Meus Pensamentos No Twitter 01/06/19

Dr Michael Laitman Twitter

#Israel é uma nação que se eleva à doação, amor ao próximo, garantia mútua, empatia.
#Jerusalem é a capital, o coração da nação, o auge do espírito, o ponto focal do poder sobre si mesmo, sobre o egoísmo da pessoa.
Sem um desejo de se unir, de amar o próximo – Jerusalém é Klipa

Para que Jerusalém se torne uma verdadeira capital, o centro de uma nação unida, devemos conquistá-la DENTRO DE NÓS, retornar a uma boa conexão, aprender a superar conflitos e disputas. Só assim, na unidade dos corações, podemos construir a nação de ISRA-EL, aspirar ao Criador.

#Jerusalém é uma indicação do estado espiritual da nação. É uma cidade muito dura, uma vez que demonstra a atitude genuína em relação à unidade no coração de cada pessoa. Jerusalém pode ser o centro de fragmentação da nação de #Israel e do mundo ou o centro de sua #unidade.

O resultado é alcançado por um pedido ao Criador para ajudá-la a ir pela fé acima da razão, com alegria, como se ela tivesse alcançado a razão espiritual. E embora o corpo não queira ir apesar da razão, ela pede alegria, como convém ao obreiro do Superior.
Ela pede para não ver a grandeza, mas pede alegria acima da razão, como se estivesse na razão.

A pessoa vê que o mundo é ruim, mas por seus esforços, deseja vê-lo como o Criador vê – que o mundo é perfeito, recebendo tudo do Criador perfeito, e como se sentisse isso em suas sensações. Ela então sente a força da vida e da alegria aproximando-se do Criador, que faz o bem.

As pessoas entraram em uma nova era geológica chamada Antropoceno – a era humana em que as pessoas começaram a infligir danos irreversíveis ao planeta. As pessoas podem ser levadas a se equilibrar com a natureza apenas corrigindo a natureza humana. Existe um método para corrigir a natureza do homem: a Cabalá.

O mundo vive por suas leis. Aquele que deseja revelar o Criador, embora veja um mundo ruim, deve vê-lo como bom – transferindo as falhas do mundo e do Criador para si mesmo, suas qualidades. O bom Criador é o Eu malvado (não corrigido). É por isso que eu vejo o mundo desse jeito!

A linha esquerda é o que a pessoa vê na razão, nas falhas dela e do mundo.
A linha direita é o que ela vê acima da razão, a perfeição dela e do mundo.
A linha do meio é quando, apesar do que ela vê na linha da esquerda, ela segue mesmo assim – acima da razão.
Isto é, é necessário que as linhas direita e esquerda entrem na linha média, fé acima da razão.

Estar na espiritualidade significa permanecer humano e ir acima dele, pela fé acima da razão. Mesmo se a pessoa pode ver o Criador na razão, ela prefere estar na fé acima da razão que é oferecida a ela. A fé se torna um instrumento para revelar o Criador, pois tudo é para doação, no cuidado não para si mesmo, mas para o Criador.

Para que a criatura atinja o Criador, ela deve construir a qualidade de doação, fé, acima da qualidade de recepção, razão. O Criador ajuda a pessoa criando o vazio nela. É preciso ir acima do vazio, criando a qualidade da grandeza, a sensação do Criador dentro dela, acima da razão. Desejando alcançar na fé, não na razão.

Acima disso, construímos a fé, apesar da qualidade de recepção, da maneira como o Criador vê as qualidades do meu ego.
Existem duas realizações: terrena e espiritual.

O que a pessoa recebe no ego-desejo é chamado de razão. Para atingir o Criador, é preciso construir uma sensação acima da razão do ego. É exatamente por isso que o ego, a qualidade do nosso mundo, foi criado.

Na medida em que a pessoa tem fé na bondade acima da razão, ela chega à sensação do mal em sua razão, que a empurra para a correção por um pedido de doação.

O Criador desperta o mal na razão para ajudar a pessoa a elevar-se à fé acima da razão, a perceber que ela se sente mal porque existe na qualidade de “por minha causa” – caso contrário, ela sentiria bondade.

Uma pessoa não tem forças para ir contra o desejo de desfrutar, já que não sente satisfação nisso. Mas o Criador tira o sabor e deixa apenas a oportunidade de pedir forças para trabalhar em prol do Criador.

Imagine como se você merecesse plena fé no Criador e a sensação de que o Criador governa o mundo pela bondade, e é isso que as criaturas recebem. Quando você vê o seu sofrimento e o do mundo, diga que você o vê em suas qualidades não corrigidas para se corrigir até ver uma providência totalmente gentil.

Zohar, Hayei Sarah 21: Feliz é aquele que se diminui neste mundo – quão grande ele é no mundo eterno! Mas aquele que é grande neste mundo é pequeno no mundo eterno.
O Criador exalta aquele que se diminui.
Feliz é aquele que se diminui neste mundo: quão grandes são os seus méritos no mundo eterno!

O caminho da fé acima da razão significa não levar em conta sentimentos e conhecimento. O Criador nos observa e sabe o que é bom para nós. Por isso, não me importo como me sinto, se quero deleitar o Criador.
Embora eu não sinta perfeição em meu trabalho, da perspectiva do Superior estou na perfeição.

Malchut, a base da criação, é um ponto negro. Se a pessoa não deseja aumentar seu estado, não pode cair. Se a pessoa aceita o trabalho em um ponto negro em qualquer estado – ela atinge a adesão com o Criador e recebe a luz de cima, já que não há intenção de receber e desfrutar da luz.

O objetivo do trabalho é estar em um grau inferior, sempre aceitando o poder do Criador novamente pela fé acima da razão, ingenuamente. E aceitá-lo com alegria, como se em plena razão. A constatação é que ela nunca cai e está sempre em alegria porque aceita todos os estados nos desejos e nas mente acima da razão.

A pessoa deve regozijar-se com um pequeno estado mais que um grande estado. E quando em um grande estado, ela deve cobrir-se com um pequeno estado de perturbações do ego. Em um estado pequeno, ela pode chegar à revelação, já que não há medo de ser derrotada pelos distúrbios do ego.
Portanto, o Criador tem mais alegria de um estado pequeno do que de um grande.

Do Twitter, 06/01/19

Comente