Pânico Do Coronavírus Atinge Israel. Aqui Está O Que Podemos Aprender Com Ele (Times Of Israel)

O The Times of Israel publicou meu novo artigo: “Pânico Do Coronavírus Atinge Israel. Aqui Está O Que Podemos Aprender Com Ele

O coronavírus fez Aliyah para Israel. Os israelenses agora estão em pânico com o vírus que enche as manchetes da mídia. Ninguém sabe como o vírus se espalha, seja pela água ou pelo ar, pelas aves migratórias ou por um grupo de turistas sul-coreanos. Até que a raiz do vírus seja encontrada, todas e quaisquer respostas estão “certas”.

No entanto, parte da responsabilidade está conosco, isto é, a humanidade. Estamos todos sob pressão especial, exigindo que contribuamos de alguma maneira para a labuta com esse fenômeno. Portanto, além das diretrizes e recomendações do Ministério da Saúde, devemos equilibrar o julgamento e procurar diagnosticar a causa principal da disseminação do vírus ameaçador, a causa geral de todos os nossos problemas.

De acordo com a sabedoria da Cabalá, a natureza humana é o desejo de desfrutar. Esse desejo cresce e exige o máximo prazer por um investimento mínimo. Quanto mais ele cresce sem restrições, mais quer desfrutar às custas dos outros. Assim, o desejo egoísta, onde cada um de nós deseja desfrutar às custas dos outros, contraria o desejo geral da natureza: o desejo de dar prazer.

Quando saímos do equilíbrio com a natureza harmoniosa, que opera de maneira altruísta, recebemos um feedback sinalizando que precisamos revisar nossa direção e nos realinhar com a natureza. Esse feedback pode aparecer como um surto viral, um protesto na sociedade, um tiroteio em massa, um furacão, um ataque terrorista, ou seja, várias formas em escalas pessoal, social e ecológica.

Todos os altos e baixos que a humanidade experimentou, incluindo turbulência no mercado, crises entre indivíduos e países, e até o colapso da unidade familiar, ocorrem como resultado de um desequilíbrio entre o desejo de receber, a natureza individual e o desejo de dar, a natureza global.

Pode-se argumentar que as dores nos amolecem e nos tornam mais adaptados a se aproximar da natureza, mas ninguém deseja sofrer, e não há mandamento para sofrer.

Portanto, até aprendermos a nos conectar positivamente na sociedade acima do desejo de cada pessoa de usufruir apenas para o benefício próprio, continuaremos a cair, repetidas vezes, de inúmeras maneiras diferentes.

A expressão mais poderosa do ego está em rejeitar nossa conexão um com o outro.

A natureza opera para nos aproximar um do outro e, se nos fortalecemos dentro do ego, a natureza ataca duas vezes mais.

Os golpes da natureza podem aumentar a um ponto em que os humanos não terão escolha a não ser entender que somente juntos podemos lidar com os golpes, caso contrário, morreremos.

A natureza gradualmente nos desenvolve a um estado de conexão perfeita e, a caminho de lá, precisamos lidar com o ego que resiste à conexão com os outros. No final, alcançaremos um estado em que, se não conseguirmos conectar, todos cairão e, se tivermos sucesso em nossa conexão, todos subiremos para um nível superior de consciência.

Se víssemos o sistema completo da natureza, ficaríamos surpresos com a menor quantidade de conexão ou desconexão entre nós que influencia o sistema coletivo da natureza para melhor ou para pior.

Então, por que o sistema completo da natureza está escondido de nós?

É porque, se fosse revelado, não teríamos consciência: seríamos como rochas, plantas e animais, todos atuando em equilíbrio instintivo com a natureza, sem livre escolha.

Como os vínculos entre nós são invisíveis, precisamos ouvir regularmente explicações de como estamos conectados e como podemos descobrir essa conexão, discutir o sistema completo da natureza e o nosso papel nela, reconhecer nosso desejo egoísta de desfrutar que é oposto à qualidade altruísta da natureza e ampliar nossa necessidade de nos unirmos.

Além disso, não precisamos esperar que as crises nos conectem com força. Em vez disso, podemos despertar para nos conectar simplesmente porque podemos nos sentir muito melhor nos conectando do que estando divididos. Em outras palavras, existe uma força positiva na natureza que revela quando nos conectamos e, ao descobrir essa força, experimentamos estados muito superiores de felicidade, confiança, amor, liberdade e paz que jamais poderíamos experimentar se não conseguíssemos nos mover para se conectar.

Comente