O Que Podemos Oferecer Ao Povo Italiano Durante A Pandemia De Coronavírus?

Dr. Michael Laitman

Da Minha Página No Facebook Michael Laitman 29/03/20

“Olhei pela janela da sala em que estive fechado por semanas e vi meu vizinho sendo removido em uma bolsa para cadáveres, devido à morte do coronavírus”. Foi o que um dos meus alunos italianos mencionou ao discutir o que está acontecendo na Itália no momento.

Embora a pandemia de coronavírus seja sentida em todo o mundo, na Itália é sentida muito mais forte.

A maior taxa de mortalidade relacionada ao coronavírus relatada assombra o povo italiano, juntamente com o medo pesado e deprimente da morte.

Os cidadãos italianos vivem em incerteza e descontentamento, pois sofrem um período prolongado de distanciamento social, forçados pela arriscada pandemia a permanecer em suas casas.

Enquanto isso, o coronavírus continua se espalhando e também mutando muito rapidamente.

Embora haja muito esforço para encontrar uma vacina para curar as pessoas do vírus, parece que ele veio para ficar por um tempo.

Portanto, o que podemos oferecer ao povo italiano, bem como a todos os que ficam em casa durante esse período em todo o mundo?

Tudo o que temos a oferecer é uma explicação mais profunda do motivo pelo qual esse vírus surgiu e se espalhou por toda a humanidade, isto é, que vem da compreensão do plano e do propósito da natureza para com a humanidade e do que a natureza espera de nós.

Um aspecto claro sobre o coronavírus é que ele afeta negativamente a nós, seres humanos e nenhuma outra parte da natureza. Isso ocorre porque surge para nos despertar para o fato de que estávamos prejudicando a nós mesmos e ao planeta da maneira como nos conduzimos até a pandemia.

Em outras palavras, nós trouxemos essa pandemia para nós mesmos devido ao nosso desequilíbrio com a natureza.

Transformamos nossas vidas em uma corrida de ratos em uma esteira consumista, onde cada um de nós procurou se beneficiar às custas dos outros. Ao fazer isso, criamos um sistema em que fabricamos, anunciamos, compramos, vendemos e logo depois descartamos uma variedade de produtos que estavam muito além de nossas necessidades.

Nós nos relacionávamos de uma maneira em que víamos cifrões pairando sobre a cabeça um do outro. Isto é, medíamos um ao outro pela quantidade de benefício e lucro que poderíamos colher um do outro, e quanto mais nossos desejos egoístas cresciam, mais divididos nos tornávamos.

Portanto, o coronavírus apareceu para nos separar fisicamente por um tempo, dando-nos tempo e espaço para refletir sobre como nos relacionamos um com o outro e com o nosso mundo, como não voltar ao nosso mundo destrutivo passado e o que deveria acontecer ao nosso mundo para que seja melhor, mais genuíno e justo.

Por fim, esse vírus surgiu para que consertássemos nossos relacionamentos, para que nos tornássemos mais atenciosos e solidários. É por isso que ainda não há vacinação à vista. É também por isso que cientistas e pesquisadores estão perdidos.

Até que consertemos nossas atitudes, tudo o que faremos para curar esse vírus tropeçará com o peso de um novo vírus ou uma mutação do vírus atual, que seria mais forte e mais ameaçadora.

É por isso que as pessoas preocupadas com o futuro da humanidade hoje estão tentando espalhar a mensagem sobre a explicação mais profunda por trás do coronavírus e aumentar a conscientização sobre o poder que possuímos em nossas conexões mútuas.

Ao aprender sobre como somos interdependentes e como nosso futuro positivo depende do quanto percebemos positivamente nossa interdependência, despertamos a força positiva de conexão da natureza em nossas vidas. Ela sabe, muito melhor do que nós, como curar todas as doenças e resolver todos os nossos problemas.

Um de nossos principais problemas é que deixamos de reconhecer que a natureza está no controle, que é mais sábia e superior a nós. Se pudéssemos reconhecer a superioridade da natureza e uma maior sabedoria em relação à nossa, essa abordagem nos prepararia para aprender e absorver como podemos mudar o equilíbrio com a natureza e experimentar uma nova harmonia.

Penso que os italianos devem ser capazes de digerir esta mensagem com relativa facilidade. Naturalmente, eles sentem que existe um poder superior no mundo e têm um coração quente e aberto. Desejo-lhes boa saúde, paz e uma rápida recuperação.

Comente