O Que O Coronavírus Nos Ensina

Dr Michael LaitmanA humanidade percorreu um longo caminho em seu desenvolvimento e chegou ao ponto em que começa a se sentir como um organismo. Precisamos agradecer ao coronavírus por trazer o mundo inteiro a essa unidade. Se essa epidemia se prolongar, a humanidade descobrirá que realmente pertencemos a um sistema e somos todos dependentes um do outro.

Até agora, essa dependência se expressa no fato de que, por medo da infecção, eu me fecho dos outros e me desconecto da conexão negativa.

Mas vamos começar a revelar uma dependência positiva. Se nos conectarmos corretamente, começaremos a produzir vírus positivos.

No momento, a natureza está nos revelando vírus nocivos para nós como a revelação do mal. Mas depois devemos continuar esse processo para a realização da bondade, e descobrir que, ao nos unirmos, podemos alcançar um tremendo sucesso.

A principal solução não está na cessação dos voos aéreos ou na recuperação de uma economia paralisada, mas na conexão entre as pessoas. O vírus começará a desaparecer se houver pelo menos uma ligeira mudança em direção à unificação e, em seguida, veremos que não queremos romper os laços um com o outro porque queremos nos conectar. E queremos entrar em contato para não vagar pelo mundo novamente de ponta a ponta, mas porque queremos nos conectar com as pessoas.

A conexão anterior estava ruim, mas agora vamos construir uma boa conexão. É este medicamento que queremos usar nesta condição crítica: restaurar nossa conexão, mas em um nível totalmente diferente, sendo gentil em vez de usar um ao outro. Em virtude de nossa conexão, derrotamos qualquer mal, qualquer vírus, e chegamos a uma vida boa.

A natureza nos levará a esse objetivo de qualquer maneira, e se nós mesmos quisermos avançar em direção a ele, não precisaremos ser infectados com vírus diferentes ao longo do caminho. Tudo depende do nosso pedido de correção dos relacionamentos entre as pessoas. Esse conhecimento deve se espalhar por todo o mundo em todas as formas: pensamentos, conversas e ações. Então o poder superior, a natureza, fará seu trabalho. Um poder superior une todas as partes da criação. E queremos corrigir o nível humano onde ocorreu a quebra, devolvê-lo à sua unidade, para que possamos vê-lo em sua verdadeira forma, não distorcida por nossa visão egoísta. Corrigindo a nós mesmos, corrigimos a realidade.

O coronavírus nos revela nossa dependência negativa um do outro. Primeiro, descobrimos que somos incapazes de sobreviver sem trabalhar juntos, sem ganhar um do outro. Deve ficar claro para todos que cada um de nós está sendo sustentado pelo mundo inteiro. Mas tudo isso pode ser continuado apenas com a condição de que nossa conexão se torne positiva. Uma conexão negativa destrói a humanidade e não podemos continuar a existir dessa forma. O mundo cairá em tal estado que uma pessoa não terá nada para comer ou respirar.

Imagine como a vida se tornará bela se a humanidade estiver unida, como todas as outras partes da natureza, inanimada, vegetativa e animada, em um sistema integral em que todos incluem todos os outros em si. Onde podemos obter uma força que nos une em um organismo, costure e cole em um sistema? É óbvio que em um sistema tão perfeito todos se sentirão bem. É claro que, se ficar claro para nós que um olhar gentil para outra pessoa nos cura imediatamente do coronavírus, todos na Terra se tornariam instantaneamente justos.

Mas não é isso que o poder superior exige de nós. Uma pessoa precisa perceber que deve lutar pela doação, não por lucro egoísta, pensar nos outros, não em si mesma. E quando todo mundo se sente bem, ela também deixa de estar doente.

Enquanto isso, enquanto a epidemia continua, temos algo a aprender com isso…

Da 3ª parte da Lição Diária de Cabalá 11/11/20, Baal HaSulam, “A Paz”.

Comente