“O Coronavírus Está Nos Reprogramando” (Israel Hayom)

Meu novo artigo no Israel Hayom: “O Coronavírus Está Nos Reprogramando

Podemos não perceber isso porque é assim que somos, mas a maneira como pensamos sobre a vida, as coisas que queremos, valorizamos, preferimos, nossas aspirações, costumes, medos, reações, tudo isso é “programado” em nossa psique pelo ambiente social em que vivemos. Quando a COVID-19 forçou a entrar em nossas vidas e as trancou, isso afetou todos nós.

Para alguns, seu impacto foi físico, mas para todos, é emocional. As implicações sociais e comportamentais que o coronavírus criou estão apenas começando, mas serão de longo alcance e duradouras. Entramos em uma nova era. Quanto mais cedo nos adaptarmos, melhor para todos nós.

Mesmo se quisermos voltar ao nosso modo de vida anterior, a presença do vírus tornará muito difícil. Onde quer que vamos, há uma chance de pegar o vírus ou transmiti-lo a outra pessoa, mesmo que usemos uma máscara e mantenhamos distância. Gradualmente, o vírus está nos forçando a reconsiderar o que tínhamos como certo, como ir a bares e restaurantes, pegar um avião para sair de férias, comprar novos gadgets apenas porque são novos ou porque nossos amigos os têm, etc.

Ao nos forçar a agir de maneira diferente, o vírus está realmente “nos reprogramando”. Quem pensaria há alguns meses atrás que poderíamos imaginar uma vida que não fosse uma busca interminável de prazeres imediatos (mas insatisfatórios)? Mas agora, se tivéssemos apenas o nosso sustento básico garantido, muitos optariam com prazer pela saída e diriam: “Pare o mundo, quero sair dele”, parafraseando o musical de Leslie Bricusse.

O coronavírus não é “apenas” outra epidemia. Assim como um vírus de computador, ele está reprogramando nosso sistema operacional, mudando nossa própria essência. Mas não de um jeito ruim; pelo contrário, está desacelerando nossas vidas, para que possamos descobrir prazeres ocultos que havíamos perdido antes. Ao nos forçar a confiar um no outro para a nossa saúde, o vírus está nos ensinando que podemos confiar um no outro, que podemos construir comunidades de apoio e que podemos encontrar prazer nas pessoas mais do que nas coisas.

O coronavírus não nos deixará voltar ao consumismo desenfreado, à exploração sem controle do planeta e uns aos outros. Ele nos ensinará como construir uma vida boa e sustentável para nós e para nossos filhos. Se seguirmos suas diretrizes de bom grado, concluiremos a transição rápida e facilmente.

Se permanecermos obstinados, a concluiremos de forma dolorosa e lenta. De qualquer maneira, a COVID-19 vencerá. Ela nos forçará a bloquear o que não é essencial para a vida e a abrir o que é essencial para a felicidade.

Comente