Coronavírus: Hora Da Mudança

laitman_627.1Como esperado, o coronavírus ficará conosco por um longo tempo.

Muitos países, vendo um declínio no número de casos, começaram a relaxar as restrições e remover as quarentenas. Mas assim que isso aconteceu, uma nova onda de doenças surgiu imediatamente.

Existem muitos exemplos disso: Estados Unidos, Rússia, França, Israel, Argentina, Brasil, Itália, Alemanha, Coréia do Sul e muitos outros. Onde quer que a economia se abra, o vírus retorna.

Precisamos nos preparar para o fato de que teremos que conviver com o coronavírus por anos e, portanto, precisamos reconstruir a economia de acordo. Antes de tudo, precisamos descobrir quais indústrias são totalmente necessárias para a vida, pois precisamos fornecer alimentos para todos.

Mas 20% da população trabalhadora é suficiente para isso, e o restante não precisa trabalhar. Não há necessidade de roupas de grife, carros caros ou viagens. O mundo deveria retornar a uma vida modesta normal como era antes do século XX, antes da explosão do consumo e do desenvolvimento de muitas indústrias desnecessárias. Se não fizermos isso, a natureza, o vírus, fará isso por nós, e pagaremos um preço muito mais alto por ele, tanto em termos de dinheiro quanto em vidas humanas.

80% dos trabalhos serão encerrados de uma maneira ou de outra, a única diferença é se será um processo espontâneo, acompanhado por enormes perdas, ou se decidimos antecipadamente que estamos começando a reduzir a produção desnecessária.

Vimos que as pessoas deixaram de usar e comprar coisas de luxo ou da moda que costumavam custar muito dinheiro, mas não eram necessárias.

Tudo bem se essas empresas permanecerem fechadas por alguns meses; ainda ninguém está comprando nada. Então, por que tentar ressuscitá-las artificialmente? Tenho certeza de que as pessoas não correrão para as joalherias agora, mesmo que as abram.

O Estado está tentando compensar todos por suas perdas, mas em alguns meses o dinheiro acabará e, então, o que faremos? Portanto, é melhor fazer a pesquisa agora e entender que este não é um problema temporário, mas uma nova forma de vida para uma nova sociedade, uma nova família, um novo Estado. Não deveria ser como agora, quando todos os tipos de círculos interessados ​​pressionam o Estado, e este abre o tesouro para eles e distribui dinheiro.

Se pagarmos hoje pelas perdas das joalherias, amanhã não haverá dinheiro para alimentar os famintos, que serão 50, 60 ou 70% de toda a população. Agora, o principal é mobilizar todas as forças e fundos para fornecer a todos os alimentos necessários.

Água, eletricidade, gás e comida devem ser completamente acessíveis. Então você pode pensar em roupas para quem precisa. Abra jardins de infância e escolas públicas gratuitas em vez de pagar pelas joalherias que perderam clientes. Caso contrário, esvaziaremos o tesouro em alguns meses, e isso seria o fim.

Também precisamos de um programa que ajude famílias jovens a comprar moradias a um preço acessível. É necessário construir moradias para cidadãos comuns, e não especular em apartamentos e terrenos. Essa deve ser uma verdadeira revolução e, de qualquer maneira, acontecerá. A única diferença é se isso acontecerá gradualmente, de acordo com um plano científico bem elaborado, ou sob o ataque de uma multidão enfurecida que saiu às ruas para destruir tudo ao redor e estabelecer uma nova ordem.

Não houve revoluções planejadas na história que foram realizadas por recomendação de especialistas científicos. Mas agora vemos que não há saída e precisamos fazer algo, porque é óbvio que, se não for 80%, 40% provavelmente estarão sem trabalho.

Aqueles que permanecerão trabalhando devem receber condições seguras para que não se infectem mutuamente com o vírus. Afinal, eles são nossos ganhadores de pão. O resto de nós ficará em casa e aprenderá a viver na nova sociedade. Essa nova vida está agora anos à frente e precisamos nos acostumar com o fato de não estarmos trabalhando, mas aprendendo. Estudar será trabalho.

Essa é uma inevitabilidade que teremos que aceitar, gostemos ou não – o coronavírus nos ligará a ele. Precisamos explicar às pessoas de onde isso vem e por que a sociedade humana deve sofrer essas mudanças, metamorfoses.

A humanidade está mudando e crescendo. Já passamos por muitas mudanças e formações sociais em nossa história, e agora é hora de tal mudança, que ainda não aconteceu. E nós mesmos devemos participar ativamente disso.

Antes, as formações eram substituídas espontaneamente, porque havia chegado o momento, da escravidão ao feudalismo, depois ao capitalismo. Agora estamos passando para o próximo estágio, deixando de viver para ganhar e começando a viver para construir uma nova pessoa. Esta é uma grande revolução, porque somos egoístas e estamos acostumados a viver ganhando um com o outro. Agora teremos que viver para ajudar um ao outro – e essa é uma mudança radical.

De KabTV, “Perspectivas Globais”, 14/05/20

Comente