“O Que Há De Errado Com A Mídia?” (Quora)

Dr. Michael LaitmanMichael Laitman, On Quora:O Que Há De Errado Com A Mídia? 

Acelerada pela Internet, a mídia foi inflada de esteroides com poder, adquirindo liberdade, influência e controle como nunca antes.

Qualquer pessoa pode promover o que quiser. Se você está pagando, pode controlar a mídia e, ao fazer isso, controlar a opinião pública: psicologia, consciência e inconsciente da sociedade.

Indivíduos e grupos guiados por motivos de riqueza e poder alteram metodicamente a opinião pública, usando a mídia inclusive para manipular procedimentos legais e eleições governamentais.

Pessoas do judiciário, como juízes, policiais e advogados, se envolveram na máquina de lavagem cerebral da mídia, e todos os sistemas humanos ficaram sob a influência da mídia.

A mídia se tornou a influenciadora nos seguindo aonde quer que vamos, em nossas mãos e bolsos, ouvidos e olhos, o dia todo, todos os dias.

E quem ou o que controla a mídia?

O dinheiro. Não é uma ideologia. Não é um plano que visa educar e elevar a sociedade para melhor conectar e desfrutar vidas mais felizes. Não, apenas o dinheiro.

O dinheiro é o pior combustível para um sistema. São apenas unidades quantitativas, onde quanto mais dessas unidades você tiver, mais valor terá.

Como a Mídia Comprada Contribuiu Para o Declínio da Sociedade

Visto que tantas pessoas investem dinheiro na mídia, e a mídia desempenha um papel tão influente na formação da opinião pública, a mídia está cada vez mais sentindo o poder que possui, e começou a usá-lo da maneira mais agressiva e egoísta possível. Hoje em dia, há regularmente compra e venda nos bastidores da mídia, manipulando o poder nos níveis mais altos.

O uso egoísta da mídia é um grande problema, semelhante a uma doença que se espalha por toda a sociedade humana. Confunde as pessoas, já que qualquer pessoa pode promover o que quiser, desde que tenha dinheiro suficiente.

Quanto mais dinheiro uma pessoa aspirante a uma posição de poder tem, mais ela pode influenciar sua opinião na sociedade. A declaração do comediante Sacha Baron Cohen em uma recente conferência da ADL contextualizou a gravidade do que isso significa: “Se o Facebook existisse nos anos 30, teria permitido a Hitler postar anúncios de 30 segundos em sua ‘solução’ para o ‘problema judaico’. ”

Como valorizamos muito o dinheiro e o poder, vivemos em um mundo onde aqueles com mais dinheiro – não sabedoria, conhecimento, conhecimento e experiência, mas dinheiro – controlam.

Hoje vemos situações em que juízes, ou seja, pessoas que precisam ser “intocáveis”, foram influenciadas pela mídia a passar julgamentos com medo do que poderia ser feito à sua imagem na mídia.

Se começássemos a estabelecer limites para limitar a mídia que consumimos, de modo que ela visasse beneficiar o público e não apenas os interesses próprios daqueles que tiram vantagem dela, poderíamos impedir qualquer aceleração cega em direção a um muro que se aproxima.

A Solução Para A Mídia Comprada – A Organização de Revisão de Novas Mídias

Embora pareça irrealista discutir qualquer tipo de regulamentação na mídia hoje, seria mais realista se outro colapso financeiro ocorresse.

O mundo como o conhecemos hoje chegaria a uma parada completa.

Imagine o cenário em que o mercado acionário falha. O fluxo de dinheiro para. Nosso sistema de câmbio – compra e venda por meio de dinheiro – para. A publicidade é interrompida. Nada alimenta os sistemas que construímos para nos conectar. Tudo para.

Nosso sistema energético competitivo, materialista e de interesse próprio, em constante fluxo, baseado em dinheiro, entra em colapso.

Como o dinheiro pararia de se mover e não poderíamos comprar ou vender nada, deixaríamos de avaliar o dinheiro e poderíamos ver quanto dinheiro saiu do controle.

Nesse ponto, poderíamos imaginar um coletivo de pessoas em todo o mundo se formando, criando uma nova organização de revisão de mídia. Devido a um erro no modo como a mídia foi comprada por alguém que estava pagando antecipadamente e como nossas vidas focadas em dinheiro nos levaram a um abalo, estaríamos mais inclinados a chegar a um acordo de que a mídia precisa ser revisada e filtrada de uma maneira que não pode ser comprada por dinheiro.

O papel deles seria tornar a mídia informativa e não agir por interesses. Começaria fechando a Internet como a conhecemos, para que não houvesse falsas promoções políticas, econômicas e nacionais.

Essa nova organização definiria leis e limites para filtrar qualquer coisa que pudesse incitar o público, com o objetivo de fornecer ao público as informações necessárias, eventos descritos da maneira mais objetiva possível.

A equipe principal seria de um grupo diversificado de pessoas de todas as origens. Eles deveriam argumentar regularmente, mas o princípio maior sobre o qual eles seriam continuamente lembrados seria que eles precisam chegar a um acordo comum sobre o que é mais benéfico para o público e, portanto, a organização revisa e passa informações ao público em geral de maneira imparcial.

Eles também se empenhariam em aprender a trabalhar juntos como iguais, verificando regularmente para garantir que todos no comitê decisivo tivessem o mesmo peso.

Onde Isso Nos Deixa Hoje?

A questão é: precisamos esperar um colapso financeiro, onde todos ficam desesperados por não poder viver a vida materialista que atualmente vivemos para passar por essa mudança?

Tudo depende de quanto podemos nos conscientizar sobre o tipo de conexões que precisamos estabelecer na sociedade humana. Se pretendêssemos conectar a sociedade humana para ser tão interconectada e interdependente como as conexões tecnológicas, econômicas e culturais naturalmente reveladoras para nós, experimentaríamos a harmonia. Da mesma forma, pelo contrário, qualquer coisa que fazemos que não se direcione a uma melhor conexão das pessoas terá efeitos colaterais negativos.

A crise da mídia em que nos encontramos hoje nos mostra que estamos chegando ao fim de uma era de desenvolvimento humano inconsciente, em que o sistema egoísta baseado no dinheiro está posicionado entre todos nós. É um sistema que não tem outro valor senão o ego da pessoa que supera os outros.

Quanto mais sofrermos hoje com esse sistema cada vez mais defeituoso, mais teremos a oportunidade de considerar o que seria necessário para despertarmos de nosso estado de coma e realizar a unidade.

A sociedade humana hoje está gradualmente se aproximando desse novo despertar. Tudo o que a sociedade precisa é que seu desenvolvimento mental e emocional corresponda à conexão de seu desenvolvimento tecnológico e econômico, e então as distâncias entre as pessoas serão preenchidas com a força unificadora que habita a natureza.

Além disso, como explico regularmente, o povo judeu possui a chave para ser pioneiro nesse processo de unidade, e isso depende da unidade judaica (“ame seu amigo como a si mesmo”) antes de expandir para a unidade da humanidade (“luz para as nações”).

Comente