos na infância, mas o desejo de doar, que é muito profundo e sério. Ele é mais importante que este mundo inteiro e todos os desejos de desfrutar.

Internamente, existem muitas propriedades diferentes, as guerras são travadas não pela vida, mas pela morte, e todas sobre esse relacionamento: pelo prazer de lutar em relação ao Criador. Isso significa trazer alegria ao Criador. O que mais podemos dar a Ele; o que podemos acrescentar à Sua perfeição? Somente nossa aspiração a Ele.

Dizem: “Cuidado ao buscar o amor”. Não quero receber o que quero, porque isso destruiria meu amor, enfraqueceria e desapareceria imediatamente. Portanto, eu só preciso da aspiração.

Isso se origina desde o início da criação, a partir das quatro fases da luz direta. A qualidade do estágio quatro (Behina Dalet) é restrição e anseio. Eu não quero receber nada, porque senti vergonha e entendi que estou destruindo o modo como o Criador está se relacionando comigo e, nesse caso, nada pode acontecer entre nós. É bom que tenha desenvolvido um sentimento de vergonha, um aviso sobre minha incapacidade de amar. Portanto, restrinjo meu desejo.

Quão grande é o fato de eu ter encontrado uma solução: a restrição após a qual existe apenas a luz refletida, apenas o anseio pelo Criador. A restrição permanece entre nós, eu não a revelo, porque isso é chamado de revelação da nudez. Nós não podemos fazer isso. Eu sempre permaneço apaixonado acima da razão, e o amor romântico me preenche completamente.

Eu cubro a fonte do meu amor com uma tela para que possa me relacionar com ele acima dos meus desejos animalescos, acima do desejo de desfrutar. 2

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 13/10/19, Preparação à Convenção da Europa

1 Minuto 1:17:35
2 Minuto 1:20:30